Your SlideShare is downloading. ×
Otpei 2  projeto ludico simone helen drumond
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Otpei 2 projeto ludico simone helen drumond

1,047
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,047
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Simone Helen Drumond Ischkanian 2 - TEMA: O lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem na educação infantil. 3 - NÍVEL, PERÍODO E FAIXA ETÁRIA DAS CRIANÇAS; Essa pesquisa se realizará num universo infantil, a partir de uma amostra intencional, com a quantidade de alunos na turma do Maternal III, Turma A, onde o projeto será desenvolvido 11 alunos, 4 - JUSTIFICATIVA: O projeto - o lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem na educação infantil será trabalhado de forma interdisciplinar ao longo do ano letivo de 2013. No CMEI MADRE ELÍSIA a brincadeira faz parte da vida da criança e incluir o jogo e a brincadeira no campo educacional tem como pressuposto o duplo aspecto de servir ao desenvolvimento da criança, enquanto indivíduo, e à construção do conhecimento, processos estes fortemente interligados. Brincar e jogar são coisas simples na vida das crianças. O jogo, o brincar e o brinquedo desempenham um papel fundamentalmente na aprendizagem, e negar o seu papel na escola é talvez renegar a nossa própria história de aprendizagem. O lúdico favorece a autoestima da criança e a interação de seus pares, propiciando situações de aprendizagem e desenvolvimento de suas capacidades cognitivas. Por meio dos jogos educacionais, a criança aprende a agir, tem sua curiosidade estimulada e exercita sua autonomia. A importância do projeto é revelar que a brincadeira, os brinquedos e os jogos são ferramentas e parceiros que desafiam a criança possibilitando as descobertas, por este valioso motivo é que este projeto foi pensado, elaborado e proposto em todo contexto do planejamento do maternal da professora Simone Helen Drumond Ischkanian do CMEI MADRE ELÍSIA. Seu diferencial será permitir a compreensão de que o mundo está cheio de possibilidades e oportunidades para a expansão da vida com alegria, emoção, prazer e vivência grupal. As experiências relacionadas ao
  • 2. projeto deverão promover a alegria e o desenvolvimento das habilidades infantis, afinal são estas a finalidade do jogo, brincadeira e brinquedo, e quando esta finalidade é atingida, a estrutura de como se pode jogar assume uma qualidade muito específica: torna-se uma ferramenta de aprendizagem que mantém uma constância de forma a dar prazer e de continuar sendo eterno. Portanto, é real afirmar que o jogo, as brincadeiras e o brinquedo são importantes, não só porque a criança fica alegre, mas quando estamos vivendo-o,direta e reflexivamente, estamos indo além da sua representação simbólica de vida. Como nos diz Santo Agostinho apud Almeida (1995, p. 45): "o lúdico é eminentemente educativo no sentido em que constitui a força impulsora de nossa curiosidade a respeito do mundo e da vida, o princípio de toda descoberta e toda criação". 5 - OBJETIVO GERAL: Demonstrar a importância da inserção do lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem na educação infantil, como um modelo prático de vivência e de uma pedagogia escolar transformadora num exercício do aprender na educação infantil, na turma do maternal A, no CMEI Madre Elísia, localizado na cidade de Manaus. 6 - OBJETIVOS ESPECIFICOS: Averiguar procedimentos envolvendo instrumentos práticos e teóricos nas atividades das crianças. na educação infantil, na turma do maternal A, no CMEI Madre Elísia, localizado na cidade de Manaus. Estimular o potencial lúdico das crianças, através do desenvolvimento de atividades com brincadeiras, jogos e brinquedos. Oferecer inúmeras dinâmicas que possibilitem brincar de forma criativa e prazerosa. Promover a sociabilidade através de jogos, brinquedos e brincadeiras, possibilitando que os participantes procurem soluções, de acordo com sua maturação para analisar e revelar a importância do lúdico no ensino.
