Webmarketing Uniritter 032010

735 views

Published on

Material da disciplina de Marketing Digital do Centro Universitário Ritter dos Reis do MBA em Marketing - Turma 2009/2 Professor Alexandre Silveira

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
735
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Pontos: Integração das Plataformas Aplicativos Shot Codes = Mobile ou Digital Out Of Home.
  • Webmarketing Uniritter 032010

    1. 1. Web Marketing Mobile Marketing Prof. Alexandre Silveira MBA em Marketing 09/03/2010
    2. 2. Prof. Alexandre Silveira 09/03/2010 Agenda 1º Encontro: Web Marketing Introdução Fundamentos Web 2.0 Tarefa - Estudo de caso 2º Encontro: Continuação WEB 2.0 SEO Referências Reflexões dos alunos sobre o estudo de caso 3º Encontro: 4º Encontro: Continuação cases e ações MM Referências Reflexões dos alunos sobre o estudo de caso Avaliação – Trabalhos em Grupos e apresentação de Cases de Mercado Mobile Marketing Introdução Fundamentos M2C x M2B Tarefa - Estudo de caso
    3. 3. LEMBRAM???? Bebê Celular
    4. 4. Quem ganhará a briga? Bebê Celular
    5. 5. Bebê Celular Mais lembranças...
    6. 6. Ontem
    7. 7. E hoje?
    8. 8. Bebê Celular E o inicio? Usuários que produzem, publicam, interagem, dividem, trocam, compartilham, socializam : conteúdos, mídias, produtos, fotos, videos, comentários… Em 2007 foram milhões de transações diárias e hoje são bilhões!
    9. 9. Quais são os fundamentos da Internet <ul><li>Para que possamos entender um pouco mais sobre o web marketing será necessário compreender primeiro o que é a Internet quais as suas regras e seus fundamentos. </li></ul>
    10. 10. <ul><li>A Internet é um meio livre e democrático em que não possui um dono e vem da união de duas palavras internacional network que significa rede internacional. </li></ul><ul><li>Muitos acreditam que a Internet está apenas nas páginas que acessamos a através da World Wide Web ou simplesmente www, que é uma interface para acessarmos os serviços oferecidos, porem a Internet vai muito além disso. </li></ul><ul><li>É verdade que foi a Web quem alavancou a Internet pois até então servia apenas para troca de informações entre cientistas em todo o mundo. </li></ul>Fundamentos da Internet
    11. 11. <ul><li>A Internet funciona como? </li></ul><ul><li>Unimos um servidor . Este servidor permite que você acesse serviços e informações que estão localizados em outros computadores denominados de hospedeiros ou host em inglês. </li></ul><ul><li>Muitas empresas ou pessoas precisam de provedores de acesso ou de banda larga que permitem o acesso a Internet através do cabo ou telefone, para isso é necessário um modem instalado em seu computador para que ele transforme os sinais na rede . </li></ul>Fundamentos da Internet
    12. 12. <ul><li>Para que todas estas informações circulem na rede e em qualquer parte do mundo possam ser compreendidas existem os chamados protocolos . </li></ul><ul><li>Na Internet as informações são todas separadas em pequenos pacotes que seguem diversos caminhos e chegam no destino e são remontadas através destes protocolos. O TCP ( transmission control protocol ) é quem separa em pacotinhos e remonta no local de chegada e IP ( Internet protocol ) é que garante que os pacotinhos de informações sejam enviados ao destino certo. </li></ul>Fundamentos da Internet
