PROGRAMAÇÃO CULTURAL E MEDIAÇÃO DE LEITURA

          EM BIBLIOTECAS PÚBLICAS
A REDE, CONTEXTO, MISSÕES




    PONTO DE ENCONTRO
INVESTIMENTOS

2005 - R$ 168.000,00
2006 - R$ 305.000,00
2007 - R$ 900.000,00
2008 - R$ 1.300.000,00
2009 - R$ 750.000,00
...
BP Hans C. Andersen




BP Clarice Lispector
BP Milton Santos
BP Paulo Setúbal
BP Alceu Amoroso Lima
BP Viriato Corrêa
BP Raul Bopp
BP Cassiano Ricardo
BP Roberto Santos
Oficina de Xilogravura
da BP Belmonte,
exposta na BP Alceu
Amoroso Lima
PRINCIPAIS PROGRAMAS E PROJETOS 2010

-Contação de histórias e leitura em voz alta.

-Festival "A Arte de Contar Histórias...
PROGRAMAÇÃO

• Eixos de Orientação: LEITURA, INFORMAÇÃO E MEMÓRIA

• Competências de: Divisão de planejamento e das Unidad...
PROGRAMAS DE FORMAÇÃO

1. Projeto Universus – Leitura em Voz Alta (2009)
Curso Básico de Formação para Contadores de Histórias
INICIATIVAS DAS UNIDADES


      Alguns exemplos
Biblioteca Gilberto Freyre - Sapopemba
                    Responsável: Raquel da S. Vianna de Andrade

                  ...
Biblioteca Gilberto Freyre - Sapopemba

Resultados:
• Todos os participantes haviam sido convidados pelos funcionários;

•...
Biblioteca Raimundo de Menezes – São Miguel Paulista
                            Responsável: Eliza Ishii

              E...
Biblioteca Raimundo de Menezes – São Miguel Paulista


Público Alvo: crianças jovens e adultos

Parceria: Associação Maria...
Biblioteca Camilla Cerqueira César – Butantã
                 Responsável: Ana Maria de Campos Lamim

             Projeto...
Biblioteca Camilla Cerqueira Cesar - Butantã

Objetivo Específico

Criar um grupo aberto e dinâmico de leitura, permitindo...
Biblioteca Camilla Cerqueira César – Butantã


Metodologia

-Textos de literatura brasileira do acervo da biblioteca, com ...
BIBLIOTECA ALVARO GUERRA – Pinheiros
                   Responsável: Jamile Salibe R. de Faria

                PROJETO: C...
Biblioteca Alvaro Guerra - Pinheiros

Metodologia: Leitura Livre
- Exposição de quantidade significativa de livros para li...
Oficina de Informação


Envolvidos: Jamile Faria - bibliotecária

Objetivos:
Incluir a comunidade na rede da informação cu...
Biblioteca Alvaro Guerra – Pinheiros


Metodologia:
• Acolhimento e apresentação da proposta de trabalho;
• Grupo escolhe ...
Biblioteca Álvaro Guerra – Pinheiros

Resultados
-Pessoas que não tinham espaços de troca de experiências e informações
pa...
Biblioteca Álvaro Guerra – Pinheiros

                             Sarau Poético (desde 2005)
         (inicialmente coord...
Biblioteca Álvaro Guerra – Pinheiros

Resultados:
- Houve assiduidade na frequência;

- A busca contínua e crescente tem s...
Biblioteca Álvaro Guerra – Sarau
BIBLIOTECA MARIO SCHENBERG – Lapa
                      Responsável: Patrícia Marçal Frias

   PROJETO “ DESCOBRINDO OS EN...
Biblioteca Mário Schenberg – Lapa

Público alvo: Professores e alunos do Ensino Infantil ao Médio.

