• Like
Violência
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Violência

  • 1,120 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,120
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
36
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Semana Promoção da Saúde
  • 2. Tipos de violência1. Violência física - Consiste no uso da força física com o objectivo de ferir, magoar, causar dano à integridade física de uma pessoa, deixando ou não marcas visíveis. Traduz-se em:• Pontapés;• Bofetadas;• Empurrões;• Espancamentos;• Atirar objetos;• Usar armas;• Provocar queimaduras;• Tentativas de homicídio;• Morte.
  • 3. A violência está presente em todo o lado, em todas as raças, cores, nacionalidades ou mesmo emqualquer estatuto social. Rihanna foi violentamente agredida por o seu então namorado, ChrisBrown, que é também um conhecido músico, em Fevereiro de 2009, após uma discussão que tevecomo causa o fato de Rihanna ter observado Chris Brown a fazer-se á cantora Leona Lewis numa festa.
  • 4. Tupac Shakur e Notorious Big, são sem dúvida um dos maiores exemplos que por muitasvezes a violência, gera a morte.Tupac e Notorious
  • 5. Tipos de violência2. Violência psicológica – Consiste em provocações verbais, que têm como objetivo rebaixar e diminuir o auto estima, fazendo a vítima sentir-se mal consigo mesma e não conseguir valorizar a sua pessoa.Este tipo de violência é muito comum em diversas situações, sejam elas entre marido e mulher, namorados, patrão e funcionário ou até mesmo entre pais e filhos.Certas vezes os maus tratos psicológicos conseguem deixar mais marcas do que os físicos.
  • 6. BullyingÈ um fenómeno que representa um conjunto de ações agressivasintencionais, repetitivas, envolvendo desigualdades de poder físico, social oupsicológico entre alunos, gerando situações de conflito e exclusão social.Na maioria das vezes o bullying é causado por 3 fatores principais:1. Sentimento de Superioridade;2. Sentimento de impunidade;3. Transtorno de caráter.
  • 7. BullyingO alvo de quem comete o bullying geralmente é:1. Pessoas tímidas;2. Pessoas sem envolvimento social;3. Pessoas de grupos diferentes;4. Pessoas que não se submetem facilmente.
  • 8. BullyingOs principais atos do bullying são:· Apelidar;· Ameaçar;· Agredir;· Hostilizar;· Ofender;· Humilhar;· Discriminar;· Excluir;· Isolar;· Intimidar;· Perseguir;· Assediar;
  • 9. Violência domésticaA Violência Doméstica é um atentado à dignidade do Ser Humano.Violência Doméstica é definida como qualquer conduta ou omissão queinflija reiteradamente sofrimentos físicos, sexuais, psicológicos oueconómicos, de modo directo ou indirecto, (por meio deameaças, enganos, coação ou qualquer outro meio) a qualquer pessoa quehabite no mesmo agregado familiar ou que não habitando, seja cônjuge oucompanheiro ou ex-cônjuge ou ex-companheiro, ascendente oudescendente.
  • 10. Tipos de violência domésticaMaus tratos físicos (pontapear, esbofetear, atirar coisas)Isolamento social (restrição do contacto com a família e amigos, proibir oacesso ao telefone, negar o acesso aos cuidados de saúde)Intimidação (por acções, por palavras, olhares)Maus tratos emocionais, verbais e psicológicos (acções ou afirmações queafectam a auto-estima da vítima e o seu sentido de auto-valorização)Ameaças (à integridade física, de prejuízos financeiros)Violência sexual (submeter a vítima a práticas sexuais contra a sua vontade)Controlo económico (negar o acesso ao dinheiro ou a outros recursosbásicos, impedir a sua participação no emprego e educação)
  • 11. Este decréscimo do número de denúncias e de situações reportadas pelaPSP deverá ser, em grande medida, resultado da crescentesensibilização, tanto da opinião pública como das forças de segurança para aproblemática da violência doméstica, bem como da formação entretantoministrada nos diversos Comandos e subunidades da PSP.Quanto ao grau de parentesco entre a vítima e o agressor, de acordo com aanálise dos dados da PSP, em 70% das ocorrências as relações familiaresexistentes entre o suspeito de autoria do(s) crime(s) e a vítima são deconjugalidade (cônjuges ou companheiros/as), em 10% das situações são ex-cônjuges ou ex-companheiros(as), em 8% dos casos são filhos ou filhas e em6% são pais, mães, padrastos ou madrastas.Na análise das situações de violência denunciada ou reportada pela PSPconstata-se uma prevalência de vítimas do sexo feminino. (86% das vítimassão do sexo feminino e 14% do sexo masculino)
  • 12. Estatuto processual da vítimaA vítima DEVE colaborar com a Justiça mostrando-sedisponível para:· Prestar informações. (deve fornecer de imediato àsautoridades policiais e judiciárias qualquer alteração demorada, local de trabalho, telefone ou outros dados queconsidere relevantes).· Comparecer a diligências. (desde que devidamenteconvocada deve comparecer a inquirições, exames médicos ououtras diligências processuais).· Fornecer provas. (deve comunicar às autoridades policiais oujudiciárias competentes novos factos que ocorram no âmbitodo mesmo processo ou mencionar registo de outros inquéritospendentes).
  • 13. Estatuto processual da vítimaUma vez apresentada a queixa, a vítima tem o DIREITO de:· Obter uma resposta judiciária no prazo limite de 8 meses. (8 mesesdepois de iniciado o inquérito sem que tenha havido uma resposta judiciáriapode solicitar a urgência do processo junto do Tribunal competente).· Ter o apoio de um advogado. (caso a sua situação económica/social ojustifique pode requerer através dos serviços da Segurança Social o apoiogratuito).· Requerer a sua constituição como assistente e intervir noinquérito.(podendo oferecer provas e requerer diligências).A vítima deve ser ainda informada pelas autoridades judiciárias de outrosdireitos que lhe assistam no âmbito do processo, nomeadamente:· O de não prestar declarações.· O de requerer a suspensão provisória do processo com aplicação dedeterminadas obrigações e regras de conduta ao agressor.
  • 14. Contatos úteisPolícia de Segurança Pública - contacte a Esquadra da área da sua residênciaLinha Nacional de Emergência Social (LNES) - 144Serviço de Informação a Vítimas de Violência Doméstica - 800 202 148Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) - 707 20 00 77UMAR - 21 886 70 96Estrutura de Missão Contra a Violência Doméstica - 21 312 13 04Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres - 21 798 30 00(Lisboa) - 22 207 43 70 (Porto)Associação de Mulheres Contra a Violência - 21 380 21 60Associação Portuguesa de Mulheres Juristas - 21 759 44 99Casa da mãe - Obra de promoção social do distrito de Coimbra - 239 82 76 66 /96 366 7059Serviço de Apoio à Mulher (Angra do Heroísmo) - 295 2178 60Associação Presença Feminina (Funchal) - 291 7597 77