UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS      CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - JORNALISMO                 SIMONE NÚÑEZ REISREBLO...
SIMONE NÚÑEZ REISREBLOG: A NOVA MOEDA DE TROCA DO TUMBLR COMO BANCO                       MEMÉTICO                        ...
RESUMO      A presente pesquisa toma como lugar, a observação do ciberfenômenoemergente denominado, Reblog, recurso oferec...
ABSTRACT      This research takes place as the observation of emerging ciberfenômenocalled, Reblog, Social Network feature...
LISTA DE FIGURASFigura 1 - Adesivo do Tumblr ................................................................................
Figura 30 - Etapas de monitoramento ....................................................................... 60Figura 31 - ...
SUMÁRIO1 TUMBLR DISCURSO E BLOGOSFERA ............................................................... 071.1 INTRODUÇÃO ......
71 TUMBLR DISCURSO E BLOGOSFERA1.1 INTRODUÇÃO          Neste vasto contexto hipermidiático1, minha preocupação se manifest...
8          Acerca de diferentes modos de produção, recepção e circulação destahipertextualidade liquefeita, ora como um pr...
91.2.2 Específicos         a) Analisar comparativamente, as características observadas em produções             discursiva...
101.3 QUADRO TEÓRICO DE REFERÊNCIA      Para fundamentar essa pesquisa que proponho, achei necessário apresentaralgumas li...
11conceitual blogosférica articulando pessoas em torno de seus interesses, projetose/ou objetivos comuns.       Segundo Bo...
12clareza que técnicas interpretativas melhor descreverão e decodificarão oscomponentes e elementos pesquisados no TUMBLR....
13      1.4.2 Métodos e procedimentos de observação      Foram      realizadas    observações     em      dois     perfis ...
142 REBLOG: UM OBJETO DE ESTUDO       Meu interesse em pesquisar o Tumblr10 surgiu enquanto navegava no sitemarketing tecn...
15popularidade das redes sociais e blogs16 que ocupavam cerca de 25% do tempototal gasto pelos usuários na internet, além ...
16formatação de acordo com o conteúdo que o usuário irá postar, o Tumblr postaconteúdo nos microblogs de forma rápida.    ...
17          Fato que pode ser visto como um sintoma a ser diagnosticado através deconceitos sobre acontecimento (QUERÉ, 20...
182.1 EU REBLOGO, TU REBLOGAS: SOMOS TUMBLOGERS          Em Comunicacion Y Poder, Castells (2009) escreveu que sociedade e...
19        c) Joanne (19 anos): Quando publico uma citação, seleciono o texto a ser            citado e clico no botão shar...
20         j) Isaac (17 anos): Posso colocar códigos do Google Analytics40 e Google             Webmaster41 além de Tools4...
21       Lançado em 2009, o aplicativo Tumblerette43 na versão para iPhone44, foicriado por Jeff Rock e Garrett Ross que e...
22que enfatiza a facilidade de uso, O Tumblr permite que seus usuários usem tags 48especiais do sistema para criar seus th...
23           Em     setembro de 2011, o site alcançou a marca de 10 bilhões de postsexclusivos, sem contar reblogs e a mar...
24          O site permite a adição de outras plataformas e redes, como: Wordpress,Blogger e Livejournal62, Facebook63 e T...
253 REBLOGAGEM COMO SIGNO DE DIÁLOGO          Ao analisar o Reblog no Tumblr pelo viés semiótico66, questiono o que poderi...
26                           Figura 6 - Tumblr: um signo                      Estratégia de marketing que virou febre entr...
27componente inaugural a armazenar dentro de si, sua própria possibilidade desentido viabilizada através do campo da exper...
28muitas outras cascatas de acontecimentos a promover rupturas e morfogêneses querepercutem na ordem das coisas.          ...
29tampouco as relações de dominação que acontecem em redes como Tumblr, seriamconsideradas fundamentais por estarem no alc...
30artefato cultural72 (HINE, 2000, 2005; SHAH, 2005; ESPINOSA, 2007), aoproporcionar que seus atores sociais (usuários) ap...
31participativa e exploratória, através da qual os fãs-produtores75, desenvolvem umpapel social importante na construção d...
32como se criassem um plano econômico rebloguístico. No Tumblr quanto maisrápidas e mais impactantes forem as postagens, m...
33referências, relacionados diretamente com obtenção e relevância de informações,tempo para recebimento destas informações...
34          O retweet e Reblog são, portanto, formas de gerar difusão e acesso àsinformações que conforme Coleman (1988) s...
35da evolução cultural através de uma linguagem especializada oriunda da evoluçãogenética.      Aos conceitos referidos ag...
36       Ao conceituar o meme como representação de uma unidade de evoluçãocultural   que    autopropaga-se      através  ...
37sobreviver como se os Reblogs ganhassem imunidade           e longevidade a cadareplicação/repostagem.      Ao alinhavar...
383.3 REBLOGAGEM & ACONTECIMENTO      Observada sob a ótica jornalística como ato de reconstrução da realidadesocial, a Re...
39construírem poder através da construção de imagens, textos e áudios, pois as idéiasnada mais são do que imagens (visuais...
40          Figura 13 - Stevie Jobs reblogado            Capa da Revista Veja reblogada no Tumblr sobre a morte de Steve J...
41entre mercados midiáticos de acordo com os comportamentos migratórios dospúblicos dos meios de comunicação.          Ent...
42      Ao ponderar as propostas de Jenkins (2009) visualizo as comunidadesTumblogers, ou de reblogadores do Tumblr como s...
43poder de reputação a estes reblogadores e fortalecendo com isto o Capital Socialna internet.       Baseado nos paradigma...
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético

991 views

Published on

RESUMO
A presente pesquisa toma como lugar, a observação do ciberfenômeno
emergente denominado, Reblog, recurso oferecido pela Rede Social Tumblr, que
promove espaços de afinidade enquanto serviço de blogagem multimídia ao
apresentar aspectos miméticos e reprodutivos em conteúdo considerado trollagem
ou infoentretenimento. Durante o estudo, o Reblog que ganha cada vez mais
visibilidade no cenário virtual, têm facilitado a comunicação e interação entre
usuários da web que o transformam em capital social ou moeda de troca. Realizado
à luz de autores como Henn, Zago, Recuero, Castells, Jenkins, Lotman, Babo
Lança, Amaral, Nunes e Fragoso, o estudo monitorou dois Tumblogers
denominados: Globo Repórter e Reblogays quanto à produção de sentido que os
Reblogamentos produzem na semiosfera coletiva.
Palavras-chave: Reblog. Tumblogers. Blogosfera. Capital Social. Moeda de Troca.
Convergência. Memória Coletiva. Continuum semiótico. Memético.
Semiosfera. Acontecimento. Signo. Catalisador Semiótico.
Semiodiversidade. Intersemiótico.

Published in: Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
991
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Reblog: a nova moeda de troca do TUMBLR como banco memético

  1. 1. UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - JORNALISMO SIMONE NÚÑEZ REISREBLOG: A NOVA MOEDA DE TROCA DO TUMBLR COMO BANCO MEMÉTICO São Leopoldo 2011
  2. 2. SIMONE NÚÑEZ REISREBLOG: A NOVA MOEDA DE TROCA DO TUMBLR COMO BANCO MEMÉTICO Trabalho de conclusão apresentado como requisito à aprovação na disciplina de Trabalho de Conclusão II do curso de Comunicação Social – Jornalismo na Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Orientador: Prof. Ronaldo Henn São Leopoldo 2011
  3. 3. RESUMO A presente pesquisa toma como lugar, a observação do ciberfenômenoemergente denominado, Reblog, recurso oferecido pela Rede Social Tumblr, quepromove espaços de afinidade enquanto serviço de blogagem multimídia aoapresentar aspectos miméticos e reprodutivos em conteúdo considerado trollagemou infoentretenimento. Durante o estudo, o Reblog que ganha cada vez maisvisibilidade no cenário virtual, têm facilitado a comunicação e interação entreusuários da web que o transformam em capital social ou moeda de troca. Realizadoà luz de autores como Henn, Zago, Recuero, Castells, Jenkins, Lotman, BaboLança, Amaral, Nunes e Fragoso, o estudo monitorou dois Tumblogersdenominados: Globo Repórter e Reblogays quanto à produção de sentido que osReblogamentos produzem na semiosfera coletiva.Palavras-chave: Reblog. Tumblogers. Blogosfera. Capital Social. Moeda de Troca. Convergência. Memória Coletiva. Continuum semiótico. Memético. Semiosfera. Acontecimento. Signo. Catalisador Semiótico. Semiodiversidade. Intersemiótico.
  4. 4. ABSTRACT This research takes place as the observation of emerging ciberfenômenocalled, Reblog, Social Network feature offered by Tumblr, which promotes affinityspaces as a service to provide multimedia blogging and mimetic aspects ofreproductive and infotainment content deemed trollagem. During the study, Reblogthat has gained increasing visibility in the virtual scenario, facilitated communicationand interaction between web users that make it capital or currency. Held in the lightof such authors as Henn, Zago, Recuero, Castells, Jenkins, Lotman, Babo Lança,Amaral, Nunes and Fragoso, the study monitored two Tumblogers named: GlobeReporter and Reblogays for the production of meaning that produce Reblogamentossemiosphere in collectiveKeywords: Reblog. Tumblogers. Blogosphere. Social Capital. Currency Exchange. Convergence. Collective Memory. Continuum semiotic. Memetic. Semiosphere. Event. Zodiac. Catalyst Semiotic. Semiodiversidade. Intersemiotic.