Local: Na biblioteca e...
Biblioteca Mário Schenberg – Lapa

               PROJETO “LENDO LITERATURA LITERALMENTE”

“Cada leitor é, quando lê, o le...
Biblioteca Mário Schenberg – Lapa

Objetivos específicos:
- Inserir os participantes no projeto, como protagonistas elevan...
Biblioteca Mário Schenberg – Lapa

  PROJETO DE TRABALHO: JOVENS DO PROGRAMA EDUCAÇÃO PARA O
                       TRABAL...
Biblioteca Mário Schenberg – Lapa

Ações

•    Oficina “Somos, todos, contadores de histórias”, com Patrícia Marçal Frias,...
Biblioteca Mário Schenberg - Lapa

     Alguns depoimentos de alunos do SENAC que têm participado

“A visita a essa biblio...
Biblioteca Pedro da Silva Nava – Mandaqui
                             Responsável: Salete Cordeiro

                     ...
BIBLIOTECA BELMONTE – Temática em Cultura Popular
                            Santo Amaro

                               ...
Biblioteca Belmonte – Santo Amaro

Periodicidade: últimas quintas-feiras do mês com duração de uma hora e meia.

CARDÁPIO
...
Biblioteca Belmonte – Santo Amaro



Pagamento da refeição: É feita uma provocação “aos comensais” para irem até o
aparado...
Biblioteca Belmonte – Santo Amaro

                                  Repercussão

• Aumento do interesse pela Sala de Leit...
Conclusões Gerais
1. Formação provoca a criatividade;
2. Formação entre os funcionários da unidade promove a integração;
3...
Marlon Florian
           mflorian@prefeitura.sp.gov.br

                  Alice Bandini
           abandini@prefeitura.sp...
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas

5,125

Published on

Discussão sobre a importância da biblioteca como ponto de encontro e promoção de cultura. Apresentação de ações de mediação de leitura desenvolvidas pelas bibliotecas públicas da cidade de São Paulo e programas de formação.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,125
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
45
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Programação cultural e mediação de leitura em bibliotecas públicas

