Apresentação apimec 2008
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apresentação apimec 2008

on

  • 586 views

 

Statistics

Views

Total Views
586
Views on SlideShare
586
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apresentação apimec 2008 Apresentação apimec 2008 Presentation Transcript

  • APIMEC SP19 Agosto de 2008
  • Disclaimer♦ Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos e incertezas que podem fazer com que tais expectativas não se concretizem ou sejam substancialmente diferentes do que era esperado. Estes riscos incluem entre outros, modificações na demanda futura pelos produtos da Companhia, modificações nos fatores que afetam os preços domésticos e internacionais dos produtos, mudanças na estrutura de custos, modificações na sazonalidade dos mercados, mudanças nos preços praticados pelos concorrentes, variações cambiais, mudanças no cenário político- econômico brasileiro, nos mercados emergentes e internacional. 2
  • Agenda♦ Visão Corporativa♦ Gestão♦ Novo Ciclo de Crescimento♦ Unidade de Negócios Florestal♦ Unidade de Negócios Celulose♦ Unidade de Negócios Papel♦ Resultados e Mercado de Capitais 3
  • A Suzano2º maior produtor mundial de celulosede eucalipto e um dos 10 maioresprodutores mundiais de celulose demercado.Líder regional no mercado de papéis.Maior área de plantios certificados peloFSC do mundo.Novo ciclo de expansão 2008-2015: 7,2milhões de toneladas por ano de papel ecelulose.Estrutura comercial no exterior:Argentina, Inglaterra, Estados Unidos,Suíça e China.Estratégia bem sucedida no mercado decapitais com aumento de liquidez. 4
  • Composição acionária Free float de 47% Acionistas Controladores (Suzano Holding e Pessoas Físicas) Ações em Circulação ON 95,0% PNA 71,7% PNA 27,9% PNB 11,3% PNB 0,6% CT 46,8% CT 50,7% CAPITAL SOCIAL (QTDE AÇÕES) Legenda: ON 107.821.512 ON = Capital Votante PNA = Capital Pref. A PNA 205.120.105 PNB = Capital Pref. B CT = Capital Total PNB 1.540.879 Total 314.482.496Nota: Existem em tesouraria 5.428.955 de ON, 1.009.583 de PNA e 1.358.419 de PNB que representam 2,5% do total das ações. Estas ações não foram incluídas nasações em circulação. 5
  • Processo de reestruturação & estratégia do mercado de capitais Valor de Mercado – US$ milhões Oferta de ações Anúncio do Startup da Linha novo ciclo de 2 em Mucuri no crescimento 2S07 2008-2015 Crescimento Futuro: Início Projeto 5.128 5.003 (1) Oferta de ações Mucuri Melhorias em Aquisição da Governança Ripasa Corporativa 3.106 Novos projetos de crescimento orgânico Fusões e 1.400 1.435 1.067 aquisições 316 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2008 2008-2015(1) Em 30 de junho de 2008 6
  • Produtos e mercados diversificados Produtos e mercados diversificados com qualidade superior e capacitação tecnológica Celulose de Papéis (58% da rec liq) Mercado Imprimir e escrever (44% da rec liq) Papelcartão (42% da rec liq) Não revestido (37% rec liq) Revestido (7% rec liq) (14% da rec liq) #2 no Brasil #1 no Brasil #1 no Brasil market share 29% market share 21% market share 29% 43% no Mercado Doméstico 57% no Mercado Externo R$ 2,0 bilhões de Receita LíquidaNota: 1S08 = primeiro semestre de 2008 I&E = Imprimir e escrever 7
  • Agenda♦ Visão Corporativa♦ Gestão♦ Novo Ciclo de Crescimento♦ Unidade de Negócios Florestal♦ Unidade de Negócios Celulose♦ Unidade de Negócios Papel♦ Resultados e Mercado de Capitais 8
