O Bandeirante 102006

  • 46 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
46
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. “Informativo Mensal da Sociedade Brasileira de Médicos EscritoresSOBRAMES-SP - Regional do Estado de São PauloOBandeirante15Ano XIV - n° 167 - Outubro de 2006Sobre pensamentos novos, façamos versos antigos.André Chénier - poeta francês - (1762-1794), in A Invenção“Como tem feitodesde sua fundação em 18de setembro de 1988, aregional São Paulo daSOBRAMES renovou suadiretoria, através deprocesso democrático e deconformidade com seusestatutos. As eleiçõesforam realizadas durante aPizza Literária do dia 21 desetembro,conforme editalde convocação publicadonas edições de julho eagosto deste jornal, que foientregue a todos osassociados. Contando com 35 participantes, em segundaconvocação, teve início a Assembléia Geral Ordinária,que tinha como pauta principal a eleição. Estava inscritaúnica chapa, denominada “Amor à SOBRAMES-SP”, eliderada pelo médico urologista Dr. Hélio Begliomini, eque acabou sendo eleita por unanimidade.Em noite de festa, São Pauloelege diretoria para 2007/2008Todos os meses os editores deste jornal têm umadifícil missão: selecionar os textos que irão compor seuSuplemento Literário. Como a colaboração recebida temsido constante, vinda principalmente dos autores queapresentam sua produção durante as Pizzas Literárias, aquantidade de textos a ser avaliada para seleção é sempremuito grande.Além destes, há também os textos dos autores que,não tendo oportunidade de participar das reuniõesmensais, nos enviam seus trabalhos por correio ou por e-mail. Como os editores têm por princípio dar a mesmaoportunidade de publicação a todos os associados ativosda regional, a escolha do que publicar a cada mês acabase tornando uma tarefa complicada.Diante disso solicitamos que os autores que nãoestejam satisfeitos com os atuais critérios editoriais nosenviem opiniões e sugestões, para que possamosaprimorar este trabalho de seleção. Sobretudo, esperamosque todos os escritores associados continuem prestandosua valiosa ajuda, enviando-nos sempre sua contribuição.Além desse importanteexercício de democracia, osparticipantes do encontropuderam ainda compartilharde uma das mais agradáveisreuniões dos últimos tempos,onde reinou a alegria e ondea confraternização e oentusiasmo deram o tom.Após encerramento daassembléia, na qual foiapresentado um relatório dasatividades da atual diretoria,tão logo foram feitas aapuração e o anúncio doresultado do pleito, o Dr.Helio Begliomini dirigiu-se aos presentes em brevediscurso, onde agradeceu a confiança da expressivavotação e conclamou a todos os associados para que seirmanem num esforço coletivo para manter a SOBRAMES-SP em plena atividade, seguindo o lema de sua chapa:“Amor à SOBRAMES-SP”. Saiba mais: 3, 4, 9 e 10.Aviso importante aos autoresAs atividades de, até aqui, 21 meses da atual gestão, foiapresentado durante a Assembléia Geral Ordináriarealizada em 21 de setembro. Veja sua reprodução napágina 9 e saiba tudo o que aconteceu nesse período.Diretoria publica relatório de atividadesContando com a participação de 33 autores a coletânea2006 da SOBRAMES-SP, “A Pizza Literária - nona fornada”está na fase final de sua produção. Na página 12 vocêpoderá conferir todos os detalhes, além de saber um poucosobre as oito edições anteriores desta obra.Coletânea 2006 está na reta finalTodos os textos que forem apresentados na Pizza Literáriade 16.11.2006 estarão concorrendo no 15º desafio daSUPERPIZZA, último deste ano. Os textos apresentadosserão avaliados por um leitor convidado e o melhor deles,segundo a avaliação desse leitor, receberá um mimo nodia 22.12.2006. Participe!Uma publicação feita porMédicosEscritoresTema livre na última Superpizza do ano
  • 2. O Bandeirante - ANO XIV - nº 167 - Oububro 2006 - Publicação da SOBRAMES-SP - Sociedade Brasileira de MédicosEscritores Regional do Estado de São Paulo - Sede: Rua Alves Guimarães, 251 - CEP 05410-000 - Pinheiros - São Paulo - SP - telefax (11)3062.9887 / 3062-3604 - Projeto Gráfico e Diagramação: Rumo Editorial Produções e Edições Ltda. - E-mail: rumoeditorial@uol.com.brEditores: Flerts Nebó, Marcos Gimenes Salun. Redatores: Luiz Giovani, Marcos Gimenes Salun. Jornalista Responsável: Marcos GimenesSalun - MTb 20.405 - SP - Correspondência: Av.Prof. Sylla Mattos, 652 - apto. 12 - Jardim Santa Cruz - São Paulo - SP - CEP 04182-010 -E-mail: sobrames@uol.com.br - Diretoria Gestão 2005/2006 - Presidente: Flerts Nebó. Primeiro-secretário: Marcos Gimenes SalunSegundo-secretário: Maria do Céu Coutinho Louzã. Tesoureiro: Milton Maretti. Conselho Fiscal Efetivos: Luiz Giovani, MadalenaJ.G.M.Nebó, José Rodrigues Louzã. Suplentes: Sérgio Perazzo, José Jucovsky, Arlete M.M.Giovani.Matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não significam, necessariamente, a opinião da SOBRAMES-SPO BandeiranteOutubro 2006Novos rumosHOSPITAL METROPOLITANOServiços de Pronto-socorroe tratamentos de ambulatório.Rua Marcelina, 441 - Vila Romana - SP(11) 3677.20002LIFE SYSTEMASSISTÊNCIA MÉDICA E ODONTOLÓGICAAvenida Brasil, 598 – Jardim América – SP(11) 3885 – 8000lifesystem@uol.com.brFlerts NebóGanhou o texto de Luiz JorgeLITERATURA BRASILEIRA E PORTUGUESA - O site “Brasil-Escola” em http://www.brasilescola.com/literatura/ tem umarelação bastante interessante de matérias ligadas aosprincipais movimentos literários da língua portuguesa, alémde informações sobre os principais autores portugueses ebrasileiros, tudo exposto de maneira bem didática e emlinguagem direta. Interessante para quem quer fazer umarevisão sobre o “be-a-ba” da literatura e recordar o que foivisto nos tempos do ensino médio.EM TEMPOS DE FERVURA POLÍTICA - Histórias do Poder,versão on-line, disponibiliza o conteúdo completo de umasérie composta por cinco documentários e uma coleção delivros de três volumes sobre a política no Brasil entre osanos de 1900 e 2000. O trabalho realizado ao longo de cincoanos pelos jornalistas Alberto Dines e Florestan Fernandes,entre outros, traz imagens (galerias de fotos e vídeos) edepoimentos históricos. Vale a pena visitar emwww.historiasdopoder.com.brARQUIVOS MAGNÉTICOS - Uma vez mais salientamos aimportância de receber os textos apresentados nas PizzasLiterárias gravados em disquetes. Essa providência simplesfacilita muito o trabalho de preparação de originais parapublicação, organização para envio aos jurados de concursosliterários além da