  1. 1. PROGRAMAÇÃO CULTURAL E MEDIAÇÃO DE LEITURA EM BIBLIOTECAS PÚBLICAS
  2. 2. A REDE, CONTEXTO, MISSÕES PONTO DE ENCONTRO
  3. 3. INVESTIMENTOS 2005 - R$ 168.000,00 2006 - R$ 305.000,00 2007 - R$ 900.000,00 2008 - R$ 1.300.000,00 2009 - R$ 750.000,00 2010 - R$ 2.000.000,00 (estimativa)
  4. 4. BP Hans C. Andersen BP Clarice Lispector
  5. 5. BP Milton Santos BP Paulo Setúbal
  6. 6. BP Alceu Amoroso Lima
  7. 7. BP Viriato Corrêa
  8. 8. BP Raul Bopp
  9. 9. BP Cassiano Ricardo
  10. 10. BP Roberto Santos
  11. 11. Oficina de Xilogravura da BP Belmonte, exposta na BP Alceu Amoroso Lima
  12. 12. PRINCIPAIS PROGRAMAS E PROJETOS 2010 -Contação de histórias e leitura em voz alta. -Festival "A Arte de Contar Histórias". -Programa de Formação de Contadores de Histórias. -Projeto "A Hora e Vez do Vestibular“ -Projeto Fanzines nas Zonas de Sampa, de oficinas de HQ. -Projeto Viaj&Ação -Oficinas, palestras e cursos -Encontros e bate-papo com escritores, diretores, músicos, especialistas etc. -Show musicais e lítero-musicais. -Exposições -Jornadas e Seminários
  13. 13. PROGRAMAÇÃO • Eixos de Orientação: LEITURA, INFORMAÇÃO E MEMÓRIA • Competências de: Divisão de planejamento e das Unidades. • Instrumentos oferecidos: - Contratação de profissionais para a realização das atividades propostas pelo Planejamento; - Cursos e oficinas de formação para os funcionários da rede, como o Projeto UniVersus de Leitura em Voz Alta e o Curso Básico de Formação para Contadores de Histórias, entre outros. • Objetivos: Promover e Mediar a Leitura Promover as diversas manifestações culturais; Instrumentalizar e proporcionar autonomia às unidades para que possam criar e desenvolver projetos; Promover ações que tenham constância e continuidade no intuito de formar grupos e transformar a biblioteca num ponto de encontro, proporcionando a esses usuários a possibilidade de sugerir e desenvolver novas ações, tornando a biblioteca significativa na vida dessas pessoas.
  14. 14. PROGRAMAS DE FORMAÇÃO 1. Projeto Universus – Leitura em Voz Alta (2009)
  15. 15. Curso Básico de Formação para Contadores de Histórias
  16. 16. INICIATIVAS DAS UNIDADES Alguns exemplos
  17. 17. Biblioteca Gilberto Freyre - Sapopemba Responsável: Raquel da S. Vianna de Andrade Projeto de Leitura em Voz Alta Objetivo: Através da mediação de leitura, introduzir o livro como rotina no incentivo ao hábito de ler, permitindo ao leitor amplo acesso ao material impresso; Oportunidade de falar e expor suas opiniões sobre o texto, sem nenhuma cobrança; Estabelecer apenas uma relação de prazer com o que é lido, de forma agradável e menos teórica. Público alvo: Espontâneo da biblioteca Divulgação: cartazes, correio eletrônico e divulgação boca a boca. Periodicidade: Uma vez por mês com duração de uma hora e meia por encontro.Em 2010, a pedido dos participantes, os encontros serão aos sábados. Conteúdo:Textos de Clarice Lispector (eleita a madrinha do grupo); Rubem Braga e Machado de Assis.
  18. 18. Biblioteca Gilberto Freyre - Sapopemba Resultados: • Todos os participantes haviam sido convidados pelos funcionários; • Parceria com participantes do Teatro Vocacional que gerou um sarau; • Uma das leitoras mobilizou seu Grupo de Poesia do Bairro interesse de vários leitores que escrevem e lêem poesia; • Formação de outro grupo com foco na Poesia; • Proposta para 2010 formatada pelo próprio grupo com coordenação da responsável pela biblioteca.
  19. 19. Biblioteca Raimundo de Menezes – São Miguel Paulista Responsável: Eliza Ishii Entre na Roda: Leitura na Biblioteca e na Comunidade Desenvolvido por: Joselita de Oliveira Barreto –, contadora de histórias participante de um dos cursos de formação da Biblioteca Hans Christian Andersen – Temática em Contos de Fadas e MEDIADORA. Função: Agente de Apoio Nível II Objetivos: • Fomentar uma cultura de valorização da leitura nas bibliotecas, em parceria com as escolas e outras instituições e espaços públicos da comunidade; • Por meio de atividades diversificadas, estimular em crianças, jovens e adultos o gosto pela leitura; • Despertar nos participantes o interesse pelos livros, melhorando seus conhecimentos e suas competências enquanto leitor. Metodologia: - Tem como atividade central as rodas de leitura, em que as pessoas se reunem para ler e comentar o que leram sob a coordenação de um orientador. - Narração de histórias.
