• Save
Gramática Avançada
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Gramática Avançada

on

  • 12,204 views

Superprovas disponibiliza Resumo de Gramática Avançada para ajudar os concurseiros de todo o país. Todas as provas de concurso tem prova de português. Então prepare-se.

Superprovas disponibiliza Resumo de Gramática Avançada para ajudar os concurseiros de todo o país. Todas as provas de concurso tem prova de português. Então prepare-se.

Statistics

Views

Total Views
12,204
Views on SlideShare
6,299
Embed Views
5,905

Actions

Likes
12
Downloads
320
Comments
2

14 Embeds 5,905

http://superprovas.com 4567
http://santiagofernandes.blogspot.com.br 1251
http://santiagofernandes.blogspot.com 15
https://www.xn--cursosonlinedaeducao-7yb1g.com.br 14
http://www.google.com.br 11
https://cursosrapidosonline.com.br 10
https://cesbonline.com.br 10
https://www.cursosonlinecursos.com.br 7
http://webcache.googleusercontent.com 6
http://www.santiagofernandes.blogspot.com.br 5
https://www.google.com.br 4
https://twitter.com 2
https://si0.twimg.com 2
http://www.superprovas.com 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Gramática Avançada Gramática Avançada Presentation Transcript

  • RESUMO DE LÍNGUA PORTUGUESA GRAMÁTICA www.superprovas.com AVANÇADAwww.facebook.com/superprovas www.twitter.com/superprovaswww.slideshare.net/superprovas CONFORME NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO DE 2012
  • CRASE
  • O que é Crase?É o fenômeno da junção de duas vogais, a contração de dois “as” (a +a).Para haver crase é necessário que existam dois “aa”. O primeiro é preposição e osegundo pode ser: Artigo definido (a/as) – ex: ele se referiu a (preposição) + a (artigo) carta = ele se referiu à carta. Pronome demonstrativo (a/as) – ex: ele fez referência a (preposição) + as (pronome demonstrativo =aquelas) que saíram = ele fez referência às que sairam. Vogal iniciada antes de aquele(s), aquela(s) e aquilo - ex: prefiro isso a (preposição) aquele livro = prefiro isso àquele livro.
  • Crase obrigatória: Antes de substantivo feminino que exija artigo (ex: vou à praia). Note que se o substantivo feminino não exigir artigo, não haverá acento (ex: vou a Brasília). Macete: criar frase com “de” para saber se exige ou não (ex: ele vai à Bahia - exige o “a”, porém a frase ele voltou de Curitiba não exige o “a”). Antes de nome de cidade com termo modificador. (ex: os jangadeiros voltaram à terra prometida. Note que “prometida” é o modificador do nome terra) . Em horas exatas (desde que não apareça outra preposição diferente do “a”, (ex:a aula começa às 7h 15 min. Fiquei esperando abrir desde as 9h30min). Antes de substantivo (masculino ou feminino), quando se omite a palavra modaou maneira (ex: galinha à “maneira” molho pardo).
  • Crase Obrigatória (continuação):Nas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas (ex: ele estava à toa).Note: quando não se determina “a distância” não se usa o acento (ex: eles viram ojogo a distância). Crase facultativa:Antes de pronomes possessivos (ex: seu(s), sua(s), teu(s), tua(s)). Ex: dê isto a (à)sua namorada.Note: se após o possessivo tiver nome de parentesco não se usa a casa (ex: dê isto asua sogra.
  • Crase facultativa (continuação):A crase é facultativa antes de nomes próprios de lugares :Ásia, Àfrica, França, Inglaterra, Espanha, Holanda, Escócia (ex: Fui a (à) África caçarelefantes).Após “até a” (ex: a estrada vai até a (à) praia).
  • Crase proibidaAntes de substantivo masculino (ex: escrevia o texto a lápis)Antes de substantivo feminino tomado em sentido genérico ou indeterminado (ex:não fui a parte alguma).Antes de artigos indefinidos (ex: ele não se prendia a nenhuma garota).Antes da palavra casa (residência própria). O bom filho retorna a casa. Exceção: sehouver modificador usa-se o acento (ex: não fui à casa de Maria hoje).Antes de “Terra” como antônimo de “bordo” (ex: deixei o barco e fui a terra).Antes de nome próprio de cidade: Vou a Ribeirão das Neves. Exceção: se houvermodificador a crase é obrigatória (ex: vou à Ribeirão das Minas Gerais).
