WCM 2009-TT14 Rhodia Gerenciamento de Riscos Usando FMECA

1,328 views
1,102 views

Published on

Este trabalho foi apresentado no Congresso WCM 2009 realizado no Instituto de Engenharia de S. Paulo. A Rhodia apresenta o Gerenciamento de Riscos Usando FMECA.

Published in: Business, Economy & Finance
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,328
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
28
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

WCM 2009-TT14 Rhodia Gerenciamento de Riscos Usando FMECA

  1. 1. Luiz Rocha São Paulo – 12/11/2009 Gerenciamento de Riscos Usando FMECA U d CONGRESSO WCM 2009 World Class Maintenance World Class Manufacturing
  2. 2. Sumário A Rhodia World Class Management O Programa de Gerenciamento de Riscos Macro-Fmeca Resultados na América Latina Análise do Programa 2 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  3. 3. A Rh di Rhodia 3 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  4. 4. A Rhodia • Rhodia: grupo químico internacional • Presente no Brasil há 90 anos • Fortemente engajada no Desenvolvimento Sustentável • Fornece ampla linha de produtos inovadores para os mercados: Agroquímico e nutrição animal; automotivo; bens de consumo e têxtil; eletroeletrônicos; energia e abatimento de gases de efeito estufa; aromas e fragrâncias; saúde, cuidados pessoais e domiciliares; indústria e processamento. 4 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  5. 5. Desenvolvimento Sustentável está no DNA da Rhodia. Identificado Id tifi d como prioridade estratégica mundial, está ligado à atitude socialmente i id d t té i di l tá li d tit d i l t responsável da empresa, estimulada pelos seus valores e princípios de diálogo, transparência, responsabilidade e compromisso. p , p p 5 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  6. 6. Números- Números-Chave de 2008 * Vendas EBITDA(1) 4,763 4 763 M€ 664 M€ Unidades Industriais Empregados no mundo 68 14,500 14 500 * Depois da reclassificação de operações descontinuadas 6 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  7. 7. Presença Geográfica América do Norte Europa Vendas: 964 M€ Vendas: 1,779 M€ 11% d quadro do d 46% d quadro d do d de de empregados empregados 20% do total de vendas 37% do total de vendas América Latina Ásia-Pacífico Vendas: 729 M€ Vendas: 1,291 M€ 21% do quadro de 22% do quadro de empregados empregados 28% do total de vendas 15% do total de vendas 43% d vendas em regiões d rápido crescimento das d iõ de á id i t 7 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  8. 8. Seis Empresas Líderes em seus Negócios 20% Novecare Produtos de alto desempenho para Poliamida 38% personal e home care, petróleo e aplicações industriais Cadeia integrada de Poliamida 6.6 para Intermediários e Plá ti I t diá i Plásticos de Engenharia 16% Silcea Sílica de alta performance para pneus, terras raras para controle de luminescência e de emissões automotivas. Difenóis para aromas e fragrâncias e para o mercado industrial. Corporate and others 5% Energy Services Otimização do fornecimento de energia e créditos de carbono Eco Services 6% Regeneração e produção de 10% Acetow ácido sulfúrico Cabo de acetato para filtros de cigarros % de vendas da Rhodia em 2008 8 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009 8
  9. 9. Poliamida N°2 no mundo Novidades: ● Novo TechnylStar® : a única poliamida ● Poliamida 6.6 certificada para aplicações em contato com ● Plásticos de engenharia baseados em água poliamida 6.6 Automotivo Calçadista Solventes Componentes eletroeletrônicos 9 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  10. 10. Novecare Líder mundial N°2 no mundo Novidades: ● Surfactantes e polímeros especiais ● Surfactantes para o Aquisição da ● Produtos químicos derivados do fósforo mercado agroquímico McIntyre ● Gomas guar e seus derivados Agroquímicos Personal care Cuidados Pessoais Cuidados Domésticos Home care Oilfield Oilfi ld Petrólio P t óli Industrial applications Aplicações Industriais 10 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  11. 11. Silcea Líder mundial Novidades: ● Sílicas de alta performance Rhovanil® Natural : Vanilina obtida através de ● Produtos a base de terras raras um processo de fermentação natural ● Difenóis para vanilina Automotivo Automotive Eletroeletrônico Lighting and electronics Aromas e Fragrâncias Fragrances and flavorings 11 Luiz Rocha Gerenciamento de Riscos Usando FMECA 2009
