Your SlideShare is downloading. ×

Relatorio 3º Periodo 2011-2012

4,896

Published on

Relátório de atividades da Sala Amarela - 3º Período - 2011/2012

Relátório de atividades da Sala Amarela - 3º Período - 2011/2012

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,896
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
185
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. EB1/JI S. Miguel – Enxara do Bispo Agrupamento de Escolas Professor Armando Lucena Malveira Relatório de Atividades da Sala Amarela 3º Período letivo e Final Ano Letivo 2011/2012 Data: 06.07.2012Com base na proposta pedagógica apresentada no Projeto Curricular de Turma (PCT), bemcomo no espaço de planificação e preparação de atividades, tal como inscritas no PlanoAnual de Atividades (PAA) do estabelecimento, apresenta-se, de seguida o relatóriotrimestral (e final) de avaliação das atividades referente ao terceiro trimestre do ano letivoem cursoNo âmbito da atividade docente desenvolvida deve fazer-se uma distinção entre asatividades didático-pedagógicas e as atividades não letivas, onde figuram as atividadesdesenvolvidas no espaço da intervenção em reuniões, planeamento e avaliação, bem comoem outros espaços de intervenção docente. Nesse sentido, apresenta-se o relatórioreferente à Atividade docente e o relatório da Atividade Pedagógica. Far-se-á ainda umareflexão sobre os espaços de articulação desenvolvidos no âmbito de Atividades de Apoio àsFamílias, Componente de Apoio à Família, desenvolvida em colaboração com a CâmaraMunicipal de Mafra.Atividade docente.Mantém-se, na lógica e na dinâmica da produção deste documento, as referências aodesenvolvimento de apoio à atividade letiva, nomeadamente a continuação da participaçãodo docente titular de turma nas reuniões de organização, planeamento e avaliação(Departamento de Educação Pré-Escolar), em reuniões de análise colaborativa e apoioeducativo (Ensino Especial – Unidade de Apoio Educativo, APERCIM, Terapia da Fala,Psicologia Escolar) e em reuniões de coordenação e articulação pedagógica(Estabelecimento, Parceiros, Escola Segura, Proteção Civil, Junta de Freguesia), dinamizaçãode atividades de complemento e apoio educativo, participação em atividades de organizaçãoescolar (aquisição de equipamentos, gestão de recursos, etc.) e ainda todo o espaço deatendimento e avaliação dos processos educativos e curriculares com famílias (Encarregadosde Educação) e comunidade, designadamente na preparação de atividades (Associação dePais e Encarregados de Educação) com vista à execução do PCT e também do PAA.De referir ainda o espaço de reflexão e execução de atividades no âmbito da articulação ecooperação educativa, de onde se destacam as Atividades realizadas no âmbito do Projetode Educação para a Saúde.De salientar ainda as atividades desenvolvidas no âmbito da Reflexão Didático-Pedagógica eda Formação, de onde se destaca a organização de uma ação de formação dinamizada noâmbito do Plano de Formação do Centro de Formação de Escolas Rómulo de Carvalho,subordinada ao tema “Desenvolvendo Projetos TIC nas Escolas através de Plataformas de E-Learning” (curso de formação de 25 horas, com acreditação CCPFC/ACC-66694/11), dirigida 1
  • 2. a docentes de todos os níveis de ensino e realizada, gratuitamente, no Agrupamento deEscolas Professor Armando Lucena.De referir também a manutenção da colaboração bimensal com a Revista “Educadores deInfância”, através da publicação de artigos científicos e de opinião refletida sobre a EducaçãoPré-escolar.Ao longo do ano letivo, foram também recorrentes os convites para participação ematividades de reflexão pedagógica, como por exemplo o seminário “As Questões de Géneroe Cidadania”, que teve lugar no dia 3 de Janeiro, na Escola Superior de Educação de Lisboaonde apresentou uma comunicação subordinada ao tema “Ser minoria numa profissão” ou aparticipação em espaços de debate e análise educativa, como é exemplo o Seminário“Competências dos Professores para o Futuro”, no âmbito da preparação para o eventoTICEduca do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.Ainda a referir os variados seminários interdisciplinares realizados no Instituto de Educaçãoda Universidade de Lisboa, conforme comprovativos que constam no processo individual dodocenteExerceu ainda funções de professor cooperante do Instituto Superior de Ciências Educativas,recebendo, para