Your SlideShare is downloading. ×
0
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Shigella Spp. Em Alimentos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Shigella Spp. Em Alimentos

20,706

Published on

Published in: Health & Medicine
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
20,706
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
310
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Shigella spp. em alimentos Professora Samira Mantilla
  • 2. Características gerais
    • Pertence a Família Enterobacteriaceae
    • BGN, não esporulados, imóveis
    • Espécies com distintos sorogrupos: S. dysenteriae (sorogrupo A), S. flexneri (sorogrupo B), S. boydii (sorogrupo C), S. sonnei (sorogrupo D).
    • Muito relacionadas com E. coli, porém, as shigelas causam disenteria e não diarréia.
    • Mesófilos (mas crescem entre 10 e 40°C)
    • Resistem 5-6% NaCl
  • 3. Características gerais
    • Sensíveis ao calor
    • Fermenta a glicose e outros carboidratos produzindo ácido, mas não gás.
    • Usualmente não fermentam a lactose
    • Não utiliza citrato como fonte de carbono
    • Não forma H2S
  • 4. Características gerais
    • Sensíveis ao calor (mais sensível que E. coli e Salmonella )
    • Indica contaminação fecal recente (germe muito frágil)
    • Habitat: Trato intestinal homens (não está presente nos outros animais- exceção primatas)
    • Disseminação: fecal-oral (alimentos e água podem ser veículos)
    • A falta de higiene pessoal é um fator comum nos casos de infecção alimentar por Shigella
  • 5. Características gerais
    • Alimentos incriminados: mariscos, crustáceos, frutas, vegetais, frango, saladas
  • 6. Características da doença
    • Disenteria bacilar ou Shigelose = fezes com sangue e muco
    • Dose infectante: 10 a 10 2 UFC/g (baixa- provavelmente devido ao fato de resistir bastante a acidez estomacal)
    • PI: 1-7 dias
    • Sintomas:
    • infecção assintomática ou fraca, sem febre ou
    • Disenteria fulminante (fezes mucosanguinolentas com febre, desidratação, e convulsões em crianças)
  • 7. Mecanismos de patogenicidade
    • Shigella invade as células do cólon e reto e os fagócitos morrem por apoptose = resposta inflamatória aguda, acompanhada de disenteria:
    • Perda de sangue e muco/pus, menor volume de fezes do que a diarréia (pois a absorção de água no cólon é inibida)
    • S. dysenteriae: shigatoxina: endocitada e inibe a síntese protéica. Complicações: síndrome de uremia hemolítica (HUS) = falência renal (crianças é fatal)- S. dysenteriae. Ou pode causar síndrome de Reiter.
  • 8. Síndrome de Reiter
    • A síndrome de Reiter é condição rara, de distribuição universal. Acomete preferencialmente indivíduos adultos do sexo masculino.
    • afeta as articulações provocando artrite assimétrica, isto é inflamação com aumento das juntas, principalmente nos membros inferiores (pernas)
    • manifestando-se geralmente após quadro infeccioso disentérico
    • Os sintomas característicos incluem dor nas articulações e rigidez após períodos de repouso
  • 9. Mecanismos de patogenicidade
    • O mo coloniza o cólon e se multiplica no interior de suas células, move-se lateralmente para infectar as células adjacentes =resposta inflamatória intensa =fezes com sangue e muco
  • 10. Mecanismos de patogenicidade
  • 11. Tratamento
    • Antibioticoterapia – cloranfenicol, ampicilina, tetraciclina, trimetropim
    • Resistência múltipla aos antibióticos
    • Vacinas em experimento
  • 12. Controle
    • Higiene pessoal
    • Controle sanitário da água, alimentos
    • Tratamento de esgotos, controle de moscas
    • Isolamento dos pacientes
    • Detecção de casos subclínicos entre manipuladores de alimentos
  • 13. Isolamento e Identificação
    • As diferenciação entre E. coli e Shigella é difícil já que são bastante similares.
    Propriedade E. coli Shigella ssp. motilidade + - Fermentação sacarose + - Fermentação lactose + - Produção de gás + -
  • 14. Isolamento e Identificação
    • Enriquecimento seletivo –Caldo Gram negativo (GN)
    • Possui triptose, citrato e desoxicolato de sódio (inibem G+ e coliformes); manitol, tampão fosfato (para evitar que o meio fique muito ácido e elimine a Shigella)
    • Incubação temperatura 37°C/20h
  • 15. Isolamento e Identificação
    • Isolamento:
    • Ágar xilose desoxicolato lisina (XLD): colônias transparentes ou rosas- não usa xilose
    • Ágar MacConkey (pouco seletivo)– lactose, sais biliares e cristal violeta (inibem G+), vermelho neutro indicador: colônias incolores –não usa lactose
    • Incubação 35-37°C/24h
  • 16. Ágar MacConkey Fermenta lactose, não fermenta
  • 17. Ágar XLD- Shigella
  • 18. Isolamento e Identificação
    • Triagem
    • Selecionar 3-5 colônias/placa:
    • TSI: base amarela, bisel vermelho, sem gás e sem H 2 S
  • 19. Isolamento e Identificação
    • Identificação bioquímica
    • Citrato (-)
    • Caldo púrpura de bromocresol com lactose (-)
    • Com sacarose (-)
    • Com glicose (+) e outros carboidratos
  • 20. Citrato - Motilidade - Fermentação de CHO
  • 21. Isolamento e Identificação
    • Sorologia
    • Soro polivalente
  • 22. Referências
    • APHA Compendium of Methods for the Microbiological Examination of Foods, 4th Ed., 2002
    • FORSYTHE, Stephen J . Microbiologia da segurança alimentar. Porto Alegre:Artmed, 2002. 424p
    • FRANCO, Bernadete Dora Gombossy de Melo; LANDGRAF, Mariza. Microbiologia dos alimentos . São Paulo: Atheneu, 2004. 182 p.
    • JAY, J.M. Microbiologia Moderna de los Alimentos. , Zaragoza: Editorial Acribia, 1994
    • SILVA, Neusely da; JUNQUEIRA, Valéria Christina Amstalden; SILVEIRA, Neliane Ferraz de Arruda. Manual de métodos de análise microbiológica de alimentos. 2. ed rev atual. São Paulo: Varela, 2001. 317 p.
    • Sousa, Ana Elisabete Simões et al. Síndrome de reiter: relato de caso. An bras Dermatol, Rio de Janeiro, 78(3):323-330, maio/jun. 2003.

×