Rochas

886 views
760 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
886
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
23
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Rochas

  1. 1. 1. Faz corresponder os termos da coluna I às definições da coluna II. Coluna I  Coluna II A. Conjunto dos ambientes terrestres e dos seres  1.Atmosfera vivos que neles habitam B. Subsistema terrestre gasoso que envolve todos os  2.Biosfera outros. C. Subsistema terrestre constituído pelos reservatórios  3.Geosfera de água que existem na Terra. D. Subsistema terrestre representado pela parte sólida  4.Hidrosfera da Terra, quer na zona superficial quer na mais  profunda.   E. Os animais fazem parte desse subsistema. Sistemas abertos
  2. 2. Resumindo
  3. 3. Qual o subsistema que melhor arquiva e relata a história da Terra? As  rochas  são  “livros”  cheios  de  informação  cujas  páginas  os  cientistas  procuram  ler  e  interpretar.  Cada  rocha  tem,  pois,  uma  história para contar.
  4. 4. Qual a diferença entre Rocha e Mineral?
  5. 5. Rocha:  Agregado  natural,  sólido  formado por minerais.Granito Calcário Gnaisse
  6. 6. Mineral:  substâncias  naturais,  inorgânicas, caracterizados  determinadas  propriedades  físicas  e químicas. Olivina Quartzo
  7. 7. Rochas e Minerais Feldspato Moscovite OlivinaGranito Quartzo
  8. 8.  Atendendo às características e às condições em que foram formadas podemos considerar :
  9. 9. Génese das RochasSedimentares
  10. 10. RochasSedimentares
  11. 11. Rochas Sedimentares Formadas  pela  deposição  de  materiais  provenientes  de  outras  rochas  pré-existentes ou de materiais originados pela atividade de seres vivos. Os materiais, depois de depositados, são geralmente compactados e ligados.  
  12. 12. Processo de formação das Rochas Sedimentares1. Sedimentogénese – elaboração dos materiais que as vão constituir até à sua deposição. (80% dos materiais que constituem as rochas sedimentares são provenientes de rochas preexistentes.)2. Diagénese – evolução posterior dos sedimentos, conduzindo à formação de rochas consolidadas.
  13. 13. Meteorização e Erosão TransporteSedimentogénese Sedimentação Etapas na formação das rochas sedimentares
  14. 14. Meteorização física – desagregação das rochas sob ação dos agentes externos,tais como: água, vento, ar, mudanças de temperatura e os próprios seres vivos.Meteorização química – alteração química dos minerais que formam as rochasdevido aos agentes externos. Os minerais são transformados noutros maisestáveis nas novas condições ambientais em que se encontram.Erosão – remoção dos materiais resultantes da meteorização das rochas queafloram, é feita pela água, pelo vento, pela gravidade e pelo gelo. Pela meteorização, a rocha é alterada e, pelaerosão, os materiais são removidos do local.
  15. 15. Meteorização física► Meteorização física• desagregação em fragmentos cada vez menores• conservação das características do material original• aumento da superfície de exposição aos agentes de meteorização
  16. 16. Meteorização Física 6 m2 de área 12 m2 de área 24 m2 de área1 m 0.5 m 0.25 m 1 m 0.5 m 0.25 m Cubo Original Divisão em 8 cubos Divisão em 64 cubos O Efeito do Gelo: A água circula pelas fendas das rochas. Se a temperatura O que provoca o alargamento desce a água congela, das fendas e a desagregação expandindo-se. das rochas. Anexo 5
  17. 17. Erosão e TransporteÉ difícil estabelecer as fronteiras entre a meteorização, a erosão e o transporte… …pois o mesmo agente pode realizar cada um destes processos. Todavia, é usual designar-se por erosão o processo que contribui para a remoção dos materiais do local onde sofreram meteorização e, consequentemente, para o desgaste do relevo. Por sua vez, o transporte corresponde ao movimento/deslocação dos materiais resultantes da erosão, pela ação da água, do vento e da força da gravidade. Sistema Dunar
  18. 18. Sedimentação Em condições propícias, os materiais transportados pelos diferentes agentes atmosféricos depositam-se, constituindo sedimentos. Exemplos de detritos ou clastos. O processo de deposição denomina-se sedimentação e é determinado pela ação Depósitos de materiais da força gravítica sobre oscom pequenas dimensões detritos, quando a na foz do Rio Douro velocidade do agente Os materiais de maiores dimensões depositam-se transportador o permite. mais para montante de um rio – Serra da Peneda do Gerês
  19. 19. Como se processa a sedimentação ? • Trabalho de grupo •Análise da experiência •Discussão dos resultados • Duração 30 min. Pág. 24/25
  20. 20. Resultados:o  Primeiro  depositaram-se  os  detritos  maiores  e  mais  densos  e, posteriormente, os mais pequenos e leves.o  Formaram-se  camadas  paralelas  e  horizontais  que  se  distinguiam  pela diferente espessura, pelas dimensões e pela coloração dos materiais. Conclusão: o A deposição dá-se geralmente, em camadas sobrepostas (estratos). o A ordem de deposição dos detritos é condicionada pelas dimensões e  densidade desses materiais.
