O Bandeirante - n.237 - 082012

358 views
288 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
358
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Bandeirante - n.237 - 082012

  1. 1. Jornal O Bandeirante Ano XXI - no 237 - agosto de 2012 Publicação Mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores - Regional do Estado de São Paulo - SOBRAMES-SP Carrinhos de rolimãJosyanne Rita de Arruda FrancoMédica PediatraPresidente da Sobrames SP / Biênio 2011-2012 Talvez aquela cicatriz incrus-tada no joelho tenha surgido nacorrida ladeira abaixo... O certo é que houve um tempoem que se inventava brincadeira,torcia-se pela novidade que sairialá do fundo do quintal. Enquan-to faces coradas e carameladasdesfilavam sorrisos sem dentes,alguém se preocupava em entre-ter a molecada com alguma en- Era assim que a criançada se dis- Sim, houve um tempo de cres-genhoca que duraria muita dis- traía: competições, jogos e brin- cer com alegria e fortes amizades.tração até perder a graça. Assim, cadeiras que pareciam ingênuas Houve época de ser criança com li-ao mesmo tempo em que as ruas e despretensiosas, mas era puro berdade, sem as cobranças adultascomeçavam a ter asfalto e ilumi- deleite do brincar. de desempenho e liderança, tudonação adequada, uma pequena A vida ia seguindo mansa nas acontecendo com naturalidade.procissão de crianças barulhava janelas que ficavam abertas para Hoje lembramos as brincadei-a vizinhança com seus trejeitos e os vizinhos assistirem programas ras de outrora com afeto singular:movimentos atabalhoados e de- na televisão adquirida com esforço criamos um universo encantadosengonçados (até por isso, gra- em alguma casa das imediações. com palavras e composições lite-ciosos) e saía atrás de uns três Compartilhava-se cada conquista, rárias. Cantamos e celebramos agarotos importantes que levavam apreciava-se o novo com vontade vida e os momentos que ela nossuas máquinas “avançadas” para de estar no lugar do privilegiado. oferece sem pressa, sabendo queescorrer com velocidade no decli- Aceitava-se melhor a realidade de um dia tudo vai passar...ve recém-pavimentado do bairro. não poder ter (ainda), e se tecia Todo poeta traz dentro doE que sucesso se fazia com meni- sonhos de um dia conseguir com- peito uma canção de infância...nos e meninas! prar o objeto desejado. Todo artista tem nos olhos a ter- A emoção era sem concor- Crianças com pernas sequi- nura lúdica da vida: imagina,rência, mesmo quando algum nhas e longas chutavam latas sente e busca a brincadeira quecoleguinha mais afoito tirava os e bolas fazendo algazarra por o faz viver.freios da bicicleta para também pouca coisa. Gastavam energia e Escrever é deixar que o ventodescer a rua desabaladamente. criatividade ao longo da tarde, da criatividade bafeje nosso rostoOra, nenhuma graça oferecia até que um cheirinho de comida ao descermos com euforia paraperto do que era sentar em um anunciasse o fim do dia: hora de dentro de nós mesmos, feito di-carrinho de rolimã e sentir o sa- entrar em casa, tomar um banho vertida corrida em carrinho debor que deveria ter a vida adulta! e jantar. rolimã...
