O Bandeirante 112006

183 views
120 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
183
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Bandeirante 112006

  1. 1. “Informativo Mensal da Sociedade Brasileira de Médicos EscritoresSOBRAMES-SP - Regional do Estado de São PauloOBandeirante15Ano XIV - n° 168 - Novembro de 2006Blaise Cendrars - escritor francês - (1887-1961)“Por que “Amor à SOBRAMES-SP”?Uma publicação feita porMédicosEscritoresEscrever é uma percepção do espírito.É um trabalho ingrato que leva à solidão.“Ninguém ama aquilo quenão conhece.”Santo Agostinho (354 – 430 d.C.)Até há alguns meses,jamais passaria pela minha menteem me candidatar à presidênciada Sobrames paulista. Pensavaque, por ser o mais antigomembro do estado de São Paulofiliado à Sobrames, e o fizeradesde maio de 1986, na regionaldo Rio de Janeiro; por ter sido umdos membros fundadores daSobrames – SP (1988); duas vezesseu vice-presidente (1988-1990 e1990-1992); uma vez seupresidente (1992-1994), e por ter participado das cincoprimeiras diretorias, além de ter sido secretário-geral(1994-1996) e presidente da Sobrames nacional (1998-2000), já tinha prestado meu serviço administrativo aessa nobre entidade.Entretanto, algumas ações irresponsáveis eisoladas levadas a cabo no primeiro semestre de 2005fizeram com que a nossa regional quase soçobrasse.Naqueles momentos de infortúnio não pude deixar de melembrar da lição de Sêneca (4 a.C. – 65 d.C.), filósoforomano: “a quem beneficia o delito, esse é o seu autor”.Nos tristes desdobramentos dessa turbulência deproporções calamitosas e de mau agouro, houve,infelizmente, o pedido de demissão da presidente KarinSchmidt Rodrigues Massaro, fato único na história danossa regional.Nessa situação constrangedoramente adversasomada a outros delicados problemas de saúde queenvolvia, e têm envolvido familiares de vários diretoresora vigentes, fui, reiteradamente, instado por velhosamigos a compor uma chapa para a sucessão na entidade,embora, no início, tentasse relevar ou mesmo tergiversar,não considerando seriamente essa proposta.A tarefa era hercúlea, não somente pelo clima derescaldo vigente, mas também pelos diversoscompromissos com a profissão e com outras entidadesque pertenço, aliás, que também têm me consumido muitotempo.Contudo, o amor à Sobrames– SP falou mais alto. E esse amornasceu bem antes do alvorecer daregional paulista, pois, já pertencia hádois anos e meio da seccionalfluminense.Juntamente com Flerts Nebóe Luiz Jorge Ferreira – únicosremanescentes da fundação daSobrames – SP –, enfrentamos grandesproblemas e as mais diversasdificuldades para dar a elasobrevivência ao largo dos anos. Comcerteza, o amor que tenho à Sobrames– SP fará com que a ela acrescentehoras em sua administração, quenecessariamente serão subtraídas deoutros compromissos previamente empenhados.O tempo é longo ou exíguo, ou melhor, é o mesmopara todos. Tenho plena ciência que ter ou não tempo épuramente uma questão de prioridade. Assim, entretantas circunstâncias a optar e um passado que nãomerece ser desvalorizado, me convenci de que aSobrames – SP é uma grande prioridade. Por sinal, umaescolha muito prazerosa.Destarte, achei que nada melhor do que assinalarcomo lema desta chapa “Amor à Sobrames – SP”. Queesse amor seja transbordante e prolífico não somentedentro da diretoria, como dentre nossos diletos confradese confreiras. Que todos possamos dar um pouco de si ànossa querida regional, pois ela tem proporcionado atodos os seus membros muito enlevo, relaxamento,cultura, inspiração, estímulo, descontração, amizades eoportunidades ímpares de se entreter, ouvindo e lendotrabalhos dos associados, além de propiciar que nossospróprios textos sejam lidos, ouvidos e publicados.Que Deus esteja com todos os membros dadiretoria, assim como com seus associados, e nos ajudepara que juntos possamos realizar frutuososempreendimentos neste biênio que em breve se iniciará!Helio BegliominiHelio Begliomini é médico urologista em São Paulo.Foi eleito presidente da SOBRAMES-SPpara o biênio 2007/2008
