Livro de Resumos do I Colóquio Docência e Diversidade na Educa~ção Básica

4,479 views

Published on

O I Colóquio Docência e Diversidade na Educação Básica é um evento bi-anual que tem como objetivo reunir pesquisadores, professores e demais autores/atores que atuam na Educação Básica, com a intenção de fomentar discussões acerca da Profissão docente e da formação na contemporaneidade.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,479
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
53
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Livro de Resumos do I Colóquio Docência e Diversidade na Educa~ção Básica

  1. 1. dd I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO – CAMPUS I PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE PPGEduC Caderno de Programação e Resumos Jane Adriana V. Pacheco Rios Mary Valda Souza Sales (Orgs) dd 1
  2. 2. . I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 Salvador - Bahia – Brasil x I COLÓQUIO DOCÊNCIA E DIVERSIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA: A profissão docente na contemporaneidade PROGRAMA E RESUMOS 14 e 15 de outubro de 2013 Salvador - Bahia – Brasil x 2
  3. 3. dd I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 x Universidade do Estado da Bahia Lourisvaldo Valentin da Silva Reitor Adriana dos Santos Marmori Lima Vice-Reitora José Cláudio Rocha Pró-Reitor de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação Manuela Barreto Pró-Reitora de Extensão Marcelo Duarte Dantas de Ávila Pró-Reitor de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas Luiz Paulo Almeida Neiva Pró-Reitor de Planejamento Paulo James de Oliveira Pró-Reitor de Assistência Estudantil Antonio Amorim Pró-Reitor de Ensino de Graduação Djalma Fiuza Pró-Reitor de Infraestrutura e Inovação – Proinfra Benjamin Ramos Filho Unidade de Desenvolvimento Organizacional dd 3
  4. 4. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 . x Carla Liane Nascimento da Silva Diretora do Departamento de Educação – Campus I Eduardo Nunes Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade Antonio Dias Nascimento Vice-Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade Conselho Editorial Ana Paula Silva da Conceição - UNEB Ana Cristina Silva de Oliveira Pereira - UNEB Elizeu Clementino de Souza – UNEB Jane Adriana Vasconcelos P. Rios – UNEB Jussara Fraga Portugal – UNEB Mariana Martins de Meireles – UNEB Mary Valda Souza Sales – UNEB Sandra Regina Magalhães de Araújo – UNEB Valquíria Claudete Machado Borba – UNEB Suplentes Ana Sueli Pinho - UCSAL Antenor Rita Gomes - UNEB César Leiro Rios – UFBA/UNEB Cláudio Orlando Costa do Nascimento – UFRB Josemar da Silva Martins – UNEB Márcea Andrade Sales – UNEB Tânia Maria Hetkowiski - UNEB . 4 x
  5. 5. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 . I COLÓQUIO DOCÊNCIA E DIVERSIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA: A profissão docente na contemporaneidade PROGRAMAÇÃO E RESUMOS 14 e 15 de outubro de 2013 Salvador - Bahia – Brasil . 5
  6. 6. . I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 x I COLÓQUIO DOCÊNCIA E DIVERSIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA: A profissão docente na contemporaneidade Salvador - BA, 14 e 15 de outubro de 2013 Ficha Catalográfica – Biblioteca Luiz Henrique Dias Tavares / PPGEduC/UNEB Bibliotecária: Hildete Santos Costa – CRB: 737-5 C568 I Colóquio Docência e Diversidade na Educação Básica: a profissão docente na contemporaneidade (10.:2013): Salvador, BA) Colóquio Docência e Diversidade na Educação Básica: a profissão docente na contemporaneidade: caderno de resumo e programação. Organização Jane Adriana V. Pacheco Rios; Mary Valda Souza Sales – UNEB. Salvador: PPGEduC, 2013. Salvador::PPGEduC/UNEB/DIVERSO,20132 ISSN 978-85-7887-221-2 CDD.155.24 Universidade do Estado da Bahia – UNEB Programa de Pós Graduação de Educação e Contemporaneidade Rua Silveira Martins, 2555 – Cabula 41150-000 - Salvador - BA www.ppgeduc.uneb.br Tel. +55 71 3117-2200 . x6
  7. 7. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 . UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO - CAMPUS I PRO-REITORIA DE ENSINO E PESQUISA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE – PPGEduC Grupo de Pesquisa DIVERSO - Grupo de Pesquisa Formação Docente, Narrativas e Diversidades I COLÓQUIO DOCÊNCIA E DIVERSIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA: A profissão docente na contemporaneidade Organização do Evento DIVERSO/UNEB DEDC/Campus I/UNEB PPGEduC/UNEB 14 e 15 de outubro de 2013 Salvador - Bahia - Brasil x 7
  8. 8. . I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 COORDENAÇÃO GERAL Profa. Dra. Jane Adriana V. P. Rios – UNEB COMISSÃO ORGANIZADORA Profa. Msc. Ana Cristina Silva de Oliveira Pereira – UNEB Prof. Esp. Adelson Dias de Oliveira – UNEB/IFSERTAO-PE Prof. Dr. Elizeu Clementino de Souza - UNEB Prof. Esp. Francisco Cleiton Alves – UNEB Profa. Esp. Graziela Ninck Dias Menezes – UNEB/IFBA Profa. Dra. Jane Adriana V. P. Rios – UNEB Profa. Msc. Jussara Fraga Portugal - UNEB Prof. Msc. Mariana Martins de Meireles - UNEB Profa. Dra. Mary Valda Souza Sales – UNEB Profa. Esp. Natalina Assis de Carvalho - UNEB Profa. Esp. Patrícia Santana Reis – UNEB Profa. Esp. Rita de Cássia M. de Oliveira – UNEB Profa. Esp. Rosiane Costa de Sousa - UNEB Profa. Msc. Rúbia Mara de Sousa Lapa Cunha – UNEB Profa. Dra. Sandra Regina Magalhães de Araújo – UNEB Prof. Esp. Silvano Sulzart Oliveira Costa - UNEB COMISSÃO CIENTÍFICA Profa. Dra. Ana Paula Silva da Conceição - UNEB Profa. Msc. Ana Cristina Silva de Oliveira Pereira - UNEB Profa. Dra. Ana Sueli Pinho - UCSAL Prof. Dr. Antenor Rita Gomes - UNEB Prof. Dr. César Leiro Rios – UFBA/UNEB Prof. Dr. Cláudio Orlando Costa do Nascimento – UFRB Prof. Dr. Elizeu Clementino de Souza – UNEB Profa. Dra. Jane Adriana Vasconcelos P. Rios – UNEB Prof. Dr. Josemar da Silva Martins – UNEB Profa. Msc. Jussara Fraga Portugal – UNEB Profa. Msc. Mariana Martins de Meireles – UNEB Profa. Dra. Mary Valda Souza Sales – UNEB Profa. Dra. Márcea Andrade Sales – UNEB Profa. Dra. Sandra Regina Magalhães de Araújo – UNEB Profa. Dra. Tânia Maria Hetkowiski - UNEB Profa. Dra. Valquíria Claudete Machado Borba – UNEB Apoio Carmem Lúcia Vieira Ferreira da Silva Marilene Zeferino Costa Neto Maria Helena Reis Santos Monitores Estudantes de Graduação e Pós-Graduação da UNEB . 8
  9. 9. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 . Sumário x Apresentação .........................................................................................................................10 Programação ..........................................................................................................................11 Síntese da Programação Programação Completa Programação das Comunicações Individuais e Relatos de Experiência .............................14 Resumos: Sessões de Comunicações Individuais e Relatos de Experiência .........................23 I. Educação básica, diversidade e profissionalização docente...........................24 II. Experiências docentes em contextos rurais......................................................48 III. Memória, narrativas e formação docente.........................................................56 IV. Relação Educação Básica e Universidade: iniciação à docência, pesquisa e extensão...................................................................................................................................68 Mapa da UNEB (localização do evento no Campus I) ........................................................82 9
  10. 10. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 Apresentação O I Colóquio Docência e Diversidade na Educação Básica é um evento bi-anual que tem como objetivo reunir pesquisadores, professores e demais autores/atores que atuam na Educação Básica, com a intenção de fomentar discussões acerca da Profissão docente e da formação na contemporaneidade. O evento é promovido pelo Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade – DIVERSO – vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade – PPGEduC –, da Universidade do Estado da Bahia – UNEB. A importância deste Colóquio reside no diálogo com as diversas instituições e sujeitos responsáveis pela docência e formação na Educação Básica, voltando-se especificamente para a diversidade que compõe os espaços educativos. Desse modo, este evento tem por objetivos:  Socializar resultados de pesquisa e intervenções sobre a docência na Educação Básica, tendo como foco a discussão da profissão docente na contemporaneidade;  Promover discussões acerca da profissionalização e formação docente nos diversos espaços educativos que compõem a Educação Básica;  Universidade, Intercambiar experiências produzidas na Educação Básica e na considerando a diversidade presente nas formas contemporâneas de educar, possibilitando assim a interação entre formadores, pesquisadores, estudantes, autores, professores que lidam cotidianamente com a docência, a formação, isto é, a prática diária pedagógica com o foco na educação básica. 10
  11. 11. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 Síntese da Programação UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA Teatro UNEB / Auditório Jurandir Oliveira DEDC/Campus I e PPGEduC/UNEB 14/10/13 15/10/13 Local: Teatro UNEB Local: Teatro UNEB 08h– Credenciamento 8h às 10h - Mesa II Experiências docentes em territórios rurais 08h30 – Atividade Cultural 9h - Abertura 10h às 12h – Mesa III Memórias, narrativas docente e formação 09h15 – Conferência de Abertura A profissão docente na Educação Básica: desafios contemporâneos 12h – Intervalo de Almoço 12h – Intervalo de Almoço 14h às 15h30 – Mesa I Educação Básica, diversidade profissionalização docente Local: Salas de Aula do PPGEduC 14h30 às 16h30 - Sessões Comunicação Oral e Relato e Experiências de de Local: Teatro UNEB Local: Salas de Aula do PPGEduC 17h às 18h30 – Conferência de 16h às 18h30 - Sessões de Comunicação Encerramento Oral e Relato de Experiências Itinerários da Profissão Docente no Brasil 18h30 às 19h – Atividade Cultural 19h - Lançamento de livros 11
  12. 12. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 PROGRAMA COMPLETO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB Teatro UNEB / Auditório Jurandir Oliveira DEDC-Campus I/ Salas do PPGEduC 14/10/13–Segunda-feira Local: Teatro UNEB 08h – Credenciamento 08h30 – Atividade Cultural Balé Folclórico – Núcleo de Pluralidade Artística (NUPA) Escola Parque – Caixa D’Água Coordenação: Profa. Silvana Pereira, Profa. Ana Paula Moura Rodrigues e Prof. Ivisson Lima Santos 9h - Abertura 09h15 – Conferência de Abertura A profissão docente na Educação Básica : desafios contemporâneos – Profa. Dra. Dalila Andrade de Oliveira - UFMG Coordenação: Profa. Drª Jane Adriana Vasconcelos P. Rios - UNEB 12h – Intervalo de Almoço 14h às 15h30 - Mesa I Educação Básica, diversidade e profissionalização docente Prof. Dr. José Antonio Serrano Castañeda - UPN Profa. Dra. Betânia Leite Ramalho – UFRN Profa. Dra. Helena Amaral da Fontoura – UERJ Coordenação: Profa. Dra. Sandra Regina Soares - UNEB Local: Salas de aula do PPGEduC 15h30 às 18h30 - Sessões de Comunicação Oral e Relato de Experiências 12
  13. 13. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 15/10/13– Terça-feira Local: Teatro UNEB 8h às 10h - Mesa II Experiências docentes em territórios rurais Prof. Dr. Salomão Antônio Mufarrej Hage – UFPA Prof. Dr. Edmerson dos Santos Reis – UNEB Profa. Dra. Jane Adriana Vasconcelos P. Rios - UNEB Coordenação: Profa. Dra. Sandra Regina Magalhães de Araújo - UNEB 10h às 12h - Mesa III Memórias, narrativas e formação docente Profa. Dra. Rita de Cássia Gallego – USP Profa. Dra. Maria da Conceição Passeggi – UFRN Prof. Dr. Elizeu Clementino de Souza – UNEB Coordenação: Profa. Dra. Verbena Maria Rocha Cordeiro - UNEB 12h – Intervalo de Almoço Local: Salas de Aula do PGEduC 13h30 às 16h30 - Sessões de Comunicação Oral e Relato de Experiências Local: Teatro UNEB 17h às 18h30 – Conferência de Encerramento Itinerários da Profissão Docente no Brasil Profa. Dra. Paula Perin Vicentini (USP) Coordenação: Profa. Dra. Jane Adriana Vasconcelos P. Rios - UNEB 18h30 às 19h – Atividade Cultural 19h - Lançamento de livros 13
