O Bandeirante 052006

  • 86 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
86
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. “InformativoMensaldaSociedadeBrasileiradeMédicosEscritoresSOBRAMES-SP-RegionaldoEstadodeSãoPauloOBandeirante15Ano XIV - n° 162 - Maio de 2006Os livros levaram alguns à ciência, outros à insânia.Francesco Petrarca - escritor, poeta e humanista italiano - (1304-1374), in Remédios de Ambas as Fortunas“Foi uma uniãoperfeita. Por um ladoestava a SOBRAMES-SP,entidade sem finslucrativos composta emsua maioria por médicosescritores e dedicada àliteratura não-científica esuas manifestações, e quevem procurando ao longodo tempo o apoio e oincentivo para suasatividades, desenvolvidaspelo voluntariado eabnegação diletantista deseus membros.Do outro lado estava uma empresa inovadoracomprometida com a saúde, respeitada, altamenteconceituada e competitiva no mercado, com modernaestratégia de gestão e com avançados padrõestecnológicos, visando atender às necessidades e aosavanços da medicina. Só que, além desse compromissoSobrames-SP e Apsen promovemmomento de cultura em São PauloDesde 1988, ano defundação da regionalpaulista da SOBRAMES, jáforam realizadas 190Pizzas Literárias. Paraquem não conhece esse“sabor” da iguaria quetornou-se símbolo dospaulistanos, é bomexplicar alguma coisa mais: as “Pizzas Literárias” são asfestivas e tradicionalíssimas tertúlias mensais promovidaspela Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, regadasa chope, tendo como prato principal a pizza e comosobremesa a excelente produção literária dos escritoresamadores da confraria. Quer saber o que mais acontecenessa sociedade de poetas, médicos e glutões? Então vejamatéria completa na página 10.profissional, a APSENFarmacêutica S.A. estáe s p e c i a l m e n t ecomprometida em dedicaruma parcela de suacompetência ao incentivocultural aos membros dacomunidade que com elainteragem. Desse binômioquase incomum surgiu umaimportante parceria, quevai realizar de 25 de maioa 10 de junho, a “MostraArtística de MédicosEscritores”, no recém-inaugurado CentroCultural Apsen, localizado na Casa da Fazenda doMorumbi, em São Paulo.Para falar sobre esse evento e sobre sua importânciapara a SOBRAMES-SP nós convidamos o Dr. HelioBegliomini, principal elo de contato para esta parceria.Sobre o assunto, leia as páginas 3 e 12.Esses médicos e suashistórias maravilhosasLeia também nesta edição:Os paulistas no Congresso BrasileiroA pequena e inusitada representação paulista em Maceióexplica suas razões. Saiba mais na página 9.Autores que fazem literatura por amorNo suplemento literário, um registro da criação dosautores da SOBRAMES-SP. Leia nas páginas 5 a 8.Eleja um novo presidente em 2006Apostando na renovação, a SOBRAMES-SP convocaeleições para nova diretoria. Veja na página 4.Concursos literários a todo vaporTodos os textos apresentados durante as Pizzas Literárias,sejam em prosa ou verso, concorrem aos prêmios anuaispermanentes da SOBRAMES-SP. Prazos de inscrição edemais informações encontram-se na página 4.Uma publicação feita porMédicosEscritores
  • 2. O Bandeirante - ANO XIV - nº 161 - Abril 2006 - Publicação da SOBRAMES-SP - Sociedade Brasileira de Médicos EscritoresRegional do Estado de São Paulo - Sede: Rua Alves Guimarães, 251 - CEP 05410-000 - Pinheiros - São Paulo - SP - telefax (11) 3062.9887 / 3062-3604 -Projeto Gráfico e Diagramação: Rumo Editorial Produções e Edições Ltda. - E-mail: rumoeditorial@uol.com.br Editores: Flerts Nebó,Marcos Gimenes Salun. Redatores: Luiz Giovani, Marcos Gimenes Salun. Jornalista Responsável: Marcos Gimenes Salun - MTb 20.405 -SP - Correspondência: Av.Prof. Sylla Mattos, 652 - apto. 12 - Jardim Santa Cruz - São Paulo - SP - CEP 04182-010 - E-mail:sobrames@uol.com.br - Diretoria Gestão 2005/2006 - Presidente: Flerts Nebó. Primeiro-secretário: Marcos Gimenes Salun Segundo-secretário: Maria do Céu Coutinho Louzã. Tesoureiro: Milton Maretti. Conselho Fiscal Efetivos: Luiz Giovani, Madalena J.G.M.Nebó, JoséRodrigues Louzã. Suplentes: Sérgio Perazzo, José Jucovsky, Arlete M.M.Giovani.Matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não significam, necessariamente, a opinião da SOBRAMES-SPO BandeiranteMaio 2006São Paulo em evidênciaHOSPITAL METROPOLITANOServiços de Pronto-socorroe tratamentos de ambulatório.Rua Marcelina, 441 - Vila Romana - SP(11) 3677.20002LIFE SYSTEMASSISTÊNCIA MÉDICA E ODONTOLÓGICAAvenida Brasil, 598 – Jardim América – SP(11) 3885 – 8000lifesystem@uol.com.brFlerts NebóO orvalho da vidaLIVROS EM EXPOSIÇÃO - Os autores que pretendem expor livrosde sua autoria durante a Mostra Artística de Médicos Escritoresque acontece de 25 de maio a 10 de junho no Centro Cultural APSEN- Casa da Fazenda do Morumbi (veja matérias nas páginas 3 e 12)devem entrar em contato urgente com Marcos Salun pelo telefone(11) 9182-4815. Os livros devem ser entregues com indicação deseu preço de venda até dia 18 de maio para que sejam relacionados.Recomenda-se a entrega de um máximo de 5 exemplares de cadatítulo. Os exemplares não vendidos serão restituidos a seus autoresao término da mostra.EM MEIO DIGITAL - Para facilitar o trabalho de catalogação,inclusão nos concursos, edição e publicação dos textosliterários apresentados nas Pizzas Literárias, os seus autoresdevem entregá-los, na medida do possível, gravados emdisquete ou enviá-los posteriormente por e-mail paraSOBRAMES@UOL.COM.BR.ATUALIZAÇÃO DE CADASTRO - Para manter-se sempre emcontato com a SOBRAMES-SP não se esqueça de enviarinformações sobre eventual troca de endereçosresidenciais, profissionais ou eletrônicos, além de númerosde telefone. Comunique-se conosco por carta (vejaendereços no expediente, nesta página) ou pelo email dasociedade: SOBRAMES@UOL.COM.BRNAVEGANDO - Para quem gosta de ver como anda a literaturapelas ondas da internet, uma boa opção é o sitiowww.bestiario.com.br onde estão disponíveis a revista decontos “Bestiário”, o almanaque “Caos Portátil” e “Máquinado Mundo”, revista eletrônica de poesia, todos compossibilidade de participação. No mesmo endereço tambémpode ser visto o “Observatório Literário”, com notícias,artigos, regulamentos de concursos e informações literárias.Esta é a expressão que deverá servir de inspiração para osautores que aceitarem o desafio da 13ª SUPERPIZZA: “Oorvalho da vida”. Os textos em prosa e verso sobre o temadeverão ser apresentados na Pizza Literária do dia 18 demaio. O texto vencedor, a ser escolhido por um leitorconvidado pela diretoria, será anunciado no dia 22 de junho.Seu autor receberá uma garrafa de vinho como premiosimbólico.ExpedienteSuperpizzaEditorial RápidasNos dias 4, 5 e 6 de maio realizou-se na cidadede Buenos Aires o Terceiro congresso Argentino deLiteratura e a nossa Regional recebeu um ConviteEspecial, através da Vice –presidência da Lisame paraque estivéssemos presentes ao evento. Nosso Presidenteagradeceu ao mesmo e embarcou para lá, sendo recebidofraternalmente e a todo instante sendo comentada a nossaatuação dentro do Brasil.Foram distribuídos vários números do noticioso“O Bandeirante” o que alegrou aos participantes sobretudo aos médicos platinos. Falamos sobre nossas açõesno Brasil e eram comentários constantes sobre a presençade vários médicos Argentinos em nossa ultima Jornadaem Serra Negra, quando oito médicos de Buenos Aires ede cidades vizinhas daquela capital, estiveram eparticiparam da mesma com trabalhos literários muito bons.Assim, podemos, orgulhosamente, dizer quenosso relacionamento com os colegas da RepublicaArgentina e nossas atuações serviram de base para aconsolidação da amizade e união com a co-irmã.Dentre os próximos eventos, que serão levadosa cabo no ano de 2007, já somos considerados comoparticipantes do mesmo, e igualmente poderíamos dizerque muitos deles estão esperando que seja marcada adata da realização de nossa próxima jornada, para voltarema apresentar seus trabalhos portenhos em nossa terra.É difícil, mas é com verdadeiro orgulho, quefalamos de nossa Regional e sua influência sobre ostrabalhos que estão sendo levados a cabo na vizinhaRepublica.São Paulo do Piratininga, por seu labor e difusãode nossa literatura, teve na Exposição do “Dia do Livro”em Buenos Aires, uma oportunidade única de mostrar oque temos feito em beneficio de nossos autores, assimcomo no exterior.Aqui vão, mais uma vez, as palmas aos nossosintegrantes da Regional Paulista da Sobrames brasileiraque mostraram em vários livros que lhes ofertamos,aquilo que temos produzido.
