• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Escritores da liberdade
 

Escritores da liberdade

on

  • 11,361 views

 

Statistics

Views

Total Views
11,361
Views on SlideShare
11,361
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
97
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Escritores da liberdade Escritores da liberdade Document Transcript

    • Escritores da Liberdade Projeto Leitura– Discutindo as ideias do filme de Gangues e ten- de integração, le- Volume 1, Edição 1 sões raciais ocorri- cionando Inglês 01/06/2012 das nos bairros po- básico para a tur- bres dos EUA. Di- ma do 1º ano. Uma ante desses proble- profissional que mas, a secretaria acredita que pode de Educação do fazer a diferença, Um filme para município decidiu pois é determinada instalar em algu- e perseverante. você se emocio- mas escolas pro- Pensou em cursar nar e refletir so- gramas de integra- direito para defen- ção, onde diversas der jovens no tri- bre o significado raças, culturas e bunal, mas logo etnias faziam parte desistiu, pois acre- do professor na do mesmo gru- ditava que a bata- po.Erin Gruwell in- lha está perdida sua vida.... tepretada pela atriz quando tiver que O filme é Hilary Swank, é defender jovensbaseado em fatos uma professora nos tribunais, vistoreais, sendo que a iniciante que deci- que a luta pela li-história se passa de trabalhar. Inicia bertação deve a-na Califórnia no sua carreira, em contecer na escola, Nesta edição:ano de 1992. Este uma escola adapta- na sala de aula. Projeto Leitura– Discu- 1retrata a violência da aos programas tindo as ideias do filme Os problemas enfrenta- 1 dos pela professora Os problemas enfrentados pela Holocausto e a segre- 2 gação racial nos Esta- professora As tribos existentes nas 2 salas de aulaA professora en- violentos e partici- e para fazer ativi-frentou diversas pavam de gangues. dades diferentes O desinteresse pela 2barreiras, come- Mas, ela rompeu com os alunos teve leitura por parte dosçando pelos pró- estes desafios e que buscar outras O preço da dedicação 2prios colegas que lutou sozinha. Co- alternativas, atédesacreditavam no mo era iniciante mesmo um traba-potencial dos alu- seu salário não era lho extra com intui- A mudança 2nos, porque eram muito significativo to de conseguir
    • Página 2 Escritores da Liberdade fundos para comprar conseguir lecionar sua ma- foi duramente criticada pe-materiais e fazer viagens téria, teve que adotar mé- la diretora, e pelos seusde estudo, visto que a ad- todos extracurriculares, e familiares. A princípio osministração da escola não alunos a desprezavamfornecia verbas pelo fato pensando que ela desistiriade não acreditar no poten- facilmente de ensiná-loscial dos alunos. com já havia acontecido Percebia que a sala com outros professores,de aula era dividida con- mas ela os surpreendeuforme as raças e as gan- trazendo-lhes literaturasgues, muitos eram oriun- novas, e formas práticasdos do reformatório infan- de conhecê-los mantendotil, o que gerava agressões a cumplicidade e confiançae conflitos. Enfrentou di- entre eles.versas rejeições por partedos alunos, que não a a-ceitavam e também nãotinham motivação paraparticipar das aulas. ParaHolocausto e a segregação racial nos Estados Unidos Em uma aula mencio- escolar era algo grandio-nou uma série de aconteci- so. Através desse método osmentos marcantes da história alunos foram aos poucos sedo mundo, como o Holocaus- aproximando e participando,to e a segregação racial nos provocando mudanças na re-Estados Unidos, na tentativa alidade da sala de aula e dade sensibilizá-los. Também, escola, os próprios educandostentou mostrar para os alu- exemplo o nazismo que com- começaram a participar emnos o que realmente seria parado com as situações e- busca de alternativas parauma gangue, dando como xistentes naquela unidade alcançar objetivos. As tribos existentes nas salas de aula Os alunos gostavam colegas. Apesar de não rece- um pouco de suas histórias,de sentar em grupos, distri- ber o apoio da direção, que medos, anseios e esperançasbuídos por tribos, porém ela não era aberta a mudanças, e espontaneamente deixas-tentou modificar o espaço conseguiu aos poucos romper sem num armário para ela lerdistribuindo-os pela sala e com estas barreiras e con- no final da aula. Surpreen-proporcionando que todos quistar seu espaço. Utilizando dente é que todos deixaramviessem a se conhecer, visto seus próprios recursos, com- os diários escritos, e as histó-que havia alguns que não sa- prou diários para que os alu- rias emocionavam cada vezbiam nem o nome de seus nos escrevessem a cada dia, mais a jovem professora.