  2. 2. 2 O BANDEIRANTE - Agosto de 2012 EXPEDIENTE Desta vez fui eu o convidado a fazer este Edito- rialzinho.Jornal O BandeiranteANO XXI - no 237 - Agosto 2012 Apelido carinhoso d’estas linhas escritas por al- gum dos nossos escritores para o nosso boletim “OPublicação mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores- Regional do Estado de São Paulo SOBRAMES-SP Sede: Rua Alves . Bandeirante”. Periódico desses muitos anos com queGuimarães, 251 - CEP 05410-000 - Pinheiros - São Paulo - SPTelefax: (11) 3062-9887 / 3062-3604 Editores: Josyanne Rita a SOBRAMES-SP contata seus Sócios, Colaboradoresde Arruda Franco e Carlos Augusto Ferreira Galvão. Jornalista e Admiradores neste Continente de Língua Portu-Responsável e Revisora: Ligia Terezinha Pezzuto (MTb 17.671-SP). Redação e Correspondência: Rua Francisco Pereira guesa.Coutinho, 290, ap. 121 A – V. Municipal – CEP 13201-100 – Jundiaí– SP E-mail: josyannerita@gmail.com Tels.: (11) 4521-6484Celular (11) 9937-6342. Colaboradores desta edição:Aida Lucia O Editorial de hoje tem como assunto a pergunta.Pullin Dal Sasso Begliomini, Geovah Paulo da Cruz, Helio Destro,Josyanne Rita de Arruda Franco, Luiz Jorge Ferreira, Luiz Jorge Para que serve a Sobrames?Ferreira, Márcia Etelli Coelho e Rodolpho Civile. Nesses vinte cinco anos de vida, doze quintas-feirasTiragem desta edição: 300 exemplares (papel) e mais de em cada ano, trezentas em vinte e cinco, três horas de literatura boa e bonita1.000 exemplares PDF enviados por e-mail. em cada uma, total de 900 horas.Diretoria - Gestão 2011/2012 - Presidente: Josyanne Ritade Arruda Franco. Vice-Presidente: Luiz Jorge Ferreira. Deixou-se lá fora o tédio, enquanto cá dentro, a criatividade, o humor, aPrimeiro-Secretário: Márcia Etelli Coelho. Segundo-Secretário: Maria do Céu Coutinho Louzã. Primeiro- alegria e a felicidade irmanavam-se.Tesoureiro: José Alberto Vieira. Segundo-Tesoureiro: AidaLúcia Pullin Dal Sasso Begliomini. Conselho Fiscal Efetivos: E no silêncio da pergunta. Para que serve a Sobrames.Hélio Begliomini, Carlos Augusto Ferreira Galvão e RobertoAntonio Aniche. Conselho Fiscal Suplentes: Alcione AlcântaraGonçalves, Flerts Nebó e Manlio Mário Marco Napoli. Eu respondo! - Para isto. Matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião da Sobrames-SP Luiz Jorge Ferreira Editores de O BandeiranteFlerts Nebó – novembro a dezembro de 1992Flerts Nebó e Walter Whitton Harris – 1993-1994Carlos Luiz Campana e Hélio Celso Ferraz Najar – 1995-1996Flerts Nebó e Walter Whitton Harris – 1996-2000Flerts Nebó e Marcos Gimenes Salun – 2001 a abril de 2009Helio Begliomini – maio a dezembro de 2009Roberto A. Aniche e Carlos A. F. Galvão - 2010Josyanne R. A. Franco e Carlos A.F. Galvão - janeiro 2011 Presidentes da Sobrames – SP O Malho1º. Flerts Nebó (1988-1990)2º. Flerts Nebó (1990-1992) Mas está virando rotina! Sempre tem colegas de outros Estados trazendo3º. Helio Begliomini (1992-1994)4º. Carlos Luiz Campana (1994-1996) brilho para nossas Pizzas; desta vez foi, de novo, Simão Pecher. Trouxe o Hino5º. Paulo Adolpho Leierer (1996-1998)6º. Walter Whitton Harris (1999-2000)7º. Carlos Augusto Ferreira Galvão (2001-2002) da Sobrames Nacional, trouxe poesia ecológica, e trouxe cintilância junto8º. Luiz Giovani (2003-2004)9º. Karin Schmidt Rodrigues Massaro (jan a out de 2005) com sua esposa. Isto sem falar no Jacintho, que trouxe os ares de Ribeirão10º. Flerts Nebó (out/2005 a dez/2006)11º. Helio Begliomini (2007-2008) Preto. A ideia das notícias durante a degustação das pizzas deu certo. A Pizza12º. Helio Begliomini (2009-2010)13º. Josyanne