Release.sonhos.24.03.2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Release.sonhos.24.03.2010

on

  • 817 views

 

Statistics

Views

Total Views
817
Views on SlideShare
817
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Release.sonhos.24.03.2010 Document Transcript

  • 1. COMPANHIA ARTE TANGÍVEL DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO WWW.ARTETANGIVEL.COM.BR – FONE (11) 8206-4172 EMAIL:asaul@hotmail.com E artetangivel@artetangivel.com.br Março de 2010
  • 2. Sobre Sonhos e Esperança“Um espetáculo divertido com uma linguagem teatral lírica que levantaquestões imprescindíveis sobre a educação e a liberdade social!” Comentários do público: “A apresentação foi primorosa, trouxe à tona a reflexão de assuntos relevantes por meio da linguagem sensível do teatro.” “Com êxito o grupo Arte Tangível transforma a filosofia educacional em espetáculo para as mais diversas platéias.” “A preparação vocal e corporal dos atores é excelente.” “É um espetáculo que diverte e ensina.” “Faz pensar!” Sobre Sonhos e Esperança no TUCA, 2008Faixa etária: Adultos e jovens a partir de 14 anosDuração do espetáculo: 75 minutosDebate pós-espetáculo: 30 minutos SINOPSE“O sonho exige ação!” Em Sobre Sonhos e Esperança, o público sedepara com o pesadelo de uma professora das primeirasséries do Ensino Fundamental, vivendo o cotidiano deuma escola tradicional: amedrontada pela direção daescola e pela sala de aula, seu sonho inicial se refere tãosomente a uma fuga para um transatlântico onde nãoprecisaria mais pisar na escola! Pressionada por todos os lados e atordoada porseus medos, a professora atrai a figura de Paulo Freirepara dentro de seu „pesadelo‟. Em uma atmosfera quemistura realidade e sonho, de início, a presença de Freire,com suas ideias de mudança, se faz muito incômoda paraa professora. Mas com o tempo, ela vai se permitindoalgumas reflexões e recorda-se de um sonho há temposesquecido: no início de sua formação, sonhava ser umagrande educadora. A partir daí, ela começa a buscarsoluções. A encenação, definitivamente nos transporta paramuito além de uma sala de aula, nos convence de que, na Sobre Sonhos e Esperança: CEU Jaçanã, 2009realidade de cada um de nós, nossos sonhos são possíveis, mas exigem ação, aliados e tempo...
  • 3. “A trama se desenvolve por uma linguagem teatral original e acessível, rica emsimbolismo e camadas de sentido!” A LINGUAGEM TEATRALEntre o teatro e a dança... “O trabalho físico-vocal do elenco da Arte Tangível rompe com a fronteira entre a dança e o teatro, o texto falado e Teatro dançado? Coreografias cantado.”recheadas de texto? Seja como for, otrabalho físico-vocal do elenco daArte Tangível rompe com a fronteiraentre a dança e o teatro, o textofalado e cantado.Um conjunto de partituras de açõesfísica e vocal é criada por cada umdos atores, a partir de estímulosrítmicos, danças inspiradas natradição e cultura dos Orixás eassociações pessoais de cada criador.Em seguida as partituras são fixadase estudadas, em detalhe, por meio das Apresentação no TUCA ,2008ações básicas de esforço, de Laban, edos princípios da pré-expressividade sistematizados por Eugênio Barba, um dos maiores expoentesdo teatro mundial da contemporaneidade.O toque final na montagem se dá por meio do trabalho com desenhos de movimento, nos quais adiretora vai conduzindo os traços criativos dos atores para compor os quadros do espetáculo.O resultado do trabalho é um deleite para o espectador, que pode experienciar a obra em váriascamadas – quer seja pela minúcia das formas físicas encontradas pelos artistas, pelas palavras quaseque cantadas, quer seja pelo simbolismo impregnado em cada imagem – tudo integrado de maneirapoética, lúdica e muito divertida, que vale a pena ser apreciado!“O cenário é composto por sete cadeiras escolares, uma O CENÁRIOmesa de professor e uma lousa.” Tudo se passa dentro de uma única sala de aula que, como num sonho, pode se transformar e assumir características do quintal de Paulo Freire ou da casa de um aluno, mas sem nunca deixar de ser a sala de aula. O cenário de Sobre Sonhos e Esperança é composto por sete cadeiras escolares, uma mesa de professor e uma lousa. A simplicidade destes itens estabelece imediatamente o mundo da escola e os temas da peça.A abertura do programa de capacitação de professores do projeto GURI, Santa Durante a montagem, as cadeiras são Marcelina, 2010 manipuladas pelos atores para criardiferentes cenas de uma maneira que, sua organização, ou sua desorganização, sempre traça novascamadas de significado com respeito às questões da peça.
