Your SlideShare is downloading. ×

Apostila planejamento de negocios

15,073

Published on

Apostila utilizada no curso de Planejamento de Negócios da Coordenação de Empreendedorismo da PUC-Rio.

Apostila utilizada no curso de Planejamento de Negócios da Coordenação de Empreendedorismo da PUC-Rio.

Published in: Business
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
15,073
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
712
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 2011urs |Planejamento de Negócios Apostila do Curso Perceber a realidade, avaliar os caminhos, construir um referencial futuro, estruturando o trâmite adequado e reavaliar todo o processo a que o planejamento se destina. Silvina Anna Ramal silvina@idprojetoseducacionais.com.br 22/02/2011
  • 2. Sumário1. PROGRAMA DA DISCIPLINA ........................................................................................ ......2 1.1 CRONOGRAMA............................................................................................................................5 1.2 CURRICULUM RESUMIDO DO PROFESSOR/A............................................................................. 72. ROTEIRO PARA ELABORAR O PLANO DE NEGOCIOS...........................................................8 2.1. PARA QUANTO TEMPO FAZEMOS O PLANO DE NEGÓCIOS?...................................................9 2.2. ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS.....................................................................................9 2.3 SUMÁRIO EXECUTIVO.............................................................................................. 10 2.4. DESCRIÇÃO DO NEGÓCIO........................................................................................ 11 2.5. RESUMO DA EMPRESA ........................................................................................... 12 2.6. ANÁLISE DE MERCADO ........................................................................................... 13 2.7. ESTRATÉGIA DO NEGÓCIO ...................................................................................... 15 2.8. PLANO DE MARKETING ........................................................................................... 16 2.9. ORGANIZAÇÃO E GERÊNCIA DO NEGÓCIO ............................................................... 18 2.10. PLANEJAMENTO FINANCEIRO ............................................................................... 19 2.11. FOLHA DE EXERCÍCIO ............................................................................................ 223. MATERIAL COMPLEMENTAR .......................................................................................... 34 3.1. ESTUDO DE CASO: TESTAMENTO .......................................................................... 35 3.2. ESTUDO DE CASO: A HISTÓRIA DA PADARIA DE BAIRRO .......................................... 37 3.3. ESTUDO DE CASO: OS MISERÁVEIS .......................................................................... 39 3.4. EXERCÍCIOS PARA REFLEXÃO SOBRE POSTURA PROFISSIONAL............................................... 40 3.5. ESTUDO DE CASO: EXERCÍCIOS SOBRE PONTO DE EQUILÍBRIO ................................. 41 3.6. EXERCÍCIOS SOBRE PROJEÇÃO DO FLUXO DE CAIXA................................................59 3.7. EXERCÍCIOS DE CONCEITOS DE FINANÇAS................................................................624. ROTEIRO DE PERGUNTAS PARA OS TRABALHOS .............................................................. 74 4.1. ROTEIRO PARA G1: PALESTRA COM EMPREENDEDOR.............................................. 75 4.2. ROTEIRO PARA CAÇA AO NEGÓCIO ......................................................................... 765. SLIDES DAS AULAS......................................................................................................... 77 5.1. AULA 2: POSTURA PROFISSIONAL E O PERFIL DO EMPREENDEDOR ........................ 78 5.2. AULA 3: PLANO DE NEGÓCIOS ............................................................................... 84 5.3. AULA 4: CAÇA AO NEGÓCIO ................................................................................... 89 5.4. AULA 5 : ELEMENTOS DE MARKETING / ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO .............. 90 5.5. AULA 7 & 8 : PLANO DE MARKETING / PRODUTO, PREÇO, PROMOÇÃO & DISTRIBUIÇÃO... 104 5.7. AULA 10 : AMBIENTE LEGAL DA EMPRESA ............................................................ 111 5.8. AULA 11 : GESTÃO DE PESSOAS ............................................................................ 139 1
  • 3. 1. Programa da disciplina PUC-RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO: EMPREENDEDORISMO DEPARTAMENTO: INSTITUTO GÊNESIS 2011.1 INF 1902 Planejamento de Negócios para Empreendedores CARGA HORÁRIA TOTAL: 60 HORAS CRÉDITOS: 4 PRÉ-REQUISITO(S): 48 créditos SILVINA ANA RAMAL PROFESSOR:EMENTA Elaboração prática de um plano de negócios. Conceitos de estratégia de entrada e crescimento, formatação de produtos, distribuição, promoção, precificação, análise de rentabilidade, avaliação de riscos críticos, planejamento de marketing, organização de empresas, orçamento, fluxo de caixa e indicadores financeiros.OBJETIVOS Esta disciplina tem por objetivo desenvolver habilidades para criar e dirigir empreendimentos. O foco é a elaboração de um Plano de Negócios, ferramenta que descreve as estratégias de definição do produto, distribuição, promoção e precificação; analisa as ameaças e oportunidades envolvidas no projeto; planeja a operação do negócio e estima os seus resultados financeiros. A proposta é que o aluno escolha uma idéia de negócio (pode ser um novo empreendimento, uma empresa já existente ou apenas uma idéia) e elabore o Plano do Negócio ao longo do período. O programa inclui algumas aulas expositivas, mas a idéia é que se “aprenda fazendo”. Por essa razão, a carga de aplicação prática dos conhecimentos é sensivelmente maior do que a exposição teórica. 2
  • 4. PROGRAMA 1. Apresentação do curso Apresentação do curso, dos alunos da metodologia das aulas e da bibliografia. 2. Desenvolvimento das linhas gerais do negócio Desenvolvimento do esboço do empreendimento abordando superficialmente a idéia do negócio, as características do setor, o público- alvo, as estratégias de produtação, precificação, promoção e distribuição, a estrutura operacional e os custos envolvidos. 3. Análise setorial Análise das características do setor, barreiras de entrada/saída, análise da concorrência. 4. Estratégia Estratégias competitivas genéricas, posicionamento. 5. Plano de marketing Desenvolvimento do composto de marketing: produto, preço, promoção e praça. 6. Precificação Estratégias de precificação. Conceitos de custos fixos e variáveis e ponto de equilíbrio 7. Distribuição Conceitos de distribuição, identificação da estratégia mais adequada. 8. Operação Conceitos de estrutura da organização, conceitos básicos de gestão de pessoas numa empresa pequena ou start up. 9. Custos Definição das necessidades de investimento e custos do negócio. Projeção do fluxo de caixa, cálculo da margem de contribuição, definição de cenários. 10. Indicadores financeiros Conceitos de indicadores financeiros; fluxo de caixa; valor presente líquido, taxa interna de retorno.METODOLOGIA DE O programa inclui algumas aulas expositivas, mas o curso éENSINO/ essencialmente prático, pois espera-se que o aluno desenvolva umAPRENDIZAGEM plano de negócios ao longo do curso aplicando os conceitos vistos em sala de aula. Também são utilizadas dinâmicas e estudos de caso. 3
  • 5. AVALIAÇÃO A Avaliação da disciplina seguirá o modelo da Categoria 1 das normas de avaliação, conforme definido no Artigo 92o do Regimento da PUC - Rio: G1 – Peso 2 G2 – Peso 3 NF (nota final) = (G1 x 2) + (G2 x 3) 5 Se G2 < 3, então NF = G1 + (G2 x 2) 3 O aluno que precisar faltar à apresentação de G2 deverá fazer um trabalho individual e entregá-lo ANTES DA DATA MARCADA PARA A APRESENTAÇÃO DA TURMA.BIBLIOGRAFIA RAMAL, Silvina. Como Transformar seu Talento em um Negócio de Sucesso.PRINCIPAL Rio de Janeiro: Campus, 1ª Ed. 2006.BIBLIOGRAFIA RAMAL, RAMAL, SALIM, HOCHMAN. Construindo Planos de Negócios. Rio deCOMPLEMENTAR Janeiro: Campus, 3ª ed, 2005. RAMAL, RAMAL. Gestão de Pequenas Empresas, vols. 1,2 e 3. Fundação Roberto Marinho: 2007. RAMAL, S. Pequenos Negócios em Comércio e Serviços. SENAC Nacional, 2005. ASSEF, Roberto. Guia Prático de Administração Financeira. Campus: 2ª Ed. , 2007. KOTLER, P. Administração de Marketing. 12ª Ed. Prentice Hall do Brasil, 2006.. 4
  • 6. 1.1 CRONOGRAMADATA CONTEÚDO BIBLIOGRAFIA 1 Aula 1: Apresentação do programa, Estudo de caso: Testamento. dos trabalhos a serem realizados Estudo de caso: A História da Padaria de Bairro. pelos alunos e dos critérios de Dinâmica: detectando oportunidades de avaliação. negócios. 2 Aula 2: Atitude empreendedora e Dinâmica: quem você recomendaria? postura profissional. O que é ser empreendedor. Noções de plano de negócios. 3 Aula 3: O plano de negócios. Dinâmica: caça ao negócio. 4 Aula 4: Apresentação de plano de Apresentação da descrição do negócio e do negócios dos alunos. resumo da empresa. 5 Aula 5: Fundamentos de estudo e Dinâmica: planejamento da pesquisa de mercado. análise de mercado. Fundamentos de posicionamento estratégico. 6 Aula 6: Fundamentos de estudo e Apresentação da pesquisa de mercado. análise de mercado. Fundamentos de posicionamento estratégico. 7 Aula 7: Atividade valendo pontos Apresentação de empreendedor de sucesso, para G1 em sala de aula. premiado, presença obrigatória. A falta injustificada implicará em nota zero na atividade. 8 Aula 8: Plano de marketing. Fundamentos de produto, preço, promoção e praça. Dinâmica: Construindo um plano de marketing para um novo produto. 9 Aula 9: Prova G1. Apresentação da primeira parte do plano de negócios. 10 Aula 10: Noções de tributos e Resumo das obrigações legais das empresas e dos legislação de empresas no Brasil. tributos que devem pagar. 11 Aula 11: Gestão operacional e de Vídeo do Youtube sobre motivação. recursos humanos em pequenas Estudo de caso: Os Miseráveis. empresas. 5