  • Crase proibida (continuação)Antes de todos os pronomes que não admitem artigo, tais como:ninguém, nenhuma, qualquer, que, cuja, este, tudo etc. (exemplo: estão dispostos atudo).Antes de verbo (ex: prefiro cantar a ficar triste).Antes de nome próprio de pessoa célebre. (ex: ela se referiu a Joana Darc).Antes de substantivo no plural com sentido genérico (ex: horário televisivodedicado a crianças).Antes de locuções adverbiais de modo com substantivo no plural (ex: passou noconcurso a duras penas).
  • PONTUAÇÃO
  • Pontuação:Pontuar bem é ter visão clara da estrutura do pensamento e da frase.Pontuar bem é governar as rédeas da frase. Pontuar bem é ter ordem no pensar e naexpressão“ (Celso Luft).Principais sinais de pontuação: vírgula, ponto, ponto e virgula , dois pontos, ponto deinterrogação, ponto de exclamação, parênteses, aspas, travessão e reticências. Emprego da vírgula (,):A vírgula é sinal de pontuação que indica pequena pausa na leitura.
  • Regra de uso:Empregam-se vírgulas para separar palavras de mesma série (ex: eu tenho umcachorro, um gato e um coelho) ;Empregam-se vírgulas para separar vocativos (ex: Senhor, rogai por nós);Emprega-se vírgula para separar aposto do termo fundamental (ex: Severino, o reido sertão);Empregam-se virgulas para separar expressões explicativas tais como: porexemplo, ou melhor, isto é, por assim dizer, além disso, com efeito, outrossim etc ;Emprega-se virgula para separar orações coordenadas assindéticas (ex: nascemosfelizes, vivemos saudáveis);Empregam-se vírgula antes de todas as conjunções coordenativas (exceto e e nem).Ex: Eu fui até Aparecida do Norte, portanto rezei bastante;
  • Emprega-se vírgula para separar orações adverbiais e substantivas quandoantepostas à principal (ex: embora estivesse dormindo, fui atender à porta);Empregam-se vírgulas para isolar orações adjetivas explicativas (ex: os ônibus, quevivem lotados, precisam ser em maior número;Emprega-se vírgula depois do sim e depois do não (ex: sim, irei até a sua casa);Emprega-se vírgula para separar orações reduzidas de gerúndio, de particípio e deinfinitivo (ex: chegando em casa, ele foi direto ver televisão);Emprega-se vírgula para separar orações adverbiais intercaladas (ex: pagueiimpostos altos, quando eu era pobre;
  • Emprega-se vírgula para separar orações coordenadas pela conjunção e quando ossujeitos forem diferentes. (ex: fui até o aeroporto, e fui assaltado);Empregam-se vírgulas antes de “e” ou “nem” quando repetidos (ex: ela ésimpática, e bonita, e inteligente;Emprega-se vírgula para separar o adjunto adverbial anteposto ( ex: depois devoltar da festa, pulamos na piscina);Emprega-se vírgula para separar adjetivos que exercem a função de predicativo (ex:Feliz e nervosa, ela casou aos prantos);Empregam-se vírgulas para separar objetos pleonásticos ou repetidos (ex:paz, paz, paz, chega de violência!;Emprega-se vírgula para separar termos deslocados (ex: o fogo, você chegou a
  • Emprego do Ponto (.) :O ponto é um dos sinais que marcam fim de período. O ponto é usando também emabreviaturas (ex: sr., pág.).O ponto também é usado na numeração de casas decimais: 18.587. Já os números queidentificam o ano e as páginas de uma obra não levam ponto normalmente: 1872, pág.98. Emprego do ponto e vírgula (;)O ponto e vírgula marca uma pausa maior que a vírgula. Ocorre o emprego nosseguintes casos:Para separar orações coordenadas extensas ou que já tenham elementos separadospor vírgula (ex: foram muitos os trabalhadores que protestaram contra a falta deaumento de salário; cansados, porém, resolveram voltar para casa e iniciar no outrodia nova greve);
  • Emprego do ponto e vírgula (continuação)Emprega-se ponto e vírgula para separar os diversos itens de uma enumeração (ex:as peças da aeronave são: a) motor; b) leme; c) asas; d) atuadores. Emprego do travessão (-)Para separar oração intercalada, substituindo a vírgula (ex: cheguei à minha terranatal, finalmente – disse o viajante);Para pôr em evidência palavra ou expressão (ex: vi um vulto – uma pessoapassando no escuro – e achei que era um invasor);Nos diálogos, para indicar mudança de interlocutor (ex: vamos ao teatro? –perguntou minha namorada – desconversei e disse que estava cansado).
