MUSEOLOGIA: TEORIA E HISTÓRIA

1,141 views
994 views

Published on

breve dissertação a respeito do marco teórico da museologia e a evolução histórica desse campo de conhecimento, conforme o conteúdo da prova realizada na Universidade de Brasília para o cargo de docente - Professor Doutor, ao curso de museologia da UNB.
realizada em 2014

Published in: Education
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
1,141
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
26
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

MUSEOLOGIA: TEORIA E HISTÓRIA

  1. 1. MUSEUS E MUSEOLOGIA “FORMAS ANTIGAS E NOVAS AÇÕES”
  2. 2. Marco teórico  A evolução histórica da museologia
  3. 3. assunto: museu-br Profa. Dra. Teresa Cristina de Andrade Bock, Mestre en Museologia Escuela Nacional de Conservación, Restauración y Museografia “Manuel del Castillo Negrette” (ENCRyM) Mexico-DF (Centro Paul Coremans – UNESCO)
  4. 4. ―Museum studies, sometimes called museology, is the field that encompasses the ideas and issues involved in the museum profession—from the practical, day-to-day skills needed to operate a museum to theories on the societal role of museums.‖ Smithsonian Institute, USA, 2014
  5. 5. Museologia é uma disciplina científica acadêmica em formação. Abrange os estudos relacionados com os museus e suas funções sociais, a História, a Teoria e as questões metodológicas. Desde uma perspectiva contemporânea, a Museologia se desenvolve de maneira sistemática a partir de meados do Século XIX até a Primeira Guerra Mundial; no conseqüente período entre guerras; em destaque nas décadas de 1950 até 1970 (impulsionada pela criação da UNESCO e do ICOM).
  6. 6. A partir da década de 1980, os cursos de Museologia são expandidos, com o incremento da pesquisa museológica acadêmica, publicações internacionais, reuniões e simpósios que originaram múltiplas vertentes de estudos e tendências como os museus comunitários, a Nova Museologia e Ecomuseus como um instrumento de ruptura e avanço conceitual apoiado na idéia da territorialidade geo-psíquica da comunidade.
  7. 7. “De fato a Museologia descende da Conservação, da Museografia e da Arquivologia, enquanto documentação sistematizada. Goethe escreveu sobre os museus para os ilustrados e outro para os leigos; Neickelius descreve em latim Museographia, no Século XVIII, sobre a organização dos museus de História na Alemanha.”
  8. 8. Da relação entre a pesquisa científica da arqueologia, paleontologia entre outras, e das Ciências Naturais orienta-se o aspecto da Conservação, Preservação e da Restauração, formando os pilares da Organização dos Museus em concomitância com a Documentação Museológica.
  9. 9. Contribui para a formação da Museologia e conseqüente marco teórico, o avanço conceitual sobre o Patrimônio Cultural, histórico e artístico; a noção de bem cultural (móvel e imóvel, material e imaterial),
  10. 10. com a inclusão da categoria (BIC) nas Resoluções das Nações Unidas e do Ecosoc sobre o Crime Transnacional Organizado e o tráfico ilícito de BC, uma vez que influi sobre o Direito interno dos Estados membros e imprime orientação aos estudos da formação profissional.
  11. 11. A deontologia e código de ética, incide especialmente sobre as medidas de segurança em museus; delimita entre outras responsabilidades, a formação do Documentalista: inventários, registros, documentação museológica (em exposição e reserva técnica); estabelece os aspectos da Preservação (controle e manejo das coleções) ressaltando as responsabilidades e sanções no cuidado com os bens que os museus custodiam.
  12. 12. A Museologia enquanto estudo disciplinar,trata da Gestão e da Organização operacional de museus: ―formas antigas, novas ações...‖ (Pamela Henson, Institutional History Division – Smithsonian Inst. Archives)
  13. 13. Também articulada como “estudos sobre museus” numa tipologia funcionalista estabelece as áreas de trabalho, as funções interdisciplinares dos profissionais de museus prioritariamente enquanto à Pesquisa Científica, Conservação Preventiva e Restauração, Documentação Museológica (arquivos e gestão da informação), Museopedagogia (na relação integral da Educação), Museografia, Difusão Cultural, Administração de Recursos Humanos e Financeiros e Segurança.
  14. 14. ―Considerando os marcos teóricos da Museologia, podemos estabelecer no âmbito da Teoria Museológica (disciplina das Ciências Sociais Aplicadas); disciplina teórico-prática na relação dialética com a Museologia – organização de museus.‖
  15. 15. A Museologia no Século XXI tem um desenvolvimento tangencial entre a Ciência Museológica (epistemologia); a Teoria formada a partir do instrumental teórico das áreas afins como a História, Arquitetura, Ciência da Informação, Metodologia Científica, tende a constituir- se como uma disciplina autônoma.
  16. 16. Desde as publicações dos anos 1920 da Europa Ocidental e do Leste Europeu, encontramos mais de 150 revistas e publicações especializadas como a Museum (UNESCO) que contribuem para a formação da Museologia em seus diferentes níveis, como disciplina científica teórica da prática.
  17. 17. Outras contribuições da área acadêmica advém das diretrizes do ICOM, ICOFOM, ICDOC, vem estabelecendo normativas e padrões internacionais: da formação profissional, conteúdo programático de estudos, formação técnico- científica em relação à estrutura moderna dos museus no âmbito internacional.
  18. 18. Os museus e a Museologia estão relacionados à sua época, refletem as tendências do pensamento social, da ideologia, do nível de evolução tecnológica, do meio social e da produção científica; influindo e influenciado pelo meio social característico da época da democratização da informação, do acesso à cultura, da política de massas e da globalização.
  19. 19. A Museologia contemporânea incorpora essas tendências que se inserem na base sólida da formação estrutural do museólogo. O desenvolvimento histórico da Museologia pode ser pontuado pelas diferentes épocas do desenvolvimento social e tecnológico; admite um campo conceitual para a delimitação do espectro científico dessa área de conhecimento.
  20. 20. Lidando com fontes primárias (objetos) e o museu como fenômeno social, delimita seu marco teórico inicial na missão educativa de expor para o lazer e conhecimento informal, conservando e pesquisando para as futuras gerações.

×