O Bandeirante

252
NOVEMBRO
2013

Publicação mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores - Regional S.Paulo

A qu...
2

O Bandeirante - Novembro 2013

Editorial
Expediente
Jornal O Bandeirante
ANO XXIII - nº. 2512Novembro 2013
Publicação m...
O Bandeirante - Novembro 2013

3

As boas coisas da vida
Maria do Céu Coutinho Louzã
Texto vencedor da Superpizza em homen...
4

O Bandeirante - Novembro 2013

A quarta idade
Nelson Jacintho

Alô galera, aí está chegando a quarta idade!
E como vem ...
O Bandeirante - Novembro 2013

5

A presença daquele homem
Rodolpho Civile

Dois de novembro, Finados. O dia que se
homena...
6

O Bandeirante - Novembro 2013

Metamorfose

e de nosso olhar?
ontem penetrante e transcendente
hoje superficial e dispe...
O Bandeirante - Novembro 2013

7

Livros em destaque
ALCIONE ALCÂNTARA GONÇALVES
“Vielas da Vida”
Rumo Editorial - SP
Em s...
FATOS & OLHARES
Márcia Etelli Coelho

PIZZA LITERÁRIA DE OUTUBRO
Antecipando as homenagens ao Dia do Médico, a Pizza Liter...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

O Bandeirante - nº 252 - Novembro de 2013

241 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
241
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Bandeirante - nº 252 - Novembro de 2013