  • 3. 3O BandeiranteMaio 2006Neste ano estou comemorando quatro lustros naSociedade Brasileira de Médicos Escritores – Sobrames.Maio de 1986 parece ter sido ontem, data em que tomavaposse na regional do fluminense, evento ocorrido natradicional Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio deJaneiro. Por muita insistência e ousadia de confradescariocas, particularmente de Maria José Werneck, aregional de São Paulo só viria ser fundada em setembrode 1988, ou seja, dois anos e meio após. Parece incrívelacreditar, mas sou o deão em participação na entidade,no estado de São Paulo!Nesses vinte anos presenciei e participei degrandes momentos, mas também de tristes percalços.Para a regional paulista o ano de 2005 constituiu-se, quiçá,no seu nadir, uma vez que forças peremptoriamentedestruidoras quase derribaram nas ondas da Internet suahonrosa saga, que tem sido paulatina, porém consistente,ascendente e vitoriosa.Entretanto, nossa regional não é formadasomente por confrades e confreiras de notório valorliterário, mas também de reto caráter, fraternocompanheirismo e espírito impávido, condições essas quearremeteram-na a uma maior coesão entre seus membros,a fim de resgatar sua honra caluniosamente chafurdada.Recebi com muita honra o convite pelo conselhoeditorial de O Bandeirante, querido boletim, órgão oficialda Sobrames – SP, fundado em novembro de 1992, logono início de minha passagem pela presidência daentidade (1992-1994), para preencher esse destacadoespaço editorial.O contexto torna-se propício para salientar que,nesse ano, a nossa regional já deu mostra deveras datêmpera de seus sócios. Através de seus influentes dotesartísticos foi convidada para participar de uma temporadado Centro Cultural Apsen, na Casa da Fazenda, localizadano lindo bairro do Morumbi.A Casa da Fazenda é uma aprazível mansão,verdadeira relíquia do século XIX, construída em 1813pelo então regente do Império, padre Antônio Feijó. Seuterreno foi doado por dom João VI a John Maxwel Rudge,grande produtor inglês de chá. Diversas famílias paulistastradicionais lá residiram até 1978.Pelo seu significado histórico, a propriedadeserviu de cenário para várias produçõescinematográficas, como os filmes “Sinhá Moça”, de TomPayne, rodado em 1952; “A Moreninha” e “BetoRockfeller”, de Oliver Perroy e “A Nova Primavera”, deFranco Zeffirelli.Após restauro por abandono de vinte anos, aAcademia Brasileira de Arte, Cultura e História (Abach)recebeu outorga dos direitos do uso da Casa da Fazendado Morumbi como pólo cultural. Recentemente, a ApsenFarmacêutica S.A. inaugurou seu espaço cultural nesserico cenário histórico e arquitetônico.A SOBRAMES-SP e oCentro Cultural APSENA participação da Sobrames-SP será do dia 25 demaio a 10 de junho. No primeiro dia do evento haveráum coquetel de abertura e vernissage com telas de nossoconfrade Flerts Nebó. No mesmo recinto haverá exposiçãode livros de nossos escritores, além de alguns painéiscom trechos em verso e prosa. Posteriormente, em outrosalão, haverá um breve sarau com apresentação de uns10 pequenos textos de nossos sócios mesclados commúsica produzida pelo grupo do Sérgio Perazzo, nossoconfrade. A noite será coroada com um jantar deconfraternização oferecido aos convidados.Sob os auspícios da Apsen Farmacêutica apresente edição de O Bandeirante será histórica, poisterá 12 páginas e uma tiragem de 5000 exemplares(!),que serão distribuídos aos médicos brasileiros visitadospelos seus representantes: de norte a sul, de leste a oestedo país.Oxalá essa ampla divulgação através do consórcioda Apsen Farmacêutica com a Sociedade Brasileira deMédicos Escritores, através da regional paulista, possaestimular não somente a que outros médicos engrossemnossas regionais, beneficiando todos os estados do país:do Rio Grande do Sul ao Amazonas; de Rondônia a Alagoas-, mas também, estimulando a que sejam ativadasregionais adormecidas e que venham a ser fundadasregionais em estados ainda desprovidos de sua presença.É com muito orgulho que valorizamos eagradecemos o trabalho cultural da Apsen Farmacêutica,através do qual O Bandeirante tornou-se um bandeiranteda comunicação dos tempos modernos!por Helio BegliominiEventoColetâneaEstão na fase final os entendimentos com aeditora para a publicação de mais uma obra-prima daSOBRAMES-SP, a coletânea “A Pizza Literária - NonaFornada” que deve ser lançada em novembro de 2006. Oforno já foi aceso e agora está na hora de coletar todosos melhores ingredientes para que a obra tenha o mesmosabor e qualidade insuperáveis das edições anteriores.A participação será por adesão e cada autorpoderá utilizar um mínimo de 5 (cinco) páginas do livro,sem limite máximo. A cada página adquirida o autor terádireito a 5 (cinco) exemplares da obra e 10 (dez) convitespara a noite de autógrafos e lançamento. Os interessadosdevem preparar seus textos em prosa ou poesia,gravando-os em arquivos magnéticos, em Word, fonteTimes New Roman, corpo 12.Nas regras básicas já definidas, preve-se que nãohá determinação de gênero ou tema específico para aparticipação e tampouco limite máximo para o tamanhodos textos. É uma oportunidade dos autores publicaremsua obra em sistema cooperativo com baixo custo eexcelente qualidade editorial.Aqueles que quiserem receber mais informaçõesantecipadamente, podem enviar e-mail paraSOBRAMES@UOL.COM.BR. Até o final deste mês osescritores receberão correspondência específica comtodos os detalhes necessários à sua participação.Mais uma obra-prima
  • 4. 4 O BandeiranteMaio 2006EleiçõesRenovar é importante:vem aí nova diretoriaÉ vital para qualquer sociedade que seja dirigidapor pessoas competentes, sérias e trabalhadoras. Paraos integrantes dessa sociedade, é especialmenteimportante que existam mecanismos capazes de garantiruma escolha livre e democrática, que lhes permita indicaros melhores dirigentes. Um processo eleitoral significaacima de tudo a possibilidade de renovar, a cada período,pessoas e idéias que contribuam com o crescimento ecom o progresso da sociedade.Por outro lado, o exercício do voto livre edesimpedido é uma das mais democráticas manifestaçõesde liberdade. Candidatar-se aos cargos diretivos é umdireito e principalmente um dever de todos aqueles quepretendem ver o progresso da sociedade. A participaçãode todos, elegíveis e eleitores, é, sem dúvida alguma, amais sincera manifestação do interesse no progresso denossa sociedade.É acreditando nesses princípios e sabendo ter emseus quadros pessoas do mais alto valor que a aSOBRAMES-SP realizará em setembro mais um processoeleitoral para escolha de dirigentes para o biênio 2007-2008. Conforme previsto nos artigos 34 a 41 do Estatutoda SOBRAMES-SP aprovado em AGO de 13.04.2000, acada dois anos devem ser realizadas eleições para novadiretoria. Estas devem acontecer em Assembléia GeralOrdinária, através de voto direto e secreto.Se você pretende dirigir a SOBRAMES-SP pelospróximos dois anos, deverá inscrever uma chapa completajunto à atual diretoria até o dia 1º de agosto de 2006.Não se esqueça de verificar sua condição financeiraperante a tesouraria, pois somente podem candidatar-seos membros que estejam financeiramente em dia.Salientamos que os cargos de presidente e vice-presidentesomente podem ser exercidos por membros titulares(médicos). Todos os demais cargos podem ser ocupadospor membros titulares, colaboradores, acadêmicos,honorários ou beneméritos.As chapas concorrentes deverão contemplar osseguintes cargos, conforme previsto nos artigos 20 e 27do Estatuto: Presidente e Vice-presidente; Primeiro eSegundo secretários; Primeiro e Segundo tesoureiros; trêsmembros efetivos para integrar o Conselho Fiscal (opresidente da gestão anterior é obrigatoriamente opresidente do conselho); e três conselheiros fiscaissuplentes. A eleição deste ano acontecerá na AssembléiaGeral Ordinária a ser realizada no dia 14 de setembro de2006 e para a qual todos os membros serão convocadosem tempo hábil.ConcursosProsadores podem seinscrever até junhoDia 22 de junho é a última oportunidade para osautores que pretendem participar do concurso que elegeráa melhor prosa de 2005/2006, “Prêmio Flerts Nebó”,entregarem seus textos. Estarão concorrendo todos ostextos em prosa apresentados de agosto de 2005 a junhode 2006 durante as Pizzas Literárias e cujas