  20. 20. Biblioteca Raimundo de Menezes – São Miguel Paulista Público Alvo: crianças jovens e adultos Parceria: Associação Maria Auxiliadora – Casa Abrigo Irmã Leontina (AMA – São Miguel. Período: Seis meses com encontros mensais de duas horas.
  21. 21. Biblioteca Camilla Cerqueira César – Butantã Responsável: Ana Maria de Campos Lamim Projeto “LEITURA EM VOZ ALTA” – Roda de Leitura Objetivos Gerais : • Oferecer a oportunidade adequada ao estímulo e prática da leitura compartilhada; • Possibilitar o encontro e a comunicação entre as pessoas da comunidade para que possam interagir, trocar e “publicar” (no sentido de tornar público”) suas leituras; • Entrecruzar o mundo pessoal de cada um e o espaço social em que circulam; • Possibilitar o exercício da cidadania; • Produção de cultura; • Apropriação do espaço público como espaço de convivência, organização, possibilidade de conhecimento, troca de informação, e também das demandas internas de cada participante presentes na escolha pessoal do texto;
  22. 22. Biblioteca Camilla Cerqueira Cesar - Butantã Objetivo Específico Criar um grupo aberto e dinâmico de leitura, permitindo a presença da diversidade, representada por diferentes faixas etárias, pessoas e cidadãos, diferentes autores e textos. A prática deve tecer a própria história do grupo e seus indivíduos, de forma linear, circular, ou qualquer outra presente no desejo do grupo e entendida como possível pela biblioteca. Metodologia - Divulgação da proposta através do convite pessoal na biblioteca e, fora dela, nos espaços onde a comunidade está presente. - A biblioteca será a primeira responsável pela disponibilização das obras ou textos aos participantes e também na organização do grupo e seu funcionamento. - Grupos de no mínimo 6 pessoas com participação de 3 funcionários, promovendo a valorização destes e a inserção cultural. - Será desenvolvido no saguão da biblioteca, visando a divulgação do projeto e o convite aos que circulam neste espaço.
  23. 23. Biblioteca Camilla Cerqueira César – Butantã Metodologia -Textos de literatura brasileira do acervo da biblioteca, com extensão adequada para a leitura, num mesmo encontro. - Informações sobre os autores ou outras que possam enriquecer a prática e contribuir para o entendimento da leitura. - A leitura poderá ser individual ou coletiva, conforme a dinâmica estabelecida. Periodicidade: Uma vez por semana com duração de uma hora.
  24. 24. BIBLIOTECA ALVARO GUERRA – Pinheiros Responsável: Jamile Salibe R. de Faria PROJETO: CAMINHANDO PARA A LEITURA (desde 2003). Envolvidos: Marlene Takatohi – bibliotecária; Neide Russo – assistente social e Cristina Boucault – usuária da biblioteca, arquiteta e artista plástica. Parceria: Lar Escola Cairbar Schutel (desde 2003) Público alvo:crianças de 02 a 12 anos. Periodicidade: 1 vez por semana, com duração de 1 e 2 horas, conforme a faixa etária. Metodologia: - Seleção dos livros de acordo com faixa etária e assuntos de interesse do grupo; - Acolhimento das crianças - Roda de conversa - Apresentação do livro comentando autor, ilustrador e título - Leitura mostrando as ilustrações, com espaço para interação das crianças; - Leitura com recontação pelas crianças - Comentários respostas sobre questões inerentes ao livro.
  25. 25. Biblioteca Alvaro Guerra - Pinheiros Metodologia: Leitura Livre - Exposição de quantidade significativa de livros para livre escolha das crianças; - Artes Plásticas com participação da artista plástica usuária da biblioteca, com noções de artes-plásticas, pintura e desenho, para crianças de 7 a 12 anos. Resultados -Continuidade é ponto positivo; - Atividades proporcionaram desenvoltura e desinibição nítida nas crianças de 2 a 6 anos que passaram a escolher os livros, virar a página com cuidado, contando histórias uma para as outras, como se estivessem lendo. - Grupo passou a identificar a biblioteca como local acolhedor e atraente, apropriando-se do espaço e do acervo.