  • 7. 11 Aula 12: Conceitos de Finanças. Exercícios de finanças. Noções de finanças. 13 Aula 13: Conceitos de Finanças. Exercícios sobre projeção do fluxo de caixa. Projeção do fluxo de caixa. 14 Aula 14: G2. Apresentação final do plano de negócios. 15 Aula 15: G2 Apresentação final do plano de negócios.Observações importantes:A nota do curso espelha a capacidade do aluno para desenvolver um plano de negócios edefendê-lo frente a investidores e parceiros potenciais. Caso o aluno não atinja a nota mínimaserá reprovado. Não se trata de uma disciplina que possa ser avaliada mediante “prova”.As entregas parciais, que ocorrem praticamente a cada aula, serão comentadas pelo Professordando oportunidade ao aluno de corrigir falhas e introduzir melhorias no trabalho final. Nas aulas14 e 15 (entrega do PN final) o aluno receberá feed-back do professor (consultoria) e poderá teruma “segunda chance” para apresentá-lo na semana após a aula 15 (até sete dias após a últimaaula).A nota de participação em dinâmicas, jogos e estudos de caso representa uma chance extra(espécie de “décimo-primeiro” ponto), e será somada à nota do Plano de Negócios (peso 8) eDefesa oral (peso 2) para compor a nota final (caso esta seja inferior a 10).Além disso, o aluno deverá ter FREQUENCIA mínima de 75% para aprovação uma vez que se tratade um curso essencialmente prático cujas aulas são baseadas em estudos de caso e dinâmicas degrupo. Será feita chamada no início (pontualmente às 19h) e no final (22h30) das aulas.ESTA APOSTILA FOI EDITORADA PELA ALUNA MARIA JOSE RIVERA, DO DEPARTAMENTO DEARTES DA PUC-RIO 6
  • 8. 1.2 Currículo Resumido do Professor/aSilvina Ana Ramal é mestre em Administração de Empresas pela PUC-Rio, pós-graduada emComércio Internacional pela UFRJ e em Marketing pela PUC-Rio. Trabalhou durante dez anos emcargos de gerência em organismos e empresas multinacionais, como a Câmara de ComércioArgentino-Brasileira e a empresa Canada Life Pactual. Atualmente é sócia há 10 anos de umaempresa de educação corporativa, ID Projetos Educacionais, considerada referência na área deempreendedorismo por sua trajetória de sucesso. A ID tem como clientes as maiores empresasdo país e alguns Governos estaduais e municipais. É professora de Empreendedorismo na PUC-Rio, autora de diversos livros e artigos, entre os quais se destacam “Como Transformar seuTalento em um Negócio de Sucesso, e “Construindo Planos de Negócios”, publicados pela EditoraCampus, que já venderam 10.000 exemplares, o estudo de caso “EasyCae”, premiado em primeirolugar pelo SEBRAE em concurso no SEBRAE e os livros Gestão de Pequenos Negócios e Gestão deMarketing, pelo SENAC nacional. É professora também na FGV, onde ministra Planejamento deNegócios em nível de Pós-Graduação. Presidente da ONG Pro-Social, que atua com fortalecimentoda gestão de pequenas empresas em comunidades de baixa renda e ongs, no Brasil e já feztrabalhos em países como Uruguai, Colômbia e Argentina. Também é autora dos livros doTelecurso TEC da Fundação Roberto Marinho e consultora dos programas de televisão do projetona Rede Globo, um curso de formação em gestão de pequenos negócios e administração,atualmente com 50 mil alunos. 7
  • 9. 2. ROTEIRO PARA ELABORAR O PLANO DENEGOCIOS 8
  • 10. 2.1. PARA QUANTO TEMPO FAZEMOS O PLANO DE NEGÓCIOS?Antigamente, faziam-se planos de negócios para cinco a dez anos. Hoje, com um ambiente emconstante mudança, os planos de negócios costumam fazer projeções para três a cinco anos. Noentanto, isso dependerá da propensão de seu mercado a mudar.Por exemplo, setores de alta tecnologia trabalham com produtos cujo ciclo de vida pode ter um adois anos. Por isso, os planos de negócios são por períodos curtos.Se no entanto se está trabalhando num setor maduro da Economia, que não costuma ser atingidopor grandes modificações, pode-se fazer um planejamento de cinco anos. Grandes empresas queprecisam de investimentos muito volumosos e trabalham em setores estáveis como energia oumineração fazem planejamento para dez anos.2.2. ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOSO plano de negócios se divide em sete grandes capítulos. A seguir, veremos cada um delesdetalhadamente. SUMÁRIO EXECUTIVO DESCRIÇÃO DO NEGÓCIO RESUMO DA EMPRESA ANÁLISE DE MERCADO ESTRATÉGIA PLANO DE MARKETING ORGANIZAÇÃO E GERÊNCIA 2.3. Sumário Executivo 9
  • 11. 2.3.1. O que é o SUMÁRIO EXECUTIVO?O SUMÁRIO EXECUTIVO é um resumo do PLANO DE NEGÓCIOS, traz as linhas gerais doconteúdo que será exposto no documento.O SUMÁRIO EXECUTIVO é um importante instrumento de vendas, por isso deve ser atraente echamar a atenção do leitor para o fato de que aquele é um excelente negócio. Não deve ter maisdo que duas a três páginas.O PLANO DE NEGÓCIOS muitas vezes será lido por investidores profissionais, analistas deinvestimento de bancos, analistas de crédito. Estes profissionais normalmente recebem umvolume muito grande de PLANOS DE NEGÓCIOS para analisar. Por isso, eles lêem apenas oSUMÁRIO EXECUTIVO. Se este lhes interessar, começam a ler o resto do documento paraaprofundar o assunto.É comum hoje também a realização de eventos que reúnem investidores de risco comempresários que precisam investimentos para seu negócio. Estes eventos são chamados venturefóruns. Nestes eventos, cada empresário tem apenas cinco a dez minutos para apresentar seunegócio aos investidores. Por isso, este apresenta apenas o SUMÁRIO EXECUTIVO. O investidorque tiver interesse pelo plano, solicitará ao empresário uma reunião posterior.2.3.2. Informações que devem estar presentes no SUMÁRIO EXECUTIVO: 1. Objetivo do plano de negócios; 2. Oportunidade de mercado detectada e como esta será transformada em um negócio; 3. Qual produto/serviço será comercializado; 4. Qual o mercado e como será abordado; 5. Fatores críticos de sucesso; 6. Estratégia de vendas; 7. Estrutura de propriedade da empresa; 8. Investimentos necessários para o negócio e como esse dinheiro será alocado; 9. Receita prevista e sua evolução, total das despesas; 10. Rentabilidade do negócio. 10
  • 12. 2.4 Descrição do NegócioNeste capítulo, é preciso informar ao leitor as linhas gerais do negócio. Qual foi a oportunidadedetectada, como esta será transformada em um negócio de sucesso.Informações que devem estar presentes na descrição do negócio:1 - Oportunidade de mercado detectadaO que falta ao consumidor? O que faria o consumidor se interessar em comprar alguma coisa? Oque poderia ajudar as pessoas a realizar suas tarefas diárias, seus objetivos imediatos e de longoprazo, enfim, seus sonhos de vida? O que é novo e poderia mudar a vida das pessoas? O quemelhoraria o processo produtivo de determinada indústria, tornando-a mais eficiente ou maislucrativa? O que faria um cliente ganhar mercado?A resposta a essas perguntas pode ser algo muito simples ou pode gerar uma invenção complexa.Boas oportunidades geram boas idéias de negócios. No entanto, não é suficiente ter uma boaidéia, é preciso estruturar o negócio para poder aproveitá-la.2 - Missão da empresaA missão é a definição do negócio, a razão de existir da empresa. É importante que seja sucinta,mas que tenha uma visão ampla, e não limitada, do negócio da empresa.3 - Visão da empresaA visão descreve como a empresa quer estar no futuro, futuro aí entendido como um período decinco anos. Uma empresa que sabe onde quer chegar terá maior consistência em suas ações,direcionará melhor seus esforços e seus recursos financeiros.4 - Valores da empresaSão os valores que norteiam todas as atividades da empresa. 11
  • 13. 2.5. Resumo da EmpresaNeste capítulo incluímos alguns detalhes quanto à constituição da empresa ou organização.Informações que devem estar presentes no resumo da empresa:1 - Equipe de gestãoQuem são os sócios, qual é a estrutura societária? Qual será a forma jurídica escolhida? Sociedadepor quotas de responsabilidade limitada, sociedade anônima, cooperativa? É importante colocar ocurrículo da equipe de gestão. Que competências tem essa equipe que a tornam apta adesenvolver o negócio?Cada vez mais os analistas de planos de negócios preocupam-se com o perfil da equipe de gestãoe menos com a idéia do negócio.Isso porque as pessoas certas conseguirão tornar o negócio um sucesso. No entanto, uma boaidéia em mãos erradas dificilmente se tornará um grande negócio.Não é necessário colocar o currículo completo de todas as pessoas. Basta relacionar ascompetências, formação, experiência anterior que agregarão valor àquele negócio.2 – Forma jurídicaIndica se a organização é uma limitada, sociedade anônima, organização sem fins lucrativos ouuma cooperativa, por exemplo.3 - LocalizaçãoIndica a área geográfica em que a empresa atuará e onde estará localizada sua sede 12
  • 14. 2.6. Análise de mercadoNeste capítulo, relacionaremos todos os itens que fazem parte do ambiente externo e queinfluenciam o negócio.Informações que devem estar contidas no capítulo ANÁLISE DE MERCADO:1. Mercado alvoEm primeiro lugar, temos que analisar quem são nossos clientes, incluindo algumas informaçõesimportantes. • Quem compra nosso produto? Qual é o mercado total para ele? • Como posso segmentar o mercado? Por idade, sexo, região geográfica, renda média, estrutura familiar. No caso de pessoa jurídica: número de funcionários, faturamento, setor de atuação, entre outros. • Que volume este mercado compra atualmente? • A que preço deseja comprar? Quanto as pessoas/empresas gastam em média com meu produto? • Onde estão localizados os clientes? • Quem toma a decisão de compra? • Em que época meus clientes compram? • Quais são suas preferências com relação às diferentes características/funcionalidades do produto, como cor, embalagem, local de entrega, condições de pagamento, perfil do atendimento ou prestação do serviço?2. Análise da concorrência- Quantos concorrentes existem?- Quais são seus pontos fortes e fracos?- Como posso comparar meus produtos com os dos concorrentes?- Como estão posicionados?- Qual seu volume de vendas?3. Análise FOFA 13
