Jornal                                             O    Bandeirante  Informativo Mensal da Sociedade Brasileira de Médicos...
2            O Bandeirante - Setembro de 2008                                                                             ...
O Bandeirante - Setembro de 2008 - SUPLEMENTO LITERÁRIO            3                                       Vitória alada  ...
4          SUPLEMENTO LITERÁRIO - O Bandeirante - Setembro de 2008                              Privilégios de            ...
O Bandeirante - Setembro de 2008 - SUPLEMENTO LITERÁRIO                                                                   ...
6     SUPLEMENTO LITERÁRIO - O Bandeirante - Setembro de 2008                                                             ...
O Bandeirante - Setembro de 2008                                7      Eleita nova diretoria                     Livro reg...
8         O Bandeirante - Setembro de 2008                                                (Continuação da primeira página)...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

O Bandeirante - n.190 - Setembro de 2008

346 views
276 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
346
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Bandeirante - n.190 - Setembro de 2008

  1. 1. Jornal O Bandeirante Informativo Mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores Regional do Estado de São Paulo Ano XVII - nº. 190 - SETEMBRO de 2008 Redação: sobrames@uol.com.br - (11) 9182-4815 Sobrames do Estado de São Paulo: 20 anos de história gosto pela literatura ou pela cultura artesanalmente feita pelas letras. A Sobrames paulista sempre deverá ser muito grata aos desprendidos e atuantes confrades fluminenses que também tiveram a honra de presidir a Sobrames – RJ: Maria José Werneck (1984-1985, 1990-1991, 1994-1995 e 1996- 1997); Syllos de Sant´Anna Reis, na ocasião, seu presidente (1988-1989); André Petrarca de Mesquita (1978-1979), os três de saudosíssima memória, pois, na época provectos, há anos não estão conosco; e, Paulo Silva de Oliveira, cujo nome artístico é Paulo Fatal, que, posteriormente, também foi seu presidente (1998-1999). De uma reunião de desconhecidos e após uma preleção sobre a entidade feita por Maria José Werneck, foi composta uma diretoria, cujos membros igualmente não se conheciam, e foi fundada arrojadamente a Sobrames do Estado de São Paulo. “A alegria evita mil males e prolonga a vida”. Por nossa entidade já passaram inúmeras pessoas William Shakespeare (1564-1616), dramaturgo, como visitantes e como membros. Muitos deles já tragados poeta e compositor inglês. pelo tempo, porém jamais apagados de nossa memória, pois não somente ajudaram a construir, cada qual a seu modo, a por Helio Begliomini nossa entidade, mas são o nosso mais caro lastro, uma vez que Médico urologista Presidente da SOBRAMES-SP ficaram imortalizados no tempo por seus feitos e pelos trabalhos que nos deixaram. Setembro sempre é uma data muito especial para a Entretanto, devemos mencionar que, daquele grupoSociedade Brasileira de Médicos Escritores do Estado de São inicial que se reuniu na Pizzaria Ilha de Cós, ainda permanecemPaulo (Sobrames – SP), pois foi nesse mês, especificamente no ativos em nossa entidade os confrades Flerts Nebó, Heliodia 16, que ela surgiu após um belo trabalho de aproximação e Begliomini e Luis Jorge Ferreira.de incentivo de membros da regional fluminense, Este editorial não se destina ao relato da história departicularmente do protagonismo da confreira Maria José nossa entidade, mas sim, à comemoração esfuziante de seuWerneck. aniversário. Nada melhor para aquilatar a importância dessa Posteriormente outros comemorativos apareceram efeméride do que jungir seus mais importantes feitos, que nãopara tornar setembro ainda mais especial. Por ocasião desse foram poucos, ao longo do tempo.mês, tem também ocorrido, nos anos ímpares, a nossa Jornada Nesses quatro lustros – 1988-2008 – sumariaremosMédico-Literária Paulista, tradicionalmente numa cidade do as principais realizações da Sobrames paulista:interior, e o lançamento de nossa Antologia Paulista; e, nos • Criação das tertúlias – carinhosamente denominadasanos pares, as eleições para renovação da diretoria da entidade. Pizzas Literárias – em 20 de junho de 1989 que ocorreu Neste ano não poderia deixar de ser diferente. Além no Gorducho – Pizzaria e Restaurante, no bairro dedo pleito bienal, estamos comemorando, com muito entusiasmo, Pinheiros. Após várias mudanças de local, essas tradicionaisuma data toda singular – 20 anos de existência! tertúlias estão sendo realizadas na Pizzaria Bonde Paulista. Como já incorporado no linguajar popular, diríamos Neste mês comemoramos a 218a edição!que “parece que foi ontem” que a Sobrames nasceu. Lembramos • Primeiro Regimento Interno foi aprovado emnitidamente do encontro na extinta Pizzaria Ilha de Cós, na Assembléia Geral Extraordinária realizada em 20 de marçoRua Pedro de Toledo, Vila Clementino, na variegada paulicéia. de 1990. A entidade teve quatro Estatutos: 1o, em 12 deOs que ali compareceram – cerca de vinte e cinco pessoas, março de 1991; 2o, em 27 de novembro de 1997; 3o, emincluindo acompanhantes – não se conheciam e pouquíssimos 13 de abril de 2000; e 4o, em 19 de dezembro de 2007.também não conheciam os quatro confrades do Rio de Janeiroque vieram especialmente para fundar e dar posse à novelregional. Entretanto, todos tinham um só denominador comum: (Continua na última página)