  5. 5. LISTA DE FIGURASFigura 1 - Adesivo do Tumblr .................................................................................... 14Figura 2 - Pesquisa publicada no Social Media Report sobre o Tumblr .................... 17Figura 3 - Design minimalista do Tumblr ................................................................... 20Figura 4 - Tumblerette: a versão mobile do Tumblr ................................................... 21Figura 5 - Dashboard ou Painel de Controle do Tumblr ............................................ 22Figura 6 - Tumblr: um signo ...................................................................................... 26Figura 7 - Ilustração de Fidel Castro vira reblog........................................................ 27Figura 8 - Comunidade do Tumblr - Lésbicas que se parecem com Justin Bieber ... 29Figura 9 - Tumblogers fãs da cantora Amy Winehouse ............................................ 33Figura 10 - Tumblr apelidado de fábrica de memes .................................................. 35Figura 11 - Hitler reblogado transforma-se em meme no Tumblr .............................. 36Figura 12 - Ny Times rende-se ao Tumblr ................................................................. 38Figura 13 - Stevie Jobs reblogado............................................................................. 40Figura 14 - Imagens da Revista Vogue reblogadas por fashionistas ........................ 41Figura 15 - Representação artística da Semiosfera da Cultura ................................. 45Figura 16 - A reblogagem através da perspectiva da temporalidade ....................... 46Figura 17 - Como um vetorial em ação na temporalidade semiosférica, o Reblog tem a função de reconstituir e abastecer a semiosfera com novos signos .................................................................................... 47Figura 18 - Tecla/ícone REBLOG.............................................................................. 48Figura 19 - Reblogs catalisador semiosférico............................................................ 48Figura 20 - Memória coletiva sígnea ......................................................................... 49Figura 21 - Os Reblogs transitam na semiosfera organizando-se em sub-camadas ..... 50Figura 22 - Cena cinematográfica reblogada no tutorial do TUMBLR via You Tube.... 51Figura 23 - Reblog de ilustração no vídeo tutorial do TUMBL via You Tube ............. 52Figura 24 - Semiosfera: um espaço epistêmico transcriador..................................... 53Figura 25 - Reblog de imagens da pop star Rihana .................................................. 54Figura 26 - Link reblogado no vídeo tutorial do TUMBLR no You Tube .................... 55Figura 27 - Cadeias culturais semiosféricas .............................................................. 56Figura 28 - Reblog como objeto intersemiótico condutor .......................................... 56Figura 29 - Dashboard do tumblog de Simone Núñez Reis - Recorte realizado no dia 18/04/21012 às 15:08hs ............................................................... 59
  6. 6. Figura 30 - Etapas de monitoramento ....................................................................... 60Figura 31 - Tumblr Reblogays - Recorte feito no dia 15/04/2012 às 18:22hs ........... 61Figura 32 - Tumblr Globo Repórter - Recorte realizado no dia 16/04/2012 às 14:31hs .... 61Figura 33 - Tumblr. Reblogays - Recorte realizado no dia 18/04/2012 às 18:42hs ..... 62Figura 34 - TUMBLR Reblogays - Recorte feito no dia 17/04/2012 às 19:04hs ........ 63Figura 35 - TUMBLR Reblogays - Reblog do You Tube - Recorte feito no dia 16/04/2012 às 12:23hs ........................................................................... 64Figura 36 - Cadeia produtiva de Reblogs .................................................................. 65Figura 37 - TUMBLR Reblogays - Reblog da Banda Rebeldes - Recorte feito no dia 17/04 às 21:37hs ....................................................................................... 66Figura 38 - Reblog criado pelo tumblog Biscuita ....................................................... 67Figura 39 - Tumblr Globo Repórter- Reblog canibalismo - Recortado o dia 16/04/2012, às 15:27hs ........................................................................... 67Figura 40 - TUMBLR Reblogays - Reblog plaquinhas fãs - Recorte feito no dia 15/04/2012 às 16:45 hs ............................................................................ 68Figura 41 - TUMBLR Globo Repórter - Reblog ausência - Recortado o dia 15/04/2012 às 21:54 hs .......................................................................... 69Figura 42 - Tumblr Globo Repórter - Reblog atores sociais - Recorte realizado em 16/04/2012 às 15:10 hs .................................................................................. 69Figura 43 - Tumblr Globo Repórter- Resposta ao Reblog -Recorte realizado dia 17/04/2012 às 22:37 hs ................................................................................. 70Figura 44 - Tumblr Reblogays - Recorte feito no dia 15/04/2012 às 11:16 hs .......... 71Figura 45 - TUMBLR Globo Repórter - Recorte realizado no dia 15/04/2012 às 22:06 hs ............................................................................................. 72Figura 46 - Tumblr Globo Repórter - Recorte realizado dia 16/04/2012 às 14:33hs ...... 72Figura 47 - Reblog criado e assinado por TV Globinho ............................................. 73Figura 48 - TUMBLR Reblogays - Recorte feito no dia 17/04/2012 às 18:34 hs ....... 73Figura 49 - Reblog da expressão Unicórnios,comumente utilizada por membros do Tumblr ................................................................................................ 74Figura 50 - Tumblr Globo Repórter- Recorte realizado no dia 16/04/2012 às 14:33 hs ............................................................................................. 75Figura 51 - Reblog assinado por William Bonner ...................................................... 76
  7. 7. SUMÁRIO1 TUMBLR DISCURSO E BLOGOSFERA ............................................................... 071.1 INTRODUÇÃO .................................................................................................... 071.2 OBJETIVOS ........................................................................................................ 081.2.1 Objetivos gerais ............................................................................................. 081.2.2 Específicos ..................................................................................................... 091.3 QUADRO TEÓRICO DE REFERÊNCIA ............................................................. 101.4 ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS ................................................................... 111.4.1 Definições da amostra/corpus ...................................................................... 121.4.2 Métodos e procedimentos de observação ................................................... 132 REBLOG: UM OBJETO DE ESTUDO ................................................................... 142.1 EU REBLOGO, TU REBLOGAS: SOMOS TUMBLOGERS ................................ 182.2 ORIGEM E DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE O TUMBLR ................................. 203 REBLOGAGEM COMO SIGNO DE DIÁLOGO ..................................................... 253.1 REBLOGAGEM COMO CAPITAL SOCIAL ......................................................... 283.2 ENTRE REBLOGAGENS & MEMES .................................................................. 343.3 REBLOGAGEM & ACONTECIMENTO ............................................................... 383.4 REBLOGAGEM, CONVERGÊNCIA Y PODER ................................................... 404 REBLOG: UM CATALISADOR SEMIOSFÉRICO ................................................. 444.1 O REBLOG COMO SUBTEXTO NO CONTINUUM SEMIÓTICO ....................... 514.2 O REBLOG COMO OBJETO INTERSEMIÓTICO .............................................. 555 NETNOGRAFIA ..................................................................................................... 585.1 MONITORAMENTO DOS TUMBLOGS GLOBO REPÓRTER E REBLOGAYS ..... 606 CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................... 77REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 79
  8. 8. 71 TUMBLR DISCURSO E BLOGOSFERA1.1 INTRODUÇÃO Neste vasto contexto hipermidiático1, minha preocupação se manifesta emrelação à Republicação / Repostagem de conteúdos de áudio, vídeo, texto e fotosdenominado de Reblogagem pelos usuários da plataforma de microbblogins Tumblr. Cada vez mais estruturada com suas interfaces cognitivas flexíveis, plásticase adaptáveis, nossas velozes mudanças comportamentais na instantaneidade fazemcom que nos tornemos usuários mais ou menos responsáveis, autores e co-autoresquanto à disseminação destas informações seja no âmbito social, político, culturalpor intermédio da blogosfera2 como mediadora. Hoje, a introdução da escrita eletrônica está conduzindo a humanidade a umacultura eletrônica, usuária de novas roupagens discursivas como links, imagens eáudio parecem nuances do hipertexto. Neste aspecto, observo a variedade possibilidades da utilização daHipertextualidade3 através de microblogs4, e como tais mudanças tecnológicas nestesúltimos 30 anos, eclodiram em novas configurações de comunicação e Informação,intensificando nossa vida de usuários, autores e produtores de informação. Os fatores acima certamente contribuíram para tornar o hipertexto mais umprotocolo da tecnocracia5, alavancando as sociedades letradas a produzirem suadeslinearização6 o que vem a repercutir em novas formas de produção, circulação eoferta de conteúdos na internet.1 Hipermidiático - é a reunião de várias mídias num suporte computacional, suportado por sistemas eletrônicos de comunicação.2 Blogosfera - é o termo coletivo que compreende todos os weblogs (ou blogs) como uma comunidade ou rede social. Muitos blogs estão densamente interconectados; blogueiros lêem os Blogs uns dos outros, criam enlaces para os mesmos, referem-se a eles na sua própria escrita, e Postam comentários nos blogs uns dos outros. Por causa disso, os blogs interconectados criaram sua própria cultura. Outros termos em uso incluem "Blogtopia", "Bloguespaço", "Bloguiverso", "Blogsilvânia" e "Bloguistão".3 Hipertextualidade - hiperligação, ou simplesmente ligação, é uma referência em um documento hipertextual para outro documento ou recurso. Como tal, ele é similar às citações em literatura.4 Microblogs - é uma forma de publicação de blog que permite aos usuários que façam atualizações breves de texto (geralmente com menos de 200 caracteres) e publicá-las para que sejam vistas publicamente ou apenas por um grupo restrito escolhido pelo usuário.5 Tecnocracia - significa, literalmente, governo dos técnicos, que, pelo controle dos meios de produção, tendem a superar o poder político ao invés de apoiar suas atividades.6 Deslinearização - refere-se a todas as estruturas que não apresentam um único sentido. Estrutura que apresenta múltiplos caminhos e destinos, desencadeando em múltiplos finais.
  9. 9. 8 Acerca de diferentes modos de produção, recepção e circulação destahipertextualidade liquefeita, ora como um produto sinestésico, ora de maneira self-service ou como afogador de leitores neste oceano informacional fluído dehipertextualidade. É neste âmbito, que esta pesquisa pretende lançar alguns questionamentos afim de atingir respostas, como sobre o surgimento de características emergentes no“discurso eletrônico”, manifestadas em plataformas de Microbloggins da atualidade. O TUMBLR, plataforma de microbloggins pesquisada nesse trabalho, seapresenta como um rico cenário a ser pesquisado e que se encontra sob efeitodestas novas tecnologias de produção de linguagem digital, em meio astransformações de conceitos sobre autoria discursiva blogosférica.71.2 OBJETIVOS1.2.1 Objetivos gerais a) Identificar e analisar novas formas narrativas e processos de noticiabilidade que estariam impulsionando blogueiros adolescentes e adultos a migrarem de antigas plataformas como Wordpress e Blogspot; que oferecem estruturas voltadas para a produção macro hipertextual, para o TUMBLR8; que oferece uma estrutura voltada para a produção micro hipertextual. b) Contextualizar o cenário das novas redes sociais, onde outros Canais/espaços de publicação como o TUMBLR, rapidamente se tornam referência e preferência entre o público teenager.7 Blogosférica - é o termo coletivo que compreende todos os weblogs (ou blogs) como uma comunidade ou rede social.8 TUMBLR - é uma plataforma de blogging que permite aos usuários publicarem textos, imagens, vídeo, links, citações, áudio e "diálogos", a maioria dos posts feitos no Tumblr são textos curtos, mas a plataforma não chega a ser um sistema de microblog, estando em uma categoria intermediária entre o Wordpress ou Blogger e o Twitter. Os usuários são capazes de "seguir" outros usuários e ver seus posts em seu painel (dashboard). Também é possível "gostar" (favoritar) ou "reblogar" (semelhante ao RT do Twitter) outros blogs.
  10. 10. 91.2.2 Específicos a) Analisar comparativamente, as características observadas em produções discursivas de microblogueiros usuários da plataforma TUMBLR que é a reblogagem9, característica que pode ou não estar configuradas dentre os gêneros de narrativas emergentes. b) Registrar observações práticas sobre a natureza destas das manifestações da reblogagem, durante o desenvolvimento do corpus da pesquisa. c) Identificar como as reblogagens praticadas por microblogueiros adolescentes e adultos constituem novos gêneros hipertextuais híbridos, por apresentarem misturas entre elementos da oralidade e escrita em um mesmo evento e suporte comunicativo. d) Monitorar um pequeno grupo de usuários adolescentes do TUMBLR durante 60 dias, a fim de investigar quais fatores estariam impulsionando ou reforçando o surgimento da reblogagem, manifestada por estes adolescentes. Ao lançar todos estes questionamentos no corpus desta pesquisa, acreditoque obterei um esclarecimento qualitativo em relação a estas manifestaçõesdiscursivas micro hipertextuais, pois pautarei como se criam estes novos padrões decirculação de noticibilidade, como o ato de reblogagem também conhecido comorepublicação como característica apresentada por uma representativa parcela deusuários do TUMBLR. Ao pesquisar artigos científicos, trabalhos de conclusão de curso (TCC’s),encontrei inúmeros textos que falam sobre redes sociais, retwittagens , repostagens,portanto não encontrei nada que se tratasse da reblogagem especificamente. Neste período de busca árdua, acredito que minha pesquisa pode vir acontribuir para esfera pública em geral, assim como acadêmicos das áreas deSemiótica, Comunicação Digital e Comunicação Social, internautas, pesquisadores ecuriosos sobre as transformações da hipertextualidade.9 Reblogagem - sistema da plataforma TUMBLR que quando é acionada, permite ao usuário postar o que já foi postado por outro usuário.
