Your SlideShare is downloading. ×
O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008
O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008
O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008
O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008
O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008
O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008
O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008
O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

O Bandeirante - n.183 - Fevereiro de 2008

185

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
185
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Jornal O Bandeirante Informativo Mensal da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores Regional do Estado de São Paulo Ano XVI - nº. 183 - FEVEREIRO de 2008 Redação: sobrames@uol.com.br - (11) 9182-4815 Língua portuguesa e particularidades de sua ortografia Helio Begliomini* “O escritor original não é aquele que não imita ninguém, mas sim aquele que ninguém pode imitar”. François René de Chateaubriand (1768-1848), escritor francês. O Brasil caracteriza-se por ter uma sociedade urbana, uma vezque apenas 16% de sua população estão no campo. Contrariamente, essepercentual é de 71% na Índia e 60% na China. O Brasil, país-continente, quinto maior em extensão territorialdo globo terrestre, oferece notável homogeneidade cultural. Apesar dosdiscretos regionalismos, o português é falado em toda a sua extensão amá-la; dizê-lo, odiá-lo; fá-lo-ei; fê-los, movê-las-íamos, pô-los,territorial e inexistem dialetos. Ao contrário, na China, além do qué-los, dá-nos.mandarim, como língua oficial, existem pelo menos 53 idiomas nacionais Em monossílabos tônicos (com pronúncia forte), coloca-see mais de cem dialetos! Por sua vez, na Índia, há dezesseis línguas oficiais acento agudo nas palavras que terminam em a, e, o abertos, e come 844 dialetos! acento circunflexo os que acabam em e, o fechado, sendo exemplos: pá, O português é a quinta língua mais falada no mundo (!), perdendo pó, pé, pás, pós, pés, dê, dês, vô, vôs, Sé, lá, lê, dá, nó, nós, vó, vós.apenas para o mandarim (chinês) e o pequinês, sua variante dialetal; para Coloca-se acento agudo no e de palavras oxítonas cujao inglês; o espanhol e o hindi. terminação é em ou ens: alguém, também, além, desdém, porém, O português é falado por cerca de 4% dos seis bilhões de nenéns. Diferenciam-se de vocábulos paroxítonos com a mesmahabitantes da população mundial. Esse número sobe para 12% se levar- terminação e que não precisam ser acentuados: imagem, cosem, cedem,se em consideração apenas o mundo ocidental, onde existe a maior garagem, viagem, plumagem, nuvem, item, jovem, totem. Quandoporção da riqueza e de desenvolvimento tecnológico do planeta. No a palavra é monossílaba é desnecessário acentuá-la: tem, cem, nem,continente Americano, é expresso por 1/5 da população (22%); na vem, sem, quem, bem, trem, tens, vens, bens.América do Sul e Central juntas, 43%; e, exclusivamente na América do Vocábulos oxítonos terminados em i e u só necessitamSul, por 51% dos 328 milhões de habitantes. acentuação quando estiverem sozinhos na sílaba. Sem acentuação: aqui, O idioma português possui acentuação gráfica que serve para ri, vau, gurupi, bambu, peru, urubus, mau, nau, feri-lo, caju,informar a correta leitura das palavras. Os acentos podem indicar a admiti-lo, abri-la, permiti-nos, garanti-lo, persegui-los,intensidade e, outros, a leitura correta das palavras, ou seja, se a pronúncia consegui-las, muni-los, fingi-lo. Com acentuação: baú, Emaús,é aberta ou fechada. Como exemplos, têm-se verbos que, na dependência atraí-la, distribuí-los, distraí-la, subtraí-las, destruí-lo, instruí-da acentuação e da frase, podem-se tornar substantivos ou adjetivos: ela la, constituí-lo, traí-las, atraí-lo. O acento serve também paracritica (verbo); a crítica foi suave (substantivo); ou ela é uma pessoa diferenciar tempos verbais: ele sai de eu saí; ela cai de eu caí; dai-noscrítica (adjetivo). Outros exemplos são: eu publico/local público; eu de daí disse-nos; ele conclui de eu concluí; ai de aí.me exercito/o exército; ela pacifica/ela é pacífica; eu pratico/ele é Os vocábulos proparoxítonos, cuja acentuação tônica recaiprático; eu habito ali/esse é o hábito franciscano; o trânsito vitima/ sobre a antepenúltima sílaba, necessitam de acentuação gráfica.ela foi vítima do trânsito; eu transito/o