Your SlideShare is downloading. ×
0
Enchentes urbanas:novas oportunidades, incerteza e gestão                          do risco                        Dr. Lui...
Várzeas urbanasDesde as primeiras civilizaçõesgravadas (Mesopotâmia, Egito),os seres humanos tendem a seestabelecer em áre...
Incremento do risco de inundação   A ocorrência de inundações está a aumentar em                    muitos países         ...
Áfricamortes causadas por  inundações em                                16000       África                                ...
Análise de tendência (regional)Maxima anual de caudal específico e resultados da regressão                quantílica (sem ...
16000                                                                                       14000                         ...
(Di Baldassarre et al., Geophysical                                                        Research Letters, 2010)Inundaçõ...
A expansão urbana em áreas propensas                        a inundações24 de maio de 2004: o alagamento do rio transfront...
A expansão urbana      em áreas   propensas a    inundações                                              1967verde        ...
Europa  Mais e mais danos estão associados a perigos naturais  Desastres relacionados à água foram os mais caros  (75% dan...
Modelagem de enchentes urbanasPredição de propagação de cheias e padrões de inundaçãoPerigo inundação urbana/ mapeamento d...
Oportunidades:  Sensoriamento remoto                    Dr. Luigia Brandimarte                     Dr. Luigia BrandimarteM...
Remote Sensing (topografia)Airborne laser altimetry (LiDAR):Topografia de alta resolução (1m DTM; precisão de 10 cm)  (Di ...
Remote Sensing (mapas de inundações)Monitoramento de várzea, a avaliação do modelo, análise deincertezaUpton-upon-Severn (...
Airborne SAR (mapas de inundações)Rio Severn (UK) durante a enchente de novembro de 2000                           Dr. Lui...
Resultados do modeloModelo hidráulico 2D (elementos finitos)                       Dr. Luigia Brandimarte                 ...
Incerteza                    Dr. Luigia Brandimarte                     Dr. Luigia BrandimarteMarço 2012 --Seminário Chuva...
Incerteza na modelagem de várzeaPrincipais fontes de incerteza:- 1. Dados de entrada- 2. Dados de calibração- 3. Parâmetro...
1. A incerteza nos                                       dados de entrada                                       (vazão de ...
1.0 1. A incerteza nos dados de entrada                                                             0.5                   ...
2. Incerteza nos dados de calibraçãoRiver Dee (UK): 2 differentesimagens adquiridas ao mesmo tempodurante o evento do ano ...
3. A incerteza nos                                                           0.11                                         ...
4. A incerteza na estrutura do modelo                                                         “essencialmente,            ...
4. A incerteza na estrutura do modelo                                                               “essencialmente,      ...
Desafio: como lidar com a incerteza    Estimativa e Comunicação da Incerteza                                              ...
Gestão do risco                    Dr. Luigia Brandimarte                     Dr. Luigia BrandimarteMarço 2012 --Seminário...
O impacto humano nas bacias         hidrográficas         “The human footprint and the last of the wild”(Sanderson et al.,...
Diques: Impacto sobre a Hidrologia              4.5                                                                  2500 ...
Diques: Impacto sobre a Sociedade                                   Risco = Probabilidade X                               ...
Gestao integrada das enchentesDe defensa contra enchentes a gestao das enchentes“living with floods” “fighting floods”(viv...
KULTURisk              WP1. Methodology to evaluate the benefits of risk prevention                            Application...
KULTURisk: Casos de estudio        Carlisle     Somerset                      Zürich      Soča-                           ...
KULTURisk: MetodologiaPrevenção de riscos como investimentoDemonstrar o benefício de medidas preventivas nos caso deestudi...
Enchentes como um choque para o sistemaPIB ou“bem-estar”                                              Danos               ...
Enchentes como um choque para o sistemaPIB ou                      Desenvolvimento em áreas“bem-estar”                 pro...
Comunicação do Risco                                              Evento perdidoFalsos  alarmes                           ...
Sensibilização e preparaçãoExemplo: Prague(República Checa)Inundação do 2002, emborasignificativamente mais intensado que ...