  14. 14. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 Comunicações Individuais e Relatos de Experiências 14/10 – Segunda-feira EIXO 01:EDUCAÇÃO BÁSICA, DIVERSIDADE E PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE SESSÃO 01 - 15:30 às 17:00 - Local: Auditório Milton Santos - PPGEDUC Mediador (a): Adelson Dias de Oliveira (IFSERTÃO/UNEB/PPGEduc) Adelson Dias de Oliveira – IFSERTÃo/UNEB Posturas e práticas docentes: a diferença como processo de Cláudia Elizabete Cunha dos Santos – SEC/BA formação identitária Edvan Ferreira Cajuhy – SEDUC Alcione Pereira Santos de Souza (UESB) Magnobaldo Alves Lisboa (UESB) Norma Sueli dos Santos (UESB) Docentes enfrentando os desafios da atualidade: novas tecnologias, profissionalização docente e os reflexos causadores do mal estar. Antonio Cesar Ramos da Silva (CERN) Jusceli Mª Oliveira de C. Cardoso (UNEB) Luiz Carlos Jandiroba (UNEB-CAMPUS XI) Antonio Vilas Boas (CECJ) Reflexões acadêmicas sobre a oferta da disciplina libras EAD no curso de pedagogia: para além da lei, um exercício de criatividade e transformação. Saem de cena o data-show, a televisão e a internet e entram em cena o giz e a pedagogia da pergunta: uma experiência nas aulas de história no Colégio Estadual de Conceição do Jacuípe-BA. Produções didáticas sobre temas da diversidade: a busca por uma prática docente que respeita a condição dos(as) educandos(as. Desencarcerar o olhar encarcerado: desconstruindo preconceitos e mitos em escolas públicas Claudia de Faria Barbosa (FACED/UFBA) Eliana Fiúza Ferreira (FACED/UFBA) Lívia Rosane M. P. Bastos (FACED/UFBA) Claudia Souza Santos Santana (UEFS) Patricia Costa de Santana (UEFS) SESSÃO 02 - 15:30 às 17:00 – Local: Sala PPGEL - 2º Andar Mediador (a): Jussara Fraga Portuga (UNEBDEDCXIPPGEduc)) e Rubia Mara de S. L. Cunha (UNEBPPGEduc) Eliane Dolce Guerriero (UNINOVE/SP) A questão do gênero e as implicações pedagógicas para a Educação Física. Elson de Souza Lemos (UESB) Ludicidade, uma análise da produção monográfica no curso Sandra Pereira de Oliveira (UESB) de pedagogia da Uesb/Itapetinga. Emanuelle Nunes Mota (UFS) Antônio Vital Menezes de Souza (UFS) Vinícius Silva Santos (UNEB-VIII) Jefferson da Silva Moreira (UEFS) Josimara Nascimento S. Pereira (UESB) Erica Dias Lima Alves (UESB) Ennia Débora P. Braga Pires (UESB) Makson Ivaldo Castelo Silva (FADBA) Francisco de Assis O. Alencar ((FADBA) Profissionalização de professor(a): a questão da docência em tempos de mudança Relações de gênero, diversidade sexual e currículo escolar: discussões na contemporaneidade. Avaliação da aprendizagem nas séries iniciais: reflexo no processo ensino aprendizagem. Os desafios da gestão escolar no contexto da sociedade do conhecimento e as implicações na atuação docente 14
  15. 15. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 SESSÃO 03 - 15:30 às 17:00 - Local: Sala 02 - PPGEDUC Mediador(a): Patrícia Santana Reis (UNEB) e Rita Magalhães (UNEB Marivalda Quintiliana Silva (FACE) Imagens do negro em livros didático Mille Caroline Rodrigues Fernandes (UNEB) Formação docente e a lei 10.639/03: dez-a-fios para a inserção da história e cultura africano-brasileira no contexto escolar. Morgana Gomes da Silva (UNEB-IV) PIBID: um elo entre universidade, escola básica e a formação Sivone Santos de Jesus (UNEB-IV) docente. Antônio Vital Menezes de Souza(UFS) Vinícius Silva Santos (UNEB-VIII) Desenvolvimento profissional de professor(a): desafios emergentes à profissionalização e ao campo de trabalho docente Rafaela Magalhães Silva (UEFS) Modalidades organizativas do trabalho pedagógico na educação infantil Sandra Pereira de Oliveira (UESB) Elson de Souza Lemos (UESB) As crianças diante dos contos de fada: imaginário e reação SESSÃO 04 - 17:00 às 18:30 – Local: Auditório Milton Santos - PPGEDUC Mediador (a): Adelson Dias de Oliveira (UNEB/IFSertão-PE/PPGEduc) Willys Bezerra dos Santos (UFRB) A diversidade sexual no espaço escolar: uma discussão necessária Ájila Brasileira da Cruz (UNEB) A identidade no espaço escolar da comunidade do Marindiane Martins da Cruz (UNEB) Mucambo: negros ou morenos? Edson Carvalho de Souza (UNEB) Ana Conceição Alves Santiago (UNEB) Da Educação Especial à Educação Bilíngue: novas perspectivas. Ana Lúcia Gomes da Silva(UNEB) Formação docente e educação básica: tecendo os fios para Gilson Alves Lima(SEC-BA) uma política pública de educação integral Olímpia Ramos Viana Gordiano(SEC-BA) Cecília de Fátima Boaventura de Macêdo Penar e sonhar: duas faces dos jovens da escola pública. (UEFS) Cristiane Andrade Fernandes (PARFOR-UESC) Estágio Supervisionado PARFOR: saberes reconfigurados Eronilda Mª Góis de Carvalho (PARFOR-UESC) SESSÃO 05 - 17:00 às 18:30 - Local: Sala PPGEL - 2º Andar Mediador (a):Jussara Fraga Portugal (UNEBDEDCXIPPGEduc) e Rubia Mara de S. L. Cunha (UNEBPPGEduc) Daniela de Jesus Lima (UFBA) Nós que aqui estamos por vós esperando: equidade, diversidade e educação Dinalva de Jesus Santana Macêdo (UNEB) A extensão universitária como prática formativa dos educandos e professores: reflexões acerca da educação das relações étnico-raciais. Eder dos Santos Oliveira (UFRGS/Ead- FAMAM) Práticas Pedagógicas da Filarmônica Dois de Julho em Aline Cruz Rodrigues Oliveira (FAMAM) Maragogipe: um estudo de caso Edileide Maria Antonino da Silva (UNEB) Escutar é preciso: desafios da docência na Sara Menezes Reis (UNEB) contemporaneidade Edivania Cordeiro de Sousa (UEFS) Contribuições da ação docente no ensino da Geografia no 7º Priscila dos Santos Silva Miranda(UEFS) ano do ensino fundamental em uma escola pública de Feira de Santana Fransigelma Lobo da Silva (UNEB) Expansão do inglês no mundo e na escola por ordem da Risonete Lima de Almeida (UNEB) cultura 15
  16. 16. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 SESSÃO 06 - 17:00 às 18:30 – Local: Sala 02 - PPGEDUC Mediador (a): Patrícia Santana Reis (UNEBPPGEduc) Fulvia de Aquino Rocha (UNEB) A formação de professores da educação básica: entre o Elizeu Clementino de Souza (UNEB) discurso oficial e a construção do ser/fazer-se professora Joane M. dos Santos (PIBID TEMART/UFBA) Jogar e aprender: contribuições dos jogos teatrais no ensino ClotildesCazé (PIBID TEMART/UFBA) de Teatro na Escola Estadual Adroaldo Ribeiro Costa. Fábio Dal Gallo (PIBID TEMART/UFBA) Liliam Fernandes de Castro da Silva (FAMAM) Brincar: uma forma de aprender Meiriane Barbosa Pinheiro Gomes (FAMAM) Elipaula M. C. Carvalho (FAMAM) Lilian Lima Pereira (UEFS) Diversidade, cultura e interculturalidade: uma análise nos Tania Sampaio Dias (SEC- Itabuna) ciclos de formação humana em Itabuna. Lorena del Socorro Chavira Álvarez (México) El sentido deltrabajo por proyectos. Una estrategia para educar en y para ladiversidad EIXO 02:EXPERIÊNCIAS DOCENTES EM CONTEXTOS RURAIS SESSÃO 07 - 15:30 às 17:00 – Local: Sala 4 – PPGEDUC Mediador (a): Mariana Martins de Meireles (UNEB/SECTucano) Edilange Borges de Souza (UNEB) Experiências de professoras rurais aposentadas: das Áurea da Silva Pereira (UNEB) memórias de si às memórias da docência. Magnólia Pereira dos Santos (UFRB) Proposta curricular da educação no/do campo: uma construção coletiva no município de Feira de Santana/Bahia. Fabiana Correia Moura, Pedagoga (UESB) Educação ambiental e prática docente nas escolas do campo: um relato de experiência. Graça Regina A. M. Ferreira (EMITEC/SEC/BA) Experiência docente em contexto rural: dinamização das Sandra Lúcia P. de O. Pereira (EMITEC/SEC/BA) aulas de Química e Biologia do EMITEC/BA. Aline Carvalho Nascimento Sentidos e significados das classes multisseriadas: uma pausa (Instituto Chapada de Educação e Pesquisa) para a história oral de uma professora Dayane Santos (UNEB XV) Eunice Santana (UNEB XV) JozileneAssis(UNEB XV) Escolas multisseriadas do meio rural: sobre o direito de aprender dos educandos SESSÃO 08 - 17:00 às 18:30 – Local: Sala 4 – PPGEDUC Mediador (a): Mariana Martins de Meireles (UNEB/SECTucano) Emílio Marques Neto(UFRB) A agroecologia e a permacultura na construção da educação Bruna Gaudêncio dos Santos (UFRB) ambiental Pedro Nascimento Melo(UFRB) Fabricia Vieira dos Santos (UNEB) Identidade negra, uma temática discutida superficialmente dentro da sala de aula, na Escola Municipal Dr. Abílio Farias, em uma comunidade negra rural: reflexões e dificuldades de uma bolsista PIBID. Hiasmin Rodrigues (DCHIV/UNEB) Ensinar e aprender: experiências de quem semeia a Maiane Borges (DCHIV/UNEB) educação no campo Jaqueline Santana (UNEB) Do quilombo à cidade: a indivisibilidade dos estudantes Josivelto Cardoso (SEC-Tanque Novo) campesianos nos anos finais do Ensino Fundamental em escolas urbanas e suas implicações no processo de ensino aprendizagem Joselito Manoel de Jesus (UNEB) Do silêncio do objeto para a palavra do sujeito entre o conhecimento-emancipação e o conhecimento-regulação: uma experiência de um educador da escola do campo em Baixa Grande, Bahia. Mariana Martins de Meireles “O mundo, meus filhos, (não) é longe daqui”: modos e (UNEB/SEC-Tucano) maneiras de exercer a docência em contextos rurais. 16
  17. 17. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 EIXO 03: MEMÓRIA, NARRATIVAS E FORMAÇÃO DOCENTE SESSÃO 09 - 15:30 às 17:00 – Local: Sala 3 – PPGEDUC Mediador (a): Graziela Ninck Dias Menezes (UNEB/PPGEduc/IFBA-Ilhéus) Arlete Vieira da Silva (UESC/PPGEduC-UNEB) A dimensão autopoiética e a construção da docência em escritas narrativas. Cristiane Souza Borges (UESB) A família como construtora da cidadania. um relato de experiência do PIBID. Josinélia dos Santos Moreira(UNEB) Formação de professores (as): os entraves e sucessos do percurso formativo da docência. Juliane Costa Silva(UNEB) Revelando os sujeitos juvenis: um diálogo de formação e Áurea da Silva Pereira(UNEB) representações. Livia Lara da Cruz (USP) Os sentidos da experiência do projeto bolsa mestrado para os professores da rede estadual de São Paulo: ascensão pela escolarização ou estagnação qualificada? Manoela Matos Pereira (UESB) Alfabetização de alunos-presidiários da EJA: uma experiência Maria Emérita J. Fernandes (UESB) com produção de portfólios narrativos. Norma Sueli dos Santos (UESB) Características necessárias para a formação do docente. Sirleide dos Santos Bastos (UESB) Cristiane Souza Borges (UESB) SESSÃO 10 - 17:00 às 18:30 – Local: Sala 3 – PPGEDUC Mediador (a): Graziela Ninck Dias Menezes (UNEB/PPGEduc/IFBA-Ilhéus) Ivânia Paula Freitas de Souza(UNEB-VII) Docência em escolas multisseriadas e os desafios da formação dos professores nas redes municipais. Solange Mendes da Silva (UESB) A contribuição do memorial de formação para o processo de Mariana Moura Pereira (UESB) formação docente. Tainara dos Santos Bastos (UNEB-II) O estágio curricular como campo de pesquisa para a Áurea da Silva Pereira (UNEB-II) construção do “ser professor”. Talita Dias Miranda e Silva (USP) As histórias de vida como processos de formação. Maria Candeias Conceição Santos (UEFS) Tânia Maria Magalhães (FTC) Graziela Ninck Dias Menezes (UNEBIFBA/Ilhéus) Um olhar entre o ensinar e o ser gestor e educador Entre achados e perdidos: as subjetividades na docência da educação profissional técnica EIXO 04: RELAÇÃO EDUCAÇÃO BÁSICA E UNIVERSIDADE: INICIAÇÃO À DOCÊNCIA, PESQUISA E EXTENSÃO SESSÃO 11 - 15:30 às 17:00 – Local: Sala 1 – PPGEDUC Mediador (a): Ana Cristina Silva de Oliveira Pereira (UNEB/DEDCXI) Ana Cristina B. dos S. Nascimento (UNEB-XII) Programa institucional de bolsa de iniciação à docência: uma Dacielle Antunes Santos (UNEB-XII) experiência de aprendizagem e formação. Maria de Fátima Pereira Carvalho (UNEB-XII) Ana Cristina de Mendonça Santos (UNEB-XI) Diálogos entre instrumentos organizativos da prática educativa: uma experiência de extensão no Campus XI – Serrinha. Anna Donato G. Teixeira (UNEB-XII) Acesso e permanência de estudantes de origem popular na educação profissional da Bahia. Caliane Costa dos S. da Conceição (UFRB) Educação do campo e o mundo do trabalho. Silvana Lúcia da Silva Lima (UFRB) Cosmerina de Souza de carvalho (UESB) A abordagem ambiental nas atividades do PIBID nas séries Josimara Nascimento Santos Pereira (UESB) iniciais do Ensino Fundamental I. 17
