Anais IX ENENGE

6,474 views
6,260 views

Published on

Anais IX ENENGE - ENCONTRO NACIONAL DE
GERENCIAMENTO EM ENFERMAGEM

1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
6,474
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Anais IX ENENGE

  1. 1. Anais IX ENCONTRO NACIONAL DE GERENCIAMENTO EM ENFERMAGEM
  2. 2. Relação de Trabalhos – Sumário Título: A APLICAÇÃO DE UM CHECKLIST ADMINISTRATIVO SETORIAL EM UMA INSTITUIÇÃO MILITAR NA INTERFACE DA QUALIDADE EM SAÚDE Autores: MÔNICA SIMÕES DA MOTTA DUARTE, LEANIA MARIA DO CARMO OMENA, KATIA HELENA TORRES, ROSEMARY DE SÁ ROSA VERAS Título: A APROXIMAÇÃO A TEORIA DE CAMPO DE FORÇAS DE KURT LEWIN NO TRABALHO EM EQUIPE: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: LUANA CÁSSIA MIRANDA RIBEIRO, DENIZE BOUTTELET MUNARI Título: A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM E A GESTÃO DA QUALIDADE Autores: SUZINARA BEATRIZ SOARES DE LIMA, JOSÉTE LUZIA LEITE, BRUNA PARNOV MACHADO, ALACOQUE LORENZINI ERDMANN, ANA CLÁUDIA SOARES DE LIMA Título: A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO GERENCIAMENTO DE CONDIÇÕES CRÔNICAS NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Autores: MARTA ZIZIANE DORNELES WACHTER, CARLA FÉLIX DOS SANTOS DÉBORA SCHOLTEDEFLT SINIAK VANESSA MACHADO DA COSTA Título: A CONSTRUÇAO DE UM PROTOCOLO DE PREVENÇÃO DE ÚLCERA POR PRESSÃO EM UM HOSPITAL ESTADUAL QUE ATENDE PORTADORES DE DEFICIÊNCIA MENTAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: ALINE CAMILA TAVARES DE AVILA, JONAS SARTORI, VALÉRIA APARECIDA BELLO Título: A CONTRIBUIÇÃO DA FUNÇÃO ADMINISTRATIVA “CONTROLE” PARA A PRÁTICA DE QUALIDADE EM ENFERMAGEM: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: HERICA SILVA DUTRA, CAMILA DE SOUZA BRITTO, JÚLIA DE ALMEIDA ESTEVES, LARYSSA SAMPAIO SILVA, RUBIANY DE NOVAES TOLEDO Título: A ENFERMAGEM FRENTE À LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL: REVISÃO DE LITERATURA. Autores: MARIA JOSÉ CASTELO VENTOSO LUCIANO PEREIRA, ELIANA FERREIRA DE MELO, ARIADNE DA SILVA FONSECA Título: A EQUIPE DE ENFERMAGEM DIANTE DO DILEMA DA MORTE SOB A OTICA DE MADELEINE LEININGER Autores: PERCIVAL VITORINO GUIMARAES, RAPHAELLA LIMA DE SOUZA GUIMARAES Título: A GERÊNCIA DE ENFERMAGEM COMO UNIDADE DE APOIO ÀS UNIDADES DE NEGÓCIO Autores: ISABEL M BONFIM, JARBAS JOSE SALTO JR, ELIANE M YOSHIOKA Título: A HUMANIZAÇÃO DO AMBIENTE FÍSICO HOSPITALAR: PRIVACIDADE/INDIVIDUALIDADE NA INTERNAÇÃO DE PACIENTES Autores: HELENA HEIDTMANN VAGHETTI, DECIANE PINTANELA DE CARVALHO, LUANA BONOW WACHHOLZ Título: A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DE QUALIDADE NAS INSTITUIÇÕES HOSPITALARES Autores: SALVIANO G COSTA, PAULA S. CASTRO, IVONETE S G KOWASLKI, TAIS FORTES Título: A MUDANÇA NO GERENCIAMENTO DA ROTINA DA HIGIENE CORPORAL DO PACIENTE OTIMIZANDO A ASSISTENCIA Autores: PERCIVAL VITORINO GUIMARAES, RAPHAELLA LIMA DE SOUZA GUIMARAES Título: A OCORRÊNCIA DE TRAUMAS EM IDOSOS NO BRASIL ENTRE 2000 E 2011: O ENFERMEIRO PODE MODIFICAR ESTE CENÁRIO Autores: FLAVIA RIBEIRO MARTINS MACEDO, SÉRGIO VALVERDE MARQUES DOS SANTOS Título: A PARTICIPAÇÃO DO ENFERMEIRO NA QUALIDADE DE VIDA DOS PROFISSIONAIS NA CENTRAL DE MATERIAIS E ESTERILIZAÇÃO Autores: FLÁVIA RIBEIRO MARTINS MACEDO, EVELINY SOUZA, RACHEL DA SILVA SANTOS, RAFAELA NOGUEIRA GONÇALVES
  3. 3. Relação de Trabalhos – Sumário Título: A ROTATIVIDADE DA EQUIPE DE ENFERMAGEM NOS HOSPITAIS BRASILEIROS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA Autores: ALUANA MORAES, ANAIR LAZZARI NICOLA, DAISY CRISTINA RODRIGUES, GIOVANNA CAROLINA GUEDES, JOLANA CRISTINA CAVALHEIRE Título: A UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA BRAINSTORMING NA MELHORIA DE UM PROCESSO Autores: FERNANDA MARTINS NOBREGA, LUCIANE HUPALO DA SILVA Título: A UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA DELPHI NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO E VALIDAÇÃO DE INSTRUMENTOS Autores: PERCIVAL VITORINO GUIMARAES, RAPHAELLA LIMA DE SOUZA GUIMARAES Título: ABSENTEÍSMO EM TRABALHADORES DE ENFERMAGEM EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PÚBLICO Autores: KLAYTON RODRIGUES DE SOUZA, MARIANA ANGELA ROSSANEIS, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD, LARISSA GUTIERREZ DA SILVA Título: ACIONAMENTO DE TIME MULTIDISCIPLINAR PARA ATENDIMENTO DE PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA (PCR) EM UMA INSTITUIÇÃO DE SAÚDE Autores: MICHELE JAURES, ISABELLE MARIA BORTOTTI BERGAMO, ANA JÚLIA SOARES LEME Título: ACOLHIMENTO DE ENFERMAGEM Á GESTANTE NO HRAC-USP Autores: CLEIDE CAROLINA DA SILVA, DEMORO MONDINI ISABEL, AURÉLIA LISBOA ARMANDO DOS SANTOS, TRETTENE MARIA IRENE BACHEGA, MARCIA TOITA Título: ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: A ENFERMAGEM INSERIDA NO CONTEXTO DA QUALIDADE INSTITUCIONAL Autores: SUZINARA BEATRIZ SOARES DE LIMA, JOSÉTE LUZIA LEITE VERA, REGINA REAL LIMA GARCIA, MARLENE KREUTZ RODRIGUES, SOELI TERESINHA GUERRA Título: ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: AVALIAÇÃO DO CENTRO CIRÚRGICO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Autores: LUCIANA NUNES SOARES, ALESSANDRO MARQUES DOS SANTOS, ELIANA SOARES DOMINGUES, DAIANE FREDA ARAÚJO, MARA REGINA BERGMANN THUROW Título: ADESÃO À HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS POR PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE NA UTI ADULTO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO SÃO FRANCISCO DE PAULA EM PELOTAS/RS Autores: PÂMELA BARROS DE LEON, LIANA LONGO TEIXEIRA, ALESSANDRO MARQUES DOS SANTOS Título: AMOSTRAPARANÁ DA CARGA DE TRABALHO DE ENFERMAGEM EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO OESTE DO Autores: DAISY CRISTINA RODRIGUES, GIOVANNA CAROLINA GUENDES, ALUANA MORAES, JOLANA CRISTINA CAVALHEIRI, ANAIR L NICOLA Título: ANALISANDO O QUE IMPULSIONA E RESTRINGE O TRABALHO EM EQUIPE NA SAÚDE DA FAMÍLIA: REVISÃO NARRATIVA DE LITERATURA Autores: ANA CRISTINA SUSSEKIND, DENIZE BOUTTELET MUNARI, BARBARA SOUSA ROCHA, LUANA CÁSSIA MIRANDA RIBEIRO Título: ANÁLISE DA COMPREENSÃO DO PROCESSO DE TRABALHO GERENCIAL DOS ENFERMEIROS DE UM HOSPITAL PÚBLICO ACREDITADO Autores: MARIA VALÉRIA PEREIRA, WILZA CARLA SPIRI Título: ANÁLISE DA DEMANDA DE CUIDADOS NA ALTA HOSPITALAR DE INSTITUIÇÕES PÚBLICAS MUNICIPAIS DE SÃO PAULO Autores: ALEXANDRA BULGARELLI DO NASCIMENTO Título: ANÁLISE DA OCORRÊNCIA DE QUEDAS EM HOSPITAL ESPECIALIZADO EM CARDIOPNEUMOLOGIA Autores: ADRIANO ROGÉRIO BALDACIN RODRIGUES, MARIA LIMA S. FIORANTE, ELOISA SCHMIDT, LEANDRO APARECIDO BALDACIN RODRIGUES, JUREMA DA SILVA HERBAS PALOMO Título: ANÁLISE DA QUEIXA TÉCNICA DE MATERIAL MÉDICO-HOSPITALAR NO PROCESSO DE VIGILÂNCIA PÓS COMERCIALIZAÇÃO Autores: ROSELI BROGGI GIL, GISLENE APARECIDA XAVIER DOS REIS, MARIANA ANGELA ROSSANEIS, ADRIANNO L. CANTARIN, ANA MARIA LAUS
  4. 4. Relação de Trabalhos – Sumário Título: ANÁLISE DE INTERCORRÊNCIAS ASSISTENCIAIS DE ENFERMAGEM ATRAVÉS DA ENGENHARIA DE SISTEMAS COGNITIVOS Autores: ERICA ROSALBA MALLMANN DUARTE, MARTA BRATZ Título: APLICAÇÃO DO NURSING ACTIVITIES SCORE EM PACIENTES DE ALTA COMPLEXIDADE EM UM PRONTO SOCORRO Autores: LUCIANE ROBERTA APARECIDA VIGO, EDVANIA SCHNEIDER DE CAMPOS, DAYSE APARECIDA PINHEIRO Título: ASPECTOS INTERVENIENTES NA MOTIVAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EQUIPE DE ENFERMAGEM Autores: CRISTIANE HELENA RUELA, RAQUEL MACHADO CAVALCA COUTINHO Título: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM E COMPETÊNCIAS GERENCIAIS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE Autores: MARTA ZIZIANE DORNELES WACHTER, CARLA FÉLIX DOS SANTOS, VANESSA MACHADO DA COSTA, DÉBORA SCHLOTEFELDT SINIAK, JUCIANE APARECIDA FURLAN INCHAUSPE Título: ATIVIDADES DO RESIDENTE EM GERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM EM UMA COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR Autores: FRANCIELY MIDORI BUENO DE FREITAS, PALOMA DE SOUZA CAVALCANTE, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD, RENATA APARECIDA BELEI, MARIANA ANGELA ROSSANEIS Título: ATIVIDADES DO SUPERVISOR DE ENFERMAGEM NO CONTEXTO HOSPITALAR – RELATO DE EXPERIENCIA Autores: ROSILENE DUARTE CAMPOS SILVA, EDNA KINUE NISHIMURA ONOE, SIMONI LOPES REIS, TANIA REGINA SANTOS, CATIA REGINA PEREIRA Título: ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NA PROMOÇÃO DE SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL (DI ) Autores: LEANDRO LACERDA DOS REIS, MARCELA PEREIRA URBINI SAADI, GIOVANA MONTORO PAZZINI, CLAUDIA PAGOTTO CASSAVIA, SILVANA BERTONCINI Título: AUDITORIA DE ENFERMAGEM IN LOCO: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: RUTH MEYRE DE FREITAS FRONIVAL LOPES, FILOMENA MARQUES QUEIROZ, SUSANA MARIA MEDEIROS DE OLIVEIRA, ADRIANO MACEDO DOS SANTOS, FERNANDA DE LIRA NUNES PAULINO Título: AUSÊNCIA DO SISTEMA DE REFERÊNCIA E CONTRA REFERÊNCIA: EFEITOS NA ASSISTÊNCIA DO USUÁRIO Autores: TEREZINHA APARECIDA CAMPOS, SILVANIA LOPES PINHEIRO, ANAIR LAZZARI NICOLA, GEISIANE DOS SANTOS HUPFER, GLEICY KELLY TELES DA SILVA Título: AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO COM INSTRUMENTO ESPECÍFICO Autores: SUZINARA BEATRIZ SOARES DE LIMA, MARLENE KREUTZ RODRIGUES, ANTÃO TADEU DE SOUZA, ODETE TERESINHA PORTELA, IARA BARBOSA RAMOS Título: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO PROCESSO DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO EM SERVIÇO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA Autores: DANIEL DOS SANTOS DANIEL FERNANDES, NATALIA LAS CAZAS MONTEIRO, PATRICIA RICIERI BERNI, EDER JULIO ROCHA DE ALMEIDA, ISABELA MAISE ANDRADE SOTER Título: AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES DA COMISSÃO DE HUMANIZAÇÃO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Autores: ALUANA MORAES, ANAIR LAZZARI NICOLA Título: AVALIAÇÃO DOS REGISTROS DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO NO SUPORTE A VIDA DA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO TANCREDO NEVES DE CASCAVEL Autores: MARCIA LUCIA LODI FERRI