  2. 2. 2 O Bandeirante - Setembro de 2008 Em tempo de colheitaexpediente No livro de Eclesiastes, capítulo Vivemos momentos de farta 3, versículos 1 a 9, está escrito: “Tudo colheita, coincidindo com umaJornal O Bandeirante tem o seu tempo determinado, e há efeméride bastante significativa paraANO XVII - nº. 190 - Setembro 2008 tempo para todo o propósito debaixo a Sobrames de São Paulo na do céu. / Há tempo de nascer, e tempo oportunidade em que completa 20Publicação mensal da SOBRAMES-SP - de morrer; tempo de plantar, e tempoSociedade Brasileira de Médicos anos de sua fundação. Estamos prestesEscritores - Regional do Estado de São Paulo de arrancar o que se plantou / Tempo a lançar, em 2 de dezembro, a de matar, e tempo de curar; tempo de coletânea “A Pizza Literária - décimaSede: Rua Alves Guimarães, 251 - derrubar, e tempo de edificar; / Tempo formada”, série de livros que vemCEP 05410-000 - Pinheiros - São Paulo - SP de chorar, e tempo de rir; tempo de registrando o talento dos associadosTelefax: (11) 3062-9887 / 3062-3604 prantear, e tempo de dançar; / Tempo ao longo desses 20 anos.Editores: Flerts Nebó, Marcos Gimenes de espalhar pedras, e tempo de ajuntar Acabamos de reconduzir osSalun. pedras; tempo de abraçar, e tempo de membros da atual diretoria para maisRedatores: Helio Begliomini, Marcos afastar-se de abraçar; /Tempo de um período de trabalho durante oGimenes Salun, Flerts Nebó.Jornalista Responsável: Marcos Gimenes buscar, e tempo de perder; tempo de próximo biênio, o que demonstra aSalun - (MTb 20.405 - SP). guardar, e tempo de lançar fora; / confiança nos rumos que vêm sendoRev isão: Ligia Terezinha Pezzuto Tempo de rasgar, e tempo de coser; adotados na condução da sociedade.(MTb 17.671 - SP). tempo de estar calado, e tempo de Temos a perspectiva de realizar,Redação e Correspondência: Av.Prof.Sylla Mattos, 652 - ap. 12 - Jardim Santa falar; / Tempo de amar, e tempo de em setembro de 2009, a X JornadaCruz - São Paulo - SP - CEP 04182-010. odiar; tempo de guerra, e tempo de Médico-Literária Paulista e a V JornadaE-mail: sobrames@uol.com.br. paz. / Que proveito tem o trabalhador Nacional de Médicos Escritores, porTels.: (11) 9182-4815 / 2331-1351 naquilo em que trabalha?” mais um voto de confiança que nos São palavras sábias que, na foi dado pelos confrades de todo oColaboradores desta edição: Paulo verdade, levam-nos a uma reflexão Brasil, no último encontro no Ceará.Adolpho Leierer, Alcione Alcântara sobre a própria existência humana. Estamos recebendo váriosGonçalves, José Alberto Vieira, Sérgio Que mais é a vida senão um suceder novos associados, o que demonstra umPerazzo, Evanir da Silva Carvalho e TherezaFreire Vieira. de bons e maus momentos? Deixemos, crescente interesse de médicos e no entanto, a profundidade dessas escritores pelo trabalho diletante, mas questões filosóficas para uma reflexão muito sério, que temos desenvolvidoDiretoria - Gestão 2007/2008 - Presidente: mais íntima e pessoal de cada um, para ao longo do tempo.Helio Begliomini; Vice-Presidente:Josyanne Rita de Arruda Franco; Primeiro- fazermos uma breve analogia com o É o momento, pois, da alegriaSecretário: Maria do Céu Coutinho Louzã; trabalho que desenvolvemos em nossa e da paz de espírito, da consciênciaSegundo-Secretário: Evanir da Silva confraria de médicos escritores. tranqüila do dever que vem sendoCarvalho; Primeiro-Tesoureiro: Marcos Felizmente estamos vivendo um cumprido dia a dia, com coragem eGimenes Salun; Segundo-Tesoureiro: LigiaTerezinha Pezzuto; Conselho Fiscal tempo de acontecimentos positivos, o perseverança por todos os membros daEfetivos: Flerts Nebó, Arary da Cruz Tiriba, que enche a todos nós de grande júbilo gloriosa Sobrames Paulista!Luiz Jorge Ferreira; Conselho Fiscal e alegria. Os editoresSuplentes: Carlos Augusto Ferreira Galvão;Geováh Paulo da Cruz; Helmut AdolfMataré. Anuncie aqui! Walter Whitton Harris Projeto Gráfico e Diagramação: TABELA DE PREÇOS Cirurgia do Pé e Tornozelo Ortopedia e Traumatologia Geral Rumo Editorial Produções e Edições (valor do anúncio por edição) CRM 18317 Ltda. CNPJ.07.268.251/0001-09 Av. República do Líbano, 344 E-mail: rumoeditorial@uol.com.br 1 módulo horizontal R$ 30,00 04502-000 - São Paulo - SP 2 módulos horizontais R$ 60,00 Tel. 3885 8535 / Cel. 9932 5098 Matérias assinadas são deresponsabilidade de seus autores e não 3 módulos horizontais R$ 90,00 representam, necessariamente, a 2 módulos verticais R$ 60,00 opinião da Sobrames-SP 4 módulos R$ 120,00 6 módulos R$ 180,00PRESTIGIE E COLABORE. AS