  • 15. Análise das oportunidades e ameaças do mercado, e dos pontos fortes e fracos com relação àconcorrência.4. Outros fatores do ambiente que afetam o negócioPhillip Kotler divide o ambiente externo da empresa em micro e macro ambiente de marketing.O micro ambiente é formado pelos clientes, concorrentes, substitutos e novos entrantes. Estessão os que podem afetar o negócio mais diretamente.O macro ambiente é formado por forças igualmente poderosas, como: bancos, Governo,sindicatos, grupos de interesse. Além disso, estão os fatores culturais, econômicos, demográficos,ambientais, políticos e jurídicos, que influenciam o ambiente onde a organização atua. Casoalgum destes fatores seja decisivo para seu negócio, é importante que ele apareça destacado naANÁLISE DE MERCADO.5. Barreiras de entrada e de saídaBarreiras de entrada altas dificultam a entrada em um determinado negócio. Um exemplo:necessidade de muitos recursos financeiros, mercado insuficiente para muitas empresas, acessodifícil aos canais de distribuição.Barreiras de saída são as dificuldades para sair de um negócio. Por exemplo: necessidade decapital para sair, ativos muito especializados, pressão do Governo e de sindicatos, linha deprodutos.As barreiras de entrada e de saída afetam a rentabilidade de uma indústria como um todo. 14
  • 16. 2.7. Estratégia do negócioNeste capítulo, é preciso definir a estratégia que a empresa utilizará para se posicionar nomercado e atingir seus objetivos estratégicos.As seguintes informações são incluídas no capítulo ESTRATÉGIA DO NEGÓCIO:1. DiferenciaçãoDe que maneira a organização se diferenciará da concorrência, na percepção do cliente?2. PosicionamentoMichael Porter, da Universidade de Harvard, definiu três tipos de posicionamento estratégico: a) Liderança em custo. Nesse caso, a idéia é produzir o máximo possível para obter ganhos de escala e vender a preço baixo. Os fatores de sucesso são o preço baixo e a distribuição eficaz. Exemplo: fábrica de fósforos. b) Diferenciação. Através de um produto de excelente qualidade, uma marca forte, atendimento diferenciado ao cliente. Exemplo: Sadia, c) Estratégia de nicho. Trata-se de procurar determinada fatia de mercado ou segmento de clientes para atender, conhecendo muito bem suas demandas e fazendo um produto ou serviço específico para suas necessidades. A tendência é que esse grupo se torne fiel. Essa estratégia é muito eficaz para organizações de porte menor. Estas costumam procurar mercados suficientemente pequenos para não atrair os grandes competidores, mas suficientemente grandes para gerar lucros para organizações de menor porte. Exemplo: loja de alimentos macrobióticos, montadora Porsche, loja de artigos para jogos de RPG.3. Objetivos estratégicosOs objetivos estratégicos estão vinculados à missão e à visão do negócio.Exemplo de objetivos estratégicos: a) A participação de mercado a atingir b) Fixação de marca junto ao público c) Lançamento de linha de produtos d) Entrada em novos mercados 15
  • 17. 2.8. Plano de marketingO plano de marketing apresenta as definições para os chamados 4 Ps do Marketing: produto,preço, promoção e praça.1. Produto ou serviçoComo será a apresentação de meu produto/serviço? Que linhas de produtos/serviços oferecerei?Como será o atendimento ao cliente? O que oferecerei em termos de garantia e assistênciatécnica?2. PreçoO preço baixo nem sempre é garantia de sucesso. O consumidor tem um hábito de relacionarpreço alto a grande qualidade, e vice versa. O comprador institucional (empresa) é menos sensívela isso, no entanto também pode preferir pagar mais para ter melhores condições de serviço.Um fator importante na definição do preço é o cálculo do ponto de equilíbrio econômico-financeiro.Cálculo do ponto de equilíbrio econômico-financeiroO ponto de equilíbrio econômico-financeiro define quantas unidades tenho que vender paraigualar minhas receitas a minhas despesas.R - CV t- CF = LucroSe as receitas são iguais às despesas, então o lucro é igual a zero.Portanto:R = CV t+ CFR (Receita) = P (preço de venda) x Q (quantidade vendida)CVt (Custo variável total) = CVu (custo variável unitário) x Q (quantidade vendida)CF = Custo fixoEntão:P x Q = CVu x Q + CFIsolando o fator Q:Q = CF/ (P - CVu) 16
  • 18. Importante: Definição de custos variáveis e custos fixosCustos variáveis: os custos variáveis acontecem a cada unidade produzida. Exemplo: paraproduzir um par de sapatos gasto R$ 2,00 de couro. Portanto, a cada par de sapatos que produzirterei o custo de R$ 2,00. Dizemos que couro é um custo variável na fabricação de sapatos, porqueele aumenta proporcionalmente ao meu aumento na produção de unidades de sapatos.Custos fixos: não variam de acordo com a quantidade produzida. Exemplo: a fábrica de sapatos éalugada. O valor do aluguel será o mesmo se eu produzir zero sapatos ou 1.000 pares de sapatos.3. PromoçãoComo promoverei meu produto? Em que meios de comunicação? TV, jornais, revistas, revistasespecializadas, mala direta, site na Internet, assessoria de imprensa, telemarketing, e-mail. Dareidescontos promocionais? De que tipo?4. Praça (distribuição, ponto de venda)Como venderei meu produto? Venda direta, distribuidores, varejistas, ponto de venda ao público,Internet, rede de franqueados, telemarketing, representantes comerciais. 17
  • 19. 2.9. Organização e gerência do negócioIncluímos nesse capítulo do plano as seguintes informações:1. Descrição dos processos da empresa.Como acontece o processo de trabalho principal, ou o de atendimento ao cliente? É importante,neste caso, destacar os pontos em que o cliente tem ou não contato com a empresa.2. Departamentalização, distribuição de tarefas e responsabilidadesÉ importante detalhar as responsabilidades e tarefas de cada setor, e também o plano deremuneração dos funcionários. Assim como seu plano de carreira, de desenvolvimento eformação e a estratégia da empresa para motivar seus funcionários.3. Cronograma de implantação do projetoDetalhamento de cada atividade a ser realizada e seu prazo de início e de conclusão para que aempresa esteja montada e pronta para operar. 18
  • 20. 2.10. Planejamento financeiroO planejamento financeiro é crucial, pois é o momento de confrontar os ganhos, as despesas, ever se o negócio é viável e rentável.Veremos a seguir as informações que devem estar contidas no planejamento financeiro.1. Pressupostos do plano financeiroAo fazer projeções financeiras, estamos lidando com o futuro. Isso implica num alto grau deincerteza, por isso, não podemos simplesmente escrever qualquer número. Nossas estimativastêm que estar baseadas naquilo que acreditamos que acontecerá com a Economia de modo geral,com a evolução de consumo do produto, com o crescimento do mercado. Esses são ospressupostos do planejamento financeiro, e devem ser explicitados no início, para que qualquerpessoa que lê o plano saiba em que nos baseamos ao escrever aqueles números.2. Cenários probabilísticosUma forma eficiente de reduzir a incerteza é projetar três cenários: pessimista, mais provável eotimista. Podemos inclusive atribuir-lhes probabilidades, por exemplo:Pessimista - 25%Mais provável - 50%Otimista - 25%Assim, podemos projetar três planos de contas, em que cada plano considera um cenáriodeterminado.3. Projeção de receitasA projeção das receitas de vendas dependerá do volume total do mercado e da participação que aempresa pretende ter em cada momento. O valor da receita é igual ao preço do produto ouserviço multiplicado pelas unidades vendidas.4. ImpostosDevemos levar em conta todos os impostos que incidem sobre a receita e sobre os lucros. No casodas micro e pequenas empresas, elas recolhem apenas o SIMPLES, que incide sobre a Receita. 19
  • 21. Empresas de porte pequeno também recolhem todos seus tributos sobre a Receita. Empresas deporte maior também podem recolher tributos sobre o lucro.5. Custos fixos e variáveisComo vimos antes, existem custos que são fixos para cada unidade produzida. No entanto,aumentam proporcionalmente ao aumento de produção.Exemplo: Para produzir uma unidade de A gasto R$ 3,00 da matéria prima xyz. Se produzir 100unidades de A gastarei R$ 300,00 de matéria prima xyz.O custo fixo se mantém igual, independente da quantidade produzida. Por exemplo: aluguel,salário do pessoal administrativo. É importante notar que os custos serão fixos até determinadovolume de produção. Se tiver que comprar uma nova planta de produção, meus custos fixosaumentam.Outro ponto importante: se produzir zero unidades, e vender zero unidades, ainda assim terei quepagar meus custos fixos. Assim, os custos fixos também se chamam CUSTOS AFUNDADOS (eminglês, BURNED COSTS). São aqueles custos em que terei de incorrer mesmo que pare de produzirou vender. Eles são muito importantes, porque quanto mais altos meus custos fixos, maior o riscodo negócio e a dificuldade de mantê-lo. Por isso, o empresário deve sempre tentar minimizarcustos fixos.6. Investimento inicialAntes de iniciar a operar, preciso fazer investimentos. Por exemplo: compra e reforma do local,compra de máquinas, compra de computadores, treinamento do pessoal, gastos de legalização daempresa, produção de material institucional. O investimento inicial também pode considerar umadeterminada quantia de dinheiro necessária para o negócio iniciar seu funcionamento, ou seja,um valor para capital de giro.7. Fluxo de caixa projetadoO fluxo de caixa mostra o fluxo de entradas de dinheiro e as necessidades de despesas ereinvestimento no negócio (ou saídas de dinheiro) ao longo de determinado período de tempo.Ao contrário dos demonstrativos contábeis, que utilizam o regime de competência, o fluxo decaixa é calculado utilizando o regime de caixa. Isto significa que as receitas, despesas einvestimentos só são considerados no momento em que realmente ocorre a entrada ou saída dedinheiro da empresa.As contas devem ser detalhadas de acordo com o grau de controle que se deseja manter: ascontas mais importantes devem ser mais detalhadas e as demais podem ser aglutinadas.Outro ponto importante que deve ser incluído no fluxo de caixa é o investimento em ativos fixos ecapital de giro.A empresa tem um investimento inicial calculado. No entanto, ao longo do período projetadopode ter que comprar uma nova máquina, comprar um terreno ou fazer uma ampliação deinstalações. Tudo isso deve ser incluído numa conta chamada Investimento em Ativos Fixos. 20
