31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)

3,058 views
2,770 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,058
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
220
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)

  1. 1. Palavra-chave: “Lamento” Jerusalém, Ano 587 antes do nascimento de Cristo Lamentações do PROFeTa Jeremias
  2. 2. DIVISÃO HISTÓRICA DA BÍBLIA OS PROFÉTICOS 05 MAIORES Isaías Jeremias Lamentações Ezequiel Daniel
  3. 3. Lamentações é um apêndice à profecia de Jeremias, que registra a tristeza aguda e dolorosa do profeta pelas misérias e desolações de Jerusalém, resultantes de seu cerco e destruição. Foi escrito logo após a invasão e destruição de Jerusalém por Nabucodonosor, rei a da Babilônia. Quero trazer á memória o que me pode dar esperança Lm.3:21
  4. 4. Objetivo principal do livro Ensinar o povo Judeu a reconhecer a mão da justiça de Deus que, pela calamidade, conduz o seu povo ao arrependimento Lamentações foi adotada pelo povo Judeu como o triste canto de arrependimento sincero.
  5. 5. Muro das Lamentações Os judeus cantam este poema melancólico no muro da lamentações toda sexta-feira, em Jerusalém, e o dia 9 de agosto é o Dia destinado a lamentação das cinco calamidades que vieram à nação.
  6. 6. • escrita logo após a destruição de Jerusalém (ocorrida em julho/agosto de 586 a.C.), • esta série de cinco poemas lamenta a perda do esplendor e a miséria a que foi reduzida a "cidade do grande rei". O PROPÓSITO DO LIVRO
  7. 7. Versículo-chave do Livro "Tornou-se o Senhor como inimigo, devorou Israel; devorou todos os seus palácios, destruiu as suas fortalezas; e multiplicou na filha de Judá o pranto e a lamentação. Demoliu com violência o seu tabernáculo, como se fosse uma horta; destruiu o lugar da sua congregação; o SENHOR, em Sião, pôs em esquecimento as festas e o sábado, e, na indignação da sua ira, rejeitou com desprezo o rei e o sacerdote" (2.5,6).
  8. 8. PRIMEIRO POEMA A Cidade representada como uma viúva que chora Cap.1 - a destruição de Jerusalém Esboço do Livro O Livro consiste em cinco poemas “Como jaz solitária a cidade outrora populosa! Tornou-se como viúva a que foi grande entre as nações... Chora e chora de noite e as suas lágrimas lhe correm pela face” Lm.1:1,2
  9. 9. SEGUNDO POEMA A Cidade representada como uma mulher com véu, chorando em meio às ruínas Cap.2 - a ira do SENHOR Esboço do Livro O Livro consiste em cinco poemas “Como o Senhor cobriu de nuvens, na sua ira, a filha de Sião! ... Demoliu com violência o seu tabernáculo... As suas portas caíram por terra..” Lm.2:1,6,9
  10. 10. TERCEIRO POEMA A Cidade representada pelo profeta que chora e lamenta ante Jeová, o Juiz Cap.3 - a misericórdia do SENHOR Esboço do Livro O Livro consiste em cinco poemas “Eu sou o homem que viu a aflição pela vara do furor de Deus. Ele me levou e me fez andar em trevas e não na luz. Tu lhes darás a paga, Senhor, segundo a obra das suas mãos” Lm.3:1,64
  11. 11. QUARTO POEMA A Cidade representada como ouro embaraçado, mudado e degradado Cap.4 - o cerco de Jerusalém Esboço do Livro O Livro consiste em cinco poemas “Como se escureceu o ouro! Como se mudou o ouro refinado! Como estão espalhadas as pedras do santuário pelas esquinas de todas as ruas! ... Foi por causa dos pecados dos seus profetas...” Lm.4:1,13
  12. 12. QUINTO POEMA A Cidade representada como um suplicante que roga ao Senhor Cap.5 - o pedido de restauração Esboço do Livro O Livro consiste em cinco poemas “Lembra-te, Senhor, do que nos tem sucedido; considera e olha para o nosso opróbrio... Tu, Senhor, reinas eternamente, o teu reino subsiste de geração em geração. Por que te esquecerias de nós para sempre?” Lm.5:1,19,20
  13. 13. - há uma palavra do Senhor Jesus que alerta o seu povo: "O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então o lobo as arrebata e dispersa" (Jo 10.12). - Estas palavras estão em sólida ligação com a experiência de Jerusalém descrita em 1.2 – "...não tem quem a console entre todos os que a amavam...". - Os amigos amealhados no mundo, na iniquidade, só estão por perto enquanto podem tirar algum proveito. Vindo a tormenta, nos abandonam! LIÇÕES DO LIVRO 1ª. Lição
  14. 14. - 6.14 diz: "Os teus profetas te anunciaram visões falsas e absurdas, e não manifestaram a tua maldade, para restaurarem a tua sorte...". Que responsabilidade, a de um pregador da Palavra do Senhor! É seu dever manifestar a maldade do povo. É seu dever pregar contra o pecado. E isso, com uma finalidade: restaurar vidas. Pregação que não acusa o pecado, que não manifesta a maldade humana, que só promete bens materiais, é pregação que não tem o selo do céu! Seja fiel! O dia do Senhor está próximo: que você não venha a ter que lamentar-se por uma pregação superficial e mundana. LIÇÕES DO LIVRO 2ª. Lição
  15. 15. Que nunca nos esqueçamos desta grande e maravilhosa verdade: a única razão de não sermos consumidos são as misericórdias do Senhor. Nada há em nós que possa atrair Sua bênção. Nada. Absolutamente nada! Por outro lado, em Sua grande fidelidade, o Senhor renova as Suas misericórdias para conosco a cada manhã. Grande é a sua fidelidade! LIÇÕES DO LIVRO 3ª. Lição
  16. 16. O salário do pecado é muito doloroso. Vejamos um exemplo: "As mãos das mulheres outrora compassivas cozeram seus próprios filhos; estes lhes serviram de alimento na destruição da filha do meu povo" (4.10). Não se brinca com o pecado. O preço a pagar é amargo. "Horrível cousa é cair nas mãos do Deus vivo" (Hb 10.31). LIÇÕES DO LIVRO 4ª. Lição
  17. 17. O pedido expresso em 5.21 é de uma honestidade maravilhosa: "Converte-nos a ti, SENHOR, e seremos convertidos". Ninguém tem como converter-se por si mesmo. A mudança do coração humano só pode ocorrer pela ação sobrenatural e soberana do Senhor. A nós, cabe clamar, clamar, e esperar. Afinal, Ele não lança fora aquele que O busca! LIÇÕES DO LIVRO 5ª. Lição
  18. 18. neste livro, o profeta Jeremias, ao chorar a miséria de Jerusalém, identifica-se com o Senhor Jesus que, 600 anos mais tarde, iria chorar sobre a cidade, considerando sua dureza de coração e todo o juízo que sofreria em função do seu pecado (Mt 23.37,38) “Jerusalém, Jerusalém, que mata os teus profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir os teus filhos... E vós não o quisestes!” A CRISTOLIGIA DO LIVRO
  19. 19. Também os versos 14 e 30 do capítulo 3 apontam para o sofrimento do Messias: “Foi feito objeto de escárnio... Dê a face ao que o fere; farte-se de afronta, o Senhor não rejeitará para sempre” (Mt.27:27-31) “E tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça... E cuspindo nele, tomaram um caniço e davam com ele na cabeça” A CRISTOLIGIA DO LIVRO

×