INICIATIVAS DA SOBRAMES-SP PODERÃO SER MUITO MELHORES SE VOCÊ TAMBÉM Outros tamanhos sob consulta PARTICIPAR. OS ACONTECIMENTOS PODEM ESTAR Rua Luverci Pereira de Souza, 1797 - Sala 3 DEPENDENDO DE UMA AÇÃO POSITIVA SUA. Tiragem desta edição: 250 exemplares sobrames@uol.com.br Cidade Universitária - Campinas (19) 3579-3833 (papel) e mais de 1.000 exemplares enviados por e-mail. longevità Colabore na Edição Para facilitar o trabalho de edição deste Estética facial, corporal e odontológica * Massagem * jornal e de seu suplemento literário, envie sempre os seus textos em meio magnético, Drenagem * Bronze Spray * Nutricionista * RPG entregando-o gravado em disquete ou Rua Maria Amélia L. de Azevedo, 147 - 1º. andar enviando-o para o e-mail da redação (11) 3531-6675 sobrames@uol.com.br
  3. 3. O Bandeirante - Setembro de 2008 - SUPLEMENTO LITERÁRIO 3 Vitória alada Paulo Adolpho Leierer Médico neurologista São Paulo - SP É notório que eu sou um apaixonado por esportes,e em especial pelos Jogos Olímpicos. Entre todos os esportes – basquete não é esporte, éarte em movimento – o que mais mobiliza as minhas até de forma tímida, com muita simplicidade, sorrindoemoções é o atletismo. A forma mais pura do esporte. E sempre. Quando citei os eventos acima, ela surpreendeu-essas Olimpíadas recém-terminadas foram pródigas em se perguntando: “O senhor acompanhou a minhamúltiplas emoções. Mas uma, em especial, tocou carreira?”.profundamente o meu coração. A personificação de Nike, Não, Maurren. Mais do que acompanhei a suaa vitória alada, só que com cabeça e coração. As asas, trajetória no esporte. Aprendi com o seu exemplo de vida.somente viram os iniciados no amor ao esporte. Muito obrigado. Esta menina-mulher caiu há oito anos na canchade saldos com uma ruptura muscular. Acho que as minhaslágrimas caíram junto com ela. Saber que não ganhou nemperdeu, mas foi impedida de competir. Passa-se muito Árvore é vida!tempo treinando para um único momento e, neste exatomomento, o destino o trai com uma contusão. É muitadecepção. Recuperar-se das contusões, voltar a treinar e sertraído por um exame de doping indevido. Mas lei é lei e, senão houver rigor no esporte, vira uma bandalheira. Mesmoque seja com um creme antiinflamatório, se der positivo,vai para o gancho. E foi um gancho de dois anos. Doisanos fora das pistas, mais uma edição dos Jogos Olímpicosassistida do lado de fora... Alcione Alcântara Gonçalves Gravidez, uma nova vida e de repente a volta por Médico psiquiatracima. A menina que trazia a esperança oito anos atrás se Tupã - SPtornou a mulher que olhavam desconfiados. Será? Mas amesma vida que prega peças, honra e premia quem adesafia com o coração. Concentrou-se, gritou “vai!” duas Debruçado na janela,vezes e foi... Contemplo o lindo dia As asas se abriram e o salto foi perfeito, e ela sabia. A luz do sol que alumiaSaiu da cancha sorrindo, satisfeita consigo mesma. As outras A alma do poeta se irradia...concorrentes até que tentaram, mas não deu. O dia era de A árvore no quntal,Maurren. No saldo da última rival, a certeza: nem precisaria Vivifica a primavera!fazer a derradeira tentativa. Venceu! Ganhou a medalha de Sua folhagem esverdeada,ouro e distribuiu a medalha da gratidão. Balouça ao sabor dos ventos, Agradeceu os aplausos dando a volta olímpica, Como se dançassemacenando para todos. E mais do que apenas acenar com a A valsa dos quinze anos,bandeira brasileira, teve a delicadeza ímpar de acenar com Numa alegria sem igual!a bandeira da China, conquistando o coração de todos. Canta cálida brisa,Foi a única atleta nestas olimpíadas que homenageou o Responde, ramagem florida!país sede. Abraçou o técnico, abraçou amigos, fez até o ex- Rompendo seus botões,atleta Robson Caetano chorar quando o abraçou. Floresça para a vida! Maurren abraçou o Brasil. Como se ela devesse E traga o seu perfume,alguma coisa ao Brasil. É o Brasil que deve a Maurren, e Para aromatizar o meu leito...muito. Beijou o pódio. Não precisava. Este é quem deveria Perfuma também o meu corpobeijar os pés dela. Pouca gente mereceu tanto quanto ela E sorrindo, te direi:estar naquele lugar. E Maurren agradeceu. Levou-me às Obrigado, árvore florida,lágrimas. Tu que anuncias a vida, Dias depois a encontrei no pronto-socorro onde Ficarás sempre na minha memória,trabalho. Levava a filha Sofia, aquela que preferia a medalha E através deste poema,de prata, para consulta. Tentando não parecer muito A imortalizarei para sempreinconveniente, cumprimentei-a e dei os parabéns pelos Contemplando-a nestes versos.feitos. E ela mostrou muita grandeza de coração, agradeceu
