Your SlideShare is downloading. ×
0
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ - CAMPUS DE CAMPO MOURÃO           DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (DEP)          C...
2      ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO1. INTRODUÇÃO;2. ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS:    2.1 ESTRUTURA FUNCIONAL;    2.2 ESTRUTURA DE...
1. INTRODUÇÃO
4      INTRODUÇÃO Todo projeto está imerso em uma determinada hierarquia de  sistemas que precisa ser respeitada pelo ger...
2. ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS
6      2.1 ESTRUTURA FUNCIONAL É caracterizada pela rotina das tarefas e por utilizar uma  mesma linha de controle para p...
7      2.2 ESTRUTURA DE PROJETOS Modelo organizacional caracterizado por uma estrutura  quase exclusiva de projetos na or...
8      2.2 ESTRUTURA DE PROJETOS Vantagens:  •   O gerente de projeto tem autoridade total sobre o projeto;  •   Todos os...
9      2.2 ESTRUTURA DE PROJETOS Desvantagens:  •   Duplicação de esforços em todas as áreas;  •   Pessoas com habilidade...
10          2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Organização desenvolvida para agrupar as vantagens da  organização de projeto puro co...
11       2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Classificação feita por Vargas (2003) da Estrutura Matricial:   • Matricial Leve;      ◦...
12       2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Matricial Leve com expedidor de projetos:  •   Estrutura caracterizada pela alocação de ...
13      2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Matricial leve com coordenador de projetos:  • Estrutura também caracterizada pela alocaç...
14       2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Matricial Balanceada e Forte:  •   Estrutura que comporta as características funcionais ...
15       2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Vantagens:   •   O projeto é ponto de ênfase;   •   O projeto tem razoável acesso ao res...
16       2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Desvantagens:  • Dúvidas sobre quem esta no poder em caso de sucesso ou fracasso    do p...
17        2.4 ESTRUTURA MISTA Organizações funcionais puras e de projeto puro podem  coexistir numa firma. Isso resulta n...
3. PMO (Project Management Office)
19      PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) O PMO, ou Escritório de Gerenciamento de Projetos, é a  entidade    organizaciona...
20PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO)     FIGURA 4 - Representação do PMO. Fonte: Arantes (2008, p. 13)                       ...
21      PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) Existem basicamente três níveis de PMO de acordo com a  finalidade e a caracterís...
4. A ESTRUTURA  ORGANIZACIONAL E SUAINFLUÊNCIA NOS PROJETOS
23         ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E SUA INFLUÊNCIA                      NOS PROJETOS                                    ...
5. ESCOLHENDO UMAFORMA ORGANIZACIONAL
25    ESCOLHENDO UMA FORMA ORGANIZACIONAL Para determinar o tipo de estrutura necessária é preciso  considerar a natureza...
26       ESCOLHENDO UMA FORMA ORGANIZACIONAL Meredith e Mantel Jr. (2003, p.107) propõe o seguinte  procedimento para sel...
6. A EQUIPE DE PROJETO
28      A EQUIPE DE PROJETO Além do Gerente de Projeto, outros membros-chave são  necessários para formar a equipe do pro...
29      ENGENHEIRO DE PROJETO O engenheiro de projeto está encarregado do projeto e  desenvolvimento do produto, sendo re...
30       ENGENHEIRO DE MANUFATURA A tarefa desse engenheiro é a produção eficiente do produto  ou do processo desenhado p...
31       GERENTE DE CAMPO Esta pessoa é responsável por:   • Instalação;   • Testes de suporte do produto/processo, uma v...
32       CONTROLLER DO PROJETO O controller mantém a contabilidade diária do projeto, como:   • Orçamento;   • Variâncias...
33       ADMINISTRADOR DO CONTRATO O administrador está encarregado por controlar:   • A documentação oficial;   • Rastre...
34       GERENTE DE SERVIÇOS DE APOIO Esta pessoa está encarregada pelo:   • Suporte ao produto;   • Subempreiteiros;   •...