  2. 2. O Bandeirante - ANO XIV - nº 168 - Novembro 2006 - Publicação da SOBRAMES-SP - Sociedade Brasileira de MédicosEscritores Regional do Estado de São Paulo - Sede: Rua Alves Guimarães, 251 - CEP 05410-000 - Pinheiros - São Paulo - SP - telefax (11)3062.9887 / 3062-3604 - Projeto Gráfico e Diagramação: Rumo Editorial Produções e Edições Ltda. - E-mail: rumoeditorial@uol.com.brEditores: Flerts Nebó, Marcos Gimenes Salun. Redatores: Luiz Giovani, Marcos Gimenes Salun. Jornalista Responsável: Marcos GimenesSalun - MTb 20.405 - SP - Correspondência: Av.Prof. Sylla Mattos, 652 - apto. 12 - Jardim Santa Cruz - São Paulo - SP - CEP 04182-010 -E-mail: sobrames@uol.com.br - Diretoria Gestão 2005/2006 - Presidente: Flerts Nebó. Primeiro-secretário: Marcos Gimenes SalunSegundo-secretário: Maria do Céu Coutinho Louzã. Tesoureiro: Milton Maretti. Conselho Fiscal Efetivos: Luiz Giovani, MadalenaJ.G.M.Nebó, José Rodrigues Louzã. Suplentes: Sérgio Perazzo, José Jucovsky, Arlete M.M.Giovani.Matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não significam, necessariamente, a opinião da SOBRAMES-SPO BandeiranteNovembro 2006Sobre a repúblicaHOSPITAL METROPOLITANOServiços de Pronto-socorroe tratamentos de ambulatório.Rua Marcelina, 441 - Vila Romana - SP(11) 3677.20002LIFE SYSTEMASSISTÊNCIA MÉDICA E ODONTOLÓGICAAvenida Brasil, 598 – Jardim América – SP(11) 3885 – 8000lifesystem@uol.com.brFlerts NebóFUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL - Uma boa pedida paraos que gostam de visitar recantos interessantes na interneté o site da Biblioteca Nacional. Nele se entra pelo endereçowww.bn.br e pode-se fazer uma belíssima viagem pela oitavabiblioteca nacional do mundo, segundo a UNESCO. Seuacervo é calculado hoje em mais de nove milhões de ítens.Uma dica interessante durante a visita é consultar quais sãoas obras de sua autoria que fazem parte desse impressionanteacervo. Para tanto, vá ao link “catálogos/acervo geral-livros”e na tela que aparecer, digite seu nome. Você pode sesurpreender com o resultado.ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS - Quer conhecer todosos imortais de nossas letras? Então não deixe de fazer umavisita virtual ao site www.academia.org.br. Ali tambémpoderão ser pesquisadas muitas informações sobre a línguaportuguesa, sobre o acervo da entidade, além de um amplohistórico da ABL. É possível ainda assistir a gravaçõesmultimídia de discursos de acadêmicos e diversos eventos.GRAMÁTICA ON-LINE - Quem é que não tem dúvidas aesclarecer sobre a nossa língua? As peculiaridades do idiomaportuguês e a complexidade de sua gramática poderão serpesquisados num dos muitos e interessantes sites sobre oassunto disponíveis na internet. Desta feita recomendamosuma visita ao site dirigido pelo Prof.Dilson Catarino, disponívelno endereço www.gramaticaonline.com.br. Além de teoriagramatical, extensamente explorada no site, você não podedeixar de ver o link “pegadinha gramatical”.OBSERVADOR CULTURAL - Inaugurado em julho de 2006, noEspaço Haroldo de Campos de poesia e literatura da Casadas Rosas (SP) o portal “Observador Cultural” é mais umaopção de divulgação de literatura e arte através da internet.Mediante cadastro, autores e artistas podem divulgar seustrabalhos artísticos. A SOBRAMES-SP já tem umarepresentante nesse sítio cultural: Lígia Pezzuto. Suaparticipação pode ser vista através do link “poesia / novapoesia brasileira”. Conheça esta nova opção e divulgue vocêtambém o seu trabalho: www.observadorcultural.orgExpedienteEditorial VirtuaisTodos nós sabemos que no dia 15 de novembrode cada ano se comemora a Proclamação da República;entretanto não são muitos que sabem como ela ocorreu.Na madrugada do dia 15 de novembro, mesmo estandoadoentado, o marechal Deodoro da Fonseca deixou o leitoe se postou à frente da Segunda Brigada, na Praça 11 dejunho, na cidade do Rio de Janeiro, e seguiu dali para ochamado “Campo da Aclamação”, onde já se encontravao brigadeiroAlmeida Barreto com a finalidade de intimaro ministério imperial a se demitir.Deodoro estacionou sua brigada defronte aoQuartel General e colocou quatro peças de artilharia,apontando-as para a tropa fiel, com a finalidade deconservar seu respeito. Regressou ao Quartel General,onde estava reunido o ministério, sendo o ministro damarinha o Barão de Ladario, que Deodoro deseja prender.Ao defender-se o mesmo foi atingido por uma descargada escolta do marechal.Ouro Preto e o ministro da guerra, intimaram aoMarechal Floriano Peixoto a que fizesse Deodororenunciar, mas sua resposta foi formal e categórica emsua recusa. Foi então telegrafado para Petrópolis, ondese encontrava a família imperial, pedindo suaexoneração. Floriano comunica este fato a Deodoro,convidando-o a subir a sala onde estava reunido oministério. Entretanto as tropas fiéis aderiram aomovimento sendo aumentadas e apoiadas pela populaçãoe a família real convidada a se retirar, indo residir naEuropa.Às 3 horas da tarde a Câmara Municipal e o povo- grande massa de gente - Proclama o RegimeRepublicano, o qual infelizmente, não pode comemoraros 117 anos de existência, devido a um Ditador que“governou” o Brasil durante “o curto período” de 15anos. Com ele começaram a se fundar partidos políticos,que formam a “desgraça de nossa terra” pela “eleição”de seus representantes, dos quais sofremos asconseqüências pelas quais estamos passando.Colabore com a redação deste jornal enviandoseus textos por e-mail ou entregando-osgravados em meio digital (disquetes ou CDs.)SOBRAMES@UOL.COM.BR
