Your SlideShare is downloading. ×
0
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Oficina de Língua Portuguesa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Oficina de Língua Portuguesa

11,081

Published on

Temáticas: …

Temáticas:
Estilo, Coerência e Coesão

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
11,081
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
163
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Oficina de Língua PortuguesaTemáticas: Estilo, Coerência e Coesão
  • 2. Caderno de Teoria e Prática 05Objetivo:Reconhecer, relacionar ecompreender conteúdos eatividades voltados para astemáticas Estilística, Coerência eCoesão.
  • 3. Fundamentação Teórica Estilística Coerência Textual Coesão Textual Relações lógicas no texto
  • 4. Retomadas Conversar sobre os recursos linguísticos e discursivos apresentados em um texto. Objetivo alcançado. Avaliação Oral e Escrita.
  • 5. Atividades1. Apresentação da Teoria do Caderno 52. Leitura da Crônica – E o noivo estava de tênis – Luis Fernando Verissimo. Conversa sobre o título. Perceber a intenção do autor – Finalidade. Análise dos recursos linguísticos, estilísticos e discursivos disponíveis na crônica Observar como o autor seleciona as palavras.
  • 6. A Estilística é a disciplina que estuda alinguagem que se cria com os elementosda Língua. (Estudo do estilo)O Estilo - o resultado da escolha dosrecursos expressivos capazes de produziros efeitos de sentido motivados pelaemoção e afetividade do falante. (Gênero)Gramática estuda os elementos da língua eestilística estuda a linguagem que se criacom esses elementos.
  • 7. A Estilística em dois níveis:Nível fonético refere se aos valores expressivosde natureza sonora.Nível léxico estuda aspectos expressivos daspalavras ligadas aos seus componentessemânticos e morfológicos.Estilística associada a sintaxe - combina aspalavras na frase, e a enunciação, que pesquisano enunciado as marcas dos vários elementoscom ela relacionados: situação, contexto sócio-histórico, locutor, receptor, referente.
  • 8. A estilística estuda os valores relacionados a: sonoridade, significação, formação das palavras, à constituição da frase e do discurso.
  • 9. Coerência TextualÉ o resultado da articulação das ideias deum texto; é a estrutura lógico-semânticaque faz com que numa situação discursivapalavras e frases componham um todosignificativo para os interlocutores.
  • 10. Coerência textual Para ser coerente, o texto deve apresentar uma relação lógica e harmônica entre suas ideias, que devem ser ordenadas e interligadas de maneira clara, formando, assim, uma unidade na qual as partes tenham nexo.
  • 11. Fatores que contribuem para a coerência textual: Contexto situacional. Os interlocutores em si, suas crenças e intenções comunicativas, o relacionamento social entre os interlocutores. Função comunicativa do texto (finalidade)Página 94 do TP 5
  • 12. Coesão textual A Coesão é um mecanismo linguístico que articula as informações de um texto, relacionando sentenças com o que veio antes e que virá depois, ou seja, um conjunto de recursos que orientam a construção da continuidade do texto.
  • 13.  Os elementos que marcam a continuidade dos sentidos do texto são chamados elos ou laços coesivos. Coerência X Coesão A coerência se constrói na relação entre o texto e o seu contexto. A coesão se constrói entre as partes do texto. O fenômeno da coesão textual é solidário ao da coerência.
  • 14. Coesão textual Para que um texto apresente coesão, devemos escrever de maneira que as ideias se liguem umas às outras, formando um fluxo lógico e contínuo. Quando um texto está coeso, temos a sensação de que sua leitura acontece com facilidade.
  • 15. 1. Coesão referencial Alcançamos a coesão referencial utilizando expressões que retomam ou antecipam nossas ideias: # onde: "lugar" e pode substituir outras palavras. São Paulo é uma cidade onde a poluição atinge níveis muito altos. # cujo: pode estabelecer uma relação de posse entre dois substantivos. Verissimo é um escritor cujas obras lemos com prazer.