  12. 12. ergy Services íder Mundial Novidades: ● Investimento no desenvolvimento de negócios Crédito de emissão de CO2 no setor de tecnologia de biogás CER) Esforços para amenizar mudanças climáticas
  13. 13. etow N°3 no mundo Novidades: Desenvolvimento de um novo processo de fibra de Fibra de acetato de celulose acetato para filtros de cigarros superfinos
  14. 14. o Services N°1 nos EUA Novidades: Redução das emissões de dióxido de enxofre em Regeneração de mais de 1 milhão de 90% até 2014 como parte de um acordo com a EPA* oneladas de ácido sulfúrico anualmente * Agência de Proteção Ambiental dos EUA Unidade de regeneração de ácido sulfúrico
  15. 15. idades Industriais América Latina Barquisimeto (Venezuela) Valencia (Venezuela) Jacareí (SP) J í Paulínia (SP) Santo André (2) (SP) São Bernardo (SP)
  16. 16. Rhodia no Brasil Paulínia(SP) Intermediários & Solventes América Latina, Silcea, Ácido Salicílico, Rhodia Energy, Centro de Pesquisas e Engenharia América Latina São Paulo (SP) Escritório Central 2.900 Santo André Têxtil (SP) empregados Fios Têxteis, Fios Industriais, SP Polímeros, Acetow e Plataforma Industrial Santo André Química (SP) Surfactantes São Bernardo do Campo (SP) Plásticos de Engenharia e Polímeros Jacareí
  17. 17. World Class Management
  18. 18. rld Class Management Cliente abilidade Competitividade C titi id d QCD Perdas Perdas KAIZEN Strategy Visual People Standards 5S Management Involvement Melhoria Contínua iabilidade Flexibilidade
  19. 19. o Confiabilidade Rhodia ntificar oportunidades de aumento de confiabilidade e melhoria de processos ustriais rantir que as ações de confiabilidade estejam alinhadas com as estratégias da odia senvolver e treinar pessoas nas boas práticas de excelência operacional rnecer suporte às unidades industriais quanto às ferramentas de Confiabilidade HSE TPM OEE/MDC RCM Custo Total FMEA FTA Weibull Analysis Ferramentas básicas
  20. 20. O Programa de Gerenciamento de Riscos
  21. 21. renciamento de Riscos INDUSTRIAL 2008 PRIORITIES •Risk Management Risk s risques industriels : des risques permanents •Reliability Step Change 2007 CER •Capex Asset Management HSE (Hygiène Sécurité Environnement) TOB (Take Over Bid) •Talent Management Risques externes Chine Fiabilité Echec de la stratégie de croissance •Operational Excellence Taux de change Pricing Transport/stockage/accident •Function Cost Competitiveness Function Système d’Information Fonds de pension 2 Rhodia lançou um
  22. 22. rograma Mundial rocesso sistemático para detectar, priorizar e informar os scos e como mitigá-los oco: Redução de perda econômica potencial etodologia = Macro-FMECA a cada 05 anos g erenciamento usando uma e-room dedicada Macro-Fmeca Fichas Risco 1 Dashboard = follow up p do programa
  23. 23. ocesso de Trabalho Principal objetivo é identificar os maiores riscos Críticos Avaliar Estabelecer Macro- Definir Risco 1 > 50 Risco plano de ações Fmeca por Criticidade Planta SxPxD Econômico para mitigar em Potencial até um ano S = Severidade Risco 1: > 5 MEuros P = Probabilidade Risco 2: > 0,5 MEuros Risco 2/3 D = Detecção Risco 3: > 50 kEuros Plano de ações ç deve ser priorizado por cada Unidade de Negócio g Oportunidade de verificar os pontos
  24. 24. gets Mundiais nsiderada a Margem de Contribuição: 20 sites ~ 75% da Margem de Contribuição da Rhodia Classification Site Cum. Rhodia contribution RSC 1º Paulinia Pa linia 9% 2º Freiburg 17% 3º Belle-Etoile 23% 4º Baton Rouge 28% 5º Onsan 32% 2008 6º Chalampé 37% 7º Santo Andre/Jacarei 41% m 8º Saint-Fons Chimie 44% 9º La Rochelle 47% ica 10º Collonges C ll 49% 11º Charleston 52% 12º Baltimore 54% 13º Cincinnati 56% 14º Winder 58% 15º Dominguez 60% 2009 16º Roussillon 62% 17º Oldbury 64%
  25. 25. Macro Fmeca Macro-Fmeca
  26. 26. EA/FMECA A (Failure Mode and Effect Analysis) MECA: diferencia-se do FMEA apenas pela adição da criticidade diferencia se RO- RO-FMECA: abordagem “Macro” e do planejamento compreende: Descrição dos objetivos e abrangência da análise Formação dos grupos de trabalho – normalmente multidisciplinar de 04 a 06 pessoas Preparação da documentação Planejamento das reuniões ortância do FMEA/FMECA para a empresa: Uma forma sistemática e estruturada de catalogar informações sobre falhas Melhor conhecimento dos problemas de produtos/processos Incorpora na organização as atitudes d I i ã tit d de: • Prevenção de falhas; • Cooperação e trabalho em equipe; e