  11. 11. 101.3 QUADRO TEÓRICO DE REFERÊNCIA Para fundamentar essa pesquisa que proponho, achei necessário apresentaralgumas linhas de pensamento referentes aos conceitos como reblogagem,microbloggins, hipertextualidade, internet, memes, capital social e genealogia dablogosfera segundo alguns autores como: Hall, Aguiar, Recuero, Zago, Malini, Henn,Castells, Deleuze, Babo-Lança, Alex Primo, Amaral e Jenkins que possibilitarão aosleitores deste projeto pensar sobre a relação existente entre nossa oralidade,memória, escrita e discurso eletrônico a partir de conceituais relacionados aosmicrobloggins, neste caso, em estudo o TUMBLR. Sobre o conceito de reblogagem e sua interelação com microblogueiros doTUMBLR, Recuero (2003) explica em sua obra Weblogs, Webrings e ComunidadesVirtuais que microblog é o formato de publicação típico da web, considerado um“blog simplificado”, na medida em que possui os recursos inerentes ao formato blog– como publicação de conteúdo em ordem cronológica inversa, interatividade,pessoalidade, e demais características dos blogs. Seguindo a ótica de Recuero, objetivo analisar como a estruturamicrobloguística do TUMBLR, é utilizada pelos usuários, levando em conta demaispontos a serem discutidos neste estudo como sobre a possibilidade da plataformaTUMBLR ser uma vitrine de novos gêneros hipertextuais quanto à produção ecirculação noticiosa, ao proporcionar aos usuários (microblogueiros) novas formas,arquiteturas informacionais promotoras de autoria digital, como a reblogagem quesegundo Hall (2005) em sua obra A identidade cultural na pós-modernidade, escreveque o sujeito do passado, trazia resquícios do iluminismo e era visto como tendouma identidade fixa e estável, mas foi descentrado, resultando num sujeito deidentidades abertas, contraditórias, inacabadas, fragmentadas. Nesta perspectiva de Hall, microblogueiros ou não, os internautasrepresentam este sujeito pós-moderno da atualidade que permite que suas idéiasprovoquem rupturas nos discursos tradicionais sobre o conhecimento aindaconsiderado moderno. Analisando alguns conceitos propostos por Aguiar (2007) e estando atentaaos perfis adolescentes publicados no TUMBLR, percebo esta plataforma paracriação de microbloggins como uma rede organizacional ou interorganizacionalfomentada por atores sociais que a cada reblogagem, ampliam a estrutura
  12. 12. 11conceitual blogosférica articulando pessoas em torno de seus interesses, projetose/ou objetivos comuns. Segundo Bourdieu, Wasserman e Faust (apud RECUERO, 2005), o TUMBLRpode ser concebido como um agente facilitador de laços sociais ao estimular seusatores sociais (usuários) à praticarem a “reblogagem” como “capital social” embutidonas relações sociais entre seus atores sociais. Incrementando Recuero, Aguiar, Malini e Hall, abro um viés para opesquisador Alex Primo na obra O aspecto relacional nas interações da Web 2.0,que afirma que são através dos blogs que pequenas redes de amigos ou grupos deinteressados em nichos muito específicos podem interagir, gerando ou criandosignificativos efeitos em rede. Segundo Alex Primo, são os microblogs que reúnem pequenos grupos cominteresses segmentados, mas que ganham peso na rede a partir de suainterconexão com outros sub-sistemas. Ou seja, o modelo informacional dos microblogs é um grande centrodistribuidor de mensagens inclusive de novas formas autorais, neste caso oTUMBLR que passa a competir com a lógica sistêmica da conexão de micro-redes,lançando suas peculiaridades como os novos formatos discursivos através derecursos como a reblogagem hipertextual.1.4 ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS Para fundamentar este trabalho, optei pela pesquisa qualitativa, por acreditarque esta metodologia irá permitir que eu levante dados para posteriormenteclassificá-los em suas características essenciais sobre microblogueirosadolescentes, utilizando o ambiente natural como fonte direta destes dados epermitindo que eu também me disponibilize aos microblogueiros como instrumento aser observado e questionado. Imagino que pelo viés qualitativo, consegui analisar mais objetivamente dadosde caráter descritivo, assim como seus significados sobre as mensagens reblogadasproduzidas pelos microblogueiros. Ao meu entender, o método qualitativo possibilitou que, como investigadora,desenvolvesse habilidades como enfoque indutivo para compreender com maior
  13. 13. 12clareza que técnicas interpretativas melhor descreverão e decodificarão oscomponentes e elementos pesquisados no TUMBLR. A argumentação construída durante a elaboração do corpus da pesquisaserviu de bússola para que eu expresse os fenômenos do mundo socialblogosférico, traduzindo-os na questão autoral que estudará os novos formatos deautoria na internet, como a reblogagem ou republicação. Ao estudar microblogs a partir da pesquisa qualitativa, houve momentos emque tentei reduzir distâncias entre indicador e indicado, noutros precisei relacionarteoria aos dados,e ainda empregar a lógica empírica e análise fenomenológica comcertas doses de suposição, singularidade e ambigüidade na observação dosfenômenos discursivos no TUMBLR. Em certos momentos iniciais, tive de fazer um corte espacial-temporaldefinindo meu território de pesquisa, com mapeamento para a partir daí interpretá-loe somente então coletar dados simbólicos deste território e situá-los em umdeterminado contexto teórico e metodológico.1.4.1 Definições da amostra/corpus Segundo Dubois (1993) um corpus de pesquisa deve ser representativo, istoé, deve ilustrar toda a gama das características estruturais de um objeto de estudo.Como pesquisadora, pretendo reunir o máximo de informações possíveis erelevantes ao coletar dados através de meios e métodos variados como: e-mails,entrevistas presenciais padronizadas e estruturadas, entrevistas à distância,conversas pré-agendadas presenciais, conversas pré-agendadas à distância portelefone, aplicação de questionários on-line e presenciais, conversas pelo Skype emonitoramento diário dos microbloggins através da plataforma TUMBLR. Todo o material coletado da internet ou através de outras formas de registrocomo áudio e imagem, formarão o corpus de amostragem representativa destapesquisa que observará e analisará microblogueiros adolescentes e adultos, deambos os sexos, pertencentes à faixa etária de 14 a 35 anos, estudantes de escolasparticulares, públicas e universidades, pretencentes à diferentes classes sociais.
  14. 14. 13 1.4.2 Métodos e procedimentos de observação Foram realizadas observações em dois perfis do Tumblr:http://globoreporter.tumblr.com.br e http://reblogays.tumblr.com.br, durante o períodode três dias, por quatro horas que foram distribuídas em turnos manhã, tarde e noite. Durante o monitoramento netnográfico, fiz recortes, anotações eacompanhamentos dos dois perfis quanto ao número de reblogs emitidos, recebidos,conteúdos dos reblogamentos e rastreamento de outros perfis criadores, produtorese distribuidores de conteúdos para Reblogs sistematicamente. A netnografia possibilitou analisar e avaliar as relações entre Globo Repórter eReblogays e seus seguidores (followers), sobre como aconteciam suas conexões edesconexões e reblogamentos. Como seguidora dos dois perfis, dei suporte à esta análise através da obraMétodos de pesquisa para internet de Fragoso, Recuero e Amaral.
  15. 15. 142 REBLOG: UM OBJETO DE ESTUDO Meu interesse em pesquisar o Tumblr10 surgiu enquanto navegava no sitemarketing tecnológico ponto com, pois ao clicar o link11 que remetia ao artigo -Tumblr é o canal Social Media que mais cresce, fui remetida para oblognielsen.com12 onde estava postado um estudo trimestral do conceituado site TheSocial Media Report13 sobre o cenário da blogosfera14 americana. Figura 1 - Adesivo do Tumblr O Tumblr possui seis botões que aparecem como interface para criar novos posts um para postagem de fotos, um para vídeos, um para links, um para conversas e outro para áudio O estudo apresentava um gráfico com dados e rankeamento 15 estatísticomundial sobre redes sociais, gênero e faixa etária dos usuários de internet. Entre asinformações, que chamaram a minha atenção destaco a que se refere a10 Tumblr: plataforma de microblogs que permite aos usuários publicarem textos, imagens, vídeo, links, citações, áudio e diálogos, feitos sob a forma de posts que também são republicáveis.11 Link: hiperligação, liame, ou simplesmente ligação, é uma referência num documento em hipertexto a outras partes deste documento ou a outro documento.12 Nielsen: Uma das principais empresas de pesquisa sobre comportamento de consumidores e tendências.13 The Social Media Report: estudo estatístico sobre redes sociais realizada pela Nielsen.14 Blogosfera: é o termo coletivo que compreende todos os weblogs (ou blogs) como uma comunidade ou rede social.15 Rankeamento: é o processo de posicionamento de itens de estatísticas individuais, de grupos ou comerciais, na escala ordinal de números, em relação a outros.
  16. 16. 15popularidade das redes sociais e blogs16 que ocupavam cerca de 25% do tempototal gasto pelos usuários na internet, além da constatação de que mais de 40%dos acessos a Internet eram feitos por celulares e smarthphones17 por usuários comfaixa etária superior a 55 anos. Também me chamou a atenção, dados que se referiam ao crescimento deusuários do Tumblr como um dos canais Social Media18 que mais cresceu no espaçode 01 ano, no período entre o ano de 2010 a 2011. No estudo divulgado pelo The Social Media Report, o Tumblr é apresentadocomo uma plataforma de blogging19 com características de partilha de conteúdosbastante acentuadas. Segundo o Wikipedia20, e Technorati21, o Tumblr é uma plataforma de bloggingsque permite a publicação de textos, imagens, vídeo, links, citações, áudio e diálogos. A origem do termo Tumblr, que em inglês significa grátis, origina-se daexpressão tumblog , um blog minimalista23, sem muito palavrório, enxuto, 22descomplicado como eram os blogs na época que continham apenas links, brevescitações, textos curtos, imagens. Apresentando um design minimalista, os postsfeitos são compostos apenas de imagens e pequena legendas. O Tumblr possui seis botões que aparecem como interface para criar novosposts: um para postagem de fotos, um para vídeos, um para links, um paraconversas e frases entre aspas ou post normais. Ágil e vantajoso, quanto a16 Redes Sociais: é uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns.17 Smarthphone: telefone inteligente com funcionalidades avançadas que podem ser estendidas por meio de programas executados por seu sistema operacional aberto, o que significa que é possível a qualquer pessoa desenvolver programas que podem funcionar nesses telefones. Possui características mínimas de hardware e software, sendo as principais a capacidade de conexão com redes de dados para acesso à internet, capacidade de sincronização dos dados do organizador com um computador pessoal, e agenda de contatos que pode utilizar toda a memória disponível do celular.18 Social Media: conceito referente à produção de conteúdos de forma descentralizada e sem o controle editorial de grande grupos. Significa a produção de muitos para muitos.19 Micro-blogging: forma de publicação de blog que permite aos usuários que façam atualizações breves de texto (geralmente com menos de 200 caracteres) e publicá-las para que sejam vistas publicamente ou apenas por um grupo restrito escolhido pelo usuário. Estes textos podem ser enviados por uma diversidade de meios tais como SMS, mensageiro instantâneo, e-mail, MP3 ou pela Web.20 Wikipédia é um projeto de enciclopédia multilíngue livre, baseado na web, colaborativo e apoiado pela organização sem fins lucrativos Wikimedia Foundation.21 Technorati: é um motor de busca de Internet especializado na busca por blogs; e faz concorrência às ferramentas de busca de blogs do Google e Yahoo.22 Tumblog: nomenclatura dada à categoria de usuários da Rede Social Tumblr.23 Minimalista: o termo se refere a uma série de movimentos artísticos, culturais e científicos que percorreram diversos momentos do século XX e preocuparam-se em fazer uso de poucos elementos fundamentais como base de expressão. Os movimentos minimalistas tiveram grande influência nas artes visuais, no design, na música e na própria tecnologia.