  • 22. Outro ponto que deve ser considerado é o aumento no capital de giro. É normal que à medidaque aumente seu volume de negócios a empresa tenha que dispor de mais capital de giro. Se esseaumento não for previsto, a empresa pode ter problemas de liquidez e recorrer ao banco parapedir empréstimos.No fim da apostila, há uma tabela para auxiliá-lo na preparação do fluxo de caixa.8. Análise do risco: Payback e exposição máxima de caixaO período de Payback é período de tempo que os investidores terão de esperar para recuperar ovalor investido no negócio. Exposição máxima de caixa é o máximo de negativo que a empresachegará a ter. Saber esse valor ajuda a calcular o dinheiro que temos que ter como reserva parahonrar compromissos financeiros.9. Análise da rentabilidade: Valor Presente Líquido e Taxa Interna de Retorno.No caso do Valor Presente Líquido, é preciso esclarecer qual foi a taxa de desconto utilizada combase na prática do mercado. 21
  • 23. 2.11. Folha de ExercícioNome do grupo:Plano de Negócios: SUMÁRIO EXECUTIVO ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 22
  • 24. DESCRIÇÃO DO NEGÓCIOOportunidade detectada________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Missão________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Visão________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Valores________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 23
  • 25. RESUMO DA EMPRESA________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Equipe de gestão__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Forma jurídica e localização__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 24
  • 26. ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNOPerfil do mercado alvoVolume de transações______________________________________________________________________Características principais do mercado alvo________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Principais concorrentes e participação de mercado________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 25
  • 27. Análise SWOTOportunidades____________________________________________________________________________________________________________________________________________Ameaças____________________________________________________________________________________________________________________________________________Forças____________________________________________________________________________________________________________________________________________Fraquezas__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Outras características relevantes do ambiente externo________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 26
  • 28. ESTRATÉGIA DO NEGÓCIODiferenciação________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Posicionamento________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Definição dos objetivos estratégicos1. Participação no mercado ou volume de vendas______________________________________________________________________2. Vendas projetadas nos próximos cinco anos____________________________________________________________________________________________________________________________________________3. Outros:____________________________________________________________________________________________________________________________________________ 27
  • 29. PLANO DE MARKETINGDescrição dos produtos/serviços (características, linha de produtos/serviços)__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Política de preços (tabela de preços e evolução nos cinco anos, preço médio da linha de produtos,política de descontos)__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Promoção (mídias utilizadas, orçamento destinado)__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Distribuição (como será feita a venda do produto)__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 28
  • 30. ORGANIZAÇÃO E GERÊNCIA DO NEGÓCIO Organograma do negócio e custos por departamentoEm cada caixa incluir: Nome do Departamento Pessoal envolvido Custos Totais 29
  • 31. Processo de trabalho:Processo Processo Processo Processo Cronograma de implantação do projeto Atividades/Meses 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Fluxo dos investimentos 30
  • 32. PLANEJAMENTO FINANCEIROPremissas:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Projeção de Receitas:Ano 1 2 3 4 5UnidadesvendidasPreço médiode vendaReceitaNecessidades de investimento inicial:Item ValorValor total 31
  • 33. Fluxo de caixa projetadoFLUXO DE CAIXA Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 1. Receitas- impostos incidentes sobre a ReceitaReceita líquida 2. Custos variáveisCusto dos serviços prestados 3. Margem de contribuição (= Receita líquida - custos variáveis) 4. Custos fixos Pessoal administrativo Aluguel Despesas de escritório Outras despesas fixas Lucro operacional Impostos incidentes sobre o lucro Resultado líquido Investimento em capital de giro Investimento em ativos fixos 5. Fluxo de caixa líquidoPonto de equilíbrio econômico financeiro: ____________________________________Exposição máxima de caixa: _______________________________________________ 32
  • 34. Critérios para pontuação em G1 1. Trabalho da palestra do empreendedor: 3 pontos. 2. Qualidade visual da apresentação: 1 ponto. 3. Potencial da oportunidade detectada: 2 pontos. 4. Qualidade do planejamento de pesquisa realizado e dados secundários levantados: 3 pontos. 5. Definição de missão, visão e valores: 1 pontoCritérios para pontuação em G2 1. Qualidade visual da apresentação e redação em Português: 0.5 ponto. 2. Análise do mercado: 1 ponto. 3. Plano de marketing detalhado e coerente com o plano: 2 pontos. 4. Estrutura da organização corretamente definida e coerente: 2 pontos. 5. Pesquisa de valores para os custos da empresa, para a definição do preço e elaboração do investimento inicial e fluxo de caixa: 3 pontos. 6. Fluxo de caixa projetado: 1 ponto. 7. Plano coerente, viável e bem articulado: 0,5 ponto.A cada dia de atraso na entrega em G1 ou G2: 33
  • 35. 3. Material Complementar 34
  • 36. 3.1 Estudo de caso: TestamentoAutoria: Silvina Ana Ramal.Em breve deixarei a vida, já estou velho. Gostaria de dividir algumas experiências.Eu tive vários sonhos ao longo da vida. Aos oito anos, ser médico. Aos quinze, cantor de rock.Montei minha banda. Mas tínhamos preguiça de ensaiar. Meu pai tentou levar a sério meuprojeto de ser cantor, e me ofereceu um curso de canto. Mas fiquei envergonhado de fazer aulasde canto, o que iam pensar? Aos dezessete anos, chegou o vestibular.Eu queria ser cantor de rock, não queria estudar. Como meu pai era advogado, resolvi estudarDireito. Não fui muito bem nas provas, mas acabei passando para uma boa faculdade.Eu odiei Direito. Queria estudar Informática. Durante as aulas, imaginava como seria bomtrabalhar com novas tecnologias, saber programar.Achei que era tarde para mudar de curso. Informática é difícil! Meu pai certamente me apoiaria,como sempre. Mas me sentia muito velho, na época. Quem diria! Eu tinha apenas 20 anos!O tempo da faculdade foi divertido! Acho que isso ajudou a esquecer a idéia de mudar de curso.Ainda na faculdade, uma namorada da época engravidou. Nos casamos muito jovens.De repente a vida real pareceu começar para valer. Formado e casado. Precisava urgentementeganhar dinheiro.Estudei como louco para fazer um concurso público, nessa época, eu já estava resignado aoDireito.Depois do primeiro filho, veio o segundo. Adoro crianças. Mas o dinheiro ficou apertado, o tempotambém.Trabalhar no serviço público, criar dois filhos, ter uma casa, me fazia sentir no meio de umturbilhão que não acalmava nunca.Abandonei academia, futebol, amigos. Engordei. Quando percebi, tinha trinta anos. Trabalhavaem algo que não gostava, ganhava pouco, já não tinha mais vontade de estudar para outroconcurso, tinha perdido o ritmo de estudo.Minha mulher reclamava do meu peso e do meu humor, o que ela queria? 35
  • 37. Aos quarenta anos, eu estava entediado. Mas faltavam dez anos para minha aposentadoria. Iacomeçar uma carreira nova? As crianças já eram adolescentes, e eu era um quarentãoamargurado.Minha mulher me pediu a separação. Para mim não fez muita diferença, não tinha escolhidoaquele casamento!A separação consumiu alguns anos e muito dinheiro. Não é fácil recomeçar a vida sozinho.Aos 45 me casei de novo, dessa vez fui feliz, mas o tempo e o dinheiro ficaram mais curtos do quenunca.Finalmente me aposentei, e pude curtir a vida, ter um tempo para mim. Foram anos divertidos.Até chegarem as doenças causadas por uma vida estressante e infeliz.Sabem o que fiz na vida? Sobrevivi. Apenas isso. Se você é jovem, não sobreviva. Planeje sua vidae seja muito feliz.E para isso, tome decisões em sua vida. Perguntas para reflexão 1. Até onde a preguiça e procrastinação atrapalham seus planos de vida? 2. Você já deixou de fazer algo por vergonha do que os outros iam dizer? 3. Você acredita que casamentos e filhos devem ser planejados? 4. Você gosta do seu curso? Teria coragem de mudar? 5. Descreva como seria sua vida muito feliz daqui a 5 anos. 6. Descreva como seria sua vida muito feliz daqui a 10 anos. 7. O que tem que fazer hoje para atingir esses objetivos? E no ano que vem? 36