cópias tenhamsido entregues aos organizadores.Criado em 1999, o concurso chega este ano à suasétima edição e já premiou nas edições anteriores RobertoCaetano Miraglia (2000), MArcos Gimenes Salun (2001),Paulo Adolpho Leierer (2002), Walter Whitton Harris(2003), Josyanne Rita de Arruda Franco (2004) e MarcosRoberto dos Santos Ramasco (2005), além de ter concedidomenções honrosas a mais dez textos.O corpo de jurados é composto de três confradesde outras regionais, especialmente convidados a cadaedição, e que recebem os textos sem qualquer indicaçãode autoria. Cada jurado seleciona 10 textos dentre osparticipantes e os coloca na ordem de sua preferência,atribuindo notas de 1 a 10. A soma dos pontos da escolhados três jurados determina o texto vencedor.Já estão sendo feitos convites para os juradosque atuarão neste ano e seus nomes serão conhecidosem breve. O texto vencedor e duas menções honrosasserão anunciados no dia 19 de outubro de 2006, durantea 195ª Pizza Literária.Poetas e trovadores têmtempo até outubroRegido praticamente pelas mesmas regras, oconcurso que premia a melhor poesia de cada ano foi criadoem 1997. Trata-se do “Prêmio Bernardo de OliveiraMartins”, que chega neste ano à sua nona edição.Já foram agraciados com a medalha que simbolizao prêmio os poetas Edson Batista de Lima (1998), AldoMiletto (1999), Roberto Caetano Miraglia (2000), JoséRodrigues Louzã (2001), Aldo Miletto (2002), Luiz JorgeFerreira (2003), Marcos Roberto dos Santos Ramasco(2004) e Sérgio Perazzo (2005). Além disso, 10 outraspoesias receberam menção honrosa no concurso.Nesta nona edição estarão concorrendo as poesiasapresentadas nas Pizzas Literárias de novembro de 2005a outubro de 2006 e cujas cópias tenham sido entreguesaos organizadores.Aentrega do prêmio e de duas mençõeshonrosas acontecerá no dia 21 de dezembro, durante a197ª Pizza Literária.Nas últimas três edições o mesmo corpo dejurados tem indicado os vencedores para os dois concursos- jurados diferentes a cada ano. Neste ano porém, adiretoria decidiu convidar dois grupos distintos, sendotrês membros para o concurso de prosa e três diferentespara o de poesias.Os nomes para a composição do juri do “PrêmioBernardo de Oliveira Martins” já foram indicados e osconvites também serão feitos em breve.
  • 5. 5O BandeiranteMaio 2006SuplementoSuplementoSuplementoSuplementoSuplementoLiterárioLiterárioLiterárioLiterárioLiterárioSoneto do imperadorHumberto Golfieri Jr.Médico pneumologista - Cascavél - PRMinha choupana é meu palácio de cristal,Ornada em barro ... por sapé sendo coberta,Exemplo único de nobre arquitetura colonial,Sem janelas e de porta sempre aberta.Minha choupana é meu próprio Taj Mahal,Onde hospedo minha Rainha ... que certa,Traz consigo nosso séqüito fraternal,Não é uma, nem duas ... são dez bocasabertas!Carrego comigo minha própria carruagem,Dando folga aos cavalos, eu mesmo a puxo,Tendo o lixo reciclável na bagagem.Fim do dia ... sendo eu o Imperador,No banquete ... cheiroso arroz com bucho,Esse é meu reino ... Favela do Redentor!Pérolas Negras*Carlos José BenattiMédico ginecologista- São Paulo - SP“A maioria dos dirigentes é mais fiél ao poder doque à instituição que gerou o poder. A instituição temque ter a capacidade de trocar o poder. Os estatutos dainstituição têm que protegê-la, e não dar proteção aopoder. Toda mudança de estatuto é suspeita e, em geral,é para tirar a hegemonia da instituição e passá-la aopoder.Ainstituição morre primeiro porque o poder sempreacredita que pode ressuscitar.”“Qualquer cargo com a possibilidade de reeleiçãofaz com que a pessoa se candidate a um cargo para oqual já foi eleito. É paralisante!”“A solidão é uma tortura. Os escritores, todos,escrevem apenas sob tortura.”“A verdade é como um defeito: quando a gentedescobre, começa a esconder.”“Se você não ficar ao lado de uma pessoa nos seusgrandes momentos de dor, você a perde para sempre.”“Quem está sendo beneficiado não vai e não quermudar o status quo. Quem tem que fazer isso é quemestá sendo prejudicado.”“Felicidade é fazer de seus dias sempre umdomingo”*do livro homônimo, Scortecci Editora - SP, 2006Escolha um tom de lua alta.Comece pelas bordas da cama.Assim como quem não quer,como quem não tem apreço.Assim como quem não ama,até chegar do lado do avessoda fronha de linho do travesseiro.Parta ao meio a ambigüidade.Junte depois as duas metadesdesfolhando o malmequeraté que se reduza a semente.E com olhar de lobo e sorriso matreiro,prometa mundos, palácios, cidades,sob forma de pingente ou de pérolascultivadas em aguardente.Ou inicie de pé, pé ante pé,como um namoro de portão,fingindo um romance antigo,de olho torto no pai dela que te flagrapela fresta do basculante do banheiro.Entre sorrateiro que nem pragapela transparência do vestido,tropeçando no vértice do vê do decote,enviesando a borda lisa do sutiã delycra,dando corda ao sexto sentidono primeiro boicote do não me toques,como que ajeitando o punho da camisaquando trava o zíper da braguilha.Jogue uma pitada de sal,de pimenta, de salsaparrilha,não mais que uma leve fervura,ao ponto, al dente,na nervura dos músculos da nucacom um beijo quente,toque de mestre-cuca.Cozinhe em fogo baixo este mexidorefogado em câmara lentacom as marcas roxas do pescoço.Se ainda parecer insosso,deslize no contraponto das coxasa seda da ponta dos dedos.Reserve os últimos medos,deixe o molho para o fim.Sirva com vinho do Tejo,perfume com flor de desejo,enfeite com alecrim.Como devorar compele e osso umadonzela incautaSérgio PerazzoMédico psicodramatista- São Paulo - SP
  • 6. 6O BandeiranteMaio 2006 SuplementoSuplementoSuplementoSuplementoSuplementoLiterárioLiterárioLiterárioLiterárioLiterárioDurante algumas décadas utilizei o automóvel parame locomover de um bairro para outro, a fim de poderchegar aos vários locais onde exercia minhas atividadesprofissionais. Assim, durante muitos anos passei pelas mesmasruas e avenidas e tive a oportunidade de acompanhar ocrescimento vertiginoso de São Paulo. Vi ruas estreitas,sem calçamento, transformarem-se em grandes avenidasasfaltadas. Vi grandes viadutos nascerem e atravessaremvales, unindo pontos da cidade que pareciam inacessíveis.Vi bairros operários serem ocupados por gigantescosarranha-céus – enormes pilares de concreto – sem o calordas pequeninas casas que foram substituindo. Vi favelasnascerem tímidas, rapidamente crescerem e também, numinstante, desaparecerem ocupadas pelos diversos e sempreinsuficientes projetos habitacionais. Acompanhei, comoalguém que passa e observa, pessoas irem enriquecendo –carros novos na garagem – e também outras aos poucosempobrecendo. Negócios irem prosperando, acrescidos denovas portas e outros melancolicamente encerrarem suasatividades. Passei a fazer compras durante o meu percurso:o jornal, as revistas. Aproveitava quando havia tempo, paratomar um lanche, sempre em locais pelos quais passava eonde era permitida, por alguns momentos, a parada do meucarro. Precisava aproveitar os poucos minutos gastos notrânsito ensandecedor da nossa capital!Nesta rotina, durante tanto tempo, muitas coisascuriosas, estranhas, engraçadas e por que não tambémromânticas, me aconteceram. Uma delas voltou-merecentemente à memória... e vou lhes contar como.Numa bonita tarde de primavera, como estava como horário mais folgado, alterei um pouco a minha rotina,tomando outras ruas. Era uma forma de me distrair econhecer melhor o bairro. Entrei em um loteamento novo,com árvores recentemente plantadas nas calçadas e muitascasas em construção. Fui passando com calma, observandoos edifícios novos, já terminados. Residências típicas declasse média, de operários qualificados, de chefes de seção,a maioria delas bem cuidadas, com um pequeno jardim.Algumas delas com hortaliças e especiarias plantadas eoutras com jardins floridos.Foi então que subitamente vi, defronte a uma delas,passeando na calçada - e trazendo na coleira um saltitanteCocker Spaniel preto - uma garota bonita que chamou minhaatenção. Deveria ter seus dezoito ou vinte anos. Trajavauma roupa esporte, clara e simples, cabelos compridos,castanhos, presos em um “rabo-de-cavalo” ; olhos claros,brilhantes; pele morena; caminhar airoso; nem magra, nemgorda, mas bastante elegante. Irradiava juventude, belezae alegria.Fixei meu olhar nela durante os poucos