A Sexualidade Do Ponto De Vista Social.Ppt1(1)1

4,451
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
4,451
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
65
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A Sexualidade Do Ponto De Vista Social.Ppt1(1)1

  1. 1. Professora-Sexóloga-Terapeuta-Palestrante E-mail [email_address] http://telmaomd.blogspot.com/
  2. 2. www.gandaiabr.net/2008/04/ sexualidade-na-adolescencia .html - 87k -
  3. 3. www.gandaiabr.net/2008/04/ sexualidade-na-adolescencia .html - 87k -
  4. 4. www.gandaiabr.net/2008/04/ sexualidade-na-adolescencia .html - 87k -
  5. 5. A Sexualidade do Ponto de Vista Social
  6. 6. CIVILIZAÇÕES ANTIGAS VIDA SEXUAL ERA REDUZIDA
  7. 7. CIVILIZAÇÕES ANTIGAS
  8. 8. PRÁTICA SEXUAL
  9. 9. PRÁTICA SEXUAL <ul><li>Pecado, sujo , vergonhoso; </li></ul><ul><li>Valor reprodutivo; </li></ul><ul><li>Durante séculos foi tratado no âmbito da doença, patologia, anormalidade. </li></ul><ul><li>Exclusivo do indivíduo adulto </li></ul><ul><li>Eram assexuados – Crianças e Idosos. </li></ul><ul><li>Homem – Capaz de vivenciar </li></ul><ul><li>Mulher - Imatura, só tinha sexualidade por causa da procriação. </li></ul>
  10. 10. FENÔMENO SEXUAL HUMANO <ul><li>Sexo </li></ul><ul><li>Sexualidade </li></ul><ul><li>Erótica </li></ul>
  11. 11. SEXO <ul><li>Estruturas diferenciais que se estabelecem em masculino e feminino. </li></ul>
  12. 12. SEXUALIDADE <ul><li>O modo próprio como cada um vive o fato de ser sexuado. </li></ul>
  13. 13. ERÓTICA <ul><li>A forma de expressar concretamente o fato de ser sexuado. </li></ul>
  14. 14. PORTANTO <ul><li>Pessoa – estrutura o fazer- se pessoa; </li></ul><ul><li>Personalidade - Viver como pessoa; </li></ul><ul><li>Comportamento – Expressar- se como pessoa e personalidade. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Sexo – estrutura do Ser Sexuado; </li></ul><ul><li>Sexualidade – Modo de viver como sexuado; </li></ul><ul><li>Erótica – expressão do ser (sexo) e viver (sexualidade) como sexuado. </li></ul>
  16. 16. DIMENSÕES E FUNÇÕES <ul><li>PRAZER </li></ul><ul><li>RELAÇÃO INTERPESSOAL </li></ul><ul><li>REPRODUÇÃO </li></ul>
  17. 17. PRAZER <ul><li>Embora isso seja motivo de escândalo para alguns, o núcleo essencial da Sexualidade Humana é o prazer. </li></ul><ul><li>Prazer convivido, compartilhado, em poucas ou várias formas. </li></ul><ul><li>Mas, em definitivo: prazer, gosto, agrado, desfrute e regozijo. </li></ul>
  18. 18. RELAÇÃO INTERPESSOAL <ul><li>A Sexualidade Humana positiva promove as relações interpessoais e a convivência. </li></ul><ul><li>Favorece a gratificação nos contatos relacionais e comunicacionais. </li></ul><ul><li>Suscita a harmonia das relações e humaniza o encontro. </li></ul>
  19. 19. REPRODUÇÃO <ul><li>Reproduzir é uma função da Sexualidade, porém, não é a única, nem necessariamente a mais importante. </li></ul><ul><li>O fato da pessoa não realizar essa função, não significa que ela seja assexuada, nem impede a vivência de uma Sexualidade feliz. </li></ul>
  20. 20. HISTORICAMENTE <ul><li>Modelos de Papéis Sexuais na Cultura Ocidental </li></ul><ul><li>1º Período – Pré industrial </li></ul><ul><li>2º Período – Transformação Sócio Econômica . </li></ul><ul><li>Período agrário para o urbano industrial. </li></ul><ul><li>3º Período – Modelo Capitalista Permissivo. </li></ul>
  21. 21. MODÊLOS <ul><li>Fenômeno Sexual Humano </li></ul><ul><li>Ser Masculino </li></ul><ul><li>Ser Feminino </li></ul>