  3. 3. 3O BandeiranteNovembro 2006Sobre cores, emoções e sentimentos*Roberto Antonio AnicheMédico ortopedista- São Paulo - SPSuplementoLiterárioSábado à noite. Deitara-se e mentalmente passouem revisão o dia, o almoço feliz, a família feliz, ele feliz.Tinha sido um sábado maravilhoso, só faltara um campoflorido, brisa acolhedora, faltava levitar, voar...E então aconteceu de novo: adormeceu. Viu-seandando sozinho, mesmo sabendo que a humanidade todao estava espiando e participando de sua vida, mesmosabendo que sua vida era imprescindível para a existênciade toda a humanidade. Mas ainda assim estava sozinhocaminhando num outro mundo que era só seu. Tinha aconsciência de que ainda acordaria e voltaria paraencontrar-se com um domingo qualquer, em sua casa,com sua família feliz, com seu almoço feliz.Continuou andando e viu-se com um céu demanhã de primavera, com nuvens brancas, brisa suave.Viu que estava andando no meio de um campo de flores eque eram todas amarelas. Pensou que bastariam apenasduas cores para se encontrar com a felicidade: o azul docéu e o amarelo das flores. Andando no meio delas tevea certeza de que estava no seu outro mundo continuandoa experiência feliz daquele sábado em família.Ali estavam o céu azul e o campo de flores, abrisa, e de repente ele levitava, leve, lento, sobre todasas flores. Sentiu que a felicidade fazia parte dele, queera possível ser leve, flutuar, e voar!Voou sobre as flores e foi ganhando altura.-Tevea lembrança do medo de altura que o perseguia sempredesde o início dos tempos. Mas não, não haveria medonaquele sábado: ele voava e rodopiava lento, leve sobreo campo de flores e não encontrou o seu final. O campoera infinito assim como era, naquele momento, infinitaa sua alegria numa eterna manhã de sábado.E voou, voou para cima, cada vez mais paracima, não tinha mais medo porque agora tinha a certezade que nada poderia lhe acontecer, que era leve, feliz,eterno como o tempo, e poderia galgar as alturas semmedo de descer, pousar no campo florido que estaria lheesperando, macio, movendo-se com a brisa daquelamanhã.Ganhou mais altura, o campo era uma manchaamarela imensa, um mar amarelo que ondulava com abrisa. O céu azul era o limite da infindável experiênciaque passava naquele momento mágico.E então lembrou-se da altura que se encontrava.Asua leveza começou a desaparecer, as pernas encheram-se de chumbo e repentinamente o céu ficou cinza, semnuvens, sem estrelas. Olhou em volta e conseguiu cravaras unhas em alguma coisa que reconheceu como umpenhasco.Lá embaixo, o campo cedera lugar a um marescuro, inescrutável; lá de cima sentiu que fazia frio enão haveria porto para uma pousada suave. Lembrou-sedo medo.As mãos estavam numa superfície úmida, nãohavia como subir nem como descer, ele apenas estavaali, no alto olhando um mar de águas escuras que serevolvia como que esperando seu corpo feito de chumbopartir-se ao meio. Lembrou-se de que não poderia morrerporque era parte da humanidade, mesmo sendo umdesprezível ser constituído de um medo de si mesmo.Não tinha mais a certeza de que haveria ummundo real do outro lado da queda, aonde poderia serecompor; sequer tinha a certeza de que estaria vivo nomomento seguinte.E no segundo imediatamente anterior ao encontrocom o seu maior medo, olhando para baixo, para umaimensidão de águas escuras e revoltas que o engoliriamno próximo momento, ainda conseguiu se lembrar de umsábado alegre com a família feliz, o almoço feliz, o campode flores amarelas e o céu azul com uma brisa deprimavera.Com o medo envolvendo suas pernas imóveisnuma queda sem fim, ainda conseguiu esboçar um sorrisoenquanto era engolido pelas águas de seu outro mundo...Com o Marcos, com a RUMOA “Pizza já irá pra “mesa”Tudo certo, bem no prumo,Sucesso será certeza.Nós autores, já contentes,Ansiosos da edição;Como eu disse, estamos crentes,E gratos de coração.Já anunciei na cidadeQue o livro está pra chegarTodos da minha amizadeQuerem o livro ganhar.Pra mim foi grande alegriaDo livro participarAo recebê-lo, no dia,De emoção irei chorar.Na expectativa da ediçãode “A Pizza Literária - nonafornada”Guaracy Lourenço da CostaCirurgião Plástico e Advogado - Araraquara - SP*Título provisório, atribuído por nossa redação, a um doscapítulos de romance que está sendo escrito pelo autor.