  • Emprego de aspas (“ ”)Emprega-se aspas nas seguintes situações:Fim e começo de transcrição (ex: ele falou: “hoje é um dia muito bonito”);Estrangeirismos (ex: “lan house”);Para indicar que embora haja erro na palavra foi descrita assim propositalmente (ex:ele ficou “tristim” no cinema assistindo ao filme;Ironia: aquela “marmota” não quer saber de trabalhar;Citação de nomes de livros e legendas (ex: “Grande Sertão Veredas” é o livro maisvendido.
  • Regência verbal www.superprovas.com www.twitter.com/superprovaswww.facebook.com/superprovas www.slideshare.net/superprovas
  • Regência VerbalA regência estuda a relação existente entre os termos de uma oração ou entre asorações de um período.A regência verbal estuda a relação de dependência que se estabelece entre os verbose seus complementos. Na realidade o que estudamos na regência verbal é se o verbo étransitivo direto, transitivo indireto, transitivo direto e indireto ou intransitivo e qual apreposição relacionada com ele. Regência dos principais verbos:Abdicar - VTD/VTI - ex: abdicar algo ou de algo. Ex: a rainha abdicou seu poder / deseu poder.Acarretar - VTDI - acarretar algo a alguém. Ex: a difamação acarretou a prisão aoinfrator.
  • Agradecer -VTDI - agradecer algo a alguém. Ex: agradeci o convite ao amigo.Assistir (ver) - VTI - assistir a algo. Ex:ele assistiu ao filme.Assistir (ajudar) – VTD - assistir alguém. Ex: ele assistiu o doente.Assistir (morar) - VTI - assistir em algum lugar. Ex: ele assistiu em BH até morrer.Chamar (apelidar) – VTD/VTI - chamar alguém ou a alguém. Ex: chamei o/ao rapazde esperto.Chegar – VTI - chegar a algum lugar. Ex: ele chegou à rua Presidente Vargas.Observação – não se usa “chegar em algum lugar”.
  • Constar - VTD/VTI - constar de algo ou em algo. Ex: o nome consta da / na lista deaprovados.Custar (ser difícil) - VTI - custar a alguém. Ex:custou ao aluno entender o problema.Dar (dar algo a alguém) - VTDI – Ex: demos o alimento ao pedinte.Dar - VTDI - (gerar, parir) - dar alguém à luz . Ex: a mãe deu o bebê à luz.Entregar – VTI - entregar em algum lugar . Ex: entregamos em domicílio.Observação – Não se usa “entregar a algum lugar”, mas sim “entregar em algumlugar”.
  • Esquecer – VTD / VTI - esquecer algo. Ele esqueceu o exame. Ex: ele se esqueceu doencontro marcado. Observação – Não se usa “esqueci do encontro”; o correto é“esqueci o encontro” ou “esqueci-me do encontro”.Implicar (envolver-se) - VTI - implicar-se em algo. Ex: ele se implicou em jogatinhas.Implicar (aborrecer) - VTI - implicar com algo. Ex: ele implicou com os vizinhos.Implicar (acarretar) - VTD - implicar algo. Ex: tal atitude implica punição.Observação – é errado dizer “implicar em algo”.Ir - VTI - ir a algum lugar. Ex: ele foi à São Leopoldo.Lembrar - VTD - lembrar algo. Ex: ele lembrou o exame.
  •  Lembrar – VTI - lembrar-se de algo. Ex: ele se lembrou do exame.Observação – Não se usa “lembrei da data”; o correto é “lembrei a data” ou “lembrei-me da data”.Morar - VTI - morar em algum lugar. Ex:eles moram na Rua Presidente Vargas.Namorar - VTD - namorar alguém . Ex: ela namorava o vizinho.Pagar - VTDI - pagar algo a alguém. Ex: pagamos a dívida ao cobrador.Observação – Não se usa “pagamos o amigo”. Usa-se “pagamos ao amigo”.Perdoar – VTDI - perdoar algo a alguém. Ex: ele não perdoou ao jovem.Observação – Na norma culta não se usa “Ele não perdoou o inimigo”. Usa-se “Ele nãoperdoou ao inimigo”.