Rita de Arruda Franco (2011-2012) terminou cedo, apesar de alguns textos longos e cansativos. Editores: Josyanne R. A. Franco e Carlos A.F. Galvão Revisão: Ligia Terezinha Pezzuto Diagramação: Mateus Marins Cardoso Impressão e Acabamento: Expressão e Arte Gráfica CUPOM DE ASSINATURAS* Preço de 12 exemplares impressos: R$ 36,00 Aniversário Nome:___________________________________________________________ End.completo: (Rua/Av./etc.) _______________________________________ Agosto: nesta data ________________________________ nº. _______ complemento _________ querida, nossos parabéns! Cidade:_____________ Estado:_____ E-mail:___________________________ Arary da Cruz Tiriba---------------------3/08 Grátis: Além da edição impressa que será enviada por correio, o assinante Carlos José Benatti--------------------- 05/08 receberá por e-mail 12 edições coloridas em arquivo digital (PDF) Carlos Roberto Ferriani--------------- 15/08 Guaracy Lourenço da Costa- -------- 28/08 - *Disponível para o público em geral e para não sócios da SOBRAMES-SP Preencha este cupom, recorte e envie juntamente com cheque nominal à SOBRAMES-SP para REDAÇÃO Josef Tock--------------------------------- 26/08 “O Bandeirante” R. Francisco Pereira Coutinho, 290, ap. 121 A - V. Municipal - CEP 13201-100 - Jundiaí - SP Vera Lúcia Teixeira--------------------- 18/08 Dê uma assinatura de “O BANDEIRANTE” de presente para um colega
  3. 3. SUPLEMENTO LITERÁRIO O BANDEIRANTE - Agosto de 2012 3 Fatos e olharesMárcia Etelli CoelhoPizza Literária de agosto A Superpizza Literária do dia 16 de agosto apresentou como tema “JorgeAmado”, em homenagem ao centenário de nascimento do autor. As belezasda Bahia foram lembradas, aguçando nossos sentidos com o aroma de cravoe canela, com o colorido das fitas do Nosso Senhor do Bonfim e o doce saborda cocada, enquanto ouvíamos textos dos mais variados estilos. E o tato? Essese manifestou nos abraços que acolheram todos os confrades assíduos e osque não compareciam há tempo, como Nelson Jacintho e sua esposa Dumara(de Ribeirão Preto) e Evanir da Silva Carvalho. Destaque para a presença deSimão Arão Pecher (sobramista do Amazonas), que nos abrilhantou com oHino da Sobrames Nacional que ele próprio musicou para a letra de IlnahSoares (sobramista de Fortaleza). Praticamente todas as regiões do Brasil sefizeram representar nessa memorável reunião.Condecoração Alcione de Alcântara Gonçalves recebeu, em 25 de julho, o Diploma deMérito Acadêmico categoria ouro da ABEPL (Academia Brasileira de Estudose Pesquisas Literárias). Parabéns!Posse na Abrames No dia 3 de agosto, Helio Begliomini, Aida Begliomini e Márcia EtelliCoelho compareceram à posse na ABRAMES dos sobramistas cearensesJosé Maria Chaves e Marcelo Gurgel Carlos da Silva. Durante o Congressoda Sobrames Nacional em Curitiba, mais dois sobramistas ingressarão naAcademia Brasileira de Médicos Escritores: Sérgio Augusto de MunhozPitaki (Paraná – cadeira 21) e Márcia Etelli Coelho (São Paulo – cadeira34). A programação completa do Congresso pode ser conferida no sitewww.sobramescongresso2012.com.brProjeto Memória Muito interessante é o site www.projetomemoria.art.br, com informaçõessobre a vida e a obra de alguns escritores consagrados como Castro Alves,Monteiro Lobato, Paulo Freire, João Cândido e Carlos Drummond deAndrade. Quem acessar o site poderá “baixar” um vídeo documentário eouvir quase quarenta poemas na voz do próprio Drummond. Com certeza,escutar um texto declamado pelo seu autor é um privilégio. É essa preciosaoportunidade que usufruímos em cada Pizza Literária da Sobrames SãoPaulo.