  • 16. 2. Coesão lexical Permite evitar a repetição de palavras e, também, unir partes de um texto.Pode ser alcançada utilizando-se: # de sinônimos: palavras semelhantes que podem ser usadas em diferentes contextos, mas sem alterar o que o texto pretende transmitir. A Bíblia não esclarece se Adão e Eva chegaram a se casar, formalmente. ... Na ausência de um padre, o próprio Criador, na qualidade de maior autoridade presente — algo assim como o comandante de um navio em alto-mar __, deve ter oficiado a cerimônia.
  • 17. 3. Coesão sequencial Trata-se de estabelecer relações lógicas entre as ideias do texto. Para tanto, utilizamos os chamados conectivos (preposições e conjunções). # Consequência (ou conclusão): por isso, logo, portanto, pois, de modo que, assim. Ela é muito competente, por isso conseguiu a vaga. # Causa: porque, pois, visto que, já que,. Ela conseguiu a vaga, já que é muito competente.
  • 18. # Oposição: entretanto, mas, porém, no entanto, todavia, apesar, contudo. Foi o primeiro casamento feliz, apesar daquele incidente desagradável com a serpente. # Condição: se, caso, desde que, contanto que. Você pode ir brincar na rua, desde que faça todo o dever. # Finalidade: para que, a fim de que, com o objetivo de, com o intuito de. Com o intuito de conseguir a vaga na faculdade, Sílvia estudava oito horas todos os dias.
  • 19. Relações lógicas no texto Para produzir sentidos, ser coerente, um texto deve fornecer informações adequadas para que o leitor/ouvinte seja capaz de construir uma representação do mundo textual. As relações lógicas oferecem “pistas” sobre como essas informações devem ser organizadas.
  • 20. Relações lógicas As Relações lógicas de tempo tem a função de localizar os fatos ou eventos referidos pelo texto em “tempos” relacionados ao momento da interação. Podem ser marcadas pela flexão verbal, por expressões substantivas e pronominais – esta semana, próximo ano. Por advérbios – agora, amanhã.
  • 21.  Relação lógica de identidade estabelece a comparação entre elementos linguísticos que designam o mesmo objeto de discurso.
  • 22. Relação lógica de identidade Em uma língua natural acomparação nunca é absoluta etotal, pois o contexto de uso érelevante para criar sentido ouprovocar uma certa finalidadediscursiva.Exemplo: guri, moleque e menino...
  • 23.  Relação lógica de Negação – representa a exclusão, a rejeição de possibilidade de uma informação, um fato ou uma idéia. As expressões linguísticas mais utilizadas podem ter a expressão mínima de um prefixo. (não, nenhum, nada, ninguém, nem, nego que, refuto que, deixe de...).
  • 24.  Significados implícitos Ao construir ou ler um texto fazemos uso de “pistas” que ativam conhecimento ou informam sobre o assunto.
  • 25. Há “pistas” que orientam comoarticular estes conhecimentos, ou seja,marcas linguísticas que desencadeiamrelações lógicas no texto.É nas relações lógicas de implicaçãoque construímos o significadosimplícitos.
  • 26. Referências Bibliográficas VERISSIMO, Luis Fernando. Mais Comédias para ler na escola.Rio de Janeiro:Objetiva, 2008. I.LAGINESTRA, Maria Aparecida. II.PEREIRA, Maria Imaculada Pereira. III.Série A Ocasião faz o escritor:Caderno do Professor:Orientação para produção de Texto - Olimpíada de Língua Portuguesa. São Paulo: Cenpec, 2010. DUBOIS, Jean e outros. Dicionário de Linguística. São Paulo: Ed. Cultrix, 2007. KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. A coesão textual. 17.ed.-São Paulo: Contexto, 2002. I.KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. II. TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A coerência textual. 14.ed.- São Paulo: Contexto, 2002. ANTUNES, Irandé. Lutar com palavras: coesão e coerencia – São Paulo: Parábola Editorial, 2005. Programa Gestão da Aprendizagem Escolar – Gestar II. Língua Portuguesa: Caderno de Teoria e Prática 5 – TP5: Estilo, coerência e coesão. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2008. http://www.filologia.org.br/ixcnlf/5/08.htm Fonte: http://vestibular.uol.com.br/ultnot/resumos/ult2772u52.jhtm
  • 27. Equipe de Organização Luziane Pereira Castro Marisa Martins Roseli Bitzcof de Moura Sádia Maria Soares Azevedo Rocha Agosto, 2011

×