momentosem que passava lentamente pela rua, enquanto ela brincavacom o seu cachorro. Não sei se ela notou a insistência comque eu a observava. Mas eu guardei a imagem da jovembonita que me impressionou e que por alguns instantesiluminou a minha tarde.Uns dias depois, não sei porque, resolvi passar pelamesma rua, na esperança de vê-la uma vez mais. Fuisurpreendido pelo fato de encontrá-la novamente. Brincavacom seu cachorro no jardim de sua casa. Quase parei ocarro para poder observá-la bem. De fato, a minha primeiraimpressão tinha sido real, ela era linda eencantadora, com seus longos cabelos soltos,emoldurando um rosto delicado. Olhei-ainsistentemente e ela reparou no meu olhar etambém fitou-me brevemente.Procurei então, sempre que podia,demorar mais alguns minutos para chegar aoserviço e passar na porta de sua casa. Talvez em função dohorário – fim de tarde – ela freqüentemente estava ou nojardim ou na calçada, quase sempre com o cãozinho. Eupassava com o carro, parando e a fitava fixa e insistentemente.Aos poucos ela passou a corresponder ao meu olhar. Depoiscomeçou a sorrir alegremente para mim.Assim ficamos bastante tempo, nesta brincadeira –quase um namoro. Mais ou menos uma ou duas vezes porsemana escolhia o trajeto que permitia cruzar pela sua casae quase sempre lá estava ela, e nossos olhares se encontravame sorríamos...e só.O que será que ela pensava de mim? E eu o quepretendia? Será que aquela linda menina se imaginava umaCinderela do século vinte, esperando o seu príncipeencantado que em sua carruagem vinha vê-la às escondidas,de vez em quando, procurando-a com seu olhar apaixonado?E eu, o que pensava, o que pretendia, vindo à sua porta,mais ou menos uma vez por semana e irregularmente, apenaspara vê-la, sem nunca ter sequer parado o carro, sem nuncater sequer tentado trocar com ela uma só e única palavra?Será que sabia que o seu olhar, ao corresponder, sorrindo aomeu, acendia uma fogueira em meu coração?Porém a vida toma os rumos mais diversos, eu mudeimeu local de trabalho...outro bairro...outra direção...novoscaminhos e novos itinerários a seguir.Não passei mais naquela rua, que fora por algumtempo meu encanto. Ficou-me apenas a lembrança, daquelalinda menina morena que havia trazido um pouco de ilusão aalgumas de minhas tardes e durante um breve período!Esqueci-me dela!Passaram-se muitos anos, até que um dia volteinovamente a passar, mais ou menos no mesmo horário – fimde tarde – pela rua que eu já tinha esquecido.São Paulo muda muito, mas alguns bairros mantêm-se com a mesma aparência por décadas. Era este o caso. Asárvores estavam muito maiores e faziam bastante sombra.Amaioria das ruas estava asfaltada, mas seguramente era estaa rua. Procurei a casa, passando devagar e subitamente sentium calafrio. Avistei a residência e no jardim uma menina,brincando com um cachorro...só depois de alguns momentos,em que parei o carro sob o impacto daquela imagem é queme lembrei que já se haviam passado quinze ou vinte anos.Era a mesma casa, mas noutro tempo...duas décadas depois...outro cãozinho. Este era um Poodle... e outra menina e outrarealidade!Senti por uns instantes as mesmas sensações dopassado... e comecei a pensar...Que teria acontecido com a minha Cinderela? Teriasido feliz como eu o fui durante todos estes anos? Será queainda estava morando no mesmo lugar? É claro que estasperguntas ficaram sem resposta...Foram porém motivo derecordação, de lembrança e de saudade de um tempo quejá passara!Despertaram também na minha memória os sonhosfelizes e inocentes de um amor platônico vivido na minhajuventude!Um amor platônicoJosé Rodrigues LouzãMédico ginecologista- São Paulo - SP
  • 7. O BandeiranteMaio 20067SuplementoSuplementoSuplementoSuplementoSuplementoLiterárioLiterárioLiterárioLiterárioLiterárioO fim de semana emcinco etapasAida Lúcia Pullin DalSasso BegliominiEngenheira - São Paulo - SPA família se prepara para passar um fim de semanatranqüilo na serra, longe das estradas semprecongestionadas que levam às praias em véspera de feriadoprolongado. O contato com o ar puro, montanhas, verdesmatas, cantos dos pássaros, boas caminhadas com certezacompensarão a ausência do mar.Primeira etapa, passar no supermercado e comprartodo o necessário para tranqüilizar três crianças (3,8 e 10anos), aperitivos para os adultos, carnes para o churrasco,ingredientes para a pizza, bebidas, ou seja, uma listainterminável, ainda mais se as crianças estiverem junto nahora das compras.Segunda etapa, acomodar tudo no carro, incluindoroupas pessoais, toalhas, cobertores, bicicletas,brinquedos, não esquecendo, é claro, o cachorro, purovira-latas e o gato, siamês legítimo com direito a coleira etudo o mais. O carro lotado sobe a serra. No caminho abriga das crianças por espaço na janela, porque o outroencostou, porque o cachorro está latindo e babando,porque o gato arranhou e quer fugir e porque esqueceude ir ao banheiro.Terceira etapa, após a saída do asfalto e entrada naestrada de terra, o escapamento do carro começa a baterno chão, devido ao excesso de peso. Solução: retiradaestratégica de duas bicicletas para serem pedaladas pordois ocupantes do carro, até a entrada da casa.Quarta etapa, a grande chegada quando tudo éretirado do carro e acomodado nos seus devidos lugares.Enfim, parece que a tranqüilidade tomará contae sentados na varanda, tomando um aperitico,o casal senta-se abraçado para observar o beloentardecer. O sol se despede do dia deixandoum rastro de luminosidade multicolorida,lentamente vai se escondendo atrás dasmontanhas, enquanto que vagarosamentesurgem as estrelas e a lua. São aquelesmomentos de infinita paz e comunhão com o universo queespera-se nunca terminem.As perspectivas são ótimas para o dia seguinte, poistudo leva a crer que amanhecerá um dia quente bom paramuitos banhos de piscina e grandes jogos de bola nogramado. Quando tudo parecia perfeito, um trio se aproximados aperitivos, cuidadosamente arrumados e poucoconsumidos e qual formigas devoram tudo vorazmentelambendo os dedinhos de satisfação para logo em seguidaexigirem o jantas, pois estão famintos. O casal volta àrealidade e deixa para trás o romântico entardecer paraseguirem a rotina de alimentar as crianças, todas em idadede crescimento, esbanjando vitalidade e apetite. Após umdia tumultuado os dois estão cansados enquanto as criançasestão elétricas, ligadas no 220 volts, não querendo dormir,mas querendo escutar o último lançamento das Chiquititaspara dançarem e cantarem. No fim, após muita diversão(das crianças), desmaiam aos poucos pelos cantos da sala esão colocadas delicadamente nas suas camas, cobertas ecarinhosamente beijadas. Missão cumprida, os sons se calamentrando em harmonia com a natureza e o ambiente tododa casa adormece no aconchego da noite.Dia seguinte abre-se as janelas e que decepção, láfora a grama está molhada, não de orvalho, mas de chuviscoque cai e vai pouco a pouco aumentando a intensidade atétransformar-se em pesada chuva, trazendo frio. Enfim, tudoaquilo que não estava previsto para um tranqüilo eensolarado fim de semana nas montanhas aconteceu.Quinta etapa: não teria sido melhor ter ficado emcasa?A lenda sobrevive na realidade do cosmo.A entrada do labirinto se distancia...e... nunca vislumbramos saídas.Todos os caminhos nos levam ao lugar comum.A cada dia estamos mais perdidos,enjaulados e desesperados...nos espaços repletos de mediocridade e de hipocrisia.Fisiologismo e proselitismo intoxicam.As feras travestidas de anjos,têm todos os rostos...todas as armas...e todos os poderes.Perpétuas, estão por toda parte.Embargam as vozes,e nos condenam ao isolamento coletivo.Eternos Minotauros globalizados...nos obrigam a sucumbir calados...como meros expectadores dos horrores.E frente aos nossos “deuses”e a sua conseqüente orgia,Eis a lendária “Creta” do nosso dia a dia!MinotauroMaria Virgínia BoscoMédica cardiologista - São Paulo - SP A árvoreSônia Andruskevicius de CastroMédica intensivista - São Paulo - SPO que lhe disse a árvoreNinguém soube.Quem sabe lhe disseDo sol danificadoQue recobre nossos diasDa chuva escondidaNas pregas do tempoDos rios minguantesDe plantas engomadas.Quem sabe repreendeu a humanidadePediu-lhe ajudaTinha sede?Desgosto? Doença?O que disse a árvoreSó soube o homem caladoQue tirou o chapéu e chorou.