  1. 1. O Bandeirante 252 NOVEMBRO 2013 Publicação mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores - Regional S.Paulo A quarta idade “Alô galera, aí está chegando a quarta idade! E como vem bela e faceira! É um modelo aprimorado da terceira; não usa bengala, não tem artrose, não claudica, nem tem crepitação nos joelhos, porque as suas cartilagens estão sendo remodeladas com condroitina, glicosamina, estratos de abacate e soja, e estão funcionando como as engrenagens de um relógio suíço..” A crônica de NELSON JACINTHO está na p. 4 Até um tempo, em algum lugar “...E que saudade doida é essa! É certamente a saudade do amor amigo que ficou e que nunca sara, só podendo ser amenizado e abrandado pelo tempo. E que tempo é esse agora! É o tempo do infinito ou aquele que não se mede pelo tempo, mas sim pela paixão cheia de amor amigo, saudade, admiração e a mais carinhosa lembrança.” A prosa poética de SÉRGIO PELEGRINI MARUN está na p. 3 A presença daquele homem “No ‘Livro dos Mortos’ dos antigos egípcios consta: “O que restou das poderosas mansões e palácios? Abateram-se suas fortes muralhas, ruíram as casas no pó. E ninguém volta do reino escuro para dizer-nos como está, até que também nós chegamos lá onde todos desaparecem... ” O conto de RODOLPHO CIVILE você lê na p. 3 6 5 6 5 COISAS BOAS METAMORFOSE NAUFRÁGIO MISCELÂNEA Maria do Céu Coutinho Louzã Helio Begliomini Aída Begliomini José Leopoldo Lopes de Oliveira Visite e participe: http://sobramespaulista.blogspot.com.br
  2. 2. 2 O Bandeirante - Novembro 2013 Editorial Expediente Jornal O Bandeirante ANO XXIII - nº. 2512Novembro 2013 Publicação mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores Regional do Estado de São Paulo SOBRAMES-SP. Sede: Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278 - 7º Andar - Sala 1 (Prédio da Associação Paulista de Medicin a) - São Paulo - SP Editores: Josyanne Rita de Arruda Franco e Marcos Gimenes Salun (MTb 20.405-SP) Jornalista Responsável e Revisora: Ligia Terezinha Pezzuto (MTb 17.671-SP). Redação e Correspondência: Rua Francisco Pereira Coutinho, 290, ap. 121 A – V. Municipal – CEP 13201-100 – Jundiaí – SP E-mail: josyannerita@gmail.com Tels.: (11) 4521-6484 Celular (11) 99937-6342. Colaboradores desta edição (textos literários): Aída Lúcia Pullin Dal Sasso Begliomini, Helio Begliomini, José Leopoldo Lopes de Oliveira, Maria do Céu Coutinho Louzã, Nelson Jacintho, Rodolpho Civile e Sérgio Pelegrini Marun. Tiragem desta edição: 300 exemplares (papel) e mais de 1.000 exemplares PDF enviados por e-mail. Diretoria - Gestão 2013/2014 - Presidente: Josyanne Rita de Arruda Franco. Vice-Presidente: Carlos Augusto Ferreira Galvão. Primeiro-Secretário: Márcia Etelli Coelho. SegundoSecretário: Maria do Céu Coutinho Louzã. PrimeiroTesoureiro: José Alberto Vieira. Segundo-Tesoureiro: Aida Lúcia Pullin Dal Sasso Begliomini. Conselho Fiscal Efetivos:Hélio Begliomini, Luiz Jorge Ferreira e Marcos Gimenes Salun. Conselho Fiscal Suplentes: José Jucovsky, Rodolpho Civile e José Rodrigues Louzã. . Matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião da Sobrames-SP Dia das bruxas? Noite de anjos! Outubro chega ao fim ainda com os reflexos inolvidáveis da Jornada Médico-Literária Paulista de setembro último, e a Sobrames-SP, que sempre recebe com alegria todos os participantes, seja em reuniões de diretoria, seja na alegria das vozes de poetas e prosadores nas aguardadas Pizzas Literárias mensais, anuncia que novembro trará novidade: a Balada Literária da regional paulista, que acontecerá no Espaço Maracá da Associação Paulista de Medicina (APM). Um sarau poético-musical para mostrar muitos outros talentos em oportunidade ímpar de confraternização artística. Participe conosco! Faça parte dessa história! Saudações Literárias! Josyanne Rita de Arruda Franco Médica Pediatra Presidente da Sobrames-SP Reunião na sala da nova sede