trânsito; a bandeira tremula/ Entretanto, constituem a minoria em nosso vernáculo. São exemplos:a mão trêmula; ele duvida/qual é a sua dúvida? etc. médico, tíquete, rubéola, fac-símile, ácido, lâmpada, ênfase, câmara, Entretanto, a língua portuguesa é preponderantemente fenômeno, pêssego, êxito, estereótipo, rubéola, revólveres etc. Ademais,paroxítona, ou seja, possui palavras que não necessitam de acentuação muitos verbos na primeira pessoa do plural tornam-se proparoxítonos,gráfica. Existem milhares de palavras que possuem pronúncia forte ou devendo levar acentuação gráfica: fôssemos, saíamos, levávamos,tonicidade na penúltima sílaba: carvalho, escrevo, amamos, cama, horas, dispúnhamos, perdíamos, éramos, quiséssemos.mesa, cadeira, claro, clareza, varia, carinho, escuro, direito, correto, Na ortografia correta, deve-se também acentuar os nomescerto, advogado, soco, bolo, tolo, mofo etc. próprios proparoxítonos: Angélica, Ângelo, Jéferson, Cícero, Róbinson, Há, outrossim, palavras nas quais o acento tônico ocorre na Amábile, Émerson, Éverton, Eurídice, Rosângela etc. Entretanto, o queúltima sílaba. São as oxítonas terminadas em i, u, r, l, ao, ã, sendo deve prevalecer é o modo como foi registrado em Cartório. O idiomaexemplos ali, caju, valor, papel, cartel, acharão, falarão, manhã, maçã português escorreito não é de fácil aprendizado, assimilação e domínio,etc. Como se vê, o acento gráfico é a exceção. Por vezes, ele é colocado haja vista sua multiplicidade de regras e tempos verbais. Entretanto, é aípara diferenciar a significação de vocábulos, tais como sabiá (pássaro) que residem sua beleza, versatilidade e riqueza de expressão.de sabia (verbo); maio (mês) de maiô (roupa de banho); Pelé (nome, Inexiste escritor sem idioma e idioma sem escritor. A propósito,apelido) de pele (órgão de revestimento). Pietro Bembo (1470-1547), literato italiano, cinco séculos atrás, Coloca-se acento agudo ou circunflexo nas palavras oxítonas brilhantemente asseverou: “Não se pode chamar realmente de línguaterminadas em a, e, o seguidas ou não de s. Exemplos: avôs, avós, ao idioma que não possui escritor”.português, norueguês, Iaiá, dominó, jacarés, cachê, cajá. Nestaregra, incluem-se as formas verbais seguidas de pronomes: contatá-lo, *Médico urologista e Presidente da SOBRAMES-SP
  • 2. 2 O Bandeirante - Fevereiro de 2008 editorialexpediente Os critérios para publicaçãoJornal O Bandeirante Freqüentemente sou abordado correio ou por e-mail, o que propicia umaANO XVI - nº. 183 - Fevereiro 2008 pelos autores acerca dos critérios que quantidade bastante expressiva de textos utilizo para a seleção e publicação dos aguardando publicação .Publicação mensal da SOBRAMES-SP -Sociedade Brasileira de Médicos textos literários no suplemento mensal. Ocorre que o espaço disponívelEscritores - Regional do Estado de São Paulo Na maioria das vezes, eles insinuam para os textos em nosso suplemento é de apenas: “faz tempo que não publicam 4 páginas mensais, comportando aSede: Rua Alves Guimarães, 251 - nenhum texto meu”. Ou então queixam- publicação de cerca de 8 a 10 autores aCEP 05410-000 - Pinheiros - São Paulo - SPTelefax: (11) 3062-9887 / 3062-3604 se de maneira velada que os editores têm cada edição. É fácil fazer as contas e privilegiado mais um autor do que outro verificar que, para que se publique aEditores: Flerts Nebó, Marcos Gimenes e que seus trabalhos têm sido preteridos. todos em igualdade de condições,Salun. Desde que assumi a co-editoria do demandará algum tempo entre umaRedatores: Helio Begliomini, MarcosGimenes Salun, Flerts Nebó. jornal “O Bandeirante” em fevereiro de aparição e outra. É importante salientarRev isão: Ligia Terezinha Pezzuto 2001, em parceria com Flerts Nebó, tem ainda a dificuldade de edição de textos(MTb 17.671 - SP). sido minha a responsabilidade de muito longos, que ocupariam váriasJornalista Responsável: Marcos Gimenes selecionar os textos que mensalmente irão páginas para um só autor em detrimentoSalun - (MTb 20.405 - SP).Redação e Correspondência: Av.Prof. compor o Suplemento Literário. Para de outros. Ressalte-se, finalmente, queSylla Mattos, 652 - ap. 12 - Jardim Santa tanto, tenho procurado adotar os os textos premiados em nossosCruz - São Paulo - SP - CEP 04182-010. critérios mais justos possíveis para que concursos anuais ou na Superpizza sãoE-mail: sobrames@uol.com.br. todos os autores tenham iguais opor- publicados no Suplemento