  • Preferir – VTDI - preferir algo a outra coisa. Ex:ele preferiu a segurança ao risco.Observação – Na norma culta não se usa “prefiro mais algo do que outra coisa” .Proceder (realizar) – VTI - proceder a algo. Ex:procederemos ao pagamento.Proceder (vir) – VTI - proceder de algo. Ex: ele procede do interior.Proceder (ter cabimento) – VI – seu entendimento não procede.Querer (desejar) – VTD - querer algo. Ex:ele quis o resultado.Querer (amar) – VTI - querer a alguém. Ex:o pai quer bem ao filho.Satisfazer – VTD/VTI - satisfazer algo ou a algo . Ex: isso satisfez o cliente / ao cliente.Ser – VTD - ser quanto . Ex:eles eram cinco. É errado dizer “eles eram em três”.
  • Simpatizar - VTI - simpatizar com algo. Ex:simpatizei com o local.Visar (mirar) – VTD - visar algo. Ex: ele visou o alvo.Visar (assinar) – VTD - visar algo. Ex: ele visou o documento.Visar (objetivar, desejar) – VTI - visar a algo. Ex:eles visavam ao mesmo cargo.Voltar – VTI - voltar a algum lugar. Ex: ele voltou ao colégio.Observação: Não se usa “voltar em algum lugar”.Namorar –VTD- namorar alguém. Ex: ela namorava o vizinho.Observação: Não se usa “namorar com alguém”.
  • Obedecer – VTI - obedecer a algo. Ex: obedeceremos à ordem.Usufruir – VTD ou VTI -usufruir algo ou de algo. Ex: ele usufrui os / dos bens. Note: VTD = verbo transitivo direto VTI=verbo transitivo indireto VTDI=verbo transitivo direto e indireto
  • Regência nominal www.superprovas.com www.twitter.com/superprovaswww.facebook.com/superprovas www.slideshare.net/superprovas
  • Regência Nominal: é a maneira de o nome (substantivo, adjetivo e advérbio)relacionar-se com seus complementos.Regência de alguns nomes:Residente + em (ex: Sou residente em São Paulo)Preferível + a (ex: prefiro salada a “hamburger”)Ódio + de (ex: ódio de perder)Invasão + de (ex: invasão de privacidade)Curioso + de (ex: estou curioso de saber quem foi o ganhador)Deputado + por (ex: deputado por Santa Catarina)Atenção + a (ex: atenção a palestra)Consulta + a (ex: consulta a livros)
  • Concordância Verbal www.superprovas.com www.twitter.com/superprovaswww.facebook.com/superprovas www.slideshare.net/superprovas
  • Regras de concordância verbal:1) O Verbo concorda com o sujeito em número e pessoa (ex: Maria comprou umabicicleta. Os ciclistas compraram bicicletas novas).2) Sujeito seguido de nome no plural  o verbo fica no singular (ex: o bando deloucos assistiu ao jogo) .3) Núcleo do sujeito no plural com artigo no plural o verbo fica no plural. Já se oartigo estiver no singular o verbo fica no singular (ex1: Os Estados Unidos são um paísde primeiro mundo. Ex2: O Amazonas é um rio de grande extensão).4) Sujeito partitivo, com nome no plural  opcional o verbo ficar o plural ou nosingular (ex: a maior parte é (são) de boa qualidade).
  • Regras de concordância verbal (continuação):5) Sujeito representado por número percentual Verbo concorda com o númeropercentual ou com o complemento deste número (ex1: dez por cento do país estáalagado. Ex2: dez por cento das cidades foram tomadas pelas águas).Nota: se vier determinado o número percentual o verbo irá para o plural sempre.6) Sujeito constituído de número fracionário  concordância com este termo. (ex:um quarto dos pacientes está febril).7) Verbo Transitivo Direto + se  concordância feita com o sujeito paciente (ex:vendem-se casas, aluga-se uma casa).8) VTDI ou VTI ou Verbo de ligação + se  verbo no singular (trata-se de uma festa deaniversário surpresa).9) Sujeito é “cada um”  verbo no singular (ex: cada um dos escolhidos sabe dançar).