organização do acervo de textos dosescritores da SOBRAMES. Caso queira, o autor poderá aindatransmitir seus textos para o email SOBRAMES@UOL.COM.BRLuiz Jorge Ferreira foi o autor do melhor texto do desafioliterário da SUPERPIZZA nº 14, que teve como tema “Pai efamília”, e cujas apresentações aconteceram na PizzaLiterária do dia 17 de agosto. Outros cinco textos com omesmo tema foram apresentados. Para escolher qual o quemais lhe agradou, convidamos a dona de casa Célia MariaMoretti, a quem agradecemos a participação. Luiz Jorgereceberá como “mimo” uma garrafa de vinho. O textoescolhido está publicado na página oito desta edição, emnosso Suplemento Literário. A todos os autores participantes,nossos agradecimentos e ao Luiz Jorge, os parabéns!ExpedienteSuperpizzaEditorial RápidasAntes do início da “Pizza Literária” do mêsde setembro teve lugar a Assembléia GeralOrdinária convocada pela diretoria da regional SãoPaulo da SOBRAMES, com o propósito de realizara eleição para escolha dos novos diretores para oBiênio 2007-2008. Na oportunidade também foiapresentado um relatório das atividades da atualdiretoria, nos 21 meses de gestão até o momento(veja na página 9).A chapa denominada “Amor à SOBRAMES-SP” liderada pelo Dr. Helio Begliomini foi eleitapor unanimidade de votos, numa demonstraçãode efetiva confiança de todos os confrades nosfuturos diretores. Em 1º de janeiro de 2007 adiretoria recém-eleita tomará posse definitiva.Temos a plena certeza que Begliomini,como já o demonstrou em inúmeras outras vezes,quando presidiu a regional e também a SOBRAMESNacional, também desta vez irá levar a cabo,com seus novos companheiros de Diretoria, o quefor humanamente possível fazer pelo bem daSOBRAMES.Novos rumos, novas idéias, novos dirigentestomarão posse e temos certeza que, uma vezmais, a Regional Paulista voltará a brilhar juntoàs demais co-irmãs por todo o Brasil.Sabemos que a nova diretoria poderácontar com todos os associados para darcontinuidade ao caminho trilhado até aqui, quejá remontam a 18 anos de história.Avante, Helio e equipe! Estes são os votosde todos os companheiros, colegas, associados esobretudo amigos com que contarão nodesempenho de mais esta missão.
  • 3. 3O BandeiranteOutubro 2006Amor à SOBRAMES-SP venceupor Helio BegliominiEleiçõesHelio Begliomini é médicourologista, 51 anos, foi umdos fundadores daSOBRAMES-SP, em 1988.Já participou de suadiretoria em cinco gestões,sendo vice-presidente porduas vezes (1988-1990 e1990-1992) e presidente(1992-1994). Foi tambémpresidente da SOBRAMES-Nacional (1998-2000).É o presidente-eleito para dirigir a regional SãoPaulo no Biênio 2007-2008)“Aquele que sabe vencer-se na vitóriaé duas vezes vencedor.”Públio Siro ( 85 a 43 a. C.), poeta da antiga Roma.Realizou-se no dia 21 de setembro, porocasião do 18º aniversário da nossa regional, maisuma eleição para a renovação dos membros quedirigirão a entidade no biênio 2007-2008. Foi umamemorável reunião com expressiva presença denossos associados. O recinto, tradicionalmente noprimeiro andar da Pizzaria Bonde Paulista, estavarepleto, não somente de participantes, comotambém de calor humano e muito entusiasmo,para não dizer verdadeira euforia, que emanavade todos, e a todos simultaneamente contagiava.Ao nosso ver tivemos dois grandes everdadeiros presentes: duas novas filiações decolegas médicos. A primeira de Roberto AntonioAniche, ortopedista e médico do trabalho, que jáestivera na tertúlia de agosto como convidado doalegre amigo Carlos Galvão, e José Alberto Vieira,anestesista e especialista em dor, que estavaacompanhado de sua esposa, Fátima,dermatologista. O casal, nosso convidado, trouxesuas duas filhas, Lívia e Marília, comprovando quenossas reuniões são informais, caseiras,descontraídas e fraternas.Embora a nossa chapa Amor à Sobrames –SP fosse única, ela venceu com a totalidade dosvotos. O fato de não ter havido votos nulos oubrancos comprovou não somente a adesãounânime dos membros, mas, em contrapartida,aumentou em muito a responsabilidade dadiretoria, pois a confiança nela depositada foiirrestrita.Palavras pronunciadas de improviso podemreceber interpretações diferentes, quando não,caírem no esquecimento coletivo. Sobretudo porconstituirmos uma sociedade de escritores, talvezvalha a pena recordar o que presenciamos edissemos brevemente após o escrutínio.Foram muito significativas e indeléveis aspalavras de Flerts Nebó – “eu amo esse garoto” –ao nos conceder o microfone. E sem a menorlouvaminhice, testemunhamos que o nosso carinhoe amor – meu e da Aida Lúcia, minha esposa –,por ele e pela dona Madalena, sua esposa, são dereciprocidade fraterna, ao mesmo tempo que filial.Durante a sessão recebemos muito apoio,carinho e estímulo de todos os participantes, oque nos deixou muito sensibilizados. Entretanto,reafirmamos que a Sobrames – SP não deve serconfundida com seu presidente ou com suadiretoria, seus servidores, meramente passageirosno tempo. Particularmente, o presidente queassumirá a entidade no próximo janeiro édesprezível, sendo sua pequenez muito atenuadapela grandeza dos participantes da diretoriaexecutiva, do conselho fiscal e de seus suplentes.Com certeza, a Sobrames – SP contará emsua chapa com uma mescla de membros madurose experientes, sendo três deles seus ex-presidentes(Flerts Nebó, Carlos Augusto Ferreira Galvão); doisdeles abnegados participantes da diretoriaanterior, a fim de que não haja solução decontinuidade (Maria do Céu Rodrigues Louzã eMarcos Gimenes Salun); além de sócios antigos emuito presentes nas nossas Pizzas Literárias (LuizJorge Ferreira, Geovah Paulo da Cruz e HelmutAdolf Mataré). Mas o que mais deve ser destacadoé o sangue novo, muito fervente e borbulhantede quatro novos colegas, cheios de promessas,que jamais participaram de tábua diretiva daentidade, apesar de três deles, não serem sóciosnovatos. Torna-se muito oportuno destacá-los:Josyanne Rita de Arruda Franco, embora moreem Jundiaí, está muito empenhada em participare ajudar; Lígia Terezinha Pezzuto – como foirecompensador saber que ela havia chegado porprimeiro na última Pizza Literária, e ter muitoajudado na organização da tesouraria e dasecretaria, embora ainda demande três mesescontinua na pg.4