  • 3. Perceber as possibilidades e os limites das crianças a partir de trabalhos que mobilizem a prática de jogos e brincadeiras desenvolvida no dia-a-dia de cada uma delas. Valorizar o jogo, a brincadeira e o brinquedo como metodologia inovadora para melhor aproveitamento das crianças em atividades de animação e integração, promovendo a construção do processo de aprendizagem na educação infantil. 7 - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: O desenvolvimento e formação da criança na educação infantil e seu consequente significativo aprendizado por meio do jogo, da brincadeira e do brinquedo ocorrem quando a ela participa ativamente de sua aprendizagem, seja discutindo as regras do jogo ou propondo soluções para resolvê-los. É de extrema importância que os educadores proponham desafios e incentivem a participação coletiva infantil nas atividades. A intervenção dos educadores é um fator primordial no processo do ensino e aprendizagem, além da interação social. O acesso gratuito à escola conforme nossa Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, em seu artigo nº. 205, diz que: “A Educação é um direito de todos e dever do Estado [...].” É condição indispensável para a garantia dessa premissa constitucional e para que se complete na totalidade do seu sentido, deve estar acompanhada de procedimentos que assegurem condições para sua concretização. O aprendizado acontece de maneira continuada e progressiva e requer ferramentas que possibilitem seu desenvolvimento, sabendo-se que a criança precisa de tempo para brincar. E o Jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem na educação infantil têm por desígnio revelar a importância do aprender brincando, através dos jogos, dos brinquedos e das brincadeiras. O tema central do projeto é de suma importância no CMEI MADRE ELISIA. No decorrer das reuniões pedagógicas, as professoras, a comunidade escolar e familiar, buscam mediar diversos saberes para que os alunos da Educação Infantil possam desenvolver suas diversas habilidades por meio do lúdico. As formações Tapiri e Pós-graduação em Educação Infantil – CEFORT – UFAM, são de grande relevância para a fundamentação deste projeto, uma vez que sistematizar o
  • 4. brincar significa uma reorganização da prática pedagógica, para absorver o lúdico através dos jogos como o instrumento principal para o desenvolvimento da criança. O mundo do lúdico é um mundo onde a criança está em constante exercício. É o mundo da fantasia, da imaginação, do faz de conta, do jogo e da brincadeira. Podemos dizer que o lúdico é um grande laboratório que merece toda atenção dos pais e educadores, pois é através dele que ocorrem experiências inteligentes e reflexivas,praticadas com emoção, prazer e seriedade. Através do brinquedo e das brincadeiras ocorre a descoberta de si mesmo e do outro, portanto, aprende- se. É no brincar que acriança está livre para criar e é através da criatividade que o indivíduo descobre seu eu.Segundo Platão: “Você aprende mais sobre uma pessoa em uma hora de brincadeira do que uma vida inteira de conversação.” Pode-se dizer que as brincadeiras e os jogos são as principais atividades físicas da criança; além de propiciar o desenvolvimento físico e intelectual, promove saúde e maior compreensão do esquema corporal. É jogando que a criança aprende a respeitar regras, limites, esperar a vez e aceitar resultados. Convém relembrar que o caráter lúdico nas brincadeiras, jogos e atividades infantis são essenciais para o desenvolvimento da personalidade das crianças. Assim como os jogos, a prática esportiva assume um a importância fundamental no processo da sociabilidade infantil. Segundo Cozac psicólogo do esporte: “[...] a atividade esportiva, seja ela apenas um exercício ou uma modalidade esportiva onde haja competição, deve ser feita com amor e dedicação. Este ponto é unanimidade na maioria das crianças. Infelizmente, visível apenas, no olhar das crianças. Poucos pais possibilitam a seus filhos uma escolha livre do esporte/exercício que irão praticar” (COZAC, 2001, p16). O brincar e o jogar para a criança não são apenas um passatempo ou simples diversão, mas um momento sério, pois está aprendendo o que ninguém pode lhe ensinar, descobrindo o mundo e as pessoas que a cercam. E o que é o faz de conta? É exercitar e promover o seu raciocínio abstrato. Por exemplo: uma criança ao amassar uma folha de papel formará uma bola, que para ela poderá ser a bola de um famoso time de futebol, ou de um famoso jogador de tênis. Enfim, estará fazendo uso da abstração para construir através da imaginação o seu mundo.