indepen-Tels.: (11) 9182-4815 / 6331-1351 tunidades de publicação. dentemente do “rodízio” de autores feitoColaboradores desta edição: Walter Contudo e, como esses critérios para melhor atender aos parâmetrosWhitton Harris, Michel Herbert Alves nem sempre transparecem ou não são acima mencionados.Florêncio, Carlos Alberto Ferriani, Antonio divulgados a todo instante, sempre é bom A missão do editor, portanto, nãoCarlos Lima Pompeo, Carlos AugustoFerreira Galvão, Thereza Freire Vieira, que se pontuem os principais deles, para é das mais fáceis, pois além disso tudo,Josyanne Rita de Arruda Franco. que não pairem dúvidas. também deve ter em foco que a Sobrames Em primeiro lugar, é dada prefe- é uma Sociedade formada por amantesDiretoria - Gestão 2007/2008 - Presidente: rência à publicação dos textos dos da literatura amadora. Ao editor cabe, naHelio Begliomini; Vice-Presidente:Josyanne Rita de Arruda Franco; Primeiro- associados que estejam em dia com a medida do possível, dar conta dosSecretário: Maria do Céu Coutinho Louzã; tesouraria. A média de pagantes anual tem objetivos estatutários dessa entidade,Segundo-Secretário: Evanir da Silva sido de cerca de 50 associados. Boa parte qual seja a de incentivar a todos osCarvalho; Primeiro-Tesoureiro: Marcos desses autores apresenta seus textos nas autores, proporcionando-lhes a justaGimenes Salun; Segundo-Tesoureiro: LigiaTerezinha Pezzuto; Conselho Fiscal Pizzas Literárias e disponibiliza-os para divulgação e promoção de seu diletanteEfetivos: Flerts Nebó, Arary da Cruz Tiriba, publicação mensalmente. Muitos outros trabalho literário.Luiz Jorge Ferreira; Conselho Fiscal autores remetem-nos seus textos por Marcos Gimenes SalunSuplentes: Carlos Augusto Ferreira Galvão;Geováh Paulo da Cruz; Helmut AdolfMataré. Walter Whitton Harris Projeto Gráfico e Diagramação: Cirurgia do Pé e Tornozelo Ortopedia e Traumatologia Geral Rumo Editorial Produções e Edições CRM 18317 Ltda. CNPJ.07.268.251/0001-09 Av. República do Líbano, 344 E-mail: rumoeditorial@uol.com.br 04502-000 - São Paulo - SP Tel. 3885 8535 / Cel. 9932 5098 Matérias assinadas são deresponsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião da SOBRAMES-SPPRESTIGIE E COLABORE. AS INICIATIVAS DA SOBRAMES-SP Anuncie aqui! PODERÃO SER MUITO MELHORES SE VOCÊ TAMBÉM PARTICIPAR. OS ACONTECIMENTOS PODEM ESTAR TABELA DE PREÇOS DEPENDENDO DE UMA AÇÃO POSITIVA SUA. (valor do anúncio por edição) Tiragem desta edição: 250 exemplares Rua Luverci Pereira de Souza, 1797 - Sala 3 Cidade Universitária - Campinas (19) 3579-3833 (papel) e mais de 1.000 exemplares 1 módulo horizontal R$ 30,00 enviados por e-mail. 2 módulos horizontais R$ 60,00 3 módulos horizontais R$ 90,00 longevità 2 módulos verticais R$ 60,00 Hospital Metropolitano 4 módulos R$ 120,00 Estética facial, corporal e odontológica * Massagem * 6 módulos R$ 180,00 Serviços de Pronto-Socorro Drenagem * Bronze Spray * Nutricionista * RPG Outros tamanhos sob consulta e tratamentos de ambulatório Rua Maria Amélia L. de Azevedo, 147 - 1º. andar Rua Marcelina, 441 - Vila Romana - SP (11) 3531-6675 sobrames@uol.com.br (11) 3677.2000
  • 3. O Bandeirante - Fevereiro de 2008 - SUPLEMENTO LITERÁRIO 3 O calendário e o ano bissexto Walter Whitton Harris Médico ortopedista - São Paulo - SP S SENDO 2008 UM ANO BISSEXTO, interessou-mepesquisar sua origem, razão de ser e, ao mesmo tempo, estudaro calendário que adotamos. Desde os tempos mais remotos, existiram calendários,devido à necessidade do Homem de contar o tempo e àobservação do dia e da noite, e das estações do ano. Muitoscalendários passavam de pais para filhos oralmente, quandoainda não existia a escrita e, mais tarde, havendo-a, baseou-sefreqüentemente na ascensão dos monarcas, levando a enormes Quando Júlio César introduziu seu calendário em 46 a.C.,confusões na cronologia da história da humanidade. ele fez com que o ano se iniciasse em 1º. de janeiro, mas nem Havia grandes dificuldades para sua adequação, sempre foi assim. A Igreja não gostava das festividades quasejustamente porque a duração do dia e de um mês não é um pagãs que ocorriam no Ano Novo e, em 567 d.C., o Concílio demúltiplo exato, resultando num ano inexato. Tours declarou que iniciar o ano em 1º. de janeiro era um erro Muitos séculos antes de Cristo, os egípcios já utilizavam que precisava ser corrigido. Durante a Idade Média, várias datasum ano de 360 dias que se iniciava com a enchente anual do foram