  • Regras de concordância verbal (continuação):10) Sujeito é pronome relativo que  verbo concorda com o antecedente ao que (ex:Fomos nós que fizemos o bolo. Fui em que fui até a festa.11) “Quem” como sujeito  verbo na terceira pessoa do singular (ex: somos nósquem manda aqui).12) “Mais de um” no sujeito  verbo no singular se não houver reciprocidade (ex: mais de uma pessoa protestou no comício). Exceção: se tiver coletivo depois de mais de um (ex: mais de uma esquadrilha cruzaram nos céus).12) “Um dos que”  leva o verbo para o plural (eu sou um dos que ganhou a luta).13) “Um que”, “primeiro que”, “último que”  leva o verbo para o singular (ex: Louis Armstrong foi um dos astronautas que pisou na lua.
  • Regras de concordância verbal (continuação):15) Verbos “dar, bater e soar” (sentido de horas)  verbo concorda com o número dehoras (ex: Soaram cinco da matina).16) Sujeito composto: a) Posposto ao verbo: verbo concorda no plural ou no singular (ex: jogaram Neymar e Ganso ou Jogou Neymar e Ganso. b) Posposto ao verbo mas de número diferente verbo concorda com o mais próximo (ex: Desembarcou o prefeito e as comitivas ou desembarcaram as comitivas e o prefeito). c) Anteposto ao verbo  concordância gramatical é obrigatória (ex: o menino e o avô passearam pelo parque).
  • Regras de concordância verbal (continuação):17) Concordância do verbo ser: a) Pronome reto posposto ao verbo  verbo concorda com o pronome (ex: o responsável pela derrota fomos nós). b) Sujeito no singular, mas predicativo no plural  verbo concorda com o predicativo (ex: isto são inverdades). c) Preço, medida, peso o quantidade no sujeito  verbo no singular (ex: seiscentos metros foi a distância percorrida. d) Verbo ser impessoal  concordância com o predicativo (ex: eram cinco da tarde.18) Verbo “parecer” + infinitivo  Verbo no infinitivo se flexiona ou verbo parecerque é flexionado, mas nunca ambos (ex: as pessoas parecem querer invadir oestabelecimento).
  • Concordância Nominal www.superprovas.com www.twitter.com/superprovaswww.facebook.com/superprovas www.slideshare.net/superprovas
  • Regras de concordância nominal:1) Adjetivo + substantivo  o adjetivo concorda com o substantivo em gênero enúmero (ex: aluno bom, aluna boa).2) Adjetivo + substantivo no singular e do mesmo gênero  o adjetivo fica nosingular ou no plural ex: bebida e churrasco gaúcho ou bebida e churrasco gaúchos.3) Substantivos de números diferentes  adjetivos no plural (ex: mulher e criançasanimadas).4) Substantivo de gêneros diferentes mas no singular  adjetivo no plural masculino(ex: maçã e limão estrados).
  • 5) Substantivos no singular sinônimos  gênero do adjetivo concorda com o maispróximo (ex: ódio e raiva exacerbada)6) Substantivos no singular antônimos  adjetivo no plural (ex: força e fraquezaintensos).7) Adjetivo + adjetivo  primeiro sempre invariável (ex: problemas econômico-administrativos).8) “um e outro” ou “nem um nem outro” como sujeito  adjetivo no plural (ex: um eoutro colega passaram no concurso).9) Mesmo, próprio, só  concorda com o substantivo ou pronome a que se referem(ex: elas próprias arrumaram a cama).
  • Conjunções e conectivos www.superprovas.com www.twitter.com/superprovaswww.facebook.com/superprovas www.slideshare.net/superprovas
  • ConjunçõesAs orações, quando postas lado a lado, necessitam de uma “intermediador” queexplicite os valores semânticos dessa justaposição. A conjunção, portanto, é umapalavra que liga as orações e carrega em si um significado, como o deconclusão, tempo, condição, causa, finalidade, oposição, etc.As conjunções são classificadas em coordenativas e subordinativas: Conjunções coordenativas Aditiva: e, nem, mas também, como também, bem como. Alternativa: ou, ora...ora, quer...quer, seja...seja, já...já, nem...nem, etc. Adversativa: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto . Explicativa: pois, que, porque, porquanto, etc. Conclusiva: logo, pois, portanto, etc.
