Your SlideShare is downloading. ×
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Historia e evolução da moeda

18,478

Published on

1 Comment
5 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
18,478
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
328
Comments
1
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. História e Evolução da Moeda Actividades Económicas
  • 2. •A moeda é a unidade representativa de valor, aceita comoinstrumento de troca. É hoje parte integrante da sociedade,controla, interage e participa dela, independentemente dacultura. O desenvolvimento e a ampliação das basescomerciais fizeram do dinheiro uma necessidade. Sejam quaisforem os meios de troca, sempre se tenta basear em um valorqualquer para avaliar outro.
  • 3. •Em épocas de escassez de meio circulante, a sociedadeprocura formas de contornar o problema (dinheiro deemergência), o importante é não perder o poder de troca ecompra. Podem substituir o dinheiro governamental: cupons,passes, recibos, cheques, vales, notas comerciais entre outros.
  • 4. • O sedentarismo veio possibilitar a melhoria dosinstrumentos de trabalho e o aumento da produtividade;•O aumento da produtividade originou o aparecimento deexcedente económico (diferença entre o que se produz e oque se consome);•O aparecimento do excedente económico provocou edinamizou o sistema de trocas. No início as trocas eramdirectas, isto é, trocavam-se produtos por produtos.
  • 5. •Dificuldade que cada pessoa sentia em encontrar outrainteressada na troca de determinados produtos;•O facto das pessoas atribuírem valores diferentes aos produtos,por vezes não fraccionáveis, não permitia o acordo quanto àtransacção a efectuar;•Peso dos produtos a transportar por vezes era difícil;•Também , a sua validade, tinha-se de trocar quando se tinha emexcesso e do tempo dos produtos da sua época;
  • 6. •Chama-se troca indirecta quando se •Chama-se Troca directa quando, setroca , por exemplo , uma boa troca-se, por exemplo 1Kg dealimentação por dinheiro e visse cenouras por um 1Kg de Maças eversa . Esta troca é a mais usada hoje visse versa.em dia.
  • 7. •Os obstáculos que se coloram à troca directa acabaram porser ultrapassados quando a moeda passou na ser utilizadacomo intermediária nas trocas.•As trocas passaram então, a ser feitas em duas fases: numaprimeira fase, o produtor troca o resultado da sua actividadepor moeda e, numa segunda fase, troca a moeda peloproduto que pretende adquirir – é a chamada troca indirecta.
  • 8. •A introdução da moeda no acto da troca veiopermitir o incremento da actividade comercial e daactividade produtiva, bem como do consumo.•A moeda pode ser definida como um bem deaceitação generalizada que se utiliza comointermediário nas trocas.
  • 9. A moeda ao longo da História evoluiu aparecendo sob diferentes formas: •Moeda - mercadoria •Moeda metálica •Moeda - papel •Moeda escritural
  • 10. •Nas sociedades primitivas muitos foram os bens utilizados como moeda:gado; cereais; sal , conchas; búzios; peixes, etc.•Cada sociedade adoptava como moeda os bens relacionados com a suaactividade principal.•Assim, os pescadores utilizavam, como moeda, conchas, peixes ou sal; ospastores, o gado; os agricultores os cereais, etc. era a moeda - mercadoria.
  • 11. •Como a moeda mercadoria apresentava váriasdesvantagens visto que: o gado não era divisível, talfacto dificultava as trocas de menor valor, o peixeestragava-se e o sal não era duradouro porquesofria com a humidade.•Para superar estes inconvenientes foi-segeneralizando , a utilização de metais como moeda.
  • 12. Facilidade de transporte;Durabilidade;Divisibilidade; Maior aceitação.
  • 13. •Com os Descobrimentos houve umgrande incremento da actividadecomercial, o que originou o transportede grandes quantidades de moeda,tarefa difícil e perigosa. Para resolvereste problema os cambistas e os ourivesao receberem as moedas guardavam-nase emitiam os respectivos certificados dedepósito ou letras de câmbio, de fáciltransporte, originando o aparecimentodo papel-moeda.
  • 14. •A moeda - papel, constituída por notas de banco, foi assumindodiferentes espécies em função em função do grau de vinculação àmoeda metálica.•A moeda - papel, constituída por notas de banco, começou por sermoeda representativa, pois à quantidade de notas em circulaçãoequivalia igual valor de ouro ou prata retido nos cofres dos bancos.•No final do séc. XVII, esta nova forma de moeda já se tinhageneralizado em toda a Europa
  • 15. •No séc. XVIII o Banco de Estocolmo emitiu pela primeira vez notas debanco cujo valor era superior à quantidade de ouro retida nos seuscofres. Surgiram assim, as primeiras emissões de moeda de papel adescoberto, ou seja, sem igual contrapartida de ouro retido nos cofresdo banco. O valor do ouro depositado correspondia apenas a umaparte do valor das notas emitidas. Este tipo de moeda é designado pormoeda fiduciária por se basear na confiança que os clientesdepositam nos bancos.