  4. 4. 4 SUPLEMENTO LITERÁRIO - O Bandeirante - Setembro de 2008 Privilégios de uma profissão José Alberto Vieira Médico anestesiologista - São Paulo - SP Esta semana vivi dois momentos singulares na minha ***vida como médico e gostaria de partilhar o que aprendi O outro caso é bem mais corriqueiro e até certoou que pelo menos ainda estou aprendendo. Recebi a visita ponto pueril, mas encerra uma reflexão. Esta semana eude dois irmãos de um paciente meu que havia falecido fui fazer uma anestesia para um amigo urologista em umrecentemente e cujo óbito eu atestara. Vieram tão somente hospital privado e, na saída, enquanto nós aguardávamospara agradecer a assistência que eu havia oferecido durante nossos carros no estacionamento, reparei num belíssimoa vida de seu irmão. Este paciente que chamo de amigo, carro estacionado: um Jaguar todo reluzente.pois assim eu o considerava, tinha uma doença degenerativa Confesso que, por alguns instantes, me sentique, apesar do nome pomposo, era por demais atroz: fracassado. Não pude evitar e em poucos minutos fiz umdoença de Von Recklinghausen. Essa doença afetava o inventário do que estava à minha volta. Médicossistema nervoso central e vários nervos cranianos; desse elegantemente engravatados, sapatos pretos polidos,modo, ele não andava, tinha dificuldade de deglutir, bonitos aventais, carros elegantes, pacientes elegantesengasgava-se facilmente, era surdo e lia somente frases carregando ou descarregando suas malas em carrinhos deescritas com letras garrafais. Ah! Um adendo: esse amigo aeroporto e ali, a meu lado, aquele Jaguar a incomodar-tem um nome. Chama-se Alberto Tokuriki. me. Ele era lindo, bancos confortáveis, câmbio automático, O Alberto era um amigo especial. Quando nos painel estilizado, formato imponente pedindo espaço porvíamos, o sorriso era mútuo, apesar das agulhadas que de onde passa.vez em quando eu lhe aplicava. Falava com ele através da Nessa hora me senti fútil e consumista. Fui tomadoescrita, cujo papel ele aproximava junto aos olhos para pelo desejo do objeto. Em alguns segundos me fiz inúmerasque pudesse ler, ao que ele respondia verbalmente com perguntas e me vi surpreendido pela inveja e inquietude.enorme dificuldade. Entre as muitas perguntas que eu lhe Onde errei? Será que eu sou um médico fracassado? Se eufazia, perguntei certa vez se ele se sentia feliz, ao que me me sinto um bom médico, por que não sou rico? Por querespondeu: “Muito! Tenho uma família maravilhosa que eu tenho que fazer contas todos os meses para fechar ome ama e estou sempre perto deles.” Em meio a tantas orçamento doméstico se me acho competente?dificuldades, eu não esperava uma resposta positiva tão Em meio a tantos questionamentos, só consegui fazerconvicta. Aquela capacidade de enxergar a luz onde tudo uma observação para o meu amigo urologista que estava aosão sombras mostrava a marca de uma alma forte capaz de meu lado: “Carrão, heim?” Ele olhou demoradamente paratranspor pesados obstáculos. Lembrei-me de uma frase que o veículo estacionado, mas não tinha os mesmos olhosli, cujo autor desconheço, que dizia haver duas maneiras que eu. Olho como quem olha para um belo adorno, nadade ver a vida: uma delas é de que nada na vida é um milagre mais que isso. Um belo adorno. A seguir ele percebeu ae a outra é a de que tudo na vida é um milagre. Parece-me minha insatisfação e disse: “O importante é ter amigos.”que o Alberto norteava sua vida pela segunda maneira. Disse aquela frase e pegou seu velho carro confiante da Com o evoluir da doença, Alberto já não mais maneira como vive.deglutia e necessitava de uma cirurgia para a colocação de Pouco tempo depois, o encontro no hospital públicouma sonda a fim de alimentar-se pelo abdome. Mas uma em que trabalhamos juntos, falando com seus pacientesbarreira para o meu amigo, na qual vi o desânimo tomar idosos que o abraçam e sorriem. Freqüentemente oconta de sua alma. Durante a nossa consulta bate-papo, encontro operando além e fora do seu horário de trabalhodentre as muitas frases que lhe escrevi, uma o tocou para ajudar os pacientes que têm urgência de tratamento.profundamente. Era a seguinte: “Vamos viver um dia de Nos momentos que antecedem a cirurgia, os pacientescada vez.” Pois bem, surgiu novamente o Alberto de alma chamam por seu nome e sentem-se amparados quando eleforte e pujante e aceitou fazer a referida cirurgia. adentra-se a sala e lhes sorri. Seus irmãos contaram-me que o Alberto, após aquela Aquela frase e aquela atitude trouxeram-me para avisita em que escrevi a dita frase, pediu que a fixasse na terra. Dei de ombros para a inveja, lembrei dos meusgeladeira da cozinha e todas as manhãs a lia. E assim foi o amigos, da minha família, dos meus pacientes e dosmeu amigo vivendo um dia de cada vez, até que chegou o inúmeros e anônimos colegas médicos que dedicam suasmomento da partida. Partiu numa manhã, adormecido, vidas e seu trabalho para muito além das coisas materiais.como o valente que repousa após a longa batalha. Obrigado, Saí feliz com o meu carrinho simples e barato. A minhameu amigo, pelas lições que você nos ensinou. Deixo aqui inveja mudou de endereço. Não é mais aquele carroassinalado seu nome em meu texto, eternizando a sua reluzente, mas aquele colega e amigo meu, querido e amadopassagem pelo mundo. Tenha certeza de que sua vida não por seus pacientes. E, por sinal, um médico muito bemfoi vã. sucedido.