  • 5. O papel do educador no processo didático-pedagógico é provocar participação coletiva e desafiar o aluno a buscar soluções. Através do jogo, das brincadeiras e dos brinquedos, pode-se despertar na criança um espírito de companheirismo, cooperação e autonomia. A criança precisa interagir de forma coletiva, ou seja, precisa apresentar seu ponto de vista, discordar, apresentar suas soluções. É necessário também criar ambiente propício e incentivar as crianças a terem pensamento crítico e participativo,fazendo parte das decisões do grupo. No decorrer do projeto foram ofertadas muitas possibilidades para que a criança, brincando, pudesse se expressar mostrando seu íntimo, seus sentimentos e sua afetividade. O lúdico: os jogos, a sala de Educação Infantil, os brinquedos e as brincadeiras constituem o mais alto grau do desenvolvimento da criança, já que são expressões livres e espontâneas do interior infantil. O lúdico é muito importante no ambiente escolar, tendo em vista que faz parte do universo infantil e por proporcionar momentos agradáveis dando espaço à criatividade, sendo de suma importância aos educadores da educação da SEMED. Como a todos os educadores da Educação Infantil, buscar o bem–estar dos pequenos durante o processo de ensino e aprendizagem, resgatando assim o lúdico como instrumento de construção do conhecimento, afinal, nossas formações possibilitam as mediações necessárias para que todos possam rumar a esta perspectiva de trabalho. O jogo, a brincadeira e o brinquedo são aspectos indispensáveis para o desenvolvimento do conhecimento na educação infantil e os educadores são elementos fundamentais nesse processo. De acordo com o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 23): Educar significa, portanto, propiciar situações de cuidado, brincadeiras e aprendizagem orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural.
  • 6. Na Educação Infantil, educar não se limita em repassar informações ou mostrar apenas um caminho, mas mediar os saberes necessários, para que a criança possa tomar consciência de si mesmo e da sociedade. Educar também é oferecer diversas possibilidades para que a criança possa escolher caminhos compatíveis com seus valores, sua visão de mundo e com as circunstâncias adversas que cada um irá encontrar. Nessa perspectiva, segundo o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 30): O professor é mediador entre as crianças e os objetos de conhecimento, organizando e propiciando espaços e situações de aprendizagens que articulem os recursos e capacidades afetivas, emocionais, sociais e cognitivas de cada criança aos seus conhecimentos prévios e aos conteúdos referentes aos diferentes campos de conhecimento humano. Educar é acima de tudo a inter-relação entre os sentimentos, os afetos e a construção do conhecimento. Segundo este processo educativo, a afetividade ganha destaque, pois acreditamos que a interação afetiva ajuda mais a compreender e modificar o raciocínio da criança. Como podemos perceber os jogos, os brinquedos e as brincadeiras são fontes inesgotáveis de interação lúdica e afetiva. OS SIGNIFICADOS DO JOGO E DA BRINCADEIRA PARA A FORMAÇÃO HUMANA, O DESENVOLVIMENTO E A APRENDIZAGEM DA CRIANÇA. A formação humana, o desenvolvimento e a aprendizagem da criança, se tornam relevantes, a partir do momento em que os jogos e as brincadeiras vão surgindo gradativamente na vida da criança. Desde os mais funcionais até os de regra, os jogos e as brincadeiras proporcionam experiências, possibilitando a conquista e a formação da identidade infantil. Para uma aprendizagem eficaz é preciso que a criança construa o conhecimento e assimile os conteúdos. O jogo e a brincadeira são excelentes recursos para facilitar a aprendizagem. O Ensino Infantil deve ser mediado de maneira lúdica, para a criança adquirir um aspecto significativo e afetivo no curso do desenvolvimento de sua inteligência, já que ela se modifica de ato puramente