  4. 4. 4 O BandeiranteNovembro 2006 SuplementoLiterárioSou homemNo inícioTímido colhedorA seguir cardumes e rebanhosE a quererComo única metaSobreviver.Depois, mais conscienteDo próprio poderTornei-me um predadorCruel, insaciávelDestruidor em disparadaDerrubando tudoAté a própria moradaE agora paro vacilanteA duvidar de tudo.Paro, sou homemPasmo, incompleto, inseguroCarente de saberFeliz ou infelizEterno aprendizDo ofício de viver.HomemPerboyre Lacerda de SampaioMédico otorrino - São Paulo - SPQuando você faz umaescolha é o último a saber*Carlos José BenattiMédico ginecologista - São Paulo - SP“Pessoas que trabalham exageradamente,fazem muitas outras coisas exageradamente.”“O que é Deus? A inteligência humana nãotem capacidade de entender esse conceitoe nunca terá. Então, cada um pode falaro que quiser...”“Ocupamos os espaços que as coisas,as pessoas e a vida nos oferecem.”“Não existe nada mais importante do queaquilo que as pessoas não lêem.”“A marca mais forte de falta de inteligência ecriatividade é deixar as coisas como elasestão...”*Frases coletadas do livro homônimo do autor - ScortecciEditora - 2006É Deus PaiAldo MilettoMédico psiquiatra - São Paulo - SPQuando penso no universo,nesse imenso espaco aberto,sem começo e sem ter fim,estremeço e, então, disperso,me apequeno e sinto o apertode ser nada ou quase assim!Mas pensando então converso,sim, comigo e acho bem certo,que algo mais existe sim...grande, rico, em nós imerso,qual oásis, num deserto,com encanto ou força, enfim,num reflexo em nós converso,de Deus Pai, em nós inserto,por um grande Amor, sem fim!Acordei hoje confuso,Não sabia se era noite, tarde ou manhãPerdido em tantos fusosNão sabia se era quinta, quarta ou terçãMas ainda febril, o mesmo abraço,Viril, seu perfil, os mesmos traços,E no olhar o mesmo brilho de reencontroO mesmo beijo, de novo tonto.Tudo preservado na mesma moldura, amor?Percebi que tantos anos haviam se esvaídoNossos filhos já crescidos,Hoje sabem que amar é naturalTanto quanto respirarE que o sufoco do dia-a-diaA ansiedade, não existiriaSe redescobríssemos o silêncio e a escuridãoA leveza dos pés descalços no chão,A grandeza do elogio desinteressadoA frieza e a inutilidade do relógioPois para a eternidadeUm segundo ou vários anosSe mornos ou insanosO que vale é a intensidade.Tudo é relativoEvanir da Silva CarvalhoMédico reumatologista - São Paulo - SP
  5. 5. O BandeiranteNovembro 20065GenialidadeHélio José DéstroCirurgião dentista - São Paulo - SPSuplementoLiterárioSem os gênios (os criadores) a cultura será meratransmissão. De coisas já feitas, entra-se no ostracismoe na repetição. A humanidade tem certo pavor denovidades. Fica reclusa dentro de suas “verdades”.Achamo gênio imoral, sem nexo com as suas idéiasextravagantes.Aparecem inimigos. Só o remédio do tempo apagaas críticas. No seu tempo é ridicularizado tem o telhadode vidro. Porém o tempo não é só hoje, foi o ontem ebreve será o futuro.A juventude que virá ira beber desta fonte. Delase saciará. Torna o gênio um fenômeno. Morto, em vidafoi ridicularizado, criticado, execrado. Colocados emcadeias, masmorras, seviciados e levados às fogueiras.Galileu Galilei e a sua teoria de que a terra semovia ao redor do sol. Há muitos gênios num gênio...Arrogante, super dotado, destruidor, detalhista. Solitário,maníaco-depressivo, perfeccionista, detalhista umhomem comum e divino.É excêntrico não é um homem comum, é um serdiferente... Um gênio. De gênios e suas criatividades.Do seu isolamento absoluto. Aquele que tem o dom, amensagem e a programação. Superior ao pensar atual,porém aos outros é insuportável.Os olhos que fascinados, andam correndo,A procurar repouso, em doutos colíriosNos canteiros, entre gerânios, cravos e lírios,Ei-lo, indócil... jardinando e sofrendo!Tão castigado pela vida ... que lhe fartouInicialmente, em vigor e plenitude,Hoje falta sonhada e meritória saúde,E os vasos em ervas, se substanciou.De punho próprio, com força assim travouErva-do-mato, trapicheiro e melissa,Na água tépida, suas essências escaldou.Não foi preciso mais que dez minutos,A dor lancinante se fez passadiça,E seu semblante, em sereno transformou!Nosso velho jardimMaria Virgínia BoscoMédica cardiologista - São Paulo - SPAo reencontrar-te, minha alma pôs-se feliz!Fazendo de mim tua eterna aprendiz.E meu coração ritimiza ansioso...Por um beijo contido...por um olhar carinhoso.Deste hoje portanto, não caberá esquecimento...Posto que desfrutamos do melhor do momento!E num eterno improviso...nesta nota musical,Cantemos a plenitude do nosso êxtase atual!E no nosso introspecto...nesta reflexãoNos concretizamos uma eterna união...Qual um pôr de sol...que não se pode esquecer,Pois lá no horizonte buscou o alvorecer!Emoldurando a tarde...acalentando a noite...Onde nossa história jamais irá fenecer.Ele ousa porque tem o saber e vai à buscaincessantemente. O gênio está graduado em verdades egenialidade. Num grupo de gênios. O gênio jamais entraem grupos. Hoje além da genialidade têm as máquinas.