  • 8. 8 O BandeiranteMaio 2006 SuplementoSuplementoSuplementoSuplementoSuplementoLiterárioLiterárioLiterárioLiterárioLiterárioVazio paradoxalMaria Julia Pereira deMoraes Prieto PeresMédica psiquiatra - São Paulo - SPPara conseguir a sua plenitude o homem precisa estarcom a consciência em paz consigo mesmo e com o mundoque o cerca. Entretanto, ele está repleto de necessidadesimportantes e vazio no que tange ao burilamento do seucaráter. Além de suas necessidades de sobrevivência, o serhumano tem múltiplas outras, como o ser complexo que é,ampliado sob as diversas vertentes dos aspectosbiopsicossocial e espiritual.Entre as suas necessidades mais importantes, estão aquelasde ser verdadeiro, sendo ele próprio, admitindo suascaracterísticas positivas e também as negativas, que devemser elaboradas em seus processos de mudanças, por meiode constantes redecisões amadurecidas, facilitadoras de seuprogresso interior, em todo o seu âmbito de atuação.O homem precisa cada vez mais, aprimorar o seucaráter, adquirindo melhor compreensão dos significadosda vida, conhecendo mais os limites e as possibilidades daexperiência humana.A integração entre a fé e a razão, feita sem osdogmatismos místicos e entorpecedores, de ambos os lados,incentivam a compreensão do ser humano, quer sob o pontode vista físico, quer na perspectiva espiritual, abrangendoas relações interpessoais em todas as suas nuances.Assim, o homem pode preencher o “vazio paradoxal”que limita seus conhecimentos no âmbito de seu crescimentoespiritual, independentemente de rótulos religiosos ou dequaisquer outros. Isso ele consegue, complementando-seem relações fraternas de amizade sincera; nutrindo-seemocionalmente ao doar e receber o que houver de melhorem seus anseios, que têm embasamento na paz, justiça, amor,solidariedade, parceria, confiabilidade, cultura, família,conhecimento e integridade moral. Desta forma ele interageconsigo mesmo e com o seu semelhante, de maneiraadequada e saudável.Este é o caminho! Entretanto, o homem é visto sobo aspecto socio-biológico, como um ser extremamentecompetitivo, como máquinas de genes egoísticos, cujosdestino e comportamento são controlados pelas leisdeterministas da física clássica e da genética (Goswami, 1999).Quanto mais o homem necessita vivenciar afraternidade universal, a cooperação entre os povos, oaltruísmo de uns para com os outros, mais ele desencadeiaa violência, mediada por sentimentos de ira, ódio, vingança,pseudoprotecionismo, gerados na luta pelo poder.Assim, prosseguem, desde tempos remotos, os maisterríveis conflitos mundiais, em que os países se preocupammais com o controle de armas (nucleares, atômicas,biológicas e químicas), pretendendo uma suposta segurançanacional, com o suposto objetivo de preservar a paz... É umcontra-senso. Estes métodos têm sempre falhado, pois asnações belicosas persistem, continuamente, em seus intuitosdestruidores.Os países ocidentais prosseguem cedendo armas aospaíses emergentes, isto é, em desenvolvimento; os povos doOriente Médio não conseguem viver em paz. Os hinduístase muçulmanos, entre outros, seguem lutando para atingiruma posição de superioridade. Continuam as lutas fratricidas,cognominadas “guerras santas”, e prosseguem as iniqüidades!Realmente, o homem tem evoluído muito do pontode vista tecnológico e cognitivo, mas está muito distanteem atingir o progresso espiritual e a maturidadeemocional (Sanvito, 1995).Atualmente, o cenário internacionalencontra-se avassaladoramente açoitado pelacrueldade da guerra, alimentando violências,lágrimas, derramamento de sangue, emoçõesde medo e desespero, embasados no ódio e naincompreensão. Cumpre-nos relembrar, reconstruir erevivenciar o ensinamento de amor fraterno, com queexemplificaram alguns grandes líderes espirituais dahumanidade.Libertemo-nos dos desentendimentos nos nossospróprios lares e ambientes de trabalho, cultivando os maisdignos princípios morais e éticos.Preservemos a dignidade, o amor, a sinceridade e acompreensão onde quer que estejamos, pois só assim,estaremos executando concretamente a parte que noscompete, neste nosso mundo, ainda de barbáries, deexpiações e provas.O paradoxo do vazio, o homem só conseguirá entendere preencher, quando desenvolver a capacidade de amar comdesprendimento e altruísmo, superando o egoísmo, avaidade, a ganância pelo poder, preservando os laços defamília biológica ou social, onde ele aprende a sereestruturar e crescer em seu processo evolutivo.Esta VII Jornada Médico-Literária (2003) promovida pelaSOBRAMES é uma feliz oportunidade de confraternizaçãopara preencher o nosso “vazio”, tornando-o menosparadoxal.Estão apodrecendo as canções que fiz no Outonovou até a janela da sala e cuspo sobre a calçadaestilhaçada pelos anos.Reinvento em mim uma esperança novaque se acaba com cada novo presidente da república.Nesta década morrerão alguns atores que admiroalguns conhecidos que amo e muitos amigos, que comoeu, criaram canções de protesto na década de setenta.Tenho uma sensação cansada, repleta de pouca emoção,que se traduz pelo tênis sujo, e o sorriso em frangalhos.Cuido de um jardim imaginário, represo um riode águas mal definidascom as mãos manchadas de adeus.Tudo seria mais vivo se houvesse tempopara ouvir minhas canções.Mas hoje elas apodrecem enfermas.TchaiKovsky compõe uma sonata,outubro se aproxima.Vejo frutos de cerâmica ficarem maduros,escuto na rua os carros freando, os passos,as palavras inaudíveis dos que andam na calçada.Apodrece em mim a vontade de vencer.Termina o dia,com as mãos em concha recolho fagulhas do sol.Jantarei só, desatento e disperso,triturando tíbias de frango com os dentes.Fragmentos do 1º atoLuiz Jorge FerreiraMédico - São Paulo - SP
  • 9. O BandeiranteMaio 2006 9Transcorreu de 20 a 22 de abril, no Maceió MarHotel, o XXI Congresso da Sociedade Brasileira de MédicosEscritores – Sobrames. A paradisíaca capital do estado deAlagoas recebeu de braços abertos, através de seusmembros, coordenados pela afável e fraterna família do Dr.José Medeiros, presidente da regional alagoana da Sobrames,que não mediram esforços para dar o melhor de si a todosque puderam desfrutar desses dias.Houve 155 inscrições, sendo 91 de médicos e 64acompanhantes, número bastante significativo. Expressivatambém foi a presença de participantes oriundos de 14estados da federação: Rio Grande do Sul, Santa Catarina,Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, MinasGerais, Goiás, Alagoas (responsável por cerca de 1/3 dasinscrições!), Pernambuco (segunda maior delegaçãopresente), Ceará, Pará e Amazonas.A noite de abertura, em sessão de gala, foi realizadano auditório da Casa da Palavra e reuniu mais de 200 pessoas.Além de congressistas prestigiaram o evento, representantesde outras entidades culturais, médicas e políticas do estado.O congresso basicamente foi dividido nos períodosmatutino e vespertino com apresentação de temas livresnas duas primeiras horas, distribuídos em três salas distintas,em sessões simultâneas, especificamente para crônicas,contos e poesias. Seguia-se um intervalo de meia hora paraum farto café, após o qual havia mesas-redondas comparticipação de três conferencistas e discussão a posteriori,caso o tempo permitisse.Da regional de São Paulo estiveram presentes apenastrês participantes: Alitta Guimarães Costa Reis Ribeiro daSilva que apresentou uma conferência sobre “A Evolução daPoesia no Brasil” e recebeu o prêmio de 1º lugar (!) emcontos com o trabalho “Olho de Elefante”; Aida Lúcia PullinDal Sasso Begliomini e Helio Begliomini que apresentouconferência sobre “Juscelino Kubitschek de Oliveira -Médico, Presidente da República e Escritor.”A delegação de São Paulo esteve longe, em termosnuméricos, do que sói acontecer nos eventos nacionais.Esse fato foi devido a uma orquestrada ação caluniosairresponsável movida por um ex-participante da nossaregional, endossada indevida e levianamente, por uma vozisolada da diretoria da Sobrames nacional que, via Internete pelo correio, desonrou imerecidamente a regional paulistae os membros dela participantes. Não obstante a tudo isso,intimidou a que seus membros não freqüentassem esseevento, pois ficariam deslocados e em situação muitodesconfortável. Tais fatos ocorreram no ano passado.Entretanto, as chagas deixadas continuam abertas, pois,quase destruíram a regional paulista em sua saga pacífica eprolífica.Felizmente tais bravatas não aconteceram, pois anossa regional ao longo de seus quase 18 anos de existência,amealhou grandes e sólidas amizades em todas as regionais,as quais externaram lamentos pelos desdobramentosinfaustos vividos, fato esse que somos testemunha. Aforaisso, a comissão organizadora liderada pela família Medeiros,não permitiu que houvesse nenhum ato que abonasseatitudes constrangedoras e segregacionistas contra nóspaulistas, nesse evento. Ao contrário, não mediu esforçospara que todos os participantes indistintamente fossem muirespeitosamente tratados.A cidade de Fortaleza-CE foi eleita como sede doXXII Congresso da Sobrames a ser realizado em 2008. Semoposição, a chapa liderada pelo Dr. Luiz Alberto FernandesSoares foi reeleita para o próximo biênio.A Sobrames de Alagoas está de parabéns pelomagnífico evento e congraçamento realizados!CongressoO XXI Congresso da SOBRAMES em Maceiópor Helio BegliominiAnuidadesContinua sendo recebida a anuidade dos membrosda SOBRAMES-SP, sua única fonte de recursos, pelo valor deR$ 140,00. Quem ainda não contribuiu poderá enviar umcheque nominal e cruzado para a sede da entidade, na RuaAlves Guimarães, 251 - CEP. 05410-000 - São Paulo - SP. Ressalte-se que os membros acadêmicos pagam 50% do valor daanuidade e que os membros honorários, beneméritos, eeméritos estão isentos do pagamento. Quem preferir poderáefetuar o pagamento diretamente ao tesoureiro, Dr. MiltonMaretti, nas Pizzas Literárias.Até a data do fechamento desta edição já haviamcontribuído: Aída Lúcia P.S.Begliomini, Alcione A.Gonçalves,Aldo Miletto, Arary da Cruz Tiriba, Arlete M.M.Giovani, CarlosJ.Benatti, Ester Maria Bittencourt, Evanil Pires de Campos,Fernando Batigália, Geováh P.da Cruz, Helio Begliomini, HélioJ.Déstro, Helmut A.Mataré, Humberto Golfieri, JacyraC.Funfas, José Jucovsky, José R.Louzã, Karin S.R.Massaro,LígiaT. Pezutto, Luiz Giovani, Luiz Jorge Ferreira, MadalenaJ.G.M.Nebó, Manlio M.M.Napoli, Marcos G.Salun, Maria daGlória Civile, Maria do Céu C.Louzã, Maria Júlia M.P.Perez,Maria Virgínia Bosco, Mario de Mello Faro, Mario Name, MiltonMaretti, Nelson Jacintho, Rodolpho Civile, Sérgio Perazzo,Sônia Andruskevicius, Thereza Freire Vieira, Vera Lúcia Teixeirae Walter W.Harris. Em caso de dúvidas entre em contato coma diretoria pelo email SOBRAMES@UOL.COM.BR.Ainda é tempo de pagarUma série de sucessoBest-sellersEmbora a SOBRAMES-SP se dedique à literaturanão-científica, há dentre seus escritores alguns quetambém fazem sucesso com suas obras científicas, sagaque não pode ficar sem registro. É o caso, por exemplo,de nossa confreira professora Arlete M.M.Giovani, cujaspublicações já se transformaram em campeãs de vendas.“CÁLCULO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS”, umlivro básico, adotado e recomendado por inúmeras escolasde Enfermagem em todo o Brasil, já atingiu a 11ª ediçãoem 2005. Na mesma trilha vem “CÁLCULO DE DOSAGENS– GUIA DE CONSULTA RÁPIDA”, que já está na 3ª edição.É um prático manual onde se encontra, desde nomes demedicamentos (comercial e equivalentes genéricos) atéas principais interações medicamentosas. O livro temainda mais de 120 exemplos de cálculos preparados como cuidado de serem semelhantes às prescrições médicashabituais. Complementando os dois já citados há o livrode exercícios “ENFERMAGEM - VENFERMAGEM - VENFERMAGEM - VENFERMAGEM - VENFERMAGEM - VAMOS CALCULAMOS CALCULAMOS CALCULAMOS CALCULAMOS CALCULARARARARARJUNTOSJUNTOSJUNTOSJUNTOSJUNTOS”, com 200 exercícios elaborados de formadidática exatamente como as explicações dadas em aula.As obras são publicadas pela Editora Scrinium. Paramaiores informações e para aquisição consulte a autorapelo e-mail arlete@inin.com.brarlete@inin.com.brarlete@inin.com.brarlete@inin.com.brarlete@inin.com.br
  • 10. 10O BandeiranteMaio 2006Conheça a regional paulista daSociedade Brasileira de Médicos EscritoresA Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, Regionaldo Estado de São Paulo, foi fundada em 16 de setembro de1988 e congrega mais de cem membros titulares, acadêmicos,colaboradores, eméritos, honorários e beneméritos.Basicamente a sociedade é constituída por médicosescritores de literatura NÃO-CIENTÍFICA, além de escritoresde outras formações profissionais (advogados, engenheiros,jornalistas, dentistas, arquitetos, etc..).PIZZA LITERÁRIAEm 1989 surgiu a idéia de se reunir os colegas ao redorde uma mesa de pizza, como acontecera por ocasião dafundação da entidade. A reunião mensal tornou-se umatradição e foi intitulada “Pizza Literária”. Desde então érealizada em uma pizzaria de São Paulo, com uma freqüênciaque costuma beirar quarenta pessoas. Nesta, além de sesaborear uma deliciosa pizza, tomar um chope e bater papocom os amigos, tem-se a oportunidade de ouvir os trabalhosdos colegas e também apresentar os seus. Tem-se, também,a possibilidade de encontrar colegas de outras especialidadese formados nas mais diversas faculdades, além de sócios nãomédicos das mais variadas profissões. Todos com uma paixãoem comum: a literatura. As reuniões de 2006 acontecerãona terceira quinta-feira de cada mês, na pizzaria BONDEPAULISTA, na Rua Oscar Freire, 1597 – à partir de 19h30.JORNADAS E CONGRESSOSA cada dois anos a Regional de São Paulo promove umaJornada Médico-literária. Estas se realizaram em cidades dointerior paulista: Jundiaí, Bragança Paulista, Santos, Camposdo Jordão, Águas de São Pedro, Botucatu e novamenteCampos de Jordão. A VIII Jornada Médico-literária Paulistaaconteceu na cidade de Serra Negra, de 22 a 25 de setembrode 2005. Nos anos pares é realizado um Congresso Nacionalda SOBRAMES. Em 1994 e 1998, este ocorreu em São Paulo,organizado por nossa regional. O XXI Congresso Brasileiroaconteceu de 20 a 23 de abril de 2006, na cidade de Maceió– AL. A cidade de fortaleza sediará o próximo congresso, em2008.EVENTOS INTERNACIONAISAlém da existência de regionais da SOBRAMES na maioriados estados brasileiros, seus membros também participamem algumas associações em outros países, como é o caso daLISAME - Liga Sul Americana de Médicos Escritores, com sedeem Buenos Aires – Argentina; UMEM – União Mundial deEscritores Médicos, com sede em Lisboa – Portugal, cujocongresso se realizou em Viana de Castelo - Portugal, de 27de setembro a 3 de outubro de 2004, contando comrepresentação da SOBRAMES paulista; UMEAL – União deMédicos Escritores e Artistas de Língua Lusófona, com sedeem Lisboa – Portugal, dentre outras.PUBLICAÇÕESDesde 1992 a SOBRAMES-SP publica o informativo