    13. 13. <ul><li>Para que você visualize em seu computador estes sinais é necessário um software chamado de Browser , os mais conhecidos são o Mozila – Fire Fox, Internet Explorer e o Chrome. </li></ul><ul><li>Estes sinais estão organizados em textos e imagens que são apresentadas na linguagem html (hypertext markup languagem) e constituem as páginas na Internet ou Web site (conjunto de páginas). </li></ul>Fundamentos da Internet
    14. 14. <ul><li>Cada página tem um número ou (Internet Protocol Number) porem isso seria muito difícil para os usuários memorizarem, criaram então o DNS (domain name system) que é um grande armazém de nomes de endereços na Internet que traduz o nome para o número. </li></ul><ul><li>Estes nomes de endereços são chamados de domínios e devem ser registrados e facilitam para identificar o tipo de negócio. Os domínios também são acompanhados por um identificador do país. Por exemplo no domínio www.tam.com.br está identificado o nome da empresa TAM o tipo comercial .com e o país de origem .br . </li></ul><ul><li>Obtem-se mais informações sobre registro e outras formas de domínio através do comitê gestor da Internet < www.cg.org.br > </li></ul>Fundamentos da Internet
    15. 15. Como faço registro de domínio? <ul><li>No Brasil A FAPESP é responsável pelo registro do seu domínio no site http://registro.br . Você poderá registrar gratuitamente e terá apenas uma taxa de manutenção anual de R$30,00. </li></ul><ul><li>O ideal é escolher um nome que facilite seu usuário ou cliente para encontra-lo na rede. A grande maioria das empresas opta pelo seguinte modelo: </li></ul><ul><li>www.nomedaempresa.com.br </li></ul><ul><li>www.nomedoproduto.com.br </li></ul><ul><li>www.marca.com.br </li></ul>
    16. 16. Registro de domínio <ul><li>No modelo citado você deverá verificar se o nome da sua empresa não foi registrado anteriormente por outra organização. Mais de 90% das empresas optam pela categoria .com que identifica um estabelecimento comercial. </li></ul><ul><li>As outras categorias mais utilizadas são: </li></ul><ul><li>.org (entidades não governamentais sem fins lucrativos), .edu (instituições de ensino) e .gov (entidades governamentais). </li></ul><ul><li>Feito o registro do domínio você terá duas semanas para informar o provedor de hospedagem, ou seja o endereço do provedor em que seu site ficará. </li></ul>
    17. 17. Hospedagem <ul><li>Muitos provedores de acesso a Internet também hospedam seu site. Este hospedeiro deverá fornecer um número de DNS (Domain Name System) que será informado a FAPESP e estará vinculado ao seu domínio. O DNS permite que sua página possa ser acessada de qualquer parte do mundo. A hospedagem é uma alternativa barata pois todos os equipamentos necessários e custos inerentes são divididos com outros sites . </li></ul>
    18. 18. <ul><li>Ao escolher um site de hospedagem leve em consideração as seguintes questões: </li></ul><ul><li>Capacidade de transmissão de dados, ou largura de banda, um site muito lento afugenta potenciais usuários e clientes. </li></ul><ul><li>Estabilidade e suporte técnico. </li></ul><ul><li>Experiência em hospedagem. </li></ul><ul><li>Capacidade de expansão para novas tecnologias, por exemplo celular. </li></ul><ul><li>Quantidade de e-mails que disponibilizará com o seu domínio exemplo@suaempresa.com.br </li></ul><ul><li>Espaço de armazenamento do seu site </li></ul><ul><li>Serviço de webmail que permite você acessar seus e-mails de qualquer computador com acesso a Internet. </li></ul><ul><li>Disponibilização de Painel de controle e acesso a estatísticas do site. </li></ul>Hospedagem
