Your SlideShare is downloading. ×
0
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Português 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Português 1

7,969

Published on

Published in: Education
0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,969
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
239
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Português Instrumental 1<br />Segundo Semestre<br />GedalvaOliveira.Psicopedagoga<br />Email: gedalvauniversidade@hotmail.com<br />Orkut:dalvaluz85@hotmail.com<br />
  • 2. UMA VIAGEM A LÍNGUA PORTUGUESA<br /> A língua portuguesa falada no Brasil tem sua particularidade que diferencia dos outros sete países que falam o Português. <br />
  • 3. Sistema fonético e fonológico<br />Alguns aspectos conservadores e inovadores da <br />fonética brasileira:<br />Aspectos conservadores<br /> Aspectos inovadores<br />
  • 4. A gramática é dividida em: fonologia, morfologia e sintaxe.<br />Fonologia: fonemas, letras, pontos de articulação<br />ortoépia (ortoepia) – estuda a correta pronuncia dos vocábulos<br /> prosódia – determinação da sílaba tônica<br /> ortografia – representa a escrita da língua<br />
  • 5. Morfologia: (forma) – estuda a composição dos vocábulos, estudo das classes de palavras e gramaticais.<br />Sintaxe: relação entre as palavras de uma oração ou relação entre as orações de um período.<br />de concordância – verbal (sujeito e verbo) e nominal (substantivo em relação ao artigo, adjetivo, numeral, etc.)<br /> de regência – verbal (verbo pedindo preposição ou não) e nominal (nome acompanhado de preposição)<br />de colocação – trata da colocação de certas palavras.<br /> pronominal: próclise, mesóclise, ênclise.<br />
  • 6. MORFOLOGIA<br />Em linguística, Morfologia é o estudo da estrutura, da formação e da classificação das palavras. <br />A peculiaridade da morfologia é estudar as palavras olhando para elas isoladamente e não dentro da sua participação na frase ou período. <br />A morfologia está agrupada em dez classes, denominadas classes de palavras ou classes gramaticais.<br /> São elas: Substantivo, Artigo, Adjetivo, Numeral, Pronome, Verbo, Advérbio, Preposição, Conjunção e Interjeição.<br />
  • 7. TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO<br />SUJEITO é o ser de que se declara alguma coisa.<br />O sujeito pode ser:<br />Simples = quando houver uma só palavra (núcleo) nesta função. Por exemplo: O gato é mamífero.<br />Composto = quando houver mais de uma palavra nesta função. Por exemplo: O gato e o cachorro são mamíferos.<br />Indeterminado = quando aquele que fala ou escreve deixa de mencionar o sujeito. Por exemplo: Precisa-se de operários.<br />
  • 8. Inexistente = há orações que não possuem sujeito. O verbo de tais orações só admitem a terceira pessoa do singular e são chamados, por alguns gramáticos, de verbos impessoais. Por exemplo: Há pessoas na sala. Faz frio aqui. Está calor. Choveu muito ontem.<br />Oculto = este é o mesmo sujeito simples. Ele não aparece na frase, mas está subentendido. Por exemplo: Sou apaixonado por você. (subentende-se que o sujeito é a primeira pessoa do singular = Eu).<br />
  • 9. PREDICADO<br />É aquilo que se declara do sujeito se a oração o possui.<br />Há três tipos de predicado:<br />Verbal = quando o núcleo do predicado for um verbo transitivo ou intransitivo e, também, sem a presença de um predicativo qualquer. Por exemplo: O aluno leu o livro. (o verbo ler é transitivo direto e o livro é objeto direto).<br />Nominal = é aquele no qual figura um verbo de ligação(ser, estar, ficar, parecer, permanecer, continuar) devidamente acompanhado de um predicativo do sujeito. Por exemplo: O professor é experiente. (o verbo ser é de ligação e experiente é predicativo do sujeito).<br />Verbo-nominal = possui um verbo não de ligação e um predicativo qualquer como núcleos do predicado. Por exemplo: Eu considero você inteligente. (o verbo considerar é transitivo direto, você é objeto direto e inteligente é o predicativo do objeto).<br />
  • 10. Termos Acessórios de uma Oração <br />Acessórios são os termos secundários, que não integram necessariamente a estrutura básica da oração. Dividem-se em adjunto adnominal, adjunto adverbial e aposto.<br />
  • 11. Adjunto Adnominal é um termo que exerce a função adjetiva, uma vez que serve para especificar, restringir ou qualificar um nome, particularizando-lhe o sentido:<br />a) As crianças DO BRASIL merecem assistência do governo.<br />b) Índios BRASILEIROS continuam sendo exterminados.<br />c) A crise DO SOCIALISMO espalhou-se pelo mundo.<br />d) TODOS OS livros CRÍTICOS sofrem ameaças PERIGOSAS.<br />