  4. 4. 4 O BANDEIRANTE - Agosto de 2012 SUPLEMENTO LITERÁRIO Edital de convocação Assembleia geral ordinária Ficam todos os membros da Sociedade Brasileira de Médicos Es- critores, Regional do Estado de São Paulo – Sobrames-SP, convocados para a Assembleia Geral Ordinária que se realizará no dia 20 de se- tembro de 2012, na pizzaria “Bonde Paulista”, situada na Rua Oscar Freire, 1.597 em São Paulo, às 20h00, em primeira convocação, com presença de cinquenta por cento dos Membros Titulares, Acadêmicos e Colaboradores quites com a tesouraria da sociedade e dos Membros Eméritos, Honorários e Beneméritos e, em segunda convocação, às 20h30, com qualquer número de membros da SOBRAMES-SP, para deliberação sobre a seguinte pauta do dia: 1) Eleição da nova diretoria para o Biênio 2013-2014 e 2) Assuntos Gerais: inscritos com antecedência de 5 (cinco) dias.Perfil 2012 Sobrames-SPAlitta Guimarães Costa ReisAtuação: Professora Universitária (Mestrado, Doutorado), MédicaPsiquiatra.Cidade de nascimento: ITAGUAI-RJ, mas paulista de alma, mi-neira de coração (cidadã honorária), além de recifense e gaúcha,por carinho e afinidades.Comida preferida: carne e salada, algumas frutas.Esporte: natação, caminhada, xadrez.Livro de cabeceira atual: e sempre, a Bíblia.Filmes: O Enigma das Cartas (com Tommy Lee Jones), Dersu Uzala(de Akira Kurosawa), Em Nome de Deus (com Derek de Lint), OsAmantes de Maria (com Natalia Kinski)Músicas: O Dólar Furado, Crazy, Over the Rainbow, Concierto de Aranjuez, Por una Cabeza, músicas fol-clóricas de vários povos, clássicas (Beethoven, Bach. Mozart...).Fim de semana: praia, ou ficar lagartixando em casa.Viagem inesquecível: com amor, a qualquer lugar.Sonho: a rosa azulIntolerância: a lactose (rsrs...).Características Pessoais: sou uma pessoa ativa, de pele clara, olhos verdes, cabelos pretos, um metro esetenta e três de altura, vários quilos a mais. Tenho muitos defeitos (não vícios ou preconceitos). Dizemque tenho senso de humor e simpatia. Sou leal e franca. Prezo a liberdade, o respeito às tradições e aosvalores éticos.
  5. 5. SUPLEMENTO LITERÁRIO O BANDEIRANTE - Agosto de 2012 5 Um doido muito mansoGeovah Paulo da Cruz Sábado passado eu estava comendo porco no rolete na casa de nosso amigo e companheiro Alcione. Tinha tambémcostela bovina no fogo de chão. E chope geladinho, é claro, que ninguém é de ferro. Fiz uma gostosa viagem de ônibus, eu gosto de ônibus, foram quase 500 km apreciando a paisagem, e valeu a pena.Vocês não podem imaginar o que eu vi por lá. Caí duro! O Alcione mantém, por sua conta e risco, uma instituiçãopsiquiátrica com duzentos, isso mesmo, duzentos internos. Ele comprou um colégio de padres salesianos, adaptou-o,e fez nele a Clínica de Repouso Dom Bosco, que agora está fazendo quarenta anos de existência. Recebendo uma diária ridícula do SUS, que o obriga a dar pensão hospitalar completa, incluindo medicamentose honorários médicos para si e para a equipe, ele fornece a cada paciente cinco refeições por dia, mil refeições paraos internos e quinhentas para os funcionários. Se não fosse pela inconveniência do horário, eu teria tomado umbandejão e almoçado lá, tão bem feita e cheirosa era a comida, planejada por uma nutricionista. A clínica mantémos internos limpos, asseados, praticamente cheirosos, mesmo aqueles débeis mentais que se babam e se urinam. Emtodo o enorme recinto, não senti o menor mau cheiro. A limpeza é impecável. As enfermarias-dormitórios são umagraça, cuidados de sua mulher, Júlia, que é aposentada como professora de atividades artísticas. Ela mesma compraos tecidos e faz lençóis e cobre leitos, tudo padronizado e vistoso. Mas o que mais me tocou foi o tratamento humanizado dado àquela gente infeliz. Eles recebem um atendimentoque, para sua condição de rejeitados pela sociedade e quase sempre pela