  • Conjunções subordinativas (continuação): Conjunções subordinativas:. Causal - porque, porquanto, como , já que, uma vez que, visto que, dado que, tantomais que, etc.. Comparativa - que e do que (antecedidos por mais, menos, maior, menor), qual (depoisde tal), como.. Concessiva - embora, conquanto, posto que, ainda que, apesar de que, mesmoque, nem que, se bem que, por mais que, por muito que, por menos que, nãoobstante, etc. (relação de oposição).. Condicional - se, caso, contanto que, a não ser que, sem que, salvo se, exceto se, amenos que, desde que, etc.. Conformativa - conforme, como (= conforme), segundo, consoante, etc.. Consecutiva - que (antecedido por tal, tanto, tão, tamanho), de modo que, de sorteque, de maneira que, a tal ponto que, etc. (relação de consequência).. Final - a fim de que, para que.. proporcional - à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais.(tantomais), etc.. Temporal - quando, sempre que, logo que, antes que, depois que, assimque, enquanto, mal, todas as vezes que, cada vez que, até que, desde que, etc.
  • Atenção:A conjunção “pois” pode ter valor explicativo ou conclusivo, dependendo do lugarem que é usada. São duas possibilidades:. abrindo a oração, o valor é explicativo: Resolveu-se a falha, pois (= porque) todosagiram com rapidez.. deslocada na oração, o valor é conclusivo: O rapaz tinha vivido lá, ele, pois, (=portanto) sabia do risco.Proibido usar a expressão “à medida em que“:O correto é :. À medida que: indica proporcionalidade e equivale-se a à proporção que, ao mesmotempo que (ex: o juiz os julgará à medida que os processos chegarem).. Na medida em que: expressa causa e equivale-se a tendo em vista que, pelo fato deque. Ele pagará a dívida na medida em que assumiu isso.
  • Observação Uso de conquanto e portanto:. Conquanto: expressa concessão e equivale-se a ainda que, se bem que, embora, nãoobstante (ex: lutaremos juntos até o fim conquanto (= ainda que) haja alguns poucosadversários.). Porquanto: expressa causa e tem valor semântico idêntico a porque, uma vezque, visto que (ex: José não se preocupa com a praga porquanto ela ainda não ataca aplantação).. Contanto que: expressa condição e tem valor semântico idêntico a desdeque, se, caso (ex: o time tem grande chance de vencer contanto que (= desde que)saibam ser pacientes).Não se usa: no entretanto (somente “entretanto”).Não se usa: enquanto que (somente “enquanto”).Trata-se de redundância usar “se caso ele andasse” (correto é “se ele andasse).
  • Colocação pronominal www.superprovas.com www.twitter.com/superprovaswww.facebook.com/superprovas www.slideshare.net/superprovas
  • Colocação pronominal:A colocação pronominal está diretamente ligada aos pronomes oblíquos, conforme aposição que o pronome ocupe na oração em relação ao ser verbo se dá a classificaçãoconforme abaixo:Próclise: pronome antes do verbo (ex: não me diga?).Ênclise: pronome no meio do verbo (ex: encontrar-te-ei amanhã).Mesóclise: pronome depois do verbo (ex: diga-me o que aconteceu).
  • A próclise: ocorrerá quando houver as palavras atrativas abaixo. Estas palavras atraemo pronome para antes do verbo.a) Palavras negativas: não , jamais, nada, ninguém, nunca, nenhum (ex: ninguém meverá = houve atração do pronome pela palavra “ninguém”).b) Pronomes interrogativos e relativos (ex1: eis o parente que ti falei. Ex2: quem tifalou?).c)Pronomes substantivos (ex: algo ti aborreceu durante o show).A próclise ocorrerá,também, quando:O verbo for proparoxítono (ex: nós o entregaríamos se houvesse pagamento )O sujeito for expresso e o verbo estiver no futuro do presente ou do pretérito (ex:nós nos arrependemos).
  • A mesóclise ocorre com o futuro do presente e com o futuro do pretérito:Exemplos: amar-te-ei eternamente, vê-la-emos entrar de noiva na igreja, contar-te-iatudo que sei daquela mulher.Exceção: se houver palavra atrativa o pronome fica proclítico (haverá atração dopronome para antes do verbo). Exemplo: não lhe entreguei a conta ainda?.Ênclise: abaixo os principais casos:Quando a oração começa por verbo (ex: quero lhe adiantar a verdade).Nota: se forem os pronomes me, te,se,lhe,me não ocorre problema de iniciar comestes pronomes no início da oração, mas a regra é que se for verbo no início daoração ocorre ênclise.