  5. 5. Relação de Trabalhos – Sumário Título: AVALIAÇÃO ERGONOMICA DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM EM UM AMBIENTE HOSPITALAR NA INTERFACETRABALHADORES X EQUIPAMENTOS Autores: LEANDRO HENRIQUE RODRIGUES ,JEFERSON BARELLA, LUIS CARLOS PASCARELLI, MARIA VALÉRIA PEREIRA Título: CAMPO DE FORÇAS IMPULSORAS E RESTRITIVAS DO TRABALHO EM EQUIPE EM SERVIÇOS DE SAÚDE DE ALTA E BAIXA COMPLEXIDADE Autores: ANA CRISTINA SUSSEKIND, MYRIAN KARLA AYRES VERONEZ PEIXOTO, LUANA CÁSSIA MIRANDA RIBEIRO, DENIZE BOUTTELET MUNARI Título: CAPACITAÇÃO DISCENTE NO PROCESSO DE TRABALHO EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÉCNICO EM ENFERMAGEM Autores: JULIANA ALMEIDA COELHO, FRANCIELE CARDOSO DE VARGAS Título: CARGA DE TRABALHO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Autores: ROSELENA PECHOTO DE OLIVEIRA, ANA MARIA LAUS, TATIANA ALTISSIMO NOGUEIRA, THAMIRIS RICCI ARAUJO, MAYRA MENEGUETI Título: CLASSIFICAÇÃO DE PACIENTES PEDIÁTRICOS EM UM HOSPITAL DE ALTA COMPLEXIDADE Autores: FERNANDA G. BICUDO, DIANA VILELA, MARIA APARECIDA ABREU DA SILVA, MARIA LUCIANAI DOS SANTOS, ELIANE M. YOSHIOKA Título: COLCHÕES ESPECIAIS PARA PREVENÇÃO DE ÚLCERAS POR PRESSÃO: REVISÃO INTEGRATIVA Autores: FERNANDA BORGES, KELLY CRISTINA INOUE, LAURA MISUE MATSUDA, JOÃO LUCAS CAMPOS DE OLIVEIRA Título: COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS PROCURADOS PELOS GESTORES, VISANDO À CONTRATAÇÃO DE ENFERMEIROS PARA SERVIÇOS HOSPITALARES Autores: CAMILA HELEN DE OLIVEIRA, MARA SOLANGE GOMES DELLAROZA, MARLI TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD, MARIANA ANGELA ROSSANEIS Título: CONCORDÂNCIA DA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO TANCREDO NEVES DE CASCAVEL PR. Autores: MARCIA LUCIA LODI FERRI Título: CONSTRUÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE FERRAMENTA PARA REGISTRO DAS METAS ASSISTENCIAIS MULTIDISCIPLINARES Autores: RITA DE CÁSSIA PIRES COLI, ROSANA PERIN COSTA, SILVIA MARIA CURY ISMAEL, MARISA DE MORAES REGENGA, SIOMARA TAVARES FERNANDES YAMAGUTI Título: CONTINUIDADE DAS AÇÕES EDUCATIVAS EM UMA INSTITUIÇÃO MILITAR Autores: ROSEMARY DE SÁ ROSA VERAS, MÔNICA SIMÕES DA MOTTA DUARTE Título: CORRELAÇÃO ENTRE FONTES, FATORES E SINTOMAS DE ESTRESSE EM ENFERMEIROS GESTORES HOSPITALARES DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE Autores: FRANCIELY MIDORI BUENO DE FREITAS, FERNANDA NOVAES MORENO, MARLI TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI, LARISSA GUTIERREZ DA SILVA, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: CULTURA ORGANIZACIONAL DE UM HOSPITAL PSIQUIÁTRICO DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Autores: ROCHA FLR, GAIOLI CCLO, CAMELO SHH, PILLON SC, MININEL VA Título: CULTURA ORGANIZACIONAL E GESTÃO PARTICIPATIVA: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA Autores: ALESSANDRA BASSALOBRE GARCIA, VANESSA GOMES MAZIERO, FERNANDA LUDMILLA ROSSI ROCHA, ANDREA BERNARDES, CARMEN SILVIA GABRIEL
  6. 6. Relação de Trabalhos – Sumário Título: CULTURA ORGANIZACIONAL E PRAZER E SOFRIMENTO NO TRABALHO DA ENFERMAGEM Autores: ALESSANDRA BASSALOBRE GARCIA, FERNANDA LUDMILLA ROSSI ROCHA Título: CUSTOS COM INFECÇÃO DE SÍTIO CIRÚRGICO EM IDOSOS Autores: ÉRIKA MARIA IZAIAS, HELLEN EMÍLIA PERUZZO, MARA SOLANGE GOMES DELLAROZA Título: CUSTOS COM INFECÇÃO DE SÍTIO CIRÚRGICO EM IDOSOS Autores: ÉRIKA MARIA IZAIAS, HELLEN EMÍLIA PERUZZO, MARA SOLANGE GOMES DELLAROZA, MARIANA ÂNGELA ROSSANEIS, FERNANDA NOVAES MORENO Título: DESAFIOS DE ENFERMEIROS NA IMPLEMENTAÇÃO DO NURSING ACTIVIES SCORE (NAS) EM UMA UTI CIRÚRGICA Autores: FERNANDA SCHNATH, KÁTIA BOTTEGA MORAES, FABIANA ZERBIERI MARTINS, DENISE TOLFO SILVEIRA Título: DESAFIOS E CONQUISTAS DO ENFERMEIRO NA GESTÃO DE LEITOS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: DANIELLE FABIANA CUCOLO, ANA PAULA SILVA PEREIRA DANIEL, JANAÍNA CRISTINA SANTOS, ANA LUIZA FERREIRA MERES Título: DESENVOLVENDO COMPETÊNCIAS PARA O EXERCÍCIO DA LIDERANÇA NA ENFERMAGEM: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: JOÃO LUCAS CAMPOS DE OLIVEIRA, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD, LAURA MISUE MATSUDA Título: DESENVOLVIMENTO DA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM – SAE, POR MEIO DO PROCESSO DE ENFERMAGEM (PE) EM INSTITUIÇÕES HOSPITALARES DO BRASIL. Autores: ANA GABRIELA CAVALCANTI CARNEIRO MONTEIRO, KEITY SAUANA TIBES, MARISTELA BOSCO SABADINI, JULIA VALÉRIA IVANOR BITENCOURT Título: DIAGNÓSTICO SITUACIONAL SOBRE ESTRESSE EM ENFERMEIROS DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Autores: ARMANDO DOS SANTOS TRETTENE, CLEIDE CAROLINA DA S. D. MONDINI, ROSANA BONETE DA COSTA, ISABEL AURELIA LISBOA Título: DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM EM GESTANTES EM PRÁTICAS EDUCATIVAS Autores: VANESSA SERRANO, MIRIAM APARECIDA DE ABREU CAVALCANTE, SHEILLA SIEDLER TAVARES, GABRIELA RODRIGUES ZINN, DANIELE CRISTINA COMINO NALOTO Título: DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM NA UNIDADE DE RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICA Autores: MORGANA MORBACH BORGES, TATIANE COSTA DE MELO Título: DIMENSIONAMENTO DE PESSOAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO: UM ESTUDO DE CASO Autores: SOUZA, C A C S; FERRÃO, P P A.; RIBEIRO, A.; OLIVEIRA, A. L. G. M.; SOUZA, A. S; Título: DIMENSIONAMENTO DE PESSOAL EM ENFERMAGEM DO HOSPITAL Dr. MIGUEL RIET CORREA Jr. Autores: MARCIA CARLA DUARTE, CARMEM RODRIGUES, RITA ROSALLES, JANAINA AMORIM DE AVILA, OSEIAS de CARVALHO Título: DINÂMICA ENTRE A ENFERMAGEM E O SETOR DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA ADULTO Autores: MARA JÚLIA ANDRADE MONTEIRO, RODRIGO NONATO COELHO MENDES, FERNANDA NOVAES MORENO, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE CONFERÊNCIA PARA CARRO DE EMERGÊNCIA Autores: HERICA SILVA DUTRA, CAMILA DE SOUZA BRITTO, CLÁUDIO VITORINO PEREIRA, SANDRA TRINDADE TOLEDO, RUBIANY DE NOVAES TOLEDO
  7. 7. Relação de Trabalhos – Sumário Título: ELABORAÇÃO DE PROTOCOLO ASSISTENCIAL PARA INDICAÇÃO PICC EM GESTANTES DE ALTO RISCO Autores: MARCIA L. V.S.SASAKI, SIMONE ISIDORO PRADO Título: ELABORAÇÃO DE UM GUIA PRÁTICO E UM CHEK LIST PARA MONTAGEM DOS QUARTOS DE IODOTERAPIA Autores: ROSILENE DUARTE CAMPOS SILVA, ROSANA VIEIRA, CRISTINA MARIA DE OLIVEIRA SUADICANI Título: ELABORAÇÃO E USO DE UM ROTEIRO DE SUPERVISÃO EM ENFERMAGEM: VIVÊNCIAS DE ACADÊMICOS EM UNIDADE HOSPITALAR Autores: HERICA SILVA DUTRA, JÚLIA DE ALMEIDA ESTEVES, ANNA PAULA RIBEIRO SILVA, SANDRA TOLEDO TRINDADE, RUBIANY DE NOVAES TOLEDO Título: ENFERMEIRO AUDITOR: DESAFIOS DO TRABALHO EM UMA OPERADORA DE PLANO DE SAÚDE Autores: ANA BEATRIZ PEREZ AFONSO, ROSELI GIL, ANA MARIA LAUS Título: EQUIPO PARA INFUSÕES PARENTERAIS: VOCÊ CONHECE E SABE UTILIZAR? Autores: DENISE COSTA DIAS, DENISE DE FÁTIMA HOFFMANN RIGO, FABIELI BORGES Título: ESTRATÉGIA DE MARKETING DIGITAL ADOTADA POR HOSPITAIS BRASILEIROS Autores: POLIANA LURI KAYAMA YABUUTI, MARIANA ANGELA ROSSANEIS, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD, LARISSA GUTIERREZ DE CARVALHO SILVA Título: ESTRATÉGIAS PARA IMPLANTAR UM PROGRAMA SEGURANÇA DO PACIENTE EM UMA ORGANIZACAO HOSPITALAR PÚBLICA Autores: MARIA DO ESPIRITO SANTO DA SILVA, ANA BARBARA RESSURREICAO MASCARENHAS, SHEILA KELLY LACERDA SOUZA MELLO Título: ESTRUTURAÇÃO PRÁTICA E TEÓRICA DO INTERNATO DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE ESATDUAL DE LONDRINA NA CONCEPÇÃO DOS INTERNOS Autores: BEATRIZ SILVA IGNOTTI, SIMONE DOMINGUES GARCIA MARLI, TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI Título: ESTUDO RETROSPECTIVO DA INCIDÊNCIA DE FLEBITE EM PACIENTE PEDIÁTRICO EM USO DE CATETER VENOSO CENTRAL DE INSERÇÃO PERIFÉRICA E CATETER INTRAVENOSO PERIFÉRICO Autores: ANA CLAUDIA GOES, WILZA CABRAL RODRIGUES DA SILVA, MARIA WILSA CABRAL RODRIGUES OLIBONI Título: EXPERIÊNCIA DE RESIDENTE DE ENFERMAGEM NO GERENCIAMENTO E CUIDADO DO PRONTO-SOCORRO DE UM HOSPITAL ESCOLA Autores: JOLANA CRISTINA CAVALHEIRI, GIOVANNA CAROLINA GUEDES, ALUANA MORAES, DAISY CRISTINA RODRIGUES, LORENA MORAES GOETEM GEMELLI Título: EXPERIÊNCIA DE UMA RESIDENTE DE ENFERMAGEM EM GERENCIAMENTO DE MATERIAIS EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO OESTE DO PARANÁ Autores: GIOVANNA CAROLINA GUEDES, JOLANA CRISTINA CAVALHEIRI, DAISY CRISTINA RODRIGUES, ALUANA MORAES, LUCIANA MAGNANI FERNANDES Título: FLUXO DE PACIENTES DE PROCEDIMENTOS GERENCIADOS CIRÚRGICOS EM UMA UNIDADE DE INTERNAÇÃO ESPECIALIZADA EM GASTROENTEROLOGIA Autores: ISABELLE MARIA BORTOTTI BERGAMO ,TATIANE RAMOS CANERO, ANA JÚLIA SOARES LEME, ANDREA MARIA CARNEIRO PAIVA Título: GERENCIAMENTO DA QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA: CONCEITOS E IMPLICAÇÕES SOB A ÓTICA DE ENFERMEIROS Autores: ANA RENATA MOURA RABELO, MARÍLIA ALVES, HELEN CRISTINY TEODORO COUTO RIBEIRO, ALESSANDRA DIAS COSTA E SILVA Título: GERENCIAMENTO DO CUIDADO UTILIZANDO PROTOCOLOS DE PREVENÇÃO: RELATO DE EXPERIÊNCIA EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Autores: DANIELLE FABIANA CUCOLO, ADELINE MARIANO DA SILVA, EDMAR OLIVERIA SOUSA, MARIA LÍDIA MARQUES, FERNANDA CONTIERI
  8. 8. Relação de Trabalhos – Sumário Título: GERENCIAMENTO DO PROTOCOLO DE SEPSE NO HOSPITAL ALVORADA MOEMA Autores: GISELE DA SILVA OLIVEIRA Título: GERENCIAMENTO NA ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: MARTA ZIZIANE DORNELES WACHTER, CARLA FÉLIX DOS SANTOS, ERONDINA DE FÁTIMA AZAMBUJA DE DEUS, LETÍCIA SANGUINETTI HOFFMEISTER, VANESSA MACHADO LOPES Título: GESTÃO COMPARTILHADA EM ENFERMAGEM: A EXPERIÊNCIA DE UM INSTITUTO DE SAÚDE FEDERAL Autores: IZA CRISTINA DOS SANTOS, KARLA VALÉRIA PACHECO TEIXEIRA DA SILVA ARCOVERDE, LOURDES ALEXANDRINA DE CASTRO NEVES, JANISE DORNELLAS Título: GESTÃO DA QUALIDADE NA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM UNIDADE DE CLÍNICA CIRÚRGICA Autores: LIANGE ARRUA RABENSCHLAG, SUZINARA BEATRIZ SOARES DE LIMA, TANISE FINAMOR FERREIRA TONINI, FRANCISLENE LOPES MENEZES, BRUNA PARNOV MACHADO Título: GESTÃO PARTICIPATIVA NA ANÁLISE DE INDICADORES HOSPITALARES: RELATO DE EXPERIÊNCIA EM HOSPITAL FILANTRÓPICO Autores: LUCIANE APARECIDA ZANETTI, GEOVANA APARECIDA RAMOS, HILTON DA CRUZ BUENO, LUIZ SALLIM EMED Título: HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO AO PACIENTE E ACOMPANHANTE FAMILIAR – RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: EDNA KINUE NISHIMURA ONOE, LUIZA HIROMI TANAKA, ROSILENE DUARTE CAMPOS SILVA Título: HUMANIZAÇÃO NO GERENCIAMENTO DE ENFERMAGEM: UMA REVISÃO DA INTEGRATIVA DA LITERATURA Autores: ALUANA MORAES, ANAIR LAZZARI NICOLA Título: IDENTIFICAÇÃO DAS ÂNCORAS DE CARREIRA DE ENFERMEIROS: SUBSÍDIOS PARA A CONSTRUÇÃO DO PERCURSO PROFISSIONAL Autores: MELISSA MESSIAS, MARIA HELENA TRENCH CIAMPONE Título: SAE: IMPLANTAÇÃO DA ESCALA DE TRIAGEM ESI ADAPTADA EM UM PRONTO-SOCORRO ESPECIALIZADO: RELATO DE