  • 4. “O figurino dos personagens centrais segue umaOS FIGURINOS concepção naturalista, com o objetivo de destacar as interpretações estilizadas destes personagens.” O figurino dos personagens centrais – PauloFreire, Professora, os alunos e os pais dos alunos,segue uma concepção naturalista, com o objetivo dedestacar as interpretações estilizadas destespersonagens. Especial atenção foi dada à composiçãodo vestuário do personagem de Paulo Freire, definidapor meio de uma pesquisa de fotos e registrosvídeográficos do educador. Além destes personagens, destacam-se os A abertura do programa de capacitação de professores do projeto GURI, Santa Marcelina, 2010figurinos da Árvore Mangueira e do Grande Relógio. “Além destes personagens, destacam-se osAqui, tais alegorias foram caracterizadas, em suas figurinos da Árvore Mangueira e do Grandevestimentas, como um típico casal do início do século Relógio.”XX, período no qual o educador, ainda menino, viviaem Recife. Esta opção ilumina o tratamentosimbólico que quisemos dar a estas alegorias queultrapassam as dimensões de uma árvore e umrelógio, podendo ser identificadas com as figurasparentais de Paulo Freire ou, ainda, com a suabiblioteca. Por isso também, a opção pelo uso dasmáscaras, para estes personagens. Temos ainda os „medos‟, que aparecem nopesadelo da professora. Estes „medos‟, portandomáscaras de aniversário de criança, vestem roupascomuns, mas com cores muito vibrantes, A abertura do programa de capacitação de professores do projeto GURI, Santa Marcelina, 2010extremamente exageradas, como que construindo umquadro expressionista, onde o que está ressaltado diz “Os „medos‟, portanto máscara de aniversário derespeito aos sentimentos e projeções do sonhador: criança, vestem roupas comuns, mas com cores muito vibrantes, extremamente exageradas, comouma simples professora que pinta as cores de seus que construindo um quadro expressionista.”„fantasmas‟, de acordo com o grau de ameaçapercebido, tão somente, por ela.CONCEPÇÃO DEILUMINAÇÂOO palco é iluminado por um único estado de luz,geral, e também a platéia permanece iluminada por Apresentação no TUCA ,2008toda a duração do espetáculo. Esta concepção“brechtiana” funciona para quebrar a quarta parede da cena, lembrando os indivíduos da platéia queo público não é um bloco anônimo. Cada pessoa tem sua própria experiência e sua própria história,e todos são participantes do espetáculo e atuantes no mundo ao seu redor. Cada um tem umaresponsabilidade com respeito às questões da peça.A iluminação da peça permite um real contato de olhar entre os atores e o público, facilitandoassim, a comunicação. Os atores falam diretamente com os indivíduos que compõem a platéia,respondendo às reações particulares das diferentes pessoas como num verdadeiro diálogo.