  • 12. Adjunto Adverbial é o termo que expressa circunstâncias de modo, tempo, lugar, dúvida, intensidade, meio, finalidade, concessão, causa, companhia etc.. Correspondente ao advérbio, modifica o sentido de um verbo, um adjetivo ou mesmo de um advérbio:<br />a) Os camponeses pobres morrer de FOME. (adjunto adverbial de causa)<br />b) TALVEZ ninguém consiga seus objetivos. (adjunto adverbial de dúvida)<br />c) &quot;NÃO nos deixeis cair em tentação.&quot; (adjunto adverbial de negação)<br />d) Dias Gomes escreveu peças políticas NOS ANOS 70. (adjunto adverbial de tempo)<br />e) &quot;Bendita sois vós ENTRE AS MULHERES.&quot; (adjunto adverbial de LUGAR)<br />f) Saí ontem à noite COM A LOURINHA DE OLHOS AZUIS. (adj. adverbial de companhia)<br />g) Cortamos as árvores A FACA. (adjunto adverbial de instrumento)<br />h) Todos foram DE ÔNIBUS ao comício. (adjunto adverbial de meio)<br />i) Quasímodo era feio DEMAIS. (adjunto adverbial de intensidade)<br />j) Compre livros instrutivos PARA LEITURAS PRÓSPERAS. (adj. adverbial de finalidade)<br />k) Aconselhou INUTILMENTE a filha mais nova. (adjunto adverbial de modo)<br />
  • 13. Já o Aposto tem a função de esclarecer, identificar ou resumir um termo que lhe é anterior:<br />a) Salvador Dali, PINTOR ESPANHOL, imortalizou o Surrealismo.<br />b) O escritor ANTONIO CALLADO escreveu romances pós-modernos.<br />c) Napoleão, Hitler, Stálin, TODOS viraram pó.<br />1ª Obs. Uma mesma oração pode conter diversos apostos, a depender de sua complexidade:<br />2ª Obs. É preciso não confundir o vocativo com o aposto, uma vez que o vocativo tem uma função apelativa, apesar de assemelhar-se ao aposto pelas pausas e pelas vírgulas.<br />
  • 14. Termos Integrantes de uma Oração<br />Integrantes são os termos que integram o sentido da oração, funcionando como complementos sem os quais a mensagem não chega a se finalizar. Dividem-se em complementos verbais (objeto direto e indireto) e complemento nominal.<br />
  • 15. COMPLEMENTOS VERBAIS<br />Objeto Direto<br />É o termo da oração que completa o sentido de um verbo transitivo direto.<br />- Comprei um carro.<br />- Ela limpou o quarto e a sala.<br />Objeto indireto<br />É o termo da oração que completa o sentido de um verbo transitivo indireto com auxílio da preposição.<br />- Gostei do filme.<br />- Concordo com você.<br />
  • 16. COMPLEMENTO NOMINAL<br />Completa o sentido de um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) sempre com o auxílio da preposição.<br />- A confiança na justiça.<br />- O amor ao próximo.<br />- A lembrança do passado.<br />AGENTE DA PASSIVA<br />Numa oração com verbo na voz passiva, quem pratica a ação é o agente da passiva.<br />- A grama foi cortada pelo jardineiro.<br />- O Brasil foi descoberto por Cabral.<br />
  • 17. CONCORDÂNCIA<br />A sintaxe de concordância faz com que as palavras dependentes concordem, nas suas flexões, com as palavras de que dependem na frase. Os adjetivos, pronomes, artigos e numerais concordam em gênero e número com os substantivos determinados = concordância nominal. O verbo concorda em número e pessoa com o sujeito simples a que se refere = concordância verbal.<br />
  • 18. CONCORDÂNCIA NOMINAL<br />Concordância do adjetivo adjunto com o substantivo:<br />O adjetivo biforme, na função de adjunto adnominal, concorda com o substantivo em gênero e número = As árvores tristonhas deixavam cair suas lágrimas solidificadas.<br />Referindo-se a mais de um substantivo de gênero e número diferentes, o adjetivo concordará no masculino plural ou com o substantivo mais próximo. A referida regra aplica-se aos adjetivos escritos após os substantivos = Um cravo e uma rosa perfumados(ou perfumada).<br />
  • 19. CONCORDÂNCIA VERBAL<br />Sujeito simples = o verbo concorda em número e pessoa com o sujeito simples. ( O menino trabalha na fábrica; Nós gostamos de crianças.).<br />Sujeito composto antes do verbo = escrito antes do verbo, o sujeito composto admite o verbo no plural. (O pai e o filho levantavam cedo.).<br />Sujeito composto depois do verbo = escrito depois do verbo, o sujeito composto admite o verbo no plural ou em concordância com o sujeito mais próximo. (Levantavam ou levantava cedo o pai e o filho).<br />Sujeito composto de pessoas gramaticais diferentes = sendo o sujeito composto de pessoas gramaticais diferentes, o verbo concordará no plural e na pessoa gramatical que prevalecer sobre as outras. A 1ª pessoa prevalece sobre a 2ª e a 3ª; a 2ª pessoa prevalece sobre a 3ª. (Eu, tu e ela dizemos a lição. Tu e ela fizestes a lição).<br />
  • 20. REGÊNCIA<br />A sintaxe de regência estuda as relações de dependência das palavras nas orações e das orações no período. Ela divide-se em nominal(estuda o regime dos substantivos, adjetivos e advérbios) e verbal(estuda o regime dos verbos).<br />
  • 21. REGÊNCIA VERBAL<br />É a relação de subordinação existente entre um complemento(palavra regida) e a palavra cujo sentido é completado. Neste caso é o verbo, que tem seu sentido completado por outro termo.<br />Regência de alguns verbos:<br />abraçar = no sentido de cingir, apertar nos braços, constrói-se com objeto direto ou indireto. Por exemplo: O pai abraçou o filho. Abraçou-se com a mãe. No sentido de adotar, seguir, constrói-se com objeto direto. Por exemplo: Não abraçou minha doutrina.<br />ansiar = no sentido de causar ânsia, angustiar, constrói-se com objeto direto. Por exemplo: A solidão ansiava-o. No sentido de desejar ardentemente, constrói-se com objeto indireto. Por exemplo: Ansiava por um novo amor.<br />
  • 22. TRABALHO PARA ENTREGAR DAQUI A 30 DIAS<br />PESQUISAR OS PAISES DE LINGUA PORTUGUESA E O PORTUGUÊS NO MUNDO.<br />O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO<br />

×