  18. 18. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 David Santana Lopes (UFBA) Iara Sordi Joachim Bravo (UFBA) Rejâne Maria Lira-da-Silva (UFBA) As contribuições do programa institucional de bolsa de iniciação à docência como iniciativa integradora do ensino e pesquisa: as experiências da oficina “os enigmas da vida” realizada no Colégio Estadual Luiz Viana. SESSÃO 12 - 17:00 às 18:30 – Local: Sala 1 – PPGEDUC Mediador (a): Ana Cristina Silva de Oliveita Pereira (UNEB/DEDCXI) Fabrício Oliveira da Silva (UNEB) A formação da identidade docente dos licenciandos em Pedagogia sob a perspectiva do PIBID. Maísa de Araújo Rodrigues(UNEB-XII) Iniciação à docência: aprendendo a ser professor Jany Rodrigues Prado (UNEB-XII) Mª de Fátima Pereira Carvalho (UNEB-XII) Mariana Moura Pereira (UESB) Relação educação básica e universidade: uma análise de Solange Mendes da Silva (UESB) livros didáticos de ciências da rede municipal e particular de ensino de Itapetinga/BA. Selma Francisca Benevides (UNEB-XII) A contribuição do PIBID na formação do licenciando em Sunária Rodrigues da Silva (UNEB- II) pedagogia. Jany Rodrigues Prado (UNEB-XII) Renata Farias Couto Pimentel (UNEB-XII) O PIBID na escola: espaço de formação, aprendizagem e Viviane Silva S. Malheiros (UNEB-XII) construção da identidade docente Mª de Fátima P. Carvalho (UNEB- XII) Graça Regina A. M. Ferreira (EMITEC/SEC/BA) Uso pedagógico de jogos digitais no ensino formal em Escolas Sandra Lúcia P. de O. Pereira (EMITEC/SEC/BA) da rede pública Ana Cátia Santos da Silva (UFRB) Importância do estágio supervisionado para o licenciando em Líliam Rosane de Santana (UFRB) Biologia: utilizando o projeto de intervenção como estratégia de ensino. Anuska Andreia De Sousa Silva (UFPE) Ensino-pesquisa-extensão e a formação docente do professor da educação básica: relato de uma experiência 18
  19. 19. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 15/10 – Terça-feira EIXO 01:EDUCAÇÃO BÁSICA, DIVERSIDADE E PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE SESSÃO 13 - 13:30 às 15:00 – Local: Auditório Milton Santos - PPGEDUC Mediador (a): Patricia Santana Reis (UNEB/PPGEduc) Lúcio André Andrade da (IFBA/Valença) A construção da profissionalidade docente nos cursos de Taize Cardoso de Sousa(IFBA/Valença) Licenciatura do IFBA-Valença Mailane Vinhas de Souza Bonfim (UFBA) Pelos caminhos da educação e do lazer: reflexões a partir da ampliação de espaços formativos de aprendizagem Marco Aurélio Calil Barreto da Silva (UFBA) Por um novo olhar sobre avaliação escolar: O processo educacional nas aulas de teatro Ana Darque Oliveira dos Anjos (UNEB) O papel da escola na valorização da identidade negra entre Franciele Basílio de Souza(UNEB) os estudantes. Maria de Fátima França dos Santos(UNEB) Edson Carvalho de Souza Santana (UNEB) Marinalva Batista .dos Santos Neves (FVC) Educação, Inclusão Social e os Desafios das Tecnologias da Nívea Maria Fraga Rocha (FVC) Informação e da Comunicação (TIC) Maurícia Evangelista dos Santos (UEFS) Diálogos entre saberes e práticas: o que pode ser (re) velado no/pelo cotidiano de um centro municipal de educação infantil SESSÃO 14 - 13:30 às 15:00 - Local: PPGEL – 2º Andar Mediador (a): Silvano Sulzart Oliveira Costa (UNEB- FAMAM) Geisa Arlete do Carmo Santos (CAIRU) Formação de professores rurais: um olhar das práticas Natalina Assis de Carvalho (UNEB) pedagógicas no uso das tecnologias em espaço rural Silvano Sulzart oliveira Costa (UNEB- FAMAM) Mônica Muniz (FAC) A participação dos professores nos movimentos sociais Naiara Gama Alves (Prolin – Pojuca) Rosemary Lapa de Oliveira (UNEB/UFBA) Nicoleta Mendes de Mattos(UNEB) Nívea Maria Fraga Rocha(FVC) Marinalva Batista dos Santos (FVC) Patríciade Sena Araujo (UNEB-XI) Ana Cristina de Mendonça Santos (UNEB-XI) Rafaela Magalhães Silva (UEFS) Analise do discurso: noções e contribuições para o estudo de textos na educação básica Medo e o preconceito no cotidiano escolar na perspectiva da inclusão Aperfeiçoamento docente e a inserção das TIC Prática pedagógica e indisciplina escolar: diálogos e implicações Modalidades organizativas do trabalho pedagógico na educação infantil SESSÃO15 - 15:00 às 16:30 – Local: Auditório Milton Santos - PPGEDUC Mediador (a): Jussara Fraga Portugal (UNEB/DEDCXI) e Rubia Mara de S. L. Cunha (UNEBPPGEduc) Roberta Bolzan Jauris (UNEB) Processos de constituição da identidade do professor da educação infantil Rony Henrique Souza (Colégio Estadual Semana do abraço: nutrindo uma escola informal no espaço Professor Edgard Santos) formal Sérgio Ricardo Santos da Silva – Bahialista Os desafios do educador frente à arte-educação através do (UNEB/SESI) cordel: pedagogia da onça Sussuarana. Sheila B. M. S. R. da Costa (UNEB) Competências bilingue no ensino a sujeitos surdos: Uma Bárbara Febronia da Rocha da Silva (UNEB) critica ao PPP e à matriz do curso de Pedagogia da UNEB Sidcley Dalmo Teixeira Caldas (UNEB) A presença de canções no ensino-aprendizado da 19
  20. 20. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 Suélen Gonçalves Paixão da Silva (UNEB) matemática:a compreensão dos formandos em Pedagogia do DEDCI-UNEB Relato de experiência: educação profissional e EJA no município de Salvador SESSÃO 16 - 15:00 às 16:30 – Local: Sala PPGEL 2º Andar Mediador (a): Graziela Ninck Dias Menezes (UNEB/PPGEduc/IFBA-Ilhéus) Tatiane da Silva Bispo (UNEB) A escola, os alunos e a sala de aula: Um relato de experiência acerca do estágio supervisionado em uma escola pública de Santo Antônio de Jesus, Bahia. Virginia Mota Lages Gomes (UNEB-XIII) Considerações sobre o retorno da Filosofia nos currículos escolares no Brasil. Waldirene Magna Guimarães Pimentel (UNEB) PROEJA: desafios da prática - uma análise do centro Rosany Kátia Vilasboas Moreira Silva(UNEB) territorial de Educação Profissional do Sertão produtivo, Jeovângela de Matos Rosa Ribeiro (UNEB) Caetité/BA Yara da Paixão Ferreira (UFBA) Ressignificação da prática pedagógica para motivação da Márcia Santos Oliveira (UFBA) leitura e escrita. Carla Cristina dos Santos de Jesus (UNEB) Professoras negras na educação básica: reflexões sobre trajetórias e travessias identitárias Taisa de Sousa Ferreira (UEFS/SEC- Vera Cruz) Práticas pedagógicas em foco: um estudo sobre gênero e sexualidade no curso de Pedagogia da UEFS EIXO 02:EXPERIÊNCIAS DOCENTES EM CONTEXTOS RURAIS SESSÃO 17 – 13:30 às 15:00 - Local: Sala 4 – PPGEDUC Mediador(a): Rita de Cássia Magalhães de Oliveira (UNEB/PPGEduC) Márcia Santos Oliveira (FACCEBA) Resíduos sólidos na cidade de Caém: Conscientização dos Yara da Paixão Ferreira (FACCEBA) estudantes quanto aos impactos ambientais negativos causados à cidade e implementação da coleta seletiva para reciclagem Naara G. S. Humildes (UESB) Leitura de imagens: “é possível ler, sem saber ler?” – um projeto de interação com crianças rurais do município de Jaguaquara, Bahia. Natalina Assis de Carvalho (UNEB) As narrativas autobiográficas de professoras rurais: apreendendo a prática pedagógica e a formação Patrícia dos Santos (UNEB/SEC- Valença) Fracasso escolar em classes multisseriadas: fatores que Maria do Rosário S. Souza (UNEB/SEC- Valença) interferem no processo de aquisição da leitura e escrita EIXO 03: MEMÓRIA, NARRATIVAS E FORMAÇÃO DOCENTE SESSÃO 18 - 13:30 às 15:00 – Local: Sala 3 – PPGEDUC Mediador (a): Ana Cristina Silva de Oliveira Pereira (UNEB/DEDCXI)) Ana Cristina Silva de Oliveira Pereira (UNEB) Investigação-formação de professores e estágio Jussara Fraga Portugal(UNEB) supervisionado: memórias, narrativas e histórias de vida. Simone Santos de Oliveira(UNEB) Ciça de Fátima Batista Rocha (UNEB XII) O ensino da música e o conto de histórias na educação Verbena Guimarães Teixeira(UNEB XII) infantil Mª de Fátima Pereira Carvalho(UNEB XII) Edivania Cordeiro de Sousa (UEFS) Leitura e escrita no terceiro ano do ensino fundamental i: um Priscila dos Santos Silva Miranda (UEFS) relato de experiência em estágio supervisionado 20
  21. 21. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 Susiara Moreira Reis Coutinho (UNEB-V) Marilene Zeferino Costa Netto Maximiano Martins de Meireles (UEFS) Monique Millet de Lima (Dom Pedro II) As subjetividades do saber docente presentes em narrativas de formação. Subjetividade nas práticas pedagógicas na educação infantil: quem é o sujeito? Da presença ao silenciamento: a docência no processo formativo do curso de Letras da UEFS De professor estagiário a professor profissional: o caminho da profissionalização SESSÃO 19 - 15:00 às 16:30 - Sala 3 – PPGEDUC Mediador (a): Silvano Sulzart Oliveira Costa (UNEB-FAMAM) Poliana Marina Mascarenhas de Santana Viver e praticar a coordenação pedagógica: Afinidades e Magalhães (UNEB/UEFS) intenções na construção da formação Rafaela Carneiro de Almeida (FTC) EAD e formação docente: as narrativas de uma professora de Simone Santos de Oliveira (UNEB/PPGEduC) Geografia Rosiane Costa de Sousa (UNEB) (Auto)formação de professores de classe multisseriada: pela via das histórias de vida Rúbia Mara de Sousa Lapa Cunha (UNEB) As vivências e experiências das normalistas registradas no cotidiano das escolas isoladas Shirley Alves da Silva Vinagre (UNEB) Formação e ingresso no Magistério Público Primário baiano na Primeira República Silvano Sulzart Oliveira Costa (UNEB-FAMAM) Educação, contemporaneidade e formação docente: Patrícia Santana Reis (UNEB) precisamos reinventar o professor? Lúcia Gracia Ferreira (UESB) Histórias de Aprendiz: memórias, narrativas e formação Patrícia Santana Reis (PPGEduC/UNEB) A subjetividade e a docência: entrelaçamento da formação e da prática em classes de jovens e adultos. EIXO 04: RELAÇÃO EDUCAÇÃO BÁSICA E UNIVERSIDADE: INICIAÇÃO À DOCÊNCIA, PESQUISA E EXTENSÃO SESSÃO 20 - 13:30 às 15:00 – Local: Sala 1 – PPGEDUC Mediador(a): Graziela Ninck Dias Menezes (UNEB/PPGEduc/IFBA-Ilhéus) Bruno de Jesus(Escola Municipal Malê Debalê) O ensino da dança na Escola Municipal Malê Debalê Andréia Soares(Escola Municipal Malê Debalê) Maira Di Natale(Escola Municipal Malê Debalê) Bruno Fernandes Carvalho da Silva (UNEB) Aprendizagem de leitura e escrita com novas tecnologias, um Meiriane Barreto Rocha (UNEB) espaço criado pelo PIBID. Fabrício Oliveira da Silva(UNEB) Carine Barroso Brasil (CCAAB/UFRB O Estágio Supervisionado e sua importância nos cursos de Pedro Paulo de Jesus Pimentel(CCAAB/UFRB) formação de professores: um relato de experiência no curso Pedro Nascimento Melo (UFRB) de Licenciatura em Biologia Carla Sousa Ferreira (UESB) As experiências Pibidianas na formação docente: um elo Adriana Maria Abreu Barbosa(UESB) entre Educação Básica e Universidade Eliene Teixeira L. de Magalhães(UNEB- XII) Laboratório de práticas pedagógicas: momentos Maria de Fátima Pereira Carvalho (UNEB- XII) experienciados no percurso da formação Sandra Alves de Oliveira (UNEB- XII) Fernanda Teixeira Melo (UNEB) O PIBID/UNEB, em uma escola pública municipal da cidade de Guanambi-BA Gracielle Silva Brito (UESB) Experiências e aprendizagens a partir do PIBID/EJA: relatos de uma bolsista. 21