  • Modelo organizacional Comitês do CA Conselho de Administração (CA) 9 membros (3 independentes) Gestão Sustentabilidade e Estratégia Presidência Auditoria PS UN Florestal UN Celulose UN Papel Operações PS UN: Unidades de Negócio Estratégia, e Novos Negócios (*) PS Objetivos: Finanças e RI • Maior Foco no Cliente PS • Responsabilização dos Resultados Recursos Humanos • Desenvolvimento de Líderes PS: Prestadoras de Serviço* A partir de 01/09/2008 também responderá por RI. 9
  • Modelo de gestãoExcelência Operacional: Certificações e Reconhecimentos Seis Sigma / Gestão da rotina Otimização do mix Orçamento matricial: custos fixos e SG&AOrganização Focada no Consumidor: Políticas comerciais novas e mais claras Melhorias na satisfação do consumidorAlinhamento de Interesses: Compensação de executivos focada em métricas de EVA Maior parcela variável na remuneração totalPlanejamento Estratégico: Focada em Gestão Baseada em Valor (Value-Based Management) Oportunidades de fusões e aquisições Gestão de risco empresarial Sustentabilidade Inovação e P&D 10
  • Foco em crescimento sustentável com rentabilidadeDinâmica da Indústria Líder no Favorável para Sólida MercadoProdutores de Baixo Estratégia de Regional de Custo Crescimento Papel e Top 10 Global em Celulose Administração Desalavancagem Experiente e Modelo de Aumento Gestão de Liquidez 11
  • Sustentabilidade Mudanças Climáticas Diálogos Sociais Realiza anualmente inventário de emissões de Implantação de ferramentas de diálogos nas gases efeito estufa comunidades para construção de agenda única Membro CCX e WBCSD em prol do desenvolvimento regional e nacional. Levantamento de percepções sobre a atuação da Suzano e de impactos socioambientais Projeto Comunidade Auto suficiência do projeto FSC – Forest Stewardship Council Identificar as oportunidades de geração de renda para beneficio das comunidades Selo mais respeitado do mundo no âmbito social localizadas nas áreas de atuação. e ambiental Certificação em manejo florestal Certificação de cadeia de custódia Educação Fomento Contribui com o ensino fundamental na rede Plantio de florestas de eucalipto como nova pública do Extremo Sul da Bahia em alternativa para geração de renda de pequenos três frentes: produtores, além das práticas de agricultura e Apoio à aprendizagem (com Instituto Ayrton pecuária: Senna) SP, BA, ES Apoio à rede física (Reforma de Escolas) 80.000 hectares Promoção e Leitura (com ECOFUTURO) 1.100 produtoresNotas: CCX – Chicago Climate Exchange WBCSD - World Business Council for Sustainable Development 12
  • Agenda♦ Visão Corporativa♦ Gestão♦ Novo Ciclo de Crescimento♦ Unidade de Negócios Florestal♦ Unidade de Negócios de Celulose♦ Unidade de Negócios de Papel♦ Resultados e Mercado de Capitais 13
  • Novo ciclo de crescimento♦ Três novas linhas de celulose até 2015 e a ampliação da unidade de Mucuri. Unidade no Sul do Maranhão Unidade no Piauí Ampliação da Unidade de Mucuri por otimização das Linhas 1 e 2 hoje existentes Nova linha em uma das unidades do Maranhão, ou Piauí ou, ainda, em novo local, a ser definido♦ Novas fronteiras florestais (projetos greenfield) - bases para novos ciclos de crescimento. 14