Editores de O Bandeirante Flerts Nebó - novembro a dezembro de 1992 Flerts Nebó e Walter Whitton Harris - 1993-1994 Carlos Luis Campana e Hélio Celso Ferraz Najar - 1995-1996 Flerts Nebó e Walter Whitton Harris - 1996-2000 Flerts Nebó e Marcos Gimenes Salun - 2001 a abril de 2009 Helio Begliomini - maio a dezembro de 2009 Roberto A.Aniche e Carlos Augusto F. Galvão - 2010 Josyanne R.A.Franco e Carlos Augusto F.Galvão - 2011-2012 Josyanne R.A.Franco e Marcos Gimenes Salun - 2013 Presidentes da Sobrames SP 1º. Flerts Nebó (1988-1990) 2º. Flerts Nebó (1990-1992) 3º. Helio Begliomini (1992-1994) 4º. Carlos Luiz Campana (1994-1996) 5º. Paulo Adolpho Leierer (1996-1998) 6º. Walter Whitton Harris (1999-2000) 7º. Carlos Augusto Ferreira Galvão (2001-2002) 8º. Luiz Giovani (2003-2004) 9º. Karin Schmidt Rodrigues Massaro (jan a out de 2005) 10º. Flerts Nebó (out/2005 a dez/2006) 11º. Helio Begliomini (2007-2008) 12º. Helio Begliomini (2009-2010) 13º.Josyanne Rita de Arruda Franco (2011-2012) 14º.Josyanne Rita de Arruda Franco (2013-2014) Editores: Josyanne R.A.Franco e Marcos Gimenes Salun Revisão: Ligia Terezinha Pezzuto Diagramação: Marcos Gimenes Salun | Rumo Editorial Produções e Edições Ltda. Email: rumoeditorial@uol.com.br Impressão e Acabamento: Expressão e Arte Gráfica Editora - São Paulo 06/11 – Sérgio Pelegrini Marun 14/11 – Alcione Alcântara Gonçalves 25/11 - Sônia Andruskevicius Da esquerda para direita os diretores Aída Begliomini, Maria do Céu, Elza (nossa colaboradora na APM), a presidente Josyanne, Márcia Etelli, José Alberto e Helio Begliomini. As prateleiras ainda estão vazias, pois o acervo da regional paulista está chegando aos poucos e ainda não começou a ser organizado. Isso não impediu, contudo, que a diretoria se reunisse pela primeira vez no dia 29.10.2013,na sala recém-mobiliada, graças à benesse dos associados Manlio Napoli e José Jucovsky. Apesar de já vir se reunindo nas instalações da APM há algum tempo, em outra sala, esta data pode ser considerada como a de estreia das novas instalações da sede da SOBRAMES-SP. Em breve todos serão convidados a conhecer este local, onde continuarão sendo decididos os destinos de nossa Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, regional do Estado de São Paulo. As Pizzas Literárias da SOBRAMES-SP acontecem na terceira quinta-feira de cada mês, a partir das 19h00 na PIZZARIA BONDE PAULISTA Rua Oscar Freire, 1.597 - Pinheiros - S.Paulo
  3. 3. O Bandeirante - Novembro 2013 3 As boas coisas da vida Maria do Céu Coutinho Louzã Texto vencedor da Superpizza em homenagem a Rubem Braga Na beira do rio que corre alegre, deixar os pés mergulhados na água, enquanto se espera o peixe que há de vir. Soprar um Amor de Poeta e fazer um pedido especial. E descobrir que tal como ele, efêmero, não se realizará! Na noite enluarada, fazer um pedido para a estrelinha que de repente nos confirma, ao piscar. Na cozinha convidativa, o perfume do bolo pronto a nos convidar para um pedaço apreciar. Correr atrás da linda borboleta azul, que indiferente pousa no alto da roseira do nosso jardim. Aguardar o convite para a festa onde talvez alguém especial esteja a nos esperar. A tarde alegre no circo onde o malabarista e a contorcionista quase nos fazem perder o fôlego. Vigiar o relógio, na espera ansiosa de alguém que deve chegar certamente para o encanto dos nossos olhos e coração. O reencontro depois de uma lágrima tão sentida. Mas que nos alimenta a fim de novo recomeço. O livro que nos prende, e nos faz perder horas, na ânsia de nova descoberta ou mesmo uma foto esquecida que nos remete a um momento que foi feliz. Acreditar e pular sete ondinhas à meia-noite do ano novo que chega, para atrair muita sorte e talvez os nossos desejos realizar. Um bom papo em horas sem fim que, sem percebermos, adoçam o nosso existir. Mil coisas boas e tão pequeninas busquei e encontrei, que tanto