  22. 22. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 SESSÃO 21 - 15:00 às 16:30 – Local: Sala 1 – PPGEDUC Mediador(a): Ana Cristina Silva de Oliveira Pereira (UNEB/DEDCXI) Ícaro Argolo Ferreira (PPGEISU/UFBA) A interdisciplinaridade como estratégia de integração e Rose Marie Vianna Prates Bassuma, flexibilidade no currículo: uma analise sobre a carreira (PPGEISU/UFBA) docente KarllaTiekoMoraesSasaki (PARFOR/UNEB) Atividades lúdico-criativas de origem afro-brasileira na Jociene Oliveira Vitória Nascimento alfabetização: experiências de professores-alunos de (PARFOR/UNEB) Pedagogia em Capela do Alto Alegre - Bahia LeomárciaCaffé de Oliveira Uzêda (UEFS) Estágio supervisionado em educação infantil como espaço de iniciação a docência: dilemas e desafios Mª de Cássia P. Brandão Gonçalves (UESB) A pesquisa como eixo estruturante da formação de professor Luziêt Maria Fontenele Gomes (UESB) num continuum de formação tecido entre professores experientes e professores acadêmicos Márcia Raimunda de Jesus M. da Silva Importância do curso de Braille para professores da educação (UNEB/ SEC-Serrinha) básica e alunos do departamento de educação do campus XI Marta Martins Meireles (UEFS/SEC- Serrinha) – relato de experiência Nélia de Mattos Monteiro(UNEB/ SEC-Serrinha) SESSÃO 22 - 15:00 às 16:30 – Local: Sala 4 – PPGEDUC Mediador(a): Rita de Cássia Magalhães de Oliveira (UNEB) Marli Araújo Teixeira (UNEB-XII) PIBID nas escolas da educação básica no ano de 2012, e 2013 na cidade de Guanambi–BA Mônica Moreira de Oliveira Torres (UNEB) Educação Superior e Educação básica: tecendo diálogos possíveis através dos cursos de Licenciatura da UNEB Rita de Cássia Magalhães de Oliveira Nas teias da inclusão: Sala de recursos multifuncionais (UNEB/SEC-BA) espaço de possibilidades educativas Rose Marie Vianna Prates Bassuma Novos paradigmas na docência da universidade e da escola (PPGEISU/UFBA) pública Ícaro Argolo Ferreira (PPGEISU/UFBA) Ruzicleide de Oliveira Santos (UNEB) A música e o desenho como potencialidades dinamizadoras Simone Santos de Oliveira (UNEB/PPGEduC) para o ensino de Geografia na educação básica 22
  23. 23. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 Resumos das Comunicações Individuais e Relatos de Experiência por Eixo Temático 23
  24. 24. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 Eixo I Educação básica, diversidade e profissionalização docente 24
  25. 25. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 POSTURAS E PRÁTICAS DOCENTES: A DIFERENÇA COMO PROCESSO DE FORMAÇÃO IDENTITÁRIA. Adelson Dias de Oliveira Cláudia Elizabete Cunha dos Santos Os aspectos gerais deste artigo configuram a problemática da construção identitária do profissional docente, se construindo dentro de um processo histórico através da legislação brasileira voltada ao âmbito educacional e por várias mudanças societárias. Aborda ainda os diversos arranjos formativos partindo dos aspectos da diferença para a configuração identitária, entrelaçado pelos aspectos que norteiam as posturas e práticas docentes, por fim delineando a diferenciação entre papel e identidade, permeada pelas errâncias do fazer docente. Ressalta ainda as discussões traçadas a partir dos elementos de diferença para a constituição identitária. Palavras-chave: Diferença. Identidade. Processo formativo. A IDENTIDADE NO ESPAÇO ESCOLAR DA COMUNIDADE DO MUCAMBO: NEGROS OU MORENOS? Ájila Brasileira da Cruz Marindiane Martins da Cruz Edson Carvalho de Souza O presente artigo apresenta reflexões e análises do Projeto de pesquisa desenvolvido na Escola Municipal Dr. Abílio Farias no Povoado do Mucambo localizado no Município de Barreiras, extremo oeste da Bahia. Teve como objetivo elucidar de que forma os seus sujeitos enfrentam as dificuldades mais frequentes decorrentes de discriminação racial, além de compreender de que maneira lidam com essas situações na construção de sua identidade pessoal, pretendeu-se apreender a maneira pela qual eles se constroem como sujeitos; compreender quem são e o que pensam, já que vivem numa espécie de “entre”, isto é, na fronteira entre o ser negro e o ser branco. Aborda sobre a importância da formação de professores e da competência para lidar com as questões étnicorraciais e sua importância para a formação cidadã. Se fundamentou na abordagem metodológica qualitativa tipo de campo, para a sua realização fizemos uso de questionário fechado e observação simples, conversas informais com registro no caderno de campo. Embasam este trabalho GIL (2008); SILVA (2000); FERREIRA (2000); MUNANGA (1999); PEREIRA (2012); MARCONI e LAKATOS (1986); MATOS e VIEIRA (2001); MINAYO (2010). Palavras-Chave: PIBID. Identidade. Formação de professores. Relações étnicas. Cidadania. DOCENTES ENFRENTANDO OS DESAFIOS DA ATUALIDADE: NOVAS TECNOLOGIAS, PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE E OS REFLEXOS CAUSADORES DO MAL ESTAR Alcione Pereira Santos de Souza Magnobaldo Alves Lisboa Norma Sueli dos Santos A presente pesquisa objetiva abordar os desafios da atualidade enfrentados pelos docentes, frente educação continuada assim como o seu relacionamento com as novas tecnologias e os reflexos que tem contribuído para o mal-estar deste profissional. O trabalho é resultado de uma revisão bibliográfica, realizada através de artigos, teses, dissertações, livros didáticos e outros recursos eletrônicos. Ao tomar conhecimento, através das informações coletadas, observou-se que em consequência das disputas e imposições existentes no meio educacional, o docente se encontra sujeito a adquirir o mal-estar. Este é um mal que tem afetado a saúde do educador nos dias atuais. A formação continuada é um processo contínuo de capacitação, que visa atender o público docente, preparando-os para os desafios existentes e com as Novas Tecnologias que adentraram nas instituições escolares, o professor sentiu-se obrigado a se adequar ao novo modelo do processo educativo. O 25
  26. 26. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 estudo visa propor uma melhoria na saúde dos educadores, abordando várias situações causadoras do malestar docente. Palavras-chave: Tecnologias na educação; formação contínua; fatores de indisposição docente. DA EDUCAÇÃO ESPECIAL À EDUCAÇÃO BILÍNGUE: NOVAS PERSPECTIVAS. Ana Conceição Alves Santiago O presente artigo analisa o percurso da Educação Especial, Educação Inclusiva e Bilinguismo a partir da sua historicidade e legislação, tendo como proposta um novo modelo educacional e um novo modelo de currículo como essenciais na construção, execução e efetivação de uma Educação Bilíngue, voltada para a educação de pessoas surdas priorizando assim, uma aprendizagem significativa e a valorização da sua língua, cultura e identidade. A intenção é questionar de que forma o Bilinguismo pode proporcionar uma aprendizagem efetiva para os alunos surdos. Analisando também, como esta proposta educacional e o currículo devem estruturar-se de forma a respeitar o surdo como um sujeito bilíngue. Sabe-se, porém, que este processo constitui-se como um desafio para os professores, os alunos surdos, e a sociedade como um todo. Sendo necessário, que todos os envolvidos neste novo modelo educacional, estejam preparados e capacitados de forma que as necessidades educacionais do surdo sejam respeitadas, bem como as suas especificidades. Palavras-chave: Educação Especial; Educação Inclusiva; Bilinguismo; Necessidades Educacionais. FORMAÇÃO DOCENTE E EDUCAÇÃO BÁSICA: TECENDO OS FIOS PARA UMA POLÍTICA PÚBLICA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL Ana Lúcia Gomes da Silva Gilson Alves Lima Olímpia Ramos Viana Gordiano A política de formação da educação básica e superior tem como objetivo estabelecer uma relação aproximada, uma interação entre os docentes da educação básica e superior no sentido de possibilitar uma permanente e contínua troca de saberes, experiências partilhadas e vivências do cenário educacional nos seus diversos níveis, modalidades, currículos, espaços e tempos. Nesse contexto, insere-se o programa PIBID como o grande entrelaçador dos níveis de educação básica e superior por meio práticas educativas cotidianas desenvolvidas no espaço da escola. Essa aproximação possibilita uma metodologia de pesquisa-ação que se (re)constrói nas reflexões coletivas, nas análises e perspectivas de mudanças significativas na implementação nas políticas públicas formadoras de docentes, de forma a atender qualitativamente o processo de ensino e aprendizagem. Como resultados parciais desta ação coletiva, apontamos algumas possibilidades de dinamização do currículo a partir do conjunto de medidas de referência adotadas pela rede estadual a partir dos Projetos estruturantes da Secretaria de Educação, que pela natureza dos mesmos dialoga com as atividades pedagógicas do PIBID e merecem um trabalho planejado conjuntamente com os coordenadores institucionais do PIBID nas universidades e a equipe da Secretaria de Educação através do Projeto de Monitoramento, Acompanhamento, Avaliação e Intervenção Pedagógica da Rede Estadual de Ensino (PAIP), bem como através do projeto de educação integral que se encontra em fase de implantação, no estado da Bahia. Palavras-Chave: Educação Básica. Educação Superior. Formação docente e Política de educação integral. 26
  27. 27. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 REFLEXÕES ACADÊMICAS SOBRE A OFERTA DA DISCIPLINA LIBRAS EAD NO CURSO DE PEDAGOGIA: PARA ALEM DA LEI, UM EXERCÍCIO DE CRIATIVIDADE E TRANSFORMAÇÃO. Antonio Cesar Ramos da Silva Jusceli Maria Oliveira de Carvalho Cardoso Luiz Carlos Jandiroba Neste artigo, abordamos sobre a experiência da oferta regular ,no curso de Pedagogia do CAMPUS XI, da disciplina LIBRAS cujo desenho, no formato semipresencial, tem uma sala de aula virtual, AVA, sala de aula presencial, no CAMPUS XI-UNEB, com docência compartilhada consolidando-se como experiência inovadora na oferta do componente exigido pela lei, mas que se configura como um avanço na formação acadêmica de Pedagogos.A oferta da disciplina LIBRAS iniciou-se no ano de 2010, quando a UNEB- GEDEAD- Gerencia de Educação a Distância, elaborou um desenho do componente curricular LIBRAS , em formato inusitado para a Bahia, em razão da dificuldade de professores habilitados em Letras Libras, ou mesmo com especialização em LIBRAS para ministrar no âmbito da Universidade o componente em questão.O projeto pioneiro se constituiu na oferta da disciplina, nos vários departamentos da UNEB, tendo a frente das atividades docentes presenciais que compartilham a ação pedagógica com uma equipe de docentes virtuais, habilitados em Letra Libras. A elaboração do Plano de trabalho é constituída de modo colaborativo, onde a equipe se reúne, em encontros técnicos para elaborar atividades, contando com ferramentas virtuais como: chat, vídeos conferencias, fóruns, slides e também atividades presenciais como: oficinas de LIBRAS, estudos de textos, trabalhos em grupo, debatendo sobre a identidade, a cultura surda e a LIBRAS.A experiência construída singulariza-se no caso do itinerário da oferta da disciplina no CAPUS XI, Serrinha onde há a articulação entre o Colegiado de Curso , o NUPE e o setor de Informática, que em ação colaborativa articulam suporte para a operacionalização exitosa das ações previstas no Ambiente virtual e no espaço de sala de aula presencial. Em linhas gerais a experiência tem sido avaliada e se consolidado como um exercício fecundo de diálogo com a realidade, evidenciando experiência exitosa e que tem contribuído de modo inovador com a gestão de um currículo formativo do futuro pedagogo, empenhado em superar o modelo de educação excludente em favor da consolidação da prática escolar inclusiva. Palavras-chave: LIBRAS. Pedagogia. Educação. inclusão. SAEM DE CENA O DATA-SHOW, A TELEVISÃO E A INTERNET E ENTRAM EM CENA O GIZ E A PEDAGOGIA DA PERGUNTA: UMA EXPERIÊNCIA NAS AULAS DE HISTÓRIA NO COLÉGIO ESTADUAL DE CONCEIÇÃO DO JACUÍPE-BA. Antonio Vilas Boas Num mundo cada vez mais caracterizado pela presença dos instrumentos tecnológicos, o presente trabalho traz o relato de uma experiência na qual tv, data-show, internet, vídeos, dentre outros artefatos são momentaneamente “excluídos” do universo das salas de aulas de História, dando lugar ao “tradicional” giz e à pedagogia da pergunta. Realizada no Colégio Estadual de Conceição do Jacuípe- CECJ, nas turmas da Educação de Jovens e Adultos e no turno noturno, a experiência possibilitou que os alunos, gradativa e coletivamente, escrevessem os seus próprios textos, tornando-se autores dos seus materiais de aprendizagem. Surgida em decorrência das carências existentes, a experiência com o giz e a pergunta não quer alimentar o desprezo aos componentes tecnológicos, sugerindo assim, que os professores devam trabalhar sem eles, mas apresentar uma outra possibilidade para o desenvolvimento das aulas. Palavras-chave: Escola. Pedagogia da Pergunta. EJA. 27
