Gramatica 5ºano

48,059 views
48,056 views

Published on

Published in: Education
1 Comment
19 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
48,059
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,428
Actions
Shares
0
Downloads
1,204
Comments
1
Likes
19
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Gramatica 5ºano

  1. 1. 5º AnoAdjectivoBorrachas, sabes o que são adjectivos?Sei pois. Adjectivos são palavras que caracterizam ou qualificam onome (as pessoas ou os objectos a que se referem.A menina tem cabelo longo , esverdeado ; olhos roxos , grandese redondos ; os seus pés são minúsculos .Deves também saber que os adjectivos variam em género , númeroe grau e concordam sempre com o nome a que se referem.Em género e número?Sim!FLEXÃO EM GÉNERO (masculino e feminino) : A maior parte dos adjectivos apresenta uma forma para o masculinoe outra para o feminino e, por isso, são denominados de adjectivosbiformes quanto ao género .
  2. 2. Exemplo:A menina é bonita .O menino é bonito .Há, no entanto, adjectivos que apresentam apenas uma forma para omasculino e feminino , e, por isso, são denominados adjectivosuniformes quanto ao género .Exemplo:A menina está triste .O menino está triste .FLEXÃO EM NÚMERO (singular e plural) :Quanto ao número, os adjectivos também podem ser:Biformes , quando têm uma forma para o singular e outra para oplural, e Uniformes , quando têm uma só forma para o singular epara o plural.Exemplos:Biformes:A menina é bonita .As meninas são bonita s .
  3. 3. Uniformes:É uma menina simples .São meninas simples .E o grau? Que conversa é essa?O GRAU mostra a intensidade da qualidade ou do estado que é dadapelo adjectivo.Dá uma espreitadela no quadro que se segue: Normal (caracteriza Os professores são simpáticos . ou qualificasimplesmente o nome) Superioridade (mais…do que) A Ana é mais simpática do que a Vanda.Comparativo (compara a Igualdade mesma (tão… como)característicaou qualidade A Ana é tão simpática como a Raquel. em seres diferentes) Inferioridade (menos…do que) A Vanda é menos simpática do que a Ana.
  4. 4. Superioridade (o mais…) A Ana é a mais simpática da turma. Relativo InferioridadeSuperlativo (o menos…) (exprime um O Pedro é o menos simpático da grau elevado turma. de determinadacaracterística Analíticoou qualidade) (muito…) A Raquel é muito simpática . Absoluto Sintético (…-íssimo ou …-érrimo) A Inês é simpatiquíssima.Pronto…já sei o que vais dizer… agora é praticar, não é? Exactamente!!!
  5. 5. Classificação MorfológicaOlá Borrachas!Hoje, pensei ir fazer uns exercícios de análise morfológica. Noentanto, não me lembro muito bem da ordem que devo utilizarpara cada classe de palavras. Podes ajudar-me?Claro que sim! Vamos lá por partes!NOME: classe, subclasse, género, número, grau.DETERMINANTE: classe, subclasse, género, número.PRONOME: classe, subclasse, género, número.ADJECTIVO: classe, biforme/uniforme, género, número, grau.VERBO: classe, subclasse (transitivo/intransitivo), modo, tempo,pessoa, número.Aqui tens um exemplo:
  6. 6. O Ricardo ofereceu uma linda rosa à Sónia.O – determinante, artigo definido, masculino, singularRicardo – nome, próprio, masculino, singularofereceu – verbo, transitivo directo e indirecto, modo indicativo,pretérito perfeito, 3ªpessoa singularuma – determinante, artigo indefinido, feminino, singularlinda – adjectivo, biforme quanto ao género e ao número, feminino,singular, grau normal.rosa – nome, comum, feminino, singular, grau normal.à – contracção da preposição a com o determinante artigo definido a.Agora, toca a praticar! Até já!
