O Bandeirante - n.191 - Outubro de 2008

315 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
315
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Bandeirante - n.191 - Outubro de 2008

  1. 1. Jornal O Bandeirante Informativo Mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores Regional do Estado de São Paulo Ano XVII - nº. 191 - OUTUBRO de 2008 Redação: sobrames@uol.com.br - (11) 9182-4815 “Renovado amor à Sobrames-SP” ratificada nas eleições de 2008 por Helio Begliomini Médico urologista Presidente da SOBRAMES-SP “A vida é a memória do povo, duras penas foram sendo incorporados a consciência coletiva da à tradição e ao lastro cultural da grei continuidade histórica, a maneira de pensar e de viver”. pelas diretorias precedentes. Os dois anos de mandato Milan Kundera, correram velozmente, haja vista a (1929-, escritor tcheco). diversidade de empreendimentos que têm sido realizados: 27 reuniões da A vida prega-nos diretoria; 24 edições de O Bandeirante; surpresas e esse é um fato organização de 24 tertúlias ou Pizzas conhecido por todos. Fazendo Literárias; organização da IX Jornada um retrospecto dos nossos Médico-Literária Paulista, em Jundiaí, últimos anos na Sociedade com concursos dos trabalhos Brasileira de Médicos Escri- apresentados; publicação da VI tores do Estado de São Paulo Antologia Paulista e publicação de mais (Sobrames – SP), mal podería- uma coletânea intitulada “Pizza mos imaginar que há cerca de Literária – Décima Fornada” com três anos voltaríamos a atuar na diretoria desta gloriosa lançamento previsto para dezembro. entidade que ajudamos a fundar e a consolidar em tempos Se não bastassem os prêmios literários já existentes: idos, heróicos, mas não olvidados da memória. “Bernardo de Oliveira Martins”, para a melhor poesia do O ano de 2005 foi fatídico e dificílimo na história ano; “Flerts Nebó”, para a melhor prosa do ano; e da Sobrames paulista e, devido às suas desastrosas SuperPizza – com ou sem indicação de tema – de conseqüências, nosso nome foi lembrado para suceder ao periodicidade trimestral para os trabalhos apresentados estimado e atuante confrade Flerts Nebó, que, na condição nas Pizzas Literárias, foram criados mais dois prêmios de de vice, assumia, em outubro de 2005, a presidência da cunho associativo: Prêmio “Melhor Desempenho da entidade, em virtude da demissão conjunta da presidente Sobrames – SP ou Prêmio Aldo Miletto” e Prêmio de “Maior e do 1o tesoureiro. Assiduidade” ou Prêmio “Rodolfo Civile” nas modalidades Tampouco pensávamos que, ao aceitar o convite interior e grande São Paulo. no primeiro semestre de 2006 para coordenar uma chapa Ademais, foram realizados os seguintes projetos que dirigiria os destinos da entidade no biênio 2007-2008 não previamente elencados em nossas metas de campanha: –, época em que esta ainda estava sofrendo as conseqüências adequação do Estatuto ao novo Código Civil através de da nefasta refrega do ano de 2005, nosso mandato pudesse Assembléia Geral Extraordinária; realização de uma ser postergado. Sabatina Literária, em Jundiaí; elaboração do concurso para Na ocasião, nada melhor para traduzir nosso escolha democrática da letra do Hino da Sobrames – SP; sentimento e o motivo de nossa volta a esse honroso cargo obtenção, desde março de 2007, de um espaço no Centro naquelas acerbas circunstâncias do que o slogan “Amor à de Estudos do Hospital São Camilo – Pompéia para sediar Sobrames – SP”, pois, sem a menor pieguice, representava as reuniões mensais da diretoria; idealização e realização todo um histórico devotado à causa da entidade. do I Concurso de Poesias da Rede São Camilo de Com muito sacrifício, conseguimos formar uma Assistência; realização de campanha que resultou num chapa que foi eleita, em votação secreta, por unanimidade dos votos. Tínhamos a intenção de não abandonar nenhum dos projetos da entidade – que não eram poucos – e que a (Continua na última página)Outubro08.pmd 1 14/10/2008, 10:42