  26. 26. Oficina de Informação Envolvidos: Jamile Faria - bibliotecária Objetivos: Incluir a comunidade na rede da informação cultural; Possibilitar o acesso e a apropriação do acervo da biblioteca Viabilizar a troca de informações e de experiências em grupo; Tornar a biblioteca mais conhecida Público alvo: Idosos (2008/2009) e público em geral (2010) Periodicidade: segundas quintas-feiras de cada mês com duração de 2 horas.
  27. 27. Biblioteca Alvaro Guerra – Pinheiros Metodologia: • Acolhimento e apresentação da proposta de trabalho; • Grupo escolhe um dos temas propostos pela coordenação da oficina; • Informação sobre redes de informação e cultura; • Busca e recuperação da informação; • Início de trabalho temático com editorial, espaço em que os participantes são estimulados a contar sobre alguma notícia, leitura ou programa cultural, filmes que assistiram, durante o período entre as oficinas; • Busca em dicionários sobre significados dos termos que envolvem a temática proposta; • Leitura de crônica ou conto referente ao tema escolhido; • Pesquisa sobre o tema baseadas nas orientações sobre busca e recuperação a serem apresentadas no encontro seguinte; • Apresentação de um filme sobre o tema, quando possível; • Discussão e reflexão •,Confecção de um produto do grupo sobre o tema .
  28. 28. Biblioteca Álvaro Guerra – Pinheiros Resultados -Pessoas que não tinham espaços de troca de experiências e informações passaram a usufruir desse fórum, trazendo artigos de jornais, propostas de temas atuais para discussão e reflexão, como por exemplo o meio ambiente.; - Todos os participantes fizeram cadastro na biblioteca; - A continuidade é um indício de que o programa está atendendo a expectativa dos envolvidos.
  29. 29. Biblioteca Álvaro Guerra – Pinheiros Sarau Poético (desde 2005) (inicialmente coordenado pela Profa. Antonia de Souza Verdini, ECA/USP) Envolvidos: Jamile Faria e Silvana Maria Clivati Objetivos: -Incentivar a leitura e as criações poéticas; - Estimular a expressão poética; - Ser espaço de expressão com a declamação dos próprios poemas e de diversos autores; - Ampliar o conhecimento; -Intensificar o uso da biblioteca e seu acervo. Público alvo: idosos, adultos e jovens Periodicidade: Quartas quintas-feiras de cada mês, com duração de 2 horas. Metodologia: - Acolhimento; - Contextualização; - Leitura e declamação de poesias; - Avaliação do sarau; - Definição do tema para o próximo encontro.
  30. 30. Biblioteca Álvaro Guerra – Pinheiros Resultados: - Houve assiduidade na frequência; - A busca contínua e crescente tem sido muito positiva; - Aumento do número de interessados - A escuta atenta à leitura dos participantes e a participação espontânea e interessada têm sido observadas durante os saraus. -Observação: Além das funcionárias envolvidas diretamente nas ações do projeto, a biblioteca conta também com a participação das funcionárias Rosária Costa e Terezina Daumas cuja importância no acolhimento dos usuários é fundamental.
  31. 31. Biblioteca Álvaro Guerra – Sarau
  32. 32. BIBLIOTECA MARIO SCHENBERG – Lapa Responsável: Patrícia Marçal Frias PROJETO “ DESCOBRINDO OS ENCANTOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA MÁRIO SCHENBERG” Envolvidos: Patrícia Marçal Frias – coordenadora Funcionários da biblioteca Objetivo Geral – Fazer do primeiro encontro na biblioteca um momento surpreendente e inesquecível, deixando uma ótima impressão e vontade de regressar. Objetivos Específicos -Apresentar a biblioteca, com todo seu potencial, através de uma visita monitorada; - Promover uma experiência prazerosa no espaço público; - Criar um vínculo de amizade entre usuários e funcionários; - Permitir ao visitante ter a certeza de pertencimento ao espaço; - Facilitar o cadastro na biblioteca a fim de proporcionar sua utilização.
  33. 33. Biblioteca Mário Schenberg – Lapa Público alvo: Professores e alunos do Ensino Infantil ao Médio. Local: Na biblioteca e nas escolas interessadas. Etapas: 1. Dois encontros na escola interessada; 2. Dois encontros na biblioteca. Metodologia: - Envio de carta, pelo correio, expondo o projeto e disponibilizando-se para explaná-lo pessoalmente em reunião com os professores; - Agendas e visitar a escola e, havendo interesse, entregar ficha prévia de inscrição na biblioteca para que os alunos a preencham e, menores de 16 anos levem ao responsável para assinar, cabendo ao professor a confirmação do endereço; - Visita da(s) classe(s) à biblioteca para uma visita monitorada, finalizando a visita com escolha de livros para empréstimo; - Retorno após duas semanas para entrega dos livros emprestados; - Avaliações no 4º encontro com conversas e 5º. Encontro através de relato escrito;