35      A EQUIPE DE PROJETO Para arranjar pessoal para o projeto, o Gerente trabalha a  partir de uma previsão das necess...
36      A EQUIPE DE PROJETO Há algumas pessoas que são mais fundamentais ao  sucesso do projeto que outras, e deveriam re...
7. OS FATORES HUMANOS E   A EQUIPE DO PROJETO
38     OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO Cumprir objetivos de prazo e custos sem comprometer o  desempenho é um pr...
39      OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO              Início     Prioridades/Procedimentos/Cronogramas;Elaboração ...
40     OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO“Juntar as pessoas, mesmo quando elas pertencem à mesma  organização e seus...
41      OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO…o sucesso do projeto será associado ao trabalho em equipe,e o fracasso do...
8. CONSIDERAÇÕES FINAIS
43       CONSIDERAÇÕES FINAIS O conhecimento das formas organizacionais e de como o  gerenciamento de projetos esta envol...
9. REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIA
45        REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIASARANTES, Ednir. et al. Gerenciamento de Projetos. 2008 Disponível em:<http://www.prom...
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ - CAMPUS DE CAMPO MOURÃO                 DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (DEP)     ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

II PROJETOS - iii. ORGANIZAÇÃO DE PROJETOS

4,619

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
4,619
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
46
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "II PROJETOS - iii. ORGANIZAÇÃO DE PROJETOS"

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ - CAMPUS DE CAMPO MOURÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (DEP) CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL DISCIPLINA DE PROJETO DO PRODUTO, DO TRABALHO E DAS INSTALAÇÕES AGROINDUSTRIAIS Professora Msc. THAYS PERASSOLI BOIKO ALISSON LEIGUS AMANDA TROJAN FENERICH FÁBIO GUILHERME MOCHIUTTI ORGANIZAÇÃO DE PROJETOSCampus de Campo Mourão
  2. 2. 2 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO1. INTRODUÇÃO;2. ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS: 2.1 ESTRUTURA FUNCIONAL; 2.2 ESTRUTURA DE PROJETOS; 2.3 ESTRUTURA MATRICIAL (LEVE, BALANCEADA E FORTE); 2.4 ESTRUTURA MISTA;3. PMO (PROJECT MANAGEMENT OFFICE);4. A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E SUA INFLUÊNCIA NOS PROJETOS;5. ESCOLHENDO UMA FORMA ORGANIZACIONAL;6. A EQUIPE DE PROJETO;7. OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO;8. CONSIDERAÇÕES FINAIS;9. REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIAS.
  3. 3. 1. INTRODUÇÃO
  4. 4. 4 INTRODUÇÃO Todo projeto está imerso em uma determinada hierarquia de sistemas que precisa ser respeitada pelo gerente de projeto; Ao se trabalhar com projetos, o executivo deve estar atento ao fato de que o projeto faz parte de um todo e está sujeito às influências da cadeia do poder; Objetivo: mostrar como um projeto se relaciona com a organização a qual está vinculado, e como uma equipe se organiza para realização do projeto; A pesquisa foi baseada nos estudos de Meredith e Mantel Jr. (2003); Arantes (2008); Moreira (2010); Kerzner (2006); Thiry-Cherques (2002) e Vargas (2003). UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  5. 5. 2. ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS
  6. 6. 6 2.1 ESTRUTURA FUNCIONAL É caracterizada pela rotina das tarefas e por utilizar uma mesma linha de controle para projetos, que são conduzidos por equipes pertencentes a cada departamento e a importância dada a eles é pequena; Vantagens: • Autoridade definida pela hierarquia funcional; • Familiaridade do time de trabalho; • Eficiência no controle e otimização de cronogramas; Desvantagens: • Recursos limitados; • Burocracia elevada para o projeto; • Perda de foco no projeto. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  7. 7. 