    19. 19. <ul><li>Algumas empresas que hospedam sites no Brasil: </li></ul><ul><li>http://www.locaweb.com.br </li></ul><ul><li>http://www.uolhost.com.br </li></ul><ul><li>http://www.hdfree.com.br </li></ul>Hospedagem
    20. 20. Mandamentos <ul><li>Internet é uma nova mídia e portanto deve ser vista com olhos do futuro e não com olhos do presente, ou seja, tenho que pensar como será no futuro sem me influenciar com os modelos que conheço hoje. </li></ul>
    21. 21. <ul><li>O internauta não é passivo , ele deseja interagir constantemente e sempre busca a iniciativa. </li></ul><ul><li>Todo internauta é mimado e ansioso , sempre quer ter tudo a mão com facilidade e comodidade e no menor tempo possível. </li></ul>Mandamentos
    22. 22. <ul><li>Na Internet o velho lema “o freguês sempre tem razão” deve ser adotado como verdade absoluta. O Internauta está acostumado com o atendimento personalizado fruto da administração da tecnologia da informação que permite trabalhar dados e descobrir hábitos de consumo. Desta forma ele espera que tudo seja feita para ele quase que sob medida. </li></ul><ul><li>Seu site não é seu é do seu cliente . Isto significa que você deverá desenvolve-lo para atender uma expectativa dele e não as suas. </li></ul>Mandamentos
    23. 23. Vantagens de estar na web <ul><li>Estar na Internet significa para uma empresa ou negócio: </li></ul><ul><li>atingir um público alvo que tem poder aquisitivo esta propenso a interagir com uma empresa, marca ou produto; </li></ul><ul><li>Poder selecionar seu cliente ou usuário com maior precisão; </li></ul><ul><li>Capacidade de interagir com maior facilidade com seu cliente; </li></ul><ul><li>Baixo custo e rapidez na relação com o cliente; </li></ul><ul><li>Redução dos canais de distribuição tradicionais reduzindo custos e aumentando a rapidez de acesso; </li></ul><ul><li>Alteração de propostas a clientes, preços ou especificação de produtos com maior facilidade e rapidez; </li></ul><ul><li>Facilidade para administrar o relacionamento com o consumidor; </li></ul><ul><li>Acompanhamento da concorrência em tempo real; </li></ul><ul><li>Compartilhamento de informações com clientes, fornecedores e funcionários em tempo menor que meios tradicionais. </li></ul>
    24. 24. <ul><li>Serviços on-line – que garantam maior praticidade ao usuário na sua utilização sem sair de casa (compras de ingressos, reserva de passagens, listas de telefones, Entretenimento, etc..) </li></ul><ul><li>Produtos de luxo – que são exclusivos e tem alto preço e valor. </li></ul><ul><li>Varejos – principalmente se tiver a presença física através de loja e boa logística de entrega. Muitos são utilizados apenas para consulta de preço. </li></ul><ul><li>Buscadores e Agregadores – Principalmente ligados a conteúdos e produtos ao qual disponibilizam pesquisas, visualização, comparação, relação e compra. </li></ul>Tipos de negócios que estão dando certo
    25. 25. Internet e alguns dados que devemos saber
    26. 26. Segmento que não para de crescer!
    27. 27. <ul><li>Brasil já possui 66,3 </li></ul><ul><li>milhões de internautas. </li></ul><ul><li>(Ibope) </li></ul>
    28. 28. Brasileiro é o que passa mais tempo online no mundo (Ibope)
    29. 29. Entre os dez países onde é realizado o levantamento, o Bra sil continua com o maior tempo por usuário, tanto na navegação em páginas quanto no tempo total, incluindo programas online - como de mensagens instantâneas, tocadores de música, programas de download e voz com: 69 horas e 55 minutos. Em segundo lugar aparece o Japão, seguido de Estados Unidos, França e Reino Unido.