  2. 2. 2 O Bandeirante - Outubro de 2008 Essa gente da palavra... expediente A palavra é mesmo uma coisa humanidade não parou mais de Jornal O Bandeirante séria. Seriíssima! Se pararmos para evoluir. ANO XVII - nº. 191 - Outubro 2008 refletir sobre sua importância em Hoje as tabuletas de argila nossa vida, poderemos nos surpre- dos nossos ancestrais sumérios Publicação mensal da SOBRAMES-SP - ender, quão grande é sua dimensão. Sociedade Brasileira de Médicos foram substituídas por estupendas e Desde que a civilização sumé- modernas telas LCD, de altíssima Escritores - Regional do Estado de São Paulo ria, que habitou a região sul da Meso- tecnologia, monitoradas por potentes Sede: Rua Alves Guimarães, 251 - potâmia, entre os rios Eufrates e processadores. No entanto, preva- CEP 05410-000 - Pinheiros - São Paulo - SP Tigre criou a chamada Escrita Telefax: (11) 3062-9887 / 3062-3604 lece a palavra como um dos meios Cuneiforme por volta de 4.000 a.C., mais importantes da transmissão da Editores: Flerts Nebó, Marcos Gimenes a palavra ganhou surpreendente e informação, muito embora a Salun. vital importância na vida e no imagem, os símbolos e as moder- Redatores: Helio Begliomini, Marcos desenvolvimento do ser humano. Gimenes Salun, Flerts Nebó. níssimas tecnologias de comunicação A escrita cuneiforme con- façam-se cada vez mais presentes e Jornalista Responsável: Marcos Gimenes Salun - (MTb 20.405 - SP). sistia em sinais grafados sobre placas incisivas nesse processo de trans- Rev isão: Ligia Terezinha Pezzuto de argila (barro), onde os sumérios mitir o conhecimento de geração em (MTb 17.671 - SP). cunhavam (marcavam com cunhas) Redação e Correspondência: Av.Prof. geração. essa escrita. Muito do que sabemos Mesmo com toda essa pu- Sylla Mattos, 652 - ap. 12 - Jardim Santa Cruz - São Paulo - SP - CEP 04182-010. atualmente sobre esse período da jança evolutiva, dificilmente algo E-mail: sobrames@uol.com.br. história, devemos às placas de barro poderá superar a palavra enquanto Tels.: (11) 9182-4815 / 2331-1351 com registros cotidianos, econômi- essência da comunicação. É com ela cos, administrativos e políticos dessa que temos evoluído. Em última Colaboradores desta edição: Lêda Maria fantástica civilização. análise, é dela que dependemos para Rezende de Almeida, Evandro Guimarães Naquele sistema os sinais a transmissão do conhecimento. Sousa, José Rodrigues Louzã, Roberto representavam idéias e objetos. Sua Antonio Aniche e Walter Whitton Harris. Cultuar a palavra, portanto, poder- preservação, exploração e interpre- se-á assemelhar à própria perpe- tação trouxe-nos um legado de tuação de nosso código genético. Diretoria - Gestão 2007/2008 - Presidente: indiscutível importância no desen- Dos cultores da palavra, não Helio Begliomini; Vice-Presidente: volvimento das civilizações que Josyanne Rita de Arruda Franco; Primeiro- se espera somente a futilidade da sucederam aos Sumérios, e que observação de rimas, estilos literários Secretário: Maria do Céu Coutinho Louzã; Segundo-Secretário: Evanir da Silva subsistem até os nossos dias. ou regras gramaticais, mas sua Carvalho; Primeiro-Tesoureiro: Marcos Tendo o homem conseguido missão fundamental, que é a de Gimenes Salun; Segundo-Tesoureiro: Ligia desenvolver um meio eficaz de Terezinha Pezzuto; Conselho Fiscal transmitir o conhecimento às transmitir conhecimentos, fatos, gerações e assim perpetuar a Efetivos: Flerts Nebó, Arary da Cruz Tiriba, Luiz Jorge Ferreira; Conselho Fiscal registros e informações a seus humanidade. Suplentes: Carlos Augusto Ferreira Galvão; sucessores através da palavra, a Marcos Gimenes Salun - Editor Geováh Paulo da Cruz; Helmut Adolf Mataré. Projeto Gráfico e Diagramação: Rumo Editorial Produções e Edições Ltda. Anuncie aqui! Walter Whitton Harris CNPJ.07.268.251/0001-09 TABELA DE PREÇOS Cirurgia do Pé e Tornozelo Ortopedia e Traumatologia Geral E-mail: rumoeditorial@uol.com.br (valor do anúncio por edição) CRM 18317 Av. República do Líbano, 344 Matérias assinadas são de 04502-000 - São Paulo - SP 1 módulo horizontal R$ 30,00 responsabilidade de seus autores Tel. 3885 8535 / Cel. 9932 5098 e não representam, necessariamente, a 2 módulos horizontais R$ 60,00 opinião da Sobrames-SP 3 módulos horizontais R$ 90,00 2 módulos verticais R$ 60,00 PRESTIGIE E COLABORE. AS INICIATIVAS DA SOBRAMES-SP PODERÃO SER MUITO MELHORES SE VOCÊ TAMBÉM 4 módulos R$ 120,00 PARTICIPAR. OS ACONTECIMENTOS PODEM ESTAR 6 módulos R$ 180,00 DEPENDENDO DE UMA AÇÃO POSITIVA SUA. Outros tamanhos sob consulta Tiragem desta edição: 250 exemplares Rua Luverci Pereira de Souza, 1797 - Sala 3 (papel) e mais de 1.000 exemplares Cidade Universitária - Campinas (19) 3579-3833 enviados por e-mail. sobrames@uol.com.br Envie Textos Digitais longevità Para facilitar o trabalho de edição deste jornal e de seu suplemento literário, envie sempre os seus textos em meio magnético, Estética facial, corporal e odontológica * Massagem * entregando-o gravado em disquete ou Drenagem * Bronze Spray * Nutricionista * RPG enviando-o para o e-mail da redação sobrames@uol.com.br Rua Maria Amélia L. de Azevedo, 147 - 1º. andar (11) 3531-6675Outubro08.pmd 2 14/10/2008, 10:42