7 2.2 ESTRUTURA DE PROJETOS Modelo organizacional caracterizado por uma estrutura quase exclusiva de projetos na organização, englobando toda a parte funcional da organização dentro de cada projeto: Presidente Projeto A Projeto B Projeto C Projeto D Projeto E Engenharia Engenharia Engenharia Engenharia Engenharia Produção Produção Produção Produção Produção RH RH RH RH RH Finanças Finanças Finanças Finanças Finanças Marketing Marketing Marketing Marketing Marketing FIGURA 1 - Organização de Projetos. Fonte: Vargas(2003, p. 146). UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  8. 8. 8 2.2 ESTRUTURA DE PROJETOS Vantagens: • O gerente de projeto tem autoridade total sobre o projeto; • Todos os membros do projeto são diretamente subordinados ao GP; • As linhas de comunicação são mais rápidas e menos falhas; • Quando há diversos e sucessivos projetos similares, pode manter um quadro de especialistas permanente; • Os membros têm elevada motivação e comprometimento; • A tomada de decisão é rápida; • Existe uma unidade de comando; • São estruturas simples e flexíveis e de fácil implementação. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  9. 9. 9 2.2 ESTRUTURA DE PROJETOS Desvantagens: • Duplicação de esforços em todas as áreas; • Pessoas com habilidades técnicas fundamentais poderão ser contratadas quando estiverem disponíveis e não quando forem necessárias; • O conhecimento técnico da divisão funcional não está acessível aos membros do projeto puro; • Podem criar inconsistências na maneira como políticas e procedimentos são executados; • A luta interna entre projetos é comum (projetite); • Incerteza sobre o que irá acontecer quando o projeto terminar. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  10. 10. 10 2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Organização desenvolvida para agrupar as vantagens da organização de projeto puro com algumas características desejáveis da funcional, minimizando as desvantagens de ambas: Presidente Gerente de Pesquisa & Finanças RH Manufatura Marketing Projetos Desenvolvimento Projeto A 1 2 1 3 4 Projeto B 4 1 3 2 1 Projeto C 2 2 4 2 1 FIGURA 2 - Organização Matriz. Fonte: Adaptado de Meredith e Mantel (2003, p. 102). UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fábio Guilherme Mochiutti
  11. 11. 11 2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Classificação feita por Vargas (2003) da Estrutura Matricial: • Matricial Leve; ◦ com expedidor de projetos; ◦ com coordenador de projetos; • Matricial Balanceada e Matricial Forte. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fábio Guilherme Mochiutti
  12. 12. 12 2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Matricial Leve com expedidor de projetos: • Estrutura caracterizada pela alocação de pessoas na condução de projetos com uma pequena autoridade formal sobre as atividades e recursos, sendo usada apenas quando o projeto é relativamente pequeno e simples. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fábio Guilherme Mochiutti
  13. 13. 13 2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Matricial leve com coordenador de projetos: • Estrutura também caracterizada pela alocação de pessoas na condução de projetos com pouca autoridade formal, porém o coordenador tem um conjunto maior de responsabilidades, pois se reporta a níveis mais elevados. Usada nas primeiras experiências de gerenciamento de projetos da empresa. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fábio Guilherme Mochiutti
  14. 14. 14 2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Matricial Balanceada e Forte: • Estrutura que comporta as características funcionais e de projeto em diferentes proporções, onde os projetos são conduzidos por gerentes que se dedicam em tempo integral e têm autonomia comparada à do gerente funiconal (balanceada) ou até mesmo superior (matriz forte). UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fábio Guilherme Mochiutti
  15. 15. 15 2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Vantagens: • O projeto é ponto de ênfase; • O projeto tem razoável acesso ao reservatório de tecnologia de todas divisões funcionais; • Há menos ansiedade sobre o que acontecerá no fim do projeto; • A resposta de que o cliente necessita é rápida, pois é uma organização flexível; • O projeto terá representantes nas unidades administrativas; • Permite maior equilíbrio dos recursos quando se tem vários projetos em andamento; • Grande flexibilidade em como o projeto é organizado. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fábio Guilherme Mochiutti