  17. 17. 16formatação de acordo com o conteúdo que o usuário irá postar, o Tumblr postaconteúdo nos microblogs de forma rápida. Acompanhando tumblogs (microbloggins criados com a ferramenta Tumblr),de alguns meses para cá ao observar diferentes usuários que integram inúmerascomunidades da rede social Tumblr, atentei-me para a opção oferecidas em suabarra de ferramentas denominada “Reblog”,24 recurso que virou “febre” entre osusuários do Tumblr e divulgando-o ainda mais. Atenta ao ciberfenômeno25 denominado Reblog, busco tecer consideraçõesatravés de algumas teorias ciberculturais26 pertinentes, indicadas pelo meuorientador professor Ronado Henn, das quais procurei produzir uma mostra de corpoteórico capaz de justificar a hipótese de que os conteúdos postados via reblogagempor usuários no Tumblr, podem estar sendo usados como moeda de troca, conceitoextraído da Teoria do Capital Social (PUTNAM; 2000, BOURDIEU; 1983, FLORA;1998, BERTOLINI; BRAVO, 2004, GYARMATI; KYTE, 2004, COLEMAN, 1988. Minhas observações e interações com microblogueiros do Tumblr tem melevado a acreditar que o Reblog aponta para uma prática mimética e reprodutiva,hipótese esta alicerçada no conceito de memes27 (JONHSON, 2003; STROGATZ,2003) e (ADAR; ADAMIC, 2005; GRUHL et al., 2004; CAMPBELL; FOUCHÉ;WEISS, 2005; MARLOW, 2004; MAYFIELD, 2005; NUNES, 2001) como uma práticaque está a promover uma verdadeira avalanche de Reblog por usuários do Tumblr. No meu entendimento, a função Reblog, está para a pólvora, fazendo comque populações de microblogueiros migrem de antigas plataformas comoWordpress28 e Blogger29 para o Tumblr.24 Reblog: função oferecida através de uma tecla na barra de ferramentas do Tumblr, que permite aos usuários realizar repostagens ou republicações de conteúdos de áudio, vídeo, texto, diálogos, imagens.25 Ciberfenômeno- acontecimentos considerados impactantes na cultura e das novas tecnologias de base micro-eletrônicas e convergência das telecomunicações com a informática.26 Cibercultural-é um termo utilizado na definição dos agenciamentos sociais das comunidades no espaço eletrônico virtual.27 Meme: o meme é considerado uma unidade de evolução cultural que pode de alguma forma autopropagar-se. Podem ser ideias ou partes de ideias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autônoma. O estudo dos modelos evolutivos da transferência de informação é conhecido como memética.28 Wordpress: é aplicativo de sistema de gerenciamento de conteúdo para web, escrito em PHP e executado em My SQL, especialmente para a criação de blogs.29 Blogger: palavra criada pela Pyra Labs, é um serviço do Google, que oferece ferramentas para edição e gerenciamento de blogs, semelhantemente ao Wordpress.O Blogger permite a hospedagem de um número ilimitado de blogs nos servidores do Google, que adotam o endereço <blogspot.com>.
  18. 18. 17 Fato que pode ser visto como um sintoma a ser diagnosticado através deconceitos sobre acontecimento (QUERÉ, 2005; HENN; 2010), ao reblogar criam-senovos fluxos noticiosos e, um usuário do Tumblr pode estar desencadeandoprocessos semióticos vinculados à produção de material jornalístico. Outra teoria que procurei alinhavar com o ato de reblogar é da convergênciadigital, pois o Reblog também é muito praticado por usuários de aplicativos móveis,produzindo um denso cast30 noticioso. Neste sentido consultei alguns autores comoHenn, Zago, Recuero, Castells, Jenkins, Babo Lança, Amaral e Nunes a fim deconseguir tecer algumas considerações. Figura 2 - Pesquisa publicada no Social Media Report sobre o Tumblr No site www.marketingtecnologico.com o gráfico ilustrativo do artigo: O Tumblr é o canal Social Media que mais cresce é resultado de um estudo realizado pelo The Social Media Report.30 Cast: substantivo ou verbo da língua inglesa que significa elencar, lançar ou projetar.
  19. 19. 182.1 EU REBLOGO, TU REBLOGAS: SOMOS TUMBLOGERS Em Comunicacion Y Poder, Castells (2009) escreveu que sociedade em rededeve analisar-se em primeiro lugar como uma arquitetura global de redesautoreconfiguráves, programadas e reprogramadas constantemente pelos poderesexistentes em cada dimensão. Partindo desta premissa, há alguns meses, venho interagindo com usuáriosda rede Tumblr de várias capitais brasileiras (SP, RJ, MG e Porto Alegre).Denominados tumblogers, os usuários adolescentes e adultos foram constatados viaTwitter. Ao abordar sobre meu interesse em dominar as funções do Tumblr,questionei-lhes sobre os reais motivos pelos quais tenho observado que osmicroblogueiros teenagers e adultos estão migrando de antigas plataformas comoWordpress e Blogger para o Tumblr, considerada uma ferramenta emergente. Lançando algumas provocações, ao afirmar que o Tumblr estaria alcançandoo índice de popularidade do Twitter, fato que segundo Castells (2009) poderia seruma das causas que tem gerado popularidade ao Tumblr quando se refere adimensão do público que vem conseguindo abranger. Durante esta interação, obtivealgumas respostas que transcrevi abaixo: a) Renata (16 anos): promovo links usando o tráfego direto31 e rankeamento no Google32 e quando visito um tumblog de um amigo já detecto automaticamente se recebi algum link ou não. b) Marcelo (28 anos): O que eu acho interessante no Tumblr é o modo como a gente pode compartilhar os conteúdos manifestando nossa personalidade. Para quem não quer escrever muito, o tumblog é uma ótima opção para quem busca apenas compartilhar links, citações e imagens. Não curto compartilhar posts integrais, somente reblogo o link de origem do conteúdo para não desvalorizar meu tumblog.31 Tráfego direto: aplicativo oferecido pelo Google Analytics para classificar as fontes de tráfego do site de qualquer usuários em 3 categorias diferentes. No caso do tráfego direto: a visita é contabilizada quando o Internauta digita seu domínio direto no navegador. Um site com tráfego direto forte significa que sua marca é forte e você já é independente dos buscadores e dos outros sites que inserem um link apontando para você.32 Google é uma empresa multinacional de serviços online e software dos Estados Unidos que hospeda e desenvolve uma série de serviços e produtos baseados na internet e gera lucro principalmente através da publicidade pelo AdWords.
  20. 20. 19 c) Joanne (19 anos): Quando publico uma citação, seleciono o texto a ser citado e clico no botão share on tumblr33. Se, estou logada, visitando outro tumblr, reblogo de cara d) Juan Marcos (15 anos): O tumblog já vem com RSS34 e o a gente pode ter mais de um tumblog na mesma conta, o que não é uma proposta fakeísta.35 e) Raquel (18 anos): No meu tumblog, recebo aquilo que gostaria de compartilhar com as pessoas que seguem e os que não seguem meus itens compartilhados no Google Reader.36 f) Jonathas (24 anos- universitário): Atualizo meu Tumblr via RSS, incluo links para os posts37 dos meus blogs tão logo são publicados. Compartilho do Google Reader ou Flickr.38 g) Marina (16 anos): De todos os aplicativos para celular, o Tumblr é o que possui a melhor interface de visualização. O design é cool o tumblr e fashion.39 h) Cristhofer (14 anos): Atualizo meus tumblogs só pelo celular. i) Fábiano (26 anos): Posto tumblogs coletivos, e isto são como se fosse minha raíz quadrada na web.33 Share on tumblr: botão criado para compartilhar conteúdos de outros sites com o Tumblr.34 RSS: é um subconjunto de "dialetos" XML que servem para agregar conteúdo ou "Web syndication", podendo ser acessado mediante programas ou sites agregadores. É usado principalmente em sites de notícias e blogs.A abreviatura do RSS é usada para se referir aos seguintes padrões:Rich Site Summary (RSS 0.91), RDF Site Summary (RSS 0.9 e 1.0) e Really Simple Syndication (RSS 2.0).35 Fakeísta. é um termo usado para denominar o usuário que cria contas ou perfis na Internet para ocultar sua identidade real. Fake é um termo usado em relação também aos jogos, por exemplo, quando são falsos e nada está contido lá dentro. Para isso, são usadas identidades de famosos, personagens de filmes, desenhos animados, animes e até mesmo de pessoas conhecidas do dono da conta. Como não se sabe a identidade real do usuário, é comum chamar o seu perfil de fake.36 Google Reader: é uma aplicação web oferecida pela empresa Google que tem uma função de leitor de feeds (RSS). O serviço caracteriza-se por ter uma interface - GUI - limpa e objetiva, fato encontrado também em outros serviços da empresa. Foi lançado oficialmente no dia 7 de outubro de 2005 e graduado em 17 de setembro de 2007.37 Posts: Menor unidade de um Blog, também conhecido como artigo. Os posts são tradicionalmente organizados cronologicamente inverso, de forma que as informações mais atualizadas aparecem primeiro.38 Flickrs: é um site da web de hospedagem e partilha de imagens fotográficas (e eventualmente de outros tipos de documentos gráficos, como desenhos e ilustrações), caracterizado também como rede social. O Flickr permite a seus usuários criarem álbuns para armazenamento de suas fotografias e entrarem em contato com fotógrafos variados e de diferentes locais do mundo.39 Fashion: estilo predominante ou do costume, como em vestuário ou comportamento: fora de moda.
  21. 21. 20 j) Isaac (17 anos): Posso colocar códigos do Google Analytics40 e Google Webmaster41 além de Tools42 para acompanhar o funcionamento e desempenho do site. Figura 3 - Design minimalista do Tumblr O TUMBLR não produz conteúdo mas ao contrário do twitter, não se vê como empresa de conteúdo, mas de tecnologia, que fornece uma plataformautilitário onde as pessoas possam se expressar2.2 ORIGEM E DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE O TUMBLR O Tumblr -lê-se tâmbler – foi fundado em 2007 pelos americanos David Karp eMarco Arment, passou a ser líder de desenvolvimento com mais de 75.000 blogueirosque já utilizavam outros sistemas, mas migraram para sua plataforma, que não paroumais de crescer, recebendo mais de 3 milhões de usuários nos dias atuais.40 Google Analytics: é um serviço gratuito e é oferecido pela Google no qual, ao ativar-se o serviço por intermédio de uma conta do Google, e ao cadastrar-se um site recebe-se um código para ser inserido na página cadastrada e, a cada exibição, estatísticas de visitação são enviadas ao sistema e apresentadas ao dono do site.41 Google Webmaster: aplictaivo do Google que fornece relatórios detalhados sobre a visibilidade das páginas dos usuários no Google.42 Tools: palavra em inglês que significa ferramentas.