  7. 7. Definição: Fábula, Lenda e ContoBorrachas, podes dar-me as definições de fábula, lenda econto?Claro que sim. Aqui vão:Fábula: é uma história ou pequena narrativa em que os animais ouforças da Natureza falam e dialogam uns com os outros como sefossem humanos. No final, há sempre uma lição ou moral a retirar.Os fabulistas mais famosos foram: Esopo e La Fontaine.Lenda: distingue-se do conto e da fábula por ter sempre, ainda quefrágil, um fundo de verdade/realidade. É uma narrativa mais precisano tempo e no local em que se desenrola.Conto: é uma narrativa, normalmente curta e simples, que relatauma história inventada.Conto Maravilhoso: contém acontecimentos inverosímeis epersonagens fantásticas, como bruxas, duendes, unicórnios, fadas… Obrigado, Borrachas! Até logo!
  8. 8. DeterminanteO que são determinantes, Borrachas?Os determinantes são palavras que aparecem antes dos nomes e queconcordam com eles em género e em número.Exemplos: a minha mochila; as minhas mochilasOs determinantes também têm subclasses?Têm, sim!As subclasses dos determinantes são:Artigos definidosArtigos indefinidosPossessivosDemonstrativosNumerais cardinaisNumerais ordinaisIndefinidosInterrogativos
  9. 9. Ai, ai… isso é muito!!!Calma… não vais aprender tudo de uma vez! Agora vamos ficar sópelos:Artigos definidosArtigos indefinidosPossessivosDemonstrativosAh, ainda bem! Já me estavas a assustar! Explica lá isso,então!Vamos lá ver quais são!Determinantes artigos definidos e indefinidos Singular Plural Masculino Feminino Masculino Feminino Artigos o a os as Definidos Artigos um uma uns umasIndefinidos Determinantes Possessivos (indicam a ideia de posse) Determinantes Possessivos Singular Plural Masculino Feminino Masculino Feminino meu minha meus minhas
  10. 10. Um só possuidor teu tua teus tuas seu sua seus suas Vários possuidores nosso nossa nossos nossas vosso vossa vossos vossas seu sua seus suas Determinantes Demonstrativos (ajudam a identificar os seres ouobjectos a que o nome se refere) Determinantes Demonstrativos Singular Plural Masculino Feminino Masculino Feminino este esta estes estas esse essa esses essas Aquele aquela aqueles aquelas o mesmo a mesma os mesmos as mesmas tal taisTenho que saber isso tudo?É fácil! Se tentares ler os quadros como se estiveres a cantar resultamuito bem! Ok Borrachas! Vou experimentar!
  11. 11. Diálogo- Olá Borrachas! Hoje estou numa de dialogar!- Dialogar?- Sim. Ora conta-me lá o que sabes sobre o diálogo!- O diálogo aparece, numa história, sempre que as personagensfalam umas com as outras.- E como é que ele aparece?- Bom, há muitos verbos que servem para introduzir o diálogo.Deves, no entanto, ter sempre em conta a intenção daquele que falae procurar não repetir os mesmos verbos.O verbo introdutor (“introdutor” porque introduz ou insere a fala dapersonagem) usa-se:* Antes da fala da personagem:A professora perguntou:
  12. 12. - Quem quer vir ao quadro?Neste caso, colocam-se dois pontos (:) depois do verbo introdutor eabre-se parágrafo com um travessão (-) para a personagem poderfalar.*No meio da fala da personagem:- Quero eu! – exclamou o Bernardo, saltando da cadeira. – Agoravou eu ao quadro.Aqui, a frase que tem o verbo introdutor está no meio da fala dapersonagem e coloca-se entre travessões.* Depois da fala da personagem:- Então vem lá! – disse a professora.Desta vez, a frase que tem o verbo introdutor aparece depois da falada personagem e está separada desta por um travessão.Tenta praticar, agora, com alguns exercícios! Ok! Até já!Funções sintácticasO que são as funções sintácticas?As funções sintácticas são as relações que as palavras estabelecemumas com as outras.