  • 7. transmissor ao ato transformador, em ludicidade, denotando-se, portanto em jogos e brincadeiras. É jogando e brincando que a criança aprende a respeitar regras, a ampliar o seu relacionamento social e a respeitar a si mesmo e ao outro. Por meio do universo lúdico a criança começa a expressar-se com maior facilidade, ouvir, respeitar e discordar de opiniões, exercendo sua liderança, e sendo liderados e compartilhando sua alegria de brincar. Em contrapartida, em um ambiente sério e sem motivações, os educandos acabam evitando expressar seus pensamentos e sentimentos e realizar qualquer outra atitude com medo de serem constrangidos. Como educadores, podemos constatar por meio de uma holística pedagógica, que a criança brinca daquilo que vive. Ela extrai sua imaginação lúdica de seu dia-a-dia, portanto, as crianças, que tem a oportunidade de brincar e jogar, estão mais preparadas emocionalmente para controlar suas atitudes dentro do contexto escolar e social, obtendo assim melhores resultados gerais no desenrolar da sua vida. A RELAÇÃO DO JOGO, DA BRINCADEIRA E DO LÚDICO. Na educação o brincar é um potente veículo de aprendizagem experiencial, visto que permite, através do lúdico, vivenciar a aprendizagem como processo social. A proposta do lúdico é promover uma alfabetização significativa na prática educacional, é incorporar o conhecimento através das características do conhecimento do mundo. O lúdico promove o rendimento escolar além do conhecimento, oralidade, pensamento e o sentido. Entretanto, compreender a relevância do brincar possibilita aos professores intervir de maneira apropriada, não interferindo e descaracterizando o prazer que o lúdico proporciona. Portanto, o brincar utilizado como recurso pedagógico não deve ser dissociado da atividade lúdica que o compõe, sob o risco de descaracterizar-se, afinal, a vida escolar regida por normas e tempos determinados, por si só já favorece este mesmo processo, fazendo do brincar na escola um brincar diferente das outras ocasiões. A incorporação de brincadeiras, jogos e brinquedos na prática pedagógica podem desenvolver diferentes atividades que contribuem para inúmeras aprendizagens e para a ampliação da rede de significados construtivos tanto para crianças como para os jovens.
  • 8. É por meio dos jogos, das brincadeiras e dos brinquedos que a criança partilha com o outro, isso auxilia na prevenção e diagnóstico de problemas de aprendizagem. A ludicidade voltada ao ato do aprender e ensinar deve levar em conta as realidades interna e externa da aprendizagem por meio do movimento, da linguagem, do desenvolvimento cognitivo, da afetividade, da socialização e da corporeidade. Dentro do termo corporeidade, reporto-me ao texto dos educadores: Luiz Carlos Cerquinho de Brito e Maria Sonia Souza de Oliveira, onde a reflexão da corporeidade evidenciam contextos relevantes numa perspectiva mundial de criança. “A corporeidade esta vinculada ao desenvolvimento de diversas dimensões do sujeito, da criança, aos aspectos emocionais, as manifestações culturais, a relação com o meio ambiente natural. Uma criança indígena, por exemplo, poderá apresentar sua corporeidade bastante diferente de uma criança urbana, em vista da própria vivencia cotidiana, nas relações com os outros, com o espaço físico e natural, com a cultura. Uma criança, indígena que vive numa comunidade terá um desenvolvimento corporal que difere da criança que vive em meio a objetos, relações e espaços de uma cidade, com ruas, casas, prédios. [...] A corporeidade significa que as condições sociais, culturais e afetivas impõem condições ao próprio desenvolvimento do corpo. [...] O conceito de corporeidade poderá contribuir para que “os educadores” compreendam o corpo além de uma estrutura física, mecânica, motora, para compreendê-lo como expressão de diversas dimensões de desenvolvimento do sujeito, inclusive da cultura local, relacionada aos modos de relações que travamos na vida social. Para a educação infantil, essa noção é bastante importante, podendo contribuir para o desdobramento das noções de Jogo, de brincadeira e de brinquedo. A criança joga e brinca, também com o corpo, desenvolvendo sua corporeidade. Os meios, objetos, como os brinquedos também estão inseridos nesta relação. Uma criança que corre nas florestas do Quênia na África trás as marcas da sua relação com o ambiente, assim como uma criança que vive em casas flutuantes no Lago do Catalão ou no município de Iranduba/Amazonas. [...]”.