  3. 3. O Bandeirante - Outubro de 2008 - SUPLEMENTO LITERÁRIO 3 Dilúvio invertido Lêda Maria Rezende de Almeida Médica pediatra São Paulo - SP Cheguei exausta. me senti num desenho Subi e lembrei-me de animado. Meus pés e mãos – uma possibilidade relaxante hirtos - colados no teto. Meus das melhores que conheço. Um olhos com as molinhas Bom Banho de Banheira. Mas saltadas para fora. Mas mal não seria este um Banho deu tempo do tal desenho. O qualquer. Seria assim. Com ideal seria mesmo correr atrás letras maiúsculas. do prejuízo. Preparei um ritual. A mesinha foi tirada às Acendi velas em volta. pressas. Era uma mesinha Apaguei as luzes. Coloquei um antiga que ela tinha me incenso mais afastado. Fiz um chá. Até mesinha e deixado antes de ir para além-mar. Temi pelo fim. banquinho ficaram a postos, compondo o cenário. Da mesinha. O fio do mini DVD quase se dispunha Em cima dela, da mesinha, o mini DVD. O russo a eletrocutar o russo e seu cello. O incenso dançava tocando cello. Divino. O ambiente. O russo também. apagado sobre as águas. O tapetinho afundado Lógico. ainda se oferecia à sua função ao lado da banheira. Enchi a banheira com água bem quentinha. Mas nem tudo acaba por aí. Deixei as velas de lado Desliguei o telefone. Que alegria poder decidir e e fui acender a luz. Luz. Muita luz. Para ver bem o comandar estes pequenos mimos. Foi o que pensei estrago. Pela porta a água saía em direção à escada. ao deitar-me na banheira. Corri. O mais que pude. Para que, munida de Lá fiquei. Nem lembro mais quanto tempo. vassouras, rodos e paninhos, conseguisse conter – Tempo foi o único detalhe que deixei fora do cenário. a tempo - aquele dilúvio invertido. Fechei a porta e deixei-o de fora. O espaço estava Em meio ao corre-corre, deu-me a mais que suficiente. Adoro quando separo esta impressão de que escutei um risinho. Vindo não- parceria de espaço e tempo. Só isso já relaxa. Ele sei-de-onde. Concluí. Deve ter sido o Tempo que dizia que deveríamos ter um botão. Para desligar os eu tinha deixado de fora. Com o Tempo não se pensamentos. E assim descansarmos. Acho que brinca. Ele não tem bom humor. E nem se entende quase encontrei o tal botão. solitário. Quer sempre ficar grudado em nós. Chega. Agora sim. Relaxada. Tranqüila. Aprendi. Ainda na banheira, puxei a tampinha. Para que a Lembrei do texto. Ele falou que primeiro água escoasse aos poucos. Comigo ainda dentro. Para você caminha. Depois as águas se abrem. Vai ver que a minha pele fosse adaptando-se. que foi porque corri. Não se abriram. Ficaram mais Já quase esvaziadas, ela – a banheira - da água, juntas. e eu - a suposta madame - do cansaço, saí. Da Enfim acabei. Pisei em terra firme. Sentei banheira. Coloquei o pé no chão. Do banheiro. na cama. E fiz a única coisa possível. Naquele Confusão mental. Outra banheira. Não entendi momento. Ri. Caí de costas de tanto rir. As cenas e muito bem de imediato. É preciso um sacolejo para cenários. O cansaço e o relaxamento. A música russa que o raciocínio acorde quando está descansado. Ou e a enchente americana. O incenso indiano e o apelo vai ver desliguei o tal botão. E demorei a encontrar o bíblico. Ri. Muito. lado certo de ligá-lo de uma vez. Quando ele chegou, olhou em volta. Viu Toda aquela maravilhosa água saíra não para vassouras e baldes. Paninhos. O chão meio úmido. o – digamos assim - continenti hidráulico. Saíra para Eu rindo sozinha na beirada da cama. Sábio. Nada o piso. O chão. Do banheiro. Algo acontecera e a perguntou. Nada comentei. água saíra para longe do lugar devido. Direto para o Saímos para jantar. Chovia. indevido. Estava inundado. Inundado. Mais uma vezOutubro08.pmd 3 14/10/2008, 10:42