  • 38. 3.2. Estudo de Caso: A História da Padaria de BairroAutoria: Silvina Ana RamalDurante trinta anos, o casal Maria e Joaquim foram proprietários da padaria do bairro onde moro.Parece que montaram o negócio com as economias que traziam de seu país de origem, Portugal.Durante todos os trinta anos, trabalharam de sol a sol, acordavam às quatro da manhã. Tinhamum número mínimo de funcionários, eles faziam tudo. A própria Maria limpava a loja, enquantoseu Joaquim cuidava do pão. Depois os dois vendiam com a ajuda de alguns garotos.Ninguém tinha muita certeza de gostar do pão, nem dos produtos da padaria. Aliás, algunsclientes sempre reclamavam de alguma coisa.Mas Maria e Joaquim venceram pela persistência. Trabalhando duro, economizando. Com otempo, quase sem perceber, o pessoal do bairro comprava pão com eles, acabou virando umhábito. Depois de trinta anos de trabalho incansável, o casal tinha suas economias, um filhoformado na Universidade com Pós-Graduação em Gestão de Negócios. Resolveram aposentar-se.A venda da padariaSeu Joaquim não entendeu quando o filho disse que queria assumir a padaria. Não tinha formadoum filho para ele acabar padeiro como o pai. Quem podia entender? Mas o filho não abria mão daidéia, e seu Joaquim desistiu de vender o negócio, passando o controle para o filho.A gestão do jovem Joaquim O jovem Joaquim, antes de assumir a gestão da padaria, fez uma pesquisa de mercado entre as pessoas do bairro. Descobriu o que elas gostavam e o que não gostavam no negócio de seus pais. Que produtos queriam comprar e não encontravam ali. Descobriuque as pessoas queriam entrega em domicílio, compra por telefone, que consideravam osvendedores da padaria pouco gentis, e o negócio pouco iluminado.Internamente, o jovem Joaquim encontrou problemas. O pai comprava de fornecedoresescolhendo apenas pelo preço que praticavam. Acabava recebendo produtos de baixa qualidade,pagando fretes altos, tendo problemas de entrega. O barato saía caro!Foram seis meses de trabalho muito duro, onde o jovem Joaquim teve que investir todas suaseconomias e toda sua energia de trabalho. Treinou funcionários, melhorou o atendimento, fezreformas na padaria, estabeleceu uma rede de parcerias com fornecedores, colocou entrega emdomicílio e venda por telefone.As pessoas logo notaram a diferença. No fim do primeiro ano, o faturamento tinha duplicado eembora o jovem Joaquim não se preocupasse tanto em comprar produtos baratos e gastar pouco,a margem de lucro também tinha aumentado. 37
  • 39. No fim do segundo ano, o jovem Joaquim estava procurando um local para abrir a segundapadaria, e começou a estudar a questão do franchising. No fim de cinco anos, já tinha cincofranqueados em diferentes pontos do Estado do Rio de Janeiro. Responda1 - Qual a diferença principal entre a gestão do Sr. Joaquim e a gestão do jovem Joaquim?2- Qual a importância de conhecer o cliente para um negócio?3 - Explique o conceito "aplicar inteligência a um negócio". 38
  • 40. 3.3. Estudo de caso: os miseráveisPodia ter acontecido em Paris, no século XVIII. No romance Os Miseráveis, Jean Valjean rouba pãoe é condenado a 19 anos de prisão. Mas, aconteceu em São Bernardo do Campo, no final de 1995.O operário J., 44 anos de idade, foi detido pelos guardas de segurança da Forjaria São Bernardo,do grupo SIFCO. Levava dois pãezinhos, que, segundo a empresa, eram “três ou quatro”, furtadosda lanchonete. J. foi chamado no dia seguinte ao departamento pessoal, para ser demitido. Faziatempo suspeitava-se de J., o qual, uma vez apanhado, confessara que sempre levava os pães, paracomer durante o horário de trabalho, porque sofria de gastrite e a comida do refeitório lhe faziamal. O fato, havia muito tempo, era de conhecimento de seus colegas e de seu chefe.J. era agora um ladrão desempregado. Seus vinte anos de serviço em repreensão na SIFCOtransformaram-se em nada. Foi para casa, dois quartos e sala, ao encontro da família, mulher edois filhos.Para a administração de recursos humanos da SIFCO, o caso estava encerrado. Porém, no diaseguinte, “os encrenqueiros do sindicato” começaram a fazer barulho na porta da fábrica. Numcomunicado ao público, a SIFCO informou que o metalúrgico J. cometera falta grave e havia sidodemitido por justa causa.O caso chamou a atenção da imprensa e saiu nos jornais. A diretoria da SIFCO, sediada em Jundiaí,São Paulo, viu o tamanho do problema e percebeu que castigar quem rouba pão é má idéia desdeque Victor Hugo contou a história de Valjean. Numa reunião, os diretores decidiram voltar atrás,por causa da publicidade negativa. Alguns dias depois, novo comunicado nos jornais informavaque a SIFCO considerava a demissão do agora senhor J. “um fato isolado, lamentável eequivocado”. Ele estava sendo reabilitado e chamado de volta ao emprego.Ao voltar, disse o senhor J.:“Eu gosto da empresa. Tudo o que tenho foi dela que recebi. Não quero que ela seja prejudicada.”Estudo de caso elaborado por Antonio César Amaru Maximiano, da FEA-USP, com base em relatode Elio Gaspari, publicado em O Estado de São Paulo, 10/09/1995. São Paulo, março de 1996.3.6. 39
  • 41. 3.4. EXERCÍCIOS PARA REFLEXÃO SOBRE POSTURA PROFISSIONALImagine que você trabalhar como designer, e recebeu uma promoção para ser gerente. Mas seuchefe pediu que você indique um profissional para seu lugar.Indicar uma pessoa para um emprego é muito complicado, porque se ele não responde àsexpectativas da empresa, pode queimar a nossa imagem e criar uma situação desagradável.Pense o nome de uma pessoa que você indicaria: NomeQue características dessa pessoa levaram você a indicá-la?Houve atos ou atitudes dessa pessoa ao longo do convívio que ajudaram a criar a boa imagem quetem dela? Detalhe. 40
  • 42. 3.5. Estudo de caso: exercícios sobre ponto de equilíbrioMac Cord Consultoria Contábil - http://www.fabianocoelho.com.br EXERCÍCIOS EXTRAS COM RESPOSTA GESTÃO DE CUSTOSSUMÁRIO1 Exercício 01.................................................................................................................................422 Exercício 02 - O caso da Empresa “Equilibrada”. .......................................................................433 Exercício 03.................................................................................................................................444 Exercício 04.................................................................................................................................455 Exercício 05.................................................................................................................................466 Exercício 06.................................................................................................................................477 Exercício 07.................................................................................................................................488 Exercício 8...................................................................................................................................499 EXERCÍCIOS PREÇO 01................................................................................................................5010 EXERCÍCIOS PREÇO 02..............................................................................................................51RESPOSTAS...................................................................................................................................521 Solução do exercício 1...............................................................................................................522 Solução do exercício 2...............................................................................................................523 Solução do exercício 3...............................................................................................................524 Solução do exercício 4...............................................................................................................545 Solução do exercício 5...............................................................................................................546 Solução do exercício 6...............................................................................................................557 Solução do exercício 7...............................................................................................................558 Solução do exercício 8...............................................................................................................569 Solução exercício preço 01........................................................................................................5610 Solução exercício preço 02......................................................................................................58 41
  • 43. 1 Exercício 01Dados para responder as questões sugeridasInformações: Custos Fixos 800.000 Custo Variável Unitário 300 Receita Unitária 700 1) O ponto de equilíbrio é igual a: a. ( ) 2.000 unidades. b. ( ) 1.000 unidades. c. ( ) 2.500 unidades. d. ( ) 1.200 unidades. 2) A receita total do ponto de equilíbrio é de: a. ( ) 1.000.000 b. ( ) 300.000 c. ( ) 1.400.000 d. ( ) 1.250.000 3) O lucro, no ponto de equilíbrio, é de: a. ( ) zero. b.( ) 400.000 c. ( ) 500.000 d. ( ) 300.000 4) Se a produção (ou vendas) passar para 2.250 unidades, o lucro será de: a. ( ) 20.000 b. ( ) 100.000 c. ( ) 1.300.000 d. ( ) 400.000 5) A utilização do ponto crítico mostra o equilíbrio entre as variações que compõemo seu cálculo. Se juros forem imputados sobre o Capital Imobilizado, acrescidoaos custos fixos, e mantidos os valores das demais variações, como nas questõesanteriores, o ponto de equilíbrio: a. ( ) aumenta. b. ( ) diminui. c. ( ) fica inalterado. d. ( ) é igual a zero. 42