mensal“O Bandeirante” que é distribuído aos membros da regionalpaulista, diversos confrades de outras regionais, além deentidades culturais no Brasil e no exterior. Por vários anospublicou o suplemento literário, as “Páginas Sobrâmicas”,trazendo textos literários dos membros da Regional de SãoPaulo. À partir de 2001 a publicação ganhou o título de“Suplemento Literário”, e continua sendo publicadomensalmente, como encarte do jornal “O Bandeirante”. Alémdisso, a Sociedade já editou oito coletâneas com trabalhosdos membros, a primeira publicada em 1990, com o título de“Por um Lugar ao Sol”. Seguiram-se “A Pizza Literária” (1993),“A Pizza Literária - segunda fornada” (1995), “Criação” (1996),“A Pizza Literária - quinta fornada” (1998), “A Pizza Literária- sexta fornada” (2000), “A Pizza Literária – sétima fornada”(2002) e “A Pizza Literária – oitava fornada” (2004). Nestemomento está em fase de preparação o nono volume destasérie. Em 1999, editou-se a “I Antologia Paulista”, contendotodos os trabalhos das “Páginas Sobrâmicas” nos seus doisprimeiros anos de publicação (abril 1997 a março de 1999).Em 2000 foi publicada a II Antologia Paulista, desta vez comtrabalhos inéditos dos sócios. A série de antologias continuoue já conta com cinco volumes, tendo os demais sidopublicados em 2001, 2003 e 2005.CONCURSOS LITERÁRIOSEm 1997, foi instituído o concurso para A Melhor Poesiado Ano, Prêmio “Bernardo de Oliveira Martins” e, a partirde 1999, o concurso para A Melhor Prosa do Ano, Prêmio“Flerts Nebó”, dos quais participam todos os membros daSOBRAMES-SP que apresentam seu textos nas PizzasLiterárias. Estes certames visam dar estímulo à criatividadedos autores membros da SOBRAMES, tendo em vista acaracterística meramente diletante de seusparticipantes.Trimestralmente acontece um desafiointitulado SUPERPIZZA, onde os escritores são convidados aproduzir um texto em prosa ou verso sobre um tema sugerido.DIRETORIAA cada dois anos a Sociedade Brasileira de MédicosEscritores, regional do Estado de São Paulo elege emassembléia uma nova diretoria. Na atual gestão (biênio 2005/2006) a diretoria está assim composta: Presidente: FlertsNebó; Primeiro-secretário: Marcos Gimenes Salun; Segundo-secretário: Maria do Céu Coutinho Louzã; Primeiro-tesoureiro: Rubens Massaro; Segundo-tesoureiro: MiltonMaretti; Conselho Fiscal Efetivos: Luiz Giovani, MadalenaJ.G.M.Nebó, José Rodrigues Louzã; Conselho FiscalSuplentes: Sérgio Perazzo, José Jucovsky, ArleteM.M.Giovani.COMO PARTICIPARPodem tornar-se membros da Sociedade Brasileira deMédicos Escritores todos os médicos, de qualquerespecialidade, e todos os acadêmicos de medicina, emqualquer ano do curso, mediante simples solicitação de suainscrição, e bastando que sejam também escritores deliteratura NÃO-CIENTÍFICA, em qualquer gênero literário(romance, crônica, conto, poesia, ensaios, etc.). Tambémpodem tornar-se membros da SOBRAMES-SP os ESCRITORESde qualquer outra formação profissional, apresentados poroutros membros da sociedade. A solicitação será aprovadamediante análise da diretoria e existência de quorum naforma de seu estatuto. Os membros contribuemfinanceiramente com uma anuidade de pequeno valor. Oscustos de algumas atividades da SOBRAMES-SP são pagos pelosparticipantes, como por exemplo, despesas de hospedagemem congressos e jornadas e despesas de consumo nasreuniões denominadas Pizzas Literárias.ASSOCIE-SEPara obter outras informações sobre a SOBRAMES-SP oupara tornar-se membro, envie correspondência para e-mailSOBRAMES@UOL.COM.BR.
  • 11. Como resultado da última visita que fez a sua terra natal aconfreira Mélida Velasco foi a portadora de dois livrosgentilmente oferecidos à SOBRAMES-SP por Raul VelascoGarces, presidente do Ateneo Ecuatoriano, com sede emQuito no Equador. No volume “A la Fraternidad por la Cultura- Ateneo Ecuatoriano”, com 200 páginas, editado em janeirode 2004, registra-se um farto histórico daquela instituiçãocultural, ilustrado com inúmeras poesias de seus integrantes.No livro “La Rosa Inmortal” Raul Velasco Garces mostra todoseu talento poético numa ode às rosas, em 92 páginas.Anote estes compromissosO BandeiranteMaio 2006 11Nesta coluna você sempre poderá conferir aprogramação das atividades da SOBRAMES-SP até o final doano. O destaque de maio e junho é a realização da MostraArtística de Médicos Escritores”, que acontece de 26 demaio a 10 de junho (veja matérias em destaque nas páginas1, 3 e 12). Embora ainda não tenha sido definido o dia parasua realização, está previsto para novembro o lançamentoda coletânea “A Pizza Literária - nona fornada”. Aguardesua inclusão nesta coluna na próxima edição. Participe!AgendaRegistro189ª Pizza Literária: saborosíssima!Em virtude dos feriados a reunião aconteceu no dia 27 deabril e contou com a presença de 20 confrades quesaborearam as deliciosas pizzas do “Bonde Paulista” e sedeliciaram com os magníficos textos em prosa e verso,servidos como sobremesa. Na ocasião recebemos a visita daenfermeira Ana Cleide Alves e uma vez mais houve sorteiode CDs musicais oferecidos pela diretoria. No dia 18 de maiotem mais, no mesmo horário e local.Nossos confrades em açãoAlém da sempre marcante participação nos eventos daSOBRAMES, nossos confrades também se destacam em outrasatividades culturais. Registramos alguns dos mais recentes:1. A Casa Caiuby de Artes (SP) elegeu nosso confrade AldoMiletto o poeta do mês, prestando-lhe uma homenagem noúltimo dia 28 de abril. 2. Rodolpho Civile proferiu palestrana Academia Botucatuense de Letras no dia 6 de maio. Otema foi a literatura e o bairro do Bexiga, na capital paulista.3. Representando a SOBRAMES-SP Flerts Nebó participoudo “Tercer Congreso de Medicos Escritores”, de 3 a 6 demaio, em Buenos Aires.Linha direta com o EquadorENDOMED MEDICINA LABORATORIALSede:Av.Eng.GeorgeCorbisier,746Pq.Jabaquara-SPCAC0800-170-004E-mail: endomed@terra.com.brO envio de notícias, publicações ou informações sobre lançamentos de livrosparaaredaçãodojornal “OBandeirante”podeserfeitoparaumdosseguintesendereços:Redação:Av.Prof.SyllaMattos,652-apto.12-JardimSantaCruz-São Paulo - SP - CEP 04182-010 * Sede: Rua AlvesGuimarães,251-Pinheiros- São Paulo - SP - CEP 05410-000Abrindo a caixa de correioVai aqui o registro de uma parte da recente correspondênciarecebida: 1. De Aline de Mello Brandão (PA) agradecendo oenvio de “O Bandeirante” e elogiando a publicação. 2. DeJosemar Otaviano de Alvarenga, presidente da SOBRAME-MG, agradecendo publicação de notícia sobre o “EncontroMédico Literário Nacional com Guimarães Rosa” queacontecerá 13 a 16 de julho, em Cordisburgo - MG. 3. DeJosé Medeiros, presidente da SOBRAMES-AL, exemplar doprograma do XXI Congresso Brasileiro de Médicos Escritoresrealizado em Maceió em abril. 4. Da Asociacion de MedicosMunicipales de la Ciudad de Buenos Aires, a edição nº 123,de abril de 2006, do jornal “El diario del Mundo Hospitalario”.5.De Walter Argento, presidente do “movimento PoéticoNacional” (SP), convite para participação em recital emhomenagem ao dia das mães, em 12 de maio. 6. De SimãoAarão Pecher (AM), catálogo promocional da IV JornadaSOBRAMES a realizar-se em Manaus, em 2007. 7. De Luiz CarlosLins (PE), o livro “Belmiroff - um certo sonhador de Caruaru”,edições Bagaço, Recife, 378 páginas. 