  13. 13. Quais são funções sintácticas?Existem muitas funções sintácticas, mas, neste momento, apenasprecisas saber quatro: sujeito , predicado , complemento directo,complemento indirecto e atributo.Explica lá isso!Ora vamos lá ver:Sujeito : é a pessoa, animal ou coisa de quem se fala.A Catarina ofereceu uma prenda à mãe.Predicado : indica o que o sujeito faz, ou como ele é, ou como eleestá.ATENÇÃO: o verbo faz sempre parte do predicado, assim como oscomplementos directo e indirecto.A Catarina ofereceu uma prenda à mãe .Complemento Directo : é a resposta à pergunta “O quê?” ou“Quem?” que se faz ao verbo.A Catarina ofereceu uma prenda à mãe. O Ricardo ajudou a Andrea .Complemento Indirecto : é a resposta à pergunta “A quem?” quese faz ao verbo.A Catarina ofereceu uma prenda à mãe .
  14. 14. Atributo: é quando um adjectivo qualifica directamente um nome ousubstantivo.A Andreia comprou um lindo vestido.É só isso Borrachas?Sim, por agora é! Não te esqueças de praticar! OK Borrachas! Até à próxima!NarrativaO que é um texto narrativo?Um texto narrativo conta uma história, que pode falar deacontecimentos reais ou imaginários.Quais são os elementos da narrativa?Os elementos da narrativa que precisas saber são: narrador ,personagens , acção , tempo e espaço .Isso é muito!!!É menos do que pensas!Vamos por partes!NARRADORO narrador é quem conta a história. Narrar significa contar.
  15. 15. Precisas saber ainda que existem dois tipos de narrador: - Narrador Participante ou Presente: se está presente na acção eparticipa, portanto, nos acontecimentos. É, neste caso, o protagonistaou uma personagem secundária. A história é, por isso, narrada na 1.ªpessoa.“Quando eu era pequenina, a minha mãe contava- me histórias.”- Narrador Não-participante ou Ausente: se está ausente e nãoparticipa na acção, limitando-se, simplesmente, a narrá-la. A históriaé, por isso, narrada na 3.ª pessoa.“Os alunos voltaram para o colégio depois de umas férias bempassadas. Estavam agora cheios de garra para começar!”AUTOR vs. NARRADORAtenção!!! Não confundas autor com narrador.O autor é a pessoa que imagina e escreve a história. (É o nome dapessoa que escreve a história ou o livro.)PERSONAGENS As personagens são os seres imaginados pelo autor para viver osvários acontecimentos (acção).Existem três tipos de personagens :- Personagens Principais: são as personagens mais importantes,as que têm maior importância para o desenrolar dos acontecimentos.- Personagens Secundárias: não têm tanta importância para odesenrolar da história.- Figurantes: estas personagens estão presentes mas não intervêmnos acontecimentos da história.Deves também saber fazer a caracterização das personagens, ouseja o seu retrato físico e psicológico.- Retrato Físico: aspecto exterior (altura, pele, cabelos, olhos,vestuário…)
  16. 16. - Retrato Psicológico: aspecto interior (sentimentos, maneira deser, comportamentos, atitudes…)ACÇÃO (Tempo e Espaço) A acção corresponde às peripécias das personagens, ou seja, se aspersonagens fizerem muitas coisas numa história, significa que é umahistória com muita acção.Quando falamos em localizar a acção no ESPAÇO significa quequeremos saber ONDE ela se passa, em que locais as personagensse movem.A localização da acção no TEMPO corresponde à pergunta “QUANDO ?”, ou seja as épocas ou momentos em que a história sepassa.Isso é fácil!!! Mas a minha professora também me falou nosmomentos da narrativa. Refresca-me lá a memória!Os momentos da narrativa correspondem à introdução , aodesenvolvimento e à conclusão .A INTRODUÇÃO corresponde ao início da história. É aqui queficamos a conhecer a personagem principal, onde e quando se passaa história e onde ficamos a ter uma ideia do que vai tratar a acção.O DESENVOLVIMENTO é a parte em que se conta a história,propriamente dita, ou seja, é onde se conta a sequência dosacontecimentos, onde conhecemos as outras personagens e por quesituações elas passam.A CONCLUSÃO é o fim da história. É onde ficamos a saber o queacontece às personagens.