estágios integrados do Curso de Educação Básica, duas estagiárias finalistas,e colaborou com alunos do Curso de Educação Básica da Escola Superior de Educação deLisboa, no âmbito de projetos de investigação decorrentes da frequência dos cursosuniversitários.Por último a dinamização de espaços de colaboração educativa, desenvolvidos através defóruns e plataformas de formação on-line (E-Twinnig, Plataforma moodle DGIDC e Portal dasEscolas), de onde se destaca a atribuição do selo “BloguesEDU” ao sítio de internetdisponibilizado durante este período (http://salamarela-enxara.blogspot.com) e aparticipação no projeto europeu “Children traveling to Europe through fairy tales”, compaíses como República Checa, Grécia, Itália ou Espanha.No âmbito da formação, destaca-se a frequência no curso de Doutoramento em Educação –especialização TIC na Educação, do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, tendoconcluído com sucesso, em julho de 2012, o primeiro ano curricular.Atividade PedagógicaDas análises feitas nas Reuniões de Avaliação (quer de Estabelecimento quer deEncarregados de Educação) para avaliação das atividades realizadas ao longo do terceirotrimestre letivo resultou uma avaliação de elevado nível para todas as atividadesdesenvolvidas, com especial relevo para os espaços de articulação educativa (escola/família).O envolvimento e partilha, da Associação de Pais, de alguns professores das Atividades deEnriquecimento Curricular e da CAF, bem como a participação ativa de pais e familiares nasdinâmicas da sala de atividades foram importantes espaços de promoção educativa e dearticulação, reconhecidos como de importância efetiva para o desenvolvimento escolar eeducativo dos alunos, designadamente nas reuniões formais desenvolvidas comencarregados de educação (quatro, ao longo do ano), tendo sido reconhecida a validade e aqualidade das práticas (ver atas das reuniões).As atividades realizadas no âmbito do PNL (e outras em articulação com a Biblioteca Escolar),bem como as enquadráveis no Plano de Educação para a Saúde, tendo sido, em termos deplaneamento, alvo de organização específica no âmbito da coordenação pedagógica doestabelecimento, tiveram a sua avaliação nesse âmbito, tendo sido destacada a colaboraçãoe a cooperação atingida entre todos os setores da escola. 2
  • 3. O PCT orientou a sua ação para a dinamização de atividades congruentes com aespecificidade do nível etário dos alunos e da estrutura da sala, pelo que, ao longo do anoprocurou‐se definir um conjunto de objetivos a partilhar e dinamizar por todos osintervenientes, para que existisse uma efetiva devolução das práticas no âmbito dodesenvolvimento integral dos alunos.Uma nota especial para o envolvimento das assistentes operacionais na dinamização econceção de atividades, com especial destaque para as assistentes operacionais quedesenvolvem a sua atividade no apoio direto aos alunos da turma, que, fruto das suascapacidades de trabalho e dedicação, se tornaram, efetivamente, peças chave na realizaçãoe execução de parte das atividades desenvolvidas. Neste particular é fundamental referir adinâmica pedagógica e educativa da sala, na qual o adulto é parte do grupo e não,necessariamente, líder ou dirigente da ação educativa.As estratégias escolhidas, como de resto definido previamente, no âmbito da organização doPCT, pressupuseram o conhecimento da história individual de cada criança, de cada família ecada elemento comunitário. A meta foi construir uma proposta abrangente massuficientemente aberta no qual fosse possível, valorizar um tema que consideramos deextrema importância – a educação financeira e monetária dos cidadãos.“Poupar é que está a dar” foi o mote escolhido para desenvolver a base de organização dasestratégias e experiências curriculares e pedagógicas e serviu de fio condutor à construçãodo espaço educativo quer da sala, quer da escola no seu conjunto, potenciando, dessaforma, um espaço eficaz de articulação educativa.Nesse sentido, o planeamento das atividades, enquadradas pelo PCT, pelo PAA e pelo PEA,promoveu, fundamentalmente, atividades que perspetivassem o futuro de modo a que, nafamília, na escola, na rua, etc., o aluno assumisse uma relação interveniente no meio que aenvolve ao mesmo tempo que aprendesse a aprender, organizando os seus saberes numaperspetiva de aprendizagem ao longo da vida e de intervenção no meio. Nesse