  28. 28. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 PROFESSORAS NEGRAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA: REFLEXÕES SOBRE TRAJETÓRIAS E TRAVESSIAS IDENTITÁRIAS Carla Cristina dos Santos de Jesus Este trabalho tece reflexões sobre a presença das mulheres negras na docência da Educação Básica. Chama atenção para a percepção identitária das mesmas no tocante as identidades de gênero e étnico-racial. O artigo aborda a necessidade de escutar as vozes dessas professoras, a partir de uma metodologia (auto)biográfica, e reflete sobre educação e identidade étnico-racial no Brasil a partir do significado do ‘ser professora negra’. Palavras-chave: professoras negras. Educação básica. Identidade. PENAR E SONHAR: DUAS FACES DOS JOVENS DA ESCOLA PÚBLICA. Cecília de Fátima Boaventura de Macêdo O presente texto traz em seu bojo a discussão corrente, porém inesgotável do ensino médio e suas interfaces na preparação dos jovens para o mercado de trabalho, destacando como estes percebem em seus contextos essa preparação e de que maneira aguardam esse momento. Percebemos que apesar de estarem cercados por questões e ações desestimulantes eles encaram o futuro com positividade. Palavras -chave : jovens. ensino médio. trabalho PRODUÇÕES DIDÁTICAS SOBRE TEMAS DA DIVERSIDADE: A BUSCA POR UMA PRÁTICA DOCENTE QUE RESPEITA A CONDIÇÃO DOS(AS) EDUCANDOS(AS) Claudia de Faria Barbosa Eliana Fiúza Ferreira Lívia Rosane M. P. Bastos Esta comunicação se insere no contexto de um curso à distância de Produção de Material Didático para a Diversidade desenvolvido pela Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia e promovido pela Universidade Aberta do Brasil – UAB do Ministério da Educação para docentes de escolas públicas do Estado da Bahia. Reflete-se sobre a diversidade no contexto escolar, a partir da questão geradora: como fazer o(a) aluno(a) compreender o(a) outro(a) que pensa, sente e comporta diferente daquilo que ele(a) imagina, vive e aprende como “certo” ”normal”e/ou “anormal”? A partir de questões dessa natureza, cursistas elaboram materiais didáticos, dentro de suas áreas de atuação, contemplando os temas da diversidade. Na dinâmica dessa produção emergiu um trabalho conjunto em torno de recortes diversos, contemplando problemáticas cotidianas. Esse artigo é fruto desse processo de construção, em uma singular combinação que tem por objetivo discutir temas da diversidade, apresentando práticas em relação ao processo de produção de material didático para diversidade no lócus da sala de aula. Palavras-chave: produções didáticas. Diversidade. Prática docente. ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARFOR: SABERES RECONFIGURADOS Cristiane Andrade Fernandes Eronilda Maria Góis de Carvalho Este artigo visa apresentar o trabalho desenvolvido no Programa de Ações Articuladas de Formação de Professores/PARFOR, do Curso Pedagogia -1ª Licenciatura, da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC, na 28
  29. 29. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 disciplina Estagio Supervisionado VI. O trabalho foi realizado com os alunos- professores que atuam nas áreas de abrangência da UESC, compreendidos] por (09) nove municípios. A metodologia proposta foi baseada na perspectiva freiriana do círculo de cultura ,durante o planejamento pedagógico na atuação no estágio de Coordenação pedagógica, tendo como tema gerador o diálogo sobre as questões relacionadas à escola: ou seja, situações limites observadas pelo aluno –professor, no seu cotidiano escolar, fundamentados nos estudos de ALMEIDA(2006), PLACO (2006), PIMENTA(2004), LUCENA(2004), ANDRÉ(2006), VIEIRA(2006) e FREIRE(1997). Como resultados conquistados pelos alunos- professores, destacou –se a reflexão concernente à organização do trabalho pedagógico desenvolvido nas escolas onde atuam, tendo a oportunidade de vivenciar o espaço da coordenação pedagógica, onde puderam ressignificar seus saberes docentes. Palavras chave: Estagio Supervisionado; Coordenação Pedagógica ; Saberes NÓS QUE AQUI ESTAMOS POR VÓS ESPERANDO: EQUIDADE, DIVERSIDADE E EDUCAÇÃO Daniela de Jesus Lima A presente comunicação discute a concepção etnocêntrica de equidade educativa que historicamente impera na educação brasileira. Com esse intuito, analisa as perspectivas epistemológicas acerca do conceito da diversidade, discutindo-o a partir das desigualdades existentes no processo socioestrutural, a fim de elucidar as formas pelas quais a diversidade tem sido transformada em desigualdades que redundam em discriminações que afetam o direito dos coletivos diversos à educação. Por fim, situa a visão marginal desses sujeitos, no âmbito do sistema escolar como fruto do processo histórico, político, cultural e pedagógico para argumentar a favor de um currículo estruturado a partir da história de marginalização que condicionou e que condiciona o direito destes à humanização, ao ser mais. Palavras-Chave: Educação, Equidade e Diversidade. A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA COMO PRÁTICA FORMATIVA DOS EDUCANDOS E PROFESSORES: REFLEXÕES ACERCA DA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS Dinalva de Jesus Santana Macêdo O presente ensaio tem o propósito de relatar algumas iniciativas desenvolvidas através do projeto de extensão coordenado por mim, intitulado: Educação das Relações Étnico-raciais e a Lei 10.639/03: desafios e possibilidades para a promoção de uma educação anti-racista, vinculado ao departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia, Campus XII, Guanambi-BA. Propus desenvolver esse trabalho com o intuito de auxiliar na formação dos acadêmicos, a partir do terceiro semestre dos cursos de licenciaturas, egressos, bem como professores da educação básica, no tocante à educação das relações étnico-raciais. O referido projeto teve como objetivo geral fomentar estudos e práticas sobre a Lei 10.639/03, que torna obrigatório o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana nos currículos dos estabelecimentos de ensino públicos e particulares da educação básica. As atividades se desenvolveram mediante grupo de estudos, palestras, seminários e oficinas. Os resultados evidenciaram contribuições significativas na formação acadêmica dos graduandos, bem como da professora formadora, alunos e professores da educação básica, nos suscitando a importância de engajarmos num trabalho que ajude a combater o preconceito e a discriminação presentes na escola e na sociedade. Para tal empreitada, é urgente investir na formação inicial e continuada de professores para a educação das relações étnico-raciais. Palavras Chave: Educação, Lei 10639/03, extensão universitária e prática formativa. 29
  30. 30. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA FILARMÔNICA DOIS DE JULHO EM MARAGOGIPE: UM ESTUDO DE CASO Eder dos Santos Oliveira Aline Cruz Rodrigues Oliveira O presente artigo visa compreender a história dos agentes sociais envolvidos no processo educacional da Instituição “Filarmônica Dois de Julho” a partir de um Estudo de Caso fundamentado nas vivências junto à mesma. Assim, busquei fundamentar-me em entrevistas e conversas informais com agentes envolvidos no processo educacional da entidade, visando aprofundar conhecimentos históricos e pedagógicos. O objetivo principal dessa pesquisa é investigar quais as formas de ensino que são utilizadas, trazendo à tona informações e reflexões sobre a prática pedagógica e musical na Filarmônica Dois de Julho. Palavras chave: Filarmônica; História; Ensino Musical. ESCUTAR É PRECISO1: DESAFIOS DA DOCÊNCIA NA CONTEMPORANEIDADE Edileide Maria Antonino da Silva Sara Menezes Reis Esta proposta investigativa emerge da necessidade de ampliar e garantir espaços de viabilização da escuta na formação docente no contexto contemporâneo, entendendo este recorte temporal como o momento em que estamos inseridos e que é repleto de peculiaridades. Uma época em que é cada vez mais elevada a posição individualista dos sujeitos, em detrimento do coletivo, do respeito e da escuta ao (s) outro (s) (Bauman, 2005). Compreendendo a escuta a partir de dois desdobramentos- a escuta de si e a escuta psicanalítica- a pesquisa tratará da relevância deste processo- o de escutar o outro, particularmente o sujeito professor- nos contextos dentro e fora da escola. Esta pesquisa tem como objetivo investigar o lugar da escuta no conhecimento de si e do outro, apresentando a vertente denominada escuta pedagógica. Apresenta um trabalho (e seus resultados/desdobramentos) que foi desenvolvido pelas pesquisadoras, que também são professoras, em parceria com oito docentes e educadores sociais de escolas da Rede Municipal de Salvador, a partir de encontros mensais realizados com os mesmos. Dialoga com autores diversos [como Souza (2006), Nóvoa (2010), Ornellas (2008) e Bauman (2005;2009)], cujas propostas articulam-se para a construção desta pesquisa, aqui circunscrita como fornecedora de pistas para outras tantas que ainda surgirão. Palavras-chave: escuta. Docência. Formação. CONTRIBUIÇÕES DA AÇÃO DOCENTE NO ENSINO DA GEOGRAFIA NO 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE FEIRA DE SANTANA. Edivânia Cordeiro de Sousa Priscila dos Santos Silva Miranda Esta pesquisa de cunho qualitativo compreende o resultado de algumas observações realizadas numa escola no município de Feira de Santana, bem como entrevista com a professora, cujo objetivo era observar e descrever a pratica docente no ensino da geografia no 7º ano do ensino fundamental, correspondente ao ciclo III, ressaltando sua intenção ao ensinar a geografia e quais são seus recursos utilizados nas aulas. O resultado deste trabalho nos faz perceber que a docente exerce uma prática humanista, entendo a geografia como uma disciplina que possibilita ao aluno enxergar-se como construtor da sociedade. A mesma admite utilizar o livro didático, quadro, giz e algumas imagens para desenvolver suas aulas. Para fundamentar este trabalho, foram consultados os PCNs de Geografia, Ludke (1986), Neves (1996), Passini (1994) além de algumas leituras que serviram como suporte para esta produção. Palavras-chave: Prática docente. Ensino Geográfico. Aprendizagem. 1 Alusão ao título do livro de Mário Osório Marques (2006), Escrever é preciso: O princípio da pesquisa. 30