  • 16. •Esta situação tornava-se arriscada para os depositantes,na medida em que os bancos encontravam-seincapacitados de reembolsar em ouro, em simultâneo,todos os seus clientes.•- No sentido de ultrapassar o problema, e já no séculoXIX, os governos vão intervir no mecanismo de emissãode moeda, confiando esta função apenas aos bancosemissores por si controlados.
  • 17. •Esta medida é acompanhada pela decisão de inconvertibilidade dasnotas de banco em ouro, cabendo aos governos estabelecer ovalor da moeda-papel emitida, podendo este valor coincidir ou nãocomo valor do ouro depositado no banco emissor.•O Estado impôs o curso forçado às notas, dispensando o banco da suaconversão. É o aparecimento do papel-moeda, que é actualmente otipo de moeda de papel em circulação.
  • 18. Moeda representativa;Moeda fiduciária;Papel-moeda.
  • 19. •Esta moeda resulta dos depósitos feitos pelosparticulares e pelas empresas nos bancos e traduz-se nas movimentações de valores monetários feitaspelos bancos por simples jogos de escrita nascontas dos seus clientes. A moeda - escrituralresulta, assim, da circulação dos depósitos àordem.
  • 20. •Actualmente, a circulação das quantiasdepositadas nas contas à ordem dos clientes dosbancos é processada por computador emovimentam-se através dos seguintesinstrumentos: cheques, transferências bancárias,cartões de débito, cartões de crédito, etc.
  • 21. •A moeda-escritural tem-sedesenvolvido em todo omundo, intervindo na maiorparte dos pagamentosefectuados, dadas as suasenormes vantagens ao nívelda divisibilidade,conservação e transporte.
  • 22. •Resulta da utilização de cartõesinformatizados em máquinas postaspelos bancos á disposição dos seusclientes em vários locais, dentro efora das suas instalações, como sejana rua, nos centros comerciais, etc.Deste modo, o possuidor de umdesses cartões, Cartão Multibanco,poderá em qualquer dia e hora teracesso á sua conta bancária.
  • 23. •Resulta de ordens dadas por computadorentre agentes económicos.•De facto , muitas empresas dão ordens depagamento aos sues bancos por viainformática, já que dispõem, nas suasinstalações, um terminal num computadorque as liga directamente á sua entidadebancária.•Assim, através de instruçõesinformatizadas, os negócios efectuam-se deforma rápida e eficaz .
  • 24. A moeda desempenha em simultâneo várias funções: 1. Meio de pagamento; 2. Unidade de conta ou medida de valor; 3. Reserva de valor.
  • 25. •A função central do dinheiro é a de servir comomeio de troca. Sem dinheiro estaríamosconstantemente a procura de alguém para umatroca directa. A moeda e então um meio depagamento, pois sendo aceite por todos, éutilizada na aquisição de todos os bens.
  • 26. •O dinheiro também é usado como unidade deconta, a unidade com que medimos o valor dascoisas. Tal como medimos o peso emquilogramas, medimos o valor em dinheiro, oseu preço. O uso de uma unidade de contacomum simplifica imenso a vida económica.
  • 27. •O dinheiro é por vezes usado como reserva de valor. Emcomparação com activos com risco, como acções, imóveis ououro, o dinheiro é relativamente seguro. Antigamente, aspessoas possuíam numerário como uma forma segura deriqueza. Actualmente, quando as pessoas procuram um lugarseguro para a sua riqueza, esta é detida predominantementena forma de activos não monetárias, como depósitos depoupança, acções, obrigações e imóveis.
  • 28. •A moeda não é o único activo a desempenhar esta função;•O ouro, as acções, as obras de arte e mesmo os imóveistambém são reservas de valor. A grande diferença entre a moedae as outras reservas de valor está na sua mobilização imediata dopoder de compra (maior liquidez), enquanto os outros activostêm de ser transformados em moeda antes de serem trocadospor outro bem.
  • 29. •Da moeda mercadoria até aos nossos dias desenvolveu-seum longo processo de desmaterialização da moeda. Isto é, amoeda foi perdendo o seu conteúdo material, pois passou aser formada por pedaços de papel impressos, legalizados peloBanco Central (papel-moeda) e, mais recentemente, pormeros registos contabilísticos, efectuados pelos bancos, dacirculação dos depósitos (moeda escritural), não tendo amoeda já nenhuma realidade material.
  • 30. •O incremento das trocas e o desenvolvimento daactividade económica são responsáveis peloprogressivo recurso à moeda escritural, que torna oprocesso de transacção fácil e mais rápido.
  • 31. •Actualmente, enormes quantias circulam entrecontas bancárias no mesmo país, ou entre países,através de meios electrónicos, o que constitui maisum passo no processo de desmaterialização damoeda – grande parte das transacções actuais sãoefectuadas através da movimentação contabilísticados depósitos por via informática.

×