  22. 22. 21 Lançado em 2009, o aplicativo Tumblerette43 na versão para iPhone44, foicriado por Jeff Rock e Garrett Ross que em março de 2010, anunciaram o aplicativoem versões para smarthphones modelo BlackBerry.45 Criado por Mobelux46, oaplicativo do Tumblr também está disponível também para aparelhos que possuem osistema Andróid.47 Figura 4 - Tumblerette: a versão mobile do Tumblr Interface do aplicativo do Tumblr para smarthphones que inclui opções na barra de ferramentas para a postagem de imagens, áudio vídeos e texto. Até 18 de maio deste ano, o Tumblr contabilizou mais de 4.2 publicações eaproximadamente 19 milhões de blogs. Apresentando um sistema de personalização43 Tumblerette: aplictaivo do Tumblr para iphones.44 Iphone: é um smartphone desenvolvido pela Apple Inc. com funções de (SMS), visual voicemail, conexão wi-fi local e, atualmente, suporte a videochamadas (FaceTime). A interação com o usuário é feita através de uma tela sensível ao toque.45 Black Berry: é um aparelho telemóvel (Portugal) ou celular (Brasil) da empresa canadense Research in Motion (RIM) que possui funções de editor de textos, acesso à Internet, e-mail e tecnologia IPv6. O aparelho utiliza o serviço de e-mail da RIM. É o aparelho que deu origem à categoria dos smartphones.46 Mobelux: fundada em 2008, por Ross Garrett e Rock Jeff, a Mobelux é uma empresa que desenvolve softwares para plataformas móveis e foi adquirida em 2009 pelo Tumblr, Inc., re- lançado o Tumblr na versão iPhone. Com um crescimento fora de seus primeiros sucessos, a Mobelux home expandiu os seus serviços através do desenvolvimento do Tumblr para Android e Blackberry.47 Android: é um sistema operacional móvel que roda sobre o núcleo Linux, embora por enquanto [5] seja ainda desenvolvido numa estrutura externa ao núcleo Linux . Foi inicialmente desenvolvido pelo Google e posteriormente pela Open Handset Alliance, mas a Google é a responsável pela gerência do produto e engenharia de processos.
  23. 23. 22que enfatiza a facilidade de uso, O Tumblr permite que seus usuários usem tags 48especiais do sistema para criar seus themes49, também possibilitando a estes querealizem postagens de textos curtos, pois a plataforma não chega a ser um sistemade microblog mas situa-se em uma categoria intermediária entre o Wordpress ouBlogger e o Twitter.50 No Tumblr, os usuários podem seguir outros usuários e ver seus posts emseu painel ou dashboard.51 Também é possível gostar, favoritar ou reblogar(semelhante ao Retweett)52 do Twitter e outros blogs. Em junho de 2011 o visual da Dashboard ganhou várias novasfuncionalidades e um novo design, como responder mensagens de modo particular,onde a resposta pode ser vista apenas pelo usuário que perguntou dentro de suaInbox53 e alguns painéis de configurações foram mudados de lugar para que setornasse mais fácil e prático. Figura 5 - Dashboard ou Painel de Controle do Tumblr Na plataforma Tumblr, o internauta publica posts em diferentes formatos de cada vez, sem chance para complicar.48 Tags: estruturas de linguagem de marcação que consistem em breves instruções, tendo uma marca de início e outra de fim. Uma tag, ou em português etiqueta, é uma palavra-chave (relevante) ou termo associado com uma informação (ex: uma imagem, um artigo, um vídeo) que o descreve e permite uma classificação da informação baseada em palavras-chave.Tags ou etiquetas são, usualmente, escolhidas informalmente e como escolha pessoal do autor ou criador do item de conteúdo - isto é, não é parte de um esquema formal de classificação. É um recurso encontrado em muitos sites de conteúdo colaborativo recentes e por essa razão, "tagging" associa-se com a onda Web 2.0.Normalmente, um item tem uma ou mais tags ou etiquetas associadas a ele. iPod, câmera digital, internet, mensagens de texto.49 Themes: panos de fundo e lay outs disponibilizados pelo Tumblr para construção de páginas personalizadas.50 Twitter: Twitter é uma linha de rede social e microblogging serviço que permite aos seus usuários enviar e ler mensagens de texto-base de até 140 caracteres, conhecido informalmente como "tweets".51 Dashborad: painel de controle oferecido na interface do Tumblr.52 Retweet: mensagens repetidas através do Twitter.53 Inbox: caixa de entrada.
  24. 24. 23 Em setembro de 2011, o site alcançou a marca de 10 bilhões de postsexclusivos, sem contar reblogs e a marca foi comemorada com uma chuva deconfetes na Dashboard dos usuários que estavam conectados no momento. Considerada a sensação dos microbloggins do momento, o Tumblr mostra-secomo uma ferramenta voltada para pessoas que querem divulgar suas idéias em umou mais textos e imagens, oferecendo postagens pequenas e rápidas, para usuáriosque buscam velocidade e agilidade nas suas tarefas na internet. Quesitos até algum tempo atrás, pareciam bobagens, mas fizeram com quemuita gente começasse a gostar e migrasse para o Tumblr, que a partir de entãovirou um fenômeno entre o público adolescente. Conceituado como uma mistura de blog, micro-blog para postagem deimagens, fotos, vídeos e textos, muitas pessoas desconheçam o Tumblr comoplataforma de bloggin, mas grande a parte de seus usuários são adolescentes quepartilham conteúdos relacionados à experiências visuais como apresentações emSlideshare54, de imagens e vídeos utilizando-se da função Reblog inclusive deoutros posts da rede Tumblr, por esta optimizar a estratégia de Internal LinkBuilding.55 No Tumblr, os usuários podem seguir outras pessoas e visualizar naDashboard56 (timeline) os últimos posts dos seguidores, com a possibilidade defavoritá-los, ou dar reblogs para que acrescentem novas tags. Considerado um veículo de grande potencial para troca de informaçõesdinâmicas e interativas nas redes sociais, o Tumblr ultrapassou o Wordpress quanto aonúmero de usuários apreciadores de aplicativos como Movie of the Day57 um dos maisacessados, que posta diariamente, fotos, notas e músicas sobre filmes e Memes58engraçados como o: Segura Lady GaGa59, Fica, vai ter Bolo60 e O Ego Estagiário.6154 Slideshare: repositório para compartilhamento on-line, de apresentações de slides tipo Power Point e documentos como Word, Excel e Acrobat Reader.55 International Link Build: ferramenta geradora de links oferecida pelo Tumblr.56 Dashboard: O temo significa painel de indicadores que dá aos usuários um suporte analítico para tomada de decisões. Subdivide-se em Dashboards Executivos, Operacionais e de Simulação.57 Movie of the Day: é um aplictaivo para system Android que permite que o usuário baixe notas,músicas, e fotos sobre filmes memes, em seu celular.58 Memes: termo originado da genética, que significa unidade mínima, ou unidade de informação que se multiplica de cérebro em cérebro, ou entre locais onde a informação é armazenada (como livros) e outros locais de armazenamento.59 Segura Lady GaGa: microbloggin do Tumblr, no qual os autores realizam montagens com a cantora Lady Gaga em uma série de cenários diferentes.60 Fica, vai ter Bolo: frase tornou-se famosa no Orkut, por volta de 2005/2006 e que influenciou a criação d e um microbloggin no Tumblr que fora nomeado com esta frase, onde são postadas fotos de pessoas (geralmente famosos) que, aparentemente, estão indo embora de algum local ou em alguma conversação, com a frase-título acima.61 O Ego Estagiário: criado em 30 de abril de 2011, é um blog humorístico que faz sátira do Site Ego.
  25. 25. 24 O site permite a adição de outras plataformas e redes, como: Wordpress,Blogger e Livejournal62, Facebook63 e Twitter64, além de importar feeds65 de outros sitesou criar mais de um blog no seu Tumblr, sem a necessidade de ter novos cadastros. Durante o período de carnaval/2011, 82 servidores do Tumblr transferiram 500 terabytes de dados, suportando em torno de dois milhões de postagens diárias e registrando 15 mil novos usuários por dia, números considerados modestos se comparados a outros fenômenos da web, mas que apontam a popularidade crescente da página que faz o que os criadores do hypado Twitter ainda não tiveram coragem de fazer. (Texto publicado pelo Jornalista João Brunelli Moreno em Março de 2010 no Portal G1).62 Wordpress, Blogger e Livejournal: serviços e aplicativos de sistemas de gerenciamento de conteúdo para web como jornal, blog ou diário.63 Facebook: rede social lançada em 4 de fevereiro de 2004 e fundada por Mark Zuckerberg, Dustin Moskovitz, Eduardo Saverin e Chris Hughes quando estudavam na Universidade de Harvard.64 Twitter: rede social e servidor para microblogging, que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais de outros contatos (em textos de até 140 caracteres, conhecidos como "tweets"), por meio do website do serviço, SMS e softwares específicos de gerenciamento.65 Feeds: termo originado da língia inglêsa que significa"alimentar" e formato de dados usado em formas de comunicação com conteúdo atualizado frequentemente, como sites (sítios) de notícias ou blogs distribuidores de informação.
  26. 26. 253 REBLOGAGEM COMO SIGNO DE DIÁLOGO Ao analisar o Reblog no Tumblr pelo viés semiótico66, questiono o que poderiaestar impulsionando as interações que utilizam a Reblogagem como tentativa ouintenção dos usuários de substituir formatos de diálogo formais, em formato digitadopela Rebloguística de conteúdos de áudio, imagem, vídeo ou texto. Seguindo esta linha de reflexão, visualizo os Reblogs amplamente praticadosno Tumblr alinhando-os ao que Delleuze (1998 apud HENN, 2010), inspirado em aLógica do Sentido67, e com uma visão sistêmica, considera a possibilidade dequalquer produção de conteúdo conter a singularidade de um acontecimento ideal. Através da perspectiva semiótica de Henn, concebo o Reblog comoacontecimento visualizado sob a perspectiva de signo como um devir 68 da ordemdos acontecimentos. A Reblogagem como signo de um acontecer, é percebida por mim comoum fator desencadeador semiótico a modificar a produção de sentido dosconteúdos postados no Tumblr como um plano ideal, condutor destes conteúdosreblogavéis para a ordem do inapreensível na medida em que desencadeiamparadoxos.66 Semiótico: que vêm da Semiótica (do grego σημειωτικός (sēmeiōtikos) literalmente "a ótica dos sinais"), é a ciência geral dos signos e da semiose que estuda todos os fenômenos culturais como se fossem sistemas sígnicos, isto é, sistemas de significação.67 Lógica do Sentido: obra do filósofo françês,Gilles Deleuze que fala sobre o conceito de acontecimento.68 Devir: conceito filosófico que qualifica a mudança constante, a perenidade de algo ou alguém. Surgiu primeiro em Heráclito e em seus seguidores; o devir é exemplificado pelas águas de um rio, “que continua o mesmo, a despeito de suas águas continuamente mudarem. Na obra MiPlatôs, de Félix Guatarri e Gilles Delleuze, o Devir seria o a partir das formas que se tem, do sujeito que se é, dos órgãos que se possui ou das funções que se preenche, extrair partículas, entre as quais instauramos relações de movimento e repouso, de velocidade e lentidão, as mais próximas daquilo que estamos em vias de tornarmos, e através das quais nos tornamos. É nesse sentido que o devir é o processo do desejo.