usadas, gerando muitos problemas de interpretação.Nilo. A cada 4 anos, começaram a adicionar um dia, depois de Apesar de representar um avanço, e muitos paísesdeduzirem que um ano correspondia a 365,25 dias. adotarem o Calendário Gregoriano, principalmente os países Em 46 a.C., o Imperador Júlio César (Gaius Julius Caesar, protestantes demoraram para aceitá-lo. Na Alemanha só foi102-44 a.C.) reformou o calendário existente em Roma, no qual adotado no século XVII, e países europeus como Dinamarca,se introduzia um 13º. mês sempre que se achava necessário e, Finlândia, Noruega e Suécia, no séc. XVIII. Curiosamente, naassim, surgiu o Calendário Juliano, com 12 meses em que, a Inglaterra (e não na Escócia), o ano histórico começava em 1º.cada 4 anos, havia um ano de 366 dias. Esse calendário foi de janeiro e o ano litúrgico iniciava-se no primeiro dia doadotado na Europa por cerca de 1500 anos. Advento (quatro semanas antes do Natal). No entanto, o ano Foi observado que, apesar da correção a cada 4 anos, o civil variou muito: do século VII ao século XII, começava em 25Calendário Juliano não era preciso, pois o ano apresentava 11 de dezembro; do século XII até 1751, em 25 de março. Somenteminutos e 14 segundos a mais em relação ao Ano Solar. Com o após 1752, quando se adotou o Calendário Gregoriano,passar do tempo, essa diferença afetava as datas do início das oficializou-se a data de 1º. de janeiro. Vários países só adotaramestações e dos festivais religiosos. esse calendário no século XX, como Bulgária, Grécia, Iugoslávia, Em 1582, o Papa Gregório XIII (1502-1585), após vários Romênia, Turquia e União Soviética. Na China foi aceito paraestudos juntamente com astrônomos e matemáticos, modificou vigorar simultaneamente com o calendário tradicional chinês.o Calendário Juliano e elaborou o Calendário Gregoriano, que é No Brasil, colônia de Portugal, então sob domínio da Espanha,utilizado até os dias de hoje. Através de muitos erros e acertos, passou a vigorar em 1582, data em que fora instituído pelochegou-se à seguinte regra, que é seguida desde então: “Será Papa Gregório XIII.bissexto todo ano cujo número seja divisível por 4 e não divisível É interessante saber a forma inglesa de chamar-se o anopor 100, sendo também bissexto os anos divisíveis por 400”. bissexto: leap year. Ao pé da letra, significa “o ano que pula”. Como o Ano Juliano é mais longo que o Ano Solar, no Cogita-se que deriva do fato de que os festivais, após o diafinal de um século há um excesso cerca de ¾ de um dia. Em 4 intercalado (29 de fevereiro), “pulam” um dia à frente.séculos, essa diferença corresponde a aproximadamente 3 dias. O antigo calendário romano apresentava três dias fixosComo a cada 4 anos há um ano bissexto, em cada 400 anos no mês, baseados no ciclo lunar e um mês era dividido em trêsteríamos 100 bissextos. Considerando-se que os dias partes, separadas por calendas (lua nova), nonas (quartoexcedentes seriam introduzidos nos futuros anos bissextos, a crescente) e idos (lua cheia). Os demais dias eram contados desolução ao problema foi de eliminar 3 anos bissextos para se trás para a frente em relação ao dia fixo subseqüente. O dia 2 deeliminar os 3 dias excedentes, ou seja, a partir de 1582 somente janeiro, por exemplo, era antediem IV nonas januarii, “quatropoderiam existir 97 anos bissextos a cada 400 anos. Escolheu- dias antes da nona de janeiro”, o dia 3 de fevereiro, antediemse então retirar os anos bissextos divisíveis por 100 (que seriam III nonas februarii, ou seja “três dias antes da nona de4), mas para poder retirar apenas 3, manteve-se o único ano fevereiro” e assim por diante. Obviamente, calendas resultoubissexto divisível por 400. Por esse motivo, um em cada 4 anos no termo “calendário”.de fim de século é considerado ano bissexto, mas tão somente Júlio César não inventou um novo dia (como existe hojese for divisível por 400. Os anos de 1700, 1800, 1900 não foram o dia 29 de fevereiro) para compensar o dia a mais a cada 4anos bissextos, assim como 2100 não o será, porém 1600 e 2000 anos, mas escolheu, aleatoriamente, o dia 24 de fevereiro paraforam bissextos, por serem divisíveis por 400. A engenhosidade ser repetido novamente. Esse dia, em latim, chamava-se bispara resolver esse problema talvez seja um dos cálculos mais sextum antediem calendas martii, “o segundo sexto dia antesbrilhantes do século XVI. das calendas de março”. Daí a origem do termo bissexto.