  5. 5. O Bandeirante - Setembro de 2008 - SUPLEMENTO LITERÁRIO 5 Béla Bartók atrás do espelho Sérgio Perazzo Médico psicodramatista São Paulo - SP Algum tempo já se passara e ele nem se dera gerente do salão me apontou uma cadeira vazia econta do quanto estava embevecido em doce chamou: “Conceição!”contemplação. De avental branco, deixando entrever o decote O quadro tinha por moldura uma sala de discreto mas suficiente, aproximou-se e sua presençaespera de aeroporto, depois do vôo 3740 ser se fez nos olhos ciganos, no sorriso apenas riscadotransferido de portão de embarque para o segundo de quem sabe o poder de soberana, no aromapiso. Pelo menos seria engolido pela serpente exalando uma proximidade física automática massanfonada direto para dentro do avião, sem ter que bastante para encantar e distanciar-se ao mesmopassar pelo sobe-e-desce dos degraus de um ônibus tempo da presa-cliente, as mãos como carícias node passageiros e da escada metálica do 737, emaranhado dos meus cabelos, quisera que estepoupando seus joelhos de terceira idade. corte não terminasse jamais. Se a moldura era essa, o quadro, um recorte E na frente do espelho e entre as mechas dedo cenário, era um gesto. E o gesto, um pequeno cabelo grisalho, flocos de neve suja escorrendogesto, era a mão que afivelava a alça da sandália cortados para o chão, atrás deste mesmo espelho, ocomo que costurando o pé à perna de uma linda ritmo e o piano do Allegro Barbaro e a imagem demulher. Por si só contando uma história. Béla Bartók despejando seus ritmos selvagens e Era como se um espelho invisível refletisse o frenéticos, primitivistas, melodias magiares, suasmelhor ângulo de uma cadeira cativa numerada em 2700 canções húngaras recolhidas, músicaspleno estádio lotado. Ela só existia naquele momento camponesas, milhares de canções zíngaras dapara ela mesma com todo o tempo do mundo à sua Europa Central e do Leste, colecionadas nadisposição, sozinha num camarim antes da pré- Romênia, Sérvia, Bulgária, Croácia, Ucrânia,estréia da peça numa dimensão atemporal. Autora, Turquia, Eslováquia e Hungria, o 2º Concerto paraprodutora, diretora, roteirista, atriz, ponto, contra- piano, o Sexto quarteto, a etnomusicologiaregra, iluminadora, figurinista, cenógrafa, platéia e explodindo no Mikrokosmos.personagem simultaneamente. E Béla Bartók piscando o olho atrás do espelho Era o tom moreno da pele. Era o pé de unhas (para mim? para a cabeleireira?), dando vazão àslevemente esmaltadas nos dedos finos de pequenas campinas que se sucediam, povoadas por cavalosveias adivinhadas. em franco galope, crinas ao vento, por saias Era a perna terminando abruptamente na coloridas de princesas das czardas, correntes ebarra do vestido amarelo. Tão amarelo quanto medalhas de ouro, guirlandas, tiaras e diademasacácia. Terminando e pedindo mais. feitos de flores e fitas, pandeiros e guizos, guitarras, Era o movimento destro no qual se antevia o sapateados, o destino escrito na palma das mãos eritmo do corpo soprado pela respiração suave, um nas cartas do tarô, a Casa do Enforcado cercada pornada visível, de deixar fluir uma sensualidade animal punhais de cabo de prata e arreios de couro, porlânguida e ao mesmo tempo firme e precisa ao ajustar tendas errantes de ciganos peregrinos, sempre ea fivela à alça. nunca viajantes. Em menos de duas horas, derretido, sim, E a carícia no cabelo do lado de cá do espelho,derretido, nesta imagem de sonhos, procurava um a fúria cigana do lado de lá, a Conceição zíngara,barbeiro na calçada de Copacabana em plena Barata que não verei mais, guardando a navalha no estojoRibeiro, o ele se tornando eu em toda dimensão da e abotoando a fivela da sandália numa sala de esperaprimeira pessoa (singular? plural?), quando o do tempo que virá.