  • 4. 4 O BandeiranteOutubro 2006para assumir oficialmente a sua pasta; Arary daCruz Tiriba, presença agradabilíssima, espírito virile de pensamento fértil, que muito se dispôs acolaborar conosco; e Evanir da Silva Carvalho, omais jovem em filiação e entusiasmadíssimo comidéias para compartilhar e implementar.“Todas as vitórias ocultam uma abdicação”,afirmou certa feita Simone de Beauvoir (1908-1986), escritora feminista francesa. Temos certezade que todos esses colegas, que serão co-responsáveis pelos destinos da Sobrames – SP,saberão abdicar-se no próximo biênio para oengrandecimento da entidade.Neste ensejo citamos todos osprotagonistas da chapa Amor à Sobrames – SP,independentemente se são da diretoria executiva,do conselho fiscal ou seus suplentes. Gostaríamosque, particularmente nesta gestão, acima doscargos aos quais todos estarão estatutariamenteatrelados, haja desprendimento em participaçãoe que todos possam dar do melhor de si, comamor e por amor à causa da queridíssima Sobrames– SP. E nesta empreitada ficam, desde já,convidados e convocados, igualmente, todos osdemais associados da entidade.Embora nossa chapa fosse única e, porconseguinte, inexoravelmente vencedora,saibamos ter a humildade de exercitar o brocardode Públio Siro, pois se vencermos a nós própriosna vitória, nos superaremos, e daremos à Sobrames– SP a condição de duas ou mais vezes vencedora,tornado-a maior e melhor.(“O amor a SOBRAMES-SP venceu - continuação da pg.3)Conheça a Diretoria daSOBRAMES-SP para 2007-2008Vice-PRESIDENTEJosyanne Rita de Arruda Franco,médica pediatra, natural de Macapá,44 anos. Acadêmica da ABRAMES eda Academia Jundiaiense de Letras.Está na SOBRAMES há 15 anos. Temlivros publicados e escreveregularmente para SOBRAMES-SP,especialmente poesias, sempremuito sensíveis.PRESIDENTEHelio Begliomini, médicourologista, 51 anos, paulista. Éautor de diversos livros e temextenso curriculo e atividadesliterárias. Membro fundador daregional paulista, participou devárias diretorias regionais. Foipresidente de SOBRAMES-Nacionalno biênio 1998-2000.Primeira- SECRETÁRIAMaria do Céu Coutinho Louzã,relações públicas, natural da África, jáé brasileiríssima há muitos anos. Temsido grande colaboradora daSOBRAMES-SP ao lado de seumarido, José Rodrigues Louzã. Vaipara sua segunda gestão de diretoriada regional paulista, com muitadisposição para o trabalho.Segundo- SECRETÁRIOEvanir da Silva Carvalho, recémchegado à SOBRAMES-SP, o médicoreumatologista, paraense de 39anos, revelou-se grande poeta eentusiasta da filosofia sobrâmica,assumindo um cargo na diretoriaeleita, com o firme propósito defazer a SOBRAMES-SP cada vezmaior.Primeiro-TESOUREIROMarcos Gimenes Salun, jornalista,paulistano, 53 anos. Ingressou naSOBRAMES-SP em 1997. Temparticipado da diretoria durante asúltimas quatro gestões e ora é re-eleito. Tem livros publicados. Co-editor do Jornal “O Bandeirante”.Segunda-TESOUREIRALígia Terezinha Pezzuto,jornalista, 42 anos. Há mais de 12anos na SOBRAMES-SP, tem sidosempre colaboradora. Publicou livrode poesias. Comprometida com osideais sobrâmicos, assume um cargona diretoria pela segunda vez.Eleições(Conheça também os membros do Conselho Fiscal, na página 9.)
  • 5. 5O BandeiranteOutubro 2006Soldado rasoWalter Whitton HarrisMédico ortopedista- São Paulo - SPQUANDO UMA PESSOA USA UNIFORME, seja na vidacivil ou militar, pressupõe-se que a mesma estejarepresentando a entidade à qual está vinculada aveste. É inconcebível que seja de qualquer outraforma. Recentemente, chocou a opinião públicao fato de policiais militares fardados terem sidoflagrados arrombando automóveis para roubarrádios e toca-CDs.Em duas ocasiões diferentes, pudeconstatar como o homem não é devidamentepreparado para vestir uma farda. Tratando-se decivis, travestidos de soldados, servindocompulsoriamente o Exército Brasileiro, e recém-saídos do berço paterno, talvez tivesse sido porfalta de amadurecimento, uma vez que a disciplinamilitar rigorosa, bastante diversa daquela que setraz de casa, leva tempo para ser assimilada.Há muitos anos, aguardava numa fila, nocentro da cidade, para pegar o ônibus que melevaria para casa. A espera era grande, a filacomprida, o dia muito quente. Era costume —não sei se hoje ainda é assim — formar umasegunda fila, no ponto inicial, para quem fosseviajar em pé. Naquela, já havia pelo menos umasvinte pessoas. Quando o ônibus chegou,empoeirado e sujo, as filas pareciam encolher,pois as pessoas se aproximavam mais uma dasoutras para entrar no veículo. Subiu o númerocerto de pessoas que iriam sentadas e eu sobrei,optando por aguardar, e a segunda fila começoua andar. Em dado momento, um soldado de verde-oliva deu um empurrão no homem à sua frente edisse:— Saia, que sou soldado!No mesmo instante, quando ele já haviacolocado o pé no primeiro degrau do ônibus, umvelhinho segurou-lhe pelo ombro e falou:— Nada disso! Eu sou general!Imediatamente, o militar desceu, seesgueirou e bateu continência.O velhinho subiu e, da porta, dirigiu-se aosoldado:— General da banda!!!Todos que presenciaram a cena caíram nagargalhada. O soldado corou, virou-se e, um tantoacabrunhado, foi-se embora. Este certamenteaprendeu a lição da forma mais dura: peladesmoralização.Nos primeiro anos depois de formado, davaplantão de 24 horas num Pronto Socorro Municipal.Certa noite, com a sala de espera cheia depacientes e acompanhantes, um soldado fardado,que acompanhava sua mulher grávida, começoua bradar que a esposa dele tinha que passar nafrente dos outros pacientes, porque ele era militar.Na qualidade de chefe do plantão, fui conversarcom ele. A paciente estava muito bem e iria apenaspassar em consulta de rotina com a ginecologista,conforme havia sido recomendado numa consultaprévia. Tentei explicar-lhe que teria de aguardarsua vez, mas o rapaz não quis nem me ouvir. Aosberros, disse:— Como ousa discutir comigo. Quero minhamulher lá dentro neste instante ou então voumandar te prender!Não tive opção, senão me afastar dosoldado colérico. Procurei um colega do plantão,mais velho e experiente e contei-lhe o queocorrera. O que eu não sabia é que ele haviacumprido seu tempo no Exército como médico eestava na Reserva.— Deixa comigo — garantiu, tranqüilizando-me.Foi até a Recepção do P.S. e fez umtelefonema. Depois, foi até a sala de espera àprocura do cidadão uniformizado.— Soldado! — disse, em tom autoritário —qual é o problema aqui?Este não se intimidou e vociferou:— Não admito que minha mulher esperemais para ser atendida! Ou atende agora ou vaitodo mundo preso!O médico olhou demoradamente para osoldado, e pude até observar uma certa pena quesentia no que iria fazer a seguir. Tirou do bolsosua identificação de Oficial do Exército, mostroupara o soldado e declarou:— Soldado, você é uma vergonha para nossoExército. Você me acompanhe, pois está presopor abuso de autoridade. Ficará trancado numdos consultórios e vai aguardar a chegada da Políciado Exército, que já mandei chamar.O rapaz emudeceu, bem como todos ospresentes, que viram-no acompanhar o médicoaté a sala referida. Um grito trouxe todos devolta à realidade. A esposa do infeliz desatou achorar e quase desmaiou. Foi necessário levá-la àsala de medicação para ser examinada.Apesar da atitude tomada por nós, avontade do soldado raso tornou-se realidade: suamulher conseguiu passar na frente dos outros paraser atendida!...SuplementoLiterário