sentido, foitambém importante que o aluno tivesse capacidade de desenvolver as suas capacidades deExpressão e Comunicação através de diferentes modelos de linguagem e que,principalmente, reconhecesse as características socioculturais da sua região, e se integrassenelas, com base numa reflexão constante sobre a fruição, respeito e reflexão sobre oshábitos, dinâmicas e recursos disponíveis. Esta valorização do Desenvolvimento Pessoal eSocial do aluno justifica-se não apenas pela “leitura” feita no âmbito da caracterização dogrupo mas, sobretudo, no âmbito da leitura dos objetivos definidos no PEA.Ao longo de todos os períodos letivos foram desenvolvidas atividades que potenciaram aexploração das dinâmicas e dos conteúdos que promovessem aquisições específicas noâmbito da intervenção pessoal e social, sendo que para realizar esses objetivos organizaram-se, com muita frequência, atividades de exploração e visita ao contexto socioeducativo ondese insere a EB1/JI de S. Miguel.Como também definido no PCT, e partindo da necessidade de criar situações quepossibilitassem e desenvolvessem a linguagem oral, o pensamento lógico-matemático, e asexpressões (plástica, musical, dramática, e motora) bem como reconhecessem e utilizassemtecnologias novas e inovadoras, e todos os instrumentos tecnológicos adequados à suaidade, os projetos desenvolvidos motivaram, entre outras, a exploração científica e empíricados conteúdos, a definição de normas e comportamentos refletidos e o reconhecimento e autilização de novos instrumentos e ferramentas de função pedagógica e educativa.Neste aspeto particular, a página web do jardim-de-infância, dinamizada e atualizada pelosalunos (em http://salamarela-enxara.blogspot.com) tornou possível registar e atualizar a 3
  • 4. informação advinda da experimentação e exploração das atividades, funcionando como umportfólio do grupo, que manteve a mais-valia de mediar um efetivo espaço de comunicaçãoentre alunos e a comunidade, designadamente os encarregados de educação e as famílias.Nesse espaço de comunicação por excelência foram registadas a maior parte das atividadesrealizadas (registos escrito, áudio e vídeo), e podem ser consultadas em http://salamarela-enxara.blogspot.com)É muito importante referir e valorizar a dinâmica de participação das famílias e dosencarregados de educação, numa perspetiva de colaboração ativa que permitiu adinamização das atividades que tiveram como objetivos os atrás enunciados, e que serevelaram bastante adequadas e profícuas. Para poder aferir a participação e a perceção dotrabalho realizado, elaborou-se um questionário de avaliação aos pais e encarregados deeducação que, de forma simples, permitiu a recolha de dados sobre a execução dasatividades, sobre a perceção de qualidade e, acima de tudo, sobre a pertinência dasdinâmicas escolhidas. Os resultados deste questionário serão apresentados em anexo.De salientar ainda a excelente relação com os todos os outros agentes educativos, bemcomo os processos de efetiva articulação pedagógica com as turmas do 1º Ciclo, no qual sãode destacar os projetos de execução de atividades e a reflexão e avaliação conjunta,designadamente das inseridas no Plano Anual de Atividades.Também a participação conjunta em atividades de divulgação/informação, bem como naapresentação/mostra de produtos educativos se potencia com um espaço efetivo dearticulação pedagógica, sendo de destacar, a contribuição de toda a comunidade educativana disponibilização de meios para tornar operacionais tais objetivos. Nesse sentido apreparação e participação na atividade Semana da Infância 2012, desenvolvida no âmbito doDepartamento de Educação Pré-escolar, revelou-se como um espaço otimizador epotenciador da dinâmica educativa, nomeadamente ao permitir a divulgação de práticasletivas de qualidade (no caso da EB1/JI de S. Miguel, a atividade “Vamos à Piscina”,desenvolvida em parceria com a Associação de Pais e encarregados de educação) e foi umamais-valia em termos de mobilização e de organização de recursos pedagógicos.Nos momentos de Escola Aberta (9 a 11 de julho) foram apresentadas, além dasconsiderações globais sobre o desenvolvimento individual e coletivo dos alunos e das suasaprendizagens, uma ficha de avaliação, baseada num modelo de desenvolvimento decompetências, na qual é organizada a informação, individual, de cada aluno, e refletidas, emconjunto, as