  27. 27. 26 Figura 6 - Tumblr: um signo Estratégia de marketing que virou febre entre os tumblogers reblogar imagens mostrando um layout do Tumblr Através da percepção semiótica do acontecimento segundo Henn, entendoum conteúdo reblogado como submerso no que Delleuze (1998) chama de estadodas coisas.69 Para Babo-Lança (apud HENN, 2010), o usuário reblogador estaria apropriar-se da ordem do acontecimento passando a desvendar inúmeras possibilidades nocampo doe produção do noticioso. Ao apreciar a proposta de Babo-Lança (apud HENN 2010), entendo o Reblogcomo possibilidade de impressão, portadora de uma camada de textura causal aoacontecimento republicado em formatos diversificados como áudio, vídeo, textogeradores de imagens que promovem ainda mais a reputação, poder e status quodos reblogadores. Pois na ótica de Queré (2005 apud HENN, 2010), o acontecimento, aquientendido como conteúdo reblogado, pode ser considerado um signo possuidor do69 Estados das coisas: para a sociologia, é a combinação de circunstâncias aplicadas em uma sociedade ou grupo em um momento específico. O atual estado de coisas pode ser considerado aceitável por muitos observadores, mas não necessariamente por todos. O estado de coisas pode apresentar um desafio, ou ser complicado, ou conter um conflito de interesses. Para a filosofia refere-se à maneira que o mundo possível deve ser de modo a fazer alguma dada proposição sobre o mundo possível verdadeira; em outras palavras, um “estado de coisas (situação) é um fazedor de verdade (do inglês “truth-maker”, podendo ser também verofator) ou ainda veridador, enquanto que uma proposição é uma portadora de verdade.
  28. 28. 27componente inaugural a armazenar dentro de si, sua própria possibilidade desentido viabilizada através do campo da experiência do Reblog. Como articulador das idéias provenientes de Delleuze, Babo-Lança e Quere(apud HENN, 2010), vislumbro todo e qualquer conteúdo reblogado como objeto a seranalisado sob a ótica do acontecimento que inferido na ordem da representação, fazcom que o Reblog nada mais seja do que um signo imaginário de poder criativocoletivizado. Figura 7 - Ilustração de Fidel Castro vira reblog Imagens de Fidel Castro reblogadas por comunidades de artistas plásticos tumblogers fala sobre o estado de saúde do presidente cubano Induzida pelas teorias aqui mencionadas, imagino que os Rebloguescontínuos expressam sua total condição de representação, criando novos arranjosde sentido do ponto de vista semiótico, ao entender o reblogue como força dacondição signea do conteúdo a desdobrar-se em infinitas possibilidades dedesvendamento. Pois o Reblogue visto como objeto ao ser postado, encarna a função de signoque, conforme Henn (2010) e Morin (1986) no universo dos acontecimentos geram
  29. 29. 28muitas outras cascatas de acontecimentos a promover rupturas e morfogêneses querepercutem na ordem das coisas. Ao meu entender, um post reblogado acaba criando novas cascatas deacontecimentos que se reproduzem como novos signos. Resumindo: um Reblog como signo em ação, midiatiza os ambientesinterpretantes projetados por usuários do Tumblr, que reproduzem acontecimentosque avolumam, irradiam, diversificam e pulverizam infinitos graus da experiênciaatravés destas reblogagens de informações. Após organizar estas associações, questiono se a singularidade implícita noato de reblogar estaria ocupando a função sígnea 70 da mensagem/discurso? Ou seestariam os reblogs de imagem, áudio e vídeo substituindo o discurso tradicionaldigitado? E acrescento se a reblogagem poderia vir a se transformar em uma sintaxediscursiva?3.1 REBLOGAGEM COMO CAPITAL SOCIAL Lendo A Economia do Retweet (Redes, Difusão de Informações e CapitalSocial no Twitter) das autoras Recuero e Zago, sobre a prática do Retweet comomoeda de troca a gerar benefícios individuais e coletivos aos usuários da internet,analiso o ato de Reblogagem no Tumblr como fenômeno crescente, a se afirmarcomo valor aos fluxos de informações. Em Comunicacion Y Poder, Castells (2009) questiona: _O que é valor?Respondendo que valor é o que se processa em cada rede dominante em cadamomento, em cada lugar, de acordo com a hierarquia programada na rede por todosque atuam nela. Se para Castells (2009) valor é uma expressão que ostenta o poder, de quemdecide o que é valioso, neste sentido a sociedade global não seria nada inovadora,70 Função Sígnea: o lingüista Ferdinand Saussure e o semiotista Charles Peirce a definem como o que caracteriza o signo lingüístico como a síntese de uma relação indissociável entre significante e significado, e de tal modo que sua unidade é menos da ordem de uma substância ou de uma coisa, mas da função pela qual a manifestação de um som exprime-se como funtivo de uma relação com a instância dos conceitos e idéias associados (o assim chamado significado. Peirce conceitua signo, como unidade contraída de um fundamento (uma qualidade expressa daquilo que a mente destaca para cogitar), um objeto (a substância material e concreta de onde tal qualidade se depreende ou nela vai encontrar morada) e o interpretante (a função propriamente semiótica pela qual o aspecto e o objeto serão unidos, na base dos princípios pelos quais podem ser inferidos um do outro).
  30. 30. 29tampouco as relações de dominação que acontecem em redes como Tumblr, seriamconsideradas fundamentais por estarem no alcance global da arquitetura em rede.Neste aspecto, ao observarmos o Tumblr como um sistema de capital socialrebloguístico, verificaremos que está inovado a aldeia global. A imagem abaixo mostra uma comunidade criada por uma fã americana doastro pop Justin Bieber71 que diariamente rebloga músicas e imagens de outras fãsem poses fotográficas imitando o estilo de vestir-se e do cabelo usados por JustinBieber.Figura 8 - Comunidade do Tumblr - Lésbicas que se parecem com Justin Bieber A comunidade Lésbicas que se parecem com Justin Bieber, foi criada no Tumblr por uma fã que rebloga diariamente imagens de lésbicas que usam cabelo e vestem-se igual ao astro pop. No exemplo acima, a fã que posta conteúdos de áudio, vídeo e imagens emsua comunidade virtual, está a produzir memórias sobre a celebridade ou astro popJustin Bieber que neste caso, conforme Amaral (2007), o Tumblr estaria para71 [4][6] Justin Bieber: ator, cantor e compositor de música pop e R&B canadense. Em 2007 suas apresentações covers foram vistas no YouTube por Scooter Braun, que eventualmente se tornou seu agente. Braun levou Bieber para Atlanta, Geórgia, para conversar com Usher e logo de seguida ele assinou um contrato com a Island Records, onde começou sua carreira profissional em 2009 após a conclusão de seu primeiro grau escolar.
  31. 31. 30artefato cultural72 (HINE, 2000, 2005; SHAH, 2005; ESPINOSA, 2007), aoproporcionar que seus atores sociais (usuários) apropriem-se e motivem-se,produzindo conteúdos sobre suas celebridades preferidas, através da experiênciaempírica do Reblog. Agregando a concepção de Amaral (2007), ao exemplo da comunidade criadapela fã Justinbieberiana, o Reblog funciona como signagem, que parte daconstrução de uma Ordem Simbólica73 dentro de uma comunidade. Observo que Reblogs funcionam como moedas de troca para fomentação emanutenção desta Ordem Simbólica e realizados por fãs que praticam o que Amaral(2007) aborda como autoridade ilegítima74 (SHAH, 2005), apresentam iniciativasautônomas sancionadas por práticas vivenciadas pelas próprias fãs (atoras sociais)que compartilham através do Reblog, a replicação, republicação de imagens delaspróprias numa espécie de status icônico que remete ao significado subjetivo que afigura de Justin Bieber representa para cada uma delas. Nesta proposta, o Tumblr enquanto uma ferramenta de signagem produz oque Amaral (2007) chamaria de repositórios de conteúdos praticados porpopulações de fãs no ciberespaço, constituindo a cada Reblog, uma cultura mais72 Artefato cultural: vertente de estudos criada pela pesquisadora e jornalista Adriana Amaral (2010) sobre cibercultura que conceitua blogs como ‘Artefatos Culturais’ baseando-se em autores como (Shah, 2005) e (Espinosa, 2007, Amarallança um olhar antropológico e etnográfico ao formular um contexto sócio-histórico de apropriação dos artefatos tecnológicos a partir do olhar subjetivo dos próprios atores que inter-atuam com as TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação).73 Ordem simbólica: teoria de Ferdinand de Saussure, que ressaltou a maneira com que qualquer termo lingüístico só tem sentido porque está relacionado estruturalmente a outros termos e que são as estruturas que determinam um sentido. Se caracteriza por fazer o quadro do mundo, de tal forma que cada novo quadro surge de um desenho prévio, e não simplesmente do nada. Cada novo quadro que aparece advém de mudanças ocorridas na ordem social precedida pela simbólica e, portanto, sujeita à mesma. Essas alterações são possíveis graças a brechas existentes no campo da linguagem que permitem jogos de troca no meio social fundamentando as próprias relações sociais. Possui o signo como elemento base e estabelece isolamentos de campos e definições de lugares, permitindo porém sucessivos recortes e contínuas associações, deslocamentos e diferentes escolhas, em direção a novas construções e desdobramentos.Constrói uma rede de significações cujo conjunto constitui a realidade e os seus sentidos. O pano de fundo do Real é algo indeterminado e inacessível ao humano. Porém a ordem simbólica, instituindo significações, constitui o humano e apresenta o mundo. Para a psicanálise, a ordem simbólica engloba o mundo social da comunicação lingüística, das relações intersubjetivas, do conhecimento, das convenções ideológicas e da aceitação das leis. O termo entrou no campo das ciências humanas por meio da teoria psicanalítica de Jacques Lacan, mas originou-se em Claude Lévi- Strauss, que o usou para agrupar os diferentes códigos que constituem as sociedades humanas (identidades sociais, relações de parentesco, culinária, rituais festivos, entre outros. Lacan explorou as implicações para o sujeito humano que nasce em uma ordem simbólica que pré-existe a ele e o empresta sua identidade, trazendo o termo ao domínio psicanalítico no início da década de 1950.74 Autoridade ilegítima: expressão usada pela jornalista e pesquisadora Adriana Amaral baseada em autores como Jenkins (2006) e Keen (2007) que questionada a decadência cultural na música.