Perspectiva Social   Hungarian Academy of Sciences – Institute of SociologyQue medidas seriam mais eficazes?Aumentar e for...
Pontos cruciais:1)Sensoriamento remoto pela observacao dos processos nas                               planicies     2) Ab...
UNESCO-IHE Institute for Water Education  Postgraduate Education, Training and Capacity Development           in Water, En...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Luigia Brandimarte (IHE)

369

Published on

Enchentes urbanas: novas oportunidades, incerteza e gestão do risco.

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
369
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Luigia Brandimarte (IHE)"

  1. 1. Enchentes urbanas:novas oportunidades, incerteza e gestão do risco Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  2. 2. Várzeas urbanasDesde as primeiras civilizaçõesgravadas (Mesopotâmia, Egito),os seres humanos tendem a seestabelecer em áreas alagáveisQuase um bilhão de pessoas, amaioria delas habitantes maispobres do mundo, vivematualmente em áreas alagáveis Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  3. 3. Incremento do risco de inundação A ocorrência de inundações está a aumentar em muitos países (Bangkok, October 2011) Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  4. 4. Áfricamortes causadas por inundações em 16000 África 14000 12000 (EM-DAT, 2010) 10000 Fatalities 8000 6000 4000 2000 0 1950-1969 1970-1989 1990-2009 Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  5. 5. Análise de tendência (regional)Maxima anual de caudal específico e resultados da regressão quantílica (sem tendência) 10 Specific peak discharge (m3/s/km2) 1 0.1 0.01 0.001 1900 1920 1940 1960 1980 2000 (Di Baldassarre et al., Geophysical Research Letters, 2010) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Frutal - Hidroex
  6. 6. 16000 14000 África 12000 10000 Fatalities mortes causadas por 8000 inundações em África 6000 4000 (EM-DAT, 2010) 2000 0 1000 1950-1969 1970-1989 1990-2009 Urban 900 Total 800Urban population (millions) 700 600 500 população total e 400 300 urbana na África 200 (UN, 2010) 100 0 Dr. Luigia Brandimarte 1950 Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto 1960 1970 1980 1990 2000 2010
  7. 7. (Di Baldassarre et al., Geophysical Research Letters, 2010)Inundações emÁfrica e DinâmicaPopulacionalO crescimento populacional(1960-2000) na ÁfricaInundações [pontos] einundações mortais [círculos]nos últimos anos (1985-2009) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  8. 8. A expansão urbana em áreas propensas a inundações24 de maio de 2004: o alagamento do rio transfronteiriçoSoliette matou mais de 1.000 haitianos e dominicanos Antes Depois (Brandimarte et al., Physics and Chemistry of the Earth, 2009) Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  9. 9. A expansão urbana em áreas propensas a inundações 1967verde 1984 laranja 2000 vermelho Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  10. 10. Europa Mais e mais danos estão associados a perigos naturais Desastres relacionados à água foram os mais caros (75% danos em áreas urbanas; EM-DAT, 2010)Directiva FloodDirectiva Seveso IIQuadro comunitário de prevenção de catástrofes na UEavaliação de riscos e diretrizes de mapeamento Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  11. 11. Modelagem de enchentes urbanasPredição de propagação de cheias e padrões de inundaçãoPerigo inundação urbana/ mapeamento do riscoGestão da planicie (zoneamento) Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  12. 12. Oportunidades: Sensoriamento remoto Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia BrandimarteMarço 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro PretoMarço 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  13. 13. Remote Sensing (topografia)Airborne laser altimetry (LiDAR):Topografia de alta resolução (1m DTM; precisão de 10 cm) (Di Baldassarre et al., Surveys in Geophysics, 2011) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  14. 14. Remote Sensing (mapas de inundações)Monitoramento de várzea, a avaliação do modelo, análise deincertezaUpton-upon-Severn (Reino Unido), durante a enchente denovembro de 2000SAR images (ASAR e ERS-2) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  15. 