  4. 4. 4 SUPLEMENTO LITERÁRIO - O Bandeirante - Outubro de 2008 O uso de siglas em Medicina Evandro Guimarães Sousa Médico pneumologista - São Paulo - SP A utilização de siglas é muito freqüente na rotina diária dos médicos e estudantes de Medicina. Além daquelas já conhecidas nas várias instituições de saúde, outras são criadas, dificultando o entendimento por pessoas estranhas ao serviço. Foi o que aconteceu com o Dr. Prado, ao atender ele havia escrito ao final do seu parecer: OPEDA. Com a uma interconsulta em um hospital onde nunca havia muita calma, ele explicou: “Elementar, meus caros colegas. estado antes. Tratava-se de um paciente tabagista que foi O Paciente Está De Alta!”. admitido com o diagnóstico de DPOC. Essa foi fácil, Evandro Guimarães de Sousa é médico especialista pois é uma sigla muito conhecida. DPOC está relacionada em Pneumologia e membro da SMPCT, que se refere à com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica; bem que Sociedade Mineira de Pneumologia e Cirurgia Torácica e poderia significar Depois da Palestra Onde Comer, não a: Suei Muito Para Concluir esta Tarefa. meditou o Dr. Prado! O motivo da internação, registrado na papeleta, foi EABC. Esta ele não entendeu. Seria um Estado Aparente de Bloqueio Central? Nada disso, apenas uma À procura de rimas Exacerbação Aguda de Bronquite Crônica, explicou-lhe um atencioso membro da equipe do hospital. José Rodrigues Louzã Como o radiograma de tórax revelou uma imagem Médico ginecologista - São Paulo - SP suspeita no hilo pulmonar, foi realizada uma fibrobroncoscopia com PATA. Seria pata de animal? Impossível. Pata, a mulher do pato? Apesar de engraçadinha, ela não poderia ter acesso às dependências do hospital e nem havia justificativa como tratamento. Novamente esclarecido, ele verificou tratar-se de um procedimento bastante conhecido em Pneumologia: Punção Aspirativa Transbrônquica por Agulha. Prosseguindo na leitura, constatou que havia sido programada uma PAAF. Esta ele não sabia, seria algum Programa Alternativo de Atenção à Família? Por sinal, os familiares do paciente estavam bastante apreensivos, aguardando as considerações do médico na sala de espera. Procurou ajuda e ficou sabendo que PAAF quer dizer Acordei com vontade de escrever Punção Aspirativa por Agulha Fina! um sentimental e belo soneto. Mais adiante, uma nova dúvida, o que quer dizer Pensei... pensei, procurando o verseto, MTM? Ele conhecia o significado de TPM, o que não se mas ele não surgia para mim. aplicava ao caso do cliente, pois este era do sexo masculino. Finalmente, foi informado por um Residente de 3.º ano, com aquele costumeiro olhar de superioridade que, MTM Persisti , das palavras à procura: significa Mesotelioma. Felizmente, este diagnóstico não umas românticas, cheias de ardor, foi confirmado. para rimá-las com calor e amor; Mais à frente deparou-se com ITU. Seria Intenso não. E um triste cheio de agrura Tráfego Urbano? Aliás, bastante complicado nas imediações do hospital. Nada disso, a interpretação correta que pudesse então rimar com saudade; é Infecção do Trato Urinário. Finalmente, entendeu o também não; que tal um todo bucólico, motivo do chamado, uma vez que é especialista em que terminasse num verde terceto; Urologia. Examinou o paciente, escreveu suas considerações no prontuário e foi embora. Pouco tempo depois, foi não, nenhum só verso de qualidade acionado pelo bip e pelo celular, ao mesmo tempo. Era o surgia, mas então vi no papelico, pessoal do hospital desesperado para decifrar a sigla que que já estava escrito este sonetoOutubro08.pmd 4 14/10/2008, 10:42
  5. 5. O Bandeirante - Outubro de 2008 - SUPLEMENTO LITERÁRIO 5 Feio Roberto Antonio Aniche - SP Médico ortopedista - São Paulo Nasceu feio, muito feio. volta, ameaçou vender a fazenda, A parteira nem o mostrou à sumir, colocar no circo. Se mãe, deixou que ela o visse por levassem aquilo de volta para casa seus próprios olhos. Sem ele o acertaria com o rifle de caça. dúvida, ali teria assunto para Ficou muitos anos na muitos anos em toda a cidade. escola, dormindo num quarto no A mãe só olhou e nada disse, fundo do corredor. Aprendera a aliás, nada poderia dizer. tarefa de, como um zelador, fechar Ninguém falou “parece as janelas à noite, apagar todas as com o pai” nem “parece com a luzes, trancar todas as portas. Não mãe”, apenas olhavam a precisava estudar, nem adiantaria criatura e com medo de tentar. Não falava, mas compre- ofender a quem quer que fosse, endia muito bem palavras e ordens nada diziam. simples. O pai arriscou um olhar, Era feliz, desde que pudesse não acreditou no que viu, não perguntou se era homem correr. E corria nos corredores contra o vento, batia ou mulher, fez cara de espanto, fez cara de “Deus nos todas as portas e fechava todas as janelas. Às vezes, livre”. Meia hora depois estava mergulhado na cachaça acordava em noites de lua cheia e corria contra o mas não chorava, que homem não chora. tempo: abria todas as janelas e todas as portas. Depois Pensava, taciturno o que poderia ter corria novamente e fechava