  6. 6. 6 SUPLEMENTO LITERÁRIO - O Bandeirante - Setembro de 2008 Evanir da Silva Carvalho Médico reumatologista São Paulo - SP Saudade E tudo clareou quando lhe conheci Como se explodissem mil sóis em mim Explicando tudo, como uma panacéia E a saudade então se dissipou Quando você partiu, tudo ruiu Demorei dias para assimilar a idéia Aceitá-la, descer à força pela garganta A saudade soa sem sentido É como a descrição de um aroma Pois a confusão em mim era tanta Ou um sabor que não vivemos E cheia de amarras É a soma e a pena dos pecados E aos poucos aquelas garras Que não cometemos Longas e afiadas da saudade E assim vivi a vida toda... Penetraram fundo em meus pulmões Ninguém ouviu minhas orações Era a falta de algo ou alguém, Portanto não mereci piedade. Um lugar, uma música, uma voz... Além da dor indescritível, o mais incrível Era a masmorra e o algoz Desde então, não pude mais respirar. Não tenha medo Thereza Freire Vieira Médica geriatra Taubaté - SP Mesmo que o céu desabe, que as montanhas se choquem, o horizonte desaparecer... as ondas do mar Não tenha medo, o envolvam violentamente, estarei sempre contigo! não tenha medo. E comigo enfrentará vazios, Se a lua não mais brilhar, a solidão e as tormentas, o sol deixar de existir, sem medo. o dia e a noite iguais, Estarei sempre presente, com medo da escuridão hoje, amanhã, eternamente. desesperado ficar... Não o abandonarei jamais! Não tenha medo... Porque, meu filho, A luz do sol pode faltar, meu amor é eterno. o brilho da lua não existir, Sou Deus!
  7. 7. O Bandeirante - Setembro de 2008 7 Eleita nova diretoria Livro registra os 20 anos para 2009 e 2010 da Sobrames Paulista agenda No dia 18 de setembro, duranteAssembléia Geral Ordinária, na qualcompareceram 26 pessoas, havendo 19associados com direito a voto, foi eleita a SETEMBRO - 4 reunião de diretorianova diretoria da Sobrames-SP para o 18 Pizza Literária (eleições ebiênio 2009 / 2010. A chapa “Renovado Aniversário da SOBRAMES-SP) / 26Amor à Sobrames-SP”, única inscrita parao pleito, recebeu 18 votos a favor, sendo Jantar de 20 Anos da Sobrames-SPconstatado apenas um voto nulo. A OUTUBRO - 2 reunião de diretoria /diretoria, que assumirá em 1º de janeiro 16 Pizza Literária.de 2009, tem os seguintes nomes:Presidente: Helio Begliomini; Vice- NOVEMBRO - 6 reunião de diretoriapresidente: Josyanne Rita de Arruda 13 Pizza Literária.Franco; Primeira-secretária: Ligia DEZEMBRO - 2 Lançamento daTerezinha Pezzuto; Segunda-secretária:Maria do Céu Coutinho Louzã; Primeiro- Coletânea 2008 / 4 reunião de ,tesoureiro: Marcos Gimenes Salun; diretoria / 18 Pizza Literária (posse da diretoria eleita para 2009/2010) a - t mSegundo-tesoureiro: Roberto Antonio Para comemorar os primeiros vinteAniche; Conselho Fiscal (efetivos): Flerts anos de existência da Sobrames Paulista,Nebó, Carlos Augusto Ferreira Galvão e fundada em 16 de setembro de 1988, b é mLuiz Jorge Ferreira; Conselho Fiscal Helio Begliomini, um de seus fundadores As Pizzas Literárias acontecem na Pizzaria BONDE(suplentes): Rodolpho Civile, Geováh Paulo e atual presidente, e Marcos Gimenes PAULISTA, na Rua Oscar Freire, 1.597 - Pinheiros -da Cruz e Helmut Adolf Mataré. Salun, membro colaborador e honorário 19h30. As reuniões da diretoria acontecem no Centro de Estudos do Hospital São Camilo - Av. Pompéia - Falando em nome dos demais que vem atuando na direção da 1.178 - Pompéia - 19h30. O Jantar de 20 Anos dacolegas de diretoria, o presidente re- Sobrames-SP será realizado no dia 26.09.2008, no entidade há algum tempo, uniram-seeleito, Helio