8. De Célia Borges (SP),ceramista e artísta plástica, elogiando “O Bandeirante” eindicando o nome de médicos da família para futuros contatos.9. De Luiz Gonzaga B.Barreto, presidente da SOBRAMES-PE,exemplar da edição nº 28 - abril 2006, do Boletim SOBRAMESde Pernambuco.Endereços,horáriosereferênciasPizza Literária: São realizadas na Rua Oscar Freire, 1597 -Pizzaria Bonde Paulista - a partir de 19h30Reunião de Diretoria: São realizadas na sede dasociedade, na Rua Alves Guimarães, 251 - a partir de 20h30Mostra Artística de Médicos Escritores: Acontecerá noCentro Cultural APSEN - Casa da Fazenda do Morumbi,na Av..Morumbi, 5594 - Tel.: 55 11 3742.281002.05.2006 Reunião de diretoria18.05.2006 190ª Pizza Literária13ª Superpizza (apresentação de textos)26.05.2006 Abertura da ‘Mostra Artística de MédicosEscritores” - Centro Cultural APSEN06.06.2006 Reunião de diretoria10.06.2006 Cerimônia de encerramento da“Mostra Artística de Médicos Escritores”22.06.2006 191ª Pizza LiteráriaPremiação da Superpizza anterior04.07.2006 Reunião de diretoria20.07.2006 192ª Pizza Literária dedicada a EscritoresConsagrados, favoritos dos membros.Divulgação do tema da próxima Superpizza01.08.2006 Reunião de diretoria17.08.2006 193ª Pizza Literária14ª Superpizza (apresentação de textos)05.09.2006 Reunião de diretoria21.09.2006 194ª Pizza LiteráriaPremiação da Superpizza anteriorAssembléia Geral Ordinária.Eleições de diretoria para biênio 2007/2008.03.10.2006 Reunião de diretoria.19.10.2006 195ª Pizza LiteráriaEntrega do PRÊMIO FLERTS NEBÓ (prosa)Divulgação do tema da próxima Superpizza07.11.2006 Reunião de diretoria16.11.2006 196ª Pizza Literária15ª Superpizza (apresentação de textos)05.12.2006 Reunião de Diretoria21.12.2006 197ª Pizza LiteráriaEntrega do PRÊMIO BERNARDO DE OLIVEIRAMARTINS (poesia)Premiação da SUPERPIZZA anteriorTransmissão de cargos para Diretoria Eleita
  • 12. Apsen Farmacêutica inovae cria Centro CulturalDentro da filosofia de que cultivar arte também é cultivar saúde, a Apsen Farmacêutica acabade fundar o Centro Cultural Apsen, em parceria com a Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH),que funcionará na Casa da Fazenda do Morumbi, em São Paulo.12 O BandeiranteMaio 2006A população ganhou mais um espaço cultural em SãoPaulo, o Centro Cultural Apsen, que foi inaugurada em 1ºde Abril, com uma exposição de Aldemir Martins (inmemorian). Local destinado à promoção da cultura atravésda música, artes plásticas, fotografia, teatro, literatura,palestras educacionais, reuniões científicas, cursos dearte, entre outras manifestações, além de incentivarmédicos artistas, o Centro Cultural Apsen - dirigido pelaartista plástica Martha W. Farias - é parte de um projetomais amplo chamado Instituto Cultural Dr. Mario e D. IreneSpallicci.O Instituto tem dois objetivos: 1) Promover a cultura,defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico;2) Promover o voluntariado, assistência social, defesa epreservação do meio ambiente, atividades relacionadas aodesenvolvimento humano e sua integração social, atravésde meios educacionais, esportivos, culturais, artísticos eambientais, além de organizar atividades como seminários,feiras, administrar e conferir bolsas de estudos, entreoutras atividades. Desta maneira, o Instituto Dr. Mario eD. Irene Spallicci se divide em dois projetos com os nomesde Centro Cultural Apsen e Cidadania Apsen,respectivamente.Composto por uma Galeria de Artes com cerca de 90 m2;pela Oca das Artes, espaço reservado para acomercialização exclusiva de artesanato brasileiro;e por um quiosque chamado Pintando o Sete, que abrigaráuma oficina de artes, com cursos de pintura em tela e emmadeira, cerâmica, trabalhos manuais (tricô, crochê,bordado) e desenho, o Centro Cultural Apsen teráatividade constante, em meio à natureza local. Ao mesmotempo, os colaboradores da Apsen Farmacêutica estãotrabalhando a todo o vapor para definir os primeirospontos de atuação do programa Cidadania Apsen. Oobjetivo é beneficiar pessoas, instituições e o meioambiente, através do trabalho voluntário.Com sede na Casa da Fazenda do Morumbi, o InstitutoCultural Dr. Mario e D.Irene Spallicci é uma entidade semfins lucrativos. É regulamentado pela Lei 9.790/99 daOrganização da Sociedade Civil de Interesse Público(OSCIP) e está localizado na Av. Morumbi, 5594, São Paulo/SP. Seu Conselho Administrativo é composto pelopresidente e por diretores da Apsen Farmacêutica: RenatoSpallicci (presidente); João Schlickmann Neto e JoãoAlfredo Perroud Silveira (conselheiros) e Ricardo deCarvalho (suplente).Casa da FCasa da FCasa da FCasa da FCasa da Fazenda do Morumbiazenda do Morumbiazenda do Morumbiazenda do Morumbiazenda do MorumbiA Casa da Fazenda do Morumbi é um pólo cultural comrestaurante ímpar numa metrópole como São Paulo. Sededa Academia Brasileira de Arte, Cultura e História, oespaço é um verdadeiro monumento vivo, repleto demuita história e encantos que levam seus visitantes aodeslumbre e a uma viagem ao século XIX. Sua históriacomeçou em 1813, quando o então regente do impérioPadre Antonio Feijó construiu a Casa no terreno doadopor Dom João VI a um fazendeiro inglês. De lá pra cá, ovisitante tem o privilégio de caminhar na natureza,conhecer a construção de perto e imaginar a vida daspoucas famílias que viveram ali até o fim da década de 70,quando foi abandonada.Nos anos 90, a Academia Brasileira de Arte, Cultura eHistória coordenou a restauração do casarão e hoje osvisitantes podem contemplar a beleza de paredes densas,materiais antigos, artigos históricos, além da decoraçãoclássica influenciada pelos costumes ingleses. Aosvisitantes da Casa há ainda a possibilidade de conhecertalentos de artistas plásticos, expostos em obras de artedistribuídas pelos salões do casarão, na variedade doartesanato brasileiro e no encanto do acervo fixo.Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH)Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH)Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH)Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH)Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH)Promover a arte, incentivar novos talentos, organizarexposições e abrir espaço para a divulgação da cultura eda história brasileira são os princípios da ABACH -Academia Brasileira de Arte, Cultura e História.Fundada entre as décadas de 50 e 60 por Afrânio de MelloFranco, José Honório Rodrigues, Luiz da Câmara Cascudoe Dante de Laytano, a entidade iniciou suas atividadescom foco exclusivo para os interesses da História daPátria. Em seguida, atuou em célebres acontecimentos navida cultural do País organizando coquetéis, exposições,concertos e passeios que revelam umpouco do passado de nossa Nação.Serviço:Serviço:Serviço:Serviço:Serviço:NomeNomeNomeNomeNome: Centro Cultural ApsenDirDirDirDirDireçãoeçãoeçãoeçãoeção: Martha W. Farias - artista plásticaLocalizaçãoLocalizaçãoLocalizaçãoLocalizaçãoLocalização: Casa da Fazenda do Morumbi -Av. Morumbi, 5594, São Paulo/SPExposição atualExposição atualExposição atualExposição atualExposição atual: Mostra Artística de Médicos Escritores -Flerts Nebó (telas) Médicos Escritores (livros e textos)PPPPPeríodo da eeríodo da eeríodo da eeríodo da eeríodo da exposiçãoxposiçãoxposiçãoxposiçãoxposição: De 25 de maio a 10 de junhoHorário de funcionamentoHorário de funcionamentoHorário de funcionamentoHorário de funcionamentoHorário de funcionamento do Centro Cultural Apsen:De terça-feira a domingo, das 12h00 às 22h00EstacionamentoEstacionamentoEstacionamentoEstacionamentoEstacionamento com manobrista na Casa (R$ 9,00)Fechado às segundas-feiras