  34. 34. Biblioteca Mário Schenberg – Lapa PROJETO “LENDO LITERATURA LITERALMENTE” “Cada leitor é, quando lê, o leitor de si mesmo. A obra do escritor não é senão uma espécie de instrumento óptico que ele oferece ao leitor a fim de lhe permitir discernir aquilo que, sem aquele livro, ele talvez não pudesse ver sozinho” PROUST Envolvidos: Patrícia Marçal Frias – bibliotecária Objetivo: Descobrir-se através dos clássicos e refletir sobre as mais diversas questões. Objetivos específicos - Envolver todos os funcionários da unidade, inclusive os terceirizados em comunidade em torno de um propósito comum – o fomento a leitura; - Compreender o processo do trabalho em equipe, valorizar a individualidade e as diferenças;
  35. 35. Biblioteca Mário Schenberg – Lapa Objetivos específicos: - Inserir os participantes no projeto, como protagonistas elevando a auto-estima; - Compreender o processo de leitura; - Estimular o discurso oral; - Criar espaço de integração entre os participantes; - Constituir um momento de reflexão para cada integrante; - Promover a diversidade no ambiente de trabalho;- - Munir o atendente de subsídios para maior interação junto aos usuários da biblioteca. Público alvo: Funcionários da unidade, prestadores de serviços terceirizados, colaboradores e comunidade local. Periodicidade: 5 meses a partir de agosto/2009 e continuidade em 2010. Eixo norteador das ações: Diversas formas de leitura, a importância da mediação, da troca de experiências e a necessidade de integração do grupo.
  36. 36. Biblioteca Mário Schenberg – Lapa PROJETO DE TRABALHO: JOVENS DO PROGRAMA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO (2009) Envolvidos: Patrícia Marçal Frias – bibliotecária. Objetivos • Sensibilizar a importância da leitura e escrita; • Estimular as várias formas de comunicação; • Estimular a criatividade; • Incentivar os jovens para a participação social. Parceria: Jovens do Programa Educação para o Trabalho – Novas Conexões do Senac Lapa Faustolo.
  37. 37. Biblioteca Mário Schenberg – Lapa Ações • Oficina “Somos, todos, contadores de histórias”, com Patrícia Marçal Frias, que envolve a apresentação da biblioteca, resgate da memória individual com as primeiras histórias e/ou brincadeiras infantis; sensibilização para a importância da leitura e da mediação; promover a troca de experiências estimulando o discurso oral, entre outros objetivos. • Oficinas de Confecção de Livros em Tecido, com a voluntária Vera Lúcia Pavão. Neste caso os jovens trarão suas próprias produções e também livros de poesias e contos de autores diversos. • Plano de Ação na Comunidade a ser elaborado pelos próprios jovens, a partir das oficinas e que deverá ter registro, inclusive para a avaliação. • Monitoramento e avaliação. Todas as atividades serão acompanhadas pelos docentes do PET que deverão fazer os registros das dificuldades observadas.
  38. 38. Biblioteca Mário Schenberg - Lapa Alguns depoimentos de alunos do SENAC que têm participado “A visita a essa biblioteca me fez lembrar que bibliotecas não são lugares “chatos” onde temos de ficar bem calados. Podemos sim, conversar e trocar experiências sobre todos os assuntos” (Fabiana Cavalcante). “ A visita foi espetacular, nunca fui a outra biblioteca melhor. Aprendi que a biblioteca não é só para fazer trabalhos e ficar em silêncio, não. Existe histórias infantis e todas as histórias passam uma moral que vai servir para você e para sua vida. Foi uma das melhores visitas que já fomos. Lá fomos bem atendidos e a recepção foi ótima. Todos são bem legais”. (Cléber dos Santos) “Foi muito bom e aprendemos muitas coisas novas. Se você pensa que ler é muito chato você está muito errado. É muito ótimo (sic) ler é cultura e faz bem para pensar”. (Jacqueline)