    30. 30. <ul><li>É o 3º país com maior número </li></ul><ul><li>de usuários de redes sociais. </li></ul><ul><li>(Nielsen) </li></ul>Nielsen
    31. 31. É o 2º país com maior número de usuários de Twitter. (ComScore)
    32. 32. 38% das classes AB e 30% da classe C levam em consideração informações da internet para escolher produtos, marcas e lojas. (Datafolha)
    33. 33. Comércio Eletrônico na classe C <ul><li>Relatório Webshoppers, divulgado 2009 pela consultoria E-bit em parceria com a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara-e.net): </li></ul><ul><li>39% (3,8 milhões de pessoas) dos brasileiros que compram produtos pela internet têm renda familiar de até R$ 1 mil por mês ( classe C2 , pelo Critério Brasil) ou entre R$ 1 mil e R$ 3 mil ( C1 ). </li></ul>
    34. 34. <ul><li>Os telefones celulares , por exemplo, lideram a lista dos produtos mais comprados pelos de menor poder aquisitivo e superam inclusive o número de pedidos das classes mais altas. </li></ul>Comércio Eletrônico na classe C
    35. 35. <ul><li>E-Commerce faturou R$ 10,5 bi </li></ul><ul><li>em 2009, crescimento de 28%. </li></ul><ul><li>(E-Bit) </li></ul>
    36. 36. 87% dos consumidores estão satisfeitos com as lojas virtuais. (E-Bit)
    37. 37. <ul><li>Publicidade online cresceu 21% em 2009, contra 0,67% da publicidade em geral. </li></ul><ul><li>(Inter-Meios) </li></ul>
    38. 38. <ul><li>Maior interatividade com </li></ul><ul><li>consumidores e clientes. </li></ul>
    39. 39. <ul><li>Inúmeras ferramentas para </li></ul><ul><li>mensuração dos resultados. </li></ul>
    40. 40. <ul><li>Baixo custo em relação à </li></ul><ul><li>publicidade tradicional e... </li></ul>
    41. 41. A Internet já esta entre os maiores consolidadores de audiência do país
    42. 42. Divisão da verba de Marketing (%)
    43. 43. <ul><li>Embora ainda pequeno se comparado ao valor destinado a mídias tradicionais, o investimento dos anunciantes em internet tem crescido bastante. </li></ul><ul><li>No ano passado o crescimento foi de 21%. Para este ano projeta-se algo entre 30% e 40% . </li></ul>Investimentos publicitários na web
    44. 44. O Mundo é realmente pequeno?
    45. 45. O que pode ser dito? - Na Era Digital o consumidor está assumindo o comando . - Hoje ele encontra na Internet ambiente e ferramentas que lhe permitem expressar, rápida e consistentemente, sua satisfação ou insatisfação com as marcas . - É o poder do consumidor na era digital.
    46. 46. <ul><li>... Inclusive, a revista TIME, já elegeu como personalidade do ano... </li></ul>
    47. 49. O que é WEB 2.0? O termo Web 2.0 é utilizado para descrever a segunda geração da World Wide Web - tendência que reforça o conceito de troca de informações e colaboração dos internautas com sites e serviços virtuais. A idéia é que o ambiente on-line se torne mais dinâmico e que os usuários colaborem para a organização de conteúdo.
    48. 50. <ul><li>A definição mais comum de Web 2.0, foi elaborada por O'Reilly em 2004. De acordo com O’Reilly, o termo se refere a </li></ul><ul><li>«segunda geração de serviços baseados na web – como sites de redes sociais, wikis, ferramentas de comunicação e folksonomias. Enfatizam a colaboração online e o compartilhamento entre usuários . » </li></ul>« Web 1.0 foi comércio. Web 2.0 é pessoas » Ross Mayfield, CEO, Socialtext O que é WEB 2.0?
    49. 51. <ul><li>Em sua origem deveriam distinguir sites com baixo custo de desenvolvimento, em que o conteúdo surge de baixo para cima ( BOTTOM-UP ) a partir do relacionamento entre participantes e que pode combinar as soluções e os conteúdos de mais de um site para produzir uma experiência integrada – o que no jargão se convencionou chamar de MASH-UP </li></ul>O que é WEB 2.0?
