artigo Publicado na Revista Petro&Química - Agosto 2010

969 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
969
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
49
Actions
Shares
0
Downloads
29
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

artigo Publicado na Revista Petro&Química - Agosto 2010

  1. 1. Planejamento estratégico da manutenção - um olhar para o futuro Si/as Santos de Oliveira Graduado em Engenharia Elétrica Gerente de Manutenção e Confiabilidade da Petrorecôncavo S.A Resumo A manutenção e a confiabilidade são funções estratégi- ca nas organizações, e têm um objetivos claros em garantir a disponibilidade e confiabilidade requeri das pelas unida- des industriais, preservando a segurança e integridade das pessoas, instalações e meio ambiente, com custos otimi- zados para assegurar a competitividade e crescimento dos negócios das organizações. Neste contexto competitivo faz-se necessário o diferencial da gestão estratégica que transforma·a manutenção e confiabilidade integrando-a de forma eficaz ao processo produtivo e contribuindo, efeti- vamente, para que a empresa caminhe rumo à excelência empresarial. Neste cenário é fundamental uma gestão ba- Figura 1- Sistema de Gestão em Manutenção e Confiabílidade seada em um espírito de servir que transforma os proces- sos de comunicação entre os acionistas e clientes através 2. Gerência de manutenção e confiabilidade de empresários que modificam e influenciam os resultados A gerência de manutenção e confiabilidade ao longo do de forma a se obter maior produtividade, líderes que moti- tempo tomouse estratégica, pois construiu uma visão alinha- vam as pessoas, tecnologia em constante inovação e funda- da com o negócio principal das empresas dando maior visi- mentalmente um ambi.ente onde os aspectos de segurança, bilidade desse setor nas mesmas. Esta visão está direcionada saúde e meio ambiente são parte dos valores pessoais de para o alto desempenho e tem como objetivo principal garan- cada pessoa das organizações. tir a confiabilidade e disponibilidade requeri das pelas plantas, preservando a segurança e integridade das pessoas, instala- 1. Considerações gerais ções emeio ambiente, com custos otimizados para assegurar O propósito do sistema de gestão da Manutenção e a competitividade dos negócios. Confiabilidade é assegurar que os meios de produção/ope- ração. atendam aos compromissos quanto à missão, dispo- 2.1 Construção da visão Integrada da manutenção e nibilidade; confiabilidade, rendimento, programação, qua- confiabilidade lidade e custo, otimizando o retomo do capital investido. O planejamento estratégico da manutenção tem fundamental Este sistema consiste num conjunto de processos, práticas relevância nos resultados da empresa, pois a sua eficácia, através e tecnologias integradas e estrategicamente implementadas de uma gestão adequada e uma visão integrada com os principais em alinhamento com os objetivos do negócio, tratando de pilares da organização a coloca em destaque, e o ponto principal temas diversos, tais como eficiência operacional, custos de não é mais fazer manutenção, e sim, garantir a disponibilidade manutenção, gestão de sobressalentes, contratações, gestão e confiabilidade dos ativos produzindo resultados tangíveis. A do conhecimento e gestão das pessoas. Um sistema de ges- estratégia da manutenção deve estar sustentada por uma visão de tão de excelência em manutenção e confiabilidade de ativos futuro e regida por processos de gestão onde a satisfação plena industriais foca as ações no melhor entendimento das fun- de seus clientes seja resultante da qualidade dos seus produtos e ções e características dos ativos (equipamentos e sistemas), serviços e a qualidade total dos seus processos produtivos sejam colocando em prática estratégias e políticas próativas de os balizadores fundamentais. Neste contexto, existem fatores confiabilidade de equipamentos para reduzir a probabilida- críticos que devem ser avaliados e monitorados para que os re- de e consequência das falhas. A figura I ilustra o processo sultados sejam atingidos e os ativos se mantenham disponíveis e de construção da estratégia: confiáveis. Segue ilustração na figura 2. • itlJtI."Irl!Jm!fN n~326