  16. 16. 16 2.3 ESTRUTURA MATRICIAL Desvantagens: • Dúvidas sobre quem esta no poder em caso de sucesso ou fracasso do projeto; • O conjunto de projetos deve ser cuidadosamente monitorado, e o movimento de recursos pode gerar conflitos entre os gerentes; • Problemas severos quando um projeto é cancelado; • A divisão de autoridade e responsabilidade é complexa, devendo o gerente ter habilidades fortes de negociação; • O gerenciamento matriz viola o princípio do gerenciamento da unidade de comando, os funcionários têm pelo menos dois patrões. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fábio Guilherme Mochiutti
  17. 17. 17 2.4 ESTRUTURA MISTA Organizações funcionais puras e de projeto puro podem coexistir numa firma. Isso resulta na forma mista: Presidente Projeto M Finanças Engenharia Projeto Z Manufatura FIGURA 3 - Organização Mista. Fonte:Meredith e Matel Jr. (2003, p. 106)“A hibridização das formas mistas leva a flexibilidade. Possibilita à companhiaenfrentar problemas especiais pela adaptação apropriada de sua estruturaorganizacional. [...] Porém temos as condições que tendem a resultar em conflitosentre gerentes funcionais e de projeto.” Meredith e Mantel Jr. (2003, p.106). UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  18. 18. 3. PMO (Project Management Office)
  19. 19. 19 PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) O PMO, ou Escritório de Gerenciamento de Projetos, é a entidade organizacional formalmente estabelecida responsável por: • Definir, uniformizar e defender padrões, processos, métricas e ferramentas; • Oferecer serviços de gerenciamento, treinamento e documentação; • Garantir o alinhamento das iniciativas à estratégia organizacional e confeccionar relatórios de progresso e acompanhamento. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  20. 20. 20PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) FIGURA 4 - Representação do PMO. Fonte: Arantes (2008, p. 13) UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  21. 21. 21 PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMO) Existem basicamente três níveis de PMO de acordo com a finalidade e a característica de atuação desejada pela organização: • Projeto Autônomo: escritório separado das operações da empresa, destinado ao gerenciamento de um projeto específico; • Project Support Office: escritório de esfera departamental destinado ao apoio a diversos projetos simultâneos; • Enterprise Project Support Office: escritório de esfera corporativa, atuando no gerenciamento estratégico de todos os projetos da organização. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  22. 22. 4. A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E SUAINFLUÊNCIA NOS PROJETOS
  23. 23. 23 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E SUA INFLUÊNCIA NOS PROJETOS Matricial Funcional Projetos Leve Leve Balanceada Forte c/expedidor c/coordenadorAutoridade do Pequena a Moderada Alta a Nenhuma Limitada Pequena gerente moderada a alta totalAlocação do Parcial Parcial Parcial Integral Integral Integral gerente Cargo do Coord. ou Coord. ou Coord. ou Gerente Gerente Diretor gerente líder líder líder Staffadministrativo Parcial Parcial Parcial Parcial Integral Integral do projetoPercentual da organização 0-5% 0-5% 0-25% 15-60% 50-95% 85-100% em projetos Fonte: PMBOK Guide, In: Vargas, 2003. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  24. 24. 5. ESCOLHENDO UMAFORMA ORGANIZACIONAL