  • Crescimento 2002 - 2009 Celulose Papel Linha 2 atinge plena capacidade em jun/08 Americana adiciona 40 mil t de celulose 2.850 50% de Ripasa 2.750 Início da Linha 2 em Mucuri 23,03% de Ripasa Desgargalamento 1.920 1.750 1.720 1.650 1.485 8201.185 1.200 1.240 640 570425 425 456 915 1.080 1.100 1.100 1.100760 775 7842002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 15
  • Novo ciclo de crescimento 2008-2015♦ Com os novos projetos, a capacidade de celulose anual crescerá 4,3 milhões de toneladas e a capacidade instalada total* de produtos passará a 7,2 milhões de toneladas por ano de papel e celulose. Celulose Nova Unidade Papel Unidade Piauí 7.150 Unidade Maranhão 5.850 Ampliação de Mucuri 4.550 6.050 3.250 3.250 4.750 2.850 2.850 2.750 3.450 1.720 1.920 2.150 2.150 1.485 1.650 1.750 1.750 1.185 1.200 1.240 640 820 570 425 425 456 775 784 915 1.080 1.100 1.100 1.100 1.100 1.100 1.100 1.100 1.100 1.100 760 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015* A capacidade efetiva dependerá das curvas de aprendizado. 16
  • Novo ciclo de crescimento 2008-2015 Unidade no sul do Estado do Maranhão Unidade no Estado do Piauí♦ Linha de celulose (greenfield) ♦ Linha de celulose (greenfield) Capacidade de 1,3 milhão de toneladas. Capacidade de 1,3 milhão de toneladas. Start-up: 2013 Start-up: 2014♦ Base Florestal: ♦ Base Florestal: Plantios de eucalipto (Vale Florestar). Plantios próprios (áreas já adquiridas). Ativos florestais adquiridos da Vale. Produtores locais / parcerias. Plantios próprios. Áreas da Suzano no Maranhão Produtores locais. (licenciadas).♦ Logística ♦ Logística Transporte via ferrovias da Vale. Transporte via ferrovias da Cia Ferroviária Exportação por terminal a ser definido na do Nordeste. região de São Luis. Exportação por terminal a ser definido (Maranhão ou Ceará). 17
  • Novo ciclo de crescimento 2008-2015 Ampliação da Unidade de Mucuri Nova Linha♦ Otimização das Linhas 1 e 2 ♦ Linha de celulose (greenfield) Ampliação da capacidade em 400 mil Capacidade de 1,3 milhão de toneladas. toneladas da Unidade de Mucuri. Start-up: 2015 Start-up: 2011 ♦ Poderá ser em uma das unidades do♦ Base florestal equacionada Maranhão, ou Piauí ou, ainda, em novo local, a ser definido.♦ A ampliação poderá entrar em operação no 2º semestre de 2011♦ Entendimentos com o Governo da Bahia em andamento 18
  • Novo ciclo de crescimento 2008-2015♦ Investimentos: Industriais – Cada nova linha de 1,3 milhão de toneladas/ano: US$ 1,8 bilhão. – Ampliação da Unidade de Mucuri: US$ 500 milhões. Florestais – Unidade no Maranhão: US$ 200 milhões na formação da base florestal, sendo US$110 milhões destinados à aquisição dos ativos florestais da Vale. – Unidade no Piauí: US$ 370 milhões entre aquisição de terras e formação florestal. – Ampliação da Unidade de Mucuri: cerca de US$ 130 milhões. Cronograma de Investimentos 2009-2011 US$ 500 milhões Industrial Mucuri 2009-2015 US$ 700 milhões * Florestal 2011-2017 US$ 5,4 bilhões Industrial * Não inclui base florestal da terceira linha 19
  • Agenda♦ Visão Corporativa♦ Gestão♦ Novo Ciclo de Crescimento♦ Unidade de Negócios Florestal♦ Unidade de Negócios Celulose♦ Unidade de Negócios Papel♦ Resultados e Mercado de Capitais 20
  • Competitividade do Brasil Produtividade 45 O Brasil destaca-se por possuir alta (m3 / ha/ ano) produtividade, tecnologia florestal, baixos custos de produção e áreas disponíveis para expansão. 30 20 1 Floresta Plantio Plantio Plantio Nativa Ciclo de corte 7 8 12 80 (anos) Principais Brasil Indonésia, Malásia, Espanha, Chile, Canadá, Finlândia, produtores Vietnã Portugal, Uruguai SuéciaFonte: RISI, 2007 21
