Jose Renato Simão Borges, Sofisa

1,080 views

Published on

Jose Renato Simão Borges, vice-presidente do banco Sofisa, no evento Cobrança em Debate 21/1010

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,080
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Jose Renato Simão Borges, Sofisa

  1. 1. Em time que está ganhando se mexe... José Renato Simão Borges - 21/10/10
  2. 2. Inflação ao Consumidor - IPCA % ao ano 0 5 10 15 20 25 30 35 40 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 363% 980% 1972% 1620% 472% 1119% 916% 2477% (%) População - Participação por Classes 15% 18% 15% 15% 16% 34% 36% 46% 45% 49% 51% 46% 39% 40% 35% 2005 2006 2007 2008 2009 D/E C A/B Salário Mínimo Real 0 100 200 300 400 500 600 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 (R$) +139% Renda Familiar por classe de consumo 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 A / B C D / E Total 2005 2006 2007 2008 2009 +2,0% +15,3% +34,5% +31,9% (R$)
  3. 3. Taxa de Desemprego % da PEA 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0 11,0 12,0 13,0 14,0 jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 (%) Comprometimento da Renda com o pagamento de prestações (%) 4,6 7,4 8,4 9,1 12,6 15,9 16,4 16,7 19,1 17,6 17,7 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
  4. 4. Principais Indicadores • Volume de crédito R$ 1,5 Trilhão, crescimento anual de 20% => pode dobrar com o cadastro positivo. • O volume de crédito sobre o PIB = 46% => projeta 50% para 12/2010. • Os juros para pessoa física estão no patamar mais baixo da série histórica iniciada em jul/94. • No ano de 2010: 2,5 milhões de novos empregos. • A inadimplência está no mesmo patamar pré crise e sob controle => volume de cheques devolvidos no menor índice dos últimos 3 anos. • Conclusão: busca por crédito ao consumidor atinge maior nível desde 2007 => a proximidade do final de ano, a confiança dos consumidores em alta e o bom momento do mercado de trabalho, com evolução favorável do emprego e da renda, estimularam a busca do crédito por parte das pessoas.
  5. 5. Só Alegria • Crescimento econômico com inflação sob controle e estabilidade política. • Grande geração de emprego formais e queda do desemprego, com aumento de renda e maior confiança do consumidor. • Maior oferta de crédito e baixa Basiléia. • Altas reservas internacionais, dívida externa equacionada e melhor perfil da dívida interna. • Alto fluxo de investimentos externos e fortalecimento do Mercado de Capitais. • Melhor distribuição de Renda. • Eventos: Copa do Mundo, Olimpíadas, Pré-sal.
  6. 6. Alguns Potenciais • Mais da metade da população não tem carro, computador e conta bancária • Ciclo do bem: mais crédito => maior crescimento => mais renda => aumento do consumo => mais emprego. • Taxa de juros baixas nos desenvolvidos e alta nos sub => aumenta o fluxo, inclusive entre emergentes => no Brasil menores juros nominais e reais. • Bancarização 30% => 60% em 10 anos = mais de 50 milhões. • Cadastro positivo – experiência internacional: – Ampliação de 30% dos processos de aprovação de crédito – Inadimplência reduziu 43% – Aumento de 90% no número de pessoas que solicitam crédito – Dobra o volume de ativos de crédito – Melhora qualidade do tomador (hoje concentrado na baixa renda) – Diferentes taxas por risco e inadimplência menor • Crédito Imobiliário – 3% PIB – Chile 17%. • Veículos: Brasil 3% PIB – Chile 6% - Desenvolvidos 9%.
  7. 7. Riscos • Apagão de mão de obra • Crise internacional • Alongamento de prazo • Grau de endividamento • Baixa taxa de Investimento • Gastos do Governo • Concentração bancária
  8. 8. Baixa Tecnologia Escassez de Ferramentas de Gestão Ausência de Controles/ Avaliação Centralizar Passado Delegar Deliberar Alçadas Descentralizar Hoje • Ferramentas de gestão • Informações gerenciais • Tecnologia avançada • Parceiros de Cobrança Controle Performance
  9. 9. Buscar excelência nos processos internos Venda Pós Venda
  10. 10. Estratégias de Cobrança • Cobrança como Unidade de Negócio: focada em aumentar receitas Recuperação de Crédito, reduzir despesas PDD, diminuir custos cobrança e judiciais. • Base de dados com histórico das fases de cobrança e forte higienização. • Assessoria com remuneração e carga baseadas em performance sobre metas. • Estratégias diferenciadas por região, histórico de comportamento e garantias. • Campanhas de incentivo esporádicas - descontos para riscos mais maturados. • Visitas constantes aos parceiros para controle e alinhamento. • Ação pré jurídica forte para não incorrer nos custos e morosidade judicial. • Envolvimento das áreas comerciais e parceiros para cobrança e localização, em especial dos maiores valores e riscos. • Agilizar e qualificar o processo de liberação e venda de veículos. • Indicadores multidimensionais: PDD, primeiras parcelas, rolagem, por vencimento, por emissão, etc. • Ferramentas de gestão, controle e processamento.
  11. 11. Crédito Imobiliário (como % do PIB) 89 85 75 62 59 59 54 39 36 36 31 24 17 17 17 13 10 8 8 7 7 6 4 3 2 2 1 NovaZelândia ReinoUnido EUA Portugal Espanha Austrália Canadá Alemanha França Japão HongKong Coréia Tailândia Itália Chile Hungria China Polônia México Rep.Checa Bulgária Índia Turquia Brasil Colômbia Argentina Rússia
  12. 12. Conclusão: Desafios da Cobrança • Recuperação de Crédito como Unidade de Negócio • Crescimento do Crédito Imobiliário

×