Antimicrobianos

  • 3,095 views
Uploaded on

Congresso de Higienistas de Alimentos, Porto Seguro, 2007

Congresso de Higienistas de Alimentos, Porto Seguro, 2007

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,095
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
7
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. RESULTADOS E DISCUSSÃO CONCLUSÃO Listeria monocytogenes ISOLADAS DE CARNE BOVINA MOÍDA: RESISTÊNCIA ANTIMICROBIANA MANTILLA, Samira Pirola Santos1; FRANCO, Robson Maia2; OLIVEIRA, Luiz Antônio Trindade2; SANTOS, Érica Barbosa3 1 Doutoranda em Higiene Veterinária e Processamento Tecnológico de Produtos de Origem Animal (POA) na Universidade Federal Fluminense (UFF) 2 Professores Doutores do Departamento de Tecnologia de Alimentos da UFF – Controle Microbiológico de POA 3 Pós-graduanda em Irradiação de Alimentos na UFF INTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS A resistência bacteriana aos antimicrobianos é um tema amplamente pesquisado por diversos autores, devido a grande importância desta condição para a saúde pública. À medida que os antimicrobianos vão sendo utilizados indiscriminadamente, aumenta-se o número de bactérias resistentes às drogas mais utilizadas na terapia humana. TABELA 1 - Perfil de sensibilidade das seis cepas de L. monocytogenes frente aos antimicrobianos testados. Todas as cepas de L. monocytogenes utilizadas nesta pesquisa apresentaram-se resistentes a diversos antimicrobianos e inclusive a ampicilina, que é uma das drogas mais indicadas para o tratamento da listeriose segundo Jay (2005) e Castro (1989).Araújo (1998) obteve resultados similares, a partir de amostras de “blanquet” de peru e Kasnowski (2004) relatou que todas as cepas de L. monocytogenes isoladas a partir de amostras de carne bovina apresentaram resistência aos mesmos antimicrobianos. Algumas cepas testadas também foram resistentes a outros antibióticos indicados no tratamento da listeriose humana. Jay (2005) ainda ressalta a rifampicina como fármaco de escolha para o tratamento, porém, no presente estudo, 83,3% das cepas isoladas foi resistente a este antimicrobiano. OBJETIVO O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência antimicrobiana de cepas de Listeria monocytogenes isoladas de carnes bovinas moídas naturalmente contaminadas. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS A existência de cepas de L. monocytogenes resistentes aos antimicrobianos utilizados no tratamento da listeriose humana representa um problema para a saúde coletiva, principalmente para os indivíduos que fazem parte do grupo de risco da listeriose, que incluem os idosos, crianças, mulheres grávidas e imunossuprimidos. ARAÚJO, P. C. C. Listeria monocytogenes: Ocorrência, verificação da eficiência de dois meios de plaqueamento, sorovares predominantes e sensibilidade aos antimicrobianos de cepas isoladas em produtos de carne de peru comercializados na cidade de Niterói-RJ-Brasil . 1998. 90 f. (Mestrado em Medicina Veterinária). UFF. Niterói, RJ, 1998. JAY, J. M. Listerioses de origem animal. In: Microbiologia de alimentos . 6 ed. Porto Alegre: Artmed, 2005. 711 p., cap. 25, p. 517-542 KASNOWSKI, M. C. Listeria spp., Escherichia coli: Isolamento, identificação, estudo sorológico e antimicrobiano em corte de carne bovina (alcatra) inteira e moída . 2004. 110 f. (Mestrado em Higiene Veterinária e Processamento Tecnológico de POA). UFF. Niterói, RJ, 2004. O teste de sensibilidade aos antimicrobianos foi realizado em seis cepas de L. monocytogenes, isoladas a partir de amostras de carne bovina, segundo a metodologia do “National Committee for Clinical LaboratoryStandards” (NCCLS,1990). Gentamicina Cefoxitina Ampicilina Clindamicina Oxaciclina Sulfazotrim 1 (16,7%) 1 (16,7%) 1 (16,7%) Ciprofloxacina Rifampicina Cloranfenicol 3 (50%) 3 (50%) 2 (33,3%) 2 (33,3%) 2 (33,3%) 2 (33,3%) 2 (33,3%) 1 (16,7%) 1 (16,7%) Amicacina Vancomicina Cloranfenicol Tetraciclina Rifampicina Penicilina Cefalotina Ciprofloxacina Eritromicina Todas as cepas resistentes Número de cepas intermediárias (%) Número de cepas sensíveis (%)