A origem das cantigas de amor veio dos trovadores ;O sujeito poético é masculino ,que exprime os sentimentos amorosos pela...
O amor cortês apresenta-se como ideal, como aspiração que não tende à relação sexual, massurge como estado de espírito que...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)

1,821

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,821
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)

  1. 1. A origem das cantigas de amor veio dos trovadores ;O sujeito poético é masculino ,que exprime os sentimentos amorosos pela dama(destacando a sua coita de amor que o faz ‘’morrer’’ ) ;A rapariga tem um retratodivino , a divinização da mulher, a quem o amado serve , prestandolh vassalagem amorosa;A rapariga é a urna da mulher formosaeideal,frequentemente comprometida ou até casada ,inacessível , quase sobrenaturalO ambiente é raramente sugerido , mas apercebe-se que a cantiga de amor é uma poesia dacorte ou de inspiração palaciana;Asuaarquitecturademestria,o ideal do amor cortês, certovocabulário,oconvencionalismonadescriçãopaisagísticarevelam aorigemprovençal; O amor cortês e as suas regras«Festa e jogo, o amor cortês realiza a evasão para fora da ordem estabelecida e a inversão dasrelações naturais.[…]No real da vida, o senhor domina inteiramente a esposa. No jogo amoroso, serve a dama,inclina-se perante os seus caprichos, submete-se às provas que ela decide impor-lhe.Amor vassalagem: o trovador serve a dama; submete-se à sua vontade e seus caprichos; ela éa suserana que domina o coração do homem que a ama;A dama, muitas vezes mulher casada, é cortejada, e definida como o ser mais perfeito;Para conseguir os favores da dama, o amador tem de passar provações (à semelhança dos ritosde iniciação nos graus de cavalaria);Ao exprimir o seu amor, o trovador deve usar de mesura (autodomínio) para não ferir areputação da dama.; A relação amorosaNas cantigas de amor a beleza e a sensualidade da mulher são sublimadas, mas a relaçãoamorosa não se apresenta como experiência, mas um estado de tensão e contemplação;A «senhor» é cheia de formosura, tipo ideal de mulher, com bondade, lealdade e perfeição;possuidora de honra («prez»), tem sabedoria, grande valor e boas maneiras; é capaz de «falarmui bem» e rir melhor…
  2. 2. O amor cortês apresenta-se como ideal, como aspiração que não tende à relação sexual, massurge como estado de espírito que deve ser alimentado...; pode-se definir, de acordo com ateoria platónica, como ideia pura; aspiração e estado de tensão por um ideal de mulher ouideal de amor;Amor fingimento; enquanto o amor provençal se apresenta mais fingido, de convenção eproduto da imaginação e inteligência, nos trovadores portugueses, aparece, supostamente,mais sincero, como súplica apaixonada e triste.O que é a Atafinda?É quando a ultima frase da estrove não acaba e continua na primeira frase da segunda estrove,e virceversa .O que é a finda?É quando uma estrove mais pequena no fim do verso que faz o resumo e a síntese do verbo.DobrePalavra que se repete sempre no mesmo sitio em todas as estroves (sempre a mesma palavra)Como...Como…MozdobrePalavras que se repetem sempre no mesmo sitio das estroves , mas as palavras têm de ser emsinonimo ou antónimo, na cantiga todaPalavra perdudaCorresponde quando se tem um verso que não rima

×