EXPERIÊNCIA . Autores: LUCIANE ROBERTA APARECIDA VIGO, EDVANIA SCHNEIDER DE CAMPOS Título: IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO À VISTA NA GERENCIA DE ENFERMAGEM Autores: RITA DE CÁSSIA PIRES COLI, LÍDIA CUNHA FELIPE DE ALMEIDA, ANA LÚCIA CAPUCHO LORENA ABRAHÃO, JOSÉ CÉSAR RIBEIRO Título: IMPLANTAÇÃO DE ESTRATÉGIA INSTITUCIONAL PARA CONTROLE DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE MÉDIA COMPLEXIDADE Autores: GABRIELA MACHADO EZAIAS, JEFFERSON MÁRCIO RODRIGUES, EDMILSON DE OLIVEIRA, DENISE DA SILVA SCANEIRO SARDINHA Título: IMPLANTAÇÃO DO TIME OUT PARA O EXAME DE ECOCARDIOGRAMA TRANSESOFÁGICO COMO SEGURANÇA AO PACIENTE: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: LUCIANE ROBERTA APARECIDA VIGO, EDVANIA SCHNEIDER DE CAMPOS Título: IMPORTÂNCIA DA REFERÊNCIA E CONTRA REFERÊNCIA EM UM PROGRAMA DE EXTENSÃO Autores: SHEILA KARINA, LUDERS MEZA, TEREZINHA APARECIDA CAMPOS, SILVANIA PINHEIRO LOPES, ALESSANDRO RODRIGO ZANATO, GLEICY KELLY TELES Título: INDICADORES DE INFECÇÃO DE SÍTIO CIRÚRGICO RELACIONADOS AO PROCESSO DE TRABALHO E À ESTRUTURA DA UNIDADE DE CENTRO CIRÚRGICO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO OESTE DO PARANÁ Autores: DÉBORA CRISTINA IGNÁCIO ALVES, MARCOS AURÉLIO RODRIGUES ALCIDES, FABIANA GONÇALVES DE OLIVEIRA AZEVEDO MATOS, WEVELLEN CANOLA PERIN BONSERE, IVONE CALADO OLIVEIRA GARCIA Título: INDICADORES DE PROCESSO NA PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO SÍTIO CIRÚRGICO NO PARTO CESÁREO Autores: VIVIANI SILVEIRA MORAES, TAIRINI REICHOW DA SILVA, LUCIENE SMITHS PRIMO, LUCIANA NUNES SOARES, ANA PAULA DA PAZ GRALA
  9. 9. Relação de Trabalhos – Sumário Título: INDICADORES DE QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: ESTRATIFICAÇÃO PARA UM SERVIÇO ESPECIALIZADO. Autores: ARMANDO DOS SANTOS TRETTENE, CLEIDE CAROLINA DA SILVA DEMORO MONDINI, ISABEL AURELIA LISBOA, CASSIANA M.B. FONTES, LARESSA MANFIO MONTEIRO Título: INDICADORES DE QUALIDADE DE ENFERMAGEM:relato de experiência acerca da capacitação de enfermeiros integrantes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar Autores: ROSEMEIRE KEIKO HANGAI, LUZIA H.VIZONA FERRERO, CRISTIANE OLIVEIRA A. NAVAS, FÁTIMA S. FURTADO GEROLIN, MÁRCIA MARIA BARALDI Título: INDICADORES DE QUALIDADE NA GESTÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM: REVISÃO INTEGRATIVA Autores: MÔNICA BATISTA BOFF BELLÈ, DÉBORA BATISTA RODRIGUES FERREIRA, RITA DE CASSIA PREMOLI Título: INDICADORES DE QUALIDADE NA OPINIÃO DE ENFERMEIROS EM HOSPITAIS DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE Autores: PALOMA DE SOUZA CAVALCANTE, MARIANA ANGELA ROSSANEIS, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD, CARMEN SILVIA GABRIEL Título: INDICADORES DO SERVIÇO DE TRIAGEM DE UM PRONTO ATENDIMENTO NUM HOSPITAL PRIVADO DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO Autores: MARCIA BOESSIO DOS SANTOS, AUDRY ELIZABETH DOS SANTOS, SAMIA DENADAI PIRES Título: INFLUÊNCIA DA CULTURA ORGANIZACIONAL NA GESTÃO PARTICIPATIVA: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA . Autores: ALESSANDRA BASSALOBRE GARCIA, VANESSA GOMES MAZIERO, FERNANDA LUDMILLA ROSSI ROCHA, ANDREA BERNARDES, CARMEN SILVIA GABRIEL Título: INSTRUMENTO PRÁTICO PARA CLASSIFICAÇÃO DE PACIENTES CONFORME FUGULIN E BRADEN SIMULTANEAMENTE Autores: NAITIELLE DE PAULA PANTANO, HELENO DE SOUSA FARIA, LAIS FERRARI CHAGAS, JANAINA BARBOZA Título: INTERDISCIPLINARIDADE ENTRE AS RESIDÊNCIAS DE ENFERMAGEM E FARMÁCIA PARA MELHORAR A SEGURANÇA NO USO DE ANTIMICROBIANOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: DAISY CRISTINA RODRIGUES, SILVANIA LOPES PINHEIRO, TEREZINHA APARECIDA CAMPOS, ANA CAROLINA PENARIOL, CHAIANE TONIN Título: INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NO MANEJO DA PELE DO RECÉM NASCIDO PREMATURO NA UNIDADE NEONATAL Autores: MARCIA L. V.S.SASAKI, SIMONE ISIDORO PRADO Título: JULGAMENTO CLÍNICO E PENSAMENTO CRÍTICO – ELEMENTOS ESSENCIAIS PARA PRATICA ASSISTENCIAL SEGURA Autores: ROSANA PELLICIA PIRES, CONCEIÇÃO ZECHINELI Título: LIDERANÇA EM ENFERMAGEM: UMA PERCEPÇÃO DAS ACADÊMICAS DE ENFERMAGEM NA CLÍNICA CIRÚRGICA DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Autores: VIVIANI SILVEIRA MORAES, TAIRINI REICHOW DA SILVA, LUCIANA NUNES SOARES, ALESSANDRO MARQUES DOS SANTOS, ELIANA SOARES DOMINGUES Título: LIDERANÇA, COMUNICAÇÃO E INOVAÇÃO: FATORES IMPORTANTES PARA O GERENCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NOS SERVIÇOS DE SAÚDE. Autores: DIAS, INGRED NATALYE BERNARDO; LIMA, DANIELY DYEIMY DE OLIVEIRA; VIVIANE, VIVIANE MAMEDE Título: MAPEANDO O CLIMA E AS COMPETÊNCIAS DOS ENFERMEIROS DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DO INSTRUMENTO LISTA DE ADJETIVOS BIPOLARES E EM ESCALA DE LIKERT Autores: ELIANA FERREIRA DE MELO, WILMA LOPES LUCENA, LUIZ BORDIN
  10. 10. Relação de Trabalhos – Sumário Título: MARKETING INOVADOR NA CAMPANHA DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS Autores: EDNA N. ONOE, LUCIENE C.S. FERRARI, MARCIA UTIMURA AMINO, SUZANA M. BIANCHINI, ROSILENE D.C SILVA Título: MARKETING PESSOAL NA ENFERMAGEM: ESTUDO DE REVISÃO Autores: JOSIVALDO BARRETO ANDRADE, VICTOR CAUÊ LOPES Título: MUDANÇA DE HOSPITAL GERAL PARA HOSPITAL DE ENSINO E AS IMPLICAÇÕES PARA O TRABALHO DO ENFERMEIRO Autores: LUCIANA APARECIDA FABRIZ, ELIZABETH BERNARDINO, MARIA MARTA NOLASCO CHAVES, AIDA MARIS PERES Título: NÍVEL DA SATISFAÇÃO DOS ENFERMEIROS QUE ATUAM NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA EM UM MUNICÍPIO DO SUL DE MINAS GERAIS Autores: FLÁVIA RIBEIRO MARTINS MACEDO, MAURÍCIO DURVAL DE SÁ, PAMELLA ALMEIDA FERRERIA OLIVEIRA Título: NÍVEL DE SATISFAÇÃO PROFISSIONAL DA ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL DA REGIÃO NORTE DO RS Autores: LEONARDO PRAMIO, FERNANDA SARTURI, TACIANA RAQUEL GEWEHR, FELIPE SELTENREICH BISCHOFF Título: NOTIFICAÇÃO DE EVENTOS ADVERSOS: A BUSCA PARA UMA ASSISTÊNCIA SEGURA Autores: FLÁVIA RIBEIRO MARTINS MACEDO, CAROLINE RESENDE BARBOSA, MONIQUE REIS VILELA, RENATA GARCIA DO VALLE Título: NOVAS PERSPECTIVAS DA LIDERANÇA EM ENFERMAGEM Autores: JUREMA DE OLIVEIRA SANTOS Título: O CATETER CENTRAL DE INSERÇÃO PERIFÉRICA COMO ALTERNATIVA DE ACESSO VENOSO PARA PACIENTES GRAVES Autores: PERCIVAL VITORINO GUIMARAES, RAPHAELLA LIMA DE SOUZA GUIMARAES Título: O ENFERMEIRO COMO EDUCADOR EM SAÚDE NA PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO Autores: ANDRESSA MARTINS DIAS, SUELI APARECIDA CASTILHO CAPARROZ, FERNANDO NOVAES MORENO MARLI, TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI Título: O ENFERMEIRO COMO MEMBRO DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL INTEGRANDO A COMISSÃO DE PRONTUÁRIO: A BUSCA PELA EXCELÊNCIA NOS REGISTROS Autores: MARIA ZAIRA BENITES GONCALVES, WANE AMARAL, CYNTHIA KOURY, ANDRE RAMOS NETO Título: O ENFERMEIRO DE REFERÊNCIA NA PRÉ CONSULTA EM PACIENTES SUBMETIDOS AO TRATAMENTO DE IODOTERAPIA Autores: ROSILENE DUARTE CAMPOS SILVA, EDNA ONOE Título: O INTERNATO DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA: CONQUISTAS E DESAFIOS NA SUA REALIZAÇÃO Autores: SIMONE DOMINGUES GARCIA, MARLI TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI Título: O PAPEL DO ENFERMEIRO NA CULTURA DE SEGURANÇA EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSO Autores: FLÁVIA RIBEIRO MARTINS MACEDO, ADELAIDE GONÇALVES DANTAS, CELINA LOPES DA SILVA ALVES Título: O PAPEL DO ENFERMEIRO NA GESTÃO DE RISCO QUANTO À NOTIFICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO EM PACIENTES HOSPITALIZADOS Autores: FLÁVIA RIBEIRO MARTINS MACEDO, FERNANDA DE OLIVEIRA SALGADO, SIMONE FERREIRA AZEVEDO, JOYCE CRISTINA FERREIRA NEVES GUIMARÃES Título: O PAPEL DO ENFERMEIRO NO SISTEMA PRISIONAL: ESTUDO DA SAÚDE GINECÓLOGIA DE DETENTAS EM UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS. Autores: FLÁVIA RIBEIRO MARTINS MACEDO, ANA PAULA ALVES SANTANA, SÂMEA ARAÚJO PEREIRA
  11. 11. Relação de Trabalhos – Sumário Título: O PROCESSO DE ACREDITAÇÃO: ESTUDO SOBRE A CONSTRUÇÃO COLETIVA DA MELHORIA DA GESTÃO DA QUALIDADE EM SAÚDE Autores: MÔNICA SIMÕES DA MOTTA DUARTE, ZENITH ROSA SILVINO, MARGARETHE SANTIAGO REGO, CRISTINA LAVOYER ESCUDEIRO Título: O SISTEMA DE MEDICAÇÃO: FATORES DE RISCO E MEDIDAS PARA PREVENÇÃO DE ERROS EM UMA INSTITUIÇÃO HOSPITALAR PÚBLICA Autores: MARIA ELISA SOARES DALTRO, ANDREIA DE SOUZA COSTA BASTOS, JULIANA VENTURA PINTO, LAIS DA SILVA MENDES, SHEILA KELLY LACERDA MELLO Título: O TEMPO DE PERMANÊNCIA DE PACIENTES EM HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO PAULO QUE DEMANDARAM TRANSFERÊNCIA PARA SERVIÇOS DE REFERÊNCIA Autores: ALEXANDRA BULGARELLI DO NASCIMENTO Título: OTIMIZAÇÃO DO TEMPO GASTO NA FORRAÇÃO DOS QUARTOS DE IODOTERAPIA Autores: ROSILENE DUARTE CAMPOS SILVA, VASNI DE ARAÚJO BRITO, GLEYSON DE OLIVEIRA Título: PADRONIZAÇÃO DOS PROCESSOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE Autores: ADRIANO GARCIA, SUZANA BRITTO, ROGÉRIO DA SILVA RODRIGUES, ELISIANE LORENZINI Título: PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DE NÍVEL MÉDIO DE ENFERMAGEM COM DUPLO VÍNCULO EMPREGATÍCIO Autores: KAMILA DARROS TAMELLINE, MARA SOLANGE GOMES DELLAROZA, LARISSA GUTIERREZ DE CARVALHO SILVA, MARIANA ANGELA ROSSANEIS, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: PERFIL ASSISTENCIAL DOS PACIENTES CLÍNICOS E CIRÚRGICOS DE UM HOSPITAL PRIVADO ONCOLÓGICO DE SÃO PAULO. Autores: CLAUDIA DONATTIC NOGUEIRA, VANESSA DE OLIVEIRA CAMANDONI, CAMILA BORLINO JACOB, LUANE APARECIDA GOMES FERNANDES, DANIELE DE ALMEIDA PEREIRA Título: PERFIL DE COMPETÊNCIAS INDIVIDUAIS PARA ENFERMEIROS GESTORES DE ESCOLAS DE ENFERMAGEM Autores: VALNICE DE OLIVEIRA NOGUEIRA, ISABEL CRISTINA KOWAL OLM CUNHA Título: PERFIL SÓCIO-DEMOGRÁFICO DA UTILIZAÇÃO DOS LEITOS DE INTERNAÇÃO EM HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO PAULO Autores: ALEXANDRA BULGARELLI DO NASCIMENTO Título: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SITUACIONAL EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE CASCAVEL/PR: RELATO DE EXPERIÊNCIA DE UMA ACADÊMICA DE ENFERMAGEM Autores: GIOVANNA CAROLINA GUEDES, NELSI TONINI, PAULA FRANCIELLI BARBOSA ARAUJO ES Título: POLITICA DE VULNERABILIDADE EMOCIONAL COM FOCO RISCO DE CUICIDIO Autores: PATRICIA VIEIRA, ROSANA PELLICA PIRES Título: PRÁTICAS DE LIDERANÇA ADOTADAS POR ENFERMEIROS DE UNIDADES HOSPITALARES ONCOLÓGICAS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA Autores: FABIANA CRISTINA DOS SANTOS, VÂNEA LÚCIA DOS SANTOS, BRUNA CREMASCO BRITO, SILVIA HELENA HENRIQUES CAMELO Título: PRÁTICAS SEGURAS PARA MEDICAMENTOS DE ALTA VIGILÂNCIA Autores: MARIA REGINA LOURENÇO JABUR, EDNA DONIZETI ROSSI CASTRO HELGA, TÂMARA AGOSTINHO LÍLIAN, FERRAREZI DO PRADO PELESKEI Título: PRAZER E SOFRIMENTO NO TRABALHO DA ENFERMAGEM Autores: ALESSANDRA BASSALOBRE GARCIA, FERNANDA LUDMILLA ROSSI ROCHA, SILVIA HELENA HENRIQUES CAMELO, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: PRINCIPAIS EVENTOS ADVERSOS E ERROS NOTIFICADOS EM INSTITUIÇÕES DE SAÚDE: UM DEVER DO ENFERMEIRO Autores: FLAVIA RIBEIRO MARTINS MACEDO, SÉRGIO VALVERDE MARQUES DOS SANTOS