  32. 32. 31participativa e exploratória, através da qual os fãs-produtores75, desenvolvem umpapel social importante na construção das identidades ao Reblogarem músicas,clipes, vídeos e fotos nas redes. Neste exemplo, Recuero e Zago (2011), sugerem que reblogagem noTumbler vista como ferramenta de interconexão entre pessoas, pode serinterpretada instrumento mantenedor dos canais permanentes da circulação deinformação noticiosa. Durante a construção deste corpus teórico, penso que a reblogagem estaria aarbitrar, amplificar, convergir e emergir do e para o Tumblr, como uma rede socialexclusiva, que oferece um plus aos seus usuários, ou seja, o Reblog valida-se comomercadoria agregadora de valor. Neste sentido, estas comunidades de fãs-produtores de conteúdos sobrecelebridades, estariam a impulsionando o que Amaral (2007) denomina depersonalização na construção das ciberidentidades76 dos fãs-produtores, em que asconexões entre os perfis dos usuários-fãs podem centrar-se através de Reblogs delinks, imagens, áudios, vídeos, fotos ou legendas. Percorrendo as reflexões de Recuero e Zago (2011) formulo que reblogar ouretwittar conteúdos gera engajamento e agrega valores para grupos e indivíduos75 Fás-produtores: termo usado pela jornalista e pesquisadora Adriana Amaral em seu artigo entitulado Fãs-usuários-produtores.uma análise das conexões musicais nas plataformas sociais MySpace e Last.fm sobre a figura do fã-usuário como produtor de conteúdo musical nos sites de redes sociais.76 Ciberidemtidades: expressão usada por Pierre Levy na obra As Tecnologias da Inteligência,em que aponta que a tecnologia diz respeito a formas de práticas constituídas no interior de formas particulares de conhecer e fazer. Estas práticas são concretizações de um conjunto de procedimentos, de mecanismos e de técnicas, ampliando a idéia de tecnologia para incluir a produção de formas materiais, sociais e espirituais; noções que assumem um caráter prático, pragmático em sua própria articulação de poder cultural sobre o qual o autor elenca os princípios de um hipertexto que são, rapidamente, os princípios de metamorfose, de heterogeneidade, de multiplicidade e de encaixe das escalas, de exterioridade, de topologia e de mobilidade dos centros. Estes elementos apontam, na visão de Lévy, aspectos que estariam interferindo na constituição de novas subjetividades. No que, então, a informática - inicialmente, apenas um processo de tratamento da informação - viria a contribuir para alterações na forma de ser e de viver dos humanos? A relação com o espaço, com o tempo e com o saber são pistas que o autor aponta para pensar as ciberidentidades.Segundo Stuart Hall (1992), o conceito de identidade, no período da pós-modernidade, está em posto em xeque. O autor questiona os estágios que imprimiram uma versão particular do ‘sujeito humano’ - com certas capacidades humanas fixas e um sentimento estável de sua própria identidade e lugar na ordem das coisas na modernidade e como esta versão está sendo ‘descentrada’ na modernidade tardia. Neste sentido, cita autores diferentes como Giddens, Harvey e Laclau que abordam as mudanças ocorridas no mundo chamado convencionalmente de pós-moderno, concordando que a descontinuidade, a fragmentação, a ruptura e o deslocamento são características deste momento histórico de final do século XX. Hall aponta nesta mesma linha de raciocínio, que a identidade moderna é descentrada, ou seja, é deslocada ou fragmentada, havendo uma perda do sentido de si como um elemento estável e um descentramento do sujeito de seu lugar no mundo e com relação a si mesmo.
  33. 33. 32como se criassem um plano econômico rebloguístico. No Tumblr quanto maisrápidas e mais impactantes forem as postagens, maior será o retorno, ou lucro vindoatravés do ato de reblogar. De acordo com Lin (2001 apud RECUERO, 2004) o conceito de capitalsocial77 remete à valores gerados nos sites de rede social, neste caso a reblogagemteria este valor de pertencimento ao ser praticada por usuários da rede socialTumblr. Nesta linha teórica, o conceito de capital social é concebido como recursosocial, que podem ser acessados através das conexões que alguém possui com umdeterminado grupo. A reblogagem ou republicação neste aspecto funcionaria como produto deinvestimento pelos usuários do Tumblr através de suas conexões, usuários queseguem estruturas hierárquicas (LIN, 2001), regras e convenções tumblogspraticadas no escopo de ações possíveis, escolhas que mobilizam fluxos de capitalsocial, ou a reblogagem como recurso, atinge um patamar de moeda de troca. Conforme Burt (2000 apud RECUERO, 2004), esta capitalização promovidapela reblogagem como reprodutora do capital social ou moeda de troca torna-seuma metáfora vantajosa e apropriada a determinados grupos ou atores sociais quemotivados em investimentos, reblogam ou republicam conteúdos esperando retornosesperados ou inesperados. A reblogagem como moeda de troca é um ingrediente indispensável quepromove a apropriação dos atores sociais ao Tumblr, na medida em que estesalteram e influenciam as estruturas e circulações de informações. Para Granovetter (1983 apud RECUERO; ZAGO, 2011), a reblogagem comometáfora do capital social estaria relacionado à circulação de conteúdos e as formaspelas quais estes se difundem nas redes através das ações dos indivíduos querepassam, retwittam, reblogam, republicam, curtem, aceitam, favorecemdeterminadas informações. O ato de reblogar ou republicar conteúdos pode trazer benefícios aosusuários consumidores destas informações quanto ao a) acesso, b) tempo e c)77 Capital Social: a expressão refere-se às normas que promovem confiança e reciprocidade na economia (Francis Fukuyama,1999; Robert Putnam, 1993; Patrick Hunout, 1995-1996). É constituída por redes, organizações civis e pela confiança compartilhada entre as pessoas,o Capital Social é fruto de sua própria interação social. No estudo do Capital Social, é importante compreender a natureza e funcionamento de uma comunidade de prática.
  34. 34. 33referências, relacionados diretamente com obtenção e relevância de informações,tempo para recebimento destas informações e referências para filtragem dasinformações recebidas em que os usuários referenciarão e legitimarão, reblogandoas que acham interessantes no seu juízo de valores. Ao reblogarem conteúdos, estes atores sociais geram bens derivados destecapital social que segundo Kollok (1999 apud RECUERO; ZAGO, 2011) promovem acirculação de informações na Internet, sendo vistos como produtores de benspúblicos ou consumidores de informação. Figura 9 - Tumblogers fãs da cantora Amy Winehouse Fãs de Amy Winehouse criaram comunidade no Tumblr onde reblogam imagens, músicas, vídeos e mensagens sobre a trajetória da cantora e criam versões para o episódio de sua morte Similar ao retweet (ferramenta disponibilizada pelo Twitter), o Reblog doTumblr também tem causado efeitos sobre a rede ao se utilizar dela para gerar valore se, observarmos os elementos do capital social (LIN; 2001) veremos o recurso(informação e a estrutura da rede), que permite o acesso a essa informação e dasações tomadas para que o valor seja gerado (neste caso, o Reblog).
  35. 35. 34 O retweet e Reblog são, portanto, formas de gerar difusão e acesso àsinformações que conforme Coleman (1988) são práticas originalmente não previstasnestas ferramentas, mas resultantes da apropriação e do uso das mesmas(HONEYCUTT; HERRING, 2009). Conforme os apontamentos de Coleman (1988 apud RECUERO; ZAGO,2011) equiparo a reblogagem aos parâmetros do retweet, à medida em que geradois tipos de bens: a) os de caráter público, que seriam o acesso à informação e b)os de caráter privado, que gira em torno de uma hierarquia formada por quempublica e quem filtra a informação. Neste aspecto, os bens privados na visão de Recuero e Zago (2011), sãointerdependentes dos bens públicos, mas funcionam como principal motivação paraque os atores engajem-se em práticas como a reblogagem, devido as ações dosusuários/reblogadores serem motivadas pela busca de benefícios que funcionamcomo moeda de troca, moeda capaz de gerar benefícios e que funciona como causae conseqüência que regendo o complexo balanço entre o bem público e o privado,construído pelo capital social.3.2 ENTRE REBLOGAGENS & MEMES Podemos nos referir ao Meme como um “gene” da cultura, perpetuadoatravés de pessoas que atuam como replicadoras78 deste gene ou meme. Ao partir da perspectiva evolucionista Darwiniana, Yates (1964 apud NUNES,2001) em sua obra A Arte da Memória, difunde a idéia de meme como produto de umarelação entre memória e corpo. Inserido nesta teoria, concebo o Reblog como umaespécie de prótese difusora ou extensão para além do corpo físico do reblogador(usuário) que organiza, sistematiza e lança informações (Reblogs) na blogosfera. Segundo Recuero (2006), o conceito de Meme origina-se do livro “O GeneEgoísta”79 escrito por Richard Dawkins (1976), onde o autor aborda sobre a temática78 Replicadora: responder em réplica, retorquir, retrucar; redargüir; responder desmentindo ou dizendo em contrário.79 O Gene Egoísta: primeiro livro escrito por Richard Dawkins, onde ele apresenta uma teoria que procura explicar a evolução das espécies na perspectiva do gene e não do organismo, ou da . espécie Neste livro, Dawkins reformula igualmente o conceito de meme, ou seja, o equivalente cultural do gene, a unidade básica da memória ou do conhecimento, que o ser humano transfere conscientemente para os seus descendentes. Dawkins afirma no Prefácio da primeira edição que os conceitos elaborados neste livro não são de sua autoria, uma vez que já tinham sido formulados por George C. Williams, J. Maynard Smith, W. D. Hamilton e R. L. Trivers.
  36. 36. 35da evolução cultural através de uma linguagem especializada oriunda da evoluçãogenética. Aos conceitos referidos agrego Lotman (1978, 1981 e 1990) que conceitua otexto como unidade mínima de significação da cultura, dotada de estrutura queforma um conjunto de marcas. Nesse sentido, comparo o sujeito reblogador a umarquivista que corporifica a memória coletiva a cada Reblog como corpos-arquivos. Pensar que o Reblogador ou replicador, está inscrevendo novas formas deresgate da memória ao sistema midiático é realçar o que Nunes (2001) nomeiacomo co-produtores de uma memória artificial, ao captarem, rememorarem eprojetarem infinitos sistemas de informações, criando novos trajetos informacionais,contornados por idéias-memes a traduze novos cenários midiáticos expressivos dereplicações ou reblogações. Figura 10 - Tumblr apelidado de fábrica de memes Tumblr cresce e vira fábrica de memes - escreve o jornalista Tiago Dória na matéria publicada pelo no site do IG em setembro de 2011 Revisitando Recuero (2006) descortino a possibilidade de conceber areblogagem como ação memética, através de seus estudos de modelos evolutivosquanto a transferência de informação que dá origem aos memes.
  37. 37. 36 Ao conceituar o meme como representação de uma unidade de evoluçãocultural que autopropaga-se através de ideias, línguas, sons, desenhos,capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa seraprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autônoma, questiono se oReblog seria uma nova versão desta unidade de evolução cultural (meme)promovida pela Rede Social Tumblr? Ou seria o Reblog um meme repaginado? Neste ziguezageuar de hipóteses, aporto em Colombo (1991 apud NUNES,2001) que formula que a lógica do armazenamento gera transmissão, acesso eabrangência legitimando o discurso midiático como palco da memória do mundo. Sob este prisma, acredito que Reblog e meme estarão sempre a armazenarinformações, promovendo infinitos processos de circulação de cópias fortalecendo-se numa espécie de caldo cultural, tanto um quanto o outro cada vez maisrecopiados e lembrados, ampliando estes fluxos de circulação de informação quechegam cada vez a milhares de usuários da rede. Figura 11 - Hitler reblogado transforma-se em meme no Tumblr A imagem de Hitler se transforma em memes reblogados no Tumblr Revendo Blackmore (1999 apud RECUERO, 2004b) percebo o Reblog comoum difusor de informação sobrevivente e como o meme, possui esta forçaexpressiva e potencializada oriunda da repetição e propagação que os fazem
  38. 38. 37sobreviver como se os Reblogs ganhassem imunidade e longevidade a cadareplicação/repostagem. Ao alinhavar estas teorias, deparo-me com Nunes (2001), que escreve sobrea evolução dos memes de afeto, como engrenagem codificadora dos sistemas dememória passíveis de esquecimento. Sistemas divididos em o que há para saber e oque há para lembrar e que segundo a autora,compõem uma espécie de dualística naqual tanto o Reblog quanto o meme são corpus compostos de conteúdosjornalísticos e não jornalísticos organizados cotidianamente na rede a nos fazerlembrar, recordar, acessar nossas representações factóides e mnêmicas. Aporto em Recuero (2004b) que afirma que os memes são pouco originais aoutilizarem a recombinação de idéias antigas agregadas as idéias presentes, mesclacontida também nos Reblogs que baseados nesta desoriginalidade garantem suasobrevivência, fecundidade e fidelidade através de cópias originais e não-originaisde conteúdos reblogáveis. Acredito que o Reblog seja um componente dos sistemas simbólicosvinculados a memória coletiva e que transmitidos à mídia (internet) que conformeNunes (2001) estabelecem um jogo contínuo de permanência e mutação de seusconteúdos culturais reblogáveis. Por outro lado, se apenas compararmos reblogs ao memes, verificaremos queambos ocupam a mesma função como engrenagens replicadoras da nossa culturaque constituída através de nossas dimensões afetivas. Neste sentido, o reblogar como ato replicador, desempenha o papel deagenciador e transmissor de cultura midiática, através de suas unidades (Reblogs)assimiláveis e reassimiláveis pelos Tumblogers (atores sociais) que lembram, logoreblogam! Finalizo com a obra Em busca do Tempo Perdido, na qual Proust (1927 apudNUNES, 2001) concebe o ato de lembrar como gerador de informações a produzirnovos fluxos de memória, recriando e reinventando novas informações sobdiferentes formas discursivas que se concretizam dia-a-dia como teclar e dar umsimples Reblog.
