A Sexualidade Do Ponto De Vista Social.Ppt1(1)1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

A Sexualidade Do Ponto De Vista Social.Ppt1(1)1

  • 5,686 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
5,686
On Slideshare
5,670
From Embeds
16
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
62
Comments
0
Likes
0

Embeds 16

http://www.slideshare.net 16

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Professora-Sexóloga-Terapeuta-Palestrante E-mail [email_address] http://telmaomd.blogspot.com/
  • 2. www.gandaiabr.net/2008/04/ sexualidade-na-adolescencia .html - 87k -
  • 3. www.gandaiabr.net/2008/04/ sexualidade-na-adolescencia .html - 87k -
  • 4. www.gandaiabr.net/2008/04/ sexualidade-na-adolescencia .html - 87k -
  • 5. A Sexualidade do Ponto de Vista Social
  • 6. CIVILIZAÇÕES ANTIGAS VIDA SEXUAL ERA REDUZIDA
  • 7. CIVILIZAÇÕES ANTIGAS
  • 8. PRÁTICA SEXUAL
  • 9. PRÁTICA SEXUAL
    • Pecado, sujo , vergonhoso;
    • Valor reprodutivo;
    • Durante séculos foi tratado no âmbito da doença, patologia, anormalidade.
    • Exclusivo do indivíduo adulto
    • Eram assexuados – Crianças e Idosos.
    • Homem – Capaz de vivenciar
    • Mulher - Imatura, só tinha sexualidade por causa da procriação.
  • 10. FENÔMENO SEXUAL HUMANO
    • Sexo
    • Sexualidade
    • Erótica
  • 11. SEXO
    • Estruturas diferenciais que se estabelecem em masculino e feminino.
  • 12. SEXUALIDADE
    • O modo próprio como cada um vive o fato de ser sexuado.
  • 13. ERÓTICA
    • A forma de expressar concretamente o fato de ser sexuado.
  • 14. PORTANTO
    • Pessoa – estrutura o fazer- se pessoa;
    • Personalidade - Viver como pessoa;
    • Comportamento – Expressar- se como pessoa e personalidade.
  • 15.
    • Sexo – estrutura do Ser Sexuado;
    • Sexualidade – Modo de viver como sexuado;
    • Erótica – expressão do ser (sexo) e viver (sexualidade) como sexuado.
  • 16. DIMENSÕES E FUNÇÕES
    • PRAZER
    • RELAÇÃO INTERPESSOAL
    • REPRODUÇÃO
  • 17. PRAZER
    • Embora isso seja motivo de escândalo para alguns, o núcleo essencial da Sexualidade Humana é o prazer.
    • Prazer convivido, compartilhado, em poucas ou várias formas.
    • Mas, em definitivo: prazer, gosto, agrado, desfrute e regozijo.
  • 18. RELAÇÃO INTERPESSOAL
    • A Sexualidade Humana positiva promove as relações interpessoais e a convivência.
    • Favorece a gratificação nos contatos relacionais e comunicacionais.
    • Suscita a harmonia das relações e humaniza o encontro.
  • 19. REPRODUÇÃO
    • Reproduzir é uma função da Sexualidade, porém, não é a única, nem necessariamente a mais importante.
    • O fato da pessoa não realizar essa função, não significa que ela seja assexuada, nem impede a vivência de uma Sexualidade feliz.
  • 20. HISTORICAMENTE
    • Modelos de Papéis Sexuais na Cultura Ocidental
    • 1º Período – Pré industrial
    • 2º Período – Transformação Sócio Econômica .
    • Período agrário para o urbano industrial.
    • 3º Período – Modelo Capitalista Permissivo.
  • 21. MODÊLOS
    • Fenômeno Sexual Humano
    • Ser Masculino
    • Ser Feminino
  • 22. 1º Período FENOMENO SEXUAL HUMANO
    • Revestido de tabu;
    • Sexualidade reprimida, só se justifica através da reprodução legítima (no matrimônio);
    • Desejo Sexual – Sujo e Pecaminoso;
    • Sexo – Mancha e corrompe, é pecado;
    • Vive- se a dicotomia - Corpo e Alma:
    • Corpo – carne, pecado, ruína, baixeza, doença.
    • Alma - espírito, pureza, santidade, vida eterna.
  • 23. SER MASCULINO
    • Encarregado da produção e reprodução;
    • Trabalha para manter a família , defendendo o grupo familiar e a reprodução da espécie;
    • Impõe a disciplina doméstica, domina, controla, exerce poder absoluto;
    • Socialmente valoriza- se a sua virgindade e fidelidade, embora ambas não se apresentem efetivas;
    • Conversas sobre temas sexuais, se limita a prostituição, DSTs, nos bares e confessionários.
  • 24. SER FEMININO
    • Propriedade do homem;
    • A casa é o aparente domínio, valiosa para a organização domestica;
    • A que reproduz;
    • Não tem sexualidade ou seja, totalmente reprimida;
    • Ideal de mulher: Ser Virgem, obediente e submissa;
    • A falta de orgasmo era a garantia da virgindade espiritual;
    • As relações sexuais serviam para fazer filhos;
    • Conversam entre si – em voz baixa, sobre menstruação, parto e menopausa. Utilizam termos como: chico, mês, a coisa, o incomodo. Etc. Orgão genital – eram as partes.
    • Obrigatório a fidelidade conjugal e a mulher não tinha necessidade de educação formal.
  • 25. 2º PERÍODO
    • Necessidade aí do aumento do proletariado, com o objetivo de formação de mão de obra barata .