    50. 52. Ferramentas de Colaboração
    51. 53. Sabedoria das Multidões Inteligência Coletiva Trabalho em Equipe “ A Magia dos mundos virtuais está cada dia mais ao alcance do grande público: o número de usuários das redes mundiais de comunicação informatizada aumenta 10% ao mês. As &quot;auto-estradas da informação&quot; e a multimídia interativa anunciam uma mutação nos modos de comunicação e de acesso ao saber. Emerge um novo meio de comunicação, de pensamento e de trabalho para as sociedades humanas: o ciberespaço. “ “ Em seu livro, Surowiecki evoca experimentos feitos por cientistas sociais desde os anos 30 para comprovar a tese de que grandes grupos agindo coletivamente podem ser mais sábios do que especialistas atuando de forma isolada. “
    52. 54. Teorias <ul><li>Sob certas circunstâncias, grupos são mais inteligentes do que os indivíduos mais inteligentes </li></ul><ul><li>Quando nossos julgamentos imperfeitos são agregados do modo certo, nossa inteligência coletiva é freqüentemente excelente </li></ul><ul><li>Os erros acontecem em todas as direções e um neutraliza o outro </li></ul><ul><li>Isto não significa evitar especialistas ou especialidades, mas especialistas podem aprender com leigos </li></ul><ul><li>As melhores decisões são uma combinação de ambos os tipos </li></ul><ul><ul><li>especialistas individualmente + coletivo </li></ul></ul>
    53. 55. Economia da colaboração <ul><li>É baseada na troca de presentes. A transação por presentes ou favores envolve uma subtendida retribuição. Quem oferece por outro lado não deve exigir reciprocidade. </li></ul><ul><li>Informação e ajuda podem ser considerados presentes? </li></ul>
    54. 57. Web 1.0
    55. 58. Web 2.0
    56. 59. Web 1.0 vs. Web 2.0 <ul><li>Web 1.0 </li></ul><ul><li>foi sobre empresas </li></ul><ul><li>publicação </li></ul><ul><li>portais </li></ul><ul><li>Britannica </li></ul><ul><li>websites pessoais </li></ul><ul><li>software proprietário </li></ul><ul><li>taxonomia </li></ul><ul><li>Web 2.0 </li></ul><ul><li>é sobre comunidades </li></ul><ul><li>participação </li></ul><ul><li>RSS </li></ul><ul><li>Wikipedia </li></ul><ul><li>Blogging </li></ul><ul><li>software livre (open source) </li></ul><ul><li>tags (folksonomia) </li></ul>
    57. 60. São palavras-chave atribuídas a objetos (fotos, links, documentos,...), ou etiquetagem para facilitar a busca posterior.
    58. 61. YouTube tags
    59. 62. Sistema de etiquetas eletrônicas que permite aos participantes de uma comunidade categorizarem o conteúdo compartilhado. folks + taxonomy = folksonomy povo + taxonomia = folksonomia “ classificação do povo”
    60. 63. Nuvem de tags
    61. 64. Exemplos de Web 2.0 Skype
    62. 65. Exemplos de Web 2.0 Orkut – agenda de endereços coletivos em que cada participante preenche um formulário criando um perfil e a partir daí passa a procurar conhecidos cadastrados no sistema. Serve para ampliar e fortalecer a rede de relacionamentos Wandering Books – Imagine um orkut em que você lista os livros de sua biblioteca particular e todos os seus conhecidos, que fazem parte desta teia de relacionamento, podem trocar ou emprestar livros. Como são conhecidos seus a logística fica facilitada e a vantagem é que o empréstimo fica registrado evitando esquecimentos.