propostas pedagógicas e estratégias educativas a desenvolver. Foram aindaproduzidos relatórios de avaliação para todos os alunos da turma e de transição para osalunos que transitam de ciclo.Por tudo o exposto, e presumindo que o processo de avaliação comporta a interpretação dainformação para uma posterior adaptação das práticas, podemos concluir, pelo trabalhodesenvolvido e pelas reflexões exaradas em vários documentos, que os objetivos propostosno projetos e planos definidores da intencionalidade educativa foram atingidos combastante sucesso.Apoio EducativoManteve-se a organização de atividades, devidamente planeadas em sede de grupo detrabalho, para o aluno com necessidades educativas especiais, que foi alvo de avaliaçãoespecífica no final do período, tendo esta evidenciado a qualidade do atendimentodisponibilizado. 4
  • 5. Após reunião de avaliação entre os docentes de apoio e os técnicos ocupacionais e deterapias específicas, ficou patente a necessidade de se continuar a desenvolver o mesmoâmbito de apoio ao aluno, o que pressupôs o pedido de adiamento de entrada naescolaridade obrigatória (1º ciclo), tendo sido disponibilizados aos encarregados deeducação todos os meios e documentos para esse procedimento.A evidência da evolução das aprendizagens das crianças é observável nos registosavaliativos, que mostram um crescimento sustentado de competências e saberes, adequadoao grupo e às condições preexistentes.Por último, a colaboração e cooperação constante, conseguida entre todas as salas deatividade da escola, com especial relevância nas salas de jardim de infância tem tambémcontribuído para um evidente sucesso de estratégias e da sua adequação aos grupos.Atividades de Enriquecimento Curricular (Componente de Apoio à Família e Atividades deEnriquecimento Curricular)As atividades de complemento educativo – Componente de Apoio à família (CAF) eAtividades de Enriquecimento Curricular (AEC) – funcionaram, ao longo deste período letivo,dentro da normalidade esperada. Nas avaliações finais foram, contudo, apresentadasalgumas sugestões de melhoria que, de forma global, passam por potenciar uma maispróxima dinâmica de colaboração entre serviços (Câmara Municipal/Estabelecimento). Dedestacar também as sugestões que foram feitas em sede de reuniões de avaliaçãointersectoriais.Ambiente de TrabalhoA dinâmica conseguida entre o corpo docente e não docente manteve-se ao longo desteperíodo, tal como foi descrito nas reuniões entre o corpo docente e o pessoal auxiliar(assistentes operacionais). Manteve-se também o espaço de partilha e envolvimentoconseguido entre todas as turmas da escola. A realização de atividades conjuntas eestratégias curriculares e pedagógicas articuladas possibilitou uma avaliação muito positivade todas as atividades desenvolvidas, pela comunidade e pela Associação de Pais. Mantém-se, como facto a destacar, a constante presença preocupada e atenta do Coordenador deestabelecimento que, na sua atitude de acompanhamento permanente permite uma eficazantecipação e resolução de situações potencialmente problemáticas.EfeitosDe acordo ainda com a avaliação feita são notórios os efeitos positivos nas práticas letivas e,essencialmente, nos resultados escolares dos alunos.Potenciaram-se espaços alargados de desenvolvimento de competências sociais e pessoais efomentaram-se trocas e partilha entre os alunos da escola.No trabalho com as famíliasAs atividades desenvolvidas foram, na sua maior parte, atividades de parceria educativa eque demonstraram a forte adesão das famílias às estratégias e dinâmicas empregadas. Desalientar também a parceria desenvolvida com a Associação de Pais e Encarregados deEducação e o seu envolvimento na organização de diversas atividades.Avaliação Global 5
  • 6. De acordo com o que anteriormente foi referido, avaliamos como muito positivas, eefetivamente educativas, as estratégias didáticas e pedagógicas das atividades na SalaAmarela. Neste particular destacam-se, por um lado, as evidências obtidas através dosdocumentos em anexo, por outro, o reconhecimento público das práticas, nomeadamenteatravés da participação em espaços de divulgação científica (congressos) e da publicação emespaços mediados de comunicação (Jornal de Letras, Portal das Escolas, Jornal “O Carrilhão”,etc.) Enxara do Bispo, Aos seis dias do mês de julho de dois mil e doze, O Educador de Infância Henrique Santos 6

×