  39. 39. Biblioteca Pedro da Silva Nava – Mandaqui Responsável: Salete Cordeiro Leituras Filosóficas Desenvolvido por: usuária voluntária, antropóloga, licenciada em Ciências Sociais. Objetivo: Inserir na leitura de textos filosóficos, questões cotidianas, que possibilitem aos participantes obter ferramentas para que, a partir delas, cada um possa construir seu próprio entendimento da realidade, assim como apresentar o mundo contemporâneo através das palavras e dos livros. Público alvo: adultos acima de 18 anos jovens de 12 a 17 anos Metodologia: 5 encontros, um a cada 15 dias, sendo apresentado temas diferentes. Ex. Harry Potter: o que há por trás da saga desse jovem bruxo e o que nós temos em comum com ele. Estamos perdendo nossos ídolos? A reedificação das identidades e do imaginário.
  40. 40. BIBLIOTECA BELMONTE – Temática em Cultura Popular Santo Amaro Responsável: PROJETO “ESPAÇO GOURMET – AS DELÍCIAS DA LITERATURA ORAL” Início: 2008 e em continuidade Envolvidos: Antonia Andréa de Sousa e Iracy Vivan Cardoso. Objetivos • Estimular a auto valorização mediante o ato de ler; • Despertar aas doces memórias infantis; • Propor a interação a partir de leituras compartilhadas; • Fomentar a auto estima através dos saberes populares; • Valorizar e aguçar o apetite pela cultura popular; • Aliar conceitos de alimentação para o corpo e para a mente. Público alvo: adultos dos projetos EJA e CIEJAS.
  41. 41. Biblioteca Belmonte – Santo Amaro Periodicidade: últimas quintas-feiras do mês com duração de uma hora e meia. CARDÁPIO • Entrada: Cantigas de Roda e Versos. Recepcionados pela equipe que usa avental, chapéu gourmet e segurando uma colher de pau, os participantes são estimulados a cantar e a recitar versos enquanto se acomodam. Lotação: 32 lugares. • Salada: Salpicão de trava-línguas e parlendas; • Prato Principal: Medalhão de histórias recheados de causos, anedotas, acompanhados de declamação de cordel bem passado. • Sobremesa: Sorvete de adivinhas, com cobertura de charadas.
  42. 42. Biblioteca Belmonte – Santo Amaro Pagamento da refeição: É feita uma provocação “aos comensais” para irem até o aparador onde cestas estão com livros cujos títulos referem-se à refeição, e são convidados a contar/criar uma história utilizando-se dos títulos da cesta. Hora da Merenda: acontece no final, quando servem bolos, sucos, chás e, quando possível, sopa de letrinhas. Ambientação: mesas cobertas com toalhas xadrez vermelho e branco; pratos são livros com os títulos pertinentes; talheres são marcadores de páginas e os guardanapos são papéis reciclados contendo provérbios, adágios.
  43. 43. Biblioteca Belmonte – Santo Amaro Repercussão • Aumento do interesse pela Sala de Leitura logo após as atividades; • Informação passada pelos professores de comentários favoráveis em sala de aula; • O município de Carapicuíba, em especial o Supervisor de Ensino pediu licença pra “reproduzir” o projeto e convidaram as funcionárias para realizar uma “Sessão Especial” para os representantes do MEC. • Convite da Secretaria da Educação do Município – NAE 6, para apresentar e divulgar a proposta. • Convite para inscrever o projeto no PNLL (Plano Nacional do Livro e da Leitura).
  44. 44. Conclusões Gerais 1. Formação provoca a criatividade; 2. Formação entre os funcionários da unidade promove a integração; 3. Ações sistematizadas – dias da semana/mês determinados, comprometimento e persistência acabam por despertar o interesse do frequentador espontâneo às atividades; 4. Continuidade é fundamental para gerar produtos e avaliar o desenvolvimento. 5. Ousadia e criatividade, com objetivos bem traçados, pertinência e profissionais qualificados para a atividade que se quer propor , geram curiosidade e vontade de “experimentar” por parte dos usuários/clientes das bibliotecas. 6. Parcerias são bem vindas e colaboram na promoção da biblioteca; 7. A informação sobre o funcionamento das bibliotecas é fundamental para que a comunidade passe a senti-la como sua.
  45. 45. Marlon Florian mflorian@prefeitura.sp.gov.br Alice Bandini abandini@prefeitura.sp.gov.br Equipe de Programação Cultural Divisão de Planejamento Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo Abril/2010 www.bibliotecas.sp.gov.br
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×