  31. 31. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 A QUESTÃO DO GÊNERO E AS IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS PARA A EDUCAÇÃO FÍSICA Eliane Dolce Guerriero Este trabalho tem por objetivo discutir a questão do gênero nas aulas de Educação Física a partir de um percurso de aprendizagem aplicado na 7ª série do Ensino Fundamental da E. E. “Profº Mário Casassanta” (Diretoria de Ensino Centro-Sul, São Paulo) com base em um documento espanhol intitulado Guia PAFiC (“Promoción de Actividad Física para las Chicas”, Fernandèz, 2008) que sugere diversas estratégias de intervenção, em três âmbitos diferentes: 1. área curricular de Educação Física; 2. atividades físico-esportivas extracurriculares; e 3. entorno escolar. Apesar de considerar apenas um dos conteúdos possíveis da Educação Física Escolar (o guia não tem pretensões curriculares, e sim objetiva a promoção da atividade física), é possível aproveitar as ideias e refletir sobre currículo hegemônico, estereótipos de gênero, práticas excludentes e a negação das possibilidades de interação com as manifestações da Cultura de Movimento nas aulas. Palavras-chave: gênero. Implicações pedagógicas. Educação física. LUDICIDADE, UMA ANÁLSE DA PRODUÇÃO MONOGRÁFICA NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UESB/ITAPETINGA Elson de Souza Lemos Sandra Pereira de Oliveira O presente artigo apresenta as concepções de Ludicidade nas produções monográficas dos discentes do curso de Pedagogia da UESB/Itapetinga, e tem como objetivo analisar a concepção de ludicidade presente nas monografias produzidas no período de 2003 a 2008 pelos alunos do Curso. Diante de tantas falácias envolvendo as questões lúdicas no contexto educacional, “taxado” como um elemento fácil e “batido” percebe-se a necessidade de estudar essas práticas que se definem como Lúdicas nas produções monográficas dos alunos do curso de pedagogia. Amparado pelos pressupostos teóricos da complexidade e da multirreferencialidade considero a presente pesquisa como de natureza qualitativa, que aborda, no seu referencial, a dimensão dialógica e dialética no seu procedimento estratégico, procurando compreender a realidade como um todo, e como instrumento de pesquisa deste estudo, optou-se pela análise documental, escolhido por se considerar, que por meio dele poder-se-á melhor atingir os objetivos desta investigação. Como resultado o estudo permitiu verificar que as monografias em estudo consegue articular de maneira coerente o conceito de ludicidade, no entanto, mantem o viés da repetição e da não novidade, oscilando ora na ludicidade como ferramenta pedagógica, ora como linguagem, quando não realizando uma confusão entre as duas. Espera-se com esse estudo possibilitar uma reflexão no campo Lúdico para todos os profissionais da Educação, tanto para os que estão atuando como os que estão ainda no processo de formação, para uma melhor compreensão do seu conceito e um melhor exercício na prática. Palavras-chaves: Lúdico. Trabalhos Monográficos. Formação Docente. PROFISSIONALIZAÇÃO DE PROFESSOR(A): A QUESTÃO DA DOCÊNCIA EM TEMPOS DE MUDANÇA Emanuelle Nunes Mota Antônio Vital Menezes de Souza Vinícius Silva Santos Este artigo tem como objetivo articular a profissionalização de professor(a) ao universo complexo da docência como conceito relevante na produção do conhecimento pedagógico. Entende-se que a docência se desenvolve e se constrói mediante o conjunto de enfrentamento e dialogia com problemáticas, cenários, interatuações e experiências vividas pelo professorado no interior da gestão pedagógica de espaços educativos, não restritos ao ambiente escolar. Nesses termos, existe uma indissociabilidade entre profissionalização de professor(a) e o desenvolvimento da docência. Conclui-se que a multidimensionalidade que envolve o conceito de docência permite aos educadores o exercício contextualizado da profissão de professor(a) em tempos de mudanças e crises, tanto nas estruturas societárias, quanto na natureza, funcionalidade e legitimidade de conhecimentos produzidos historicamente. Palavras-chave: Professor(a). Profissionalização. Docência 31
  32. 32. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE: SABERES E COMPETÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA DOCÊNCIA Franciele Santos Lima Norma Sueli Dos Santos Objetivamos analisar a relevância da aplicação dos métodos teóricos na prática do trabalho docente. O presente artigo aborda estudos referentes a pesquisas realizadas ultimamente por muitos teóricos que discutem sobre os saberes necessários para melhoria da prática do professor tentando aperfeiçoar o processo de ensino- aprendizagem. Como resultado desses estudos, torna se possível evidenciar soluções para melhoria e valorização do saber desses profissionais e do desenvolvimento de sua prática. Assim os resultados apontam que ser professor não exige somente experiência e técnicas de aprendizagem teórica como também comprometimento com a educação, ter identidade docente, inventividade e capacidade para enfrentar problemas que ocorrem no âmbito escolar. Além de ser critico e reflexivo entre a sua realidade e a do aluno. Nesse sentido almeja-se, possibilitar aos professores um olhar reflexivo sobre sua profissionalização abordando possibilidades de melhoria em suas práticas cotidianas a partir de métodos teóricos essenciais para o processo de ensino aprendizagem. Palavras-chave: Trabalho docente; Saberes da Formação; Prática Educativa EXPANSÃO DO INGLÊS NO MUNDO E NA ESCOLA POR ORDEM DA CULTURA Fransigelma Lobo da Silva Risonete Lima de Almeida O presente artigo apresenta reflexões sobre o desenvolvimento da consciência cultural crítica, a partir da problematização da expansão da língua inglesa e o ensino de cultura nas escolas. A discussão traz o panorama do processo de ensino e aprendizagem, tomando como referência a postura do professor de língua inglesa. A problemática se estabelece a partir da influência do inglês no mundo, e implicações linguísticas e culturais para o âmbito educacional. Palavras-chave: Ensino e aprendizagem. Cultura. Inglês no mundo. A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: ENTRE O DISCURSO OFICIAL E A CONSTRUÇÃO DO SER/FAZER-SE PROFESSORA2. Fulvia de Aquino Rocha Elizeu Clementino de Souza O presente artigo apresenta a problemática em torno da formação de professores da educação básica que em meio ao conteúdo dos documentos oficiais, permanece sem a devida valorização e sem garantir que a complexidade dos percursos formativos desse segmento docente seja validada. Analisa ainda que a complexidade curricular dos cursos de formação inicial não raro é trabalhada durante o processo de formação pela amplitude de atribuições e áreas do conhecimento que mobiliza. Discute, também a partir dos conteúdos oficiais, a necessidade da articulação entre a formação inicial e continuada, discussão que por vezes parece 2 Este artigo é um desdobramento de um dos capítulos teóricos da pesquisa de mestrado intitulada: “Histórias de Vida de professoras Alfabetizadoras Espaços de Vida-Formação”, por esse motivo adota-se o feminino “professoras” no texto. 32
  33. 33. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 desnecessária pela ideia de que ambas não se desvinculam, e que, entretanto explicita a supervalorização da formação continuada, tendo em vista a variedade de programas de formação continuada implementados, o que desvela ainda na contemporaneidade a ausência de políticas que foquem nas raízes reais dos problemas. A deficiência na concepção e articulação das formações gera problemas na construção da profissionalização docente. Sendo fruto do desenvolvimento da pesquisa de mestrado que teve por objetivo analisar como as histórias de vida de professoras alfabetizadoras revelam a escolha pela docência utilizando-se das entrevistas narrativas, o presente texto traz a defesa de que novas concepções de formação necessitam ser empreendida tendo por base os conhecimentos docentes advindos da experiência. Aborda o trabalho com as histórias de vida-formação como elemento potencializador na formação de professores, capaz de mobilizar conhecimentos não considerados em outras perspectivas de formação e cruciais na construção pessoal/profissional do sujeito professor, ao revelar um conhecimento de/para si de como cada um se torna o que é. Palavras-Chave: Educação Básica; Formação de Professores; Profissionalização; Histórias de Vida. FORMAÇÃO DE PROFESSORES RURAIS : UM OLHAR DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO USO DAS TECNOLOGIAS EM ESPAÇO RURAL Geisa Arlete do Carmo Santos Natalina Assis de Carvalho Silvano Sulzart Oliveira Costa A pesquisa buscou traçar uma discussão sobre a relação da práxis docente de professores da educação básica no uso das tecnologias em espaço rural e como se configuram as práticas de formação dentro desse contexto contemporâneo no município do interior da Bahia. Assim, verificou o reflexo da contemporaneidade nos espaços rurais e na práxis do professor da educação básica, onde ainda prevalece dificuldades ao lecionar, por conta da formação inicial e continuada ser fragilizada. Tomo as narrativas escritas de professores da educação básica como perspectiva metodológica, mediante a abordagem autobiográfica, por configurar-se como uma metodologia do conhecimento de si e sobre o trabalho, possibilitando os professores refletirem sobre suas práticas e o uso das tecnologias na sala de aula. Através das leituras e discussões pude constatar as dificuldades que os professores da educação básica enfrentam em sua prática pedagógica com uso das tecnologias, pelo fato de possuírem uma formação continuada fragilizada para trabalharem com os sujeitos rurais. Palavras-chave: A Prática e as tecnologias no ambiente rural; Narrativas autobiográficas; Formação de professores. RELAÇÕES DE GÊNERO, DIVERSIDADE SEXUAL E CURRÍCULO ESCOLAR: DISCUSSÕES NA CONTEMPORANEIDADE. Jefferson da Silva Moreira O presente estudo, oriundo de discussões sobre aspectos referentes ao campo do currículo escolar, versa sobre questões contemporâneas que merecem ser contempladas nas problematizações que constituem tal campo de estudos. Os argumentos desenvolvidos no texto foram feitos com base nas teorias pós-críticas do currículo, tendo também como fundamentação teórica os textos de NUNES (2006), LOURO (2000, 2010), GIROUX e TADEU (2011), ABRAMOVAY, CASTRO E SILVA (2004). As investigações na literatura produzida sobre o tema apontam que a escola ainda se constitui como um espaço reprodutor das relações de gênero historicamente construídas sobre as construções sociais do ser homem ou mulher. Não contemplando também dentro de sua abordagem, questões referentes às diversidades sexuais, aspectos que se constituem, tanto no currículo oficial das instituições, quanto no currículo oculto. É feita também, neste artigo, a análise das imagens de um livro de história das séries iniciais, sobre a abordagem do conceito de família. O trabalho ainda aponta a falta de formação adequada dos profissionais da educação para trabalhar as questões referentes à opressão de gênero no âmbito educativo. Palavras chaves: Educação; Currículo; Gênero; Formação de professores. 33
  34. 34. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 JOGAR E APRENDER: CONTRIBUIÇÕES DOS JOGOS TEATRAIS NO ENSINO DE TEATRO NA ESCOLA ESTADUAL ADROALDO RIBEIRO COSTA. Joane Macieira dos Santos Clotildes Cazé Fábio Dal Gallo Este trabalho refere-se a uma pesquisa qualitativa, desenvolvida a partir de observações, registros escritos, fotográficos e análise das aulas de teatro aplicadas por mim, enquanto bolsista do Programa de Incentivo a Iniciação Docência-PIBID, no subprojeto, Teatro Educação Meio Ambiente e Arte, de setembro de 2012 a julho 2013. E esta pesquisa aponta avanços nos resultados das práticas de ensino de teatro, revelando contribuições, desafios e entraves encontrados para ministrar aula de teatro usando os jogos teatrais, ainda que de uma forma geral a utilização dos jogos teatrais, jogos dramáticos possibilitem aquecimento, ativando o corpo para a aula, estimulando a criatividade e inventividade, há outros fatores importantes a ser apresentados nesta pesquisa. Os dados aqui encontrados foram resultados de um diálogo, um amparo teórico, com Cipriano Luckesi (2000), que escreve sobre educação e ludicidade e defende “brincar”, “agir” e “jogar” ludicamente, e segundo ele, é necessário a uma entrega do corpo e da mente ao mesmo tempo, Heloisa Dantas (1998), que diferencia os termos “jogos”, “brincadeiras” e ludicidade a partir sentido epistemológico e suas convenções às praticas contemporâneas, e Ricardo Japiassu (2001), que se posiciona a respeito da educação na dala de aula e a utilização de jogos teatrais e dramáticos no ensino de teatro, e Viola Spolin, pioneira na elaboração de proposta de jogos teatrais no ensino de teatro na sala de aula. Palavras chave: Teatro, educação, jogos teatrais, ludicidade. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NAS SÉRIES INICIAIS: REFLEXO NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Josimara Nascimento Santos Pereira Erica Dias Lima Alves Ennia Débora Passos Braga Pires Esta pesquisa tem como objetivo investigar as concepções e práticas dos professores, referente à avaliação da aprendizagem no ensino fundamental das series iniciais e saber de que maneira esta modalidade acontece nas escolas, como também a sua contribuição para eficácia do processo ensino aprendizagem dos alunos em formação. A metodologia utilizada corresponde a uma revisão bibliográfica de cunho qualitativo, realizada através da leitura de artigos, teses e dissertações acadêmicas. A avaliação por ser um processo abrangente, reflexivo e dinâmico, requer flexibilidade e muita cautela por parte de quem a faz, com isso é preciso traçar métodos e estratégias que viabilizem essa prática de forma coerente, possibilitando renovação quando necessária. O processo avaliativo deve ser realizado numa perspectiva transformadora, privilegiando o conhecimento do aluno e oportunizando o seu empenho em aprender o novo. Dessa maneira, o professor interage com a realidade que o cerca, prioriza valores já existentes e dá lugar a imaginação, considerando a avaliação algo positivo e que contribui de forma favorável para o desenvolvimento educativo, atendendo com êxito a diversidade existente no âmbito escolar. A criança ao ingressar na escola não será apenas conduzida, mas respeitada na sua individualidade e capacidade de aprender. Sendo assim, contribuirá na formação de cidadãos éticos, responsáveis e críticos na construção de uma sociedade melhor. Palavras-chave: Diversidade. Ensino aprendizagem. Práticas avaliativas. 34