  39. 39. 383.3 REBLOGAGEM & ACONTECIMENTO Observada sob a ótica jornalística como ato de reconstrução da realidadesocial, a Reblogagem conforme Berger (apud LUCKMANN, 1995) é um repertório deReblogs como contexto onde cidadãos discutem temas e assuntos do seu interesse, Repertório sobre o qual Meditsch (apud VERÓN, 1995) formulam que osacontecimentos sociais não são objetos que encontramos feitos em alguma parte darealidade e cujas propriedades e transformações nos são dados a conhecer deimediato pelos meios de comunicação com maior ou menos fidelidade. Seguindo a ótica, penso que através da reblogagem, o Tumblr promove apossibilidade de um redesenho na forma como as construções da realidade estãosendo praticadas atualmente. Pois se compreendermos a reblogagem como uma ferramenta intermediadorade signos rotineiramente produzidos e reproduzidos através de vinculações sociais narede, nos aproximaremos do que Castells (2009) denomina de forças das redes sociaisque radica em sua flexibilidade, adaptabilidade e a capacidade de auto-reconfiguração. Figura 12 - Ny Times rende-se ao Tumblr O New York Times também aderiu ao minimalismo e agilidade da versão Tumblr Sobre esta força reguladora das redes sociais, Meditsch (2010) destaca queocorre um protagonismo na criação da realidade, pois os autores ou atores sociaisque reblogam ou republicam conteúdos estão produzindo sentido e protagonismo ao
  40. 40. 39construírem poder através da construção de imagens, textos e áudios, pois as idéiasnada mais são do que imagens (visuais ou não) em nosso cérebro. Segundo Castells (2009), o que estaria a diferenciar o indivíduo concreto dacriação de imagens está no âmbito da comunicação socializada da sociedadecontemporânea, tanto a comunicação de massas como a autocomunicação dasmassas e que pelo viés da teoria jornalística de Adelmo Genro Filho (1987), oreblogar poderia ser concebido como ato dialético na medida em que onde o Tumblrse apresenta como uma instituição criada para aliviar o indivíduo de a necessidadereinventar o mundo e a cada dia ter de se orientar dentro dele. Em tais concepções, o reblogue como práxis individual e coletiva, pode serconsiderado como atividade produtora de conhecimento e construtora da realidadesócia intersubjetiva que ganha força através da experiência vinda com esta práxis. Para Castells (2009) a práxis da produção de mensagens ou Reblogs nasociedade em rede tem produzido imagens que melhor sirvam aos interesses dosatores sociais que compostas por ativadas redes de tecnologias digitais dacomunicação de informação microeletrônica. Conforme Graber (2001), a eficácia na hora de transmitir mensagensaudiovisuais ou Reblogs demonstram que nosso cérebro processa as mensagens,seguindo a lógica da produção e estimulação de imagens. Neste sentido, um reblog pode vir a ser considerado um esquema tipificador,expressão cunhada por Lippman (1922), pois em torno deste, orbitam estruturasaprendidas e estabelecidas via interação modulada promovidas pelos usuários doTumblr que fabricam reblogs como signo da realidade a ser imediatamenteconsumida, absorvida e reproduzida novamente através do reblog. Partindo de Henn (2010) entendo que a reblogagem de acontecimentosgeram a construção da realidade promotora de diferentes ritmos nos matizesinterpretantes nos produtores da notícia como repórteres, jornalistas, editores. Neste aspecto a reblogagem retornaria como um signo interpretante donoticioso, ocupando um lugar na cadeia dos fatos que provoca ruídos na realidadecotidiana. A repercussão da reblogagem pode ser metrificada em sua repercussão, poiso reblog como signo produz demais cadeias interpretativas quando é infinitamentereblogado, atingindo a condição de notícia.
  41. 41. 40 Figura 13 - Stevie Jobs reblogado Capa da Revista Veja reblogada no Tumblr sobre a morte de Steve Jobs Um reblogue pode desencadear a repautagem do acontecimento noticioso, aomesmo tempo me que promove um fenômeno da ordem da repetição, o meme quecomo signo torna-se uma moeda de troca que agrega Capital Social na rede, dandopoder aos Tumblogers.3.4 REBLOGAGEM, CONVERGÊNCIA Y PODER Para Castells (2009), as redes funcionam como estruturas comunicativas navida social a partir de contatos gerados através dos fluxos de mensagens geradosentre os mais diferentes comunicadores no tempo e no espaço, onde a políticamidiática e informacional são elementos importantes para uso do processamento dainformação como instrumento decisivo para criar poder. Neste aspecto, o Tumblr como plataforma que vem oferecendo serviços aosseus usuários atende o elenco de atribuições, dada a variedade de potenciais que aferramenta (Reblog) apresenta como uma estrutura multidimensional com facetasdistintas, mas lógicas para criação de valor. Valor que Jenkins (2009) traduziria como convergência, ou seja, os fluxos deconteúdos que acontecem através de múltiplas plataformas de mídia que cooperam
  42. 42. 41entre mercados midiáticos de acordo com os comportamentos migratórios dospúblicos dos meios de comunicação. Entre tais concepções, o Tumblr mostra-se dentre as opções de microbloggin,sua função Reblog ainda inédita, a incrementar a circulação de conteúdos, atravésde diferentes sistemas de mídia absorvidos pela forte participação ativa destesconsumidores de conteúdo na web. Neste mundo de convergência, um Reblog passa a ser consumível atravésde múltiplas plataformas das mídias, devido o Tumblr ser compartilhável comFacebook, Twitter e outras redes sociais. Pensar o Reblog como uma função representada por um ícone produtor deconvergência é compreendê-lo como um processo tecnológico que ao unir asmúltiplas funções na mesma ferramenta é visto como um espaço promotor da culturaparticipativa.80 Figura 14 - Imagens da Revista Vogue reblogadas por fashionistas As imagens da Revista Vogue são muito reblogadas em comunidadesfashionistas80 Cultura participativa: expressão usada por Henry Jenkins (autor que coordena o Programa de Estudos de Mídia Comparada do Massachusets Instituct of Tecnology (MIT) e assina diversos trabalhos que investigam a relação entre as midias e a cultura popular) que serve para caracterizar o comportamento do consumidor midiático contemporâneo, cada vez mais distante da condição receptor passivo. Protagonizam esta cultura, pessoas que interagem com um sistema complexo de regras, criado para ser dominado de forma coletiva. Por fim, a idéia de convergência proposta pelo autor não é pautada pelo determinismo tecnológico, mas fundamentada em uma perpectica culturalista.
  43. 43. 42 Ao ponderar as propostas de Jenkins (2009) visualizo as comunidadesTumblogers, ou de reblogadores do Tumblr como seres mitológico-digitais aproduzirem seus fragmentos pessoais, extraindo do fluxo midiático todos os recursosdisponibilizados que acham mais apropriados para postarem e repostarem em suasredes se seguidores. Neste sentido, Jenkins (2009) explica que a convergência refere-se a umprocesso que não possui um ponto final tampouco uma caixa preta controlando seufluxo midiático, pois convergência não é apenas uma mudança tecnológica, mas aalteridade de relações entre as tecnologias existentes. Sobre este aspecto, aposto no Reblog como uma função popularizadora doTumblr que promove sua proliferação entre usuários que passam a receber eperceber o Tumblr como um canal de portabilidade aberto a todos os perfis deusuários das novas tecnologias da informação. Convergindo as idéias de Jenkins (2009), um simples Reblogue possibilitaque um usuário produza circuitos previsíveis e imprevisíveis que obedecem a umalógica cultural dos meios, implícita ao reblogar, ou seja o acontecimento comoCapital Social. Penso que um Reblog pode ser um atestado de que o usuário estáassumindo o total controle de suas mídias pessoais, deixando fluir seus conteúdosem plataformas como o Tumblr ou Tumblerette (celulares e smarthphones) queintegram-se, expandem-se, consomen-se aumentando o investimento destesusuários em Reblogs. Acrescentaria que, um Tumbloger é capaz de produzir e consumir cultura digitalparticipativa, onde a moeda de câmbio passa a ser indexada e cotada via Reblog. Partindo de Lévy (apud JENKINS, 2009), percebo os Reblogs como unidadesde uma inteligência coletiva, estão a alavancar comunidades através decombinações, regras, inovações criadas por e entre seus membros que exercem umpoder agregador e negociador destes Reblogs produzidos no Tumblr como circuitode troca de produtos de massa, no qual os usuários (atores sociais) compartilhaminformações e exercitam a inteligência coletivizável na versão rebloguística. Questiono se os Tumblogers vistos como agentes da inteligência coletiva efonte de poder midiático alternativo ao promoverem a circulação de reblogues, secomparados aos memes, também funcionam como moeda de troca, agregando
  44. 44. 43poder de reputação a estes reblogadores e fortalecendo com isto o Capital Socialna internet. Baseado nos paradigmas da revolução digital previstos por Negroponte(1990) em sua obra a Vida Digital, a Reblogagem praticada pelos Tumblogerspoderia exemplificar o que chamamos de produção coletiva de significados? Entre a convergência de modos a qual se refere Jenkins (2009), o Reblogvisto como modo de compartilhamento exclusivo de conteúdos, unifica, tensiona,dinamiza e transforma os paradigmas informacionais, pois ainda é umaexclusividade do Tumblr. Finalizo apontando Castells (2009) quando escreve que uma informação de êxitoé a que maximiza os efeitos de entretenimento e correspondem a cultura deconsumismo como marca que predomina em nossa sociedade. Perante esta afirmativa,acredito que a prática do reblog atesta-se como informação de êxito, consumível pelosTumblogers que quando a praticam maximizadamente sob efeitos doinfoentretenimento, movem toda a informação rumo a identificação de valores, crenças,atitudes, comportamentos sociais e políticos, dos mais diversos segmentos dapopulação identificados por suas características demográficas e distribuição especial.

×