Begliomini, agradeceu a restaurante Mare D’Itália - Rua Joaquim Floriano, 211confiança dos associados e pediu a todos para registrar um pouco da magnífica - Itaim Bibi - 20h00. O lançamento da coletânea 2008, “A Pizza Literária - décima fornada” seráque continuem dando seu apoio às trajetória do sodalício. realizado no dia 02.12.2008 na Casa das Rosas, Espaçoatividades da regional paulista, pois a Este livro não esgota o assunto, Haroldo de Campos de Poesia e Literatura - Av. Paulista, 37 - Bela Vista - 19h30.tarefa de conduzir a sociedade é de todos, muito embora os autores tenhamindependentemente de terem cargos. “Há procurado abordar todos os fatosmuito trabalho a fazer, e precisamos registrados nos documentos mantidoscontar com a efetiva participação de nos arquivos da Sobrames-SP. Contudo, Novos talentostodos”, ressaltou Begliomini. Com grande satisfação registramos o é uma contribuição significativa para todos aqueles que pretenderem ingresso de mais dois membros titulares que Coletânea 2008 já conhecer ou dar prosseguimento ao vêm somar talento às fileiras da Sobrames Paulista. Trata-se das médicas pediatras conta com 22 autores registro da história da Sociedade. Denise Máximo Lellis Garcia e Lucila O livro foi lançado em 26 de Camargo Lopes de Oliveira. Denise estreou As adesões para participação na setembro de 2008, no restaurante Mare na edição de agosto do suplemento literáriocoletânea “A Pizza Literária - décima D’Itália, durante o jantar comemorativo com a poesia “Água”, e Lucila, que é filhafornada” continuam chegando. Até o do aniversário da Sobrames-SP e de nosso associado José Leopoldo, com a entregue como presente a todos os crônica “Concentração”, naquela mesmafechamento desta edição, já haviam participantes daquele encontro. Os edição. Sejam muito bem-vindas!confirmado as inscrições e enviadoseus textos os seguintes autores: Alípio membros que não estiveram presentesAugusto Bordalo, Carlos José Benatti, no evento o receberão posteriormente.Evandro Guimarães de Souza, Evanir da Para informações sobre o livro e Denise Garcia ao ladoSilva Carvalho, Fernando Batigália, pedidos, entre em contato com os do marido Cassiano,Geováh Paulo da Cruz, Guaracy autores por e-mail: também médico pediatra, durante aLourenço da Costa, Helio Begliomini, Helio: heomini.ops@terra.com.br Pizza Literária deHelio José Déstro, José Jucovsky, José Marcos Salun: msalun@uol.com.br 18 de setembro.Rodrigues Louzã,Josyanne Rita deArruda Franco, Luiz Jorge Ferreira, ROBERTO CAETANO MIRAGLIAMarcos Gimenes Salun, Maria do Céu Quer publicar ADVOGADO - OAB-SP 51.532Coutinho Louzã, Michel Herbert AlvesFlorêncio, Roberto Antonio Aniche, seu livro? ADVOCACIA – ADMINISTRAÇÃO DE BENSRoberto Caetano Miraglia, Rodolpho NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS – LOCAÇÃO Não deixe de consultar aCivile, Sérgio Perazzo, Walter Whitton COMPRA E VENDA DE IMÓVEISHarris e Wilma Lúcia da Silva Moraes. RUMO EDITORIAL. ASSESSORIA E CONSULTORIA JURÍDICA Qualidade impecável, pelos TELEFONES: (11) 3277-1192 – 3207-9224 Confirme hoje mesmo suapresença nesta obra, enviando seus melhores preços.textos para Rumo Editorial Produçõese Edições Ltda. - Av.Prof.Sylla Mattos,652 - conj.12 - São Paulo. CEP 04182- REVISÃO de textos em geral010. Informações pelo telefone (11)9182-4815, com Marcos Salun. E-mails Ligia Pezzutopara envio de textos e inscrição: Especialista em Língua Portuguesa rumoeditorial@uol.com.brrumoeditorial@uol.com.br e (11) 9182-4815 (11) 3864-4494 ou 8546-1725sobrames@uol.com.br.