todas elas, fazendo o acontecido. Uma certeza tinha: não fora traído. Não mesmo barulho. havia, na cidade inteira, ninguém tão feio que pudesse Toda a vizinhança ouvia suas pegadas correndo, ter engravidado sua mulher com aquilo. Ela, coitada, portas e janelas batendo. Sempre. Os padres não mais acabada de tanto amamentar, teria preferido dar a luz a um bezerro, machucaria menos: os coices seriam se importavam. Apenas deixavam a água, a comida, a mais delicados, as mordidas não tirariam sangue e o roupa limpa que ele às vezes pegava para dormir em cheiro, bom este ainda não decidira. cima. Dos pais, nada mais se soube. Certa vez o pai foi acariciar a criatura no berço, Aquele ritual continuou por anos e anos a fio. tentando uma aproximação. A criança grunhiu e Correndo de um lado para outro, contra o vento, tentou mordê-lo: “Deus nos livre e guarde!”. contra a chuva, fechando e abrindo janelas, abrindo e Cresceu no sítio, cercado de galinhas, cães, cabritos e vacas, comia da comida deles e era muito batendo portas, às vezes grunhindo, às vezes gritando. feliz a seu jeito. Chafurdava-se com os porcos, Toda a vizinhança estava acostumada e nem ligava aprendera a linguagem feliz dos bichos e pouco se mais, os padres de quando em quando esqueciam-se importava se estava ou não vestido, sujo ou limpo. da existência dele; apenas as crianças mais novas Disputava a lavagem com os porcos e o milho com os tinham-lhe medo. cabritos e galinhas. Não raro rosnava com os cães que Uma noite, no meio da correria em que se lhe temiam. Até que chegou a assistente social, explicou aos divertia mais do que o vento, sentiu-se cansado, uma pais que poderiam ser presos, que circulava uma dor muito grande atingindo todo o seu corpo. Lá fora, conversa de lobisomem na cidade, criança com porcos alguém juraria depois ter ouvido um grito assustador e galinhas, que o menino não estava na escola. A mãe e um baque de alguma coisa bem pesada caindo no chorava num canto, o pai via a possibilidade de chão. despachar o problema. Quis ver a criança. A mãe No meio de uma dor nunca sentida, ele viu, escondeu-se. O pai levou a assistente social para o quintal. no final do corredor, uma luz acesa, branca, forte, Susto! “Deus nos livre e guarde!” A criança irradiando-se não se sabe de onde. Num esforço corria atrás das galinhas com os cachorros e partiu, supremo, correu, espalhafatoso, batendo as últimas igualzinho ao cachorro, para a mulher que gritou de janelas e portas ainda abertas, na direção daquela luz. novo: “Deus nos livre e guarde!”. O pai explicou que Sorriu pela primeira vez, sem que nunca o ele deveria deixar o sítio e ir para a escola. O menino, tivesse conseguido. Sentiu uma paz muito grande ao assim já estava definido, correu para dentro do chiqueiro e aninhou-se, carinhosamente entre os alcançar aquela luz diferente. Com certeza, daquela porcos que dormiam ao sol. vez havia chegado ao fundo do corredor antes do Na escola tinha que andar ereto, vestido, vento. limpo, penteado e teria que falar a língua dos homens. Por muitos dias, as pessoas juravam ter ouvido Nada aprendia, nada, sentava-se sozinho, grunhia, portas e janelas batendo. Nem os padres notaram a rosnava, mordia. As crianças fugiam do lobisomem diferença. O legista confirmou, com o lenço cobrindo da fazenda. Os padres já tinham desfiado todos os livros de orações, mas nada adiantava. o nariz e a boca, pelo estado da criatura que ela estaria Ele continuava crescendo desproporcio- ali no chão, no canto do quarto, há pelo menos quinze nalmente ao tempo, cada vez mais feio e disforme, dias, mesmo tendo corrido contra o vento nos correndo de um lado a outro. O pai não o aceitou de corredores, batido portas e janelas ontem à noite...Outubro08.pmd 5 14/10/2008, 10:42
  6. 6. 6 SUPLEMENTO LITERÁRIO - O Bandeirante - Outubro de 2008 Borboletas Algumas das principais diferenças entre borboletas e mariposas, além de suas cores, são o corpo Walter Whitton Harris mais delgado das borboletas, as antenas peludas das - SP Médico ortopedista - São Paulo mariposas e as asas fechadas destas quando estão em repouso. Obviamente, há várias outras características e exceções. O ciclo de vida desses insetos consiste em quatro fases: ovo, taturana (lagarta ou larva), pupa (casulo) e adulto. A lagarta desenvolve-se na capa protetora do ovo. A fase de larva é a mais ativa para a alimentação. Para crescer, a taturana precisa trocar de pele várias vezes. Na fase de pupa, os componentes