  • 44. 2 Exercício 02 O caso da Empresa “Equilibrada”Informações: Custo do equipamento 200.000,00 Vida útil 20 anos Despesas administrativas 5.000,00 / ano Aluguel da fábrica 1.000,00 / ano Matéria-prima e mão-de-obra direta por 60,00 unidade Comissões por unidade vendida 20,00 Preço unitário de venda 400,00A Empresa “Equilibrada” tem uma capacidade de produção anual nominal de 100unidades. Seu gerente quer saber:a) Quantas unidades terá que vender para cobrir seus custos fixos?b) Quanto precisará ganhar no ano para começar a ter lucro?c) Qual será seu lucro se trabalhar a plena carga?Utilize a tabela abaixo para compor sua resposta. Custos Fixos Totais Custos Variáveis Totais UnitáriosDepreciação: MP + MOD ComissãoDespesas AdministrativasAluguel TotalTotal 43
  • 45. 3 Exercício 03A empresa Surpresa, monoprodutora, vendeu 25.000 unidades e obteve o seguinteResultado: $ Vendas 625.000 Custos Variáveis 375.000 Custos Fixos 150.000Calcule:I. Ponto de EquilíbrioII. Margem de Contribuição em % da receitaIII. Resultado da operação se fossem vendidas 30.000 unidades (prove)IV. Para obter $ 120.000 de lucro, quantas unidades deveria vender? Qual areceita que será obtida?Utilize o esquema abaixo para compor sua respostaVenda = _________________________________________Fórmula básica = __________________________________ Descrição Valores Totais ( $ ) Unitário ( $ / u)VendaCustos VariáveisMargem de ContribuiçãoCustos FixosLucro 44
  • 46. 4 Exercício 04Com base nos seguintes dados da empresa Modesta: $ Preço de Venda 20,00 20,00 Custos Variáveis 15,00 Custos Fixos 8.000,00Calcule:A. Ponto de Equilíbrio (unidades / valor)B. Resultado da Operação (lucro / prejuízo)Utilize a tabela abaixo para compor sua resposta. Descrição Valores Totais ( $ ) Unitário ( $ / u)VendaCustos VariáveisMargem de ContribuiçãoCustos FixosLucro 45
  • 47. 5 Exercício 05Igual exercício Mais sobre Ponto de Equilíbrio – Parte B - Apostila ExercícioUma empresa monoprodutora vendeu 50.000 unidades no exercício de 1998, tendo apresentadoo demonstrativo de resultados a seguir:Vendas $125.000.000Custos Variáveis $75.000.000Custos Fixos $25.000.000$100.000.000L.A.I.R. $ 25.000.000I.R. 40% $ 10.000.000 $ 15.000.000Lucro LíquidoEm 1999, desejando melhorar a qualidade de seu produto, a empresa substitui umapeça (componente do produto) que custa $500 por outra que custa $900 porunidade. Adicionalmente, com o intuito de aumentar a sua capacidade de produção,efetua investimentos de $24.000.000 em uma máquina, cuja vida útil está estimadaem seis anos (valor residual nulo). Todos os ativos da empresa são depreciados pelométodo da linha reta (depreciação linear).Determine:a) O ponto de equilíbrio em unidades (base números do exercício de 1998)b) Quantas unidades a empresa teria que ter vendido em 1998, se desejasse obterlucro de $18.000.000 após o imposto de renda?c) Mantendo-se o preço de venda do ano anterior, quantas unidades terão que servendidas para que a empresa alcance o ponto de equilíbrio no exercício de 1999?d) Mantendo-se o mesmo preço de venda do exercício de 1998, quantas unidadesterão que ser vendidas em 1999 para que a empresa alcance o mesmo lucro de 98?e) Se a empresa mantiver o mesmo índice de margem de contribuição aplicado em1998, qual deverá ser o novo preço de venda para cobrir o aumento dos custosvariáveis? 46
  • 48. 6 Exercício 06Seja uma empresa dimensionada para uma produção anual máxima de 15.000toneladas/ano, e seja ainda sua equação de custo total de produção igual a: CT = $24.000.000 (Custo Fixo) + $5.250 (Custo Variável unitário) xConsiderando que o preço de mercado de seu produto seja $9.000/tonelada eadmitindo-se uma despesa de venda de 5% da receita, determine:a) Ponto de equilíbriob) Lucro máximoc) Ponto de equilíbrio para um preço de mercado de $6.850/tonelada. 47
  • 49. 7 Exercício 07A Empresa J. Lopes Indústria e Comércio fabrica e vende apenas um único tipo delanterna manual – a lanterna “Fim do Poço”. Sabemos que o preço de venda unitárioda lanterna é de $ 20,00.Recorrendo-se aos registros da Contabilidade de Custos, verificamos que os custosvariáveis por unidade chegam a $ 10,00 e que os custos fixos montam a $100.000,00. As despesas comerciais são iguais a $ 5,00 por unidade e as despesasfixas comerciais e administrativas somam $ 20.000,00.Diante desses dados, a gerência pede que sejam preparadas as seguintesinformações:a) o ponto de equilíbrio;b) o resultado líquido caso as vendas fossem de $ 400.000,00c) o resultado líquido se as vendas baixassem para $ 300.000,00 e se os custosfixos fosse reduzido em 50% e se todos os custos variáveis permanecessem comsuas taxas inalteradas. 48
  • 50. 8 Exercício 8Para fabricar um produto de sua linha normal de produção, uma empresa faz osseguintes gastos:Custos Variáveis $ 120,00 Por unidadeCustos Fixos $ 400.000,00 Por mêsDespesas Variáveis $ 80,00 Por unidade Despesas Fixas $ 200.000,00 Por mêsSabendo-se que o preço de venda do produto é de $ 250,00 por unidade, quantasunidades a empresa deverá produzir para atingir o ponto de equilíbrio? 49
  • 51. 9 EXERCÍCIOS PREÇO 01A empresa RLL é uma fabricante de sapatos e, em um período típico, o custo unitáriodo produto é: Descrição Valor Unitário Descrição Valor Unitário Materiais $3 Mão-de-obra direta $2 Despesas indiretas $2 Custo total $7O preço de venda do par de sapatos é de $ 10 e a capacidade de funcionamento normalda empresa é de 100.000 pares de sapatos por período. A capacidade de funcionamentonormal é a mesma de sua capacidade plena. As despesas fixas indiretas têmconsistentemente registrado o valor de $ 120.000 por período.A direção está projetando uma queda de vendas de 30% do funcionamento normal,devido à recessão oriunda de decisões governamentais recentes.Apesar da previsão de recessão no mercado que atua, a Prefeitura do Rio de Janeiroacaba de convidar a RLL para uma concorrência de 50.000 pares de botas. Osmateriais a serem empregados na produção não são os mesmos dos sapatos e ocusto unitário é mais barato em $ 1,50. O tempo de produção de um par de botas éidêntico ao do par de sapatos; portanto, os outros custos não se modificam. Ovencedor da concorrência terá de produzir e entregar os 50.000 pares de botas. Aalta administração da RLL acha que esta é uma oportunidade para recuperar 50% daperda esperada com o lucro. Esta perda é baseada na suposição de que a empresanão terá outra oportunidade a não ser produzir os costumeiros pares de sapatos esua demanda será 30% inferior ao funcionamento normal.Pede-se: · Comportamento de custos das Despesas Indiretas; · Fórmula do comportamento de custos; · Lucro operando a capacidade normal; · Lucro operando a capacidade de 30% inferior à capacidade normal; · Perda no lucro por operar a 70% da capacidade normal; · Determinando preço para a concorrência de 50.000 pares de botas; · Lucro total objetivado; · Lucro objetivado com a concorrência; · Estrutura de custos relativa à operação com a concorrência; · Preço da concorrência. 50
  • 52. 10 EXERCÍCIOS PREÇO 02Eis o demonstrativo de resultados de um fabricante de calças compridas: DRE – Ano a ser encerrado de 31 de dezembro de 20x1 TOTAL Por Unidade VENDAS $ 100.000 $ 50,00 (-) Custo de Fabricação do período $ 80.000 $ 40,00 Lucro Bruto $ 20.000 $ 10,00A empresa tinha fabricado 2.000 de unidades, apesar de sua capacidade ser bemmaior (ou seja, funcionava com ociosidade). A produção foi vendida em sua totalidade a váriosatacadistas de roupas e lojas de departamentos.Entretanto a empresa ainda não tinha utilizado total a capacidade fabril, tendo uma ociosidade de1.000 unidades.No final de 20x1 a empresa recebe uma proposta de comercializar 1.000 unidades. A proposta emde uma empresa varejista que pretende pagar $ 30,00 por unidade.Ao analisar toda a proposta a empresa preferiu reconsiderar toda a aplicação do métodoabsorção para utilizar o método variável. Através de um estudo, descobriu-se que 70 % dos custossão variáveis. Deve a empresa aceitar a proposta ou não?! 51
  • 53. RESPOSTAS1 Solução do exercício 11) a2) c3) a4) b5) a2 Solução do exercício 2Empresa Equilibrada: Custos Fixos Totais Custos Variáveis Totais Unitários 10.000,00Depreciação: 200.000,00 ÷ 20 MP + MOD 60,00 ComissãoDespesas Administrativas 5.000,00 20,00Aluguel 1.000,00 80,00 16.000,00 TotalTotalA. PE em Unid = CFT ¸ (MCU) = 16.000,00 ¸ (400,00 – 80,00) = 50 unidadesB. PE em $ = PEq x PVu = 50 x 400,00 = 20.000,00C. LB = n x PVu – (CFT + n x CVu) = 100 x 400,00 – (16.000,00 + 100 x 80,00) =16.000,003 Solução do exercício 3Venda = 25.000 unidadesFórmula básica: L = MC x UV – CF Descrição Valores Totais ( $ ) Unitário ( $ / u)Venda 625.000,00 25,00Custos Variáveis 375.000,00 15,00Margem de Contribuição 250.000,00 10,00Custos Fixos 150.000,00 -x-Lucro 100.000,00 52
  • 54. I. Ponto de equilíbrio15.000 unidadesII. Margem de Contribuição (valor / índice)Valor = $ 10,00 / unidadeÍndice = $ 10,00 / 25,00 = 0,40 = 40,00 %III. Resultado da operação (lucro / prejuízo)MC x q = 10 x 30.000 = 300.000 - 150.000 = 150.000, ou5.000 x 10 = 50.000 (a mais no lucro já alcançado dele de $ 100.000)IV. Lucro = 120.000 / Receita = ?120.000 = 10 x UV – 150.000 è UV = (120.000 + 150.000) ¸ 10 = 27.000UnidadesReceita = 27.000 x $ 25,00 = 675.000,00LEGENDA:L = LucroMC = Margem de ContribuiçãoUV = Unidades VendidasCF = Custos Fixos 53
  • 55. 4 Solução do exercício 4Empresa ModestaI. Ponto de Equilíbrio (unidades / valor)0 = (20,00 – 15,00) x UV – 8.000,00 è UV = 8000 ¸5 = 1.600 unidadesReceita = 1.600 x 20,00 = $ 32.000,00II. Resultado da operação (lucro / prejuízo) Descrição Valores Totais ( $ ) Unitário ( $ / u)Venda 32.000 20Custos Variáveis 24.000 15Margem de Contribuição 8.000 5Custos Fixos 8.000Lucro 0 05 Solução do exercício 5Respostas deste exercício em milhares Cenário (a) PE 98 (b) Lucro (c) PE 99 (d) (e) %98Quant 50.000 1 25.000 55.000 1 48.334 90.000 1Rec 125.000 2,50 62.500 137.500 2,50 3.17 100CDV 75.000 1,50 37.500 82.500 1,90 1,90 60MC 50.000 1,00 25.000 55.000 0,60 29.000 1.27 40CDF 25.000 25.000 25.000 29.000 29.000LO 25.000 0 30.000 0 25.000IR 10.000 0 12.000 0 10.000 15.000LL 0 18.000 0 15.000 54