encantam o nosso viver! Eram tantas coisas e talvez mais para descobrir e dar-lhes valor. Parece impossível guardá-las. Só não as percebemos no momento porque o tempo é tão fugaz... São como folhas secas, que no outono voam, e se dispersam com o vento. Não lhes damos valor e se perdem no esquecimento. Até um tempo, em algum lugar Sérgio Pelegrini Marun Que tempo é esse, que lugar é esse, não sei! Mas, sei com certeza, que esse tempo e esse lugar é logo ali, bem perto, à distância talvez de um olhar. E que olhar é esse, também não sei! Mas, sei que esse olhar é o do coração e do amor! Que amor é esse também não consigo saber! Mas, sei que esse amor é o que deixa saudade, saudade que dói e que nada cura a não ser que se possam ver com esses olhos, os do coração. E que saudade doida é essa! É certamente a saudade do amor amigo que ficou e que nunca sara, só podendo ser amenizada e abrandada pelo tempo. E que tempo é esse agora! É o tempo do infinito ou aquele que não se mede pelo tempo, mas sim pela paixão cheia de amor amigo, saudade, admiração e a mais carinhosa lembrança. Então até um tempo em qualquer lugar, não importando qual ou onde, mas juntos e felizes sem angústia ou tristeza. Então até!
  4. 4. 4 O Bandeirante - Novembro 2013 A quarta idade Nelson Jacintho Alô galera, aí está chegando a quarta idade! E como vem bela e faceira! É um modelo aprimorado da terceira; não usa bengala, não tem artrose, não claudica, nem tem crepitação nos joelhos, porque as suas cartilagens estão sendo remodeladas com condroitina, glicosamina, estratos de abacate e soja, e estão funcionando como as engrenagens de um relógio suíço. Olhe o sorriso dela, dentes brancos como o leite. Ela, que antes usava dentaduras, fez implantes dentários e aquela boca murcha e sem graça, que não segurava a dentadura, que vivia caindo da boca e do copo no criado-mudo durante a noite, recebeu enxertos ósseos na maxila e na mandíbula, adquirindo vida nova. Olhe para o rosto dela. Aqueles grandes pés de galinha, que lhe sulcavam a face, foram corrigidos com botox, e hoje esbanjam saúde. Olhe para as pálpebras; as velhas pálpebras que estavam grossas, gorduchas por cima e por baixo, receberam uma correção cirúrgica e hoje demonstram vivacidade e ternura em seu olhar. Olhe para as orelhas; as velhas orelhas, que mais pareciam pernas de calças sem barras, escorridas e caídas, foram corrigidas e os vales enormes provocados por antigos brincos pesados foram aterrados e hoje nem se nota deles, a existência anterior. Olhe o pescoço: antes tinha a aparência de terra arada, ainda não cultivada, onde o arado havia deixado sulcos enormes. anos mais novo do que ela. Ele até que está um pouco gordito, como diriam os espanhóis, mas ela está nos trinks, como diria a moçada, que hoje já está chegando aos quarenta. Dê uma chegada ao Baile da Velha Guarda, veja como ela dança e se requebra nos forrós. Já está querendo mudar o nome do baile, porque diz que velha é a vovozinha e ela, apesar de sê-lo, não admite que os netos assim a chamem. Para eles, ela é “você”, e não senhora. Senhora, talvez será na quinta idade; por enquanto quer ser chamada por “você”. Veja como toma o vinho tinto! Desde o dia em que o médico lhe disse que vinho tinto fazia bem para o corpo, ficou fã do colorido e acabou descobrindo que na verdade, ele fazia melhor para a alma. Olhe o andar dela, seus pés, suas pernas e a poupança. Hoje parece pista de Fórmula Um, onde sequer um pequeno defeito dá o ar da graça. Acompanhe-a todos os dias às sete horas da manhã, andando e fazendo ginástica, ao lado do seu personal training, apenas sessenta Viram-na...? Gostaram dela...? Corram então para ela. Esta senhora tão simpática vai dar muito assunto para ser comentado. Não percam tempo, tentem acompanhá-la, e boa viagem... Até lá... Ela anda com delicadeza, pisa macio, não tem edema nem varizes, nem celulite. Ela usa sapatos com sistema computadorizado que calcula o impacto dos pés no solo, estimula a circulação, desfaz as varizes e a celulite. Olhe a elegância dela, a bolsa que carrega. A bolsa é especial e tem um palm top, que traz registrada toda a sua genética, com genes que estão em tratamento. Tem também um micro refrigerador com um micro tubo de ensaio com células tronco, para qualquer emergência. Tem ainda outras coisas que não posso falar, pois em bolsa de mulher...