do corpo sofrem uma transformação, virando a borboleta ou mariposa, que é a fase adulta. São essas que põem os ovos. O ciclo de vida é conhecido por metamorfose completa e varia muito, dependendo da espécie, mas geralmente o ciclo completo dura de 2-12 meses. É uma lástima que, atualmente, a quantidade e variedade de borboletas e mariposas decresceu muito QUANDO CRIANÇA, UM DE MEUS PASSATEMPOS era em nosso meio, pela grande devastação das áreas caçar borboletas. Naquela inocência infantil, não verdes, substituídas pelos arranha-céus. No entanto, passava pela cabeça que estava matando insetos no interior, temos a oportunidade de ainda nos inocentes. É, sim, pois esses lindos animais eram beneficiar com inúmeras, multicoloridas e diferentes. anestesiados com doses letais de éter — que ainda se Algumas espécies de minha infância e comprava sem nenhuma restrição —, alfinetados pelo adolescência já estão em extinção, haja vista o corpo, de costas sobre um tabuleiro, com as asas monarca, famoso por ser uma borboleta que emigrava cuidadosamente espraiadas até que ocorresse a rigidez em bandos desde o México para cá e era abundante cadavérica e, depois, virados para mostrar o espécime 50 anos atrás. Hoje não a vemos mais por aqui. em todo o seu esplendor. Na minha antiga chácara, sempre tínhamos Durante vários anos, talvez até a adolescência, borboletas. Lembro-me bem de um tipo que gostava mantive uma bela coleção, mas com outros interesses, dos pés de maracujá e era uma verdadeira praga, foi abandonada e teve de ser destruída quando, um porque as lagartas devoravam as plantas. Mas a dia, ao olhar as borboletas, descobri que estavam borboleta era linda, cor de laranja no dorso e a parte mofando e sendo devoradas por larvas de algum outro ventral repleta de manchas prateadas. tipo de inseto. Mas o interesse por borboletas não Sem dúvida, há taturanas interessantes arrefeceu e, como sou filatelista, tenho uma vasta também. Há uma espécie que gosta de mamona. É coleção de selos, cujo tema é borboletas. uma lagarta verde com quase 10 cm de comprimento, As borboletas e mariposas estão entre os da espessura de um dedo mínimo. Como crianças, insetos mais apreciados. As primeiras são mais colocávamos duas num mesmo galho e atiçávamos para populares, talvez porque voam durante o dia e têm que fossem uma de encontro à outra. Saía cada briga, cores mais vivas e atraentes, enquanto as mariposas para ver quem dava passagem! já são mais sombrias e noctívolas. Lá na chácara, certo dia, minha esposa ouviu Pertencem ao gênero Lepidoptera, que um ruído de mastigação no jardim. Ao investigar, significa “asas escamosas”, porque as asas são descobriu uma taturana comendo a folha de uma recobertas por milhares de escamas sobrepostas. Há frutífera. Quando foi arrancar a folha com o inseto quase 200.000 espécies diferentes e apenas 10% são para mostrar-me, quase tombou de susto, pois não é borboletas, o restante, mariposas. que a lagarta, que era verde, soltou dois chifres Esses insetos vivem e adaptam-se a quase todos alaranjados que estavam escamoteados, em sua defesa? os climas, variando desde as tundras do Ártico e os É isso. Cabe apenas lembrar que nem todos altiplanos andinos, até as florestas tropicais e os esses insetos são tão inocentes quanto parecem. É fato pântanos costeiros. notório que muitas taturanas, principalmente as Sua principal alimentação na fase adulta é o peludas, queimam (na verdade, produzem uma reação néctar das flores, porque só se alimentam de alérgica), porém há borboletas e mariposas que são substâncias líquidas e, devido a isso, tornam-se venenosas também. importantes polinizadores. As borboletas e mariposas Referências: alimentam-se através de um tubo oco parecido a uma — Carter, David – Butterflies and Moths – Dorling Kindersley Ltd., língua que enrola e desenrola para alcançar a 1992. — Sandars, Edmund – A Butterfly Book for the Pocket – Oxford profundeza das flores. University Press, 3rd. impression (reset), 1955.Outubro08.pmd 6 14/10/2008, 10:42