  • Unidade de negócio florestal♦ A Suzano produz celulose a partir de 100% de florestas plantadas renováveis de eucalipto, e possui cerca de 40% de áreas para preservação ambiental. Área Própria (mil ha) Áreas de Atuação e Escoamento da Produção Estado Total Plantio Distância média São Paulo 89 49 florestas: 74 Km BA e ES 212 122 Minas Gerais 58 22 Maranhão 112 0,8 Portocel Conpacel* (SP) 51 36 Porto de Vitória Total SPC** 522 229,8 Distância média florestas : 211 Km Fomento** 83,4 * Conpacel: contabiliza 50% da área da antiga Ripasa. ** Não inclui novos sites anunciados. Porto de Santos Área de Preservação Total: 205 mil ha. 22
  • Processos Florestais: tecnologia em todas as etapas♦ Tecnologia para unir o alto desempenho, o respeito ao meio-ambiente e a valorização do ser humano Tecnologia Florestal Produção de Mudas Plantio e Manutenção Colheita Mecanizada Abastecimento30 anos de pesquisa em Controles automáticos de Silvicultura de precisão: Colheita em área própriamelhoramento clássico clima e nutrição aplicação racional de 100% mecanizada nutrientes e defensivos Pesquisas para entender Processo de tratamento e Módulos de colheita eme, no futuro, aprimorar o reciclagem de água (em Controle aéreo de estado-da-arte (segurança,genoma do eucalipto desenvolvimento) qualidade de plantio e de ergonomia e produtividade) proliferação de pragas Unidades experimentais Colaboradores próprios e (piloto)em quatro Estados terceiros treinados em simuladores computadorizados 23
  • Tecnologia florestal: performance e sustentabilidade ♦ Performance Aumento da produtividade florestal (m3/ha/ano) e rendimento (ton celulose/ m3 de madeira). Capacidade para implantar florestas competitivas em novas♦ Tecnologia Florestal regiões. Clones e sementes de alta produtividade e variedade ♦ Sustentabilidade (adaptável para diversos tipos de solo e clima). Levar desenvolvimento através da Alianças com instituições eucaliptocultura a novas nacionais e internacionais regiões. para pesquisas em Uso mais eficiente dos biotecnologia. recursos naturais. Melhoria contínua e Maior produtividade = inovação em manejo maior taxa de absorção florestal. de carbono. 24
  • Metas arrojadas e tecnologia de ponta Evolução da Produtividade Florestal Plantio Monoprogênies Biotecnologia Micropropagação Solos e Nutrição (CLONAGEM) 45 Melhoramento clássico 29 31 21 Semente Performance 1960 1970 1991 1998 2005 Evolução do Rendimento em celulose (tsa / ha / ano) Evolução do Rendimento em celulose (tsa/ha/ano)Inovação Tecnológica: Biotecnologia Mais madeira/ ha 70% a 100% Melhoramento clássico Mais celulose/ m3 100% 11 Mais qualidade 5,5 Menor Área Menores Custos 1980 2008 2020 (projeção) 25
  • Desenvolvimento econômico e social, aliados à preservação do meio-ambiente♦ Primeira empresa com 100% das florestas plantadas de eucalipto a ter créditos de carbono reconhecidos na Chicago Climate Exchange.♦ Madeira própria destinada à produção de celulose é 100% certificada.♦ Aproximadamente 40% da área total é destinada à conservação das áreas naturais.♦ Programa de fomento inclui mais de 1.100 proprietários rurais.♦ Programas visando à inclusão social e o diálogo nas mais de 40 comunidades em que atua.♦ Desde a instalação da empresa, o IDH de Mucuri cresceu 31,4%; a média do Estado da Bahia, no mesmo período, foi de 16,6%. 26