  12. 12. Relação de Trabalhos – Sumário Título: PRINCÍPIOS DA SAÚDE ENXUTA (LEAN HEALTHCARE): UMA VISÃO GERAL DOS DESAFIOS E MELHORIAS SUA INSERÇÃO NO BRASIL Autores: ALICE SARANTOPOULOS, GABRIELA SALIM SPAGNOL, LI LI MIN, DAVE NEWBOLD Título: PROCESSO DE IMPLANTACAO DA AVALIACAO DA QUALIDADE DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE MEDIA COMPLEXIDADE Autores: BORSATO FG, VANNUCHI MTO, HADDAD MCFL, SANTOS MR, SAKAI AM Título: PROCESSO DE TRABALHO DO ENFERMEIRO: CONSTRUÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO – ETAPA 1 Autores: DANIELLE FABIANA CUCOLO, MÁRCIA GALAN PERROCA Título: PROGRAMA RE-VIVENDO A SAÚDE E SUAS ESPECIALIDADES VISANDO MELHOR QUALIDADE DE VIDA Autores: SHEILA KARINA LÜDERS MEZA, FABIELI BORGES, DOHANE CRISTINA PEREIRA SDEBSKI, THAIS ANATELLI PASTI, ALCY APARECIDA LEITE DE SOUSA Título: PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DA PRATICA COMPARTILHADA EM UM HOSPITAL DE GRANDE PORTE DA CIDADE DE SÃO PAULO Autores: MARCIA LUCIA VERPA DE SOUZA SASAKI, EUCLYDES D. G. FLORENTINO, ROSANGELA CLAUDIA NOVEMBRE Título: QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: AMBIENTE DO PACIENTE EM HOSPITAL PÚBLICO DE MÉDIA COMPLEXIDADE Autores: FABIANE GORNI BORSATO, MARLI TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI, ANDRESSA MIDORI SAKAI, MAIKON ROSA DOS SANTOS, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA: SIGNIFICADO PARA ENFERMEIROS DE UM HOSPITAL ESCOLA Autores: LORENA DI IORIO LUCENA RAMOS, MARILIA ALVES, HELEN CRISTINY TEODORO COUTO RIBEIRO, ANA RENATA MOURA RABELO, ALESSANDRA DIAS COSTA E SILVA Título: QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO COMO DETERMINANTE NO ATENDIMENTO DE ENFERMAGEM AO PACIENTE Autores: SARA H J SANTOS, PAULA S CASTRO, IVONETE S G KOWALSKI, TAIS FORTES Título: QUALIDADE DOS REGISTROS DE ENFERMAGEM EM HOSPITAL PÚBLICO DE MÉDIA COMPLEXIDADE Autores: FABIANE GORNI BORSATO, MARLI TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI, ANDRESSA MIDORI SAKAI, MAIKON ROSA DOS SANTOS, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: QUALIDADE EM ENFERMAGEM: OPINIÃO DO PACIENTE DE HOSPITAL PÚBLICO DE MEDIA COMPLEXIDADE Autores: BORSATO FG, VANNUCHI MTO, HADDAD MCFL, SANTOS MR, SAKAI AM Título: REDUÇÃO DE CUSTOS EM UMA UNIDADE DE INTERNAÇÃO RELACIONADOS AO DESCARTE DE MEDICAMENTOS INJETÁVEIS Autores: ANA JÚLIA SOARES LEME, KARINA SOUSA HAJAR, MAITE AUGUSTA CORREA COSTA ROSSETTO, DEBORA ROSA DE CAMPOS BRITES Título: REFERÊNCIA E CONTRA-REFERÊNCIA NA LINHA DE CUIDADO DE SAÚDE DA MULHER EM SÃO PAULO: UM ESTUDO EM CINCO REGIONAIS Autores: SILVIA BASTOS, SONIA VENACIO, SIOMARA SIQUEIRA Título: REFLEXOS DA GESTÃO DA QUALIDADE DA ASSITÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE PORTADOR DE SCA COM SUPRA DO SEGUIMENTO ST Autores: DANIEL DOS SANTOS DANIEL FERNANDES, NATALIA LAS CAZAS MONTEIRO, PATRICIA RICIERI BERNI Título: REGISTROS DE ENFERMAGEM: ACOMPANHAMENTO PARA MELHORIAS NO PROCESSO Autores: LUCIANE ROBERTA APARECIDA VIGO, EDVANIA SCHNEIDER DE CAMPOS Título: REGISTROS DE PRONTUÁRIOS DE HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO PAULO: LIMITAÇÃO PARA A GESTÃO EM SAÚDE Autores: ALEXANDRA BULGARELLI DO NASCIMENTO, MARCELO CALDEIRA PEDROSO
  13. 13. Relação de Trabalhos – Sumário Título: RELAÇÃO HOMEM-MÁQUINA FRENTE AO PROCESSO PRODUTIVO DE ENFERMAGEM Autores: ANDRESSA MARTINS DIAS, RODRIGO NONATO COELHO MENDES, FERNANDA NOVAES MORENO, MARIA DO CARMO FERNANDEZ LOURENÇO HADDAD Título: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DA DOR COMO 5º SINAL VITAL NO HOSPITAL ESTADUAL BAURU Autores: MARIA VALÉRIA PEREIRA, RENATA CASSIA DA MATA, PATRICIA GOMES DA SILVA, SILVANA APARECIDA NOVELLI Título: RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PRONTUÁRIO ELETRÔNICO NO HOSPITAL ALEMÃO OSWALDO CRUZ Autores: ROSILENE DUARTE CAMPOS SILVA, JOAO CARLOS SARAIVA COSTA Título: RELATO DE EXPERIÊNCIA: EDUCAÇÃO PERMANENTE EM UM HOSPITAL MILITAR DA ZONA DA MATA MINEIRA Autores: HERICA SILVA DUTRA, CLÁUDIO VITORINO PEREIRA, ANNA PAULA RIBEIRO SILVA, LARYSSA SAMPAIO SILVA, RUBIANY DE NOVAES TOLEDO Título: RELATO DE EXPERIÊNCIA: O PAPEL DA RESIDÊNCIA DE ENFERMAGEM NA INSERÇÃO PROFISSIONAL Autores: HELLEN EMÍLIA PERUZZO, ÉRIKA MARIA IZAIAS, MARA SOLANGE GOMES DELLAROZA, MARLI TEREZINHA DE OLIVEIRA VANNUCHI, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: RISCOS OCUPACIONAIS NA CENTRAL DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO: VISÃO DOS PROFISSIONAIS DO EXPURGO Autores: ITHANA QUEILA BORGES PIZZANI FERREIRA, CLAUDIA SILVA MARINHO ANTUNES BARROS Título: RISCOS PSICOSSOCIAIS RELACIONADOS AO TRABALHO DO ENFERMEIRO HOSPITALAR E ESTRATÉGIAS DE GERENCIAMENTO: UMA REVISÃO INTEGRATIVA Autores: BRUNA CREMASCO BRITO, ANA PAULA AZEVEDO SANTOS, FABIANA CRISTINA DOS SANTOS, FERNANDA LUDMILLA ROSSI ROCHA, SILVIA HELENA HENRIQUES CAMELO Título: RONDA MULTIDISCIPLINAR - IMPLANTAÇÃO E APLICAÇÃO DE MODELO ASSISTENCIAL COM ACOMPANHAMENTO DAS DIVERSAS EQUIPES VISANDO O CUIDADO HOLÍSTICO DO PACIENTE Autores: GOES, V.N SANTOS, A. B SGORBISSA, C SOUSA, V.D Título: SAEP - SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PERIOPERATÓRIA: FERRAMENTA DE GESTÃO DO CUIDADO. Autores: JOSELMA SILVA MOREIRA Título: SATISFAÇÃO DE DOCENTES DO CURRÍCULO INTEGRADO DE ENFERMAGEM NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA – PARANÁ Autores: DAYANE APARECIDA SCARAMAL, MARA SOLANGE GOMES DELLAROZA, MARLI TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI Título: SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EM RELAÇÃO À ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM Autores: LUCIANA NUNES SOARES, ELIANA SOARES DOMINGUES, ALESSANDRO MARQUES DOS SANTOS Título: SATISFAÇÃO PROFISSIONAL DOS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM RECÉM ADMITIDOS EM HOSPITAL PÚBLICO DE MÉDIA COMPLEXIDADE Autores: MARIANA NEVES FARIA TENANI, EVELIN DAIANE GABRIEL PINHATTI, MARLI TEREZINHA OLIVEIRA VANNUCHI, PALOMA DE SOUZA CAVALCANTE, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: SEGURANÇA NA ASSISTÊNCIA AO BINÓMIO MÃE-FILHO NA AMAMENTAÇÃO: ESTRATÉGIAS DE ENFERMEIRAS EM UNIDADES SAÚDE DA FAMÍLIA Autores: MARIA DO ESPIRITO SANTO DA SILVA CAMILA PEIXOTO CAVALCANTE DA SILVA Título: SEGURANÇA NO USO DE ANTIMICROBIANOS: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR ENTRE RESIDENTES DA FARMÁCIA HOSPITALAR E DA ENFERMAGEM Autores: DAYSI CRISTINA RODRIGUES, SILVANIA LOPES PINHEIRO,TEREZINHA APARECIDA CAMPOS, ANAIR LAZZARI NICOLA
  14. 14. Relação de Trabalhos – Sumário Título: SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM COMO INDICADOR DO PROCESSO DE TRABALHO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL Autores: MARA JÚLIA ANDRADE MONTEIRO, RODRIGO NONATO COELHO MENDES, ZÉLIA DE OLIVEIRA SALDANHA, FERNANDA NOVAES MORENO, MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD Título: SUSTENTABILIDADE DOS LEITOS DE HOSPITAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO PAULO A PARTIR DA PROPOSIÇÃO DE INDICADORES PREDITORES Autores: ALEXANDRA BULGARELLI DO NASCIMENTO Título: TELENFERMAGEM:INCORPORAÇÃO TECNOLÓGICA NA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL Autores: SOLANGE CERVINHO BICALHO GODOY, ELIANE MARINA PALHARES GUIMARÃES Título: TEORIA HUMANISTA E A RELAÇÃO COM O PROCESSO ADMINISTRATIVO NA ÁREA DA ENFERMAGEM: UMA REFLEXÃO Autores: FERNANDA SARTURI, TACIANA RAQUEL GEWEHR, DANIANI CASTIONI, ZAIRA LETICIA TISSOT Título: TESTE DE CONFIABILIDADE DE INSTRUMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DE PACIENTE EM GRAU DE DEPENDÊNCIA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM Autores: ELAINE CRISTINA SANTOS ALVES MARIA D´INNOCENZO KENIA ALENCAR FROES ESTEVES WELLINSON SANTOS ALVES ROSANA MIRANDA FERNANDES SILVA LUCIANA SOARES DOS SANTOS Título: TIME DE RESPOSTA RÁPIDA - HCor : SIMULAÇÃO REALÍSTICA APLICADA À AVALIAÇÃO DE PROCESSOS DO CÓDIGO AZUL Autores: VÂNIA NASCIMENTO GOES, JOSÉ CÉSAR RIBEIRO, DOUGLAS ROMÃO, SILMARA TAVARES YAMAGUTI, HÉLIA PENNA GUIMARÃES Título: TIMES E TEMPO: SALVA VIDAS Autores: VÂNIA NASCIMENTO GOES, JOSÉ CÉSAR RIBEIRO, APARECIDA BERNARDES DOS SANTOS, KARINE MILITÃO DA SILVA Título: TREINAMENTO COMO AÇÃO GERENCIAL NO CONTEXTO HOSPITALAR: DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OFERECIDAS PARA PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM Autores: JOÃO LUCAS CAMPOS DE OLIVEIRA, ANAIR LAZZARI NICOLA Título: TREINAMENTO EM SERVIÇO: OPINIÃO DE UMA EQUIPE DE ENFERMAGEM INTENSIVISTA. Autores: JOÃO LUCAS CAMPOS DE OLIVEIRA, ANAIR LAZZARI NICOLA, LAURA MISUE MATSUDA, KELLY CRISTINA INOUE Título: TREINAMENTO PARA CAPACITAÇÃO DA EQUIPE DE SAÚDE NO PROCESSO DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS Autores: JOAO CARLOS SARAIVA DA COSTA, EDNA M. ONOE, LUCIENE C. S. FERRARI, SUZANA M. BIANCHINI, MARCIA UTIMURA AMINO Título: TUTORIA: MÉTODO DE CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PARA PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM INGRESSANTES Autores: MARICE MICHELON BOEIRA, PATRÍCIA MENEGAT Título: ÚLCERA POR PRESSÃO Autores: SANDRA MARA PARRA VARELA Título: UMA PROPOSTA PARA A GESTÃO DE EXCELÊNCIA NOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM Autores: GABRIELA NETTO RIBEIRO, SILVIA REIF, LUCIA WORMA, PEDRO DE ABREU GASPAR Título: UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE ADULTOS COMO CAMPO DE ESTÁGIO CURRICULAR – REQUISITO PARA OBTENÇÃO DE GRAU DE ENFERMEIRO: RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ACADÊMICOS Autores: WEVELLEN CANOLA PERIN BONSERE, JOÃO LUCAS CAMPOS DE OLIVEIRA, MARCOS AURÉLIO RODRIGUES ALCIDES, LUCIANA MAGNANI FERNANDES Título: USO DA FERRAMENTA NSS NA GESTÃO DE TEMPO DE ATENDIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: KARLA A. SILVA, DOUGLAS ROMÃO