  • 5. “A idéia da peça é debater a importância do sonho como possibilidadede transformar nossa sociedade.” PAULO FREIRE HOJE Paulo Freire (1921-1997) é reconhecido como umdos pensadores maisimportantes da história daPedagogia, em todo o mundo,por ser autor de uma pedagogiacrítica que tem compromissoscom a libertação das classesoprimidas mediante umtrabalho de conscientização.Embora seja conhecido comosendo o criador de um „métodode alfabetização de adultos‟, asua obra tem contribuições quese estendem para todo o campo Alexandre Saul no papel de Paulo Freire O educador Paulo Freireda educação. em Sobre Sonhos e Esperança A atualidade do pensamento de Paulo Freire vem sendo atestada pela multiplicidade deexperiências que se desenvolvem tomando o seu pensamento como referência, em diferentes áreasdo conhecimento, ao redor do mundo. A crescente publicação das obras de Paulo Freire, emdezenas de idiomas, a ampliação de fóruns e centros de pesquisa criados para pesquisar e debater olegado freireano são indicações da grande vitalidade do seu pensamento. Tal projeção confere aoconjunto de suas produções o caráter de uma obra universal. “A questão que devemos nos Em 26 de novembro de 2009, doze anos após a sua colocar sempre é se nosso sonho é um sonho possível ou não? Emorte, a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça eu digo a vocês: se é menosprocedeu ao julgamento político, que por unanimidade, possível, trata-se, para nós, deconsiderou o educador Paulo Freire “anistiado político”. Paulo saber como torná-lo maisFreire foi um dos primeiros cidadãos brasileiros a ser punido possível.” (Sobre Sonhos e opelo regime militar, sendo considerado perigoso, o educador Esperança, 5 ato)foi preso e posteriormente exilado por 16 anos. Na ocasião daanistia, o presidente Luís Inácio Lula da Silva declarou:“Anistiar Paulo Freire é libertar o Brasil da cegueira moral eintelectual que levou governantes a considerarem inimigos daPátria educadores que queriam libertar o país doanalfabetismo”. A anistia para Paulo Freire, 45 anos após seuexílio, nos propicia não apenas ocasião para reacender emanter vivo o seu legado, mas acima de tudo, nos ajuda adiscutir suas contribuições não só à educação, mas à causa daemancipação humana.Afirmando a importância e a atualidade do pensamentofreireano, a PUC/SP teve Paulo Freire como tema da aulamagna que foi ministrada na ocasião de recepção dos alunos detodos os cursos de graduação e pós-graduação da entidade, em A abertura do programa de capacitação defevereiro de 2010. professores do projeto GURI, Santa Marcelina, 2010
  • 6. Professora: Sou apenas uma professora, não posso ficar fazendo política na escola: política é política e escola é escola, e a escola não O TEATRO, A ESCOLA E A LIBERDADE muda o mundo.Paulo: A escola pode mudar as pessoas, e as pessoas mudam o mundo! (Sobre Sonhos e Esperança, 1o ato) Recorremos às obras de Paulo Freire, grande expoente do pensamento crítico no Brasil e no mundo buscando, à luz do ideário deste educador, discutir com a comunidade, por meio da experiência estético-teatral, questões que estimulem a criação de uma utopia de transformação social. O espetáculo é ambientado em uma escola, entendida por Freire, como um lugar de luta e de esperança; um lugar não só para estudar, mas para encontrar, A abertura do programa de capacitação de professores do projeto GURI, conversar, experimentar o confronto com Santa Marcelina, 2010 o diferente, discutir e fazer política. Asrelações das personagens potencializam em nós a necessidade de entender os “porquês” das coisascomo estão e como se dão e a importância da busca paciente/impaciente por soluções para assituações-limite de nossas vidas. A apresentação do espetáculo Sobre Sonhos e Esperança tem,assim, grande relevância para o momento de intensas transformações econômicas, sociais, políticase culturais, por que passam o Brasil e o mundo. Em uma época de homogeneização da cultura e deculto ao individualismo, é fundamental discutir e cultivar valores de solidariedade, liberdade, ética,autonomia, democracia e prazer de „fazer com‟ e „estar com‟ o outro.“Todos os espetáculos da Arte Tangível são seguidos por um debateentre os atores e os espectadores.” DEBATES PÓS-ESPETÁCULO Pessoas são tocadas de modo diferente, por diversaslinguagens. A linguagem teatral potencializa em nós acompreensão do cotidiano e da arte, podendo provocarquestionamentos e interesses sobre temas importantes denossa vida, muitas vezes, para além da linguagemdiscursiva. Por isso, faz parte de nossa proposta, a realização deum debate pós-espetáculo entre os atores e os espectadores.Nesse livre trânsito de argumentos e idéias, no qual sãorespeitados diferentes posicionamentos; convidamos osespectadores a se expressarem sobre as situações quesurgem nas cenas do espetáculo, em diálogo com suasexperiências de vida, estimulando a reflexão crítica. Os debates dão lugar, ainda, à discussão sobre alinguagem teatral desenvolvida pelo grupo, sobre oprocesso criativo para a construção do espetáculo, sobre ofazer artístico-teatral e sobre as diferentes metáforas darealidade que essa opção estética permite. Essa discussão Apresentação no CEU Jaçanã, 2009contribui assim, para a formação de um público que apreciea obra artístico-teatral com prazer e criticidade.
  • 7. HISTÓRICO DO ESPETÁCULO Sobre Sonhos e Esperança, estreou diante de um público de 200 pessoas, na periferia daZona Norte de São Paulo, em Dezembro de 2006 no bairro da Casa Verde. Em Janeiro de 2007, oespetáculo foi apresentado no congresso de formação de professores do Instituto Sagrado Coraçãode Jesus, no Município de Santos, para 200 educadores. No ano de 2008, realizamos apresentaçõesna unidade de ensino Érico Veríssimo, na Vila Regina, Zona Oeste de São Paulo, onde cerca de 700espectadores da comunidade local puderam apreciar o espetáculo. Neste mesmo ano, Sobre Sonhose Esperança foi apresentada no Fórum Internacional Paulo Freire, sediado no teatro TUCA, parauma platéia de 300 pessoas de diferentes nacionalidades, composta por educadores e pesquisadoresda educação como um ato social e político, em diversos países do mundo. No final de 2008, a peça foi selecionada pelo ProAC- programa de ação cultural daSecretaria de Cultura do Estado de São Paulo. No âmbito deste programa, realizou temporadaitinerante totalizando 15 apresentações (10 apresentações na capital paulista e 05 apresentações nointerior do estado de São Paulo: Mogi das Cruzes, Santos, Embu, Jandira e Suzano) para umpúblico estimado de 4000 espectadores. Em 2010, o espetáculo foi apresentado na cidade de São Paulo, na abertura do programa decapacitação de professores do projeto GURI Santa Marcelina (www.gurisantamarcelina.org.br), noteatro da Faculdade Santa Marcelina, para um público estimado de 350 educadores. Ainda em2010, o espetáculo foi apresentado em Vitória, no Espírito Santo, para cerca de 150 professores, noâmbito do projeto de formação de educadores do Instituto Federal de Formação Tecnológica doEspírito Santo. FICHA TÉCNICAFunção ResponsávelDireção Luciana SaulDramaturgia Luciana Saul e Thomas HolesgroveElenco Alexandre Saul, Fernanda Quatorze Voltas, Luciana Saul e Thomas HolesgroveProdução Fernanda Quatorze Voltas e Alexandre SaulFotógrafo Ricardo LisboaFigurinista Ilza da SilvaCenografia Arte TangívelRegistro Videográfico Marilia Halla