  • 6. 6O BandeiranteOutubro 2006Minha lancheira, saudosacompanheiraLígia Terezinha PezzutoJornalista - São Paulo - SPQuem não se lembra de sua lancheira, na épocados primeiros anos escolares?Símbolo de alegria, com misto deresponsabilidade, a minha era cor-de-rosa, de plástico,na época em que esse material foi inventado. Tinha agarrafinha branca, também com tampa cor-de-rosa paracombinar.Lembro-me de que minha mãe, ora colocavasuco de laranja, ora guaraná, ou leite achocolatado ehavia festa, de minha parte, quando ela preparavagroselha. A tampa servia de copo que, às vezes eracompartilhado com meus amigos.Também os lanches ficaram em minha memória:sanduíche de queijo, de presunto, da perfumadamortadela ou do salaminho. Ou ainda, bolacha deMaizena com goiabada. Uma delícia! O amor de minhamãe era sentido por mim, em cada recreio, em cadabombom colocado junto ao lanche, em cada Bis. E eleseram embrulhados, lembro-me, às vezes, no guardanapode pano xadrez, azul e branco, que guardo até hoje, outambém no do mesmo tecido, só que, vermelho e branco.E tinha ainda o verde e branco, xadrez também.A hora do recreio era sempre mágica, pois umdia sentávamos todos ao redor da mesa retangular, decimento, que havia na escola, mesa única, com bancosdos dois lados. Abríamos os lanches e partilhávamos unscom os outros. Quando o recreio era no parquinho, quemaravilha! Havia brinquedos de vários tipos e aslancheiras ficavam penduradas em uma árvore, aocentro. Entre o corre-corre e o pega-pega, uma pausapara lanchar. E o amor de minha mãe, misturando com apoesia de uma infância bem vivida, regada pelo carinhode amigos e parentes era observado pela professora quenos acompanhava, perguntando o que havíamos trazidopara o lanche e ensinando-nos a repartir com aquelesque demonstravam vontade de experimentá-lo.Hoje, percebo que o material das lancheirasmudou. As garrafas são térmicas, o zíper tornou-sefreqüente. Estão mais encorpadas, muitas feitas comisopor, mas penso que, desde as mais simples como eraa minha, até as mais sofisticadas, as de hoje, todasguardam sonhos, significados e saudades. Além doslanches, levam dentro delas lembranças que são únicaspara cada um de nós. Sinônimo de alegres brincadeiras,inocentes sentimentos, da primeira professora, dasnascentes amizades. Algumas delas, orgulho-me emdizer, conservo até hoje. E por que não pensar que aquelalancheira foi a ferramenta que possibilitou o encontro?Hoje, não partilho mais meu biscoito com goiabada, masmeus sonhos, meus momentos felizes e, algumas vezes,difíceis. E, do mesmo modo em que não recebo um golede suco de morango, mas carinho e afeição, vejo oquanto um simples e útil objeto foi parte importante econtinua sendo significante em minha vida.SuplementoLiterárioSeus belos olhos enfeitiçaram seu senhor feudal;Desatinada, arrancou-os e deu-lhos na mão.Oftalmologista e herege, eis a minha opinião:Em plena Idade Média, por que tão radical?Sendo uma serva, era o costume, o direito e a moral;Então que fechasse os olhos, e melhor fariaSe lhe desse o que ele tanto queria...E mais... com gozo, hormônios, euforia,Ficaria curada de sua grave histeria!Mesmo que santinha, oh louca e cega Luzia,Seu gesto não combina com a oftalmologia,Cuja luta é pela visão boa, íntegra e sadia.Pela anatomia que a senhorita protegia,Porventura, mais apropriado não seriaTornar-se padroeira da ginecologia?Trevas, trovas e troçasGeováh Paulo da CruzMédico oftalmologista - São Paulo - SPDe repente eu me lembrei do Quimério, que sabiaque tinha mal de chagas, criava duas galinhas pestilentase devia cinco meses de aluguel para seu Agenor. Deviatambém no armazém, mas esse era o tipo de dívida quenão incomodava ninguém, pois o seu Armando não sabiacobrar os de sua caderneta. Tinha até vergonha de dizer“ô, fulano, você tá me devendo tanto”. Sabe como éessa gente simples de tudo, não é?Pois foi Quimério quem sonhou, noite dessas, comBranquinha, cabrita bem apessoada e que era o tormentodo pasto para muito bode comedor. E no mesmo sonho eleviu Modesta, cabrita cheia de bernes e carrapatos,lembranças lá de sua meninice, quando tudo se resolviadaquele jeito que todo mundo já conhece. Tanta cabranum sonho só não tinha outra finalidade, senão indicar asorte. Pois Quimério acreditou nela e jogou um bemcombinado lá no bar do Zito. Modesta e Branquinha numsonho só? Não dava outra! 21, 22, 23, 24, grupo seis,tudo com muito capricho e um monte de mandingas paraatrair a sorte, que só sonhar também não adianta.E não é que deu na Paratodos? Quimério arriscouum mês de armazém, mas tinha na mão o premiado.Sabendo do resultado foi lá no bar do Zito, que não negouo serviço e pagou o jogo. Afinal, vale o escrito, por trêsdias! Quimério mandou baixar cerveja na mesa de madeirasem polimento. Bebeu e se encharcou de tanta alegriacom seus colegas de bar. Mas ficou devendo no armazémde seu Agenor. O dinheiro não deu nem para pensar numexame do coração, que acabou enterrando Quimério,assim, sem mais nem menos, coisa de um ou dois diasdepois...Sonhar não é pecadoMarcos Gimenes SalunJornalista - São Paulo - SP