  • 9. FUNDAMENTAÇÃO DAS ÁREAS ESPECIFICAS: ARTE, LINGUAGEM, NATUREZA E SOCIEDADE, MATEMÁTICA E CULTURA NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA: O lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem na educação infantil, podem ser utilizados como forma de incentivar o desenvolvimento humano por meio de diferentes dimensões, que são:  O desenvolvimento da linguagem: onde a jogo é um canal de comunicação de pensamentos e sentimentos, por meio do manuseio de brinquedos.  Brinquedos de afeto despertam ternura e carinho, bem como provocam aconchego e oferecem consolo à criança;  Brinquedos para manipulação visam desenvolver o pensamento e as habilidades psicomotoras;  Brinquedos para o “faz de conta” funcionam como elementos de apoio à fantasia; aumentam o repertório de conhecimentos da criança; favorecem a compreensão de atribuições e de papéis o que contribui para o seu ajustamento ao mundo ao seu redor;  Bonecas são miniaturas do ser humano e dão à criança a oportunidade de amadurecer através da elaboração de sentimentos e da vivência do papel do adulto;  Bolas visam o desenvolvimento da coordenação dos movimentos amplos, bem como da sociabilidade;  Brinquedos musicais propiciam a exploração de sons e desenvolvem a percepção auditiva; . O desenvolvimento moral: é um processo de construção de regras numa relação de confiança e respeito.  O desenvolvimento cognitivo: dá acesso a um maior número de informações para que, de modo diferente, possam surgir novas situações.  O desenvolvimento afetivo: onde facilita a expressão de seus afetos e suas emoções.  O desenvolvimento físico-motor: explorando o corpo e o espaço a fim de interagir no seu meio integralmente. Partindo dessas dimensões, o lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem na educação infantil,, passa a ser ensinado em duas formas e atitudes a serem tomadas: 1. Num jogar espontâneo, onde ele tem apenas o objetivo de
  • 10. divertimento. 2. Num jogar dirigido, onde ele passa a ser proposto como fonte de desafios, promovendo o desenvolvimento da aprendizagem.  O desenvolvimento artístico:  Personagens dos desenhos animados despertam a imaginação da criança por sua glória e poderes;  Os animais também favorecem a imaginação;  Os fantoches estimulam a imaginação, a linguagem, o pensamento e favorecem a comunicação e expressão (de emoções/sentimentos);  As fantasias, máscaras, perucas e adereços enriquece o mundo do “faz de conta”, facilitam a representação de papéis e a criação de personagens e favorecem a expressão de sentimentos;  O desenvolvimento da natureza e sociedade: explorando do contexto social e natural do educando.  O desenvolvimento matemático:  Dominós podem favorecer o ensino da matemática, da alfabetização, da aquisição de conhecimentos gerais, bem como as discriminações visuais, táteis e auditivas;  Os jogos de memória podem favorecer o ensino da matemática, do letramento, da aquisição de conhecimentos gerais, bem como as discriminações visuais, táteis e auditivas;  Os jogos de loto (bingo) servem de recurso pedagógico para ensino de várias matérias.  Blocos de construção favorecem o desenvolvimento da atenção e concentração; desenvolvimento de movimentos amplos e finos; desenvolvimento de coordenação viso motora; desenvolvimento da noção de equilíbrio, proporção e simetria, esses blocos permitem: a satisfação de inventar, construir, destruir e transformar;  O quebra-cabeça favorece: o desenvolvimento da atenção e concentração; desenvolvimento do pensamento; desenvolvimento da coordenação viso motora, permitem a criança desenvolver a percepção/discriminação visual; noção de quantidade, desenvolvimento de vocabulário e orientação espacial; lateralidade;
  • 11. Os brinquedos pedagógicos têm o objetivo proporcionar determinadas aprendizagens e caracteriza-se por tipos de brinquedos que têm uma proposta mais objetiva cujo desafio é obter a satisfação do final da atividade SEQUENCIAS DIDÁTICAS ESPECIFICAS: CONTEMPLANDO AS AÇÕES RELATIVAS AO CUIDAR, EDUCAR, BRINCAR/JOGAR; Contemplando as ações relativas ao cuidar, educar, brincar e jogar, a Educação Infantil para ser efetiva deve promover simultaneamente, o desenvolvimento de conhecimento, de atitudes e de habilidades necessárias à preservação e melhoria da qualidade do ensino aplicado. Utilizam-se como laboratório, os recursos naturais e físicos, iniciando pela escola, expandindo-se