  • 8. HISTÓRICO DA COMPANHIA Criada em 2002, a Arte Tangívelinaugurou seu espaço cultural em São Paulo,em Janeiro de 2004, onde apresenta as suaspróprias obras teatrais e ministra oficinasfundamentadas na pesquisa da Companhia. Entre 2003 e 2005, a Companhiaapresentou o espetáculo Nasus e Flora- umahistória de amor e o Espetáculo espetacularde Derick Dirkwood em 4 edições doPrograma Recreio nas Férias. Nestasedições, estas obras foram apresentadas em A abertura do programa de capacitação de professores do projeto40 escolas da rede Municipal, nas periferias GURI, Santa Marcelina, 2010da cidade. Neste mesmo período, estesespetáculos ainda percorreram os 21 CEUs, recém inaugurados em São Paulo e estiveram noprograma Escola Aberta, da Prefeitura Municipal de São Paulo. Realizaram ainda uma turnê, naAustrália, em 2003. O Espetáculo Espetacular de Derick Dirkwood, foi apresentado no AustralianFestival (promovido pelo Consulado Australiano no Brasil), em 2002 e 2003. Esse espetáculo foitambém selecionado e apresentado no 7º Cultura Inglesa Festival, em São Paulo, no FestivalInternacional de Rio Preto, no Festival de Lages, Festival de Pindamonhangaba e no programaEscola Aberta, organizado pela sub-prefeitura de Santo Amaro, em 2005. Em 2005, o 9º Cultura Inglesa Festival, selecionou a Companhia Arte Tangível para traduzire apresentar peça de autor inglês contemporâneo; a Companhia encenou três monólogos do autorSteven Berkoff sob o título Solidão. Em 2006 estreou Itãs Odu Medéia, em seu espaço cultural e foi contemplada pela LeiMunicipal de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo para dar prosseguimento a suapesquisa, sobre a cultura e tradição dos Orixás, com o projeto “São Paulo pensa Candomblé”. Em2007, com o apoio da Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, re-estreou a peça ItãsOdú Medéia, no teatro Viga. Itãs Odu Medéia foi selecionado pelo Programa de Ação Cultural doEstado de São Paulo ProAC 13- programa de ação cultural da Secretaria de Cultura do Estado deSão Paulo. No espaço cultural Arte Tangivel, em São Paulo, a Companhia realizou um ciclo de oficinasde pesquisa sobre a cultura e tradição dos Orixás. Desenvolveu dois espetáculos, inspirados namitologia afro-brasileira – A Menina das Névoas e O Menino de Pipoca e realizou dois semináriossobre abordagens corporais no teatro, em diálogo com a cultura da tradição afro-brasileira. Nestemesmo ano o espetáculo A Menina das Névoas foi selecionado e apresentado no Festival de Lages.Os espetáculos A Menina das Névoas e O Menino de Pipoca, foram apreciados por cerca de 3000espectadores de baixa renda das periferias da cidade, em CEUs, escolas, asilos e favelas, nocontexto do programa de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo, com o qual a Arte Tangívelfoi contemplada. Em 2008, estes mesmos espetáculos foram credenciados pela PROART e a peça OMenino de Pipoca participou de mais uma edição do Recreio nas férias, em 2009. Em 2009, como parte do ProAC- programa de ação cultural da Secretaria de Cultura doEstado de São Paulo, a Arte Tangível ministrou 04 seminários e workshops teatrais gratuitos, nacidade de São Paulo, sobre os métodos de trabalho e a técnica teatral desenvolvida na Arte Tangível.No mesmo ano, participou da Mostra “Experimentos” de Pesquisa em Pós-graduação , no TUSP.