    63. 66. Alguns Serviços da Web 2.0 <ul><li>O que é ? </li></ul><ul><ul><li>Uma empresa de tecnologia, com inovação em seu DNA, avaliada em muitos bilhões de dólares </li></ul></ul><ul><ul><li>Semanalmente pega o seu carrinho, vai ao “ supermercado ” e compra alguma empresa de 3 ou 4 bilhões de dólares (Blogger, Akwan, Urchin, Picassa, Writely, Youtube e muitas outras. Para mais detalhes, leia o artigo http://www.pplware.com/?p=5718 </li></ul></ul><ul><ul><li>Fundada por dois alunos de doutorado da Universidade de Stanford </li></ul></ul><ul><ul><li>O Google Search foi o resultado de seu projeto de doutorado </li></ul></ul>
    64. 67. Search – Serviço mais conhecido do Google
    65. 68. Grupos – criação de listas/fóruns
    66. 69. Agenda – registro de compromissos
    67. 71. Alertas – registro de alertas sobre assuntos de interesse
    68. 72. Trends – ferramenta para detecção de tendências
    69. 73. <ul><li>Chega de Google, o que mais temos? </li></ul><ul><ul><li>Muitas coisas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Redes sociais diversas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Social bookmark del.icio.us </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Armazenamento de mídias diversas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Imagens </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Vídeos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Podcasting e videocasting (áudio ou vídeo + RSS) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Slides </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>RSS </li></ul></ul></ul>
    70. 74. RSS <ul><li>Ao invés do usuário ir até o conteúdo o conteúdo vai até o usuário. </li></ul><ul><li>Tecnologia que permite a criação de “jornais” personalizados </li></ul><ul><li>Basta escolher um agregador de “ feeds ” e assinar os site que disponibilizam o serviço </li></ul><ul><li>A cada nova informação cadastrada no site de origem, o “jornal” pessoal é atualizado </li></ul>
    71. 75. Redes Sociais na Web <ul><li>A maioria dos sites Web 2.0 podem ser consideradas “Redes Sociais” pois permitem: </li></ul><ul><ul><li>Criação de conteúdo - fácil </li></ul></ul><ul><ul><li>Cooperação </li></ul></ul><ul><ul><li>Compartilhamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>Muitas instituições de ensino começam a utilizar sistemas de redes sociais em educação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Apoio para atividade presencial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>EAD </li></ul></ul></ul>
    72. 76. Orkut e Brasil caso de amor!
    73. 78. Redes Sociais Diversas
    74. 81. Publicidade 2.0 <ul><li>Quem trabalha com publicidade já percebeu que o desenvolvimento de conteúdos pelos próprios usuários – seja um comentário num blog ou o gravação de um vídeo – não é tendência passageira: veio para ficar. </li></ul><ul><li>“ O grande barato da internet é ser uma via de duas mãos. Hoje o próprio consumidor pode ajudar a construir o comercial de uma marca ”, diz Kika Oncken, gerente de vendas do YouTube, portal de vídeos do Google. </li></ul>
    75. 82. <ul><li>Recentemente, a Nestlé se utilizou de uma página do site para uma campanha do achocolatado Nescau 2.0 , em que os próprios internautas produziam vídeos para o comercial. </li></ul>Publicidade 2.0
    76. 83. <ul><li>A GessyLever, dona da marca de sorvetes Kibon, colocou no ar uma espécie de reality show com o “ Desafio Fruttare ”, em que um personagem precisa levar uma vida saudável durante 30 dias. Ele e os internautas interagem com fotos, blog, vídeos e acompanham a dieta do participante. </li></ul>Publicidade 2.0
    77. 84. <ul><li>A Mastercard realizou uma campanha convidando os usuários de cartões a contarem histórias pela web. </li></ul>Publicidade 2.0
    78. 85. Web 3.0 <ul><li>O Facebook , por exemplo, tem uma ferramenta que espalha entre seus amigos um produto que você comprou. </li></ul><ul><li>Segundo os gerentes da Facebook, o conceito 2.0 está evoluindo para o 3.0, na medida em que se pode fomentar a recomendação de um produto. </li></ul><ul><li>“ Eu consigo fazer com que uma pessoa que comprou um celular recomende o produto para mil pessoas. E não é uma recomendação de um estranho, é um conhecido seu.” </li></ul>
    79. 86. E o mercado? <ul><li>O Cliente é cada vez mais o centro do negócio; </li></ul><ul><li>Uma relação personalizada, contínua e ágil é fator de retenção do Cliente; </li></ul><ul><li>Os produtos e serviços ficaram iguais; </li></ul><ul><li>“ Clientes não são todos iguais” - mas não é fácil tratar detalhes de muitos Clientes; </li></ul>Relação Frágil com o Cliente
    80. 87. E o consumidor?