    • Volume 1, Edição 1 Página 3 O desinteresse pela leitura por parte dos alunos A escola não permitia na leitura e sentiram-se valo-que os alunos utilizassem os rizados.livros da biblioteca, a não seros de pouco valor. Pois a di-reção tinha medo que elesriscassem e rasgassem, pelofato de serem rebeldes. Entãoatravés da renda extra que aprofessora tinha, decidiu a-postar nos educandos e com-prou livros que envolviam arealidade dos mesmos e osinstigavam a ler. Foi impres-sionante, eles envolveram-se O preço da dedicação Seu marido não acei- culdade. Após ter lido o relatotou ver o sucesso e a dedica- dos diários, resolveu aplicarção que tinha com o ensino. o último projeto à turma, cri-Preferiu se divorciar do que ar um livro cujo nome seria,ajudá-la, mas isso não fez Escritores da Liberdade, quecom que ela desistisse, lutou logo depois foi a grande ins-e conseguiu acompanhar seus piração para o filme.alunos até o 4ª ano, quandoterminaram o ensino médio ealguns passaram para a fa- A mudança O movimento para a liberdade deve surgir e partir dos próprios oprimidos, e a pedagogia decorrente será aque- la que tem que ser forjada com ele e não para ele, enquanto homens ou povos, na luta incessante de recuperação de sua humanidade. Vê-se que não é suficiente que o oprimido te- nha consciência crítica da opressão, mas, que se disponha a transformar essa realidade; trata-se de um trabalho de conscientização e politização. (FREIRE, 1987)
    • A obra cinematográfica Escritores da Liberdade, foi lançada em 2007 pela categoria Drama. Produzida e dirigi- da Richard LaGravenese com duração de 122 minutos. Nossos Encontros acontecem às sexta– feiras Das 13h às 15h. WWW.professorasheilamonteiro. blogspot.com “Mas é preciso ter manha É preciso ter graça É preciso ter sonho sempre Quem traz na pele essa marca Possui a estranha mania De ter fé na vida…“ REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessá- rios à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.O filme Escritores da liberdade traz a histó- FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 28 ed. Rio de Janeiro,ria da grande An n e Frank... Paz e Terra, 1987.Sobre a escritora: Annelise Maria Frank, Autora - Maria Clenilda Signorini- Pedagoga formada pela Univer-mais conhecida como Anne Frank, (Frankfurt sidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões URIam Main, 12 de Junho de 1929 — Bergen- Campus Santiago/RS.Belsen, início de Março de 1945) foi uma Co-autora - Caroline Côrtes Lacerda Pedagoga formada pela Uni-adolescente alemã de origem judaica, que versidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões URImorreu aos 15 anos em um campo de con- Campus Santiago/RS, especialista em Psicopedagogia pela mesmacentração.Seu diário foi publicado pela pri- universidade .meira vez em 1947 e é atualmente um dos Organização: Professora Sheila Monteirolivros mais traduzidos em todo o mundo. Roteiro para discussão e análise 1) Por que Erin escolheu a carreira de professora e não de advogada? 2) Quais foram as dificuldades que ela encontrou no sistema escolar? 3) Qual foi o perfil de educadora que Erin apresentou, no primeiro momento, ao dar sua aula? 4) No início do filme, qual o retrato apresentado dos alunos? 5) Quais os aspectos negativos e positivos da resistência dos alunos em aceitar a escola e a professora? 6) O filme destaca muitos aspectos importantes referentes ao processo ensino-aprendizagem. Aponte três que sejam mais significativos, na sua opinião. 7) A história aborda um dos mais polêmicos temas da atualidade: a crise educacional. De acordo com a sua visão, quais são os principais fatores que con- tribuem para esse problema? 8) Destaque alguns princípios éticos que estruturaram a prática pedagógica da professora Erin. 9) Qual foi a cena do filme que mais tocou você? Justifique. 10) De acordo com os seus conhecimentos, relacione os temas que podem ser explorados no filme “Escritores da Liberdade”. 11) A história nos leva a refletir sobre muitas questões. Qual foi a lição que você absorveu para a sua vida pessoal? "Todos somos atores de nossa vida, mas nem sempre podemos ter sua autoria. O pensar [e o escrever] favorece a autoria da exis tência". ( Dulce Critelli,)