  35. 35. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 BRINCAR: UMA FORMA DE APRENDER Liliam Fernandes de Castro da Silva Meiriane Barbosa Pinheiro Gomes Elipaula M. C. Carvalho Este artigo traz no seu escopo a reflexão sobre o brincar como ferramenta para aprendizagem, enfocando a utilização dos jogos e brincadeiras contextualizadas neste processo. Como esteio traz a experiência das atividades realizadas junto à Disciplina Prática Pedagógica II (Ludicidade), no curso de Pedagogia da Faculdade Maria Milza, realizada na Escola Hipólito Lima de Oliveira da rede Municipal de ensino, na cidade de Cruz das Almas- BA, nos dias 13 e 14 de maio de 2013, junto aos alunos do 4ºano do Ensino Fundamental. Foram aplicadas intervenções de forma interdisciplinar, envolvendo procedimentos metodológicos lúdicos junto as disciplinas de Português, Matemática, Geografia, Ciências e História, afim de identificar o comportamento, os conflitos e as dificuldades do trabalho pedagógico fazendo uso das atividades lúdicas como ferramenta para aprendizagem, favorecendo as crianças a oportunidade de relacionarem entre si e com a escola de forma agradável, além de resgatar valores da infância. Para tanto utilizou-se da pesquisa ação como procedimento metodológico. Como referencial teórico valeu-se de Carvalho (2010), Maluf (2009), Dallabona (2004), Dallabona e Mendes (2004), Kishimoto (1997) entre outros. Os principais resultados apresenta a experiência educativa no contexto pedagógico, apontando nesta mediação a ludicidade como ferramenta potencial de aprendizagem significativa, demonstrando que é possível a contextualização dos conteúdos de aula junto as mesmas. Também percebeu-se que os principais conflitos e dificuldades apontadas nesta mediação encontram-se no corpo docente em elaborar atividades contextualizadas com este fim, em função da falta de tempo disponível para pesquisa e prática. Por outro lado, foi possível perceber que estas ações enriqueceram o universo lúdico infantil garantindo prazer e motivação em estar na sala de aula, no sentido de fortalecer o desenvolvimento cognitivo, afetivo e cultural das crianças envolvidas. Palavras-chave: brincar. Aprender. Docência. DIVERSIDADE, CULTURA E INTERCULTURALIDADE: UMA ANÁLISE NOS CICLOS DE FORMAÇÃO HUMANA EM ITABUNA Lilian Lima Pereira Tania Sampaio Dias A escola brasileira há muito recebe críticas acerca de sua distância do mundo infantil e da adolescência. Contudo, a escola ainda se apresenta como o espaço, por excelência, para a mediação do conhecimento. Não é tarefa das mais fáceis adentrar em uma seara onde se apresentam inúmeras divergências e sempre que a temática tem como cerne a escolaridade em ciclos, a polêmica se faz presente. As propostas de Ciclos tem sido uma opção buscada por várias cidades brasileiras. Nesse contexto, encontra-se Itabuna, cidade localizada na região sul da Bahia/Brasil. Com o objetivo de situar como a diversidade, a cultura e a interculturalidade são contextualizadas nos Ciclos de Formação Humana, implantados na Rede Municipal de Ensino em Itabuna, a partir de 2002, este trabalho tem como questão central: como se caracterizam a diversidade, a cultura e a interculturalidade no Regimento Referência que legitima o modelo de Ciclos de Formação Humana na Rede Municipal de Itabuna? Realizamos para tanto uma análise do principal documento orientador dos ciclos em Itabuna, o Regimento Referência da Escola Grapiúna, e o diálogo com autores como Giroux (1997), Arroyo (2009), Gimenez (2007), Forquin (1993), Costa (2008), Canclini (2006), dentre outros. Assim, o debate gira em torno da inserção da diversidade, da cultura e sua vinculação às políticas educativas que a sedimentam. Os dados analisados apontam para a dificuldade de compreensão dos docentes em relação as práticas docentes que trabalham com a diversidade, a cultura e a própria interculturalidade como dimensões necessárias no âmbito escolar, assim como para a ausência de articulação entre o aporte teórico que sustenta o modelo e o efetivo trabalho com tais temáticas. Os estudos provenientes da disciplina Educação e Cultura do mestrado em Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS e as discussões realizadas na Comissão Mista, instituída pela Resolução CME 23/05 e Portaria 004/08 da Secretaria Municipal da Educação de Itabuna, que 35
  36. 36. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 trata sobre o trabalho pedagógico acerca das questões étnico-raciais no currículo escolar, foram os contextos de onde emergiram as reflexões que originaram este artigo, que se articula com o eixo Educação básica, diversidade e profissionalização docente, proposto pelo I Colóquio Docência e Diversidade na Educação Básica – a profissão docente na contemporaneidade, organizado pelo Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade, oriundo da Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia – UNEB. O esforço é compreender como eles são percebidos e vivenciados na escola por professores na atualidade. Palavras-chave: diversidade. Cultura. Interculturalidade. A CONSTRUÇÃO DA PROFISSIONALIDADE DOCENTE NOS CURSOS DE LICENCIATURA DO IFBA-VALENÇA Lúcio André Andrade da Conceição Taize Carvoso de Sousa Este projeto trata de uma pesquisa exploratória, ainda em fase inicial, com o objetivo de analisar o processo de construção da profissionalidade docente nos cursos de licenciatura do IFBA- campus Valença. A pesquisa se pautará em estudos sobre epistemologia da pratica docente, trazendo autores como Geraldi (1998), Shon (2000), Tardif(2002), Tardif e Lessard (2005), dentre outros. Esta é uma das tendências na pesquisa sobre formação de docentes, de destaque na contemporaneidade, cuja análise da docência e sua profissionalização, parte da pratica na direção de teorizações possíveis. A importância desta pesquisa no âmbito do IFBA se dá pela necessidade criar melhores condições para consolidação dos cursos de licenciatura no instituto. A pesquisa, a principio, combinara três etapas desde a coleta e até a análise dos dados. A primeira etapa, de natureza qualitativa, será de entrevistas com os docentes, através da perspectiva metodologia das narrativas autobiográficas sobre as praticas que desenvolvem e os saberes que acessam quando em sala. A segunda etapa será de natureza quantitativa e terá como foco os estudantes. Nesta etapa utilizaremos questionário para sondagem entre os estudantes. A terceira etapa será qualitativa, de análise das representações sociais presentes nas narrativas autobiográficas dos estudantes que selecionaremos. Palavras-chave: profissionalidade docente. Licenciatura. Representações sociais. PELOS CAMINHOS DA EDUCAÇÃO E DO LAZER: REFLEXÕES A PARTIR DA AMPLIAÇÃO DE ESPAÇOS FORMATIVOS DE APRENDIZAGEM Mailane Vinhas de Souza Bonfim Este artigo consiste em apresentar reflexões sobre a temática do lazer e sua influência no processo educacional. O objetivo central foi pesquisar a problemática do lazer e sua relação com a escola, privilegiando como núcleo da investigação a prática educativa denominada de passeios ou aulas de campo, que se configuram na ampliação de espaços formativos de educação. A luz de uma abordagem qualitativa, a estratégia metodológica utilizada pela pesquisa foi um estudo de caso com a utilização da observação; o uso de entrevistas com os professores; e de grupos focais com os alunos da educação básica da escola pesquisada. As reflexões feitas neste estudo conduzem a conclusão de que a relação ensino/aprendizagem pode ocorrer em diversos espaços de socialização, e que o lazer pode ser compreendido como um elemento mediador, contribuindo para o desenvolvimento cognitivo, pessoal e social do aluno. Palavras-chave: Educação; lazer; aulas-passeio. 36
  37. 37. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 OS DESAFIOS DA GESTÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO E AS IMPLICAÇÕES NA ATUAÇÃO DOCENTE Makson Ivaldo Castelo Silva Francisco de Assis Oliveira Alencar O presente artigo resulta de uma pesquisa que objetiva investigar os desafios da gestão escolar no contexto da sociedade do conhecimento e as implicações na atuação docente. Tal pesquisa serviu de base para discussões sobre o referido tema, sendo articulada com o referencial teórico disponível que possibilita uma fundamentação acerca da formação continuada para os dirigentes escolares. O processo metodológico teve uma abordagem quantitativa, discorrendo sobre o dinamismo social e as mudanças na escola, as funções do gestor escolar em uma sociedade dinâmica, as contribuições da formação continuada para os gestores educacionais, e os desafios enfrentados pelos gestores escolares diante da demanda de alunos no contexto da contemporaneidade. Posteriormente são analisados os formulários, aplicados com quatro gestoras, correspondente a quatro escolas localizadas no recôncavo baiano e em Imperatriz - MA que oferecem desde a educação infantil ao ensino médio. Através da pesquisa de campo foi possível caracterizar o perfil dos gestores, identificando as necessidades formativas da equipe gestora e levantando possibilidades para melhoria dos processos de gestão das unidades escolares investigadas. Os dados dos formulários evidenciaram que a formação dos gestores é deficitária diante da demanda social e que precisa ser mais valorizada pelos sistemas de ensino, as gestoras evidenciaram estar conscientes das mudanças sociais que provocaram um foco direto no conhecimento e entendem que a escola está sendo pressionada pela sociedade, além de aceitarem que a formação continuada do gestor escolar implica na melhoria do ensino promovido pela escola e no direcionamento adequado dos professores. Palavras-chave: Formação continuada. Gestão Escolar. Sociedade do Conhecimento. Atuação Docente. POR UM NOVO OLHAR SOBRE AVALIAÇÃO ESCOLAR: O PROCESSO EDUCACIONAL NAS AULAS DE TEATRO Marco Aurélio Calil Barreto da Silva Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de estudo de caso, que visa analisar a prática da avaliação escolar no processo de aprendizagem dos alunos nas aulas de teatro. Questiona o modelo vigente da avaliação escolar e sua aplicabilidade nas aulas de teatro, propondo outras possibilidades de se avaliar, que não estejam baseadas unicamente na atribuição de notas concedidas aos alunos, reforçando as práticas “bancárias” de ensino. O trabalho busca através da avaliação mediadora um caminho para uma prática da avaliação escolar de forma processual e dialógica para um novo olhar da avaliação da aprendizagem escolar em teatro. Palavras-chave: Teatro, Educação, Avaliação Escolar. O PAPEL DA ESCOLA NA VALORIZAÇÃO DA IDENTIDADE NEGRA ENTRE OS ESTUDANTES Ana Darque Oliveira dos Anjos Franciele Basílio de Souza Maria de Fátima França dos Santos Edson Carvalho de Souza Santana (orientador) Este presente artigo tem como objetivo apresentar dados coletados em uma escola municipal da cidade de Barreiras-Ba, sobre a valorização da identidade negra, bem como fazer uma relação entre as informações obtidas com os professores com as dos alunos. Esta pesquisa ocorreu durante atividades realizadas no PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência). O artigo inicia-se com uma síntese sobre o que é o PIBID, conceitua identidade, faz uma breve introdução da histórica dos negros, em seguida discute a importância da construção da identidade, discorre sobre o papel do professor na construção da identidade 37