  • 56. 6 Solução do exercício 6 Cenário PE Lucro PE NOVOQuant 1 7.273 15.000 1 19.086REC 9.000 6.850CV 5.250 5.250DV 450 342,50MC 3.300 24.000.000 49.500.000 1.257,50 24.000.000CDF 24.000.000 24.000.000 24.000.000 25.500.000LO 0 07 Solução do exercício 7 Cenário PE Lucro PE Quant 1 24.000 REC 20 400.000 300.000 CV 10 200.000 150.000 DV 5 100.000 75.000 MC 5 120.000 100.000 75.000 CDF 120.000 120.000 60.000 (20.000) LO 0 15.000 55
  • 57. 8 Solução do exercício 8 PE Quant 1 12.000 REC 250,00 CDV 200,00 MC 50,00 600.000 CDF 600.000 LO 09 Solução EXERCÍCIO PREÇO 01Comportamento de Custos das Despesas IndiretasDespesas Indiretas Totais (funcionamento normal) = $ 2 x 100.000 pares = $ 200.000Despesas Fixas Indiretas (em qualquer nível de funcionamento) = $ 120.000Despesas Indiretas Variáveis (funcionamento normal) = $ 200.000 - $ 120.000 = $ 80.000Despesas Indiretas Variáveis p/ par de sapato = $ 80.000 ¸ 100.000 pares = $ 0,80p/ par de sapatoFórmula de Comportamento de CustosPreço Unitário de Venda = $ 10Despesas Variáveis = ($ 3 (Materiais) + $ 2 (MOD) + $ 0,80 (DIV)) = $ 5,80Despesas Fixas = $ 120.000Lucro Operando a Capacidade NormalQuantidade = 100.000 pares de sapatosReceita = $ 10 x 100.000 = $ 1.000.000Despesas Variáveis = $ 5,80 x 100.000 = $ 580.000Despesas Fixas = $ 120.000Lucro = 1.000.000 - (580.000 + 120.000) - $ 300.000Lucro Operando a Capacidade de 30% Inferior à Capacidade NormalQuantidade = 100.000 x (1 - 0,30) = 70.000 pares de sapato 56
  • 58. Receita = $ 10 x 70.000 = $ 700.000Despesas Variáveis = $ 5.80 x 70.000 = $ 406.000Despesas Fixas = $ 120.000Lucro = 700.000 - (406.000 + 120.000) = $ 174.000Perda no Lucro por Operar a 70% da Capacidade NormalPerda no Lucro = 300.000 -174.000 = $ 126.000Determinando Preço para a Concorrência de 50.000 pares de BotasPara produzir 50.000 pares de botas, a RLL Ltda. só poderá produzir 50.000 pares desapatos. O lucro de produção para 50.000 pares de sapato será:Quantidade = 50.000 pares de sapatosReceita = $ 10 x 50.000 = $ 500.000Despesas Variáveis = $ 5,80 x 50.000 = $ 290.000Despesas Fixas = $ 120.000Lucro = 500.000 - (290.000 + 120.000) = $ 90.000Lucro Total Objetivado - Objetivo: Recuperar 50% do Lucro PerdidoLucro com a Venda de 70.000 Pares de Sapatos = $ 174.000Perda no Lucro = $ 126.000Lucro Total Objetivado = 174.000 + (0,50 x 126.000) = $ 237.000Lucro Objetivado com a concorrência (é o lucro total objetivado menos o lucrocom a venda de 50.000 pares de sapatos)Lucro Objetivado com a Concorrência = 237.000 - 90.000 = 147.000Estrutura de Custos Relativa à Operação com a ConcorrênciaCustos Variáveis por Unidade na Operação = 1,50 + 2,00 + 0,80 = $ 4,30Custos Fixos na Operação = $ 0,00Preço da Concorrência - O preço mínimo a ser cotado, para atingir o objetivo de lucro, será:Receita na Operação = p x 50.000 pares de botasCustos Variáveis na Operação = $ 4,30 x 50.000 = $ 215.000Custos Fixos na Operação = $ 0,00 57
  • 59. Lucro na Operação = $ 147.000p x 50.000 = 215.000 + 0 + 147.000 à p = $ 7,2410 Solução EXERCÍCIO PREÇO 02 VARIÁVEL ABSORÇÃO Normal Proposta Q 2.000 1 Q 2.000 1 + 1.000 Rec 100.000 50 Rec 100.000 50 30 CMV 80.000 40 CV 56.000 28 28 LB 20.000 10 MC 44.000 22 + 2.000 2 CF 24.000 --- + 2.000 LB 20.000 58
  • 60. 3.6 Projeção do fluxo de caixaExercício 1:1. Jorge vai morar sozinho a partir do ano que vem. Atualmente tem um salário de R$ 5.000,00, ejá pesquisou não só a empresa onde trabalha mas também outras empresas do mercado, eacredita que poderá ganhar R$ 8.000,00 daqui a três anos e R$ 12.000,00 daqui a cinco anos.Para montar o apartamento ele gastou R$ 20.000 em reforma e compra de móveis, que deverãoser pagos em dez parcelas fixas nos próximos meses.Ele também terá que pagar em três vezes a empresa de mudanças, que lhe cobrou R$ 1.500,00.Além dessas dívidas, Jorge paga por mês a prestação de um carro de R$ 800,00, e ainda deve dozemeses de prestações.Suas despesas mensais são as seguintes:Aluguel, condomínio e IPTU 1.200,00Luz, gás, telefone e net 800,00Faxineira 400,00Supermercado 500,00Gasolina e manutenção do carro 600,00Roupas, e outras despesas pessoais 400,00Lazer 400,00Outras despesas 500,00Faça uma tabela das receitas e despesas mensais de Jorge para o ano 1, 2 e 3.O sonho de Jorge é comprar um apartamento, numa faixa de R$ 300.000,00. Se suas despesaspessoais não se modificarem, e se ele continuar com o mesmo carro, em quanto tempo elepoderá juntar esse valor? 59
  • 61. Ano 1Mês 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 10SalárioDívida damontagemdoapartamentoDívida damudançaDívida docarroOutrasdespesasResultado Ano 2Mês 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 10SalárioDívida damontagemdoapartamentoDívida damudançaDívida docarroOutrasdespesasResultado Ano 3Mês 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 10SalárioDívida damontagemdoapartamentoDívida damudançaDívida docarroOutrasdespesasResultado 60
  • 62. Exercício 2:Ana e Clara montaram uma academia de música, onde elas mesmas darão aulas de música. Oinvestimento inicial da academia foi calculado da seguinte forma: Abertura e legalização da empresa R$ 2.000,00 Reforma do espaço R$ 12.000,00 Compra de móveis R$ 5.000,00 Equipamentos R$ 8.000,00 Material de divulgação R$ 5.000,00 Letreiro e decoração R$ 2.000,00As despesas fixas mensais, como água, telefone, luz, aluguel e condomínio somam R$ 2.200,00por mês. Além disso, elas contrataram uma secretária para fazer o atendimento ao público e asinscrições. O salário dela, mais os encargos sociais, totalizam R$ 1.500,00 por mês.A carga tributária da academia incide sobre a Receita bruta, e totaliza 16,33%.Cada aluno pagará uma mensalidade média de R$ 120,00. Elas esperam começar com cincoalunos nos primeiros três meses, no quarto mês conseguir 10 alunos, no sexto mês 20 alunos e nodécimo mês 40 alunos.No início do segundo ano esperam ter uma média mensal de 100 alunos, e a mensalidade deverásubir para R$ 140,00.As sócias estimam que as despesas mensais fixas também deverão subir para R$ 2.700,00 pormês. O salário da secretária vai se manter igual.No mês 12 do primeiro ano, pretendem fazer uma campanha de propaganda no bairro, ondeplanejam gastar R$ 1.500,00. Também vão pintar algumas salas, e assim gastarão mais R$1.200,00.Também no mês 1 do segundo ano precisarão comprar instrumentos no valor total de R$4.000,00.Faça a projeção do fluxo de caixa para os dois primeiros anos do negócio.Você acha que as sócias podem fazer retiradas de lucro? Faça uma tabela para sugerir quanto elasdevem retirar de lucro por mês. 61
  • 63. 3.7. EXERCÍCIOS DE CONCEITOS DE FINANÇAS Índice1. CONCEITOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA ..................................................................... 632. EXERCÍCIOS JUROS COMPOSTOS .................................................................................... 653. MEDINDO A RENTABILIDADE DO NEGÓCIO - VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL) ................ 664. MEDINDO A RENTABILIDADE DO NEGÓCIO: TAXA INTERNA DE RETORNO – TIR ............... 685. MEDINDO O RISCO DO NEGÓCIO: O PERÍODO DE PAYBACK............................................. 696. EXERCÍCIOS VPL, TIR E PAYBACK ..................................................................................... 717. ENTENDENDO O FLUXO DE CAIXA LIVRE ......................................................................... 73 62
  • 64. 1. Conceitos de Matemática FinanceiraJUROS:São a remuneração do capital no tempo.SAÍDAS DE CAIXA:Correspondem aos pagamentos ou saídas de recursos; desembolsos de dinheiro.ENTRADAS DE CAIXA:Correspondem aos recebimentos ou entradas de recursos; os encaixes de dinheiro.TAXA DE JUROS:Representa o valor do dinheiro no tempo do fluxo de caixa.JUROS SIMPLES:Valor dos juros calculado apenas sobre o valor investido, desconsiderando o acúmulo de jurossobre o capital não amortizado. Calculado pela fórmula:FV = PV (1+i * n)Onde: FV é o Valor Futuro PV é o Valor Presente i é a taxa de juros por período n é o número de períodos 63
  • 65. JUROS COMPOSTOS:Valor dos juros considerando o capital que já foi amortizado e o acúmulo de juros sobre o capitalnão amortizado. Calculado pela fórmula:FV = PV (1+i) nOnde: FV é o Valor Futuro PV é o Valor Presente i é a taxa de juros por período n é o número de períodos 64
  • 66. 2. Exercícios Juros Compostos1) Tenho um título que me dá direito a receber R$ 10.000,00 no fim de três anos. A taxa de jurospara esse tipo de título no mercado é 10% ao ano. Quanto vale esse título hoje?2) Tenho que receber R$ 5.000 no fim de dois anos. Quanto tenho hoje? Considere uma taxa dejuros de 5% ao ano.3) Se emprestar R$ 1000 para alguém, e a pessoa me devolver no fim de dois anos, quantodeveria me devolver? Considere uma taxa de juros de 5% ao ano.4) Um carro custa R$ 10.000 e pode ser pago ao fim de 90 dias (três meses). Qual é o preço docarro para pagamento à vista, se a taxa de juros praticada no mercado é 3% ao mês?5) Se emprestar R$ 1.000 para um amigo, e ele me devolver no fim de dois anos, quanto ele deveme devolver? Considere uma taxa de juros de 5% ao ano.6) Quanto é a soma total dos seguintes valores no dia de hoje? Considere uma taxa de juros de12% ao ano.Ano 1: 1000Ano 2: 3000Ano 3: 5000 65
  • 67. 3. Medindo a rentabilidade do negócio - VALORPRESENTE LÍQUIDO (VPL)O Valor Presente Líquido (VPL) ou Net Present Value (NPV) é um dos instrumentos mais utilizadospara avaliar propostas de investimento de capital. Reflete a riqueza em valores monetários doinvestimento e é medida pela diferença entre o valor presente das entradas de caixa e o valorpresente das saídas de caixa, a uma determinada taxa de desconto. VPL = SOMA [FCj / (1+i)j ], j = {0,n}Onde:FCj é o fluxo de caixa esperado no ano j,i é a taxa de desconto. EXEMPLO DE CÁLCULO DO VPL COM EXCELTaxa de juros: 17% ao ano FLUXO DE ANO INVESTIMENTO RECEITAS DESPESAS CAIXA LÍQUIDO 0 -30.000,00 -30.000,00 1 32.000,00 -18.000,00 14.000,00 2 34.000,00 -19.000,00 15.000,00 3 38.000,00 -21.000,00 17.000,00 4 42.000,00 -23.000,00 19.000,00 5 45.000,00 -25.000,00 20.000,00Assim, temos um negócio no qual os sócios investiram, no primeiro ano, o valor de R$ 30.000,00.Ao longo dos anos, as receitas e despesas foram aumentando gradativamente, gerando os fluxosde caixa líquidos da última coluna. Nota-se que a taxa de juros no período foi de, em média, 17%. 66