  7. 7. O Bandeirante - Outubro de 2008 7 Helio Begliomini Nossos autores e seus recebe Prêmio Clio mais novos livros agenda Thereza Freire Vieira, médica geriatra em Taubaté- SP, acaba de lançar mais um livro de poesias. Trata-se de OUTUBRO - 2 reunião de diretoria / “Folhas Mortas”, 80 pgs. - 16 Pizza Literária. editora Taba Cultural - Rio NOVEMBRO - 6 reunião de diretoria de Janeiro - 2008. Para saber 13 Pizza Literária. mais dessa obra, entre em contato com DEZEMBRO - 2 Lançamento da a autora, escrevendo para Rua 29 de Coletânea 2008 / 4 reunião de Agosto, 177 - Morumbi - CEP 12060-410 - Taubaté - SP. diretoria / 18 Pizza Literária (posse da diretoria eleita para 2009/2010) O livro “Academia Brasileira de Médicos Escritores – Vinte Anos de Sérgio Martins Pandolfo, História”, de autoria de Helio nosso confrade de Belém- As Pizzas Literárias acontecem na Pizzaria BONDE PAULISTA, na Rua Oscar Freire, 1.597 - Pinheiros - , PA, participa-nos a Begliomini, lançado em novembro de 2007, recebeu o tradicional e publicação do opúsculo 19h30. As reuniões da diretoria acontecem no Centro de Estudos do Hospital São Camilo - Av. Pompéia - a- t m b é m 1.178 - Pompéia - 19h30. O lançamento da coletânea prestigiado prêmio CLIO, em sua 31a “10 de Junho, dia de 2008, “A Pizza Literária - décima fornada” será edição anual, sob os auspícios da Portugal, de Camões e das realizado no dia 02.12.2008 na Casa das Rosas, Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura - Av. Paulista, Academia Paulistana de História. Comunidades Portuguesas 37 - Bela Vista - 19h30. A solenidade de entrega - O Translado da corte portuguesa para ocorreu no dia 8 de outubro, no o Brasil. Reflexos lá e cá”. Trata-se de auditório nobre do centenário edição do autor, com 36 páginas. Instituto Histórico e Geográfico de São Contatos: Av. Governador José Malcher, ...E tem gente chegando 960 / 1101 - Belém - PA - Paulo, na capital paulista. Mais uma vez este cantinho foi CEP - 66055-260. reservado para dar boas-vindas aos Evanil Pires de Campo, recém-chegados valores na Sobrames- Casa das Rosas receberá médico infectologista de SP. Desta feita nos rejubilamos pelo 33 autores da Sobrames Botucatu, acaba de lançar ingresso da médica pediatra com formação em psicanálise e pós-graduada “Analogias e Reflexão sobre a Obra Machadiana”, em nutrologia, Lêda Maria Rezende de 204 pgs. - edição do autor Almeida. - Botucatu - 2008. Informe- Lêda Rezende chega com se sobre essa obra que comemora o muita disposição e um estilo literário marcado por centenário da morte de Machado de frases curtas, incisivas e muitas vezes contundentes. Assis, escrevendo para R. João Miguel Confira o blog da autora em http://blogs.abril.com.br/ Rafael, 350 - CEP 18602-220 - Botucatu - leda/perfil. São Paulo - SP. Veja também crônica na página 3 desta edição. Encerrado o prazo de adesões *** e envio de textos, a coletânea 2008 Quem também anunciou novo Quer publicar da Sobrames-SP, “A Pizza Literária - livro foi Rodolpho Civile, médico de São décima fornada”, terá 33 autores. Num José dos Campos, que prometeu o seu livro? equilíbrio harmônico entre prosa e lançamento de mais um romance de sua Não deixe de consultar a poesia, a obra terá perto de 300 autoria. Veja detalhes em breve, neste páginas, onde os autores participantes espaço. RUMO EDITORIAL. pretendem mostrar o que de melhor Qualidade impecável, pelos têm produzido nos últimos tempos. melhores preços. E o local do lançamento da obra Profa.Dra. não poderia ser mais charmoso: a Casa Alitta Guimarães Costa Reis das Rosas, no Espaço Literário Haroldo de Campos, na não menos glamurosa e Psiquiatria, Psicoterapia de Base Analítica, Clinica Médica Geral badalada Avenida Paulista, um dos Rua Coronel José da Costa Soares, 313 pontos turísticos mais conhecidos de 37470-000 - São Lourenço - MG rumoeditorial@uol.com.br São Paulo. No dia 2 de dezembro, às (35) 3331-1065 - 9113-0434 (11) 9182-4815 19h00, a Sobrames São Paulo estará registrando mais um marco em seus 20 anos de história, lançando a décima edição desta série de coletâneas que REVISÃO ROBERTO CAETANO MIRAGLIA ADVOGADO - OAB-SP 51.532 de textos em geral teve início em 1990, quando nascia o ADVOCACIA – ADMINISTRAÇÃO DE BENS primeiro volume, “Por um Lugar ao Sol”. Ligia Pezzuto NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS – LOCAÇÃO É um evento literário da mais Especialista em Língua Portuguesa COMPRA E VENDA DE IMÓVEIS ASSESSORIA E CONSULTORIA JURÍDICA grandiosa importância para a Sobrames- TELEFONES: (11) 3277-1192 – 3207-9224 (11) 3864-4494 ou 8546-1725 SP, e que ninguém deve perder.Outubro08.pmd 7 14/10/2008, 10:42