  5. 5. O Bandeirante - Novembro 2013 5 A presença daquele homem Rodolpho Civile Dois de novembro, Finados. O dia que se homenageia os mortos. A ida aos cemitérios. Por tradição religiosa, a visita aos túmulos, as flores, as velas, as orações, a lembrança daqueles que partiram para a eternidade. Dia para reflexão: “Tu és pó e ao pó voltarás” – diz a Bíblia. “Nascemos para morrer e morremos para viver” – acreditam os hindus. Cemitério: lugar onde se enterram os mortos. Crematório: lugar onde se reduzem em cinzas os cadáveres. Duas opções a escolher, de acordo com a vontade, a crença e a sensibilidade da mente humana... É obrigatório o uso, quer queira, quer não... Nesta data, eu fico constrangido, tristonho, sempre desejoso de saber alguma coisa. Pretensão minha, querer conhecer e decifrar os mistérios do imponderável, da essência das coisas, do início e do fim, da vida e da morte. Pensar... Pensar... Para quê? A razão não explica, mas a religião conforta, ilude, dá forças para prosseguir no sinuoso nevoeiro e inexplicável caminho da vida. Viver! Viver! Sem perguntar! Levando flores, encaminhei-me ao cemitério. Túmulos abandonados, sujos, abertos, roubados... Tenebroso... Esquecidos pelas autoridades... Também... Nem cuidam dos vivos, por que iriam se preocupar com os mortos? Esquecem o homem, que cedo ou tarde, estará lá. No “Livro dos Mortos” dos antigos egípcios consta: “O que restou das poderosas mansões e palácios? Abateram-se suas fortes muralhas, ruíram as casas no pó. E ninguém volta do reino escuro para dizer-nos como está, até que também nós chegamos lá onde todos desaparecem... Olhe, ninguém levou consigo as suas coisas. Olhe, ninguém que foi até hoje voltou.” Cheguei ao túmulo da família. Espoliado... A lápide suja. Das fotos incrustadas nos latões de bronze, só as marcas. Foram roubadas. Até a portinhola de entrada tinha sumido. Que tristeza... Encontrei somente a fotografia de um homem. Um verdadeiro milagre! Olhei para ele... Meu pai! Roubaram tudo, só a foto dele ficou! Muito emocionado, caí de joelhos. Chorei, chorei, chorei muito! Até que senti no meu ombro a mão calosa e carinhosa de um ser que muito amei. - Não chore meu filho, não chore! Eu não estou só: a sua querida mãe está ao meu lado! Você foi e sempre será muito amado por nós. - Trouxe flores, querido pai. - Obrigado! Elas enfeitam a vida e a morte. - Tenho muitas saudades... Sinto muito a falta de vocês... - Nós também sentimos a falta de você! Mas, querido filho, é a Vontade Divina! Levante, levante, meu filho! Que o anjo da guarda o proteja sempre! - A bênção, meu pai! Ele estendeu a mão e eu a beijei com respeito e amor. Naufrágio Aida Begliomini Vaga o barco No horizonte se perde Aparece, desaparece No vai e vem das marolas Desgastado,cansado O timoneiro vacilante Sem forças De tão ébrio Já não conduz Se deixa levar Não percebe Que o vento mudou E que o caminho é de mão única sem direito a retorno.