15. Airborne SAR (mapas de inundações)Rio Severn (UK) durante a enchente de novembro de 2000 Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  16. 16. Resultados do modeloModelo hidráulico 2D (elementos finitos) Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  17. 17. Incerteza Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia BrandimarteMarço 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro PretoMarço 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  18. 18. Incerteza na modelagem de várzeaPrincipais fontes de incerteza:- 1. Dados de entrada- 2. Dados de calibração- 3. Parâmetros do modelo- 4. Estrutura do modelo Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  19. 19. 1. A incerteza nos dados de entrada (vazão de um rio)A incerteza nos dados devazão do rio pode ser 16000muito alta 14000 Rating Curve Measured Points 12000 River Discharge (m /s) Polynomial function 3> Dados referidos 10000condições de alto fluxo 8000 6000quando curvas de 4000classificação são 2000extrapolados para além da 0 8 10 12 14 16 18 20faixa de medição River Stage (m) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  20. 20. 1.0 1. A incerteza nos dados de entrada 0.5 L-kurtosis CD AB (enchente de 0.0 UK floods data Case number projeto) -0.5 -0.5 0.0 Poli. (UK floods data) 0.5 1.0 L-skewness 1Enchente de projecto (por 0.8exemplo, inundações de 1 0.6 0.4ano-em-200): tamanho da 0.2 relative erroramostra, escolha do modelo 0 -0.2probabilístico, parametrização, -0.4etc ... -0.6 -0.8 -1 EV1 NORM GEV GAM EV2 LN LP3 AIC BIC ADC Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  21. 21. 2. Incerteza nos dados de calibraçãoRiver Dee (UK): 2 differentesimagens adquiridas ao mesmo tempodurante o evento do ano 2006 ENVISAT (75 m) Processadas por 5 differentes tecnicas ERS-2 (12.5 m) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  22. 22. 3. A incerteza nos 0.11 Mean absolute error (2008 inundation width) [m] 700 500 900 10 00 400 600 800 Mannings n floodplain parâmetros do 0.09 700 500 900 10 00 600 400 80 0 modelo 0.07 70 0 500 90 0 10 00 600 400 80 0 0.05 0.02 0.03 0.04 0.05 Mannings n channelNão-estacionariedade de Mean absolute error (2000 high water marks) [m]valores de parâmetros com a 0.11 0.6 1.2 1.2 1.4 1 0.6 0.8 0.8 0.4 1.4mudança de magnitude de 0.4 Mannings n floodplain 1 0.09eventos 1.6 1.2 0.6 .4 1.2 1 1.4 0.6 0. 8 0.8 0 1 0.4 0.07 0. 1.6 4 1.2 1 0.6 1.4 0.8 0.4 0.05 0.02 0.03 0.04 0.05 Mannings n channel Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  23. 23. 4. A incerteza na estrutura do modelo “essencialmente, todos os modelos estão errados, mas alguns são úteis ” George E.P. Box Exemplo: topografia LiDAR de New York City (source: RST NASA) Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  24. 24. 4. A incerteza na estrutura do modelo “essencialmente, todos os modelos estão errados, mas alguns são úteis ” George E.P. Box Exemplo: topografia LiDAR de New York City (source: RST NASA)Topografias de alta resolução estão provocando modelagens extremamentedetalhadas (resolução de até 50 centímetros!)Não é isso só falsamente preciso? E sobre a localização dos carros ou a manutenção de sistemas urbanos dedrenagem, permeabilidade dos edifícios? Somos realmente capaz desimular um sistema tão "caótico"? Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  25. 25. Desafio: como lidar com a incerteza Estimativa e Comunicação da Incerteza Abordagem ProbabilisticaAbordagemDeterministica Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  26. 26. Gestão do risco Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia BrandimarteMarço 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro PretoMarço 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  27. 27. O impacto humano nas bacias hidrográficas “The human footprint and the last of the wild”(Sanderson et al., Bioscience, 2002; Wagener et al., WRR, 2010; Sivapalan et al., HP Today, 2011) Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  28. 