  • Agenda♦ Visão Corporativa♦ Gestão♦ Novo Ciclo de Crescimento♦ Unidade de Negócios Florestal♦ Unidade de Negócios Celulose♦ Unidade de Negócios Papel♦ Resultados e Mercado de Capitais 27
  • Capacidade de produção de celulose em 2007 Celulose de Mercado Celulose de Fibra Curta Celulose de Eucalipto Ásia; 2% Oeste Oeste Espanha; Portugal; Outros; Ásia; 3% Outros; Europeu; Europeu; 3% Outros; 4% 9% África; 2% 3% 3% 3% 9% Canadá; Portugal; 18% Finlândia; Brasil; 7% Leste 4% 32% EUA; Espanha; Europeu; 18% 10% 4% Ásia; 4% Finlândia; Espanha; 6% 5% Suécia; 7% Canadá; Indonésia; Chile; Brasil; Brasil; 7% 15% Indonésia; 15% 60% Chile; 8% 16% Chile; 8% 7% EUA; 9% Total 48.3 milhões Total 24.1 milhões Total 12.6 milhões Capacidade de Produção de Celulose de Mercado em 2007Canadá 8.515 Finlândia 3.295 Ásia 1.050 Noruega 420Estados unidos 8.495 Suécia 2.895 Portugal 1.005 Argentina 350Brasil 7.490 Leste europeu 2.170 Alemanha 945 África 335Chile 3.855 Oeste europeu 1.505 Japão 690 Uruguai 110Indonésia 3.420 Espanha 1.310 Oceania 445 Total 48.300Fonte: Hawkins Wright - Agosto, 2008 Volumes não incluem capacidade de produção de celulose não branqueada e pasta mecânica. 28
  • Evolução da demanda mundial Previsão % p.aEm milhares de toneladas %p.a 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2007-12 2007/08 Total BKP fibra longa 21,8 21,8 21,9 22,2 22,5 22,8 0,9% 0,1% Bétula 1,2 1,1 1,0 0,9 0,9 0,8 -8,2% -12,4% Eucalipto 11,8 13,6 14,4 15,6 16,4 17,3 7,9% 15,0% Fibra curta da Ásia 3,2 3,2 3,7 4,3 4,6 4,9 9,0% 0,6% Fibra curta mista do norte 4,4 4,2 3,9 3,8 3,6 3,5 -4,3% -4,2% Fibra curta mista do sul 2,1 2,0 1,9 1,8 1,7 1,7 -4,2% -4,8% Total BKP fibra curta 22,7 24,0 24,9 26,3 27,2 28,2 4,4% 5,9% Sulfito 0,8 0,6 0,6 0,5 0,4 0,4 -11,4% -21,2% Total Celulose branca 45,3 46,5 47,4 49,0 50,2 51,4 2,6% 2,6% Fonte: Hawkins Wright – Agosto, 2008. 29
  • Crescimento da oferta de fibras longa e curta 2008 2009 2010 2011 2012 Total Fibra Longa 445 35 110 120 - 710 Eucalipto 1 2.120 1.225 1.455 1.660 950 7.410 Outras Fibras 345 205 200 450 - 1.200 Total 2.910 1.465 1.765 2.230 950 9.320(Fonte: Hawkins Wright – Agosto, 2008 - Considerando projetos oficialmente anunciados. 30
  • Mercado celulose preços de fibra curta e longa ♦ Os preços de celulose têm crescido com perspectivas favoráveis de demanda e de potencial fechamento de capacidade pouco competitiva. Preço Lista (US$ / t) - CIF Europa NBSK - Europa BEKP/ BIRCH - Europa 1100 900 Preço lista médio do ano (US$ / t) CIF Europa US$ / t 700 2005 2006 2007 2008 * 587 643 710 820 500 * 7 meses de 2008 300 1985 1987 1989 1991 1993 1995 1997 1999 2001 2003 2005 2007Notas: NBSK – Northern Bleached Softwood Pulp. BEKP – Bleached Eucalyptus Kraft Pulp.Fonte: Terra Choice. 31
  • Custo caixa de celulose Brasil: estruturalmente baixo US$ / t (CIF/ Norte Europa) US$ 531 - 744 / t800 US$ 528 - 638 / t600 Leste Canadá BC Costa França e Bélgica BC Interior Ibéria e Noruega Finlândia400 Canadá Suécia Europa Finlândia Oceania Suécia EUA EUA Chile Indonésia Brasil Chile200 Baixo Custo Alto Custo Alto Custo 12,9 MM t 11,2 MM t 24,2 MM t Fibra Curta Fibra LongaFonte: Hawkins Wright, Agosto 2008 - Volumes não incluem capacidade de produção de celulose não branqueada e pasta mecânica. 32