  • 68. VPL 22.799,39 TAXA DE DESCONTO 17%A fórmula do Excel requer que sejam fornecidos: a taxa de desconto anual, os investimentosrealizados e os valores a cada ano representativos do fluxo de caixa líquido.Quando o VPL é maior ou igual a zero no período analisado, significa que depois de devolver aosinvestidores o capital investido, atualizado à taxa considerada, restou em caixa o montante doVPL. Podemos dizer que o VPL é o valor criado pelas atividades do negócio. 67
  • 69. 4. Medindo a rentabilidade do negócio: TAXAINTERNA DE RETORNO – TIRTambém chamada Internal Rate of Return (IRR), representa a taxa de desconto que iguala, emum único momento, os fluxos de entrada com os de saída de caixa - na verdade, produz um VPLigual a zero.Um investimento é atraente quando a TIR é maior ou igual à taxa de juros vigente no mercadopara uma aplicação com o mesmo nível de risco. CÁLCULO DA TIR NO EXEMPLO ACIMA:TIR = 44,58%Para obter a TIR no Excel, basta fornecer os valores dos investimentos feitos e dos fluxoslíquidos de caixa ao longo do período e o valor da TIR é então calculado pela planilha. 68
  • 70. 5. Medindo o risco do negócio: o PERÍODO DEPAYBACKÉ o período de recuperação de um investimento. Ou seja, o prazo de tempo até que oinvestimento inicial seja recuperado por meio dos fluxos de caixa líquidos positivos gerados pelonegócio.Corresponde, assim, ao período de tempo em que os valores dos investimentos realizados edespesas (fluxos negativos) se igualam às entradas de caixa (fluxos positivos). EXEMPLO DE CÁLCULO DO PERÍODO DE PAYBACK: ANO INVESTIMENTO LUCRO SALDO A RECUPERAR 0 -30.000,00 -30.000,00 1 14.000,00 -16.000,00 2 15.000,00 -1.000,00 3 17.000,00 16.000,00 4 19.000,00 35.000,00 5 20.000,00 55.000,00No início do terceiro ano o investimento será recuperado.Você percebe que o período de payback vai se encerrar no primeiro mês do terceiro ano. Parasaber o momento aproximado dentro do terceiro ano fazemos o seguinte cálculo:Lucro no terceiro ano: 17.000Lucro médio mensal = 17.000 / 12 = 1.416,67Como precisamos amortizar ainda 1.000 e vamos amortizar 1.416,67 por mês, vamos conseguirfazê-lo no final do primeiro mês.PAYBACK DESCONTADO:Leva em consideração o tempo, isto é, desconta os valores a uma taxa de juros e verifica assim oprazo de recuperação utilizando valores trazidos ao momento presente. 69
  • 71. EXEMPLO DE CÁLCULO DO PERÍODO DE PAYBACK DESCONTADO FLUXO DE VALORES SALDO AANO INVESTIMENTO CAIXA LIVRE DESCONTADOS RECUPERAR 0 -30.000,00 -30.000,00 -30.000,00 1 14.000,00 11.965,81 -18.034,19 2 15.000,00 10.957,70 -7.076,48 3 17.000,00 10.614,30 3.537,81 4 19.000,00 10.139,35 13.677,17 5 20.000,00 9.122,22 22.799,39Neste caso a recuperação do investimento aconteceu no ano 3.As entradas médias de caixa no terceiro ano são:10.614,30 / 12 = 884,53Como falta amortizar 7.076,48, podemos estimar os meses:7.076,48 / 884,53 = 8Portanto, podemos dizer que o período de PAYBACK DESCONTADO será de 2 anos e 8 meses.Nota:No exemplo acima estamos considerando que as entradas de caixa serão regulares ao longo dosmeses. Se as entradas de caixa acontecessem de forma irregular, ou se houvesse algum tipo desazonalidade, o ideal seria falarmos que o período de payback é de um ano e o de paybackdescontado é de três anos, uma vez que não sabemos quando ele realmente acontecerá ao longodo ano. 70
  • 72. 6. Exercícios VPL, Tir e Payback1) A empresa Empreendimentos Tecnológicos Ltda. está preparando um plano de negócios paraabrir uma empresa. Após definir seu planejamento estratégico, os sócios projetaram vendas paraos próximos cinco anos conforme mostra o quadro abaixo. Projeção de vendas para os primeiros cinco anos de atividades: Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 250.000 300.000 450.000 500.000 700.000Os sócios precisam de um investimento inicial no ano zero de R$ 150.000, que incluirá compras deequipamentos, instalações, gastos com abertura da empresa, entre outras coisas.Dentro deste cenário, o total de despesas por ano seria o seguinte: Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 130.000 150.000 150.000 180.000 180.000É importante destacar que os sócios e os investidores da empresa poderiam obter um retorno nomercado financeiro de 20% ao ano para um investimento com risco semelhante.Após ter calculado os fluxos de caixa líquidos para cada ano, calcule: a) O período de payback do investimento inicial. b) O período de payback descontado. c) O valor presente líquido. d) A taxa interna de retorno. 71
  • 73. 2) No fluxo de caixa abaixo:Ano 0 1 2 3 4 5 6 7Valor -50000 10.000 10.000 10.000 10.000 10.000 10.000 10.000Qual o período de Payback?Qual o período de Payback descontado?Qual o VPL?Qual a TIR? 72
  • 74. 7. Entendendo o Fluxo de Caixa LivreMesmo que a empresa apresente lucros em sua Demonstração do Resultado do Exercício, podeter problemas de caixa. Isso é resultado das diferenças de tempo entre as entradas e saídasefetivas de dinheiro e dos reinvestimentos.O Fluxo de Caixa Livre mede o caixa gerado pelo negócio. Esta quantidade de caixa pode serafetada por alguns fatores que veremos a seguir.1 – Lucro líquido. O lucro líquido representa um aumento de caixa. No entanto, outros fatorespodem afetar essa entrada de caixa.2 – Ajustes no lucro líquido que não representam caixa: inclusão das despesas nãodesembolsáveis e exclusão das receitas não embolsáveis.3 – Investimentos em capital de giro: o aumento no nível de estoques ou o aumento dos créditosaos clientes, por exemplo, representam saídas de caixa, investimentos na empresa. A redução novalor dessas contas representa uma entrada de caixa.4 - Investimento em ativos fixos. O investimento em ativos fixos reduz o caixa. A venda de ativosfixos aumenta o caixa. 73
  • 75. 4. Roteiro de perguntas para os trabalhos 74
  • 76. 4.1. Roteiro para G1: palestra com empreendedorCENTRO UNIVERSITÁRIO: CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAISDEPARTAMENTO:ARTES 2010.2EMP 1200 1AA E 1AB EMPREENDEDORISMOPROFESSOR: Silvina Ana Ramal Questionário sobre a palestra de G1. 1. Com base na aula sobre postura profissional, cite alguma atitude e/ou postura do empreendedor que foi citada tanto na palestra como na aula de Empreendedorismo e que influenciou no sucesso profissional do palestrante. 2. Cite três aprendizados que você obteve na palestra que você acredita que serão importantes para sua vida profissional. 3. Você acredita que as novas tecnologias de informação e comunicação, e o advento da internet, influenciaram na trajetória empreendedora do palestrante? Explique. 75
  • 77. 4.2. Roteiro para caça ao negócio 1. Qual é meu negócio? 2. Onde quero chegar? 3. O que vendo? 4. Para quem vendo? 5. Como conquistarei mercado? 6. Quais são os fatores críticos de sucesso de meu negócio? 7. Qual o meu investimento inicial? 8. Qual minha receita e minhas despesas anuais? 9. Que retorno terei sobre meu investimento? 76
  • 78. 5. SLIDES DAS AULAS 77
  • 79. 5.1. AULA 2: POSTURA PROFISSIONAL E O PERFIL DO EMPREENDEDORCOMENTARIOSCOMENTARIOS 78
  • 80. COMENTARIOSCOMENTARIOS 79
  • 81. COMENTARIOSCOMENTARIOS 80
  • 82. COMENTARIOS {{{{{COMENTARIOS 81
  • 83. COMENTARIOSCOMENTARIOS 82
  • 84. COMENTARIOSCOMENTARIOS 83
  • 85. 5.2. AULA 3: PLANO DE NEGÓCIOSCOMENTARIOSCOMENTARIOS 84
  • 86. COMENTARIOSCOMENTARIOS 85
  • 87. COMENTARIOSCOMENTARIOS 86
  • 88. COMENTARIOSCOMENTARIOS 87
  • 89. COMENTARIOSCOMENTARIOS 88
  • 90. 5.3. AULA 4: CAÇA AO NEGÓCIOCOMENTARIOSCOMENTARIOS 89
  • 91. 5.4. AULA 5 : ELEMENTOS DE MARKETING / ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNOCOMENTARIOSCOMENTARIOS 90
  • 92. COMENTARIOSCOMENTARIOS 91
  • 93. COMENTARIOSCOMENTARIOS 92
  • 94. COMENTARIOSCOMENTARIOS 93
  • 95. COMENTARIOSCOMENTARIOS 94
  • 96. COMENTARIOSCOMENTARIOS 95
  • 97. COMENTARIOSCOMENTARIOS 96
  • 98. COMENTARIOSCOMENTARIOS 97
  • 99. COMENTARIOSCOMENTARIOS 98
  • 100. COMENTARIOSCOMENTARIOS 99
  • 101. COMENTARIOSCOMENTARIOS 100
  • 102. COMENTARIOSCOMENTARIOS 101
  • 103. COMENTARIOSCOMENTARIOS 102
  • 104. COMENTARIOS 103
  • 105. 5.5. AULA 7 & 8 : PLANO DE MARKETING / PRODUTO, PREÇO, PROMOÇÃO & DISTRIBUIÇÃOCOMENTARIOSCOMENTARIOS 104
  • 106. COMENTARIOSCOMENTARIOS 105
  • 107. COMENTARIOSCOMENTARIOS 106
  • 108. COMENTARIOSCOMENTARIOS 107
  • 109. COMENTARIOSCOMENTARIOS 108
  • 110. COMENTARIOSCOMENTARIOS 109
  • 111. COMENTARIOS 110
  • 112. 5.6. AULA 10 : AMBIENTE LEGAL DA EMPRESACOMENTARIOSCOMENTARIOS 111
  • 113. COMENTARIOSCOMENTARIOS 112
  • 114. COMENTARIOSCOMENTARIOS 113
  • 115. COMENTARIOSCOMENTARIOS 114
  • 116. COMENTARIOSCOMENTARIOS 115
  • 117. COMENTARIOSCOMENTARIOS 116
  • 118. COMENTARIOSCOMENTARIOS 117
  • 119. COMENTARIOSCOMENTARIOS 118
  • 120. COMENTARIOSCOMENTARIOS 119
  • 121. COMENTARIOSCOMENTARIOS 120
  • 122. COMENTARIOSCOMENTARIOS 121
  • 123. COMENTARIOSCOMENTARIOS 122
  • 124. COMENTARIOSCOMENTARIOS 123
  • 125. COMENTARIOSCOMENTARIOS 124
  • 126. COMENTARIOSCOMENTARIOS 125
  • 127. COMENTARIOS {COMENTARIOS 126
  • 128. COMENTARIOSCOMENTARIOS 127
  • 129. COMENTARIOSCOMENTARIOS 128
  • 130. COMENTARIOSCOMENTARIOS 129
  • 131. +COMENTARIOSCOMENTARIOS 130
  • 132. COMENTARIOSCOMENTARIOS 131
  • 133. COMENTARIOSCOMENTARIOS 132
  • 134. COMENTARIOSCOMENTARIOS 133
  • 135. COMENTARIOSCOMENTARIOS 134
  • 136. COMENTARIOSCOMENTARIOS 135
  • 137. COMENTARIOSCOMENTARIOS 136
  • 138. COMENTARIOSCOMENTARIOS 137
  • 139. COMENTARIOSCOMENTARIOS 138
  • 140. 5.7. AULA 11 : GESTÃO DE PESSOASCOMENTARIOSCOMENTARIOS 139
  • 141. COMENTARIOSCOMENTARIOS 140
  • 142. COMENTARIOSCOMENTARIOS 141
  • 143. COMENTARIOSCOMENTARIOS 142
  • 144. COMENTARIOSCOMENTARIOS 143
  • 145. COMENTARIOSCOMENTARIOS 144
  • 146. COMENTARIOS http://www.youtube.com/watch?v=u6XAPnuFjJcCOMENTARIOS 145

×