    81. 88. Como é este consumidor digital? <ul><li>Esse é o novo consumidor digital. Ele agora é ativo (Mídia Gerada pelo Consumidor). </li></ul>
    82. 89. <ul><li>Ele agora participa, indica e vende a marca. </li></ul>
    83. 90. <ul><li>Ele não escuta mais rádio, ele agora escuta podcast. </li></ul>
    84. 91. Consumidor e as plataformas...
    85. 92. Consumidor digital dita a regra do jogo!
    86. 93. Importante!!!! <ul><li>Estratégias no meio digital não devem substituir as estratégias off-line . </li></ul><ul><li>Devemos acrescentar estratégias digitais em nossos objetivos de marketing para complementar a campanha de um produto ou negócio!!! </li></ul>
    87. 94. Otimização de sites <ul><li>Como podemos fazer para que os sites das empresas possam ser visitados com mais freqüência? </li></ul>
    88. 95. Definições básicas Busca orgânica (aqui você “não paga”) Links patrocinados (aqui você paga) Search Engine Marketing = Marketing em Mecanismos de Busca
    89. 96. Otimização de site (SEO) <ul><li>Conjunto de técnicas para posicionar melhor o site em mecanismos de busca. </li></ul><ul><li>O objetivo é melhorar a posição na busca orgânica. </li></ul><ul><li>O google possui várias regras e não divulga todas elas. </li></ul><ul><li>Existem algumas que são quase fundamentais. </li></ul>
    90. 97. Otimização de site (SEO) <ul><li>Entre os 200 critérios que o Google possui para rankear um site no resultado das buscas. Os mais importantes são: </li></ul><ul><ul><li>Título <title> ... </title> </li></ul></ul><ul><ul><li>Qualidade da URL </li></ul></ul><ul><ul><li>Popularidade (PageRank) </li></ul></ul><ul><ul><li>Relevância da palavra-chave no site </li></ul></ul>
    91. 98. Search Engine Marketing <ul><li>São as estratégias de Marketing via Ferramenta de Busca. </li></ul><ul><li>- Ele é baseado na palavra-chave. </li></ul><ul><li>Quando se busca uma floricultura por exemplo, a pessoa procura por “flores ou floricultura&quot; e recebe a lista de links relacionados. </li></ul><ul><li>busca paga (links patrocinados) </li></ul><ul><li>- busca natural </li></ul>Existem 2 tipos:
    92. 99. Search Engine Marketing Links Patrocinados Busca Natural
    93. 100. PageRank Cada &quot;bola“ representa uma página , e a &quot;importância&quot; (PageRank) da página seria o tamanho da bola. Quanto maior a bola, mais &quot;pesado&quot; é o seu voto. Exemplo: A bola superior vermelha é &quot;grande&quot; mesmo recebendo um voto só, porque o voto dela (da bola maior amarela) é mais &quot;pesado&quot; . (wikipedia - http://pt.wikipedia.org/wiki/PageRank)
    94. 101. Por quê investir em sites de busca?