  • Fechamentos de capacidadeFechamentos de capacidade de 2001 à 2006 de 4,0 milhões de toneladas. Em 2008, jáforam anunciados 1,4 milhão de toneladas. Canadá EUA Finlândia Suécia Total 1T05 (70) (70) 2T05 (125) (125) 4T05 (195) (195) 1T06 (275) (275) 2T06 (660) (275) (70) (1.005) 3T06 (215) (215) 4T06 (120) (120) 2T08 (630) (190) (120) (940) 4T081 (190) (300) (490) Total (2.410) (465) (120) (440) (3.435) (1) Previsão. Fonte: Hawkins Wright – Agosto, 2008. Notas: 400 mil toneladas voltaram a operar e 650 mil toneladas planejam voltar a operar. 33
  • Unidade de negócio celulose sólido histórico de exportação: foco global ♦ Mais de 120 clientes e exportações para mais de 47 países Vendas de Celulose (mil toneladas) Exportação de Celulose – UDM (volume vendas) América América Mercado Interno do Norte; Latina; 1% 1.150 Mercado Externo 7% 81% 799 615 549 490 80% 78% 81% 84% Ásia; 35% 16% 19% 22% 20% 19% Europa; 2004 2005 2006 2007 UDM 57%Notas: Dados consolidados da Suzano Papel e Celulose, com participação proporcional da Ripasa. UDM = últimos doze meses até jun/08 34
  • Escala global em vendas♦ Consolidação da estrutura comercial no mercado externo para dar suporte ao crescimento esperado nos próximos anos.♦ Escritórios no exterior: – Suzano Pulp and Paper America – Suzano Pulp and Paper Europe – Suzano Pulp and Paper Asia♦ Benefícios esperados: Aumento de vendas através do relacionamento direto com o cliente. Disponibilidade de assistentes técnico exclusivo em todos os escritórios internacionais. Soluções e serviços diferenciados visando atender demandas locais. Otimização dos custos de venda.♦ Portos: Portocel Espírito Santo 250 Km da Unidade Mucuri Vitória Espírito Santo 310 Km da Unidade Mucuri Santos São Paulo 90 Km da Unidade Suzano 35
  • Conjuntura do mercado de celulose ♦ No 1S08, embarques mundiais de celulose de mercado cresceram 4,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior. A demanda por BEKP aumentou 20% com relação ao 1S07. ♦ Demanda chinesa por celulose manteve-se aquecida ao longo do ano e acumula alta de 18,6%. No 1S08, os embarques de celulose de eucalipto cresceram 54,6%. ♦ Rússia vem aumentando gradativamente impostos sobre exportações de madeira, chegando a €50/m3 (efetivo a partir de jan/09). Em contrapartida, Finlândia planeja reduzir temporariamente os impostos sobre negócios envolvendo madeira para compensar empresas locais. ♦ Após suspensão do embargo ao corte de madeira, no início do ano, embarques de BHKP da Indonésia crescem atingindo os níveis normais de abastecimento. ♦ Produtores de papel revestido anunciam aumento de preços nos seus produtos, efetivos a partir de set/08.Notas: BEKP – Bleached Eucalyptus Kraft Pulp. BHKP – Bleached Hardwood Kraft Pulp 36
  • Agenda♦ Visão Corporativa♦ Gestão♦ Novo Ciclo de Crescimento♦ Unidade de Negócios Florestal♦ Unidade de Negócios Celulose♦ Unidade de Negócios Papel♦ Resultados e Mercado de Capitais 37
  • O negócio de papel na Suzano♦ 1,1 milhão de toneladas, cerca de 60% vendidas no Brasil♦ Liderança na América Latina nos papéis imprimir & escrever e papelcartão branco♦ Portfólio complementar de produtos gráficos e de consumo♦ Cerca de 400 clientes, 300 no Brasil♦ 5 plantas produtivas com 10 máquinas de papel♦ Marcas fortes: Report, Reciclato, Paperfect♦ 2 distribuidoras na América Latina♦ Escritórios na América do Norte e Europa 38