  15. 15. Relação de Trabalhos – Sumário Título: USO DO COMPUTADOR NO TRABALHO HOSPITALAR: PERCEPÇÃO DE ENFERMEIROS Autores: LAURA MISUE MATSUDA, IEDA HARUMI HIGARASHI, JOÃO LUCAS CAMPOS DE OLIVEIRA, ANDREA BERNARDES, YOLANDA DORA MARTINEZ ÉVORA Título: UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DA DA QUALIDADE EM INSTITUIÇÕES HOSPITALARES Autores: LAÍS COSTA, QUELEN MORENO MENEZES BRANDALISE, ROGÉRIO DA SILVA RODRIGUES Título: UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO DE PACIENTES COMO UMA FERRAMENTA GERENCIAL PARA A PRÁTICA ASSISTENCIAL NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE MACEIÓ Autores: KATYANNE VILAÇA ÁVILA, ALIANA LUISA ALBUQUERQUE CEDRIM LÔBO, JORGE EDUARDO ACIOLY DE MELO Título: VALIDAÇÃO DE CONTEÚDO DE INSTRUMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DE PACIENTE EM GRAU DE DEPENDÊNCIA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM Autores: FERNANDA NOVAES MORENO, MARIA DO CARMO FERNANDEZ LORENÇO HADDAD, LAURA MISUE MATSUDA Título: VALORES ORGANIZACIONAIS DE UM HOSPITAL PRIVADO Autores: THAMIRIS CAVAZZANI VEGRO, FERNANDA LUDMILLA ROSSI ROCHA, SILVIA HELENA HENRIQUES CAMELO Título: VISITA PUERPERAL: UMA PROPOSTA DE HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM MATERNO INFANTIL . Autores: MARCIA L. V. S. SASAKI, DAYSA P. R. GRANDE Título: VIVENCIANDO O GRUPO DE ESTUDOS SOBRE GESTÃO PARTICIPATIVA EM SAÚDE – UM RELATO ACADÊMICO Autores: MIRIAM GHIDOLIN, ALESSANDRA REGINA MULLER GERMANI
  16. 16. Relação de Trabalhos Resumos
  17. 17. A APLICAÇÃO DE UM CHECKLIST ADMINISTRATIVO SETORIAL EM UMA INSTITUIÇÃO MILITAR NA INTERFACE DA QUALIDADE EM SAÚDE Duarte MSM, Omena LMC, Torres KH, Veras RSR. Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro / Hospital da Polícia Militar de Niterói E-mail: monicasmd@gmail.com Palavras-chave: gestão hospitalar; enfermagem; gestão de qualidade. Resumo O movimento pela qualidade é uma necessidade incorporada à gestão a fim de se assegurar a assistência livre de riscos ao usuário, o que implica na conscientização de toda a equipe.1 Considerando que a enfermeira desenvolve suas ações assistenciai s nas diversas áreas das instituições de saúde, deve buscar formas inovadoras em relação à sua participação na melhoria da qualidade da assistência que vem prestando à sociedade.2 Faz-se oportuno que se aproprie de ferramentas da qualidade, sendo assim, o gerenciamento por meio de indicadores ser imprescindível.3 Para o alcance da qualidade nos serviços de enfermagem é fundamental implementar instrumentos para avaliar e monitorar as ações e os programas sob sua responsabilidade.4 Diante desta assertiva, houve por parte da gerente de enfermagem de uma instituição militar a iniciativa de construir um checklist (lista de checagem) administrativo setorial como estratégia para sistematizar a visita técnica aos setores sob sua gerência e, por já ter evidenciado em visitas técnicas anteriores a estes setores algumas não conformidades aos padrões administrativos estabelecidos. Foi elaborado um checklist para cada setor baseado na especificidade de cada serviço contendo uma lista de 20 a 27 itens de verificação das atividades administrativas, controle de material, medicamentos e organização do espaço físico. Este instrumento foi testado e aprimorado. A meta estabelecida foi de se verificar estes itens mensalmente e propor medidas aos líderes dos setores para se adequarem aos padrões administrativos previamente estabelecidos. Foi criado um indicador de operacionalidade setorial, sendo mensurado o total de atividades em conformidade sobre o total de atividades avaliadas no checklist vezes 100. Esta metodologia de trabalho vem sendo aplicada pele gerente de enfermagem desde julho de 2012, surgindo a proposta de se elaborar esta pesquisa. Objetivo: identificar a efetividade da aplicação de um checklist administrativo setorial como agente facilitador na interação entre liderança setorial e gerência de enfermagem. Trata-se de uma pesquisa descritivo-exploratória e o instrumento utilizado foi um questionário com 5 perguntas fechadas. Participaram os 5 enfermeiros líderes dos setores da instituição onde está sendo empregado o checklist administrativo. Os participantes foram convidados a participar da pesquisa, sendo assegurados os princípios éticos da confidencialidade, privacidade, autonomia e voluntariedade. Os dados foram coletados no mês de abril de 2013 e foram analisados descritivamente. Resultados: 100% dos sujeitos da pesquisa avaliaram a aplicação do checklist administrativo no setor sob sua liderança como uma ferramenta de gestão, identificaram que a aplicação do instrumento pela gerente de enfermagem facilitou a detecção de não conformidades, consideraram este procedimento oportuno para traçar melhorias no setor e que o mesmo proporcionou interação com a gerência de enfermagem. 60% dos sujeitos afirmaram que após a aplicação do checklist administrativo no setor sob sua liderança houve mudança nos processos administrativos e 40%, afirmaram que não houve mudança. Concluiu-se que a aplicação da ferramenta de gestão checklist administrativo no serviço de enfermagem desta instituição militar revelou ser uma boa estratégia para aproximar a gerência dos líderes de setor, sendo oportuno para detectar não conformidades e traçar melhorias para o serviço. Bibliografia 1. DUARTE, MSMD; SILVINO, ZR. Acreditação Hospitalar X Qualidade dos serviços de saúde. R. pesq.: cuid. fundam. online . 2(Ed. Supl.),p. 182-185 , out./dez., 2010. 2. LABBADIA, LL et al. O processo de acreditação hospitalar e a Enfermeira. R Enferm UERJ. RJ. V. 12, n.1, p.; 12:83-7. 2004. 3. LEÃO, ER; SILVA, CPR; ALVARENGA, DC; MENDONÇA, SHFM. Qualidade em Saúde e indicadores como ferramenta de gestão. São Caetano do Sul, SP.:Yendis, 2008. 4. TRONCHIN, DMR et al. Gerenciamento em Enfermagem/Coordenadora Paulina Kurcgant. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011
  18. 18. A APROXIMAÇÃO A TEORIA DE CAMPO DE FORÇAS DE KURT LEWIN NO TRABALHO EM EQUIPE: RELATO DE EXPERIÊNCIA Autores: Ribeiro LCM, MunariDB. Instituição: Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás Email para contato: luaufg@yahoo.com.br Introdução: Odesenvolvimento do trabalho em equipe exige conhecimentosde administração, liderança, relações interpessoais e habilidade para o manejo grupal em busca do seu melhor desempenho. Em geral, nasequipes coexistem fatores facilitadores e dificultadores que interferem nas ações a serem realizadas e na própria convivência entre os seus membros. Opsicólogo alemão Kurt Lewin transpôs o modelo do “campo de forças da física”, para as situações interpessoais, criando umesquema conceitual deanálise do campo de forças, propondo uma estratégia paraanalisaras forças impulsoras ou restritivas para o desenvolvimento de um grupo, com vistas a verificar as possibilidades deintervenções para favorecer as forças impulsoras e/ou tentar converter/imobilizar as forças restritivas.A aproximação a esse modelo nos serviu para analisar o desempenho dotrabalho em equipe epara indicar possibilidadesde mudanças. Objetivo:Neste estudo descrevemos a experiência da utilizaçãodo referencial de Kurt Lewinpara o desenvolvimentodo trabalho em equipeno contexto da saúde. Metodologia: Foram realizados quatro estudosdesde 2008 a partir da aproximação dateoria decampo de forçasde Kurt Lewinem diversos ambientes da área da saúde e tambémcom diferentes tipos de equipes envolvidas nesse contexto. As equipes estudadas atuavam em UTI, Pronto Socorro, Central de Material e Esterilizaçãoe Unidades de Saúde da Família. A utilização desse método compõe-se de quatro etapas: mapearas forças atuantes a partir da perspectivas dos sujeitos envolvidos; estimar sua intensidade e desenhar o diagrama do campo de forças; categorizar as forças atuantes em uma das categorias relacionadas ao: Eu (que engloba elementos que se relacionam à pessoa como indivíduo, tais como motivação, talentos, timidez), Outro (que abrange elementos concernentes a outras pessoas, tais como liderança, competência, conflitos e simpatia) e Ambiente (que se compõe de elementos não referentes a pessoas, tais como ambiente físico, recurso materiais)e finalmente criar alternativas de mudanças. Resultados: Apartir dos estudos realizados pôde-se verificar o mapeamento das dimensões necessárias de investimento no desenvolvimento de equipes de trabalho. A análise do campo de forças indicou elementosque podem dificultar a realização do trabalho em equipe de forma eficiente. Foi percebido que as forças impulsoras são as que tendem a elevar o nível de atividade do indivíduo com o grupo, já as restritivas são, na maioria dos estudos,relacionadas aos aspectos ambientaise da relaçãoentre os membros. Considerações finais: A análise do desempenho das equipes a partir do referencial adotado mostrou que se trata de técnica valiosa paraoplanejamento de mudanças no contexto no trabalho em equipe, especialmente, por considerar a análise dos sujeitos envolvidos acerca do seu próprio desempenho. A implementação da quarta etapa, que consiste no desenvolvimento de estratégias de mudanças tem se constituído um grande desafio, pois depende da política institucional,envolvimento de gestorese desejo da equipe em se aprimorar. Aanálise desse processo possibilita traçar diretrizesem busca de uma gestão de qualidade por meio doesforço coletivo na solução de problemas e tomada de decisão. Referências FerreiraVM. Forças impulsoras e restritivas para o trabalho em equipe em central de material e esterilização. 2009.[dissertation]. Goiânia: Faculdade de Enfermagem/UFG; 2009. 163p. Lewin K. Teoria de campo em ciência social. São Paulo: Livraria Pioneira; 1951. Moscovici F. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo. Rio de Janeiro: José Olympio; 2008. Peixoto MAV. Perspectivas para o trabalho em equipe de enfermagem na unidade de terapia intensiva. 2012.[dissertation]. Goiânia: Faculdade de Enfermagem/UFG; 2012. 106p. SilvaAP. Forças restritivas e impulsoras para o trabalho em equipe de pessoal de uma unidade de Pronto Socorro de um Hospital Escola.[dissertation]. Goiânia: Faculdade de Enfermagem/UFG; 2009. 153p. Sussekind AC. Forças impulsoras e restritivas para o trabalho em equipe em unidades básicas de Saúde da Família. [dissertation]. Goiânia: Faculdade de Enfermagem/UFG; 2010. 121 p.