  21. 21. EstratificaçãoEstrato – depósito perfeitamente delimitado e que se distingue pelascaracterísticas das partículas que o constituem . Este forma-seinicialmente na horizontal.
  22. 22. DiagéneseA Diagénese é o conjunto de processos físico-químicos que intervêm após a  sedimentação  e  pelos  quais  os  sedimentos  evoluem  para  rochas sedimentares consolidadas. Processos: • compactação;  • desidratação; • cimentação; • recristalização.
  23. 23. Processos da Diagénese: 1.  Compactação:  Nos  sedimentos  mais  profundos  onde  há  redução  dos  espaços  vazios  estes começam a agregar-se e a compactar. Com  a  compactação,  os  sedimentos  tornam-se  mais  resistentes adquirindo um aspeco de rocha.  2. Desidratação: a água presente nos interstícios  dos  materiais  é  expulsa,  devido  à  pressão  a  que  as  camadas  inferiores  ficam  sujeitas.  As  partículas  ficam  mais  próximas,  diminuindo,  por  isso, o volume da rocha.  3.  Cimentação:  consiste  no  aparecimento  de  uma  matriz,  ou  seja,  de  um  material  muito  fino  entre os grãos dos sedimentos, ou de um cimento  resultante  da  precipitação  de  substâncias,  (geralmente  carbonato  ou  sílica),  que  liga  as  partículas, formando um rocha consolidada.
  24. 24. Processos da Diagénese 27
  25. 25. Síntese►Formação de Rochas Sedimentares METEORIZAÇÃO ÁGUA (chuva, rios,S gelo, oceanos) SEDIMENTOSE TEMPERATURAD VENTO sucede SERES VIVOSIM sobre DIAGÉNESE compactação e E cimentaçãoN ROCHAS Ígneas, metamórficas e T sedimentares originaOG vem ROCHASÉ SEDIMENARESN EROSÃOE aconteceSE TRANSPORTE Detritos e soluções dos 28
  26. 26. Lição nºSUMÁRIOAs rochas, arquivos que relatam a história da Terra.Génese das rochas sedimentares: sedimentogénese ediagénese.Análise da atividade como se processa asedimentação.
  27. 27. Rochas Magmáticas
  28. 28. Génese das RochasMagmáticas
  29. 29. Resultam  do  arrefecimento  e    da  consolidação  de 4 magmas  em  profundidade  ou à superfície.
  30. 30. Magma • É  um  material  muito  complexo,  parcial  ou  totalmente fundido, produzido na crusta terrestre ou  na  parte  superior  do  manto,  a  elevadas  temperaturas e pressões.  • É provido de mobilidade e de composição essencialmente silicatada. • Pode apresentar: - uma componente líquida (em fusão); - uma componente sólida (representada por minerais que não chegaram a ser fundidos ); - componente gasosa (vapor de água, dióxido de carbono, dióxido de enxofre, entre outros).
  31. 31. O  magma  expelido  pelo  vulcão  tanto  pode  consolidar  a  grandes profundidades,  como  à  superfície,  formando  dois  tipos  diferentes  de rochas magmáticas, vulgarmente designadas por Rochas Plutónicas e Rochas Vulcânicas.
