Projeto anual jogos e brincadeiras

6,227 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,227
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
68
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Projeto anual jogos e brincadeiras

  1. 1. CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL SONHO FELIZ PROJETO ANUAL: JOGOS E BRINCADEIRAS NADA MAIS SÉRIO DO QUE CRIANÇA BRINCANDO. Coordenadora: Maria Luzia Auxiliar Pedagógica: Maria Lúcia Professoras: Dariele, Elvira, Miriane Shirley. SÃO FRANCISCO DO SUL – SC 2014
  2. 2. OBJETIVO GERAL:  Atender a criança e toda sua potencialidade e permitir o lazer e recreação, pois para brincar é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento da identidade e da autonomia. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:  Confrontar realidade e fantasia;  Estabelecer relações e vínculos afetivos.  Exercitar a percepção visual e auditiva da criança.  Ajudara criança a adquirir destreza e firmeza na coordenação motora em movimentos de precisão.  Favorecer a sensibilidade tátil e ensina-la a perceber texturas e materiais.  Favorecer o desenvolvimento de sua capacidade criativa.  Inventar brincadeiras de construção criativa.  Estimular sua capacidade de pegar e reconhecer.  Desenvolver sua capacidade de observação atenta e rápida.  Ensina-la a reconhecer formas e objetos.  Facilitar sua percepção espacial.  Desenvolver sua memoria.  Ensina-la a reconhecer imagem.  Ajuda-lo a explorar o ambiente ao seu redor e sua capacidade de organização.  Ajuda-lo a manter o equilíbrio ao realizar diferentes atividades dinâmicas.  Aumentar seu controle psicomotor.  Ensina-la a realizar atividades em conjunto.  Ensina-la a aceitar e respeitar normas e convenções. Promover sensibilizar identificar criar  Desenvolver a linguagem oral e ampliar o vocabulário;  Estimular a criatividade;  Descobrir o mundo sonoro à sua volta e valorizá-lo;  Explorar o esquema corporal;
  3. 3.  Ampliar progressivamente a destreza de deslocar-se no espaço (engatinhar, andar, correr, saltar, etc.);  Participar de brincadeiras e jogos cantados e rítmicos;  Manusear  Estimular a emissão de sons, balbucios e palavras cantando músicas, imitando os personagens das histórias, etc.;  Desenvolver a percepção sensorial, experimentando diferentes sensações táteis; JUSTIFICATIVA: A criança gosta de brincar. Se o processo educacional for conduzido de forma lúdica, haverá maior aprendizado. [...] a criança gosta de aprender e de brincar. E por que não aprender brincando? Encaixar, montar, empilhar, chacoalhar... Com esse tipo de atividade, crianças de até 3 anos começam a explorar o mundo. Para turmas de berçário, brincar e jogar não são passatempos: trata-se de atividades fundamentais para a construção de conhecimentos sobre o mundo. Com elas, os pequenos aprendem a estar com os outros e consigo mesmos. A brincadeira é necessária para a criança, como as tradicionais, as espontâneas e as de faz de conta, são de suma importância como instrumento de uma forma didática na aprendizagem, junto á construção do conhecimento.Afeto, motricidade, linguagem, percepção, representação, memoria e outras funções cognitivas estão profundamente interligados quando a criança brinca a brincadeira favorece o equilíbrio afetivo da criança e contribui para o processo de apropriação de signos sociais, criando condições para uma transformação significativa da consciência infantil, por exigir das crianças formas mais complexa de relacionamento com o mundo. Assim sendo deve-se as desenvolver com responsabilidade e comprometimento, pois é uma atividade que faz parte do cotidiano da criança, portanto, o educador deve planejar as brincadeiras, Integrando-as na proposta pedagógica. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: Na educação infantil as crianças vivem umas das mais complexas fases do desenvolvimento humano nos aspectos educativos, emocional, intelectual, social e motora.É por meio das brincadeiras que a criança estimula suas capacidades de pensar e
  4. 4. estabelecer bases para formação de uma pessoa ética capaz de conviver num ambiente democrático. “Brincar com criança não é perder tempo, é ganha-lo; se é triste ver meninos sem escola, ainda é vê-los sentados enfileirados, em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para formação do homem”. Carlos Drummond de Andrade. Brincando ela emita gestos e atitudes do mundo, descobre o mundo, vivência leis, regras, gostos, desejos, duvidas, mal-estar, criticas aborrecimentos, manifestações de prazer e de angustia cria uma imagem de respeito a si mesma e experimenta sensações.Quando brinca se defronta com problemas e desafios e busca constantes soluções para situações que a ela é colocada. De