É a técnica vencendo o homem, porém é por elemanipulada.A criatura até parece maior que o criador.O gêniose sente um semideus, com um volume gigantesco desuper ego. Sente-se um herói, bem melhor e maior queos homens, e, pouco abaixo de DEUS. Sente-se a uniãodo céu e da terra.DA VINCI – retrata com o dedo indicador unindo océu e a terra. Um incompreendido na vida e glorificadono futuro. O gênio é o aqui. Faz e ponto final. “SOU OQUE SOU” - é o seu lema.Arrogante, sabe ao que veio, chega para mostrar.Deixa na terra o seu rastro. Um sonhador que usa amente, os sonhos e o coração. Um pescador em busca dopeixe invisível.A humanidade perdeu grandes gênios. Galileumorreu. Newton faleceu. Einstein idem. Aristóteles bateuas botas. Leonardo da Vinci também e eu não passo nadabem. O Brasil perdeu grandes poetas: Drummond,Vinícius, Olavo Bilac, Gonçalves Dias, Castro Alves,Gregório de Matos, Casimiro de Abreu, Menotti DelPicchia, Bandeira.Eu, HÉLIO JOSÉ DÉSTRO criei POESIAS VISUAIS:a mensagem é inserida na imagem formando corpo ealma poético. Até o talento tem FIM.Soneto a quatro mãosHumberto Golfieri Jr.Médico pneumologista - Cascavel - PR
  6. 6. 6 O BandeiranteNovembro 2006Amor de cachorroAlitta Guimarães Costa ReisMédica psiquiatra - São Lourenço - MGSuplementoLiterárioGanhei um irrequieto cachorrinho. O meupremiado e querido cão pastor acabara de ser sacrificado,devido a uma repentina e inexplicável agressividade. Euo vi morrer, fiquei junto a ele. De alguma maneira eleparecia saber, repentinamente dócil, não desviava o olhardo meu. Aquilo me arrasou. Havia sido o melhor de todosos cachorros criados por nós, o mais bonito, o maissensível e inteligente, com dezesseis ancestrais de nomeimpronunciável. O veterinário emocionou-se também,embora afeito a esse procedimento. Daí, eu não queriamais cachorros. Sofre-se muito quando se gosta.Um dia, minha filha trouxe Thor, que tinha carade Bartô, aliás, uma cara de ameixa, e eu me apaixoneide novo. Ele havia sido trazido de outra cidade por ela,de presente de um criador que se desembaraçava de umacria indesejada. Ela e o cachorrinho se escolheram e seencantaram. Quando eu o vi pela primeira vez, foi emcasa dela. Era um cachorrinho sério e desengonçado. Eleme conquistou porque colocou a pata sobre o pé da minhafilha, protegendo-a com seu corpo, atitude que é típicadele ainda hoje.Ele foi criado com os gatos da casa, e na farracom as crianças, adquirindo uma agilidade insuspeitada,tendo em vista o seu tamanho. Quando perdi meucachorro, esse filhote já estava grandinho o suficientepara infernar o apartamento de minha filha: era excelenteem estripulias imprevisíveis. Então, ela me deu opestinha, mas sernpre o visita. Minha casa tem um grandequintal, e eu precisava de um cão de guarda.Mas o que eu ganhei, realmente, foi um presente.Nunca senti tanto amor, carinho e devoção num cachorro.Ele ficou forte e ágil, silencioso e preciso. Reclama quandonão tem água e comida, porque gosta de ver tudo emquantidade na frente dele. Não se pode nunca esquecerque um cão é um lobo domesticado, dizia meu pai. Mas,a docilidade dele é admirável, exceto com os passarinhos,que ele consegue pegar em pleno vôo, e com os gatos,que ele adora assustar com seu latido poderoso.Um dia, uma nova ambulância chegou à cidadecom uma sirene diferente, e começou a passar duas ruasalém de nossa casa. Para nosso espanto, nosso cachorrocomeçou a uivar igualzinho a ela, e afinadíssimo: todosrimos muito quando a ambulância passa.Não adianta querer dominá-lo com a guia, porqueele quase me abre os pulsos. Mas é extremamentesensível ao tom da minha voz e ao meu humor.Resmungão, mas obediente, é divertido vê-lo fazeralgumas coisas cheio de má vontade, como por exemplo,não incomodar as visitas. Às vezes, de manhã, a casacheia de