  2. 2. pacional e ao ambiente. SISTEMA PESSOAL DE GESTÃO 2.2 Princípios balizadores (qualificação, (forma de cultura, atitude) organização. padtõ es de atuação) / o desenvolvimento da manutenção na busca da excelên- cia passa pela identificação e adequação das melhores prá- ticas. Isso significa modificar a forma de atuar. Para isso, a TECNOlOGIA manutenção deve ser gerenciada conforme princípios gerais (para executar o trabalho e para de atuação: ~sua execuSão} • Seletividade na estratégia de manutenção considerando im- pactos em continuidade operacional, especificação de pro- dutos, atendimento ao cliente, SSMA (Segurança, Saúde e Figura 2 - Fatores Críticos para Gestão dos Ativos Meio Ambiente), custos e imagem; Abaixo algumas expectativas geradas em relação à • Análise sistemática de perdas e falhas em equipamentos, manutenção: buscando minimizar sua ocorrência e consequências; • Garantia de integridade e extensão de vida útil dos equipa- • Utilização da manutenção autônoma e técnicas preditivas mentos/postergação de substituição; para identificação e tratamento precoce dos desgastes dos • Redução de custos de mão de obra, materiais e serviços; equipamentos, e comprometimento da operação; • Minimização de paradas e extensão das campanhas das • Utilização de metodologias baseadas em confiabilidade e plantas industriais; análise de risco, para estabelecer planos de manutenção em • Redução de perdas de produtos e/ ou degradações de- sistemas críticos; correntes; • Planejamento e programações de serviços com horizontes • Aumento da disponibilidade e otimização do desempenho mais longos, focado na maior previsibilidade, produtivida- dos ativos; de e otimização no uso de recursos; • Aumento da confiabilidade dos equipamentos e sistemas; • Gerenciamento sistemático e disciplinado de paradas de • Redução na geração de resíduos e eftuentes; manutenção, focado no aumento das campanhas operacio- • Redução da exposição ocupacional das pessoas; nais e redução de prazos e custos de execução; • Atendimento aos requisitos legais e voluntários, quanto à • Incorporação de requisitos de confiabilidade e mantenabi- segurança de processo, das pessoas, à saúde, à higiene ocu- lidade aos investimentos, interagindo-se com o projeto de DO BRASIL Indústria e Comércio Ltda. IWIKA~r São Paulo/SP vendas-sp@wika.com.br Rio de Janeiro/RJ vendas-rj@wika.com.br CuritibalPR vendas-pr@wika.com.br I; Part of your business
  3. 3. novos equipamentos nas suas fases iniciais; cluindo produção, matéria-prima e energia, com análise de • Criação de parcerias estratégicas de longo prazo e sinergias causaraiz e implementação de ações definitivas; com prestadores de serviços, que aumentem a capacidade • Garantir a mantenabilidade e confiabilidade nos novos de ambos; projetos; • Gestão otirnizada do inventário de materiais sobressalentes. 2.3 Políticas de manutenção e confiabilidade As empresas devem acreditar que a integridade, dispo- 2.5 Objetivos estratégicos nibilidade e confiabilidade de seus ativos fisicos industriais O objetivo estratégico é fundamental para o alcance dos são essenciais para atender os niveis crescentes de excelência resultados, ou seja, é o que se deve fazer bem para se atingir a operacional e empresarial. Para transformar estas crenças em estratégia definida. Cada perspectiva da manutenção e confia- atitudes, e baseando-se nos princípios de atuação da manu- bilidade se baliza na convergência de práticas que tragam um tenção e confiabilidade: domínio estrutural e estratégico desse setor no negócio. • Atender as expectativas dos clientes e parceiros, garantindo o cumprimento dos planos de negócio; 3. Gestão estratégica da manutenção e confiabilidade • Assegurar cooperação e parceria aos fornecedores, e rela- Segundo Alan Kardec e Julio Nascif(2004), a atividade de cionamento construtivo com as comunidades onde atua; manutenção precisa deixar de ser apenas eficiente para se tomar • Promover o desenvolvimento das pessoas, com foco em eficaz; ou seja, não basta apenas reparar o equipamento ou insta- equipes motivadas, proativas e de alto desempenho; lação tão rápido quanto possível, mas, principalmente, é preciso • Atuar preventivamente, atendendo