família, confere a eles a dignidade e o con-forto que não teriam em suas casas, e muito menos na rua. Lá dentro eles vivem melhor do que a classe C, dondeprovêm alguns e infinitamente melhor do que aqueles, na sua origem, pobres e miseráveis. Quando ele anda pelospátios, torna-se um verdadeiro pai ou irmão daquela gente, que o abraça, chama sua atenção, quer sua palavra decarinho. Há uma doida que diz ser casada com ele e o divide, numa boa, com sua esposa Júlia. Pelas apresentaçõesque o Alcione faz nas Pizzas Literárias, ele tem demonstrado uma religiosidade forte, um caráter eminentementecristão. Está sempre lendo suas poesias de fundo místico, espiritual, realçando o amor de Cristo. Podem crer, muitomais do que falar, ele pratica. Com quase uma santidade. Para ajudar na administração, ele conta com sua esposa Júlia, ativa e eficiente, e no quadro de funcionários espe-cializados está sua filha Taísa, psicóloga. Mantém vários psiquiatras contratados liderando equipes e cada uma delasassume quarenta leitos. Ele sozinho acumula oitenta leitos, e não tem hora para correr para a clínica e atender asemergências de todo o hospital, além de visita regular aos sábados e uma passadinha aos domingos. O homem é deferro! Não consigo assimilar como ele consegue tanto. É uma coisa de maluco! Na hora do almoço, em sua casa, comendo comida baiana, vatapá, caruru e moqueca, tomando um vinho enve-lhecido e precioso, eu disse uma frase que vou repetir: – Aquele hospital tem duzentos doidos lá dentro e um doidoaqui fora. Só pode ser. Precisa ser meio doido para assumir tanta responsabilidade, sem, contudo, perder a ternura.O homem é um doido lúcido, centrado, manso, igualzinho a este mesmo que nós vemos uma vez por mês, aqui nestenosso sarau literário. Sempre com esta cara de serenidade. Sempre em estado zen. Tranquilão. Resta ainda contar pra vocês que sua casa é tão grande, que até acertar por onde andar, entrar e sair, precisa-sede GPS, ou mapa, ou guia turístico. Só o terreno tem quase três mil metros quadrados. E ressalte-se o gosto refinadodele e da esposa, tudo personalizado, e a paixão do Alcione por tapetes persas e outros. Há pinturas expressivas deJúlia nas paredes. Resta mencionar a cortesia de seu filho Vinícius, o único que ainda mora com ele. Seu outro filhoé casado, mora aqui em São Paulo, e ainda não o conheço. Este nosso personagem de carne, osso, cérebro e coração chama-se Alcione Alcântara Gonçalves, é baiano, médi-co psiquiatra formado em Salvador. Também é formado em Direito, advogado com registro na OAB, e bacharel emAdministração, com pós-graduação em Administração Hospitalar. Além de consagrado poeta, ainda é astrônomoamador e participa semanalmente de diletantes observações celestes, com seu grupo. Todo mês ele vem participar da Pizza Literária em São Paulo. É mais assíduo do que os que moram aqui. Elesai de Tupã, uma curiosa cidade do Estado de São Paulo. Há uns 80 anos, um pernambucano de sobrenome SouzaLeão, cuja família tradicional ainda existe em Pernambuco, que embora rico, emigrou para o sudeste e veio plantarcafé. Pegou um pedaço de sua fazenda, planejou uma cidade, vendeu os lotes. Foi tão inspirado na sua investidaurbanística, que num tempo em que ainda não havia automóveis, fez ruas largas e avenidas arborizadas no canteirocentral. O trânsito de lá é de dar inveja. Estacionamento, uma facilidade. A cidade é ensolarada e luminosa, as ruasarborizadas, os passeios largos, a topografia levemente ondulada, e uma qualidade de vida inegável. Limpa, sempichações, calçadas e ruas bem conservadas. Não há mendigos, nem menores de rua. E tem um comércio pujante, esegundo soube, muitas indústrias. Pois é, falei do doido manso, no bom sentido. E falei de boca cheia. E não foi cheia de carne com farofa, mas deorgulho de ter um colega assim.