crianças que não querem sair da cama, eu acionoo despertador cachorrão, em meio a gritos, risadas elambidas.Por alguma razão ele se afeiçoou muito a mim.Quando estou na biblioteca, ele fica deitado perto mim,silencioso, por horas e desestimula quem deseja entrar,suavemente barrando a entrada: ele sabe que eu gostode ficar quieta ali. Compreende bem o que quero e o queeu gosto. As crianças adoram dar a ele ovos crus,colocando-os dentro de sua bocarra: ele pega comdelicadeza e os come com casca e tudo. Para tomarvacinas ele fica si1encioso e imóvel, e parece nem sentira agulha. Mas olha direto para mim, parecendo querer secertificar de que aquilo é necessário. Depois nem olhapara o veterinário e sai cheio de pose.Ao mesmo tempo em que estou muito contentee muito grata por tê-lo, chego a sentir uma espécie deinveja quando chego de viagem, ele põe as patas quasenos meus ombros e literalmente abraça, silenciosamente,ficando imóvel por intermináveis segundos, e então, meolha com mágoa e perdão. Invejo a força dos seussentimentos, o enorme investimento afetivo que ele écapaz de fazer por alguém que não lhe dá muito em troca,a urgência de viver plenamente todos os momentos, e,principalmente, a incrível expressão de seu olhar, comose estivesse na iminência de morrer de amor.Bahia de todos os santosIOs povos iorubas predominam na BahiaCom seus amuletos, figas e mantos sagrados ...Por suas vindas maciças e tardiasReinam nos Terreiros seus santos cultuados!Forças abstratas de divinizações,Intocáveis como o poder vital de axéFluem dos Orixás em rituais vibraçõesAtravés frenéticas danças do Candomblé!Num mesmo transe coletivoUnem-se deuses e lares exiladosOrixás e Caboclos encantadosCada um em seus patoás invocados!Colméias de renovadas energiasCulminam em criativas relaçõesDescendentes de diferentes etniasProvocam novas fusões de cultos e religiões ...IINa maré vazante de oferendas carregadas,Entre ladainhas e graças recitadasNossa Senhora e lemanjáSão na mesma data festejadas!Oratórios domésticos enfeitadosCultuam Santo Antonio casamenteiroEntre talismãs e objetos consagradosTêm em Ogum e Oxossi seus irmãos guerreiros!Ritualística dança e exaltaçãoSe funde em súplica proteçãoOnde Orixalá e Jesus sincretizadoSão com a mesma fé divinizados!José JucovskyMédico ginecologista - São Paulo - SP
  7. 7. Recebemos também na redação, pelas mãos do confradeRoberto Aniche, o livro de contos “O Ceará Sempre Escutará”,do médico cearense Almir Gomes de Castro, membro daSOBRAMES-CE. A edição do autor, de 2006, foi distribuídadurante o 38º Congresso Brasileiro de Ortopedia eTraumatologia, realizado em Fortaleza-CE de 11 a 14 denovembro. Para saber mais sobre o autor e sua obra, entreem contato com ele, escrevendo para a Rua Nunes Valente,1988 - apto.901a - CEP 60125-070 - Fortaleza-CE.O que fazer em dezembro?O BandeiranteNovembro 2006 7Em todas as edições deste jornal publicadas ao longodeste gestão da diretoria (2005/2006) que vai chegando aoseu final, você se acostumou a ver neste espaço aprogramação de atividades programadas pela SOBRAMES-SP.Neste momento de transição, quando uma nova diretoriaprepara-se para assumir o comando, e tendo em vista que asua programação ainda vem sendo projetada para posteriordivulgação, daremos destaque às atividades de dezembrode 2006. Com esta programação temos certeza de que agestão 2005/2006 da diretoria da SOBRAMES-SP encerra comchave de ouro sua participação na história da entidade.Anote e participe:AgendaRegistroLivro novo de Carlos Benatti“Quando você faz uma escolha é o último a saber” é o maisnovo título de autoria de Carlos José Benatti, médicoginecologista, membro titular da SOBRAMES-SP, que nosmostra seus pensamentos, aforismos, frases e máximas nestelivro publicado pela Scortecci Editora em 2006, com 96páginas. Para fazer contatos e pedidos ao autor envie umemail para: cjbenatti@dglnet.com.br.Chegou “Fagulhas do Ocaso”Publicado pela Rumo Editorial, o livro “Fagulhas do Ocaso”,da poeta e cantora lírica Norma de Lourdes A.Guimarães,de Campinas-SP vem a público. Nele a artista apresenta 50de seus poemas, em 96 páginas. Contatos com a autora eaquisições podem ser feitos escrevendo-se para Rua PadreVieira, 880 - apto.61 - CEP 13015-301 - Campinas - SP, ouatravés do e-mail da editora: rumoeditorial@uol.com.br.Almir e seus contos do CearáENDOMED MEDICINA LABORATORIALSede:Av.Eng.GeorgeCorbisier,746Pq.Jabaquara-SPCAC0800-170-004E-mail: endomed@terra.com.brO envio de notícias, publicações ou informações sobre lançamentos de livrosparaaredaçãodojornal “OBandeirante”podeserfeitoparaumdosseguintesendereços:Redação: Av.Prof.SyllaMattos,652-apto.12-JardimSantaCruz-São Paulo - SP - CEP 04182-010 * Sede: Rua Alves Guimarães, 251 - Pinheiros- São Paulo - SP - CEP 05410-000E muito mais na caixa do correio:04.12.2006 LANÇAMENTO da COLETÂNEA 2006“A Pizza Literária - nona fornada”Rua Alves Guimarães, 251 - 19h3007.12.2006 REUNIÃO CONJUNTA DE DIRETORIAIntegrantes das gestões atual e futuraRua Oscar Freire, 1597 - 20h0021.12.2006 197ª PIZZA LITERÁRIAEntrega do PRÊMIO BERNARDO DE OLIVEIRAMARTINS (poesia) e do PREMIO FLERTS NEBÓ(prosa) - edição 2005/2006.Transmissão de cargos para a DiretoriaEleita para o biênio 2007/2008.Pizzaria Bonde Paulista - Rua Oscar Freire,1597 - a partir de 19h30.1.) Dos confrades de diversas regionais da SOBRAMES.Agradecemos os inúmeros e-mails de felicitações pela eleiçãode nova diretoria e pelas últimas edições deste jornal.2.) Da Academia Botucatuense de Letras, dirigida peloconfrade Evanil Pires de Campos. Agradecemos o convite paraSessão Solene em Homenagem aos Acadêmicos falecidos(23.11.2006).3.) Da Associação Paulista de Medicina. Agradecemos envioda Revista APM de outubro de 2006, em cuja capa de seusuplemento cultural foi publicado poema em homenagem ao“Dia do Médico”, de autoria do confrade Helio Begliomini.4.) Da SOBRAMES-PE. Agradecemos o envio da edição denovembro de 2006 do Boletim SOBRAMES, dirigido peloconfrade Luiz de Gonzaga B.Barreto, presidente da regionalpernambucana.5.) Da SOBRAMES-AL. Agradecemos o envio da revista“Reflexão Médica”, publicação das Entidades Médicas doEstado de Alagoas, sob o comando editorial de José Medeiros,atual presidente da regional alagoana da SOBRAMES.Não perca mais nadaa partir de 2007A nova diretoria que toma passe a partir de janeirode 2007 e que já vem fazendo reuniões preliminares deplanejamento desde que foi eleita em setembro passado,promete uma agenda cheia de opções e de intensa atividadepara os anos de 2007 e 2008.Enquanto o novo calendário de atividades está sendodefinido e preparado para posterior divulgação, membrosda futura diretoria prometem muitas surpresas erecomendam que os associados da SOBRAMES-SP não percamnenhuma das atividades.Segundo as informações, as surpresas envolvem todasas atuais atividades e as que vierem a ser propostas a partirde 2007, tais como: Pizzas Literárias, apresentação de textosem eventos da regional, publicação de livros individuais ouem coletâneas e antologias, Congressos e Jornadas desta ede outras regionais, entre outros ítens.Portanto, vale a pena ficar atento ao que vem por aíe acompanhar a programação e as novidades que serãopublicadas neste espaço a partir de 2007.Luiz Gondin e as mulheres de EçaDe autoria de nosso confrade carioca Luiz Gondin de AraújoLins, assíduo colaborador de nossas atividades e membro daSOBRAMES do Rio de Janeiro, recebemos o opúsculo “AsMulheres na Vida e na Obra de Eça de Queiroz”. Trata-se dapublicação da palestra proferida pelo autor na SociedadeEça de Queiróz no dia 23 de setembro, na cidade do Rio deJaneiro.
  8. 8. 8O BandeiranteNovembro 2006ColetâneaChegou a mais nova fornada da Pizza Literária!Finalmente, depois de mais de oitomeses de preparação e trabalho, será “servida”no próximo dia 4 de dezembro, a partir das19h30, a mais nova iguaria preparada pelaSOBRAMES-SP. Trata-se de sua tradicionalcoletânea, que em 2006 chegou à nonaedição: “A Pizza Literária - nona fornada”.Contando com a participação de 33 autores,em mais de 300 páginas, a obra traz umaexpressiva mostra da recente produçãoartística dos escritores da Sociedade Brasileirade Médicos Escritores - regional do Estado deSão Paulo.O lançamento do livro será marcado porsingelo coquetel oferecido pela SOBRAMES-SP e pela editora RUMO EDITORIAL, que será realizado naRua Alves Guimarães, 251 - Pinheiros - São Paulo, a partir das19h30 do dia 4 de dezembro (segunda-feira).A SOBRAMES-SP, a Editora Rumo Editorial e os 33autores da obra terão imenso prazer em receber a todospara apresentar-lhes este livro que, sem dúvida, será umnovo marco na história da regional paulista e de seusintegrantes. Os autores a seguir contam desde já com suaparticipação nesta ocasião festiva:Alcione Alcântara Gonçalves (Tupã-SP); AldoMiletto (São Paulo-SP); Alitta Guimarães Costa Reis (SãoLourenço-MG);Arlete Mazzini Miranda Giovani (São Paulo-SP); Carlos Augusto Ferreira Galvão (São Paulo-SP); CarlosJosé Benatti (São Paulo-SP); Evandro Guimarães de Sousa(São Paulo-SP); Evanil Pires de Campos(Botucatu-SP); Evanir da Silva Carvalho (SãoPaulo-SP); Fernando Batigália (São José doRio Preto-SP); Flerts Nebó (São Paulo-SP);Guaracy Lourenço da Costa (Araraquara-SP);Helio Begliomini (São Paulo-SP); Hélio JoséDéstro (São Paulo-SP); HelmutAdolph Mataré(Bertioga-SP); Humberto Golfieri Jr.