  19. 19. A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM E A GESTÃO DA QUALIDAD ¹ 1 Projeto Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul(FAPERGS) Lima SBS, Leite JL, Machado BP, Erdmann AL, Lima, ACS. Universitário de Santa Maria/Universidade Federal de Santa Maria. E-mail contato: suzibslima@yahoo.com.br Introdução: Atualmente uma fase de profundas modificações na maneira de gerir pessoas o que resultará em um novo modelo assistencial, e os enfermeiros em função da sua condição de tomadores de decisão e líderes de equipe ressentem-se da falta de estudos relacionados à gerência estratégica. Justificativa: O sistema de qualidade registra que um sistema de qualidade bem estruturado é um precioso recurso gerencial na otimização e no controle da qualidade, em relação às considerações de risco, custo e beneficio1. A enfermagem, neste contexto tem o papel preponderante, pois atua 24 horas por dia junto à instituição, portanto é a maior provedora dos cuidados assistenciais na instituição hospitalar e está diretamente ligada à qualidade dos serviços prestados2. A enfermagem, a exemplo dos hospitais, igualmente iniciam estudos e adotam o gerenciamento da qualidade com a intenção não só de alcançar um padrão aceitável de assistência, mas também a responder as expectativas dos trabalhadores e dos pacientes3. Objetivos: Descrever expressões, atitudes, comportamentos e manifestações que permeiam a vivência do enfermeiro na Unidade de Clínica Médica do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) - RS relacionada com a gestão da qualidade em enfermagem. Metodologia: Foi utilizada a abordagem qualitativa. O projeto foi executado na Clínica Médica do Hospital Universitário de Santa Maria – Universidade Federal de Santa Maria- RS, e aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da UFSM- CAAE: 0119.0.243.000-10. As entrevistas foram realizadas em 2009, com os enfermeiros da Clínica Médica I e II, em um total de 11, que foram gravadas em fita magnética e, após, transcritas e validadas com a assinatura/rubrica dos sujeitos. Os dados coletados foram analisados concomitantemente com vistas a uma saturação dos dados para posterior 2 interpretação e consequente análise, na seguinte forma: Transcrição das entrevistas; Leitura e releitura das mesmas; Leitura de textos referentes à temática; Interpretação dos dados à luz dos referenciais adotados; Categorização dos dados. A análise foi desenvolvida artesanalmente, de acordo com os resultados das entrevistas e agrupados usando a Metodologia da Teoria Fundamentada nos Dados4. Este formato consta de quatro colunas: Categoria; Subcategoria; Código; Unidade Temática. Resultados: Como resultados foram obtidos as seguintes categorias: Assistindo o paciente com qualidade; buscando alternativas para a assistência de qualidade; Não conseguindo prestar uma assistência; Interagindo com pacientes e familiares; Identificando o papel do enfermeiro na qualidade da assistência; realizando educação em serviço e qualificando-se profissionalmente e gerenciando os serviços de enfermagem. A gestão na qualidade vem tornando-se cada vez mais utilizada, convertendo-se em importante ferramenta nos serviços de saúde. Permanece a possibilidade de se identificar terrenos de potência no trabalho de gestão em qualidade, portanto é necessária a constante aquisição de conhecimentos na área do gerenciamento de enfermagem para a consequente garantia da qualidade do serviço prestado. Conclusão: É na observação e na experimentação que as atividades desenvolvidas na enfermagem são, na sua maioria, práticas criativas e reflexivas, fundamentam-se na observação e experimentação de agentes para manter ou recuperar a saúde, isto permite o desenvolvimento de novas práticas. Referências 1. Lentz, RA. Processo de Normalização: a jornada participativa como fator de qualidade nas ações de controle das infecções hospitalares [Dissertação] Mestrado em Assistência de Enfermagem; 1996. Curso de Pós-Graduação da UFSC, 1996. 2. Lima SBS. A gestão da qualidade na assistência de enfermagem: significação das ações no olhar da acreditação hospitalar no pronto socorro [Tese] Doutorado. 2008. Rio de Janeiro, RJ: UFRJ. 3. Antunes AV, Trevizan MA. Gerenciamento da qualidade: utilização no serviço de enfermagem. Rev. Latino-am. enfermagem 2000; 8 (1):35-44. 3 4. Strauss A, Corbin J. Bases de la investigación cualitativa. Técnicas y procedimientos para desarrollar la teoria fundamentada. Colombia: Editorial Universidad de Antioquia – Facultad de Enfermería de La Universidad de Antioquia, 2002.
  20. 20. A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO GERENCIAMENTO DE CONDIÇÕES CRÔNICAS NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Autores: Wachter MZD, Santos CF, Costa VM, Siniak DS Instituição: Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde e Grupo Hospitalar Nossa Senhora Conceição - GHC Email: dmartaziziane@yahoo.com INTRODUÇÃO: A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e o Diabetes Mellitus (DM) configuram-se como um grave e importante problema de saúde pública no Brasil, sendo a 3ª causa de morte no mundo, superada apenas pelas doenças cardio-circulatórias e câncer. Consequentemente suas complicações agudas e crônicas a que dão origem, desencadeiam fatores de riscos associados às doenças cardiovasculares e à doença renal. Neste sentido, a Estratégia de Saúde da Família (ESF) tem fundamental importância no cuidado destes indivíduos a nível de Atenção Primária em Saúde (APS) e o enfermeiro deve estar atento a essas patologias, aos paciente não controlados, de modo que evite danos em demais órgãos. JUSTIFICATIVA: Justifica-se pelo fato de existem poucos estudos que fazem referência a temática escolhida no cenário da Estratégia de Saúde da Família. OBJETIVOS: Relatar a experiência de três enfermeiras, que realizam a assistência de enfermagem, desenvolvendo ações de educação em saúde sobre a temática HAS e DM na comunidade. MÉTODO: Desenvolveram-se intervenções com o intuito de orientar os usuários com HAS e DM ou aqueles com fator hereditário favorável ao surgimento da doença, sobre a prevenção da doença, sinais e sintomas, exames periódicos, tratamento farmacológico, autocuidado com pé diabético e reabilitação, alimentação saudável e incentivo a estilo de vida saudáveis. Utilizaram-se para concretização das intervenções materiais como folder, cartazes, dinâmicas, atividades lúdico-educativas. RESULTADOS: Verificou-se que o enfermeiro atuando na ESF apresenta ligação direta com a comunidade o que facilita a sistematização da assistência e o gerenciamento em condições crônicas, tendo uma visão geral no contexto em que elas estão inseridas. Assim não foi difícil interagir e participar com os usuários deste serviço, o que acarretou a seus integrantes modificações nos hábitos alimentares, no autocuidado, na atividade física e no enfrentamento dos problemas. A educação em saúde é parte essencial na promoção, prevenção e tratamento da hipertensão e do diabetes mellitus na qual os profissionais de saúde têm a possibilidade de potencializar suas ações junto à comunidade. CONCLUSÕES: O desenvolvimento ocorrido no cenário da ESF vem a modificar a prestação de serviços no setor dando autonomia aos enfermeiros como gestores e definindo mudanças no modo de fazer saúde. Mostra-se relevante no que tange a assistência de enfermagem e educação em saúde, visto que a incidência dessas duas patologias aumenta diariamente e é um grave problema de saúde pública e o enfermeiro esta hábil a desempenhar o papel de gerente nas redes básicas de saúde com participação onde a finalidade está na união do empenho coletivo, para que seja estabelecida uma nova realidade organizacional alinhada a melhores práticas, com prestação de uma assistência integral a população de forma ética, digna e humanizada. Palavras-Chave: Administração dos serviços de saúde; Educação em saúde; Doenças crônicas não transmissíveis. REFERÊNCIAS 1.Backes DS, Backes MS, Erdmann AL, Büscher A. ; O papel profissional do enfermeiro no Sistema Único de Saúde: da saúde comunitária à estratégia de saúde da família. ; Ciências da Saúde Coletiva; 17; 223-230;2012. 2. Backes DS, Backes MS, Erdmann AL.; Promovendo a cidadania por meio do cuidado de enfermagem. ; Revista Brasileira de Enfermagem; 17; 223-230; 2009. 3. MONTEZELI, Juliana Helena; PERES, Aida Maris. Competência Gerencial do Enfermeiro: conhecimento publicado em periódicos brasileiros. Cogitare Enfermagem, v. 14, n. 3, jul.-set., p. 553-8, 2009. 4. OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Tratado de Metodologia Científica: projetos de pesquisas, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. 5. PERES, Ainda Maris; CIAMPONE, Maria Helena Trench. Gerência e Competências Gerais do Enfermeiro. Texto contextoenfermagem, v. 15, n. 3, jul.-set., 2006.
  21. 21. A construção de um protocolo de prevenção de úlcera por pressão em um hospital estadual que atende portadores de deficiência mental: relato de experiência Avila ACT1, Sartori J2 , Bello VA3 Introdução: As úlceras por pressão, UPP, também denominadas de úlceras de compressão ou úlceras de decúbito são consideradas feridas crônicas, oriundas de áreas submetidas a constante processo isquêmico e, consequentemente, morte tecidual, cuja presença nos pacientes se constitui em parâmetro para a avaliação da assistência1. Pode ser definida como uma lesão localizada, acometendo pele e/ou tecidos subjacentes, usualmente sobre uma proeminência óssea, resultante de pressão, ou pressão associada a cisalhamento e/ou fricção 1,2,3,4. A prevalência de úlceras por pressão tem aumentado nos últimos anos, devido ao aumento da expectativa de vida da população, associada aos avanços da medicina moderna, que tornaram possível a sobrevivência de pacientes com doenças graves e anteriormente letais, transformadas em doenças crônicas e lentamente debilitantes 3,4,5. Além disso, a incidência de úlcera por pressão vem ganhando importância no cenário atual em virtude de ter se tornado um dos indicadores de qualidade assistencial. Diante do exposto e da importância das UPP para as instituições de saúde, torna-se necessário à elaboração de um protocolo e a adesão de formas para prevenção do desenvolvimento de upp. Justificativa: O hospital estadual onde ocorreu onde se desenvolveu a experiência, contém 180 leitos que atende pacientes portadores de deficiência mental de leve a grave. Considerando os pacientes portadores de deficiência mental, onde esta pode estar associada à deficiência física, é de extrema importância a adoção de medidas preventivas. Segundo dados estatísticos, 60% dos pacientes paraplégicos ou com alguma restrição motora relevante desenvolvem upp em algum estágio da vida. Objetivo: Descrever a experiência do gerenciamento de uma equipe de enfermeiros de um hospital que atende portadores de deficiência mental para a elaboração de um protocolo de prevenção de úlcera por pressão. Método: Tratase de um estudo descritivo acerca de um relato de experiência. Desenvolvimento: Inicialmente foi realizada uma conversa com as enfermeiras gestoras buscando identificar a relevância do indicador upp para a Instituição. Estas enfermeiras participaram de um treinamento referente ao tema para melhor embasamento visando a melhor elaboração do projeto. O próximo passo foi à orientação da equipe assistencial e importância da elaboração da escala de braden, com ênfase nas unidades de internação com pacientes com deficiência motora, que apresentam dificuldade ou incapacidade motora, onde a incidência de upp é maior na instituição. Isto se deve ao fato de que nestas unidades estão internados pacientes com restrições físicas importantes, cadeirantes e outros restritos ao leito. Assim, foi realizada avaliação de risco de todos os pacientes nestes lares por meio da escala de braden. Concomitante, os enfermeiros foram orientadas quanto a notificação correta e a importância de se notificar, pois este será um indicador de qualidade assistencial. Após a realização da avaliação, foram relacionados os pacientes que apresentam elevado e muito elevado risco de desenvolver upp. Estes pacientes receberão além dos cuidados de enfermagem como mudança de decúbito, acompanhamento nutricional, com uso de suporte nutricional, se necessário e utilizaram espumas com camada de silicone suave na região sacral e nos calcâneos para prevenção de upp. O protocolo foi descrito e foi apresentado à equipe de enfermagem para aprovação. Resultados da experiência: Inicialmente verificou-se uma maior conscientização do enfermeiro quanto a importância de prevenção de úlceras por pressão. Além disso, verificou-se um interesse da equipe multiprofissional em participar do processo de construção do protocolo, principalmente a equipe de nutricionistas do serviço em questão. Além disso, observou-se um aumento da notificação dos casos de upp. Considerações Finais: Como observado no cotidiano, à vivência em elaborar protocolos por um grupo de enfermeiros que trabalham com pacientes portadores de deficiência mental proporciona crescimento para a equipe e para cada profissional, com repercussões na melhoria da qualidade da assistência de enfermagem. Tais resultados são evidenciados no decorrer do trabalho, sobretudo ao se perceber a necessidade de pontuar algumas exigências pertinentes à validação, construção de indicadores e conseqüente implantação dos processos. Diante desses pacientes, a confecção de protocolos em equipe permite que cada profissional expresse seus conhecimentos e suas experiências, seguindo-se discussões geradoras de consenso indutor de condutas unificadas e conseqüentemente, de uma melhor qualidade de assistência. É preciso, porém, ter em mente que a jornada pela qualidade dos serviços é uma caminhada sem linha de chegada. Constitui-se de etapas, as quais, vencidas, injetam mais energia e disposição a percorrê-las. Ao se elaborar este trabalho espera-se que ele possa servir de exemplo e subsídio a diferentes investidas do enfermeiro à efetiva padronização dos processos de trabalho da equipe visando o bem estar do paciente. Referencia Bibliográfica: 1- ANTHONY, D. et al. The role of hospital acquired pressure ulcer in length of stay. Clinical Effetivness in Nursing, v. 8, p. 4-10. 2004. 2- BARROS, S. K. S. A..; ANAMI E. H. T., MORAES, M. P. Elaboração de um protocolo para a prevenção de úlcera de pressão por enfermeiros de um hospital de ensino. Rev. Nursing, v.3, n.6, p. 29-32. 2003. 3- BORGES, E. L. et al. Feridas como tratar. Belo Horizonte: Coopmed. 2001. 4- BOURS, G. J. et al. Prevalence, risk factores and prevention of pressure ulcers in dutch intensive care units: results of a cross sectional survey. Intensive Care Med., v. 27, p.1599-1605. 2001. 5- BREM, H. et al. Protocol for the successful treatment of pressure ulcers. The American Journal of Surgery, Suppl, p. 95-175. July. 2004 1- Relatora. Enfermeira. Especialista em Gestão em Enfermagem pela UNIFESP, Enfermagem do Trabalho pela Faculdade São Luis e Licenciatura Plena em Enfermagem pelo CEUNSP. Responsável Técnica de Enfermagem do Hospital Estadual no interior de São Paulo. 2- Enfermeiro. Especialista em Cardiologia e Terapia Intensiva pela UNIARARAS e Formação Pedagógica pela FAPI. 3- Enfermeira. Especialista em Psiquiatria. Diretora de Serviços Técnicos e Auxiliares do Hospital Estadual no interior de São Paulo. Instituição: CEDEME – Centro de Desenvolvimento ao Portador de Deficiência Mental E-mail Contato: ca.enf@hotmail.com
  22. 22. A CONTRIBUIÇÃO DA FUNÇÃO ADMINISTRATIVA “CONTROLE” PARA A PRÁTICA DE QUALIDADE EM ENFERMAGEM: RELATO DE EXPERIÊNCIA Dutra HS1, Britto CS2, Esteves JA3, Silva LS4, Toledo RN5. 1 Enfermeira. Mestre em Saúde Coletiva. Docente da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de Fora. 2, 3, 4, 5 Graduando da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de Fora. Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) E-mail para contato: rubiany.toledo@ufjf.edu.br Palavras-chave: Controle de Qualidade; Administração de Serviços de Saúde; Serviços de Enfermagem; Lista de Checagem. RESUMO Introdução: A qualidade do serviço de enfermagem está diretamente ligada ao desenvolvimento pleno, eficiente e eficaz das funções administrativas. Ao enfermeiro cabe desempenhar atividades como planejamento, organização, direção e controle das atividades do serviço de enfermagem. Controle consiste na verificação para certificar se tudo ocorre em conformidade com o plano adotado, as instruções transmitidas e os princípios estabelecidos. Justificativa: A inexistência do controle ou as deficiências que apresentar tem reflexos diretos e negativos no serviço de enfermagem, podendo gerar a frustração parcial ou total dos seus objetivos. Dessa forma, a essência do controle é verificar se as atividades desenvolvidas estão ou não alcançando os objetivos propostos ou resultados desejados (CHIAVENATO, 2003). Objetivo: Descrever a experiência de acadêmicos de enfermagem na elaboração de um instrumento de controle para facilitar o serviço de enfermagem. Método: Trata-se de um relato de experiência, que buscou pontuar o caminho percorrido na construção de um instrumento para o controle de itens essenciais ao trabalho da equipe de enfermagem. Durante as aulas práticas da disciplina Administração em Enfermagem II da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) realizadas em um Hospital Militar na Zona da Mata mineira, os acadêmicos levantaram, junto à enfermeira responsável pelo setor de internação, a necessidade da construção de um instrumento do tipo “ check list” para a verificação de itens diários e semanais que interferem diretamente no serviço prestado pela equipe de enfermagem, como: estoque e substituição de materiais e medicamentos; disponibilização de impressos no setor; funcionamento de equipamentos do serviço, entre outros. A construção do instrumento deu-se a partir da realização de busca a referências bibliográficas sobre o tema e participação nas atividades assistenciais e administrativas da instituição junto à equipe de enfermagem. Resultados: Foi construído o instrumento composto por quatro páginas e subdividido nas atividades que devem ser realizadas diariamente e semanalmente. Para cada item que deve ser verificado foi designado um espaço para checagem. A enfermeira do serviço designou um membro da equipe de enfermagem como responsável pela realização das atividades descritas no checklist, facilitando a identificação de falhas no processo de trabalho. Assim, a partir do levantamento das necessidades de intervenção, facilita-se o direcionamento das atividades junto aos profissionais da equipe de enfermagem, melhorando a organização do ambiente de trabalho e favorecendo a realização de uma assistência qualificada e com menores riscos aos pacientes. Conclusão: Pôde-se observar que a elaboração de instrumentos práticos, de fácil interpretação e preenchimento, relacionados ao serviço de enfermagem, contribuem para a maior adesão da equipe e refletem diretamente na assistência ao usuário. Além disso, podem facilitar a realização da supervisão e desenvolvimento da equipe de enfermagem. Referência 1. CHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da Administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. rev. e atual. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.