  6. 6. 6 O BANDEIRANTE - Agosto de 2012 SUPLEMENTO LITERÁRIO Pingos Aida Lucia Pullin Dal Sasso Begliomini Lá fora a chuva Vai caindo devagarzinho Tal qual a areia na ampulheta. O som dos pingos Transformam-se em suave melodia Agradável ao ser ouvida. Da janela entreaberta Pequenos cristais cintilam E dançam em harmonia A terra molhada, As folhas, frutos e flores. Exalam delicado perfume De natureza pujante. Instante mágico A feira do Bexiga Detalhes pequenos, rotineiros Quase despercebidos passam. Sorrateiramente, porém, Capturados foramRodolpho Civile Por uma desavisada poeta de plantão. Tive consultório médico no Bexiga, mais precisamente, na Rua Maria José, a rua da feira, muito frequentada pelosmoradores do bairro, pela grande variedade de produtos à venda, cujos preços subiam e desciam, conforme o horário: noinício, tudo mais caro e no final, com redução apreciável. Daí o interesse do povo! A sexta-feira, dia especial. Verdadeiroevento comercial e cultural, em que as pessoas se encontram, conversam, fofocam e, para a alegria dos comerciantes,compram, naturalmente à vista, nada de fiado. Houve tempo em que a feira da Rua Maria José foi considerada a maiorde São Paulo, muito alegre e barateira. Em geral, falava-se sobre as pechinchas ou a roubalheira dos preços. Ouviam-se gritos como: “Compra, Dona Filomena,compra! É para acabar! Tudo fresquinho” – proferidos pelo peixeiro. A feira se estendia até às 15 horas. Eu iniciava minhas atividades médicas neste horário e prosseguia até à noite. Numa bela tarde, logo após o término da feira... – Desculpe-me, doutor, eu estou sujo... Eu sou o Felipe, o peixeiro, o senhor conhece... – Ah, sim! Sente-se. O que há com você? É um homem tão forte! – Só na aparência... Na verdade, sou um fraco. Perdi a vontade de viver... – Ué! Por quê? – A vida não tem mais sentido para mim. A minha mulher está morrendo no hospital e eu não posso fazer nada. – Vocês têm filhos? – Uma mocinha de 14 anos. É estudante. – Ela sabe da gravidade do caso? – Sim. Chora muito... – Não é para menos... O que você pretende fazer? – Não sei... Vim pedir um conselho ao doutor. Eu só sei vender peixe... – Meu amigo! A perda de um ente querido traz muito sofrimento, reconheço, mas você tem uma filha para criar, frutodo amor de vocês. Ela necessita de toda a sua atenção e carinho. Chegou a hora de você suplantar a sua dor e dedicar-secompletamente à formação de sua filha. – Não sei como começar... – Doar-se, meu amigo, doar-se! É pelo amor que a vida suplanta a morte. Portanto, coragem, meu amigo, coragem!Você é um homem forte, saberá enfrentar a adversidade. Peça a Deus conforto e Ele, misericordioso, mandará. – Obrigado doutor, por suas palavras. Quanto é a consulta? – Não é nada, Felipe. Apenas um abraço... Felipe saiu. No ar, um cheiro de sardinha. Na minha cabeça, o eco das palavras de um simplório sofredor. Olhei emdireção ao quadro de formatura na parede. Ser Médico: é dar esperança aos perdidos. Levantar os deprimidos. Dar alívioaos que sofrem. Praticar a caridade. Que missão difícil, espinhosa escolhi para ser a minha nobre profissão. De qualquer forma, estou tentando, tentando...Não sei se consegui... Falei alto, alto... As minhas palavras ressoaram no ambiente e caíram no silêncio...
  7. 7. SUPLEMENTO LITERÁRIO O BANDEIRANTE - Agosto de 2012 7 TerminarLuiz Jorge Ferreira Guardo pedaços da saudade que sinto dentro de um aquário. A neve é azeda. A silhueta eu rasgo, e a faço de tira-gosto, após um grande gole. A tristeza de nossa despedida, curo esta ferida com saliva matinal. Ela não. Ela guarda os cílios dentro de uma caixa vazia de doce de caju. Próximos onde guarda as fantasias descoloridas de Julieta e Romeu. Muitas vezes entro nesta casa pela sala deixando rastros tortos sobre a sombra que o sol espalha da estante. Sei que o cão da fotografia late assustado. Não me reconhece o rosto, mas distingue o cheiro, um pouco dele oriundo do Lago Pacoval. Sei que às seis horas da manhã, quando chega o dia. Ele late também, agora com saudade. Ele imagina que o que arde nele, são picadas de pulga. Em mim ele imagina que a dor só tatua. Pobre cão. A saudade costuma sentar à mesa e desenhar sobre ela, no café derramado, coisas abstratas. Sempre quando saio, amasso entre os dedos, o passado, e o lanço no pequeno jardim. Penso que não volto e retorno sempre quando a noite é muito escura e o tempo se descuida de envelhecer-me. Volto sorrateiro, azedo como a neve, trazendo um bloco de notas. Páginas brancas, tantas páginas que já devem se aproximar das sessenta. Para o cão eu trago nada, ele que se imagina um pássaro, rosna para minha sombra sob o abacateiro. Um pouco mais tarde ele se entreterá em desenterrar ossos, eu me distrairei em imaginar coisas. Muito mais tarde ainda que a lua estiver manchada da chuva. Eu voltarei para mim, um pouco cansado, por permanecer tanto tempo em pé, à janela. Já será tarde. Longe um rádio dirá que mudaremos em breve de Século. Então me atreverei a cortar as unhas, as dos pés. Cantar UberabaHelio Destro ABA... ABA... ABA. Aba... Aba... Aba. UBERABA... Morenas mineiras. UBERABA... No amor faceiras. ABA... ABA... ABA. Mangas fatiadas. O perfume no ar. É pão de queijo. UBERABA... CANTAR. Aquele sabor de goiaba Doce de leite... Cocada. A gente tenta tirar Emoções em Beijos De UBERABA Os Uberabenses das ABA... ABA... ABA MINAS GERAIS UBERABA... UBERABA. Jamais tira ABA... ABA... ABA. MINAS GERAIS. Sotaque sabor à jabuticaba. do coração mineiro. É “Trem” bom... “Uai”. São guerreiros. Num “guento”. “Manhê... manhê” AI... AI... AI. Qui “sôdade”. UBERABA Capital do TRIÂNGULO Mineiro É das MINAS GERAIS Um BRASILEIRO.