  32. 32. Rocha Plutónica Rocha Vulcânica
  33. 33. Porque é que as Rochasplutónicas e vulcânicas têmdiferente aspecto estrutural?
  34. 34. Rochas Plutónicas Magma  arrefece  lentamente,  este  facto  faz  com  que  os  minerais  constituintes  das  rochas  plutónicas  tenham  bastante tempo para se formar  e  desenvolver.  Por  isso,  apresentam  minerais  bem  visíveis, de várias dimensões. Granito
  35. 35. Rochas Vulcânicas Basalto ObsidianaO  magma  arrefece  e  solidifica  rapidamente  à  superfície  da  Terra, devido, principalmente, à descida de temperatura.Um  arrefecimento  muito  rápido  impede  a  formação  ou  o crescimento  de  cristais,  pelo  que  os  mesmos  permanecem microscópicos.
  36. 36. Actividade nº1 Observe, atentamente, o esquema que se segue e descobra os erros aí presentes. Rochas Magmát icas Int rusivas ou Plut ónicas Rochas Magmát icas Ext rusivas ou Vulcânicas Basalt oGranit o Aspect o microscópico do granit o Aspect o microscópico do basalt o
  37. 37. Actividade nº1 Observe, atentamente, o esquema que se segue e descobra os erros aí presentes. Rochas Magmát icas Ext rusivas ou Vulcânicas Rochas Magmát icas Int rusivas ou Plut ónicas Basalt oGranit o Aspect o microscópico do granit o Aspect o microscópico do basalt o
  38. 38. XistoMármore Micaxisto Gnaisse 41
  39. 39. ► Onde se formam as rochas metamórficas?Em locais profundos onde a pressão e a temperatura são elevadas. 42
  40. 40. Originam-se  a  partir  de  Rochas rochas  pré-existentes,  quando  experimentam  transformações Metamórficas mineralógicas  e  estruturais,  ou  seja  quando  sofrem  metamorfismo.
  41. 41. A  palavra  “metamorfismo”  deriva  das  palavras  meta  (transformação) e morphe (forma), ou seja há uma transformação da  forma.•    Processo  que  provocou  a  modificação  das  características  originais da  rocha,  em  termos  de  minerais  constituintes  e  da  forma  como  os mesmos se encontram organizados. •    Estas  transformações  ocorrem  no  estado  sólido  e  correspondem  à adaptação  das  rochas  às  novas  condições  de  pressão  e  de temperatura do meio. •  Os agentes que originam as alterações das características originais das rochas são chamados factores de metamorfismo.
  42. 42. Génese das RochasMetamórficas
  43. 43. Factores de Metamorfismo• Fluidos de circulação• Tempo• Temperatura• Pressão
  44. 44. Fluidos de circulação:•    Nos  interstícios  das  rochas  existem  fluidos  no  estado  líquido  ou  no estado  gasoso,  de  acordo  com  as  condições  de  pressão  e  de temperatura.           Ex:  A  água  é,  um  dos  fluidos  mais  importantes,  transportando inúmeras  substâncias  em  solução.  Além  de  ser  dissolvente  de  quase todas  as  substâncias,  a  água  facilita  e  provoca  muitas  reacções químicas.  Para  além  disso,  a  presença  de  água  influencia  o  ponto  de fusão  dos  materiais,  podendo  ocorrer  fusão  a  temperaturas  muito  mais baixas do que aquelas que são necessárias em meio seco. •  Várias substâncias podem infiltrar-se nas rochas, podendo ainda existir migração  de  materiais  que  as  abandonam,  favorecendo-se  assim  as alterações químicas e mineralógicas. 
  45. 45. Tempo:Os  fenómenos  metamórficos  são  extremamente  lentos,  sendo  por isso  o  factor  tempo  muito  importante  na  formação  deste  tipo  de rochas,  não  se  sabendo  exactamente  quanto  tempo  é  necessário para  a  sua  formação  em  determinadas  condições  de  pressão  e  de temperatura. 
  46. 46. Temperatura:A  temperatura  no  globo  terrestre  aumenta  com  a profundidade, facilitando as reacções entre as rochas.    Ex: um corpo quente quando entra em contacto com rochas que  se  encontrem  a  uma  temperatura  inferior,  vai  provocar alterações  na  zona  de  contacto,  ficando  ambas  as  rochas alteradas nessa zona.  