  25. 25. 25 ESCOLHENDO UMA FORMA ORGANIZACIONAL Para determinar o tipo de estrutura necessária é preciso considerar a natureza do projeto em potencial, as características das várias opções organizacionais, as vantagens e desvantagens de cada uma e as preferências culturais da organização principal: • Funcional: projetos onde o foco principal precisa estar na aplicação a fundo de uma tecnologia mais do que, por exemplo, na minimização de custos ou no cumprimento de cronograma específico; • Projeto: se a companhia engaja num grande número de projetos, ou realiza tarefas exclusivas, específicas e únicas; • Matriz: quando o projeto requer a integração de contribuições de diversas áreas funcionais e envolve tecnologia razoavelmente sofisticada, mas não requer que todos os especialistas trabalhem para o projeto em tempo integral. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  26. 26. 26 ESCOLHENDO UMA FORMA ORGANIZACIONAL Meredith e Mantel Jr. (2003, p.107) propõe o seguinte procedimento para seleção de uma organizaçãode projeto: • Defina o projeto com os objetivos e resultados desejados; • Determine as tarefas-chave e localize as unidades organizacionais; • Ordene as tarefas-chave e decompoha-as em pacotes de trabalho; • Determine as unidades organizacionais necessárias; • Liste quaisquer características ou associadas ao projeto; • Com ampla percepção dos prós e contras a cada forma estrutural, escolha uma estrutura. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  27. 27. 6. A EQUIPE DE PROJETO
  28. 28. 28 A EQUIPE DE PROJETO Além do Gerente de Projeto, outros membros-chave são necessários para formar a equipe do projeto: Gerente doDesempenho Projeto Orçamento Técnico Engenheiro Controller do do Projeto Projeto Engenheiro Administrador de do Contrato Manufatura Gerente de Gerente de Serviços de Campo Apoio UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  29. 29. 29 ENGENHEIRO DE PROJETO O engenheiro de projeto está encarregado do projeto e desenvolvimento do produto, sendo responsável por: • Análise funcional; • Especificações; • Desenhos; • Estimativas de custo; • Controle de qualidade/confiabilidade; • Mudanças na engenharia e documentação. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  30. 30. 30 ENGENHEIRO DE MANUFATURA A tarefa desse engenheiro é a produção eficiente do produto ou do processo desenhado pelo engenheiro do projeto, incluindo as responsabilidades de: • Engenharia de manufatura; • Projeto e produção de ferramentaria/moldes/artefatos; • Cronograma da produção; • E outras tarefas da produção. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  31. 31. 31 GERENTE DE CAMPO Esta pessoa é responsável por: • Instalação; • Testes de suporte do produto/processo, uma vez que ele seja entregue ao cliente. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  32. 32. 32 CONTROLLER DO PROJETO O controller mantém a contabilidade diária do projeto, como: • Orçamento; • Variâncias de custos; • Encargos trabalhistas; • Fornecimento de suprimentos; • Status de equipamento de capital; O controller também faz relatórios regulares e mantém-se em estreito relacionamento tanto com o GP quanto com o controller da companhia. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fabio Guilherme Mochiutti
  33. 33. 33 ADMINISTRADOR DO CONTRATO O administrador está encarregado por controlar: • A documentação oficial; • Rastreamento das mudanças de clientes; • Faturamento; • Dúvidas e queixas; • Aspectos legais; • Custos; • Outros assuntos relacionados ao contrato que autorizou o projeto; É comum que o administrador sirva também como historiador e arquivista do projeto. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fabio Guilherme Mochiutti
  34. 34. 34 GERENTE DE SERVIÇOS DE APOIO Esta pessoa está encarregada pelo: • Suporte ao produto; • Subempreiteiros; • Processamento de dados; • Funções gerais de suporte ao gerenciamento. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Fabio Guilherme Mochiutti
  35. 35. 35 A EQUIPE DE PROJETO Para arranjar pessoal para o projeto, o Gerente trabalha a partir de uma previsão das necessidades de pessoal durante todo o ciclo de vida do projeto: Estrutura de Requisitos de desdobramento habilidades para Localizar do trabalho, para as tarefas, para indivíduos que determinar a determinar as possam preencher natureza exata das necessidades da as necessidades. tarefas; força de trabalho; UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  36. 36. 36 A EQUIPE DE PROJETO Há algumas pessoas que são mais fundamentais ao sucesso do projeto que outras, e deveriam reportar-se diretamente ao Gerente do Projeto: • Membros sênior da equipe do projeto que terão um relacionamento de longo prazo com o projeto; • Aqueles com quem o GP precisará ter comunicações contínuas ou estreitas; • Aqueles que têm habilidades raras e necessárias ao sucesso do projeto. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  37. 37. 7. OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO
  38. 38. 38 OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO Cumprir objetivos de prazo e custos sem comprometer o desempenho é um problema técnico com dimensão humana: • Perfeccionismo  salientar a importância das datas; • Motivação dos membros da equipe  reconhecimento, conquistas, o trabalho em si, a responsabilidade, o avanço e a chance de aprender novas técnicas (Gerenciamento Participativo); • Conflito Interpessoal. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  39. 39. 39 OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO Início Prioridades/Procedimentos/Cronogramas;Elaboração Prioridades/Cronogramas/Procedimentos; Cronogramas/Técnico/Pessoal; Cronogramas/Personalidades/Pessoal. Principal Término UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  40. 40. 40 OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO“Juntar as pessoas, mesmo quando elas pertencem à mesma organização e seus esforços contribuem para os mesmos objetivos, não significa necessariamente que elas se comportarão como uma equipe… UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  41. 41. 41 OS FATORES HUMANOS E A EQUIPE DO PROJETO…o sucesso do projeto será associado ao trabalho em equipe,e o fracasso do projeto certamente será resultado se o grupo não trabalhar como uma equipe”. Meredith e Mantel Jr. (2003, p.114) UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Amanda Trojan Fenerich
  42. 42. 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  43. 43. 43 CONSIDERAÇÕES FINAIS O conhecimento das formas organizacionais e de como o gerenciamento de projetos esta envolvido em cada uma delas é de extrema importancia para os futuros profissionais que desejam atuar nesta área; A estrutura funcional e a de projetos são consideradas o extremo: os projetos dentro da funcional não têm muita importância, já na de projetos eles são fundamentais. Já a estrutura matricial é uma combinação dos pontos fortes da funcional e de projetos; Todas estruturas têm suas vantagens e desvantagens, cabendo ao profissional responsável selecionar qual tipo se adapta melhor as suas necessidades. UEPR - Engenharia de Produção Agroindustrial (PPTIA) Alisson Leigus
  44. 44. 9. REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIA
  45. 45. 45 REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIASARANTES, Ednir. et al. Gerenciamento de Projetos. 2008 Disponível em:<http://www.promon.com.br/portugues/noticias/download/PBTR%20GE_para%20web.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2011.ESTRUTURA Organizacional. Produção de Eduardo G. Moreira. Criado em08/08/2010. Disponível em:<http://www.youtube.com/watch?v=7pRC9hPWBIE&playnext=1&list=PLA4D01C9A3CD00D68>. Acesso em: 06 mar. 2011.KERZNER, Harold. Gestão de Projetos: as melhores práticas. Tradução de LeneBelon Ribeiro. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.MEREDITH, Jack R.; MANTEL Jr., Samuel J. Administração de Projetos: Umaabordagem Gerencial. 4 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2003.THIRY-CHERQUES, Hermano R. Modelagem de Projetos. São Paulo: Atlas, 2002.VARGAS, Ricardo V. Gerenciamento de Projetos: estabelecendo diferenciaiscompetitivos. 5 ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2003.
  46. 46. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ - CAMPUS DE CAMPO MOURÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (DEP) CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL DISCIPLINA DE PROJETO DO PRODUTO, DO TRABALHO E DAS INSTALAÇÕES AGROINDUSTRIAIS Professora Msc. THAYS PERASSOLI BOIKO – thaysperassoli@bol.com.br ALISSON LEIGUS – alisson.leigus@gmail.com AMANDA TROJAN FENERICH – amanda.fenerich@gmail.com FÁBIO GUILHERME MOCHIUTTI – guigomochiutti@hotmail.com ORGANIZAÇÃO DE PROJETOSCampus de Campo Mourão
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×