  • Ênclise (continuação)Oração interrogativa + verbo no infinito  (ex: como entregar-te o presente?).Quando não há palavra atrativa  os jogadores vestiram-se de camisas do timepreferido.Quando o verbo está no gerúndio  queixaram-se muito. Porém se o gerúndio vierprecedido de preposição o pronome vira proclítico. (ex: em se plantando nas terrasférteis do Brasil, tudo dá ). Locução verbal com verbo auxiliar no infinitivo  mesmo que haja palavra atrativaocorre ênclise. Já se houver preposição entre o verbo principal e o infinitivo acolocação pronominal é facultativa (ex1: não quis magoar-te. Ex2: as meninaschegaram a se morder ou morder-se).Locução verbal com verbo auxiliar no gerúndio  se houver palavra atrativa opronome fica proclítico (ex: nossas vidas iam se esvaindo durante o naufrágio).
  • Períodos compostos por subordinação e coordenação www.superprovas.com www.twitter.com/superprovaswww.facebook.com/superprovas www.slideshare.net/superprovas
  • TIPOS DE PERÍODOSimples: o período é simples quando o enunciado é estruturado em torno deuma única oração, chamada de oração absoluta (ex: eu andei de bicicleta).Composto: o período é composto quando o enunciado é estruturado em torno deduas ou mais orações (ex: durante o “Trianon”, eu andei de bicicleta até a praia e nadeidurante horas no mar.Oração coordenada: É aquela que se junta com outra, mantendo independênciado ponto de vista sintático (ex: pulei o obstáculo, subi em árvores, corri até a retafinal).Oração subordinada: É aquela que se junta com outra, mantendo umadependência sintática (ex: eu achava que ia ganhar a corrida).
  • Período composto por coordenaçãoAs orações coordenadas dividem-se em: assindéticas e sindéticas.Assindéticas: são aquelas que se apresentam ligadas às outras apenas por umsinal de pontuação sem o auxílio de conjunções coordenativas, que são osconectivos usados para estabelecer a coordenação (ex: o menino não foi à escola, foijogar futebol e perdeu o dia de aula).Sindéticas : são aquelas que se apresentam ligadas às outras com o auxílio deconjunção coordenativa (ex: a menina foi até a loja e comprou muitas roupas).A classificação das orações coordenadas sindéticas é feita de acordo com aconjunção coordenativa que as introduz. Assim, elas podem ser:aditivas, adversativas, explicativas, conclusivas e alternativas.
  • Orações coordenadas sindéticas:A classificação das orações coordenadas sindéticas é feita de acordo com aconjunção coordenativa que as introduz. Assim, elas podem ser:aditivas, adversativas, explicativas, conclusivas e alternativas.Aditivas: expressam idéia de adição, soma ou de seqüência de ações.Principais conjunções: e, nem (e não), não só... Mas também, não só... comotambém. (ex: corri até o campo e joguei futebol).Adversativas: são aquelas que dão idéia de oposição, de contraste.Principais conjunções: mas, porém, contudo, todavia, no entanto, entretanto. (ex:corri até o campo mas não consegui jogar).
  • Explicativas: exprimem um motivo, uma razão, uma explicação.Principais conjunções: que, porque, pois (antes de verbo).Ex: Parem este troço porque eu quero descer. Conclusivas: são aquelas que expressam uma conclusão.Principais conjunções: portanto, logo, por conseguinte, pois (após o verbo), por isso(ex: ele cometeu um crime; logo, foi preso).Alternativas: dão idéia de alternância.Principais conjunções: ou, ou...ou, já...já, quer... quer.(ou faz frio, ou faz sol, nunca a temperatura está agradável).
  • Período composto por subordinaçãoO período composto por subordinação é formado por uma ou mais oraçõessubordinadas que se articulam com uma oração principal em relação a elas. Orações subordinadas substantivas:Exercem com relação a oração principal as funções próprias do substantivo, quesão: sujeito, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal e aposto. Emgeral, as subordinadas substantivas são introduzidas pelas conjunçõessubordinativas "que" e "se".a) Subjetivas: funcionam como sujeito da oração principal. É formado por estruturas de verbo de ligação ou verbos na 3ª pessoa do singular ou voz passiva sintética. Ex1: É prudente olhar os pneus!. Ex2: falou-se muito em eliminar as sacolinhas dos supermercados. Ex3: Parece ser fácil estudar.
