• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
AVALIAÇÃO BACTERIOLÓGICA DE FILÉS DE FRANGO RESFRIADOS
 

AVALIAÇÃO BACTERIOLÓGICA DE FILÉS DE FRANGO RESFRIADOS

on

  • 1,575 views

III Congresso Nacional de Saúde Publica Veterinária e I Encontro Internacional de Saúde Pública Veterinária. Bonito, MS. 25 a 28 de outubro 2009.

III Congresso Nacional de Saúde Publica Veterinária e I Encontro Internacional de Saúde Pública Veterinária. Bonito, MS. 25 a 28 de outubro 2009.

Statistics

Views

Total Views
1,575
Views on SlideShare
1,572
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 3

http://microdealimentos.blogspot.com 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    AVALIAÇÃO BACTERIOLÓGICA DE FILÉS DE FRANGO RESFRIADOS AVALIAÇÃO BACTERIOLÓGICA DE FILÉS DE FRANGO RESFRIADOS Document Transcript

    • AVALIAÇÃO BACTERIOLÓGICA DE FILÉS DE FRANGO RESFRIADOS EMBALADOS EM ATMOSFERA MODIFICADA ANTES E APÓS O PROCESSO DE IRRADIAÇÃO. Mantilla, Samira Pirola Santos; Santos, Érica Barbosa; Franco, Robson Maia, Vital, Hélio de Carvalho, Mano, Sérgio Borges, Xavier, Marta Maria Braga Baptista Soares. Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ. samiramantilla@yahoo.com.br Métodos combinados de conservação de alimentos é um tema amplamente pesquisado objetivando produtos seguros ao consumidor. O objetivo desse experimento foi verificar o se a Embalagem em Atmosfera Modificada (EAM) antes e após o processo de irradiação influencia na redução da microbiota e no aumento da validade comercial de filés de frango resfriados. Foram obtidos 2 Kg de filé de peito de frango resfriado em comércio varejista no município de Niterói, RJ, sendo transportado para o Laboratório de Controle Microbiológico de Produtos de Origem Animal, onde foram divididos, assepticamente, em amostras de 18g e acondicionados em embalagens plásticas com baixa permeabilidade a gases. Foram formados seis grupos: 1) grupo onde as embalagens foram preenchidas com ar atmosférico (A); 2) grupo embalado em atmosfera modificada (ATM); 3) grupo embalado em atmosfera modificada e irradiado a 2 KGy (ATM2); 4) grupo embalado em atmosfera modificada e irradiado a 3 kGy (ATM3); 5) grupo embalado à vácuo, irradiado a 2 KGy e embalado em atmosfera modificada (2ATM); 6) grupo embalado à vácuo, irradiado a 3 KGy e embalado em atmosfera modificada (3ATM); sendo, então, termo-soldados e estocados em geladeira a 1° ± 0,1° A mistura de gases C C. utilizada foi 80% CO2/ 20% N2 e as amostras foram irradiadas no Centro Tecnológico do Exército (CTEx). Foi feita a Contagem de Bactérias Heterotróficas Aeróbias Mesófilas nos dias 1, 3, 5, 7, 9, 12 e 18 de estocagem, utilizando-se a técnica de semeadura em profundidade e o meio Ágar Padrão para Contagem. O prazo de validade comercial foi estipulado de acordo com os dias necessários para que a contagem de bactérias mesófilas alcançasse o valor de 107 UCF/g. O tratamento que propiciou o maior prazo de validade comercial foi o ATM3 (16 dias) enquanto as amostras controle apresentaram um curto período de validade (5 dias). Os tratamentos 2ATM e 3ATM também foram eficientes no aumento deste período, 12 dias, seguidos pelos tratamento ATM2 e ATM com validade de 10 e 7 dias respectivamente. Verificou-se que o processo de irradiação potencializou a tecnologia de EAM e quanto maior a dose utilizada, maior foi a redução microbiana e extensão da validade do produto. Quando a radiação gama foi realizada antes da EAM observou-se um aumento do prazo comercial nas amostras irradiadas a 2 kGy, ou seja, a dupla embalagem (vácuo e ATM) auxiliou na redução da microbiota com extensão da validade. A EAM antes ou após o processo de irradiação pode ser utilizada para diminuir a microbiota da carne de frango garantindo um produto seguro à saúde do consumidor e com maior validade comercial.