  17. 17. Pois, mas nem sempre isso acontece! Às vezes não sabemoscomo acaba a história.Pois não. Tens toda a razão! Quando isso acontece dizemos que setrata de uma NARRATIVA ABERTA (quando não sabemos o queacontece às personagens… o leitor é que imagina o seu fim). ANARRATIVA FECHADA é quando ficamos a saber como termina ahistória.Afinal isto muito mais fácil do que pensava! Agora vou fazeruns exercícios!!! Até já Borrachas!!!Classe de palavras - O nomeEstou farto de ouvir falar em nomes! Mas o que é isso?Os nomes são as palavras com que designamos pessoas, animais,objectos, acções, qualidades ou estados.Existem diversos tipos de nomes, ou melhor, diversas subclasses donome .Ah sim? Quais são?Os nomes podem ser:- comuns (quando não individualizam um ser) : rapaz, gato, casa
  18. 18. - próprios (quando se referem a um ser em especial): João, Tejo,Portugal- colectivos (quando, mesmo no singular, indicam um conjunto deseres da mesma espécie): rebanho, resma, matilha- concretos (quando representam algo palpável): pedra, sabão, flor- abstractos (quando representam algo que não pertence ao mundofísico – qualidades, estados…): coragem, alegria, inteligênciaNão preciso saber mais nada?Só mais umas coisitas…Deves também saber que os nomes variam em género , número egrau .Tens que explicar isso melhor, Borrachas!Como sabes o nome varia em GÉNERO , ou seja, tem uma formapara o masculino e outra para o feminino .Chamam-se biformes , os nomes que têm duas formas:Exemplos: o cão / a cadela o gato / a gataChamam-se uniformes , os nomes que apenas têm uma forma, querpara o masculino quer para o feminino.Exemplos: a criança / o livroNOTA: atenção que existem nomes que alteram completamente asua forma.
  19. 19. O mesmo se passa quanto ao NÚMERO . Os nomes têm uma formapara o singular e outra para o plural. Os que têm duas formas são osbiformes (borracha/borracha s ), os que só têm uma são osuniformes (lápis/lápis).NOTA: atenção que existem nomes que alteram completamente asua forma no plural.Agora só falta o GRAU . Esse ainda é mais fácil. Os nomes variam emgrau: normal, diminutivo e aumentativo .Exemplo: gato / gatinho/ gatarrão.Acho que já estou pronto para fazer os exercícios!!!Recursos ExpressivosO que são recursos expressivos?Os recursos expressivos são processos, utilizados pelos autores, paratornar o texto literário mais belo, sugestivo e eficaz.Humm… acho que não percebi muito bem, Borrachas!Vou explicar-te melhor com a ajuda de alguns dos recursosexpressivos mais utilizados.
  20. 20. Onomatopeias – são palavras que procuram imitar certos sons:vozes de pessoas ou animais, ruídos de objectos, fenómenos danatureza, etc..“E o pobre Gafanhoto…Paam! Catrapaam!Deu um grande trambolhão.”Luísa Ducla SoaresAdjectivação – consiste na utilização de um ou mais adjectivos deforma a tornar o texto mais belo ou mais expressivo.“O tigre é um mamífero carnívoro, robusto, elegante e muitoferoz , cujo pêlo apresenta coloração com lindas listas transversaisnegras …”Personificação – é um processo pelo qual se atribui característicashumanas a animais, objectos ou plantas.“O gato fartou-se de rir com a queda do dono.”Comparação – consiste em estabelecer uma relação de semelhançaentre duas ou mais coisas através de uma palavra ou expressão(“como”) ou de verbos equivalentes (“parece”, “lembra”…)“A Margarida é linda como uma flor !”Repetição – consiste no uso repetido da mesma palavra ou palavras.“E a professora fala, fala, fala … ela nunca se cala!”Suspensão da frase – ajuda a transmitir a ideia de que apersonagem foi interrompida ou mergulhou nos seus pensamentos.Essa ideia é transmitida através das reticências.