  • 4. 4 SUPLEMENTO LITERÁRIO - O Bandeirante - Fevereiro de 2008 A nuvem e eu Michel Herbert Alves Florêncio Médico pediatra - São Luiz - MA A A 10 mil pés, voando do norte ao sul do Brasil neste imenso céu azul consegui enfim extrair de ti, além das gotas da chuva, a tua essência. Notei-te tão pertinho de mim, ora homogênea, pura e límpida, leve plenitude que segue, sem destino. Ora densa, escura, informe e resistente ao vento, como eu. Ora divinamente útil e até suficientemente sábia para assim poder abrandar a ira do sol. Ora revolta, uma verdadeira inversão do mar, que deságua torrentes naufragando na terra, culpados inocentes. Tal qual a nuvem, multiforme em suas várias dimensões, tento harmonizar na minha inquietude, a terra, o mar e o céu, em chuvas de versos em linhas de qualquer papel. Assim como a nuvem, evaporo-me neste torrão transpasso em muito ares sem perder jamais de vista a minha missão. Sou a própria substância em sentimentos que inesperadamente se decompõe em gotas trazendo refrigério ao mais ambígüo coração. Está aí, enfim, a minha vocação. Fugidio S Carlos Alberto Ferriani Nem toda a luz Sentado na rede Cirurgião plástico - Ribeirão Preto - SP Que invade vísceras e pele Numa travessia sem mágoa Amortiza o breu da alma que arde Umbilical e iluminada Talvez a dor da falta do filho Sem pedir licença ao passado Que parte por ter razão de ir Procuro a causa da solidão Explique esse vazio Que se faz chegar Cause tanto desvario E que me torna mar Mas vida reluz E morto de sede Do oceano impeleComo quando nem toda a água Desenhado pelas ondas do fim de tarde Basta a saciar ou se faz dada Então resgato calma e brilho E o tão castigo consumado Pela só doçura do existir Entranha na minha imensidão Vou paz no homizio Fico a navegar Vou pois, menos sombrio Areia à beira-mar
  • 5. O Bandeirante - Fevereiro de 2008 - SUPLEMENTO LITERÁRIO 5 O “quase” linchamento do delegado Antonio Carlos Lima Pompeo Médico urologista - São Paulo - SP O O costume de fazer a lei pela força permaneceupor muitos anos em nossa cidade (Mogi-Guaçu). Teveorigem, provavelmente, na época em que os bandeirantespor aqui paravam para descanso ou abastecimento. Asfamílias constituíam clãs em que o “apoio” a todos dogrupo era irrestrito, independentemente de os valores A família e concidadãos resolveram vingar-se do delegado. Aguardaram sua saída da cadeia no final da tarde e, como um enxame de abelhas, caíram sobre ele,estarem certos ou não. que tentava escapar, gritando e correndo de forma Os delegados em geral eram forasteiros, ficavam desordenada. Os poucos policiais nada puderam fazer,pouco tempo por aqui e tinham um poder de decisão ficando também imobilizados.inimaginável. Com grande autonomia, prendiam, puniam, Graças ao bom senso de alguns cidadãos, quesoltavam. Pois bem! Um desses delegados, recém- impediram que o massacre fosse concluído, o pobrechegado (início dos anos 50 do século XX), que morava delegado conseguiu sair com vida. Daí em diante, a forçacom sua esposa muito próximo da loja de meu avô, ordenou policial ganhou mais elementos, e os futuros homens daa prisão de um senhor de mais ou menos setenta anos, lei foram instruídos a lidar com mais discernimento compor motivo aparentemente fútil. Na delegacia, puniu o os habitantes. Da loja do meu avô, que cerrou as portas ecidadão com agressões físicas, comuns na época (costume gritava para que poupassem a vida do delegado, assistique teve seu auge anos depois com a mudança do regime). apavorado a esse triste episódio. Surreal Carlos Augusto Ferreira Galvão Médico psiquiatra - São Paulo - SP A A espuma do espumante grita no meu copo Cheiro de patchuli em Sampa e a chuva cai Choro pizza com seu riso gorduroso O espumante passa zarpando na garganta Sobrames acabanada Coleção de neurônios literários Açúcar em água, drama, comédia Teatro paulistano, delícia cultural O avião caiu em nossa cabeça São Paulo esmaga-me em trapaça Aventuras, daqui a pouco, à beça Tem ternura aqui em Sampa, bela cachaça.