  • 7. O BandeiranteOutubro 20067Um pai generoso - insultá-lo por quê?Arary da Cruz TiribaMédico Infectologista - São Paulo - SPQueremos algo maisNelson JacinthoMédico ortopedista - Ribeirão Preto - SPMeu guerreiroSônia Andruskevicius de CastroMédica intensivista - São Paulo - SPSe um dia te sentires tão sozinhoNa vida que de início tu traçaste,Não te esqueças que a luta que travaste,Deixou um grande rastro no caminho...A vida muitas vezes é madrastaE tudo que se tenta, ela desvia.Vivermos no trabalho, dia a dia,Grande parte das vezes, não nos basta...Queremos algo mais que nos vigie,Que traga para nós tranqüilidade,Que traga muito amor, felicidade,E de perto, bem de perto, Ele nos guie...Despido da armadura de guerreiroAs reticências do dia serenandoVais o largo cansaço aquietandoNa seda morna do teu travesseiro.Como no caminhar de um estrangeiroNa estrada do teu sonho vais cantandoRaios de sol em grinalda adornandoO esplendor do semblante altaneiro.Atrás de ti fica o mundo cristalizadoAprisionando os restos da realidadeQue fez o teu dia atormentado.Da minha geografia tens saudadeOnde o teu rio foi outrora desaguadoE então me abraças com virilidade.Despido de vaidade, tímido, calado, masacessível à discussão. Sempre disposto a ensinar,à hora do dia ou da noite que V. deseje. Plenode sabedoria e erudição, suas lições sãodespretensiosas e ilimitadas.Sobre a mesa de trabalho - desarrumada,bagunçada -, é o liberto; na estante - arrumada,decorativa -, é o expatriado.Faz parte da admirável família.Convivência perfeita! Na habitação, coletiva,cada indivíduo desenvolve a tarefa particular:a sinonímica, a analógica, a etimológica, aregencial, a expressiva, a técnica, a histórica,a idiomática, a rimária... Alguns, tornaram-seespecialistas, dirigiram-se aos doutos -advogados, juízes, médicos, escritores, poetas,estudiosos -, gente que cultiva a comunicação.Outros consangüíneos, consultores consagrados- enciclopédicos -, passaram a morar nosdomicílios espaçosos, nas bibliotecasinstitucionais. Mas estão se colocando àdisposição de V. pela web.SuplementoLiterárioImpossível aprimorar a capacidadeintelectual sem a colaboração dos membros daoperosa família. Assim é o PhD, o pai, oDICIONÁRIO! Reduz o desconhecimento.Estimula ao uso do vocábulo adequado. Aluno,mestre, pesquisador, literato.... seja qual foro profissional que o consulta, para todos, sugeretantas palavrinhas semelhantes.Se V. deseja a tradução pronta, paraoutros idiomas, basta escolher as mais simples,de trânsito universal imediato, seja o técnico,o científico, o jurídico, o jornalístico ou opoético.PAI DOS BURROS?! Tratamento insultuoso,mas de efeito bumerangue, jamais atinge osábio, retorna ao néscio que o destrata eescarnece dos seus usuários.Porque, DICIONÁRIO, é pai; o pai dosinteligentes! Também, porque o burro não énada burro, tem notável memória e sabe fazervaler sua decisão.
  • 8. 8 O BandeiranteOutubro 2006Pai e famíliaLuiz Jorge FerreiraMédico - São Paulo - SPAmigo é poesiaSuplementoLiterárioEstamos no banheiro masculino doaeroporto. Estou de costas para o espelho. Estoumolhado e mesmo assim me enxergo e sintocalor. Ele fala muito. Quer me ensinar todas ascoisas de repente, o que viveu neste trinta epoucos anos. Eu rôo as unhas. Ele fala sobre asBegônias que encontrou em Portugal.Três e quarenta e cinco da manhã, meuvôo, parte às seis. Ele chegou primeiro.Enxergou primeiro. Falou primeiro. Mordeuprimeiro. Ousou primeiro.Eu vim depois. Estava tudo arrumado.Não ao meu gosto, claro. Nem à força eu usariaeste paletó ridículo, que ele a toda hora tentaajeitar os ombros. Este sapato chulo. Não mecasaria com esta mulher da qual guarda oretrato, com carinho, na carteira porta-cédulas.Gosto das coisas mais práticas. O contrasteentre o convencional e o extravagante. Adessarrumação. A procura pelo aonde está. Oquase vou conseguir. Gosto do gosto pelaaventura. Do que me deixa furioso quando nãoconquisto. Do que não se adivinha o grandefinal.Gosto de minhas unhas aparadas eclareadas pelo esmalte. Desta camisa abertano peito. Deste perfume insinuantementefrancês. Deste cabelo retocado. Destes óculosescuros e deste meu “quê” de moleque. Querme ensinar toda a sua experiência nestes seustrinta e seis anos. Quer me fazer pensar com aresponsabilidade dele.O vôo vai partir. Ele se despede de mim.Está aborrecido. Repete que eu não me corrijo.Que vou ser sempre assim. Eu ignoro. Beijaemocionado meu rosto. Fazia cinco anos quenão nos víamos. Desde que saí de casa. Custa alargar minhas mãos. Continua me dandoconselhos. Ele teima em me fazer mudar. Eu operdôo sempre. Grita enquanto eu corro coma sacola de mão para o embarque,acompanhando o jogo de quadril da aeromoçacaminhando displicentemente ao meu lado.Ouçou sua voz. Tchau, pai! Sinto que ela meolha e sorri. Eu murmuro, tchau, filho!Amigo, dom maior do amor.é Romaé Mecaé Índiaé o céué elegia...Amigo de tudoe da realidade,da dor, da melancoliae da alegria.Das lágrimas tantas,do sorrisocontagiante,da vida do dia-a-dia.Para você,mais estes versosde encantamento,da Lua,no raiar do diado sol,no esconder doAngelusperpetuando mais uma vidade ser amigo...Mário Nilton Pinto WerneckMédico cardiologista - Jacareí - SPSonho de amorAlcione Alcântara GonçalvesMédico psiquiatra - Tupã - SPO que me lembra você,É a nostalgia que me faz sofrer,Por não ter você, junto ao meu ser,Trazendo-me sua alegria e seu bem querer.O devaneio que me domina,Perdura nítido e me alucina.Toco a tua pele rósea acetinada,Numa linda noite enluarada.O teu perfume que me embriaga,Nesta doce e quente madrugada,Alimenta o amor de forma inesperada,Aquecendo a paixão que surgiu do nada.Risonha, esbelta, doce e brejeira,Deita-se na relva, acenando para mim.Aceitando o seu chamado, ao seu lado deitei.Ao despir o seu corpo, caí da cama e acordei!Uberaba, 17.09.2006
  • 9. O BandeiranteOutubro 2006 9Conselheiros da nova gestãoEleiçõesConselho Fiscal - EFETIVOFlerts Nebó, médico reumatologista. Co-fundador da regional SP, ex-presidente daSOBRAMES-Nacional no biênio (1994-1996). Como presidente da atual gestão(2005-2006) assumirá a presidência doconselho fiscal na gestão seguinte.Ao lado dos demais cargos de diretoria, o conselho fiscal exerce importante papel, fiscalizando as atividades da diretoria,aconselhando os diretores e opinando sobre os rumos da sociedade, sempre que necessário ou quando solicitados, além de fiscalizar eaprovar os gastos efetuados e receitas auferidas. Conheça agora os conselheiros eleitos para o biênio 2007-2008.Conselho Fiscal - EFETIVOArary da Cruz Tiriba, médicoinfectologista. Pertence à regional SãoPaulo há vários anos. Participa pela primeiravez de um cargo diretivo na regional.Conselho Fiscal - EFETIVOLuiz Jorge Ferreira, médico clínico geral.