  • Oração subordinada substantiva (continuação):b) Objetiva direta: é aquela que funciona como objeto direto da oração principal. (ex: não vi quem me bateu).c) Objetiva indireta: é aquela que funciona como objeto indireto da oração principal. É sempre introduzida por uma preposição (ex: lembrei-me de que faltou pagar a última prestação).d) Completiva nominal: é aquela que funciona como complemento de um substantivo ou de um adjetivo da oração principal. Também é regida por preposição (ex: estava arrependida de ter desacatado o policial).e) Predicativa: É aquela que funciona como predicativo da oração principal, na qual aparece verbo de ligação, mais comumente o verbo ser (ex: a verdade é que importa no depoimento).f) Apositiva: é aquela que funciona como aposto de um termo da oração principal (ex: filho, só peço uma coisa: que evite briga).
  • Orações subordinadas adjetivas:Dividem-se em restritivas e explicativas:a) Explicativas: são aquelas que, funcionando também como adjetivo poderia seromitida da oração sem prejuízo da compreensão. e é sempre separada por sinal depontuação, geralmente a vírgula.Exemplo: Patrícia, que é escritora, publicou seu primeiro livro.b) Restritivas: são aquelas que, funcionado como um adjetivo, restringem asignificação de um substantivo ou pronome da oração principal, particularizando-o.Elas têm valor de adjuntos adnominais, não podem ser omitidas, pois sãoindispensáveis no sentido do período, e não se apresentam isoladas por vírgulas.Exemplo: o aluno que fez a lição de casa ganhará pontos na média final.
  • Orações subordinadas adverbiais: exercem a função de adjunto adverbial.Classificam-se em:causais, condicionais, conformativas, concessivas, comparativas, consecutivas, temporais, proporcionais, finais.a) Causais: expressam a causa, o motivo, a razão do evento registrado pelo verbo da oração principal (ex: não jogo futebol porque estou contundido).b) Condicional: Indicam um fato necessário à ocorrência, ou não, da oração expressa pelo verbo na oração principal. Exprimem, portanto, uma hipótese ou uma condição (ex: se eu fosse até ela, a convidaria para sair).c) Conformativas: Indicam um acordo, uma conformidade entre o acontecimento que exprimem e a ação registrada pelo verbo da oração principal. Estabelecem, portanto, um acordo com uma conformidade entre os eventos enunciados nas
  • d) Concessivas: expressam uma concessão à idéia registrada pelo verbo da oraçãoprincipal, ou seja, concedem a possibilidade de uma oposição, de um fatonovo, mesmo que contraditório (ex: andou pela quintal, embora soubesse do risco deser mordido pelo cachorro) .e) Comparativas: fazem uma comparação com a ação registrada pelo verbo da oraçãoprincipal (ex: os olhos falam mais que a boca).f) Temporais: Expressam uma circunstância de tempo em relação ao fatoregistrado pelo verbo da oração principal (ex: ninguém saiu do cinema, até que o filmeacabasse).g) Proporcionais: Expressam proporcionalidade em relação ao verbo da oraçãoprincipal (ex: à medida que o rio subia a cidade era invadida pelas águas) .h) Finais : Expressam objetivo, a finalidade da ação registrada pelo verbo daoração principal (ex: daremos cobertores para que não morram de frio).
  • Orações desenvolvidas: necessitam dos conectivos subordinativos (como assubordinadas já apresentadas).Orações Reduzidas: não necessitam dos conectivos subordinativos .Exemplos:Oração desenvolvida: o gerente pediu que assinássemos o contrato.Oração reduzida: o gerente pediu para assinar o contrato.As orações reduzidas classificam-se em :a) Orações reduzidas de infinitivo (ex: o gerente pediu para assinar o contrato).b) Orações reduzidas de gerúndio (ex: escrevendo com atenção, passarás no teste).c) Orações reduzidas de particípio (ex: Este é o teste comentado pelo professor).
  • www.superprovas.comwww.facebook.com/superprovaswww.twitter.com/superprovaswww.slideshare.net/superprovas