  • 6. 6 SUPLEMENTO LITERÁRIO - O Bandeirante - Fevereiro de 2008 O Os meninos de rua, abandonados, enjeitados, mal-amados, miseráveis que perderam a esperança, o direito de sonhar. Das migalhas que ganham na rua, com esmolar, com pequenos furtos não matam a fome com alimentos Os mal-amados Thereza Freire Vieira Médica geriatra - Taubaté - SP mas sim com a cola, o craque, a maconha para tapear o abandono e a falta de amor. Esses nunca foram crianças! São velhos na mais tenra idade, são desiludidos, que da vida apenas esperam... serem apanhados pela polícia, levados ao juizado de menores, serem encurralados na FEBEM, que nada tem a oferecer... Nem espaço, nem conforto, nem estudo. Existe apenas um aprendizado especializado, como uma pós-graduação que os bacanas buscam nas universidades e ali lhes é dado... É o aprendizado do crime, dos desvios sexuais da marginalidade, do ódio e da revolta. E quando voltar à sociedade com a especialização completa, será uma fera invencível! Girândolas Josyanne Rita de Arruda Franco Q Médica pediatra e psicanalista - Jundiaí - SP Qual é a minha cidade? É um espaço no meu pensamento, É um sonho que se disfarçou No sentido do meu sentimento? Cadê a minha cidade? Vive cercada de folguedos Que me adornam as lembranças, Camuflando os meus segredos? Em que galáxia está? Na constelação de mil flores, Nos aromas divinais, no deslumbrar de mil cores? Será que deixou de existir Ou nunca passou do desejo De um cigano a suplicar Um rumo, um norte, um cortejo? Não sei mais onde ela está, Só sei que me olha e eu a vejo Cá dentro do peito a gritar Que é o porto seguro de um beijo!
  • 7. O Bandeirante - Fevereiro de 2008 7 estante Fragmentos de uma Uma família paulista Orações, Salmos e história Leda Galvão de Poesias - o verbo Luiz Barreto - Edição Avelar Pires - Edição em ebulição Michel do autor - 2000 - do autor - 2007 - Herbert - Edição do Recife - PE - 184 p. Botucatu - SP - 318 p. autor - 2007 - São Luís - MA - 112 p.O médico Luiz de Gonzaga Braga Nesta obra Leda Galvão coloca com O projeto é de 2001, mas só agoraBarreto, ex-presidente da Sobrames- maestria literária suas memórias e vem a lume a poesia deste médicoPE, sempre manteve uma séria e suas pesquisas nos relatos da família, pediatra maranhense, numa obradedicada atenção para os assuntos da reconstituindo os episódios, singela, plena de fé e de lirismo, queSociedade Brasileira de Médicos enriquecendo-os com as informações desde logo contagia os leitores.Escritores. Foi com esse espírito que do contexto histórico e social da Trata-se de uma leitura leve, masele brindou os leitores, em 2000, com época. Nas entrelinhas de “Uma profunda, onde os temas sãouma obra de inegável valor histórico Família Paulista”, surge o retrato de abordados de forma inteligente numapara a Sobrames, ao registrar toda a várias épocas, lições de vida e , linguagem que cativa o leitor desdetrajetória da regional pernambucana sabedoria popular de que “não existe os primeiros momentos. O própriodesde sua fundação e até aquele ano. problema que não possa ser a- t m autor avisa: “Procurei brincar com asCom imparcialidade e baseado em resolvido”. Leda é membro da b é m palavras, ousei fazer novos conceitos,acervo documental, Barreto alinhavou Academia Botucatuense de Letras e fiquei livre e voei em meuse registrou, nessa importante obra, a participou ativamente da VI Jornada pensamentos.” O livro, que foihistória da regional que já dirigiu. Médico-Literária Paulista realizada na prefaciado por Walter Harris, poderáLeitura recomendada para quem cidade de Botucatu em 2001, além de ser adquirido diretamente com opretende conhecer melhor a colaborar eventualmente com autor, que destina 20% do valorSobrames. Contatos: Rua Alfredo atividades da SOBRAMES. Para