  8. 8. 8 O Bandeirante - Setembro de 2008 (Continuação da primeira página) Sobrames do Estado de São Paulo 20 anos de história• Jornadas Médico-Literárias saíram dois presidentes da Sobrames cinco prêmios com suas respectivas Paulistas. Idealizadas para serem nacional: Flerts Nebó (1994-1996) datas de criação: “A Melhor Poesia bienais, em anos ímpares, ou seja, e Helio Begliomini (1998-2000). do Ano” ou Prêmio “Bernardo nos anos quando não ocorrem os • Congressos nacionais. São de Oliveira Martins” (1997); “A tradicionais congressos da Sobrames bienais, nos anos pares, e, Melhor Prosa do Ano” ou nacional, têm como objetivos tradicionalmente se caracterizam Prêmio Flerts Nebó (1999); divulgar a entidade, congregar, como o maior evento da entidade. A Superpizza (2003, de periodicidade motivar e congraçar seus membros Sobrames – SP teve a oportunidade trimestral);Prêmio “Assiduidade” em torno da literatura. Já ocorreram de realizar dois deles: O XV ou Prêmio “Rodolpho Civile” nove edições: Jundiaí (1991); Congresso Nacional da (2007) e Prêmio “Melhor Bragança Paulista (1993); Santos Sobrames (1994) e o XVII Desempenho na Sobrames – (1995); Campos do Jordão (1997); Congresso Nacional da SP” ou Prêmio “Aldo Miletto” Águas de São Pedro (1999); Sobrames (1998). (2007). Botucatu (2001); Campos do • Distintivo. Foi confeccionado com • Participação na Abrames. A Jordão (2003); Serra Negra (2005); o emblema e o dístico “Sociedade Sobrames – SP tem o privilégio de e Jundiaí (2007). Brasileira de Médicos Escritores – ter tido, ao longo de seus vinte anos,• Coletâneas. Projeto bienal com a Sobrames”. A idéia era entregá-lo a 12 dos seus membros como imortais participação espontânea dos todo(a) sócio(a) com mais de um ano da Academia Brasileira de Médicos associados já reuniu 10 volumes: Por de filiação. O distintivo foi entregue Escritores (Abrames) que, em ordem Um Lugar ao Sol (1990); A Pizza inicialmente para os participantes da cronológica de posse, são: Helio Literária (1993); A Pizza Pizza Literária de março de 1999. Begliomini e Flerts Nebó (titulares- Literária – Segunda Fornada • Antologia Paulista. Surgiram para fundadores, 1989); Regis Cavini (1995); Criação, Prosa e Poesia reunir os trabalhos que foram Ferreira (1993); Carlos Luiz (1996); A Pizza Literária – publicados em O Bandeirante num Campana e Thereza Freire Vieira Quinta Fornada (1998); A Pizza período de dois anos anteriores. Até (1995); Walter Whitton Harris Literária – Sexta Fornada o momento, o projeto é totalmente (1997); Aldo Miletto e Josyanne Rita (2000); A Pizza Literária – patrocinado pela entidade. Já foram de Arruda Franco (1999); Evanil Sétima Fornada (2002); A Pizza realizados seis volumes: I Antologia Pires de Campos (2000); Luiz Literária – Oitava Fornada (1999); II Antologia (2000); III Giovani (2001); Alcione Alcântara (2004); A Pizza Literária – Nona Antologia (2001); IV Antologia Gonçalves (2003) e Nelson Jacintho Fornada (2006) e A Pizza (2003); V Antologia (2005) e VI (2006). Literária – Décima Fornada (no Antologia (2007). • Hino da Sobrames – SP. Projeto prelo, 2008). • Bastão Presidencial. Idealizado em andamento nesta gestão, visa a• O Bandeirante. Trata-se do seu como símbolo do poder e da escolher, sob pseudônimo, de forma órgão oficial que reúne informação responsabilidade presidencial pelo democrática e imparcial por todos os e trabalhos literários de seus seu mandato, foi utilizado pela sócios adimplentes, a letra do hino membros. Foram muitas e crescentes primeira vez por ocasião da que representará a entidade. as mudanças que sofreu ao longo do transmissão do cargo em dezembro Esses dados falam por si tempo. De periodicidade mensal, de 2000. mesmos. São apenas algumas linhas, pois teve sua primeira edição em • Sabatina Literária. Evento muito do que se fez e tem se produzido novembro de 1992. Em abril de idealizado como tertúlias literárias na Sobrames de São Paulo está 1997, começaram a ser editadas as para serem realizadas aos sábados, subentendido no abnegado e não Páginas Sobrâmicas como de caráter eventual. Houve duas espalhafatoso trabalho que se insere nas suplemento literário de O edições: São Paulo (2004) e Jundiaí entrelinhas da história e nas incontáveis Bandeirante. A última edição das (2008). reuniões que se têm sucedido para que Páginas Sobrâmicas foi a de n o • São Paulo Informa. Tratava-se de tudo ocorra da melhor forma possível. 46 (janeiro de 2001), Ano IV. O um caprichoso informativo Tantos feitos só foram possíveis conteúdo desse suplemento literário eletrônico semanal de formato leve graças a uma força-motora movida pelo foi incorporado em O e dinâmico que foi idealizado e amor e pela dedicação à causa da Bandeirante. Desde janeiro de iniciado no primeiro semestre de entidade que perpassou e tem 2007, O Bandeirante tem sido 2004. Circulou por quase um ano e perpassado através de denodados divulgado em cores pela Internet a teve 47 edições. Situações adversas, membros de várias diretorias, dando um universo de mais de mil desnecessárias, inoportunas e continuidade, graça e engrandecimento endereços, entre pessoas físicas e inconseqüentes fizeram com que esse à sua finalidade. entidades. Neste mês atingiu sua projeto fosse lamentavelmente Todos os seus membros são 190a edição! suspenso. herdeiros e, ao mesmo tempo, res-• A Bandeira da Sobrames – SP • Criação de Concursos. Visam a ponsáveis por esta data. Feliz 20 o foi idealizada, elaborada e fomentar o aprimoramento literário aniversário da Sobrames do Estado de inaugurada na III Jornada Médico- de seus membros; premiar os São Paulo! Comemoremos muito esta Literária Paulista, realizada de 24 a melhores trabalhos realizados e singular efeméride! 26 de novembro de 1995. estimular a maior participação nas• Presidentes na Sobrames atividades promovidas ou apoiadas nacional. Da Sobrames – SP já pela entidade. A Sobrames – SP tem

×