  8. 8. 8 O BANDEIRANTE - Agosto de 2012 SUPLEMENTO LITERÁRIO Quem é? Quem é? (Resposta na edição de setembro) Está sempre perfumado, sorrindo e muito galante! Mora lá no interior, mas nunca parece distante. É poeta premiado! Profissional de renome! Para nós, é um querido... E seu nome é _ _ _ _ _ _ __!Lembretes e notas de rodapé Nossas Pizzas Literárias: terceiras 5as feiras do mês, Rua Oscar Freire, 1.597, piso superior da Pizzaria BondePaulista, a partir das 19h30. Nosso blog: http://sobramespaulista.blogspot.com Nosso e-mail: escritoressobramespaulista@gmail.com Endereços eletrônicos da diretoria: josyannerita@gmail.com (presidente). marciaetelli@ig.com.br (secretária). jafmvieira@hotmail.com (tesoureiro).Eventos da Sociedade no calendário 2012 • Próxima Pizza Literária: dia 20 de Setembro. • Eleições SOBRAMES-SP Biênio 2013-2014: 20 de setembro • Congresso SOBRAMES em Curitiba-PR: 11, 12 e 13 de outubro (Hotel Bourbon) • Coletânea SOBRAMES-SP (Décima Segunda Fornada): 07 de novembro (APM) • Posse da nova diretoria SOBRAMES-SP: 13 de dezembro (Pizza de Natal) Dr. Carlos Augusto Galvão Psiquiatria e Psicoterapia REVISÃO Anuncie Aqui Para anunciar em nosso Boletim Literário Rua Maestro Cardim, 517 de textos em geral O Bandeirante, entre em contato conosco. Paraíso – Tel: 3541-2593 Ligia Pezzuto Especialista em Língua Portuguesa Terminou de longevità (11) 3864-4494 ou 8546-1725 escrever seu (11) 3531-6675 Estética facial, corporal e odontológica * livro? Então Massagem * Drenagem * Bronze Spray * PUBLICIDADE publique! Nutricionista * RPG Rua Maria Amélia L. de Azevedo, 147 - 1o. andar TABELA DE PREÇOS 2009 (valor do anúncio por edição) Nesta hora importante, não deixe de 1 módulo horizontal R$ 30,00 consultar a RUMO EDITORIAL. 2 módulos horizontais R$ 60,00 Walter Whitton Harris 3 módulos horizontais R$ 90,00 Publicações com qualidade impecável, dedicação, cuidado artesanal e preço Cirurgia do Pé e Tornozelo 2 módulos verticais R$ 60,00 Ortopedia e Traumatologia Geral justo. Você não tem mais desculpas 4 módulos R$ 120,00 CRM 18317 para deixar seu talento na gaveta. 6 módulos R$ 180,00 Av. Pacaembu, 1.024 Outros tamanhos sob consulta rumoeditorial@uol.com.br 01234-000 - São Paulo - SP Tel.: 3825-8699 josyannerita@gmail.com (11) 9182-4815 Cel.: 9932-5098

×