  47. 47. Temperatura
  48. 48. Pressão:•  Influencia as reacções químicas:      Ex:  se  os  átomos  de  um  mineral  forem  severamente  comprimidos,  as ligações  entre  eles  podem  entrar  em  ruptura,  possibilitando  o  rearranjo dos referidos átomos e a formação de novos minerais estáveis às novas condições de pressão. •    Desempenha  também  um  papel  igualmente  importante  ao  nível  dos reajustamentos  estruturais  das  rochas,  pois,  um  aumento  de  pressão favorece  as  transformações  que  conduzem  à  formação  de  minerais  que ocupem menor volume. 
  49. 49. Pressão
  50. 50. A pressão é um dos mais poderosos agentes de metamorfismo,correspondendo à força exercida sobre uma determinada área.Quando  as  pressões  são  elevadas,  as  rochas  modificam  as  suas características  originais  para  as  poderem  suportar.  Essas  modificações manifestam-se,  essencialmente,  na  forma  e  na  orientação  dos  minerais, os  quais,  normalmente,  têm  a  tendência  para  aparecer  orientados perpendicularmente  à  direcção  da  força.  Contudo,  se  a  mesma  for  muito intensa,  podem  formar-se  novos  minerais  que  possuem  uma  forma “espalmada”. 
  51. 51. Metamorfismo numa bacia de sedimentação         Os sedimentos normalmente libertam  água.  Se  a  pressão  e  a  temperatura  continuarem  a  aumentar  entra-se  no  domínio  do  metamorfismo,  em  que  a  água, caso se continue a libertar, pode  levar  consigo  substâncias  dissolvidas  e  assim  influenciar  a  composição  da  rocha  metamórfica  que  se  está  a  formar.  A  nova  rocha  vai  ficar,  portanto, desprovida dos produtos que  foram  levados  pela  água  e  que  irão  ser depositados noutros locais.
  52. 52. Metamorfismo numa bacia de sedimentação       
  53. 53. Lição nºSUMÁRIOGénese das rochas magmáticas e rochasmetamórficas.Fatores de metamorfismo: pressão, temperatura,tempo e presença de fluidos.
  54. 54. Tipos de Metamorfismo 58
  55. 55. Tipos de Metamorfismo
  56. 56. ► Metamorfismo regional Metamorfismo termodinâmicoque afecta grandes extensões da crusta e está, em geral, associado à génese de cadeiasmontanhosas, quer em zonas de colisão de placas continentais, quer em zonas de subducção. Rochas como ardósia, filito, micaxisto e gnaisse resultam deste tipo de metamorfismo. 60
  57. 57. Metamorfismo Regional
  58. 58. ► Metamorfismo de contacto Metamorfismo experimentadopelas rochas adjacentes a umaintrusão magmática (formando- se uma auréola de contacto ou metamorfismo). O tipo de rocha encaixante, a quantidade de fluidos e a temperatura são factoresdeterminantes do tipo de rocha metamórfica resultante. Rochas como quartzito emármore resultam deste tipo de metamorfismo. 62
  59. 59. Metamorfismo de Contacto
  60. 60. Rochas podem serDevido à podem ser por acção resultamocorrên- de cia de como se consolida em profundidade se consolida à superfície
  61. 61. Rochas podem ser Rochas Rochas RochasSedimen- Magmáti- Metamórfi tares cas -casDevido à podem ser por acção resultamocorrên- de cia de Factores de  Magma MetamorfismoMeteorização Plutónicas Vulcânicas como Erosão Transporte se consolida em profundidadeSedimentação se consolidam Fluidos Tempo Temper PressãoDiagénese a-tura à superfície
  62. 62. LOCALIZAÇÃO DA PRINCIPAIS ROCHAS
  63. 63. Ciclo das Rochas“Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”. Princípio de Lavoisier
  64. 64. Sedimentogénese Diagénese Sedimentos R. R. Magmáticas SedimentaresSolidifica- ção Metamorfis R. -mo Magma Metamórficas Fusão
  65. 65. Lição nºSUMÁRIOTipos de metamorfismo: contato e regional.Interpretação do ciclo das rochas ou ciclo litológico.

×