pela circunvizinhança e sucessivamente até a cidade, a região, o país, o continente e o planeta. Deste ponto de vista, aprendizagem não é desenvolvimento; entretanto o aprendizado adequadamente organizado resulta em desenvolvimento mental e põe em movimento vários processos de desenvolvimento que, de outra forma, seriam impossíveis de acontecer (VYGOTSKY apud OLIVEIRA, 2002, p. 132). O jogo permite a expressão ludocriativa, podendo abrir novas perspectivas do uso dos códigos simbólicos. Mas, para que estas ideias se consolidem, é importantíssimo compreender os diferentes estágios de desenvolvimento mental infantil e adequar os brinquedos às potencialidades das crianças e, sobretudo, buscar diversificá-los com o objetivo de explorar novas inteligências e áreas ainda não desenvolvidas. É enorme a influência do brinquedo no desenvolvimento de uma criança. É no brinquedo que a criança aprende a agir numa esfera cognitiva, ao invés de agir numa esfera visual externa, dependendo das motivações e tendências internas, e não por incentivos fornecidos por objetos externos (Vygotsky (1989: 109) As brincadeiras que são oferecidas à criança devem estar de acordo com a zona de desenvolvimento em que ela se encontra, desta forma, pode-se perceber a importância do professor conhecer a teoria de Vygotsky. No processo da educação infantil o papel do professor é de suma importância, pois é ele quem cria os espaços, disponibiliza materiais, participa das brincadeiras, ou seja, faz a mediação da construção do conhecimento.
  • 12. A desvalorização do movimento natural e espontâneo da criança em favor do conhecimento estruturado e formalizado ignora as dimensões educativas da brincadeira e do jogo como forma rica e poderosa de estimular a atividade construtiva da criança. É urgente e necessário que os professores procurem, ampliar cada vez mais as vivências da criança com o ambiente físico, com brinquedos, brincadeiras e com outras crianças. Pelo ato de brincar, a criança pode desenvolver a confiança em si mesma, sua imaginação, a autoestima, o autocontrole, a cooperação e a criatividade, o brinquedo revela o seu mundo interior e leva ao aprender fazendo. A escola que respeitar este conhecimento de mundo prévio da criança e compreender o processo pelo qual a criança passa até alfabetizar-se, propiciando-lhe enfrentar e entender com maior tranquilidade e sabor os primeiros anos escolares poderá ser considerado um verdadeiro ambiente de aprendizagem. RECURSOS E MEDIAÇÕES QUE SERÃO UTILIZADOS NA EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES DO PROJETO: BRINQUEDOS, JOGOS, ETC.  Desenhar;  Brincadeiras lúdicas;  Jogos;  Danças (musica e movimento);  Construir coletivamente (arte educação);  Leituras de imagens;  Softwares educativos (já colecionados em cd);  Dramatizações;  Cantos;  Teatro de fantoches. 1ª Etapa – Participação da professora e alunos da turma do maternal A do CMEI Madre Elísia. 2ª Etapa – Organização do programa de recreio.
  • 13. 3ª Etapa – Ouvir as sugestões e organizar os dias, as brincadeiras e os espaços onde as brincadeiras irão acontecer; - RESPONSÁVEL PELO PROJETO 4ª Etapa – Fazer o horário/dia/atividade de cada monitor de recreio; - RESPONSÁVEL PELO PROJETO. 5ª Etapa – Permitir que as crianças percebam, que é possível se divertir sem causar situações que ponham em risco a sua própria segurança; - PROFESSORAS 6ª Etapa – Inscrever e selecionar os alunos interessados em ser monitores das brincadeiras no recreio; 7ª Etapa – Ensinar novas brincadeiras para as crianças; 8ª Etapa – Implantação do projeto. Data de início: (5ª feira) 9ª Etapa – Aplicar as atividades conforme a programação elaborada; - TODOS OS ENVOLVIDOS 10ª Etapa – Avaliar a participação dos alunos; - TODOS OS ENVOLVIDOS 11ª Etapa – Retomar a organização inicial para ajustes necessários. Uma vez que o projeto esteja em andamento é importante verificar se os alunos incorporam uma nova postura/atitude nos dias sem o recreio monitorado. Quais os tipos de brincadeiras eles fazem entre si, pois somente desta forma verificaremos a eficácia do projeto e se conseguiremos a médio prazo, incutir uma nova cultura de recreio junto a nossa comunidade escolar. A mudança só se realiza, com uma nova atitude, diante da rotina. Ninguém muda ninguém com palavras. As pessoas só mudam quando realizam novas ações, por si mesmas, incentivadas por atitudes de outros.