(Cascavél- PR); José Jucovsky (São Paulo-SP);José Rodrigues Louzã (São Paulo-SP);Josyanne Rita de Arruda Franco (Jundiaí-SP); Luiz Giovani (São Paulo-SP); Luiz JorgeFerreira (Osasco-SP); Manlio Mario MarcoNapoli (São Paulo-SP); Marcos Gimenes Salun(São Paulo-SP); Maria Virgínia Bosco (São Paulo-SP); MélidaFrancisca Velasco Cassanello (São Paulo - SP); NelsonJacintho (Ribeirão Preto-SP); Rodolpho Civile (São Josédos Campos-SP); Rubens Paulo Gonçalves (São Paulo-SP);Sérgio Perazzo (São Paulo-SP); Sônia ReginaAndruskevicius de Castro (São Paulo-SP); Thereza FreireVieira (Taubaté-SP); Walter Whitton Harris (São Paulo-SP)e Wilma Lúcia da Silva Moraes (Americana-SP).Você poderá ver também na internet as informaçõessobre esta coletânea, visitando no BLOG http://coletanea2006.blogspot.com. Após o lançamento a obrapoderá ser adquirida com os autores ou através do e-mailSOBRAMES@UOL.COM.BR.Prêmios literários serãoentregues em dezembroMembros da SOBRAMESpaulista em destaqueNo próximo dia 21 de dezembro a partir das 19h30,durante a 197ª Pizza Literária que será realizada na PizzariaBonde Paulista, na Rua Oscar Freire, 1597, acontecerá aentrega dos prêmios literários da SOBRAMES-SP.PREMIO BERNARDO DE OLIVEIRA MARTINS - Para julgaras 62 poesias que concorrem às nona edição deste concurso,foram convidados: Luiz Barreto e Paulo Camelo, daSOBRAMES-PE, Sonia Maria Braga, da SOBRAMES-PR e a médicae poeta carioca Lilian Maial, que passa a pertencer àSOBRAMES-SP a partir de dezembro. As poesias concorrentesforam apresentadas de novembro de 2005 a outubro de 2006,durante as Pizzas Literárias.PREMIO FLERTS NEBÓ - Convidamos os seguintesconfrades para nos ajudar a escolher a melhor prosa de2005/2006 (sétima edição do concurso), dentre os 63 textosque foram apresentados durante as Pizzas Literárias de agostode 2005 a julho de 2006: Eberth Franco Vêncio e LaércioNei Nicaretta Oliani, da SOBRAMES-GO, Ruy Perini, daSOBRAMES-ES e Josemar Otaviano de Alvarenga, daSOBRAMES-MG.Os dois concursos visam estimular a produção e acriatividade dos escritores que participam das atividades daregional paulista, apresentando seus textos nos encontrosmensais intitulados “Pizzas Literárias”.Em cada um deles será indicado o melhor texto, quereceberá o título-prêmio, simbolizado por medalhas ou placascomemorativas, além de duas menções honrosas em cadacategoria, que receberão certificados.Envolvidos em inúmeras atividades culturais, além doevidente trabalho desenvolvido na medicina, muitos de nossosassociados acabam tendo destaque. Estas as informações maisrecentes:MANLIO M.M.NAPOLI, ROBERTO ANTONIO ANICHE eWALTER WHITTON HARRIS representaram a SOBRAMES-SPdurante a realização do 38º Congresso Brasileiro de Ortopediae Traumatologia, realizado em Fortaleza-CE de 11 a 14 denovembro. Como parte das atividades, o Espaço Cultural SBOTcontou com exposição de livros, quadros e fotografias, dentreeles obras de Walter Harris e as coletâneas e antologias daSOBRAMES-SP.NELSON JACINTHO é o mais novo acadêmico daABRAMES- Academia Brasileira de Médicos Escritores. Sua posse ocorreudurante a Semana da Academia realizada na Sociedade deMedicina e Cirurgia do Rio de Janeiro de 23 a 24 de novembro.Jacintho ocupa a cadeira nº 16 - Francisco Michelin, compatronímica de Hilário de Gouveia.WALTER WHITTON HARRIS proferiu no dia 4 denovembro a palestra “Os Ingleses em São Paulo”, na AcademiaBotucatuense de Letras, a convite daquele sodalício que temna presidência o também confrade Evanil Pires de Campos.HELIO BEGLIOMINI recebeu da Academia Paulistana deHistória o Prêmio CLIO (29ª edição) pela publicação de seulivro “Juscelino Kubistchek - patrono da Sociedade Brasileirade Urologia”, que foi lançado em outubro de 2005 no MemorialJK, em Brasília, durante o XXX Congresso Brasileiro de Urologia.A premiação ocorreu em 11.10.2006, no Terraço Itália - SP.

×