  • Crescimento da demanda mundial de papel ♦ A demanda por P&PC deve Crescimento da demanda de P&PC (milhões de toneladas) crescer à taxa anual média de 1,9% entre 2006 e 2020. O crescimento será de cerca de 110 milhões de toneladas no período. 372 482 Crescimento dos países em desenvolvimento: economia, população e nível de educação 2006 2020 Internet e popularização das impressoras Novas exigências Investimentos em publicidade Impressões coloridas Pressão em custos em escala global Disseminação de publicações Exigência por qualidade e inovação de pequena tiragem Nível de serviçoNota: P&PC – Papel e papelcartão 39
  • Crescimento da demanda mundial por linha de produto ♦ As linhas em que a Suzano atua são as que apresentam as maiores taxas de crescimento esperadas Crescimento projetado (2006 a 2020), por linha Crescimento da demanda CAGR % / ano Participação do consumo, em % Revestido * Sanitários Média: 1,9%/a Revestido * Ondulado Fins I&E 3,5 I&E Não Cartão * com pastas Papel Revestido Papel 3,0 Não revestido com pastas Imprensa 2,5 Papel 2,0 1,5 Outros 1,0 Papel Kraft 0,5 0,0 -0,5 -1,0 -1,5 0 20 40 60 80 100Fonte: Poyry, 2007 Nota: * Segmentos onde a Suzano atua. 40
  • Taxas de crescimento por região♦ Os drivers e as taxas de crescimento serão diferentes em cada região. Consumo de papel e papelcartão em 2020: 482 MMt América Norte: 0,3% - 0,7%aa Europa: 1,5% - 2%aa Mercado maduro Crescimento concentrado no leste europeu: Crescimento em publicidade cutsize e revestidos Impressões customizadas Revistas e catálogos de luxo Impacto de mídia eletrônica: redução Melhoria da printabilidade e barreiras no consumo per capita de cutsize Embalagens sofisticadasAmerica Latina: 3% - 3,5% aa Ásia: 4% – 5%aa Mercado emergente Mercado emergente Alto crescimento % na demanda de I&E Crescimento econômico e da renda Crescimento econômico Atividade industrial exportadora Atividade industrial Grandes investimentos em novas capacidades Nível de escolaridade Crescimento do consumo per capita 41
  • Presença nos principais mercados e foco regional♦ O Brasil e a América Latina representam entre 75% e 80% do volume de vendas.♦ Cerca de 40% da produção da Suzano é exportada. A combinação entre cenários de maior rentabilidade e menor risco define a composição das vendas nas regiões Participação dos mercados no volume de vendas Volume de vendas Exportações de Papel 2T08 América 38% 44% 38% 41% 42% do Norte; 23% América Latina; 62% 56% 62% 59% 58% 42% 2004 2005 2006 2007 UDM Outros Mercado Interno Mercados; 12% Europa; Mercado Externo 23% 42
  • Crescimento da demanda no Brasil ♦ O mercado brasileiro representa cerca de 60% nas nossas vendas de papel. As demandas por imprimir & escrever e papelcartão têm crescido a taxas acima da média mundial e as projeções indicam que este cenário deve continuar nos próximos anos. Evolução do Consumo Brasileiro de I&E Evolução do Consumo Brasileiro de Papelcartão 1º semestre 1º semestre 2º semestre 1.670 2º semestre1800 561 60016001400 1.380 500 4001200 816 400 80% 2741000 800 300 600 200 400 20% 19% 200 100 0 0 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2003 2004 2005 2006 2007 2008 I&E: No 1S08 atingiu aproximadamente 816 mil toneladas, um aumento de 7,6% em relação ao 1S07, Papelcartão: cresceu cerca de 6,4% no 1S08 e atingiu com destaque para linha revestido que cresceu 15,6% aproximadamente 274,1 mil toneladas. (importados).Fontes: Bracelpa, inclui importados Nota: I&E: Imprimir e escrever 43