aos requisitos legais e manter a função do equipamento disponivel para li operação, de SSMA e normas regulamentadoras; evitar a falha do equipamento e reduzir os riscos de uma pa- • Melhorar continuamente os seus processos e serviços, es- rada de produção não planejada. Estrategicamente, a manuten- timulando a inovação e sistematizando o modelo de gestão ção precisa medir qual é a sua contribuição para o faturamento da manutenção aplicável aos atuais e futuros negócios. e o lucro da empresa e, mais do que isto, é preciso que todas as • Garantir a disponibilidade e confiabilidade requerida pelas pessoas envolvidas tenham conhecimento destes dados. Organi- unidades industriais, preservando a segurança e integridade zações que apresentam padrões elevados de desempenho con- das pessoas, instalações e meio ambiente, com custos oti- tinuadamente, gerando resultados e crescimento bem acima da mizados para assegurar a competitividade dos negócios. média, são reconhecidas como empresas de classe mundial. E a busca pela excelência e pela manutenção de alto desempenho é o ,. 2.4 Fatores críticos de sucesso objetivo principal da manutenção e confiabilidade das empresas Fatores críticos de sucesso são atividades chaves do ne- que está baseado em cinco aspectos fundamentais: gócio que precisam ser consideradas para que a organização • Planejamento da manutenção; possa atingir seus objetivos. Os mesmos identificam as partes • Engenharia de confiabilidade; críticas dos processos de trabalho da organização. O desem- • Inovação tecnológica; penho superior desses fatores é determinante para o sucesso • Pessoas motivadas; empresarial. Servem de base para as' políticas e estratégias • SSMA. da organização e para a tomada de decisão. Por outro lado, a manutenção existe para que não haja manutenção. A primeira 3.1 Planejamento da manutenção vista isso parece conflitante, e para que isso se tome reali- O planejamento da manutenção tem uma função primordial dade devese ter qualificação adequada das pessoas. Aliado a dentro do intento estratégico da gerência de manutenção e confia- isso, cada vez mais tem amadurecido as relações de parceria bilidade. Ele adiciona valor ao negócio minimizando o impacto entre as empresas e suas contratadas na área de manutenção. e os custos necessários ao trabalho, oferecendo dados continuos Portanto, pará que essas ações se estabeleçam deve-se atuar para que a engenharia possa reavaliar as políticas de manuten- nesses fatores críticos de sucesso, que são fundamentais para ção, fornecendo dados necessários para que haja uma otirnização que a manutenção e confiabilidade sigam rumo a excelência: da força de trabalho produtiva e por fim consolidando dados para • Gestão integrada da Confiabilidade dos ativos com metas que sejam avaliados pela engenharia de confiabilidade. Nesta compartilhadas entre os times industriais (operação, manu- mesma direção, existem vários beneficios significantes que po- tenção, suprimentos e investimentos); dem ser relacionados ao planejamento da manutenção, quando o • Programa de melhoria da produtividade nos serviços de mesmo está efetivamente exercendo o seu papel: manutenção (rotina e paradas); • Redução de custo global; • Contratos baseados em desempenho e alianças estratégicas; • Redução de recursos; • Domínio tecnológico, prospecção e aplicação de novas tec- • Redução de perdas; nologias; • Redução de materiais e inventário; • Excelência na gestão da rotina através da utilização plena • Melhoria da segurança das pessoas; do CMMS, aplicação das melhores práticas na programa- • Identificação de problemas que precisam focos de atenção; ção e uso dos procedimentos técnicos; • Gerenciamento e controle dos grandes eventos; • Identificação, formação e retenção dos talentos; • Melhoria da eficiência através da antecipação das necessi- Gestão sistêrnica das perdas do processo produtivo, m- .írnttt ·"Ir mmWf. n~326