  • 9. CURRÍCULOS DOS COMPONENTES DO NÚCLEO ARTÍSTICOLuciana Saul:Formação e atuação profissionalLuciana Saul é mestre em Artes Cênicas, na linha de prática teatral, pelaUSP (ECA). Co-fundadora da Arte Tangível, em 2002, atua naCompanhia como diretora teatral, pesquisadora e atriz.Tem formação em teatro, pela Escola de Arte Dramática da USP (EAD)e em Psicologia, também pela USP (IPUSP). Realizou inúmeros cursoscomplementares a sua formação, com diretores brasileiros eestrangeiros, dentre os quais destacam-se Ian Ferslev (Odin Teatro),Yoshi Oida e Alan Alberganti. Em 2001, residiu na Itália, onde realizouestágio de Commedia dell`arte, em Reggio Emilia. Luciana Saul como aPublicações Professora, em Sobre Sonhos eEm 2003 apresentou seu trabalho de pesquisa sobre o Teatro EsperançaAntropológico no Congresso de Artes da ABRACE, tendo seu texto publicado. Em 2008, teve seutrabalho de pesquisa publicado em seu primeiro livro.PrêmiosEm 2006 recebeu o Prêmio Gerd Bornheim, na categoria Teatro no Brasil, por ter sido classificadaem primeiro lugar com o seu trabalho sobre os rituais do Candomblé, no Concurso Nacional demonografias promovido pela Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Coordenação de Artes Cênicasda Secretaria Municipal da Cultura; a comissão julgadora que premiou os trabalhos foi compostapor: Eliane Lisboa, Fernando Peixoto e Luís Augusto Fischer. Em 2007 recebeu o Prêmio SilvioRomero pela sua pesquisa intitulada Rituais do Candomblé: uma inspiração para o trabalhocriativo do ator, em concurso promovido pelo Centro Nacional de Folclore e Cultura popular doRio de Janeiro.Diretora teatralComo diretora, encenou as seguintes obras, na Companhia Arte Tangível: Sobre Sonhos eEsperança, em 2008 e 2009, Itãs Odú Medéia, em 2007 e 2006, A Menina das Névoas- espetáculoinspirado no mito de Euá, em 2007, O Menino de Pipoca- espetáculo inspirado no mito de Omolu,em 2007 e em 2008.AtrizLuciana atuou em todas as obras teatrais da Companhia Arte Tangível, referidas acima. Ainda, em2003, atuou em Nasus e Flora- uma história de amor. Em 2005, Luciana atuou em Solidão-espetáculo inspirado na obra do autor inglês Steven Berkoff, dirigido por Holesgrove no 9º Festivalda Cultura Inglesa, realizando também a preparação corporal do elenco.Em 2007, Luciana Saul foi convidada pelo músico inglês Clevland Watkiss, para participar daperformance Vocal Suit, no Centro Cultural São Paulo, em evento produzido pelo British Council.Anteriormente à constituição da Companhia Arte Tangível, dentre as montagens que participou,como atriz, destacam-se: Esperando Godot, dirigida por Cristiane Paoli Quito; A Cozinha, dirigidapor Iacóv Hillel e Fala Comigo doce como a chuva, dirigida por Luiz Damasceno.
  • 10. Thomas Holesgrove:Formação e atividade profissionalThomas Holesgrove é doutorando em Artes Cênicas na ECA/USP. Émestre em Artes Cênicas, na linha de prática teatral, também pelaECA/USP. Co-fundador da Arte tangível, atua na Companhia comodramaturgo, pesquisador, diretor, e ator. Formou-se ator pela WesternAustralian Academy of Performing Arts, uma das principais escolas deteatro da Austrália. É graduado em artes e em direito pela AustralianNational University. Com o grupo australiano Flying Fruit Fly Circusteve treinamento em técnicas circenses e em 2001, foi para Itália, ondeestudou Commedia dellArte na Scuola Internazionale dellAtore Thomas Holesgrove como Jerson em Sobre Sonhos eCommico. Ensinou teatro e circo, na Austrália, de 1990 a 2001. EsperançaDramaturgoEm 