É um dos co-fundadores da regional SãoPaulo, tendo participado de outrasgestões da diretoria.Conselho Fiscal - SUPLENTECarlos Augusto Ferreira Galvão,médico psiquiatra. Ex-presidente daregional paulista no biênio 2001-2002,com ativa participação.Conselho Fiscal - SUPLENTEGeováh Paulo da Cruz, médicooftalmologista, há vários anos naSOBRAMES-SP, ocupa pela primeira vezum cargo na direção da regional paulista.Conselho Fiscal - SUPLENTEHelmut Adolph Mataré, médicoradiologista. É também um dos co-fundadores da regional paulista, já tendoparticipado em várias gestões de suadiretoria.A atual gestão da diretoria tomou posse em1º de janeiro de 2005, sob a presidência da Dra.Karin Schmidt Rodrigues Massaro, dando seqüênciaaos trabalhos desenvolvidos pela gestão anterior.Ao longo desses 21 meses destacamos as principaisatividades:REUNIÕES: Foram realizadas até o momento21 reuniões de diretoria para tratar de assuntosadministrativos e de planejamento, havendo aindamais 3 reuniões programadas até o final da gestão,o que significa a realização de tais reuniões emtodos os meses da atual gestão.ADMINISTRAÇÃO: Problemas provocados poratitudes inadequadas de um ex-associadodeflagraram uma grave crise administrativa naregional, culminando com o pedido de demissãoda presidente Dra. Karin S.R.Massaro, em outubrode 2005. Simultaneamente houve o pedido dedemissão do primeiro-tesoureiro, Sr. RubensMassaro. Assumiram os cargos o Dr. Flerts Nebó,na presidência e o Dr. Milton Maretti na tesouraria.Relatório da Diretoria - Gestão 2005-2006A seguir a íntegra do relatório da diretoria da Gestão 2005-2006, abrangendo o período de janeiro de 2005 até setembro de 2006. Esterelatório é parte integrante da ata da Assembléia Geral Ordinária durante a qual foi eleita por unaniminade a chapa “Amor à SOBRAMES-SP”,que tomará posse em 1º.01.2007. A ata será registrado no 4º Oficial de Registro de Títulos e Documentos e Civil da Pessoa Jurídica (SP).O fato não interrompeu a execução de qualqueratividade programada para o biênio.TESOURARIA: O saldo da conta bancária daSOBRAMES-SP em 31.08.2006 é de R$ ... (O valordo saldo encontra-se à disposição dos associadosnos extratos bancários e no livro de Atas deAssembléias levado a registro em cartório). Osmaiores gastos têm sido com a confecção do jornal“O Bandeirante”, que tem custado R$... por mês.(Informações sobre os custos do jornal constamdas notas fiscais dos fornecedores e no livro deAtas de Assembléias levado a registro em cartório,ambos à disposição dos associados para consultas).O pagamento de anuidade pelos associados foi aprincipal fonte de receita, tendo no entanto umamédia de arrecadação muito baixa em relação aonúmeros de associados: tanto em 2005 quantoem 2006, em média 50 associados têm contribuídoregularmente com o pagamento das anuidades.continua na pg.10
  • 10. 10O BandeiranteOutubro 2006PIZZAS LITERÁRIAS: Foram realizadas asPizzas Literárias de nº 174 até 193, num total de20 reuniões. Além da que está sendo realizada nodia de hoje ainda há mais 3 programadas até ofinal da gestão. Nesses encontros a média decomparecimento foi de 24 pessoas por reunião,tendo sido apresentados 289 textos em prosa epoesia ao longo de todo o período.CONCURSOS LITERÁRIOS: Em dezembro de2005 foram entregues o “Prêmio Bernardo deOliveira Martins” para a melhor poesia de 2004/2005 e o “Prêmio Flerts Nebó” para a melhorprosa do mesmo período. Está programada paradezembro deste ano a entrega da versão 2005/2006 desses dois prêmios, cujos trabalhosencontram-se no momento em fase dejulgamento. Foram realizados ainda sete desafiosda SUPERPIZZA desde janeiro de 2005, estandomais um ainda programado para realizar-se até ofinal de 2006.JORNAL “O BANDEIRANTE” – forampublicadas mensal e ininterruptamente as ediçõesde nº 146 (janeiro de 2005) até a de nº 166(setembro de 2006). Em maio de 2006, o jornalteve uma edição especial com 12 páginas etiragem de 10.000 exemplares que foramdistribuídos a médicos do Brasil inteiro através demala direta da APSEN Farmacêutica S.A quepatrocinou a edição.JORNADA LITERÁRIA: De 22 a 25 desetembro de 2005 foi realizada a VIII JornadaMédico-literária Paulista, na cidade de Serra Negra- SP, com a participação de mais de 50congressistas de São Paulo e de vários estados,além de uma comitiva de 10 participantes daArgentina. O evento teve seis sessões literáriasonde foram apresentados 96 textos em prosa everso, além de programação social e turística.PUBLICAÇÕES: Durante esta gestão forampublicados os Anais da VIII Jornada e a V AntologiaPaulista, lançados em setembro de 2005. Estáprogramado para dezembro de 2006 o lançamentoda coletânea “A Pizza Literária – nona fornada”,com a participação de 33 autores.MOSTRA ARTÍSTICA DE MÉDICOSESCRITORES – de 25 de maio a 10 de junhorealizou-se a Mostra Artística de MédicosEscritores, com exposição de telas de Flerts Nebóe de textos e livros dos autores da SOBRAMES-SP,além de sarau poético e musical. O evento, abertoao público em geral, teve o patrocínio dolaboratório APSEN FARMACÊUTICA S.A e foirealizado no Centro Cultural APSEN, localizado naCasa da Fazenda do Morumbi.ASSEMBLÈIAS – Conforme previsão de seuEstatuto, a SOBRAMES São Paulo realizouAssembléia Geral Ordinária em setembro de 2005,e nesta oportunidade está realizando a presentesessão, que tem como pauta principal a eleiçãoda nova diretoria que comandará a Regional SãoPaulo da SOBRAMES no biênio 2007/2008.Agradecemos o empenho dos membros dadiretoria e a colaboração de todos os associadosque participaram das atividades planejadas ederam apoio à atual diretoria que está prestes aser substituída, mesmo nos momentos de maiordificuldade que enfrentou durante esta gestão. Atodos, muito obrigado. Esperamos que continuema fazer sempre grande a SOBRAMES-SP.Flerts NebóPresidente - SOBRAMES-SPEleições(“Relatório da Diretoria - Gestão 2005-2006 - continuação da pg.9)Exercício efetivo sóem 2007, mas trabalhocomeça desde jáA transmissão de cargos da diretoria deveráacontecer oficialmente na Pizza Literária do dia21 de dezembro de 2006. A breve cerimônia terálugar na Pizzaria Bonde Paulista, na Rua OscarFreire 1570 - Pinheiros - SP, à partir das 20h00.O exercício efetivo dos cargos dos novosdiretores começa em 1º de janeiro de 2007. Atéo final de 2006, no entanto, o presidente eleito,Dr. Helio Begliomini, pretende reunir a futuradiretoria pelo menos duas ou três vezes, paraelaborar o planejamento das atividades para opróximo biênio e estabelecer metas da gestão.Begliomini já adiantou que pretende umaadministração bastante ágil e dinâmica,resguardando e aperfeiçoando todas as conquistasdas gestões anteriores e empenhando-se aomáximo para atingir novos objetivos.Além de todos os membros da diretoriaeleitos nesta ocasião, Begliomini ressaltou aindaa necessidade de uma participação ativa de todosos associados, acreditando que esse conjunto deesforços possa resultar em grandes benefícios paraa SOBRAMES-SP.