  4. 4. I o lce dades evitando atrasos e; • Operação dos ativos dentro dos limites de projeto ou de no- • Incremento da confiabilidade dos equipamentos; vos patamares admissíveis e seguros de produção e SSMA, devidamente formalizados; No planejamento da manutenção a comunicação é a chave • Gestão proativa de falhas, com análises de causa raiz para o sucesso. Sem ela, seria impossível integrar / otimizar (RCFA) e implementação de soluções definitivas envolven- recursos. Com isso, entende-se de forma mais ampla que um do equipes multidisciplinares; dos papéis desse importante setor da manutenção é a inte- • Uso de custo do ciclo de vida dos ativos (LCC) na seleção gração com objetivo final focado no resultado do negócio. O de novos equipamentos e decisão de investimentos; planejamento da manutenção deve estar relacionado na ca- • Definição das políticas de manutenção e sobressalentes ba- deia produtiva, sendo o principal elo entre a engenharia de seado em análise de risco e suportado pela utilização seleti- confiabilidade, a operação e os serviços de manutenção. va de metodologias inovadoras tais como RCM e REI; • Nível otimizado de materiais em estoque determinado atra- 3.2 Engenharia e confiabilidade vés de sistema avançado de gestão de inventário; A engenharia de manutenção e confiabilidade é uma mu- • Modelagem estatística como suporte para os projetos de dança cultural necessária em qualquer manutenção que bus- melhoria da confiabilidade; que a melhoria dos resultados. A confiabilidade de um sis- • Utilização plena do Sistema Informatizado de Gerencia- tema ou equipamento tem um valor inerente máximo que é mento da Manutenção (CMMS), reconhecido como fonte estabelecido no projeto. As estratégias de manutenção podem dos dados relativos a custos de manutenção, recursos e fa- apenas preservar esta confiabilidade inerente como projetado. lhas dos equipamentos. Não se pode esperar que a manutenção possa compensar vul- nerabilidades sistêmicas que poderiam ser melhor tratadas ou 3.3 Pessoas motivadas eliminadas de outras formas. A identificação e retenção dos talentos da organização de Dentre as principais atribuições desse setor estão: manutenção e confiabilidade é ponto vital não apenas para • Gestão integrada da confiabilidade, focada nos seus fatores garantir a excelência dos serviços refletida no desempenho básicos: tecnologia, modelo de gestão e pessoas; dos equipamentos, mas também para evitar a perda do in- • Gerenciamento sistêmico das perdas do processo produti- vestimento realizado na sua capacitação e desenvolvimento. vo, incluindo produção, consumos específicos de energia, As pessoas motivadas movimentam a organização na direção demais utilidades e produtos químicos auxiliares; da excelência e a estratégia para promover e manter níveis EGATA QUES A inovação ue acaba de r--·,,~ I- vez com os roblemas de corrosao e"" Os tanques são produzidos em seções que são oblatadas para permitir o transporte vazamento Ecniplas Pioneira no uso da metodologia de oblatação. Posteriormente retomam à fone: (11) 4529.3018 circunferência a montagem original para em campo o::a tecniplas tecniplas@tecniplas.com.br www.tecniplas.com.br
  5. 5. elevados de motivação de pessoas em empresas "classe mun- veis e tangíveis, com qualidade crescente, em prazos e a custos dial" contém alguns elementos fundamentais: sucessivamente menores que esta estratégia se transforma em • Capacitação de líderes para comunicar clara e francamente so- fator fundamental para a competitividade do negócio. bre suas expectativas com relação a cada indivíduo liderado, Esta produtividade como um processo, como uma atitude para dar e ouvir opiniões e feedbacks com naturalidade, para e como um fruto continuamente colhido é o que permitirá expressar reconhecimentos e elogios, para dar exemplos de dis- produzir sempre maiores e melhores riquezas. E para isso, ciplina, honestidade e respeito pelas pessoas, em todos os níveis, deve-se mapear e conhecer de forma profunda quais são os sendo reconhecido por todos como um indivíduo confiável; fatores críticos de sucesso, a política, os princípios de atua- • Clima organizacional que favoreça a liberdade de opinião e que ção, os pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças, pois incentive as pessoas a contribuírem com sugestões de melhoria; este conjunto organizará todos os vetores para um ponto fo- • Integração e sinergia dentro das equipes; cal, onde se poderá retirar o máximo da eficiência e eficácia • Mecanismos