  22. 22. 1º Período FENOMENO SEXUAL HUMANO <ul><li>Revestido de tabu; </li></ul><ul><li>Sexualidade reprimida, só se justifica através da reprodução legítima (no matrimônio); </li></ul><ul><li>Desejo Sexual – Sujo e Pecaminoso; </li></ul><ul><li>Sexo – Mancha e corrompe, é pecado; </li></ul><ul><li>Vive- se a dicotomia - Corpo e Alma: </li></ul><ul><li>Corpo – carne, pecado, ruína, baixeza, doença. </li></ul><ul><li>Alma - espírito, pureza, santidade, vida eterna. </li></ul>
  23. 23. SER MASCULINO <ul><li>Encarregado da produção e reprodução; </li></ul><ul><li>Trabalha para manter a família , defendendo o grupo familiar e a reprodução da espécie; </li></ul><ul><li>Impõe a disciplina doméstica, domina, controla, exerce poder absoluto; </li></ul><ul><li>Socialmente valoriza- se a sua virgindade e fidelidade, embora ambas não se apresentem efetivas; </li></ul><ul><li>Conversas sobre temas sexuais, se limita a prostituição, DSTs, nos bares e confessionários. </li></ul>
  24. 24. SER FEMININO <ul><li>Propriedade do homem; </li></ul><ul><li>A casa é o aparente domínio, valiosa para a organização domestica; </li></ul><ul><li>A que reproduz; </li></ul><ul><li>Não tem sexualidade ou seja, totalmente reprimida; </li></ul><ul><li>Ideal de mulher: Ser Virgem, obediente e submissa; </li></ul><ul><li>A falta de orgasmo era a garantia da virgindade espiritual; </li></ul><ul><li>As relações sexuais serviam para fazer filhos; </li></ul><ul><li>Conversam entre si – em voz baixa, sobre menstruação, parto e menopausa. Utilizam termos como: chico, mês, a coisa, o incomodo. Etc. Orgão genital – eram as partes. </li></ul><ul><li>Obrigatório a fidelidade conjugal e a mulher não tinha necessidade de educação formal. </li></ul>
  25. 25. 2º PERÍODO <ul><li>Necessidade aí do aumento do proletariado, com o objetivo de formação de mão de obra barata . </li></ul>
  26. 26. FENOMENO SEXUAL HUMANO <ul><li>Sexualidade necessária para que haja mais seres humanos; </li></ul><ul><li>Atividade Sexual percebida e valorizada pela produtividade; </li></ul><ul><li>Nesse contexto, a sexualidade não produtiva não existia. (Crianças, adolescentes e idosos). </li></ul><ul><li>A idéia do pecado é substituída pela da doença; </li></ul><ul><li>Os temas sobre sexo são tratados científicamente e entre adultos; </li></ul><ul><li>Surgem mitos, para explicar temas sexuais, por exemplo, a cegonha. </li></ul>
  27. 27. SER MASCULINO
  28. 28. SER MASCULINO <ul><li>O mundo mais do que nunca é do macho; </li></ul><ul><li>Ele é dono do desejo sexual, da eração e da ejaculação fecunda; </li></ul><ul><li>A potencia viril se mede em quantidade: Número de mulheres, de relações, quantidade de sêmem e tamanho do pênis; </li></ul><ul><li>Ele é estimulado a conquistar todas as mulheres; </li></ul><ul><li>Ideal masculino- ter mais de um mulher; </li></ul><ul><li>Não lhe é exigido a fidelidade matrimonial, pois sua natureza justifica a existência da outra, com os respectivos filhos; </li></ul><ul><li>Conversação masculina – tema favorito, o desenvolvimento individual nessa área; </li></ul>
  29. 29. SER FEMININO
  30. 30. SER FEMININO <ul><li>Dois tipos de mulheres: as decentes e as prostitutas; </li></ul><ul><li>As decentes não tem desejo sexual. Isso só ocorre com as viciosas; </li></ul><ul><li>O maior valor é a virgindade; </li></ul><ul><li>Fantasiam, sonham com a meia laranja, a cara metade, príncipe encantado que lhe dará segurança, proteção, presentes ou seja um tratamento de rainha do lar; </li></ul><ul><li>Aceitam carinhos afetuosos, não os do tipo sexual em zonas proibidas; </li></ul><ul><li>A fidelidade é obrigatória, o não cumprimento justifica o crime passional; </li></ul>