2008 traduziu a peça Macbeth, de William Shakespeare e atualmente vêm desenvolvendo umaadaptação desta obra. Ainda em 2008, em parceria com Saul, escreveu Sobre Sonhos e Esperança-cuja dramaturgia é inspirada na obra do educador brasileiro Paulo Freire. Em 2007, escreveu AMenina das Névoas- espetáculo inspirado no mito de Euá e O Menino de Pipoca- espetáculoinspirado no mito de Omolu. Em 2006, construiu a dramaturgia do espetáculo Itãs Odú Medéia, emparceria com Saul. Em 2005, traduziu e adaptou as obras de Steven Berkoff, Actor e Tales of anActor, construindo, a partir da obra do autor inglês, uma nova dramaturgia, sob o título Solidão. Em2003, criou a dramaturgia de Nasus e Flora- uma história de amor, espetáculo de máscaras,inspirado na Commedia Dell`arte. Em 2002, escreveu Desfazendo-nos, um roteiro de ações, paraatores.Diretor teatralEm 2005, dirigiu o espetáculo Solidão. Em 2004 e 2003 dirigiu o espetáculo Nasus e Flora- umahistória de amor. Em 2001, criou O espetáculo espetacular de Derick Dirkwood. Este espetáculo foiencenado e dirigido por Holesgrove em festivais de teatro do Japão, Escócia e Espanha.AtorHolesgrove tem atuado em todas as obras da Arte Tangível. Antes de fundar a Companhia, tambémtrabalhou como ator, em Sydney, onde realizou papéis nos seriados de televisão, “Water Rats”, “AllSaints” e “Farscape”, entre outros. No teatro ainda atuou em várias montagens, destacando SheStoops to Conquer, com The Sydney Theatre Company; Ricardo II e Macbeth, de WilliamShakespeare; Doctor Faustus de Christopher Marlowe; Buried Child, de Sam Shepard e Dancingat Lughnasa de Brian Friel. Apresentou seu espetáculo solo de clown OEspetáculo Espetacular de Derick Dirkwood, em festivais na Europa,Japão, Austrália e América Latina.
  • 11. Alexandre Saul:Formação e atuação profissionalAlexandre Saul recebeu treinamento para atores com a Companhia deTeatro Arte Tangível, em 2003, e integra o núcleo artístico de pesquisa daCompanhia, desde então.É mestrando em Educação: Currículo, pela PUC-SP, sob orientação doProf. Dr. Mário Sergio Cortella, onde desenvolve o projeto de pesquisa“O teatro como codificação da realidade, na perspectiva freireana”. Em2008 e 2009 foi aluno especial de cursos ministrados pelos Profs. Drs.:Jean-Pierre Ryngaert, Sérgio de Carvalho e Maria Lúcia Pupo, noPrograma de Pós-Graduação, do Departamento de Artes Cênicas da Alexandre Saul como Paulo Freire em Sobre Sonhos eECA/USP. Realizou cursos ministrados por Cristiane Paoli-Quito, no EsperançaEstúdio Nova Dança, pelo grupo Tapa e Indac, entre os anos de 1996 e2004. Em 2004 e 2005 estudou cenografia com Karin Wuestefeld, no SENAC. É graduado emCiência da Computação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996 a 1999). É ator epesquisador da Cia Arte Tangível, desde 2004.AtorIntegrou as seguintes montagens: Itãs Odú Medeia (2006 e 2007), O Menino de Pipoca –espetáculo inspirado na mitologia do Orixá Omolu (2007); A Menina das Névoas- espetáculoinspirado na mitologia do Orixá Eua (2007) e Sobre Sonhos e Esperança (2008 e 2009).Anteriormente à sua entrada na Companhia, participou, como ator, das montagens O Urso, deAnton Tchecov e Rádio BBK, espetáculo de criação coletiva, dirigido por Hélio Cícero.SonoplastaParticipou, ainda, do espetáculo Nasus e Flora - uma história de amor - apresentado no CanberraYouth Theatre, na Austrália - como técnico operacional (2004) e Solidão, de Steven Berkoff, queintegrou o 9º Festival do Cultura Inglesa – como