  21. 21. “A ideia era aterradora! Mas, o que iria eu fazer agora … “Interjeições – são palavras com que, de maneira espontânea,exprimimos vivamente as nossas emoções.“ Ai de mim , tenho teste amanhã!”Aliteração – consiste na repetição intencional do mesmo som.“O r ato r oeu a r olha da ga rr afa do r ei da R ússia.”Violeta Figueiredo- Mas Borrachas… isso já faço eu nos meus textos! Isso sei eu! Eheheh… tu é que não sabias o que estavas a fazer!Classe de palavras - SínteseO Borrachas deixa-te aqui uma síntese para te ajudar!!! CLASSES DE PALAVRAS QUADRO-SÍNTESE CLASSES SUBCLASSES EXEMPLOS
  22. 22. artigos definidos o, a, os, as artigos indefinidos um, uma,... determinantes possessivos meu, minha, nosso, seu,... determinantes demonstrativos este, aquela, esses,...DETERMINANTES determinantes interrogativos quanto, qual,... determinantes indefinidos algum, todo, certo, poucas,.... determinantes numerais doze, vinte, terceiro,...
  23. 23. próprios Portugal, Porto, Ana, Olímpia, Camões,... comuns país, cidade, mulher, mesa,... colectivos enxame, bando, rebanho,... NOMES concretos pedra, maçã,... abstractos alegria, inteligência,...ADJECTIVOS alto, lindo, agradável,...
  24. 24. pessoais eu, tu, ele, me, se, mim, ti,... possessivos meu, minha, nosso, seu... demonstrativos este, isto, aquele, aquilo,... indefinidosPRONOMES algum, tudo, nada,.. interrogativos quanto, qual, que, quem,... relativos que, qual, quem, quanto,...
  25. 25. intransitivos nadar, cair,... transitivos comprar, contar, vender,...VERBOS copulativos ser, estar, parecer,...
  26. 26. a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por, segundo, sem, sob, sobre, trás,...PREPOSIÇÕES E LOCUÇÕES através de, acima de, debaixo de, perto de, aPREPOSITIVAS fim de, de acordo com, junto a, para com,...
  27. 27. tempohoje, amanhã, logo, agora, já cedo, sempre, ainda, depois, ontem, ora, tarde,... em breve, as vezes, de repente,... modobem, mal, assim, devagar, como, principalmente, felizmente(1), depressa, aliás,... a custo, ao acaso, em vão,... lugaraqui, cá, ali, ai, acolá, lá, longe, aquém, além, dentro, fora, onde, aonde, perto,
  28. 28. coordenativas copulativas e, nem, não só... mas também,...coordenativas adversativas mas, porém, todavia, contudo,...coordenativas conclusivas logo, portanto, pois, por conseguinte,...coordenativas disjuntivasou... ou, ora... ora, quer... quer, seja... seja,... subordinativas causaisporque, pois, visto que, já que, pois que, uma que vez,...subordinativas temporais quando, logo que, assim que, enquanto, mal, apenas,...
  29. 29. INTERJEIÇÕES Ai! Ui! Olá!...Tipos e formas de fraseOlá Borrachas ! Como estás ?Estou a aprender os tipos e as formas de frase. Queres dar-meumas dicas? Claro que sim!Como sabes existem quatro tipos de frase :- declarativo (utiliza-se quando damos alguma informação etermina, geralmente, com um ponto final)Exemplo: Os alunos tiveram boas notas no teste.- exclamativo (utiliza-se quando queremos exprimir admiração,espanto ou entusiasmo e termina com um ponto de exclamação)Exemplo: Tirei excelente no teste!
  30. 30. - interrogativo (utiliza-se quando fazemos alguma pergunta etermina com um ponto de interrogação)Exemplo: Quem faltou ao teste?- imperativo (utiliza-se quando damos uma ordem ou um conselhoou quando queremos fazer um pedido, costuma terminar com umponto final ou um ponto de exclamação)Exemplo: Filha, vai estudar para o teste.Não te esqueças que qualquer um dos quatro tipos de frase podeaparecer quer na forma afirmativa quer na forma negativa .Agora, toca a praticar!Ehehehe, essa é uma frase do tipo imperativo! Até jáBorrachas!