  38. 38. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 negra, para finalizar apresenta os dados coletados, fazendo uma análise dos mesmos. Com o resultado da pesquisa fica claro que para o aluno valorizar a sua identidade, faz-se necessário conhecer a sua cultura e esta deve ser trabalhada no âmbito escolar. Os resultados da pesquisa mostram que as atividades desenvolvidas pelo o PIBID estão contribuindo de forma significativa, na construção e valorização da identidade negra dos alunos da escola Dr. Abílio Farias. Para a realização deste trabalho elegemos a pesquisa do tipo de campo de abordagem qualitativa. Palavras-chaves: PIBID; Identidade; Educação; Papel do professor; Mucambo. EDUCAÇÃO, INCLUSÃO SOCIAL E OS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) Marinalva Batista dos Santos Neves Nívea Maria Fraga Rocha Um desafio decorrente da contemporaneidade é incluir as pessoas e organizações digitalmente. Este artigo tem como objetivo geral: discutir a inclusão digital docentes na Educação básica, através das TIC. Como objetivos específicos, pretende-se: apresentar o processo educativo através de nuanças da globalização, contextualizando a formação dos professores no aspecto da transdisciplinaridade. A opção metodológica foi a da pesquisa bibliográfica e documental. Constatamos que a globalização trouxe novos desafios à sociedade e que o uso das TIC poderá promover a inclusão social através da ação educativa. Concluímos que se torna necessária uma formação docente que promova o acesso as TIC ultrapassando os limites da técnica. Palavras-chave: Inclusão Digital; Sociedade da Informação; Transdisciplinaridade; Educação. IMAGENS DO NEGRO EM LIVROS DIDÁTICO Marivalda Quintiliana Silva O presente trabalho analisa a maneira pela qual o negro é representado nos livros didáticos, especialmente os de Língua Portuguesa e História; salientando que muitos desses livros apresentam estereótipos em relação ao negro e possuem forte influência no âmbito educacional, afetando a vida dos alunos ainda em processo de formação identitária. Neste trabalho, serão, então, expostas discussões acerca do negro e sua representação na sociedade desde épocas remotas e analisados textos verbais e não-verbais que apresentam o negro como personagem, de forma a identificar a presença de fatores discriminatórios nas obras didáticas. Aponta-se, por fim, a necessidade da formação de um leitor-cidadão para interferir significativamente na sociedade. Palavras-Chave: Negro, Livros didáticos, Formação indenitária. DIÁLOGOS ENTRE SABERES E PRÁTICAS: O QUE PODE SER (RE) VELADO NO/PELO COTIDIANO DE UM CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL Maurícia Evangelista dos Santos A lei 9.394/96 foi um marco para as mudanças tangentes à concepção de Educação Infantil enquanto espaço que se limitava a assistência para um ambiente que contemplasse as práticas pedagógicas da educação formal. Com esta mudança houve uma reestruturação nas políticas educacionais voltadas ao atendimento das crianças de 0 a 5 anos, nos espaços de educação formal, refletindo, consequentemente nas políticas de formação das profissionais para atuar na Educação Infantil. Nesse novo contexto político emerge os processos de municipalização da Educação Infantil impulsionada pela política de descentralização da gestão deste nível de ensino, através da Emenda Constitucional 143, de 12 de setembro de 1996, que criou o Fundo de Manutenção 38
  39. 39. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério (Fundef) e a aprovação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394, de 20 de dezembro de 1996. É com base nesse contexto que se insere o presente trabalho cujo objetivo é investigar a relação entre os saberes e as práticas que compõem a atuação das auxiliares de desenvolvimento infantil-ADI e das professoras no cotidiano de um Centro Municipal de Educação Infantil-CMEI em Salvador/BA, a partir das interações entre auxiliares e professoras, tendo como referência as especificidades das suas práticas e os intercâmbios sociais, permeados por crenças, valores e significações construídas no cotidiano do trabalho. A pesquisa coloca em discussão as relações entre a formação acadêmica das professoras e a atuação prática das auxiliares de sala. Neste momento, é trazido para o debate as questões relacionadas ao cuidar e educar, além de colocar em pauta o cotidiano da instituição como espaço onde emergem as relações de poder, os sentidos e os modos pelos quais cada profissional significam suas práticas e seus saberes. Para atender tais objetivos o desenho metodológico da pesquisa de cunho qualitativo, apoiado na abordagem teórica-metodologica da Rede de Significações (RedSig), segue organizado de modo a capturar o contexto discursivo e os processos de significação que se desenrolam no cotidiano do CMEI, recorrendo às estratégias da análise documental, observação participante, entrevistas semiestruturadas e grupos focais. Constituem-se sujeitos da pesquisa educadoras, auxiliares de classe e gestora da instituição. Palavras–chave: educação infantil; saberes e práticas; formação de educadora FORMAÇÃO DOCENTE E A LEI 10.639/03: DEZ-A-FIOS PARA A INSERÇÃO DA HISTÓRIA E CULTURA AFRICANOBRASILEIRA NO CONTEXTO ESCOLAR Mille Caroline Rodrigues Fernandes Este artigo surgiu a partir de um projeto de educação, pensado como proposta de implementação da Lei 10.639/03, desenvolvido como Formação para os Professores e Coordenadores das Escolas Municipais da cidade de Nazaré, localizada no Recôncavo baiano, com o objetivo de (re)pensar a educação escolar brasileira como um processo de desenvolvimento humano, a qual corresponde a um espaço sociocultural e institucional responsável pelo trato pedagógico do conhecimento e da cultura. Dessa forma, trabalhar concepções filosóficas de matriz africana, recriadas nas terras brasileiras, alicerçada às práticas pedagógicas, hoje, é reconquistar o universo simbólico africano-brasileiro, seu repertório ético, técnico e estético de linguagens que (re)criam, (re)inauguram, (re)estruturam e (re)organizam o debate da educação a serviço da diversidade, tendo como grande desafio a afirmação e a revitalização da autoimagem do povo negro. Nesse contexto, ao trazermos a história e a cultura africano-brasileira para a prática pedagógica dos professores de Nazaré, levanos a refletir uma educação acessível a todos, que respeite as peculiaridades humanas, e que parta do pressuposto de que seja necessária uma mudança na transmissão de conhecimentos no âmbito escolar, uma reformulação do ato educativo, buscando localizar o conceito e o processo da educação no contexto das coletividades dos sujeitos próprios da cultura negra e da relação destes com os espaços sociais. Palavras-chaves: História e Cultura Negra. Formação Docente. Didática. Arkhé PIBID: UM ELO ENTRE UNIVERSIDADE, ESCOLA BÁSICA E A FORMAÇÃO DOCENTE Morgana Gomes da Silva Sivone Santos de Jesus Este trabalho tem como objetivo apresentar e discutir as experiências de iniciação à docência vivenciadas no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência – PIBID, analisando a relação estabelecida entre a Universidade e a Escola básica. Propiciar ao estudante do curso de licenciatura a vivência com a prática docente e oportunizá-lo a refletir sobre a sua própria prática, uma vez que as últimas décadas têm se caracterizado pela emergência de novas reflexões acerca do fazer docente, muito tem se discutido e avaliado sobre esses fazeres, afinal o educador tem um papel importante na construção da sociedade. Nossa proposta 39
  40. 40. I Colóquio Docencia na Educação Básica 14 e 15 outubro 2013 se desenvolve a partir do subprojeto “Histórias de leitura no Ensino Médio: tempos e espaços da/na formação do(a) leitor(a)” que foi desenvolvido, inicialmente, na Escola Família Agrícola de Jaboticaba, na cidade Quixabeira - BA e atualmente realiza-se na Escola Estadual Normal Arnaldo de Oliveira – Extensão, situada no povoado do Gonçalo, município de Caém-BA. A vivência com a prática docente através do PIBID nos proporcionou refletir sobre nossa própria formação, ou seja, a partir de cada dificuldade encontrada fez com que nos agíssemos de forma diferente considerando os diferentes contextos situacionais.As reflexões levaram a uma ressignificação da prática, o olhar e a percepção do professor devem ser aguçados, tornando o processo de ensino-aprendizagem significativo Palavras-Chave: Experiências – iniciação à docência – formação Universidade - Escola básica. ANALISE DO DISCURSO: NOÇÕES E CONTRIBUIÇÕES PARA O ESTUDO DE TEXTOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA Naira Gama Alves Rosemary Lapa de Oliveira O presente trabalho objetiva realizar uma breve reflexão acerca das atividades com texto em sala de aula e suas relações com o poder, a dominação e a luta pelo espaço discursivo. Discutiremos como todo discurso é um campo de luta ideológica e a necessidade de nós, enquanto professores, colaborarmos para que nossos alunos desenvolvam sua capacidade enunciativa. Abordaremos a leitura como prática de construção de sentido, onde quem lê produz um novo texto a cada olhar. Palavras-chave: análise do discurso. Noções. Contribuições. Estudo de textos. MEDO E O PRECONCEITO NO COTIDIANO ESCOLAR NA PERSPECTIVA DA INCLUSÃO Nicoleta Mendes de Mattos Esta pesquisa de doutorado, desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, busca identificar as expressões do medo e do preconceito e como estas vêm sendo articuladas nas práticas pedagógicas ancoradas no paradigma da inclusão educacional, considerando-os, o medo e o preconceito, como elementos constitutivos do projeto de Educação Inclusiva. Tem como referência teórica os estudos de autores que discutem sobre o preconceito, medo, diferença e inclusão (CROCHIK, FRANCISCATTI, SILVA) sob a perspectiva da Teoria Crítica (HORKHEIMER; ADORNO) e outros estudiosos da Educação Inclusiva. Estudos relativos à deficiência e à Educação Inclusiva vêm apontando há muito o peso do preconceito nas relações que se estabelecem entre os indivíduos, e de como sua presença interfere negativamente na aceitação e no acolhimento das pessoas que apresentam algum tipo de deficiência. Além disso, pesquisas que investigam o acesso e permanência das pessoas com deficiência na escola, identificam, ao lado de avanços no trabalho docente, a manutenção, e, em algumas situações, o acirramento de atitudes preconceituosas e segregacionistas por parte das pessoas envolvidas na prática educacional, expressando a ambiguidade do projeto de inclusão educacional. Adorno e Horkheimer (1985) indicaram que, na sociedade contemporânea, a base afetiva do preconceito é o medo. O medo experimentado pelo indivíduo, porém, é dissociado do preconceito, uma vez que este é sempre identificado como uma manifestação do outro, fato que impede sua elaboração. A pesquisa está sendo desenvolvida em quatro escolas regulares da rede pública municipal na cidade de Valença – BA e encontra-se em fase de análise dos textos produzidos a partir dos depoimentos (entrevistas temáticas) de 08 professoras do ensino fundamental de 1ª a 4ª série. Uma análise inicial do material coletado indica que o medo, quando identificado, é experienciado como um 40

×