  8. 8. 8 O Bandeirante - Setembro de 2008 (Continuação da primeira página) “Renovado amor à Sobrames-SP” ratificada nas eleições de 2008 “Renovado Amor à Sobrames – SP”. Temos doravante a grata satisfação de poder contar, dentre os aumento do número de anunciadores no boletim O membros desta tábua diretiva, com o confrade Roberto Bandeirante, assim como sua divulgação, via Internet, a partir Antonio Aniche, jovem associado; assíduo freqüentador de janeiro de 2007, para mais de mil endereços eletrônicos, de nossas Pizzas Literárias; sensível escritor e promissor envolvendo pessoas e entidades médico-culturais; campanha na luta pela causa da entidade. para a participação de uma significativa comitiva no XXII Ao sabermos que nossa chapa obteve aprovação Congresso Nacional da Sobrames, em Fortaleza (CE, junho no escrutínio das urnas pela unanimidade dos votos de 2008); idealização, organização, pesquisa e publicação, (nenhum voto contrário, apenas um voto nulo), sem ônus para a entidade, do livro Sobrames Paulista – concitamos todos os membros, independentemente de Compêndio dos seus Vinte Anos de História – 1988- estarem ou não na diretoria executiva, que colaborem e 2008 (2008); organização de um jantar em comemoração apóiem os projetos a serem realizados. Por oportuno, aos 20 anos da Sobrames – SP, além de ter sido representada agradecemos a Deus pela saúde e trabalho realizado na em dez eventos culturais. gestão ora em crepúsculo, assim como a Ele rogamos suas Torna-se necessário frisar que todo esse extenso e bênçãos e ajuda para o próximo biênio. árduo trabalho só foi possível, uma vez que a diretoria De antemão sabemos que a Sobrames de São Paulo trabalhou abnegada e coesamente. Neste contexto faz-se foi escolhida pelos nossos pares de outras regionais, por oportuno declinar com sabor de alegria e agradecimento, os ocasião do XXII Congresso Nacional da Sobrames, nomes de confrades e confreiras que – cada qual na sua realizado em junho passado, na cidade de Fortaleza, para intensidade, disponibilidade e amor à causa da entidade –, organizar e sediar a V Jornada Nacional da Sobrames, deixaram sua marca nesta gestão: Josyanne Rita de Arruda que coincidirá com a X Jornada Médico-Literária Paulista. Franco, Marcos Gimenes Salun, Maria do Céu Coutinho Esse será mais um desafio do qual todos nós – sobramistas Louzã, Ligia Terezinha Pezzuto; Arary da Cruz Tiriba, Flerts paulistas – deveremos nos orgulhar e enfrentar. Nebó, Carlos Augusto Ferreira Galvão e Luiz Jorge Ferreira. Relembrando Bertrand Russell (1872-1970), Ao nos aproximarmos da data limite de inscrição filósofo, escritor, matemático e crítico social inglês: das chapas para o próximo biênio, foi consenso entre os “Aquilo que os homens de fato querem não é o membros da diretoria – mercê de amparo estatutário – que conhecimento, mas a certeza”. Neste ensejo, a chapa a base desta equipe mereceria pleitear, nas urnas, sua “Renovado Amor à Sobrames – SP” agradece o apoio continuação por mais um mandato. dos votos recebidos e espera – com a certeza expressa no Assim, ocorreu-nos que não haveria melhor slogan brocardo de Russell – a colaboração de todos em prol da para nortear esta chapa em seus propósitos do que nossa querida entidade. 20 Anos da Sobrames-SP comemorados com muita harmonia Para marcar o 20.º aniversário de fundação da regional paulista da Sobrames, 35 associados compareceram ao jantar festivo realizado no último dia 26 de setembro de 2008, no Restaurante Mare D’Itália, no bairro do Itaim Bibi, em São Paulo. Num ambiente de total harmonia e regojizo, os participantes confirmaram, com muita espontaneidade, a felicidade de pertencerem a uma confraria de amantes da literetura,tão profícua e longeva. Na oportunidade foi lançado o livro “Sobrames Paulista - Compêndio dos seus vinte anos de história (1998- 2008)”, de autoria de Helio Begliomini e Marcos Gimenes Salun, entregue graciosamente a todos os presentes. Trata- se de um registro das atividades, realizações e conquistas da regional paulista da Sobrames ao longo desses vinte anos. É um registro histórico do período, baseado em pesquisas realizadas pelos autores no acervo da entidade, através de documentos, livros de registro de atas de reuniões de diretoria e presença em Pizzas Literárias, fotografias, cartas, impressos e demais documentos mantidos e guardados em arquivo por alguns dos associados, a despeito da Sobrames- SP não ter ainda uma sede onde possa acomodar tal preciosidade. Neste ensejo, o mais importante a ressaltar é a pujança da regional paulista da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores. Parabéns a todos os que ajudaram a construir esta magnífica história!Outubro08.pmd 8 14/10/2008, 10:42

×