de reconhecimento que incentivem as pesso- dos processos produtivos e fundamentalmente das pessoas. A as a executarem tarefas adicionais àquelas constantes em figura 4 ilustra o assunto supracitado. sua descrição de programa e superando os limites de suas obrigações formais; • Práticas e critérios que assegurem equidade e justiça no tra- tamento de pessoas; • Disponibilidade de meios para as pessoas realizarem as ati- Figura 4 - Orientação das Ações vidades e materializarem suas idéias de modo mais fácil, rápido, seguro, econômico e tecnologicamente atualizado; 5. Resultados • Clareza do horizonte profissional de cada indivíduo; Os resultados de uma gestão estratégica bem definida • Divulgação ampla e ostensiva das conquistas coletivas e agregam valor tangível e intangível ao negócio. Os mesmos contribuições individuais das pessoas para a obtenção dos trazem vantagens competitivas em várias áreas do processo resultados esperados na organização; produtivo, as quais podem ser relacionadas abaixo: • Visão sistêmica; Equipes motivadas são imbatíveis, sempre encontrarão • Aprendizado organizacional; saídas possíveis para alcançar os objetivos e metas e farão a • Agilidade; diferença na hora do ciclo de baixa. Essas pessoas não verão • Inovação; os problemas como dificuldades, e sim, como oportunidades. • Liderança e constância de propósitos; • Visão de futuro; 4. Vantagem competitiva • Foco no cliente e no mercado; O conjunto de fatores duradouros que adicionam valor aos • Responsabilidade social; produtos, percebidos pelo cliente, e que diferenciam a organi- • Valorização das pessoas; zação em relação à concorrência pode definir a vantagem com- • Abordagem por processos; petitiva das empresas. A essência de cada um dos empresários • Orientação para resultados. da organização é comunicar o espírito empresarial. É a síntese de o que fazer. E é através da comunicação, que é a interação de 6. Considerações finais seres humanos organizados e integrados na direção do fluxo na A competitividade das empresas passa pela excelência organização de modo a maximizar a sinergia e a produtividade de todos os seus segmentos, notadamente a manutenção que das ações no sentido de capturar a rentabilidade do negócio. é uma função estratégica tem fundamental importância na Um aspecto bastante importante a ser destacado é certeza de estratégia de sobrevivência, crescimento e perpetuidade das que clientes satisfeitos através das ações de empresários dota- mesmas. Com este objetivo, a manutenção e confiabilidade dos do espírito de servir retomam resultados que são entregues da vêm agregando valor na cadeia produtiva das empresas, aos acionistas que, satisfeitos, retomam mais investimentos aos no sentido que os ativos estão mais disponíveis e confiáveis empresários que podem conquistar e satisfazer mais clientes, sem, entretanto, "ferir" o valor principal da empresa, que são abrindo espaço para novos empresários e assim por diante. Esse os aspectos de segurança, saúde e meio ambiente. fluxo valoriza de forma clara a interação contínua entre os três pilares da organização e é neste ponto que a manutenção e con- 7. Referências Bibliográficas fiabilidade se inserem como negócio disponibilizando a planta KARDEC, Alan & NASCIF, Julio - Manutenção Função Estraté- com confiabilidade e entregando os produtos para o cliente. gica, Qualitymark Editora, Rio de Janeiro, 2' edição - 2' reim- Dentro desse ambiente favorável, a manutenção e a confiabi- pressão, 2004. TERRA, José CláudioCyrineu e GORDON, Cindy. Portais corpo- lidade se f0ltalecem através de um planejamento Estratégico rativos: a revolução na gestão do conhecimento. São Paulo: Ne- sólido com objetivos e metas bem definidos, que se transfor-, gócio Editora, 2002; mam em indicadores que são acompanhados e avaliados criti- •. ODEBRECHT, Norberto. Sobreviver, Crescer e Perpetuar (TEO - camente com objetivo de melhoria contínua nos processos de TecnologiaEmpresarial Odebrecht), 4' Edição, Volume 1,2002; trabalho. E é através da produtividade da força de trabalho, que.~ OLIVEIRA, SILAS - http://manutencao.netJblogs/empresarioda- , .•. é um processo incessante de melhoria dos resultados intangí- manutencao/ .•.'-- 0326

×