Your SlideShare is downloading. ×
Comissão de Trabalhadores / TAP PORTUGAL
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Comissão de Trabalhadores / TAP PORTUGAL

238
views

Published on

Cada vez há mais razões para NÃO PRIVATIZAR A TAP …

Cada vez há mais razões para NÃO PRIVATIZAR A TAP

COMUNICADO Nº 15/CT/2012


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
238
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Portaria/Recepção-Edifício 57 – 2ºTELEFONES: 35926-34631-34450TELEFONES EXTERNOS:218415926/218480762FAX: 218480762 / E-mail: ct@tap.pt COMUNICADO Nº 15/CT/2012Comissão de Trabalhadores / TAP Portugal TAP Cada vez há mais razões para NÃO PRIVATIZAR A TAP Face às mais recentes notícias sobre a proposta apresentada para aquisição da TAP, a Comissão de Trabalhadores considera fundamental tornar públicos os seguintes alertas: 1. Lamentamos profundamente que questões desta importância para o futuro dos milhares de trabalhadores da TAP continuem a ser tratadas no segredo dos gabinetes ao arrepio da lei e da Constituição, não tendo até ao presente esta CT recebido qualquer informação concreta sobre a , proposta apresentada de compra da TAP. É lamentável que o Governo continue a preferir comunicar com os trabalhadores através das fugas de informação seleccionada para a Comun Comunicação Social em vez de optar pela completa e transparente informação às Organizações Representativas dos Trabalhadores. 2. Com base na informação publicada sobre essa proposta de compra, é notório que o Empresário Boliviano-Brasileiro-Colombiano-Polaco s propõe a dar uma esmola ao Go Polaco se Governo português, ficando em contrapartida detentor da TAP recebendo ainda dividendos do Governo referentes ao real valor TAP, da referida empresa. 3. A facilidade com que o Governo e o dito empresário contornaram as leis comunitcomunitárias que impediam esta compra deveriam ser, para todos os portugueses, a prova final que as directivas comunitárias servem apenas os interesses do grande capital - durante 15 anos a TAP não recebeu de volta uma pequena parte do que deu a ganhar ao Estado porque as directivas comunitárias o impediam (promovendo a concentração no sector aéreo em benefício da Lufthansa, Air France e British) mas agora que é preciso contornar a proibição comunitária de vender mais de 49% a Empresas não europeias (e porque tal também interessa à Lufthansa), para contornar essa directiva basta uma quarta naturalização manhosa e um testa de ferro no Luxemburgo. Esta situação só vem demonstrar que o caminho que sempre defendemos - que o Estado assuma a capitalização da TAP - é possível desde que para tal haja vontade política e um governo patriótico capaz de enfrentar as ível potências neocoloniais. 4. Temos assistido a uma impressionante campanha de charme do Empresário Boliviano Boliviano-Brasileiro- Colombiano-Polaco. Relembrando as campanhas com que há 10 anos nos apresentavam o futuro da om TAP na Swissair (que recordamos, faliu arrastando só a Sabena porque a TAP acabou por não lhe ser oferecida) e as que há menos tempo apresentavam o negócio com a British como a salvação da Ibéria (que está entretanto a ser desmantelada!). Faz-nos lembrar as promessas com que têm enganado retanto tanta gente na véspera de cada eleição. Mas os trabalhadores da TAP não se deixam iludir - a privatização da TAP só será positiva para quem a receber e para quem receber as habituais comissões, mas será muito negativa para os trabalhadores da TAP, para Portugal e para o povo tiva português. 5.Temos ainda notado que o Governo tem fingido muita preocupação com as exportações, nomeadamente quando se trata de justificar a repressão da justa luta dos estivadores contra a precarização das relações laborais nos Portos. O que nos espanta é que o mesmo governo se prepare ecarização para abdicar do maior exportador nacional por 20 milhões de euros, menos de 1% das exportações que a TAP garante num ano! 6. Apelamos a todos os patriotas travar a privatização da TAP, o que deve ser considerado um dever nacional. Lisboa, 11 de Dezembro de 2012 20 A Comissão de Trabalhado da TAP Portugal dores