sonoplasta- (2005).Fernanda Quatorze VoltasFormação e atuação profissionalFernanda Quatorze Voltas recebeu treinamento para atorescom a Companhia de Teatro Arte Tangível, em 2008, eintegra o núcleo artístico da Companhia, desde então.Em 2009 foi aluna do curso “Aspectos do teatro dialético deBertolt Brecht”, ministrado pelo Prof. Dr. Sérgio de Fernanda Quatorze Voltas como Melissa em Sobre Sonhos e EsperançaCarvalho, no Programa de Pós-Graduação do Departamentode Artes Cênicas da ECA/USP. Em 2007, realizou curso para atores no Teatro Escola Brincante,dirigido por Antonio Nóbrega e em 2006 participou do curso livre de teatro na Oficina dosMenestréis. Entre 2005 e 2007 freqüentou o curso de técnica vocal para atores ministrado porKrystina Kasperowicz e entre 1994 e 2003, participou como atriz, de diversas montagens no teatroamador de Juiz de Fora, Minas Gerais. É graduada em Farmácia e Bioquímica pela UniversidadeFederal de Juiz de Fora.AtrizComo atriz, integra as montagens Sobre Sonhos e Esperança (2008 e 2009) e O Menino de Pipoca
  • 12. (2009), da Arte Tangível.Anteriormente participou do Cruzeiro dos Acontecidos – no Teatro Brincante, Uma BrincadeiraMisturada, com a Cia. Teatral Bubiôficolô e A Dança dos Signos, apresentada no Teatro DiasGomes. NECESSIDADES TÉCNICAS- as dimensões desejadas para o espaço de apresentação são: 10 m x 8m x 4m de altura mínima (seas dimensões não corresponderem, favor nos consultar pois podemos fazer adaptações), comsuperfície lisa.- um ponto de eletricidade 110 v;- uma caixa de som e microfones para a realização do debate pós-espetáculo com os espectadoresque desejarem permanecer no local de apresentação por cerca de mais 30 ou 40 minutos. Sempregostamos de fazer o debate pós-espetáculo, que faz parte da nossa proposta; porém sua execução ounão pode ser submetida à programação do evento. Notas Importantes:Viagens: Viajam apenas os 04 integrantes do núcleo artístico da Companhia Arte Tangível e que compõem oelenco do espetáculo “Sobre Sonhos e Esperança”: Alexandre Saul, Fernanda Quatorze Voltas, Luciana Saule Thomas Holesgrove.Cenário: O cenário é extremamente portátil, podendo ser montado e desmontado no mesmo dia, comfacilidade, pelos membros do elenco da Companhia Arte Tangível (tempo máximo: 50 minutos paramontagem e 30 minutos para a desmontagem).Adaptabilidade da montagem à diferentes espaços de encenação: Esse espetáculo mostra grandeversatilidade de adaptação à diferentes espaços cênicos, e desde sua criação, já foi apresentado emrefeitórios de escolas da rede pública de ensino, auditórios de escolas particulares e teatros tradicionais, comgrande infraestrutura técnica, como os teatros dos CEUs (Centro de Educação Unificado) e do TUCA, emSão Paulo. Para cada local de apresentação, poderemos avaliar antecipadamente as condições técnicasoferecidas, objetivando atender diferentes necessidades e buscando o melhor aproveitamento do espaço esuas possibilidades, em diálogo com a apresentação da peça. A abertura do programa de capacitação de professores do projeto GURI, Santa Marcelina, 2010
  • 13. MAPA DE PALCO
  • 14. MAPA DE LUZ
  • 15. CONTATOSa) nome do projeto: Sobre Sonhos e Esperançab) grupo teatral responsável pelo projeto: Arte Tangível Cia. de Teatro Para Pesquisa ePerformance, website: http://www.artetangivel.com, email: artetangivel@artetangivel.com.brc) representante do grupo: Alexandre Saul. Telefones: (11) 2208-1142 ou (11) 8206- 4172,email: asaul@hotmail.com Sobre Sonhos e Esperança: CEU Jaçanã, 2009