  • 14. Sugestão de organização para o recreio: 2ª feira – Ludicidade com jogos dirigidos 3ª feira – Ludicidade (brinquedos e brincadeiras livres) 4ª feira – Ludicidade com brinquedos afetivos e brincadeiras folclóricas 5ª feira – Ludicidade (brinquedos, jogos e brincadeiras livres e dirigidas) 6ª feira – Ludicidade (parquinho livre e atividades de coordenação motora ampla com recursos de materiais pedagógicos). ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO E DO TEMPO PARA AS ATIVIDADES; CRONOGRAMA METAS E ATIVIDADES 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Levantamento bibliográfico x x X X X X Revisão bibliográfica X X X X X X X Elaboração dos instrumentos de pesquisa X X X X Aplicação do plano piloto X X Coleta de dados X X X X Sistematização dos dados X X Tabulação de dados X X X X X X X Visita in lócus para finalizar a pesquisa X X X X X X Socialização na plataforma X X X X X X X X MODOS DE REGISTRO E DOCUMENTAÇÃO QUE SERÃO UTILIZADOS NA EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES DO PROJETO: As atividades lúdicas podem ser consideradas, tarefas do dia-a-dia na educação infantil., portanto, os registros serão por meio de dados escritos: entrevistas e observações para anedotário e registro de imagens. ENTREVISTA 1. No planejamento uma atividade lúdica, deve antes adequar o tipo de jogo ao seu público e ao conteúdo a ser trabalhado, para que os resultados venham ser satisfatórios e os objetivos alcançados? .
  • 15. 2. O professor deve se preocupar em construir uma relação democrática e respeitosa com as crianças em todas as situações, principalmente no que diz respeito à conservação dos jogos e brinquedos? 3. Os jogos devem ser elaborados, junto com as crianças, os combinados e as regras de utilização e manutenção dos materiais, como por exemplo: “quem brincou guarda” ou “no final da brincadeira todos devem guardar “os materiais” e até a localização dos jogos nas estantes”? 4. Em sua opinião, cabe ao educador oferecer materiais variados e interessantes e que, principalmente, estimulem a imaginação infantil? 5. Você concorda que, além dos jogos e brinquedos estruturados (fabricados), o educador deve incrementar este aceso através da contribuição de novos jogos, utilizados e basicamente de sucatas. Estes materiais (que normalmente são descartados como lixo) apresentam uma infinita variedade de cores, formas, texturas e tamanhos e possibilitam que as crianças montem, desmontem, construam (castelos, cabanas, comidinha para o doente, um navio, etc.) e brinquem?  6. Os espaços lúdicos e da sala ocupados pelas crianças deve ser observado com atenção? 7. É interessante que as crianças tenham área livre para brincar, assim como opções de mexer no mobiliário, montar casinhas, vendinhas, cabanas, tendas, circo, etc? 8. A rotina diária e o tempo que as crianças têm à disposição para brincar também devem ser considerados. Deve-se procurar dar tempo suficiente para que as brincadeiras surjam se desenvolvam e se encerrem? 9. O educador não deve ser um mero espectador que apenas intervém em casos de acidentes, brigas ou choros. Nem tampouco ter sempre a iniciativa de propor e coordenar as brincadeiras?