  23. 23. A ENFERMAGEM FRENTE À LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL: revisão de literatura Pereira MJCVL, Melo EF, Fonseca AS Instituição: Hospital São Camilo - Pompéia Email: casteloventoso@yahoo.com.br Liderança é um processo dinâmico e situacional1, que está imbuída num cenário onde percebemos que é elevado o grau de exigência voltado para um perfil de enfermeiro diferenciado no mercado, com características cada vez mais voltadas para a gestão e não somente assistencial como observávamos anteriormente. Com base neste cenário e com algumas dificuldades vivenciadas diariamente no âmbito profissional, com início na formação profissional, sentimos a necessidade de desenvolver esta pesquisa. Este estudo tem como objetivo levantar na literatura artigos relacionados à enfermagem transformacional. Tratase de uma revisão de literatura realizado nas Bases de Dados da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs), Medical Literature Analysis and Retrieval System OnlLine (Medline), Base de Dados de Enfermagem (Bdenf), Scientific Electronic Library Online (Scielo), livros, sites, teses e dissertações no período de janeiro de 1998 à março de 2013. Foram encontrados 88 artigos e utilizados 37 artigos. Em um mundo que sofre mudanças constantes, se faz necessário que os líderes se mantenham atualizados, aprendam, pesquisem, amadureçam, e, não menos importante, indaguem seus liderados, com o propósito de obter feedback e novas idéias2. Observamos então que devido à necessidade em atender as exigências do mercado e também com o advento da globalização que prima por demonstrar a qualidade dos serviços prestados, liderança é um assunto debatido em larga escala em diversas profissões, pois, o resultado de um serviço oferecido está intimamente relacionado à gestão das lideranças, partindo destas premissas vimos à importância de estudar a liderança transformacional que permeia um foco em resultados positivos. Na nova tendência as organizações de saúde são chamadas a ancorarem-se na Liderança Transformacional que é considerada o paradigma da mudança pós-moderna e neste contexto o líder transformacional tem paixão por um ideal, modificando sua própria visão sobre os fatos e entusiasmando os liderados para alcançarem novos objetivos3. Os líderes do futuro devem optar pelo comportamento de respeito e elevação moral, proporcionando confiança e grande identificação entre o liderado com o líder, tratando-os com individualismo, estando sempre atento às suas necessidades, apoiando-os, encorajando-os e principalmente valorizando seu potencial, dando lhes devolutivas, atribuindo responsabilidades e ainda estimulando sua equipe a atitudes inovadoras e criativas4. Comungamos com a referência de alguns autores em relação à importância deste estudo quando mencionam que a amplitude e a complexidade da temática liderança transformacional, aliada a escassez de estudos na enfermagem brasileira, são fatores determinantes para acentuarmos esforços na concretização de novas investigações. Descritores: liderança transformacional, competências para liderança, gestão em saúde, liderança e enfermagem. Referências: 1. ROCHA, C. L.; OLIVEIRA, D. O. S.; ABDALLA, L. A. M.; GALLI, M. C. R.; SANTOS, N. S. C. Liderança na Gestão de Pessoas: Competências Requeridas do Enfermeiro. In: CUNHA, K. C. (coord.). Gerenciamento na Enfermagem: Novas Práticas e Competências. p. 29-47. São Paulo: Martinari, 2005. 2. BOSSO, D.; ANTONELLI, G.; FARIA, S. M. R. Educação: Competência do Enfermeiro Supervisor. In: CUNHA, K. C. (coord.). Gerenciamento na Enfermagem: Novas Práticas e Competências. p. 11-28. São Paulo: Martinari, 2005. 3. STRAPASSON, M. R.; MEDEIROS, C. R. G. Liderança Transformacional na Enfermagem. Rev. Brasileira de Enfermagem, V.62, n.2, Brasilia mar-abr, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S003471672009000200009>. Acesso em: 02/04/2013. 4. MOGOLLÓN, S. M. R.; GONZÁLEZ, M. A. Liderazgo Transaccional y Transformacional. Rev. Avances em Enfermería, V.XXVIII, n.2, p. 62-72, jul-dez, 2010.
  24. 24. A EQUIPE DE ENFERMAGEM DIANTE DO DILEMA DA MORTE SOB A ÓTICA DE MADELEINE LEININGER Guimarães PV1, Guimarães RLS2 Email: percivalguimaraes@yahoo.com.br Universidade Estadual de Londrina Palavras-chave: Enfermagem. Morte. Modelo Sunrise. Teorias de Enfermagem. Leininger. Introdução: A morte constitui-se no estágio final da evolução humana e no destino certo de todos os seres vivos, é irrevogável e tão natural quanto o nascimento1. Justificativa: este estudo deve-se a diversidade de comportamentos no enfrentamento que a equipe de enfermagem apresenta frente ao fenômeno morte e o uso da Teoria Cultural como uma alternativa a minimizar este sofrimento do profissonal. A atitude de desconsiderar a morte como um fenômeno natural e sim como algo que deve ser escondido pelo fato de ser “feia e suja” é fato que destaca que a morte familiar e pública se torna incompatível com o Modernismo. Objetivo: Analisar o processo de morte e seu enfrentamento pela equipe de enfermagem segundo a Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural. Método: trata-se de um estudo descritivo tipo revisão bibliográfica. Dentro do contexto de crescimento e aprimoramento da enfermagem, foram elaboradas teorias de enfermagem, as quais procuram nortear e dar cientificidade aos princípios da profissão2. Neste percurso, encontra-se a Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural proposto por Madeleine Leininger. Esta teoria sugere que os conceitos de cultura e cuidado precisam focar a prática e a pesquisa da enfermagem, enfatizando a necessidade do reconhecimento e integração do cuidado profissional em consonância com o popular4. Dentro desta metodologia, a teorista apresenta o Modelo Sunrise ou o Modelo do Sol Nascente, sendo baseado na etnografia, tendo como pressuposto o conhecimento e compreensão da cultura do cliente4. Resultados: Comumente as pessoas em fase terminal são transferidas do ambiente familiar para o hospitalar durante seu processo de morte. Uma hipótese para este deslocamento se constitui do sentimento de incapacidade de lidar com essa situação tanto por parte dos familiares como do pacientes. Entretanto, o cuidado executado por profissional tem características que muitas vezes o diferenciam daquele realizado na rede familiar. Estes sistemas cuidam do ser humano de maneira diferente, e em função disso a equipe de enfermagem na prática assistencial ao cliente deve utilizar ações profissionais de forma a preservar, negociar ou repadronizar os cuidados, buscando a congruência cultural4. Conclusão: Os profissionais de enfermagem são preparados para a manutenção da vida e quando com a morte surgem sentimentos de frustração e impotência. A Teoria de Madeleine Leininger pode definir o ponto de equilíbrio entre o cuidado desejado pelo paciente, o cuidado prestado pelos profissionais e cuidado oferecido pelos serviços. 1 Enfermeiro. Mestre em Enfermagem. Hospital Universitário. Universidade Estadual de Londrina-PR (UEL). 2 Enfermeira. Aluna do Programa de Mestrado em Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina-PR (UEL). Referências 1. ALENCAR S. C. S, LACERDA M. R, CENTA M. L. Finitude humana e enfermagem:Reflexões sobre o (des)cuidado integral e humanizado ao paciente e seus familiares durante o processo de morrer. Fam. Saúde Desenv., Curitiba, v.7, n.2, p.171-180, 2005. 2. GIACÓIA JÚNIOR O. A visão da morte ao longo do tempo. Revista Medicina, Ribeirão Preto. V. 38, n. 1, p. 13 -19, 2005 3. KÜBLER-ROSS E. Morte, estágio final da evolução. Rio de Janeiro: Record, 1975. 4. LEININGER M. Cultural care diversity and universality; a theory of nursing. New York: NationalLeague for nursingpress, 1991.