  • 11. Em sua profícua carreira como escritora, a médica geriatrade Taubaté (SP), Thereza Freire Vieira já contabiliza 47 obras,entre romances, livros infanto-juvenis, biografias, poesia etítulos sobre sua especialidade, a terceira idade. Desta feitaThereza nos apresenta um novo romance, “O Castelo de Pedrae as Cerejeitas em Flôr”. A edição da autora é de 2006 e tem120 páginas onde a ela desenvolve o drama de uma jovem àsvoltas com mistérios envolvendo o seu passado e suaverdadeira identidade. Infome-se sobre o livro com a autora:Rua 29 de Agosto, 177 - Morumbi - 12060-410 - Taubaté - SPCom chave de ouroO BandeiranteOutubro 2006 11Nos meses de outubro, novembro e dezembro aSOBRAMES-SP tem uma intensa programação, que pretendefechar com “chave de ouro” a gestão da atual diretoria.Veja a seguir a agenda desses três meses. Anote e não deixede participar:AgendaRegistroNovos associados na SOBRAMES-SPA regional de São Paulo ganhou dois novos reforços no mêsde setembro, com a admissão em seus quadros dos colegasescritores Roberto Antonio Aniche, ortopedista e médicodo trabalho, e de José Alberto Vieira, anestesista eespecialista em dor. Ambos prometem começar a tirar seustextos da gaveta em breve para mostrá-los aos confrades.Sejam muito bem-vindos! Aguardamos sua contribuição paranossas próximas edições e futuros encontros.Palavras do coração de LígiaChegou-nos às mãos um exemplar do primeiro livro dajornalista Lígia Terezinha Pezzuto, “Palavras do Coração”.Trata-se de edição da autora publicada em 1993. O livro tem110 páginas e em seu bojo vinte poemas muito inspirados etransbordando sensibilidade. Nelson Moura tratou de ilustrarcinco dessas poesias, em belíssimas aquarelas. Para maioresinformações sobre o livro os contatos podem ser feitos comLígia através do e-mail: ligiapezzuto@terra.com.br.Mais um romance de TherezaENDOMED MEDICINA LABORATORIALSede:Av.Eng.GeorgeCorbisier,746Pq.Jabaquara-SPCAC0800-170-004E-mail: endomed@terra.com.brO envio de notícias, publicações ou informações sobre lançamentos de livrosparaaredaçãodojornal “OBandeirante”podeserfeitoparaumdosseguintesendereços:Redação:Av.Prof.SyllaMattos,652-apto.12-JardimSantaCruz-São Paulo - SP - CEP 04182-010 * Sede: Rua AlvesGuimarães,251-Pinheiros- São Paulo - SP - CEP 05410-000Reflexão Médica de AlagoasRecebemos na redação a edição de agosto de 2006 da revista“Reflexão Médica”, editada pelas Entidades Médicas do Estadode Alagoas. A publicação, que tem como médico responsávelo Dr. José Medeiros, atual presidente da regional alagoanada SOBRAMES, vem com uma reportagem sobre o XXICongresso Brasileiro de Médicos Escritores, realizado emMaceió entre 20 e 22 de abril de 2006, além de artigo dotambém membro da SOBRAMES-AL, Dr. Milton Henio. Tem aindao artigo “Medicina e Comunidade”, escrito pelo Dr. JoséMedeiros. Para contatos com os responsáveis pela revista,visite o site www.cremal.org.br ou escreva para o e-mailcremal@cremal.org.br.Bandeirante muda em janeiroJá está sendo preparada mais uma reformulação do jornal “OBandeirante”. Como vem sendo feito a cada nova gestão, osseus editores estão criando um novo visual, além de estudospara uma dinâmica mais arrojada da publicação. Algumas novasseções estão sendo planejadas e espera-se poder contarcom a costumeira colaboração dos escritores da SOBRAMES-SP. Ainda como parte do projeto, “O Bandeirante” passará ater também divulgação através da internet, buscando atingirum público maior que o que recebe atualmente a ediçãoimpressa. Aguarde as novidades que vêm por aí!OUTUBRO03.10.2006 Reunião de diretoria.19.10.2006 195ª Pizza LiteráriaPremiação da 14ª SuperpizzaDivulgação do tema da próxima SuperpizzaNOVEMBRO07.11.2006 Reunião de diretoria16.11.2006 196ª Pizza Literária15ª Superpizza (apresentação de textos)DEZEMBRO04.12.2006 LANÇAMENTO da COLETÂNEA 2006“A Pizza Literária - nona fornada”05.12.2006 Reunião de Diretoria21.12.2006 197ª Pizza LiteráriaEntrega do PRÊMIO BERNARDO DE OLIVEIRAMARTINS (poesia) e do PREMIO FLERTS NEBÓ(prosa) - edição 2005/2006.Transmissão de cargos para a DiretoriaEleita para o biênio 2007/2008.Endereços, horários e referênciasPizza Literária: São realizadas na Rua Oscar Freire, 1597 -Pizzaria Bonde Paulista - a partir de 19h30Reunião de Diretoria: São realizadas na sede dasociedade, na Rua Alves Guimarães, 251 - a partir de 20h30Lançamento: A coletânea “A Pizza Literária - nona fornada”será lançada na Rua Alves Guimarães, 251 - a partir de20h30 do dia 04.12.2006.ConviteConviteConviteConviteConviteASociedadeBrasileiradeMédicosEscritorestemahonradeconvidarV.Sa.eExma.Famíliaparaolançamentodesuacoletânea2006“A PIZZA LITERÁRIA - nona fornada”“A PIZZA LITERÁRIA - nona fornada”“A PIZZA LITERÁRIA - nona fornada”“A PIZZA LITERÁRIA - nona fornada”“A PIZZA LITERÁRIA - nona fornada”arealizar-senodia04dedezembrode2006,às19h00,naRuaAlvesGuimarães,251-Pinheiros-SãoPaulo.
