Memórias de um sargento de milícias
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Memórias de um sargento de milícias

on

  • 755 views

Trabalho do 2° ano- Ensino médio

Trabalho do 2° ano- Ensino médio

Statistics

Views

Total Views
755
Views on SlideShare
755
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
19
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Memórias de um sargento de milícias Memórias de um sargento de milícias Presentation Transcript

  • Memórias de um Sargento deMilícias
  • Autor: Manuel Antônio de Almeida• Nasceu: 17 de Novembro de 1831;• Morreu: 28 de Novembro de 1861 emum naufrágio, na costa de Macaé RJ;• Formou-se em Medicina em 1855 porémnunca exerceu a profissão; Dificuldadesfinanceiras o levaram ao jornalismo e àsletras.
  • Quando Foi EscritaMemórias de um sargento demilícias é um romance de ManuelAntônio de Almeida. Foi publicadooriginalmente em folhetins noCorreio Mercantil do Rio deJaneiro, entre 1852 e1853, anonimamente.
  • O livro foi publicado em 1854
  • ContextoO livro começa com a expressão: “Era no tempo do rei”;esse rei, no caso era D. João VI, o soberano de Portugal. A históriacriada por Manuel Antônio de Almeida, situa-se maisprecisamente na época em que D. João VI juntamente com a cortereal portuguesa vieram para o Brasil entre 1808 e 1821 por causada invasão do Império Napoleônico que estava ocorrendo emPortugal.A chegada da família real ao Rio de Janeiro, causa váriasmudanças a cidade. A cidade era antes muito suja emalcheirosa, mas com a chegada da corte as ruas são limpas e asfachadas das construções remodeladas e pintadas e ocorrem váriasoutras transformações na cidade.É nesse Rio de Janeiro em efervescência, que ManuelAntônio de Almeida capturou elementos para escrever “Memóriasde um Sargento de Milícias” que foi sua principal obra.
  • ResumoUma obra de transição para o Realismo. O livro conta ahistória do jovem Leonardo, filho de pais separados queé criado pelo padrinho barbeiro, sendo uma peste tantocriança quanto mais velho. No começo indicado para serclérigo, sua rejeição a Igreja lhe leva a vadiar. Nacompanhia do padrinho na casa de D. Maria conheceLuisinha, por quem se apaixona. Luisinha no entanto secasa com um espertalhão de nome José Manoel. Quandoo padrinho morre ele volta a morar com o pai, mas porpouco tempo porque este o expulsa de casa por causa deseus desentendimentos com a madrasta.
  • Vai morar na casa de um amigo dos tempos queera sacristão (o tio queria lhe preparar para a vidaclerical) e conhece Vidinha, por quem seapaixona. Após muitas intrigas feitas pelospretendentes de Vidinha, sai desta casa também eé nomeado pelo major Vidigal, figura policialconstante na obra, soldado. Não param por aísuas diabruras e ofensas e sabotagens com omajor lhe garantem a cadeia.
  • A madrinha e a tia de Luisinha intercedem emseu favor e este não é só liberto, mas promovido asargento. Logo após isto morre José Manoel ereata o namoro com Luisinha. Transferido paraas Milícias, casa-se com ela. A obra toda é umverdadeiro marco para a transição para oRealismo: os personagens não são idealizados, oamor não é supervalorizado e idealizado (e muitomenos são as volúveis mulheres), o herói estálonge de perfeito existe uma certa comicidadeincomum nos romances da época.
  • Estilo e LinguagemManuel Antônio de Almeida utiliza umalinguagem que se aproxima da jornalística, o quetorna claros e objetivos os seus textos. Outroaspecto é a utilização de personagens comuns naépoca, como o barbeiro, a parteira, omajor, tornando, assim, a história mais próximado leitor.
  • Memórias de um sargento de milícias foi escritoem forma de folhetim (os capítulos erampublicados em sequência nos jornais da época, oque prendia o leitor, pois deixava um suspenseem relação ao capítulo posterior).
  • Em alguns trechos, o narrador éonisciente, ou seja, ele sabe todos ospensamentos dos personagens.
  • A obra é muito importante por ser de transição doRomantismo para o Realismo e por ser umacrônica de costumes.Além disso, é usada metalinguagem (explicarsobre o próprio processo narrativo), técnica doleitor incluso (conversa com o leitor) e digressão(interromper a narrativa para que o narrador façaum comentário sobre assunto paralelo com odiagrama).
  • Personagens• Leonardo ou Leonardinho - o anti-herói ou heróipicaresco do romance, vadio, malandro, que adorafazer estripulias e criar problemas. Mulherengo, quaseperde seu amor, por ser inconsciente. É criado pelopadrinho, já que os pais se separam e não têmpaciência para lhe suportar as traquina-gens. Chega aser preso, torna-se granadeiro e Sargento de Milícias.Casa-se e torna-se assentado.• Luisinha - moça com a qual Leonardo se casa. Emprincípio é desengonçada e estranha, depois melhora.Casa-se com José Manuel, por influência datia, arran-jando um marido que só deseja seus bens. Éórfã. Fica viúva e une-se a Leonardo.
  • • Vidinha - mulata jovem, bonita e animada, toca viola e cantamodinhas. Cativa Leonardo, que vive em sua casa por algumtempo.• O Compadre - barbeiro de profissão, cria Leonardo, protege-oe acaba deixando-lhe uma herança que surrupiou docomandante de um navio.• A Comadre - defende e acompanha Leonardo em qualquercircunstância. Adora o afilhado.• D. Maria - doida por uma demanda judicial, ganha a guardade Luisinha, quando ela perde os pais.• José Manuel - salafrário e calculista, casa-se com Luisinhapor dinheiro e morre.
  • • Major Vidigal - militar que persegue Leonardo, atéconseguir integrá-lo às forças milicianas. Calcado em umafigura real.• Leonardo Pataca - pai de Leonardo, acaba casado comChiquinha, depois que abandona o filho com o compadre.• Maria da Hortaliça - mãe dopersonagem, portuguesa, trai o Pataca e foge com outro paraPortugal.• Chiquinha - casa-se com Leonardo Pataca. É filha daComadre.• Há ainda, o toma-largura e suaesposa, Maria Regalada etc.