  25. 25. A Gerência de Enfermagem como Unidade de Apoio às Unidades de Negócio. Autores: Isabel M Bonfim 1 Jarbas Jose Salto Jr 2 Eliane M Yoshioka 3 Palavras chave: descentralização, gestão em saúde. Introdução: A exigência do consumidor com relação à qualidade dos serviços de saúde tem forçado os hospitais a adotarem modelos de gestão que atendam esses quesitos 3. Segundo Chanlat 5 apud BRITO, “modelos de gestão são um conjunto de práticas administrativas colocadas em execução pela direção de uma empresa com vistas ao alcance de seus objetivos”. A complexidade hospitalar e seu sistema de gestão formal centralizado não respondem mais às expectativas dos trabalhadores, administradores e o cliente 2. Em hospitais de grande porte a centralização de todos os assuntos pertinentes a essa área faz com que “Líderes” de Enfermagem” (LE) não possam ter autonomia além de dificultar o trabalho da gerência de enfermagem (GE) por concentrar todos os problemas em um único profissional. Já a descentralização implica em alguma autonomia aos líderes nas decisões de gasto e de arrecadação, proporcionando-lhes responsabilidades e confiança em seu trabalho 4. Objetivo: Relatar experiência da GE na mudança do modelo operacional, compartilhando a gestão das unidades, tornando-se uma Unidade de Apoio. Método: Trabalho desenvolvido em hospital oncológico de grande porte e alta complexidade da cidade de São Paulo. Inicialmente, Unidades de Internação, CC, UTI, Ambulatórios, entre outros, foram denominados “Unidades de Negócio” (UN) e seriam geridas por Gerente Técnico Operacional e LE, podendo ser coordenador ou supervisor. Estes profissionais tornaram-se responsáveis pelas UN: orçamentos, receitas/despesas, recursos humanos, materiais. Os LE passaram a responder tecnicamente para a GE, como melhora da qualidade da assistência de enfermagem, cumprimento das legislações e o processo que envolve a responsabilidade técnica de enfermagem, porém passaram a responder diretamente ao Gerente Técnico Operacional sobre a UN como um todo. Para garantir o sucesso na implantação desse modelo foram realizadas reuniões trimestrais com a GE e superintendente de operações junto aos funcionários a fim de que todos os passos da mudança fossem apresentados, assim como reuniões mensais com todos os LE para discussões sobre assistência de enfermagem em geral e específica. Resultados: Os LE passaram a ter maior autonomia e confiança nas atividades. Decisões políticas e econômicas passaram a ser mais ágeis e a GE tornou-se uma Unidade de Apoio garantindo a qualidade da assistência em todas as áreas, tornando a equipe coesa em sua assistência. Resultados da Pesquisa Clima mostraram aprovação dos funcionários a favor da GE em 30% e unidades de Internação em 24%. A GE assumiu a educação continuada, grupo de gerenciamento de riscos, pesquisa voltada a enfermagem, equipe de transporte, residência de enfermagem, qualidade da informação assistencial e backups (cobertura de licenças prolongadas). Discussão: Este modelo de gestão permite negociar com outros sujeitos envolvidos na gestão 6 sendo uma estratégia importante para a desburocratização do processo. Reuniões que a instituição realiza periodicamente para seus colaboradores são uma das estratégias de descentralização importantes, pois a comunicação entre líderes e liderados é de importância, facilitando a integração interdepartamental1. Conclusão: A gestão descentralizada significou partilha de poder e responsabilidades na implantação e implementação dos processos com maior eficiência do serviço, demonstrado em pesquisas de satisfação de clientes e funcionários. Referências: 1. Almeida ARD; Farina MC. Gestão do conhecimento em uma empresa internacionalizada com administração descentralizada:análise da capacidade de integração e manutenção das competências.home page:www.aedb.br/seget/artigos 06/591_Artigo_Seget_06_Final.pdf 2. Bernardes A; Cecílio LCO; Évora YDM; Gabriel CS; Carvalho MB. Modelo de gestão colegiada e descentralizada em hospital público: a ótica da equipe de enfermagem. Rev Lat AM Enf 2011;19(4):1-8 3. Brito MJM; Melo MCOL; Monteiro PRR; Costa JO. Interfaces das mudanças hospitalares na ótica da enfermeira-gerente. RAE 2004 pag 34-47. 4. Gremaud AP. Descentralização na América Latina:Benefícios, armadilhas,requisitos.Page:www.esaf.fazenda.gov.br/esafsite/publicações 5. Chanlat,F. Modos de gestão, saúde e segurança no trabalho.In: Davel E. Recursos humanos e subjetividade. Petrópolis.Vozes,2000.p.118-128 6. Melo CMM; Santos TA. A participação política de enfermeiras na gestão do sistema único de saúde em nível municipal. Texto Contexto Enf 2007:16(3)426-32 1-Gerente de Enfermagem – Torre Matriz; 2- Superintendente de operações e diretor técnico; 3- Enfermeira Pesquisadora AC Camargo Cancer Center
  26. 26. A HUMANIZAÇÃO DO AMBIENTE FÍSICO HOSPITALAR: PRIVACIDADE/INDIVIDUALIDADE NA INTERNAÇÃO DE PACIENTES Autores: Vaghetti HH, Carvalho DP, Wachholz LB. Instituição: Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Email: vaghetti@vetorial.net Introdução: A qualidade do ambiente físico hospitalar destinado aos usuários é uma das questões pontuadas no Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar (PNHAH) (BRASIL, 2001) e Política Nacional de Humanização (PNH) (BRASIL, 2004), como fundamental à humanização destes espaços. Justificativa: Essa investigação é uma contribuição para a melhoria da qualidade da assistência prestada aos usuários bem como para construção do conhecimento acerca da organização do trabalho da enfermagem, oferecendo reflexão critica e instrumentos para o enfrentamento dos desafios postos diante da humanização do ambiente físico hospitalar. Objetivo: Conhecer a percepção dos usuários de um hospital universitário. sobre a privacidade e individualidade em seu processo de internação e identificar possibilidades para a criação/modificação/manutenção de ambientes físicos satisfatórios no hospital. Metodologia: Pesquisa de abordagem qualitativa, descritiva e exploratória, cujo instrumento de coleta de dados foi a entrevista semiestruturada gravada, que abordou a privacidade/individualidade no ambiente físico hospitalar. Os sujeitos foram pacientes lúcidos, orientados e deambulantes, das unidades de Clinica Médica, Clinica Cirúrgica e Serviço de Pronto Atendimento do referido hospital com média de internação de sete e três dias, respectivamente e que concordaram em participar e assinar o termo de consentimento livre e esclarecido, a qual obteve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa na área da saúde (CEPAS/FURG) sob o parecer nº 118/2011. Após a coleta, que ocorreu no período de setembro e outubro de 2012, os dados foram transcritos e submetidos à análise de conteúdo. Resultados: Os dados evidenciaram que os sujeitos, na maior parte do tempo, sentem-se desrespeitados, pois, o ambiente, não proporciona meios adequados para que a privacidade e individualidade sejam preservadas, principalmente no momento da realização de procedimentos. Isto ocorre, tanto por haver um número excessivo de pacientes nas enfermarias e não existir biombos para dividir os leitos, quanto no momento da anamnese/conversa entre profissionais-paciente, quando são abordados assuntos pessoais necessários para a compreensão e andamento do tratamento. Desta forma, os sujeitos destacam como possíveis soluções para manter a privacidade e individualidade satisfatória nas unidades de internação, a existência de divisórias nos leitos, um espaço para que os usuários possam realizar as entrevistas com os profissionais, receber seus visitantes fora da enfermaria. Conclusões: Ao conhecer a percepção dos usuários sobre a privacidade e individualidade, acredita-se que não são necessárias mudanças na estrutura das unidades de internação do hospital, porém ao realizar pequenas modificações como a colocação de cortinas ou divisórias entre os leitos minimizariam significativamente os problemas, tornando, consequentemente, o ambiente mais humano, melhorando a qualidade do atendimento prestado. 1 Enfermeiro. Mestre em Enfermagem. Hospital Universitário. Universidade Estadual de Londrina-PR (UEL). 2 Enfermeira. Aluna do Programa de Mestrado em Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina-PR (UEL). Bibliografia BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência a Saúde. Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar. Brasília: Ministério da Saúde, 2001. (Série C. Projetos, Programas e Relatórios, 20). BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004
  27. 27. A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DE QUALIDADE NAS INSTITUIÇÕES HOSPITALARES Costa SG, Castro PS, Kowalski ISG, Fortes T. Universidade Paulista paulacastro25@gmail.com RESUMO A necessidade de uma assistência com qualidade só começou a ser discutida em meados do século XX, quando um grupo de cirurgiões norte-americanos iniciou um programa de padronização da assistência médica prestada,cujo objetivo era abordar e executar condições de atendimento com qualidade nos serviços médicos. Os indicadores de qualidade são instrumentos de coleta de dados para mensurar e avaliar a assistência à saúde se divide em uma tríade: estrutura, processo e resultado. A Acreditação hospitalar é um processo de avaliação da assistência a saúde, em padrões de qualidade pré-determinados por organizações acreditadoras. Este estudo teve como objetivos identificar os principais indicadores de qualidade utilizados nas instituições hospitalares, ligados diretamente à assistência de enfermagem; identificar a percepção dos enfermeiros das instituições hospitalares, relacionado à utilização dos indicadores de qualidade. e identificar os critérios de avaliação do processo de Acreditação hospitalar no Brasil. Tratou-se de uma revisão bibliográfica, através do portal da biblioteca virtual de saúde (BIREME), na base de dados: LILACS (Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde) Scientific Eletronic Library on Line (SCIELO), biblioteca virtual de dissertações da USP e Compromisso com a Qualidade Hospitalar (CQH), como também se favoreceu da utilização de livros, artigos, dissertações e manuais em língua portuguesa no período de 2000 a 2012. Os indicadores de qualidade são: estrutura (taxa de absenteísmo, de rotatividade de enfermagem), processo (indicador de úlcera por pressão e indicador de queda) e resultado (taxa de mortalidade, de infecção e de ocupação). Também são utilizados como ferramenta de gestão na identificação e análise dos serviços de saúde prestados. Os enfermeiros acreditam na utilização de indicadores como ferramenta na execução de melhorias da assistência e na avaliação do desempenho da equipe. A importância do controle de qualidade nos serviços de saúde está evidente na utilização dos indicadores de qualidade e na participação dos hospitais em processos de acreditação, porém ainda esta em processo de evolução nas organizações hospitalares. Os enfermeiros estão envolvidos com o processo de construção e validação de indicadores, pois com isto poderá melhorar a qualidade da assistência prestada. Considerando que as instituições de saúde estão mais competitivas e os usuários mais exigentes nos serviços recebidos, existe uma necessidade de desenvolver um ambiente e uma assistência de saúde livre de erros e com excelência de qualidade. Referências Bibliográficas Silva CPR. Indicadores para Avaliação de Programas de Controle de Infecção Hospitalar: construção e validação [dissertação]. São Paulo: Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo; 2005. Novaes HM. O processo de Acreditação dos serviços de saúde. Rev adm saúde. 2007 Out-Dez [acesso em 2012 Mar 30];10(37). Melleiro MM, Reis EAA, Ferreira RG, Nunes IA, Pires RP, Amino Mu, et al. Manual de Indicadores de enfermagem NAGEH. São Paulo: Programa de Qualidade Hospitalar ; 2006. Mota NVVP, Melleiro MM, Tronchin DMR. A Construção de indicadores de qualidade de enfermagem: relato da experiência do Programa de Qualidade Hospitalar. Rev adm saúde. 2007 jan-mar [acesso em 2012 mar 30];9(34). Labbadia JL, Matsuchita MS, Piveta VM, Viana TA,Cruz FSL. O Processo de Acreditação Hospitalar e a Participação da Enfermeira Rev Enferm. UERJ. 2004 abr [acesso em 2012 mar 15];12(1). Bittar OJNV.Indicadores de Qualidade e Quantidade em Saúde.Rev adm saúde.2001jul-set[acesso em 2012 mar 15];3(12):[aproximadamente 8 p.] Fortes MTR.A Acreditação no contexto dos Sistemas de Saúde: As propostas de Políticas e suas diversas Acreditações [dissertação] .São Paulo:Universidade do Estado do Rio de Janeiro:2007. Juran JM.Como Pensar a Respeito de Planejamento da Qualidade. A Qualidade desde o Projeto.São Paulo:Cengage Learning:2011.p.1-27. Alves EE,Guillén LL, Alves TR,Souza MH,Melo C,Pinho CTA et AL.Indicadores de programas: Guia Metodológico. Brasília: Ministério do Planejamento , Orçamento E Gestão;2010.[acesso em 2012 agosto 6].p21-37. Mota NVVP, Melleiro MM, Tronchin DMR. A Construção de indicadores de qualidade de enfermagem: relato da experiência do Programa de Qualidade Hospitalar. Rev adm saúde. 2007 jan-mar [acesso em 2012 mar 30];9(34).[aproximadamente 7p.] Feldman LB, Gatto MAF, Cunha ICKO. História da evolução da qualidade hospitalar: dos padrões a acreditação. Acta paul.enferm. 2005 abr-jun[ acesso em 2012 mar 15]18(2).[aproximadamente 7 p] Labbadia JL, Matsuchita MS, Piveta VM, Viana TA,Cruz FSL. O Processo de Acreditação Hospitalar e a Participação da Enfermeira Rev Enferm. UERJ. 2004 abr [acesso em 2012 mar 15];12(1).[aproximadamente 5 p]
  28. 28. A MUDANÇA NO GERENCIAMENTO DA ROTINA DA HIGIENE CORPORAL DO PACIENTE OTIMIZANDO A ASSISTÊNCIA Guimarães PV1, Guimarães RLS2 Universidade Estadual de Londrina Email: percivalguimaraes@yahoo.com.br Palavras-chave: Cuidado humano; higiene corporal; assistência integral de enfermagem. Introdução: No contexto do cuidar a higiene corporal deve ser observada, pois a higiene é uma necessidade fisiológica para o ser humano. A realização de múltiplas tarefas sobrecarrega o servidor que assiste mais de um paciente, o que aumenta o risco para iatrogenia. Justificativa: O enfermeiro, além de assistir os pacientes sob sua responsabilidade deve zelar também pelos servidores sob sua supervisão e contribuem para uma assistência de qualidade. Portanto, manter uma rotina de higiene corporal de pacientes internados em hospitais, concentrado num único turno, pode ser um processo desgastante. Considerando a teoria do Cuidado Humano de Waldow que salienta a importância de se reconhecer o cuidado como um processo de transformação e equilíbrio mútuo entre os seres envolvidos nele, realizou-se uma distribuição equitativa da higiene corporal nos diferentes turnos de trabalho numa unidade de internação de um hospital público. Objetivo: Descrever a experiência da mudança de rotina do horário de realização da higiene corporal numa unidade de internação de um hospital público. Metodologia: Trata-se de estudo descritivo tipo relato de experiência, tendo como referencial metodológico a Teoria Do Cuidado Humano de Waldow. A experiência foi desenvolvida numa unidade de internação masculina adulto de um hospital escola. A unidade tem um total de 67 leitos, com uma clientela variada de pacientes clínicos e cirúrgicos e um quadro de 65 servidores, entre enfermeiros, técnicos, auxiliares e atendente de enfermagem, técnico administrativo e auxiliar operacional. A distribuição de leitos para internação segue uma categorização por cores, a saber: verde (pacientes limpos, sem antibióticos), amarelo (pacientes com antibióticos, não secretantes), branca (pacientes exsudantes), laranja (portadores de microorganismos multirresistentes) e vermelha (portadores de microorganismos resistentes aos carbapenems). Resultados: A enfermagem deve estar embasada em conceitos humanistas e o cuidado centrado nos dados científicos, e tais ações devem promover, manter e recuperar a distinção e o todo da pessoa humana. A partir deste princípio, houve uma distribuição homogênea dos banhos dos pacientes, distribuidos entre os turnos matutino, vespertino e noturno. A adequação da rotina possibilitou: otimizar as anotações de enfermagem; identificação adequada e troca rotineira dos dispositivos de oxigenoterapia e acesso venoso; troca mais frequente de curativos saturados; analgesia precoce; aspiração frequente de secreções traqueais; melhorias na monitorização hemodinâmica de pacientes críticos; menor desgaste na equipe de enfermagem. O índice de qualidade da assistência de enfermagem atingiu níveis entre 90 a 95% de segurança. Os absenteísmos não previstos diminuíram. Conclusão: As teorias de enfermagem trouxeram aprimoramento científico para a prática do cuidar em enfermagem. Vencer paradigmas e incorporar novas tecnologias e conceitos promove crescimento profissional. O cuidado humano é uma necessidade do indivíduo e não uma rotina automatizada do “eu preciso fazer”. Enfocar uma distribuição humanizada da higiene corporal, associada a uma abordagem racional, pode proporcionar melhorias na qualidade da assistência e na saúde do profissional de enfermagem. Referências COSTENARO, R.G.S.; LACERDA, M.R. Quem cuida de quem cuida? Quem cuida do cuidador? 2 ed. Santa Maria: Centro Universitário Franciscano, 2002. PAIXÃO, W. História da enfermagem. 5 ed. Rio de Janeiro: Julio C. Reis Livraria, 1979.

×