  6. 6. 6 O Bandeirante - Novembro 2013 Metamorfose e de nosso olhar? ontem penetrante e transcendente hoje superficial e dispersivo. O que a vida fez de nossa vaidade? outrora altiva e elegante agora ausente e negligente. e de nossa sexualidade? ontem inflamável, fogosa e exigente hoje adormecida, fria e indiferente. Helio Begliomini O que a vida fez de nosso raciocínio? outrora lépido e versátil agora lento e inconstante De repente... caímos em si nos olhamos e nos perguntamos: O que a vida fez de nossa marcha? outrora equilibrada e compassada agora claudicante e desajeitada. e de nossas mãos? ontem firmes e seguras hoje fracas e tremulantes. e de nossa memória? ontem instantânea e vivaz hoje lerda e falha O que a vida fez de nosso passado? outrora exíguo e irrelevante agora longo e épico. O que a vida fez de nosso esqueleto? outrora hígido e atlético agora encurvado e alquebrado. e de nosso futuro? ontem extenso e auspicioso hoje incerto e preocupante e de nosso semblante? ontem liso e viçoso hoje cansado e enrugado. Afinal, o que a vida fez de nossos corpos e [sentimentos? ontem heróis olímpicos hoje simulacros de gente mas sempre... sacrários de nosso [mesmo e imenso amor! O que a vida fez de nossos olhos? outrora brilhantes e penetrantes agora embaçados e encovados. Miscelânea José Leopoldo Lopes de Oliveira Poucos se dão conta que o Brasil só piora. Tivemos um governante credenciado para estadista mas que docemente aceitou que seu grupo obtivesse a reeleição e sabemos a que preço. O sucessor, nunca neste país se viu tanta incúria e corrupção, por propaganda enganosa fez sucessora que ao contrário do chefe, não pode referirse à herança maldita. E lembrar que nesses 2 lustros e meio houve um simplório, cuja lembrança só o engrandece. Foi eleito apenas para completar a chapa e o acaso (impeachment) o levou à presidência. Não esquecer que o afastado hoje é integrante da base aliada. Em dois anos o mineirinho modesto e ressabiado, porém honesto, lutou pela volta do fusquinha, pela cultura do pão de queijo etc., mas foi pai do real e em dois anos deu rumo e alma nova ao País que melhorou. Rendo aqui minhas homenagens a Itamar, único a merecer respeito e admiração. **** A gaivota voava até certa altura e de lá soltava o que levava ao bico. Após a queda tornava à praia, apreendia a presa e do alto a soltava, isso várias vezes, o que intrigou meu amigo careca conhecido dono dum quiosque em Itanhaém que esperou a ave subir e soltar a presa mais uma vez. Era um relógio de pulso com pulseira de metal que com certeza a ave pensou ser uma concha bivalve com algo de comestível dentro. Suas manobras deveriam abrir a concha. **** Até hoje os médicos são massa de manobra. Seus órgãos de classe nunca conseguiram valorizar a profissão. Basta um fato: por que advogados, engenheiros e outros universitários têm inicial de carreira com proventos duas até cinco vezes maiores? Qual a lógica? Por que não lutar por um mínimo como carreira de estado (em todos os níveis), única maneira de se fazer justiça?
  7. 7. O Bandeirante - Novembro 2013 7 Livros em destaque ALCIONE ALCÂNTARA GONÇALVES “Vielas da Vida” Rumo Editorial - SP Em seu primeiro livro, o autor traduz a riqueza íntima de suas reflexões, firmemente aderidas à retina de seu mundo pessoal e profissional, vivência que assinala sua arte literária. A obra, que tem poesias, contos e crônicas, mostra boa parte da trajetória literária do autor. O lançamento acontecerá na cidade de Tupã-SP, no dia 14 de novembro e marcará a fundação da Academia Tupãense de Letras, Ciências e Letras e a comemoração dos 70 anos de vida do autor, que a presidirá. Contatos: JOSÉ JUCOVSKY “O Casal Grávido” Edição do autor O livro “Casal Grávido” destina-se a orientar o chamado período pré-natal de uma gestação, além de infundir confiança aos futuros pais, os quais, através de um melhor conhecimento do assunto, poderão desfrutar uma gravidez tranquila, sem dúvidas ou ansiedades. A edição impressa vem sendo distribuída GRATUITAMENTE pelo autor a pessoas ou entidades interessadas. A versão digital da obra também poderá ser obtida sem qualquer custo no site http://casalgravido.net. Contatos: alcione.ag@hotmail.com jucovsky@ig.com.br Novos Associados Dentre os diversos objetivos da atual diretoria da SOBRAMES-SP um deles vem sendo atingido com , a ajuda da versatilidade e agilidade da internet. Redes