arrecadado para as Missões Munidias.Pereira Borba, 21 - ap.701 informações e aquisições envie Para contatos e informações, escrevaCEP 50720-190 - Recife - PE e-mail: leda_galvao@uol.com.br para mh.florencio@uol.com.br Esta seção tem como objetivo divulgar e promover a venda dos livros dos associados adimplentes. Para participar, os autores interessados devem enviar as seguintes informações sobre os livros que pretendam divulgar: Título, Editora, Ano e Cidade da Publicação, Nº. de Páginas, Preço, Forma de contato e aquisição e um arquivo magnético, contendo a foto da capa do livro (extensão JPG). São dispensadas essas informações caso o livro já esteja disponível no acervo da SOBRAMES-SP. Opcionalmente o autor poderátambém enviar o livro, ainda que por empréstimo, para a redação do jornal. O envio do material, assim como de notícias, publicações ou informações sobre lançamentos de livros deve ser feito para: Jornal “O Bandeirante” - Redação: Av. Prof.Sylla Mattos, 652 - ap.12 Jardim Santa Cruz - São Paulo - SP - CEP 04182-010 - Também serão recebidas as informações pelo e-mail: SOBRAMES@UOL.COM.BR. registro tiriba na imprensa Ceará sediará XXII Nosso associado e membro da atual diretoria, Dr. Arary da Congresso Brasileiro Cruz Tiriba, teve publicados recentemente dois artigos desua autoria na imprensa: 1. Na edição de 22.01.2008 do jornal “O Estado de São Paulo”,na coluna Espaço Aberto, o artigo “Febre amarela ontem e hoje”; 2. Na revista“Diagnósticos e Tratamentos”, edição de dezembro de 2007, a crônica “Memória: a dopaciente e a do médico”. visita a tatiana a voz da poesia De 4 a 7 de junho, a cidade de Tatiana Belinky, membro Chegou mais uma vez em nossa caixa de Fortaleza sediará o XXII Congresso honorário da SOBRAMES- correio uma edição do jornal “A Voz da Brasileiro de Médicos Escritores e o III SP, foi visitada em 26 de Poesia”, publicação do Movimento Poético Comitê Feminino da SOBRAMES. As janeiro pelo confrade Nacional. Trata-se da edição nº. 79, onde inscrições já estão abertas. O evento Walter Harris. Encontra- se registra, dentre outras poesias, os acontecerá no Ponta Mar Hotel e asse muito bem e, com seus versos de nosso confrade Hélio J. Déstro. reservas e informações sobre preços do89 anos de idade, acabou pacote podem ser obtidas através dos e-mails de lançar mais um livro infantil de nome michel de volta angela.campos@casablanca.tur.br ou “Limeriques sobre Cocanha”, refente ao Com grande satisfação, joana.pires@casablanca.tur.br.país imaginário europeu utópico Cocagne. anunciamos o retorno, A programação cultural inclui Pediu para mandar um forte abraço a ao quadro de sessões de temas livres (prosa e poesia), todos os associados, desejando-lhes um associados ativos da mesas redondas, conferências e palestras. 2008 repleto de realizações. Sobrames-SP, do médico A regional de São Paulo já está organizando pediatra Michel Herbert sua caravana para participação no evento.falecimento Alves Florêncio, O material informativo está sendo enviadoCom pesar registramos o falecimento do atualmente residindo em São Luís - MA. O por e-mail aos associados paulistas, queSr.Hamilton Osório, marido da vice- poeta Michel havia ingressado na regional devem inscrever seus trabalhos até 31 depresidente da Sobrames - SP, Dra. paulista no ano 2000, mas por março. Maiores informações podem serJosyanne Rita de Arruda Franco, ocorrido necessidade de atividades profissionais obtidas diretamente com a comissãono último dia 06.02.2008. Aos familiares acabou ficando ausente por algum tempo. organizadora do Congresso, através do e-enlutados, manifestamos nossas mais Agora volta ao nosso convívio literário, mail sobramesce@secrel.com.br ou pelosinceras condolências. para gáudio de todos os confrades. tel./fax (85) 3244-3807.