  • 12. 12Bandeirantetubro 2006Agora é definitivo: a edição 2006 da coletâneaorganizada pela SOBRAMES-SP, que tem o título de “APizza Literária - nona fornada” contará com aparticipação de 33 autores. A obra, que será publicadapela Rumo Editorial Produções e Edições Ltda.,já tem datade lançamento definida para 4 de dezembro.Esta é a segunda maior obra da série, com seus 33autores, ultrapassando as 300 páginas (veja na matériaabaixo dados sobre todas as demais edições).Conheça todos os autoresEstes são os escritores presentes na obra: AlcioneAlcântara Gonçalves (Tupã-SP); Aldo Miletto (São Paulo-SP); Alitta Guimarães Costa Reis (São Lourenço-MG);ArleteMazzini Miranda Giovani (São Paulo-SP); Carlos AugustoFerreira Galvão (São Paulo-SP); Carlos José Benatti (SãoPaulo-SP); Evandro Guimarães de Sousa (São Paulo-SP);Evanil Pires de Campos (Botucatu-SP); Evanir da SilvaCarvalho (São Paulo-SP); Fernando Batigália (São José doRio Preto-SP); Flerts Nebó (São Paulo-SP); GuaracyLourenço da Costa (Araraquara-SP); Helio Begliomini (SãoPaulo-SP); Hélio José Déstro (São Paulo-SP); Helmut AdolphMataré (Bertioga-SP); Humberto Golfieri Jr. (Cascavél- PR);José Jucovsky (São Paulo-SP); José Rodrigues Louzã (SãoPaulo-SP); Josyanne Rita de Arruda Franco (Jundiaí-SP);Luiz Giovani (São Paulo-SP); Luiz Jorge Ferreira (Osasco-SP); Manlio Mario Marco Napoli (São Paulo-SP); MarcosGimenes Salun (São Paulo-SP); Maria Virgínia Bosco (SãoPaulo-SP); Mélida Francisca Velasco Cassanello (São Paulo- SP); Nelson Jacintho (Ribeirão Preto-SP); Rodolpho CivileColetâneaNona Fornada terá a presença de 33 autoresSaiba um pouco sobre todas as edições anteriores1990Com o título “Porum Lugar ao Sol”a SOBRAMES-SPpublicou pela pri-meira vez uma coletânea.Com a participação de 20autores, a obra teve 144páginas e foi impressa porEditora Gráfica Nagy.1993Pela primeira veza coletânea rece-beu o nome de “APizza Literária”.A publicação contou comapenas 10 autores e teve 96páginas. Foi editada porAfrânio Bardari - EditoraMorumbi.(São José dos Campos-SP); Rubens Paulo Gonçalves (SãoPaulo-SP); Sérgio Perazzo (São Paulo-SP); Sônia ReginaAndruskevicius de Castro (São Paulo-SP); Thereza FreireVieira (Taubaté-SP); Walter Whitton Harris (São Paulo-SP)e Wilma Lúcia da Silva Moraes (Americana-SP).Fase atual dos trabalhosNo momento foi finalizada a fase de revisão da obra,que chega assim a seu texto definitivo. Está emandamento a produção da capa do livro, assim como aobtenção da ficha catalográfica junto à Câmara Brasileirado Livro e do número de ISBN da publicação, que é fornecidopela Fundação Biblioteca Nacional.Informações pela internetVocê poderá acompanhar todas as etapas deprodução da coletânea também através da internet, noBLOG http://coletanea2006.blogspot.com. Visite edivulgue esse endereço para seus contatos.Lançamento tem data marcadaEsta data precisa ficar em lugar de destaque emsua agenda: segunda-feira, 4 de dezembro de 2006,19h00. Acontecerá neste dia e hora o lançamento dacoletânea 2006 da SOBRAMES-SP. O evento, que serámarcado por um coquetel de recepção aos convidados,acontecerá na Rua Alves Guimarães, 251 - Pinheiros - SãoPaulo. Nos próximos dias os convites estarão prontos eserão enviados aos autores e também distribuídos peladiretoria SOBRAMES-SP e pela Rumo Editorial.1995Dois anos depoissurgia “A Pizza Li-terária - segundafornada”. Destafeita eram 13 os autores par-ticipantes e o livro teve 108páginas. A edição ficou acargo da Editora Morumbi deJornalismo.1996Os organizadoresacabaram mudan-do o nome da co-letânea nesse ano:“Criação - Prosa e Poe-sia”. A obra teve a partici-pação de 15 autores em 128páginas. Foi publicada pelaEditora Parma.1998Retomando o títu-lo que manteria apartir de entãosurge, “A PizzaLiterária - quinta forna-da”. Em suas 256 páginascontou com 22 autores e foipublicada por LegnarInformática e Editora.2000Esta foi a maioredição da coletâ-nea, quer pelos 44autores partici-pantes, quer pelas 328 pá-ginas da obra. “A Pizza Li-terária - sexta fornada”foi publicada por LegnarInformática e Editora.2002Neste ano a cole-tânea, que cha-mou-se “A PizzaLiterária - séti-ma fornada”, reuniu umnúmero menor de autores:21 participantes em suas192 páginas. Foi publicadapela Editora Imaginário.2004A coletânea voltoua crescer nesseano. Estiverampresentes 30 au-tores na obra que teve 334páginas. “A Pizza Literá-ria - oitava” foi publicadapela Editora Expressão &Arte.A série de coletâneas publicada pela SOBRAMES-SP começou em 1990, quando surgiu “Por um Lugar ao Sol” . Desde então já foramproduzidas oito edições e a obra acabou ganhando periodicidade regular, sendo publicada bianualmente, nos anos pares. Outro padrão foi aadoção do nome “A Pizza Literária”, seguido do número sequencial da “fornada” . Veja a seguir algumas informações sobre esta série.