  31. 31. Classe de palavras - O verboO que são verbos?Verbos são palavras que exprimem acções, estados ou qualidades,situando-os no tempo.Acções, estados ou qualidades?Sim. Ora vê os exemplos:Acção : Os alunos estudam muito.Estado : O Ruben ficou feliz com a nota do teste!Qualidade : O Diogo é um bom aluno.Por que razão é o verbo a mais variável de todas as palavrasda Língua Portuguesa?O verbo é a palavra mais variável porque varia em tempo, modo,pessoa, número e voz (esta vais aprender noutro ano).Agora é que me perdi!Não te preocupes, é mais fácil do que julgas!A forma verbal pode variar segundo o tempo da acção.O João estudou para o teste. Passado ou Pretérito(ontem) – acção passadaO João estuda para o teste. Presente (agora) – acção quese está a realizarO João estudará para o teste. Futuro (amanhã) – acçãoque ainda se vai realizar
  32. 32. Presente (-o; -s; -Ø; -mos; Indica que a acção se -is; m) passa no momento presente. A Ana estuda Português.Pretérito Imperfeito Indica uma acção que se prolonga no tempo (no (-ava; -ia) passado). A Ana lia muito quando era pequenina.Pretérito Perfeito Indica uma acção que já terminou. (-ei; -i ) A Ana comprou um livro.Pretérito Mais – que – Indica uma acção que já se perfeito realizou e é anterior a outra também passada. (-ara, -era; -ira) A Ana encontrou o berlinde que escondera do irmão.Futuro (-rei; -rás; -ra; Indica que a acção se irá -remos; realizar no futuro. -reis; -rão) A Ana irá a Londres se passar de ano..Já os modos são as formas que os verbos tomam para indicar amaneira como a pessoa que fala encara a realização da acção:Indicativo Transmite a observação de uma realidade, de uma certeza. A Rita tem boas notas.
  33. 33. Condicional Indica que a realização da acção depende de uma condição. Se estudasses mais, tirarias boas notas.Conjuntivo Transmite uma possibilidade, um desejo. Talvez ganhes o totoloto.Imperativo Transmite uma ordem, um pedido, um conselho. Come a sopa!Infinitivo Exprime a ideia geral da acção. Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer!O verbo varia também em pessoa e em número :Pessoa 1.ª 2.ª 3.ª Singular Eu Tu Ele/ElaNúmero Plural Nós Vós Eles/ElasDeves ainda saber que existem três conjugações para os verbos.Conjugações?Sim. A conjugação é o conjunto de todas as formas flexionadas deum verbo, e são encontradas a partir da vogal temática do verbo.Como é que eu sei qual é a vogal temática? Para a encontrares basta retirares o –r à forma de infinitivo.Estud a (r) – vogal temática – aCom e (r) – vogal temática – eDorm i (r) – vogal temática – i1.ª Conjugação – verbos que têm a vogal temática em –a .2.ª Conjugação – verbos que têm a vogal temática em –e .
  34. 34. 3.ª Conjugação – verbos que têm a vogal temática em –i .Atenção: o verbo pôr e outros formados a partir dele (compor,supor…) pertencem à 2.ªconjugação, porque em latim escreviam-secom – e (pon e re).Não preciso saber mais nada?Só mais uma coisinha… Precisas saber as subclasses do verbo.Subclasses?Sim. É fácil! Ora vê:Os verbos podem ser intransitivos ou transitivos .Dizemos que são verbos intransitivos quando têm um significadocompleto, ou seja, quando a acção não transita para além deles.A professora chegou .Os alunos adormeceram .São verbos transitivos aqueles que precisam da ajuda decomplementos para fazerem sentido. Podem, por isso, ser verbostransitivos directos quando o verbo tem complemento directo;transitivos indirectos , quando o complemento do verbo é oindirecto; e transitivos directos e indirectos , quando tem os doiscomplementos.Transitivos directos: O Hugo leu um livro. (leu o quê ?)Transitivos Indirectos: O Ricardo agradeceu à professora.(agradeceu a quem ?)Transitivos directos e indirectos: A Sara deu uma flor à mãe . (deuo quê ? A quem? )
  35. 35. Até já!

×