  • 8. 8 O Bandeirante - Fevereiro de 2008 Você já pagou sua Abril em Jundiaí: agenda anuidade de 2008? Sabatina Literária Foi fixado em Anote nossos próximos com- No próximo dia 26 abril (sábado),R$140,00 (cento e promissos e participe de todas as a Sobrames-SP vai realizar, na cidade dequarenta reais) o valor atividades, marcando pontos para o Jundiaí, mais uma Sabatina Literária. Ada anuidade de 2008. “Prêmio Rodolpho Civile” de programação do evento prevê a visitaEssa quantia é válida assiduidade e “Prêmio Aldo Miletto” a um dos muitos museus da região, umapara os que efetuarem para o melhor desempenho, ambas na tertúlia literária dos membros de nossao pagamento até o dia segunda edição. As datas aqui previstas associação em conjunto com entidades31.03.2008. A partir de poderão sofrer alterações no caso de culturais locais e um almoço de1º. de abril, o valor haver algum impedimento ou de confraternização por adesão, num dospassa a ser de R$ 170,00 (cento e ocorrências de feriados. Nesta deliciosos restaurantes da cidade, comsetenta reais). hipótese, haverá divulgação de novas custo estimado em R$ 30,00 por Os pagamentos podem ser feitos datas. pessoa.durante as Pizzas Literárias ou atravésdo envio de cheque cruzado, nominalà SOBRAMES-SP, para o endereço do MARÇO - 6 reunião de diretoria /atual tesoureiro: 27 Pizza Literária. Marcos Gimenes Salun Av. Prof. Sylla Mattos, 652 - ap.12 ABRIL - 3 reunião de diretoria / Jardim Santa Cruz - São Paulo - SP 17 Pizza Literária / 26 Sabatina CEP - 04182-010 Literária (Jundiaí). A previsão é de que o evento Até o fechamento desta edição, MAIO - 8 reunião de diretoria / tenha início às 8h30 e que osjá haviam contribuído:Aida Lúcia Pullin participantes estejam de volta a partir 29 Pizza LiteráriaDal Sasso Begliomini, Arary da Cruz de 16h00. Os interessados devemTiriba, Carlos Augusto Ferreira Galvão, inscrever-se nas Pizzas Literárias de JUNHO - 4 a 7 XXII CongressoGeováh Paulo da Cruz, Hélio Begliomini, 20.03 e 17.04, para que seja planejada Brasileiro de Médicos EscritoresHélio José Déstro, José Jucovsky, José a viagem de ida e volta a Jundiaí, queRodrigues Louzã, Ligia Terezinha (Fortaleza-CE) / 12 reunião de poderá ser feita distribuindo-se osPezzuto, Luiz Jorge Ferreira, Maria da inscritos em alguns veículos dos diretoria / 19 Pizza Literária.Glória Civile, Maria do Céu Coutinho próprios participantes. A participaçãoLouzã, Mário de Melo Faro, Michel JULHO - 3 reunião de diretoria / também contará pontos para o prêmioHerbert A. Florêncio, Nelson Jacintho,Roberto Antonio Aniche, Rodolpho “Aldo Miletto” de Melhor Desempenho 17 Pizza Literária. na Sobrames em 2008.Civile, Sérgio Perazzo, Thereza FreireVieira, Walter Whitton Harris e AGOSTO - 7 reunião de diretoria /Wladimir do Carmo Porto. Vem aí mais uma 21 Pizza Literária. Coletânea da Sobrames. SETEMBRO - 4 reunião de diretoria/ ROBERTO CAETANO MIRAGLIA Prepare seus melhores 18 Pizza Literária (eleições e ADVOGADO - OAB-SP 51.532 textos e não deixe de Aniversário da SOBRAMES-SP)ADVOCACIA – ADMINISTRAÇÃO DE BENS – NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS – LOCAÇÃO – participar desta obra! OUTUBRO - 2 reunião de diretoria / COMPRA E VENDA DE IMÓVEIS – ASSESSORIA E CONSULTORIA JURÍDICA Detalhes, na próxima 16 Pizza Literária. TELEFONES: (11) 3277-1192 – 3207-9224 edição deste jornal. NOVEMBRO - 6 reunião de diretoria 13 Pizza Literária / 29 lançamento Quer publicar da 10ª. Coletânea. seu livro? DEZEMBRO - 4 reunião de diretoria Não deixe de consultar a 18 Pizza Literária (posse da Visite nossas instalações e laboratórios RUMO EDITORIAL. totalmente adequados às novas normas da diretoria eleita para 2009/2010) Qualidade impecável, pelos Anvisa e com ampliação na gama de melhores preços. fornecimento de formulações magistrais nas áreas médica geral, homeopática, odontológica e veterinária. Rua Dr. Martinico Prado 144 - Santa Cecília REVISÃO Acesse nosso site: www.pharmaceutica.com.br de textos em geral Orçamentos: (11) 3225-0664 filial Ligia Pezzuto (11) 3666-3332 matriz Especialista em Língua Portuguesa rumoeditorial@uol.com.br e-mail:jucovsky@zipmail.com.br (11) 9182-4815 (11) 3864-4494 ou 8546-1725

×