acordo com Oliveira (2002), o jogo humano requer a capacidade de se relacionar com diferentes parceiros e com eles comunicar-se por meio de diferentes linguagens para criar o novo e tomar decisões. É algo culturalmente determinado. O jogo simbólico ou faz de conta, particularmente, é ferramenta para a criação da fantasia, necessária a leituras não convencionais de mundo. Abre caminho para autonomia, a criatividade, a exploração de significados e sentidos. Essa atividade atua, também, sobre a capacidade da criança de imaginar e representar, articuladas com outras formas de expressão. São os jogos, ainda, instrumentos para aprendizagens de regras sociais. A criança brinca porque, principalmente, esta é uma atividade construtiva do ser humano, e porque ela tem a necessidade de agir em relação não apenas aos objetos que estão ao seu alcance, mas em relação ao mundo mais amplos dos adultos. (LEONTIEV,2001,p.124) Pode até parecer estranho que a ideia do brincar, que aparece como tema central e fonte de aprendizado, necessita ser defendida. Entretanto, há muita pressão sobre os educadores que atuam com as crianças. Conforme a idade das crianças aumenta, a cobrança da sociedade pelo não brincar é ainda maior. Vygotsky declara que o brincar preenche a necessidade da criança, e entende o termo necessidadenão como necessidade física, mas uma motivação intrínseca do ser humano, como “[...] tudo aquilo que é motivo para a ação. (VYGOTSKY, 1996,p.121)”. Brincar é uma atividade caracterizada por ações que satisfazem necessidades. E, assim, a criança ao brincar vai criando suas experiências, contribuindo e construindo o conhecimento a cerca do mundo e do outro com quem se relaciona. METODOLOGIA:
  5. 5. A intervenção intencional baseada na observação das brincadeiras das crianças, oferecendo-lhes material adequado, assim como um espaço estruturado para brincar permite o enriquecimento das competências imaginativas, criativo e organizacional infantil. O brincar apresenta-se por meio de várias categorias de experiências que são diferenciadas pelo uso do material ou dos recursos predominantemente implicados. Essas categorias incluem: o movimento e as mudanças da percepção resultantes essencialmente da mobilidade física das crianças; a relação com os objetos e suas propriedades físicas assim como a combinação e associação entre eles; a linguagem oral e gestual que oferecem vários níveis de organização a serem utilizados para brincar; os conteúdos sociais, como papéis, situações, valores e atitudes que se referem à forma como o universo social se constrói; e, finalmente, os limites definidos pelas regras, constituindo-se em um recurso fundamental para brincar. As categorias de experiências podem ser agrupadas em três modalidades básicas, quais sejam brincar de faz-de-conta ou com papéis, considerada como atividade fundamental da qual se originam todas as outras; brincar com materiais de construção e brincar com regras. Portanto é o educador que ajuda a estruturar o campo das brincadeiras na vida das crianças. Consequentemente é ele que organiza sua base estrutural, por meio da oferta de determinados objetos, fantasias, brinquedos ou jogos, da delimitação e arranjo dos espaços e do tempo para brincar. CONSIDERAÇÕES FINAIS Brincar é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento da identidade e da autonomia. O fato de a criança, desde muito cedo, poder se comunicar por meio de gestos, sons e mais tarde representar determinado papel na brincadeira faz com que ela desenvolva sua imaginação. Nas brincadeiras as crianças podem desenvolver algumas capacidades importantes, tais como a atenção, a imitação, a memória, a imaginação. Amadurecem também algumas capacidades de socialização, por meio da interação e da utilização e experimentação de regras e papéis sociais. No ato de brincar, os sinais, os gestos, os objetos e os espaços valem e significam outra coisa daquilo que aparentam ser. Ao brincar as crianças recriam e repensam os acontecimentos que lhes deram origem, sabendo que estão brincando. REFERÊNCIAS: BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. Jorge Batllori e VcitorEscandell. 150 Jogos para estimulação de criançasReferencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.
  6. 6. SANTA CATARINA.Secretaria do Estado da Educação. Ciência e Tecnologia.Proposta CurricularCurricularde Santa Catarina.Estudos temáticos. Florianópolis: IOESC, 2005. SÃO FRANCISCO DO SUL. Secretaria Municipal de Educação. Profissionais da Educação da Rede Municipal de Ensino. Diretrizes Curriculares da Educação Infantil. São Francisco do Sul, 2012. Sites disponível em 04/02/2014: http://revistaescola.abril.com.br/creche-pre-escola/?educacao-infantil.creche---0-a-3-anos

×