  • 26. FENOMENO SEXUAL HUMANO
    • Sexualidade necessária para que haja mais seres humanos;
    • Atividade Sexual percebida e valorizada pela produtividade;
    • Nesse contexto, a sexualidade não produtiva não existia. (Crianças, adolescentes e idosos).
    • A idéia do pecado é substituída pela da doença;
    • Os temas sobre sexo são tratados científicamente e entre adultos;
    • Surgem mitos, para explicar temas sexuais, por exemplo, a cegonha.
  • 27. SER MASCULINO
  • 28. SER MASCULINO
    • O mundo mais do que nunca é do macho;
    • Ele é dono do desejo sexual, da eração e da ejaculação fecunda;
    • A potencia viril se mede em quantidade: Número de mulheres, de relações, quantidade de sêmem e tamanho do pênis;
    • Ele é estimulado a conquistar todas as mulheres;
    • Ideal masculino- ter mais de um mulher;
    • Não lhe é exigido a fidelidade matrimonial, pois sua natureza justifica a existência da outra, com os respectivos filhos;
    • Conversação masculina – tema favorito, o desenvolvimento individual nessa área;
  • 29. SER FEMININO
  • 30. SER FEMININO
    • Dois tipos de mulheres: as decentes e as prostitutas;
    • As decentes não tem desejo sexual. Isso só ocorre com as viciosas;
    • O maior valor é a virgindade;
    • Fantasiam, sonham com a meia laranja, a cara metade, príncipe encantado que lhe dará segurança, proteção, presentes ou seja um tratamento de rainha do lar;
    • Aceitam carinhos afetuosos, não os do tipo sexual em zonas proibidas;
    • A fidelidade é obrigatória, o não cumprimento justifica o crime passional;
  • 31.
    • Por acharem que os homens, são portadores de uma necessidade sexual intensa, perdoam suas pequenas escapadas, desde que as valorizem em público (matriz);
    • Grande problema – ciúmes (no relacionamento da época);
    • Os problemas conjugais e sexuais são resolvidos pela orientação dos confessores e amigos, que recomendam paciência e aceitação;
    • Observação: Seguem as proibições e repressões, sobretudo para a mulher, só que agora, encoberta com a cor dourada do Amor.
    • O amor justifica, o amor exige sacrifício.
    • Podem estudar, para estarem a altura intelectual do marido.
  • 32. 3º PERIODO
    • Fenômeno Sexual Urbano / Consumista
  • 33. Fenômeno Sexual Humano
    • Tudo que é relacionado ao sexo passa a ser percebido e vivido como elemento de consumo;
    • A concepção do amor é a atração sexual;
    • Nesse contexto, a cara metade passa a ser um pênis e ou uma vagina;
    • O tema sexual é amplamente falado e discutido;
    • A pornografia se socializa e passa a ser consumida através da imprensa e da produção cinematográfica;
    • O orgasmo é endeusado, passando a ser a razão e o fim da relação sexual, justificando a infidelidade;
  • 34. SER MASCULINO
    • O homem vive sua sexualidade, como um potencial que tem que conseguir o prazer;
    • È mais potente, viril, em função de suas habilidades sexuais:
    • Tempo de ejaculação;
    • Número de orgasmos;
    • Tamanho do pênis.
    • Nesse contexto, o grande fantasma masculino, é que o outro faça melhor;
    • A masturbação é muito praticada, até como treinamento e com o auxilio de material pornográfico;
    • Teme- se a velhice, pois significa perda de virilidade;
    • O homem sente- se feliz, por sua companheira ter o orgasmo primeiro, pois significa competência.
  • 35. SER FEMININO
    • As mulheres já podem e tem desejo sexual, mas é o homem que as desperta;
    • São consideradas lentas para obter prazer, necessitando de preliminares;
    • O controle de natalidade é de sua responsabilidade;
    • As vezes se masturbam, mas porque o companheiro é incapaz;
    • Além do papel de mãe, internalizam o de amante bela e atrativa, e passam a gastar dinheiro e tempo na produção da beleza;
    • Exigem igualdade na relação matrimonial, nas tarefas domiciliares e cuidados com os filhos, mas continuam a exigir que os homens se responsabilizem pela manutenção econômica da família.
  • 36. Componentes da Sexualidade Humana Componente Biológico
    • Componente Psicológico
    Sexo – Macho/Fêmea Identidade Sexual Masculino/Feminino
    • Componente Social
    Papeis Sexuais Homem/Mulher
  • 37. RELAÇÃO
    • Se realmente nos preocupa a saúde da nossa relação conosco mesmo e com o outro, que é de que estamos tratando aqui, devemos tentar ser mais abertos, buscar mais a satisfação, valorizar as sensações, o equilíbrio, a harmonia.
    • E para isso, temos que fazer um investimento, e investimento envolve, tempo, trabalho e dedicação.
  • 38.
    • Minha Gratidão e o desejo de sucesso a todas.
    • Telma Mendonça
    fim