sociais como o facebook e em especial o blog da SOBRAMES paulista ( http://sobramespaulista.blogspot.com.br ) têm sido os principais responsáveis pela divulgação da entidade e pelos contatos recebidos. Alguns desses contatos acabam se transformando na admissão de novos associados. Nesta edição damos as boas-vindas a dois desses novos confrades. MARIO NILTON PINTO WERNECK Cardiologia e Clínica Médica Reside em Jacareí-SP e é natural do Rio de Janeiro-RJ. Nasceu em 26 de setembro de 1960. Graduado pela UFRJ. Está voltando à Sobrames, depois de ficar algum tempo afastado dessa atividade. E-mail: mariowerneck@hotmail.com LUIZ CELSO MATTOSINHO FRANÇA Anatomia Patológica Natural de Jaú-SP, reside na capital paulista e nasceu em 12 de abril de 1931. Pertence à SBP e à Academia de Medicina de São Paulo. Mais informações no site http:// www.mattosinhopath.com. E-mail: lcfranca@uol.com.br Esperamos que este espaço venha a se tornar uma coluna permanente do jornal “O Bandeirante”, tendo em vista a perspectiva de novas adesões, pois os contatos têm sido frequentes. Como parte deste projeto de admissão de novos associados, a diretoria da SOBRAMES-SP vem desenvolvendo novas estratégias de divulgação e realização de atividades literárias. Se você é médico ou acadêmico de medicina e também gosta de literatura não científica, informe-se como proceder: josyannerita@gmail.com ou marciaetelli@ig.com.br . SEJAM MUITO BEM-VINDOS! Participe deste happy hour! Academia Tupãense de Letras, Ciências e Artes Alcione Alcântara Gonçalves é o mentor e criador da Academia Tupãense de Letras, Ciências e Artes ATECLA e que já tem data marcada para sua fundação: 14 de novembro de 2013. Contando com o apoio total da Prefeitura e da Secretaria Municipal de Cultura, os escritores da cidade de TUPÃ passarão a contar com esse sodalício que terá Alcione como seu primeiro presidente. A SOBRAMES-SP está organizando um grupo para prestigiar o evento, que também coincidirá com o aniversário de 70 anos de Alcione e com o lançamento de seu primeiro livro, “Vielas da Vida”.
  8. 8. FATOS & OLHARES Márcia Etelli Coelho PIZZA LITERÁRIA DE OUTUBRO Antecipando as homenagens ao Dia do Médico, a Pizza Literária de outubro não poderia deixar de incluir textos poéticos e reflexivos sobre essa categoria profissional. Destaque para os poemas lidos por Aida Begliomini e Mércia Lúcia Chade, extraídos da Primeira Coletânea Sobrames-SP editada em 1990. Um exemplar raro que possibilitou um , emocionante retorno ao passado... PRÊMIO SUPERPIZZA Maria do Céu Coutinho Louzã foi a vencedora do Prêmio Superpizza com o tema “As Coisas Boas da Vida” em homenagem ao grande cronista Rubem Braga. Um sensível poema fez jus à premiação (publicado na p. 3 desta edição). Parabéns. AGRADECIMENTO UBE Gabriel Kwak, membro da diretoria da UBE (União Brasileira de Escritores), gentilmente postou no site da entidade uma nota sobre a Jornada em Botucatu. O site é bem interessante com artigos de interesse literário, notícias atualizadas e textos dos associados. Para quem quiser conferir: www.ube.org.br . A Sobrames-SP agradece a ele e a todos que contribuem para a divulgação dos eventos da entidade. “QUEM é QUEM” DESAFIO DO MÊS Você sabe quem é esta menina que esteve esperando neste muro o momento para ser uma talentosa escritora atualmente? Balada Literária Acontecerá no dia 8 de novembro, no Espaço Maracá, na APM. Compareça! Pizza Literária de Natal A reunião festiva de Natal já tem data confirmada para 19 de dezembro. Não perca! 2014 IX Congresso da UMEAL De 12 a 15 de março de 2014, será realizado na cidade de Maputo (Moçambique) o IX Congresso da UMEAL. Presença confirmada de Paulina Chiziane e do premiadíssimo Mia Couto. Nossa querida HILDETE RANGEL ENGER era a garotinha da edição de OUTUBRO Resposta na próxima edição Participe desta seção enviando uma foto sua bem antiga para a redação.

×