  • Preços de papel e celulose e diferencial 1.600 Diferencial médio dos últimos 10 anos: US$ 209 / t 1.400 Diferencial médio do 1S08: US$ 222 / t 1.200 1.000 US$ / t 800 600 400 200 - JAN/98 JAN/99 JAN/00 JAN/01 JAN/02 JAN/03 JAN/04 JAN/05 JAN/06 JAN/07 JAN/08 Papel I&E (em bobinas) Celulose de Eucalipto Diferencial Linear (Diferencial)Fonte: SuzanoNotas: Celulose de eucalipto – preço lista Europa Preços papéis I&E – preço líquido Suzano Europa 44
  • Preços de papéis e câmbio Preços estáveis em Reais no mercado interno 2500 Preço de papéis +4% 3,0Preço Médio (R$ / t) Taxa de câmbio 2,5 2300 2,0 2100 1,5 Taxa de Câmbio -25% 1900 1,0 Aumento de preços em Dólares no mercado externo 1200 Preço de papéis +32% 3,5Preço Médio (US$ / t) Taxa de câmbio 3,0 1000 2,5 800 2,0 600 1,5 Taxa de Câmbio -25% 400 1,0 1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 45
  • Prioridades do papel Implementação de melhorias operacionaisRedefinição da abordagem Otimização do mix de comercial e relacionamento com produtos e regiões mercado Crescimento com rentabilidade 46
  • Agenda♦ Visão Corporativa♦ Gestão♦ Novo Ciclo de Crescimento♦ Unidade de Negócios Florestal♦ Unidade de Negócios Celulose♦ Unidade de Negócios Papel♦ Resultados e Mercado de Capitais 47
  • Vendas líquidas e EBITDA ♦ Margem EBITDA estável em cenário de Real apreciado: Receita Líquida (R$ milhões) EBITDA 2,93 2,44 1,95 Mercado Interno 2,18 1,75 Mercado Externo 3.753 39,4% 32,8% 33,5% 33,6% 34,3% 3.410 3.099 2.787 2.640 51% 58% 53% 1.287 1.146 51% 53% 1.039 913 1.040 49% 47% 42% 47% 49% 2004 2005 2006 2007 UDM 2004 2005 2006 2007 UDM Ebitda - R$ milhões Mg Ebitda Taxa de câmbio R$/US$Notas: Dados consolidados da Suzano Papel e Celulose, com participação proporcional da Ripasa. UDM = últimos doze meses até jun/08. 48
  • Custo caixa celulose Custo caixa celulose da Unidade Mucuri (R$ / t) 536 476 489 488 456 69 35 424 476 456 466 489 453 424 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 Custo caixa celulose sem parada Parada de manutençãoNota: No 3T08 haverá parada de manutenção na Linha 1 de Mucuri. 49
  • Endividamento Início Projeto Mucuri Linha 2 atinge plena capacidade 7.000 3,8 4,0 3,7 Aquisição da Ripasa 6.000 3,2 3,5 2,7 3,0 5.000 Dívida Líquida/EBITDA 4.285 4.106 2,5 3.919R$ Milhões 4.000 1,7 2,0 1,6 3.000 2.475 1,5 2.000 1.665 1.616 1.287 1,0 1.000 1.039 1.040 1.146 913 1.000 0,5 0 0,0 2003 2004 2005 2006 2007 UDM* Dívida Líquida Dívida Líquida/EBITDA EBITDA * EBITDA UDM até junho/08. 50
  • Elevação da liquidez das ações ♦ Após a reestruturação societária da Ripasa, migração dos acionistas minoritários e com a oferta de ações de 2007, houve crescimento da liquidez das ações. Média do volume negociado e número de negócios 25.000 Startup da Linha 2 700 621 Oferta Secundária de ações 20.060 20.070 600 20.000 504 Qde de Negócios /Dia 17.760 Reestruturação da Ripasa 423 500R$ MilhõesDia 14.861 14.167 14.391 15.000 13.799 400 323 281 250 264 300 10.000 248 15.333 202 116 200 131 119 109 5.000 90 68 100 6.274 4.032 2.469 3.166 2.556 1.584 1.673 0 0 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 jul/08 Volume negociado (R$ mil) Número de negócios diário Fonte: Economática 51
  • Relações com Investidoreswww.suzano.com.br/ri55 11 3503-9061ri@suzano.com.br 52