    95. 102. Adwords <ul><li>“ O mercado está crescendo muito e há um amadurecimento dos clientes. As pessoas estão entendendo as ferramentas e vendo os resultados. E não é um mercado que está saturado”, diz Raphael Fontes, gerente de Adwords para o Brasil do Google. O sistema de Adwords (links patrocinados) do Google também funciona no conceito 2.0 – tem um filtro que ordena os anúncios de acordo com a relevância que eles têm para quem faz uma busca. </li></ul>
    96. 104. Métricas de sucesso
    97. 105. Audiência <ul><li>Saber quantas pessoas visitaram seu site é importante, porem existem outras medidas que também devem ser levadas em consideração como tempo de acesso e fluxo de navegação. Muitos provedores de hospedagem fornecem junto com o serviço um painel de controle com estatísticas de acesso. Estes dados devem ser analisados e identificar qual o caminho que o usuário esta fazendo para alcançar a informação desejada e o tempo de permanência em cada página. Outros dados interessantes são os horários e dias de maior freqüência de acesso. </li></ul>
    98. 106. <ul><li>Hoje a grande polêmica que existe nesta área são as empresas que auditam o número de page views ou páginas acessadas e concluído o carregamento. Empresas como IBOPE e o instituto IVC fazem este tipo de trabalho cada um com uma metodologia diferente. Muito se questiona a forma de medição pois existem meios fraudulentos de acesso e carregamento de páginas através de “Robôs” que fazem isso automaticamente, desvirtuando os resultados. Ainda não foi encontrada uma metodologia que iniba totalmente estes possíveis desvios. </li></ul>Audiência
    99. 107. Google Analitic <ul><li>figura </li></ul>
    100. 109. Alguns números importantes <ul><li>Há estimativas de que o retorno médio em campanhas de Links Patrocinados, no Brasil, chega a ser de R$ 7 para cada real investido. </li></ul><ul><li>Flores Online é a maior floricultura do país, com faturamento em 2007 de R$ 15 milhões. Nada mal para uma floricultura. </li></ul><ul><li>No mundo, os links patrocinados representam 40% dos anuncios virtuais. </li></ul><ul><li>No Brasil, os links patrocinados representam 10% de um total de R$ 223 milhões movimentados pela publicidade virtual. </li></ul>
    101. 110. Referências <ul><li>Google </li></ul><ul><ul><li>http://www.google.com.br/intl/pt-BR/options/ </li></ul></ul><ul><ul><li>http://maps.google.com/ </li></ul></ul><ul><li>Redes Sociais </li></ul><ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_redes_sociais </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.orkuff.com/ </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.ico.org.br </li></ul></ul><ul><ul><li>http://elgg.org/ </li></ul></ul><ul><ul><li>http://stoa.usp.br / </li></ul></ul><ul><li>Outras Ferramentas web2.0 </li></ul><ul><ul><li>http://www.bibsonomy.org </li></ul></ul><ul><ul><li>http://del.icio.us/ </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.youtube.com </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.flickr.com/ </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.slideshare.net </li></ul></ul><ul><ul><li>http://box.net/ </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.bloglines.com/ </li></ul></ul><ul><ul><li>http://www.gliffy.com/ </li></ul></ul><ul><ul><li>http://skype.com/intl/pt/ </li></ul></ul>
    102. 111. Referências Blog oficial do Google: http://googlewebmastercentral.blogspot.com/ Gustavo Bacchin: http://www.gustavobacchin.com.br Marketing de Busca: http://www.marketingdebusca.com.br SEM Brasil: http://www.sembrasil.com.br
    103. 112. Leitura obrigatória
    104. 113. <ul><li>Projetando Websites Compatíveis (Jeffrey Zeldman) </li></ul><ul><li>Design para a Internet: Projetando a Experiência Perfeita (Felipe Memória) </li></ul>Leitura obrigatória
    105. 114. <ul><li>Não me faça pensar (Steve Krug) </li></ul>Webwriting (Bruno Rodrigues) Leitura obrigatória
    106. 115. Ações Promocionais SEO Qual é a evolução do Marketing Digital? MARKETING DIGITAL Web Mobile TV Digital MDOH E-mail Marketing Banners Link Patrocinado Set Top Box PPV Bluetooth Marketing Outernet SMS e MMS Social Media E-Commerce Instant Messengers Shot Codes Buzz Marketing Mobile TV Mobile Vídeo
    107. 116. Conclusões Finais <ul><li>Cada mídia encontrará seu próprio espaço no ambiente digital. </li></ul><ul><li>Entender o consumo simultâneo dessas mídias é um passo a frente em relação a concorrência. </li></ul>

    ×