  31. 31. <ul><li>Por acharem que os homens, são portadores de uma necessidade sexual intensa, perdoam suas pequenas escapadas, desde que as valorizem em público (matriz); </li></ul><ul><li>Grande problema – ciúmes (no relacionamento da época); </li></ul><ul><li>Os problemas conjugais e sexuais são resolvidos pela orientação dos confessores e amigos, que recomendam paciência e aceitação; </li></ul><ul><li>Observação: Seguem as proibições e repressões, sobretudo para a mulher, só que agora, encoberta com a cor dourada do Amor. </li></ul><ul><li>O amor justifica, o amor exige sacrifício. </li></ul><ul><li>Podem estudar, para estarem a altura intelectual do marido. </li></ul>
  32. 32. 3º PERIODO <ul><li>Fenômeno Sexual Urbano / Consumista </li></ul>
  33. 33. Fenômeno Sexual Humano <ul><li>Tudo que é relacionado ao sexo passa a ser percebido e vivido como elemento de consumo; </li></ul><ul><li>A concepção do amor é a atração sexual; </li></ul><ul><li>Nesse contexto, a cara metade passa a ser um pênis e ou uma vagina; </li></ul><ul><li>O tema sexual é amplamente falado e discutido; </li></ul><ul><li>A pornografia se socializa e passa a ser consumida através da imprensa e da produção cinematográfica; </li></ul><ul><li>O orgasmo é endeusado, passando a ser a razão e o fim da relação sexual, justificando a infidelidade; </li></ul>
  34. 34. SER MASCULINO <ul><li>O homem vive sua sexualidade, como um potencial que tem que conseguir o prazer; </li></ul><ul><li>È mais potente, viril, em função de suas habilidades sexuais: </li></ul><ul><li>Tempo de ejaculação; </li></ul><ul><li>Número de orgasmos; </li></ul><ul><li>Tamanho do pênis. </li></ul><ul><li>Nesse contexto, o grande fantasma masculino, é que o outro faça melhor; </li></ul><ul><li>A masturbação é muito praticada, até como treinamento e com o auxilio de material pornográfico; </li></ul><ul><li>Teme- se a velhice, pois significa perda de virilidade; </li></ul><ul><li>O homem sente- se feliz, por sua companheira ter o orgasmo primeiro, pois significa competência. </li></ul>
  35. 35. SER FEMININO <ul><li>As mulheres já podem e tem desejo sexual, mas é o homem que as desperta; </li></ul><ul><li>São consideradas lentas para obter prazer, necessitando de preliminares; </li></ul><ul><li>O controle de natalidade é de sua responsabilidade; </li></ul><ul><li>As vezes se masturbam, mas porque o companheiro é incapaz; </li></ul><ul><li>Além do papel de mãe, internalizam o de amante bela e atrativa, e passam a gastar dinheiro e tempo na produção da beleza; </li></ul><ul><li>Exigem igualdade na relação matrimonial, nas tarefas domiciliares e cuidados com os filhos, mas continuam a exigir que os homens se responsabilizem pela manutenção econômica da família. </li></ul>
  36. 36. Componentes da Sexualidade Humana Componente Biológico <ul><li>Componente Psicológico </li></ul>Sexo – Macho/Fêmea Identidade Sexual Masculino/Feminino <ul><li>Componente Social </li></ul>Papeis Sexuais Homem/Mulher
  37. 37. RELAÇÃO <ul><li>Se realmente nos preocupa a saúde da nossa relação conosco mesmo e com o outro, que é de que estamos tratando aqui, devemos tentar ser mais abertos, buscar mais a satisfação, valorizar as sensações, o equilíbrio, a harmonia. </li></ul><ul><li>E para isso, temos que fazer um investimento, e investimento envolve, tempo, trabalho e dedicação. </li></ul>
  38. 38. <ul><li>Minha Gratidão e o desejo de sucesso a todas. </li></ul><ul><li>Telma Mendonça </li></ul>fim

×