  • 16. 10. É necessária certa dose de sensibilidade para saber distinguir em que momentos sua presença mais ativa é fundamental (como, por exemplo, para estimular a participação de determinadas crianças ou propor novas brincadeiras) e as ocasiões em que é preferível deixar que as próprias crianças interajam, organizem e reinventem as brincadeiras? AVALIAÇÃO: A avaliação na educação infantil consiste no acompanhamento do desenvolvimento infantil e por isso, precisa ser conduzida de modo a fortalecer a prática docente no sentido de entender que avaliar a aprendizagem e o desenvolvimento infantil implica sintonia com o planejamento e o processo de ensino. A brincadeira, o brinquedo e o jogo proporcionam mecanismo para desenvolver a memória, a linguagem, a atenção, a percepção, a criatividade e habilidade para melhor desenvolver a aprendizagem. Nessa perspectiva, as brincadeiras, os brinquedos e os jogos vêm contribuir significativamente para o importante desenvolvimento das estruturas psicológicas e cognitivas da criança. Vemos que a ludicidade é uma necessidade do ser humano em qualquer idade, mas principalmente na infância, na qual ela deve ser vivenciada, não apenas como diversão, mas com objetivo de desenvolver as potencialidades da criança, visto que o conhecimento é construído pelas relações interpessoais e trocas recíprocas que se estabelecem durante toda a formação integral da criança. A introdução de jogos e atividades lúdicas no cotidiano escolar é muito importante, devido a influencia que os mesmos exercem frente aos alunos, pois quando eles estão envolvidos emocionalmente na ação, torna-se mais fácil e dinâmico o processo de ensino-aprendizagem. O lúdico enquanto recurso pedagógico na aprendizagem deve ser encarado de forma séria, competente e responsável. Os jogos, as brincadeiras e os brinquedos, quando usado de maneira correta, poderão oportunizar ao educador e ao educando, importantes momentos de aprendizagens em múltiplos aspectos. Os métodos de avaliar e os instrumentos assumem um papel de extrema importância, tendo em vista que contribuem para a reflexão necessária por parte dos profissionais acerca do processo de ensino. A avaliação do contexto do projeto será por meio da observação, registro no anedotário, fotos e vídeos.
  • 17. BIBLIOGRAFIA ALMEIDA, Paulo Nunes, Educação Lúdica, Técnicas e Jogos Pedagógicos. São Paulo: Loyola, 1995. BARBOSA, Carmem. Organização curricular da Ed. Infantil. Disponível em: http://cefort.ufam.edu.br/posinfantil/mod/resource/view.php?id=714&redirect= 1 Acessado em 08/07/2013 BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental Parâmetros Curriculares Nacionais./ Secretaria de Educação Fundamental – Brasília : MEC/SEF, 1997. V.7 BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. - Brasília: MEC/SEF, 1998, volume: 1 e 2. BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria da Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil/ – Brasília: MEC/SEF, 1998. V1 introdução. COZAC, José Ricardo, Sociointeracionismo. Revista do Professor. Teorias que embasam o comportamento lúdico da criança, v. 17, n. 66, abr./jun. 2001 DRUMOND, Simone Helen Ischkanian. O lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem na educação infantil. . Disponível em: http://www.slideshare.net/SimoneHelenDrumond/projeto-ludico-simone- drumond. Acessado em 08/07/2013 KISHIMOTO, TIZUKO. Dinâmica Pedagógica da Ed. Infantil. Disponível em: http://cefort.ufam.edu.br/posinfantil/mod/resource/view.php?id=715&redirect= 1. Acessado em 18/05/2013 MELLO, Sully Amaral. Formação e Escolarização da Criança: alternativas teóricas e práticas. Disponível em: http://cefort.ufam.edu.br/posinfantil. Acessado em 10/06/2013
  • 18. OLIVEIRA, Vera Barros de (org.). O Brincar e a Criança do Nascimento aos Seis Anos. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 2002. VYGOTSKY, L. 1989. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes. PASSERINO, Liliana Maria.Avaliação de jogos educativos computarizados. Artigo publicado no aller Internacional de Soft are Educativo ( ISE 98). Santiago: Chile. 5 Dez. 1998, em 11 nov. 1999. Disponível em: http://www.c5.cl/ieinvestiga/actas/tise98/html/trabajos/jogosed/index.htm. Acesso em: 08/07/2013.

×