28. Diques: Impacto sobre a Hidrologia 4.5 2500 16.0 4 12.0 Lenght of levee system (Km) 2000 3.5 8.0Flood depth (m) Z (m a.s.l.) 3 1500 4.0 2.5 0.0 2005 2 Flood depth 1000 -4.0 1878 1.5 Lenght of the levee system -8.0 1 500 0 100 200 300 400 500 1800 1840 1880 1920 1960 2000 Y (m) years 14000 13000 12000 11000 Flow (m s ) 3 -1 10000 Rio Po em Pontelagoscuro 9000 8000 (Italia) 7000 Cremona Pontelagoscuro (1878) Pontelagoscuro (2005) 6000 0 50 100 150 200 Time (hr) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  29. 29. Diques: Impacto sobre a Sociedade Risco = Probabilidade X Conseqüências PARADOXO DO DIQUE! Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  30. 30. Gestao integrada das enchentesDe defensa contra enchentes a gestao das enchentes“living with floods” “fighting floods”(viver com as enchentes em vez de lutar contra)UNESCO–IFI, EU Flood Directive (2007), Dutch project“Room for the river”, UK policy “Making Space for Water“ Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  31. 31. KULTURisk WP1. Methodology to evaluate the benefits of risk prevention Application to Water-related Disasters WP2. Early warning WP3. Mapping, WP4. Structural and preparedness planning, risk transfer protection measures WP5. Risk communication & dialogue with stakeholders Dr. Luigia Brandimarte Dr. Luigia BrandimarteWP6. Validation of the method and generalisation to other disasters (fires, earthquakes, etc…) Março 2012 --Seminário Chuvas e Desastres Urbanos --Ouro Preto Março 2012 Seminário Chuvas e Desastres Urbanos Ouro Preto
  32. 32. KULTURisk: Casos de estudio Carlisle Somerset Zürich Soča- Isonzo Danube Barcellonette Dr. Luigia BrandimarteMarço 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  33. 33. KULTURisk: MetodologiaPrevenção de riscos como investimentoDemonstrar o benefício de medidas preventivas nos caso deestudios de KULTURiskOs custos de desastres relacionados à água são difíceis dequantificar (diretos, indiretos, tangíveis e intangíveis)Custos intangíveis (impacto psicológico, por exemplo) têm sidonegligenciada na área de desastres relacionados à água (www.kulturisk.eu) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  34. 34. Enchentes como um choque para o sistemaPIB ou“bem-estar” Danos causados ​por enchentes Time Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  35. 35. Enchentes como um choque para o sistemaPIB ou Desenvolvimento em áreas“bem-estar” propensas a inundações Desenvolvimento em outras áreas Time Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  36. 36. Comunicação do Risco Evento perdidoFalsos alarmes (Demeritt, 2011) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  37. 37. Sensibilização e preparaçãoExemplo: Prague(República Checa)Inundação do 2002, emborasignificativamente mais intensado que a anterior que ocorreuem 1997, levou a um númeromuito menor de mortesrelacionadas com o evento(Marešová & Mareš, MITCH Proceedings, 2003) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  38. 38. Perspectiva Social Hungarian Academy of Sciences – Institute of SociologyQue medidas seriam mais eficazes?Aumentar e fortalecer os diques existentes 74%Reflorestamento da bacia 61%Remoção de diques para aumentar a atenuação 21%Apoio financeiro para a transferência de pessoas fora deáreas de alto risco 14% (Vari and Ferencz, Frontiers in Flood Research, 2006) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  39. 39. Pontos cruciais:1)Sensoriamento remoto pela observacao dos processos nas planicies 2) Abordagem probabilistica contra deterministica 3) Terminologia coerente; estrutura sistemica; diretrizes na estimativa e comunicacao da incerteza 4) Abordagem GLOBAL na modelagem (levar em contadinamica populacional) e gestao do risco (atores diferentes) Dr. Luigia Brandimarte Março 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  40. 40. UNESCO-IHE Institute for Water Education Postgraduate Education, Training and Capacity Development in Water, Environment and Infrastructure l.brandimarte@unesco-ihe.org www.kulturisk.eu www.unesco-ihe.org Dr. Luigia BrandimarteMarço 2012 - Seminário Chuvas e Desastres Urbanos - Ouro Preto
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×