  27. 27. âmetros da Criticidade cidade é definida pela multiplicação destes três parâmetros: Severidade ou Gravidade (S) Probabilidade de ocorrência (O) Chances de detecção (D) O D e Perdas de Produção Probabilidade MTBF/MTTF Probabilidade Chances de Detecção ) de Ocorrência de Detecção Não interfere 0 > Vida útil 0 Controles atuais detectam o defeito < 1/2 h 1 ≥ 10 anos 1 Quase sempre o defeito é detectado ≥ 1/2 h e < 2 h 2 < 10 anos e ≥ 3 anos 2 Grandes chances de detecção ≥2he<8h 3 < 3 anos e ≥ 1 ano 3 ≥ 8 h e < 24 h 4 < 1 ano e ≥ 3 meses 4 Chances Moderadas de Detecção ≥ 24 h e < 4 dias 5 < 3 meses e ≥ 1 mês 5 ≥ 4 dias e < 2 sem. 6 < 1 mês e ≥ 1 semana 6 Pequenas chances de detecção ≥ 2 sem. e < 2 meses 7 < 1 semana e ≥ 2 dias 7 ≥ 2 meses 8 < 2 dias 8 Controles atuais não detectam o defeito
  28. 28. emplo Macro-Fmeca Macro- Causas raízes da Criticidade Equipamento Modo de falha Efeito da falha S O Meios formalizados de detecção D falha Antes Perda de p odução e da produção Queb a Quebra do Compressores de F lt d envio d ar C d Falta de i de Há iinspeção preventiva quinzenall ã ti i parcial de Ácido 8 elemento 4 2 64 Ar K2105 B para o processos eanálise de vibração do compressor Acético principalMotor Perda de 100% Falha mecânica ou Há inspeção preventiva periódica com Perda da Reação 5 3 6 90 produção de Acético corrosão medições de espessura Reatores R2140 e R2150 Falha na válvula de Perda de produção Falha mecânica ou Há inspeção preventiva periódica 3 4 6 72 Aldeído FRC2104 parcial de Acético pneumática anual - Teste de Segurança Intercambiador de Perda da temperatura Perda parcial de 5 Corrosão 4 Há inspeção preventiva periódica 6 120 calor C2141 da Reação produção de Acético Trafo TR-4419 Interrupção energia Perda 100% produção Curto-circuito e Preditiva, Inspeção termográfica alimentação da 4 1 4 16 elétrica cabine 25 Acético baixa isolação visual cabine 25
  29. 29. emplo Macro-Fmeca (continuação) Macro- Perda Criticidade Criticidade Equipamento Modo de falha Ações recomendadas Potencial Risco S' O' D' Antes Depois [kE] Compressores de Falta de envio de ar 64 Adquirir motor reserva para este posto 60 3 4 4 2 32 Ar K2105 B para o processos Prever troca do equipamento e melhorar Perda da Reação 90 200 3 5 2 4 40 inspeção Reatores R2140 e R2150 Falha na válvula de Preventiva atual só verifica abertura e 72 10 Não 0 Aldeído FRC2104 fechamento, sem acesso interno Intercambiador de P d da t I t bi d d Perda d temperatura t 120 Prever intercambiadores reservas 600 2 2 3 6 36 calor C2141 da Reação Trafo TR-4419 Interrupção energia alimentação da 16 0 Não elétrica cabine 25 cabine 25
  30. 30. ha Risco 1 Confiabilidade Risco 1 econômica potencial: argem de contribuição Empresa: Planta Poliamida Sal N + Data Ref. do FMECA : 8/12/2008 IHM - sistema de controle Autor : Luiz Rocha Data do FMECA 8/12/2008 ustos de manutenção VS, Fábrica/Unidade + Falha a evitar: Falha do IHM - sistema de controle utras despesas decorrentes da falha Criticidade antes da mitigação: Criticidade esperada após mitigação: 48 112 Perda econômica por ocorrência (k€): 6170 Detalhes da perda: Margem de contribuição: 6120 Custos de reparos: 50 Penalidades com clientes: 0 Outros custos: 0 1: > 5 ME Projeto de mitigação: Estudo de confiabilidade do sistema de controle do Sal N 2: > 500 kE e < 5 ME Gerente do Projeto: A definir 3: > 50 kE e < 500 kE Investimento (k€): O quê? Revisar estratégia de manutenção preventiva Ação 1 Quem? Hugo Quando? 2009 Mitigar em até Ação 2 O quê? Revisar lista de sobressalentes Quem? Hugo
  31. 31. Resultados na América Latina
  32. 32. mensões do Programa Sub 2008 Site CGU Value Stream Coordinator Manager Syst J F M A M J J A S O N D Macro-Fmeca Macro Fmeca - Latin America Zone Brute Water (Non-Treated) Furlan Paulo 1 1 Filtered Water Production Furlan Paulo 1 1 Initial Nbr. of Macro- Enterprise Site/Plant/Workshop Planning Fmeca Filtered Water Distribuition Furlan Paulo 1 1 Rhodia Energy Utilities 2008 10 Desmineralizated Water Furlan Paulo 1 1 Boiler Feed Water Furlan Paulo 1 1 Polyamide ISAL Intermediates 2008/2009 6 Common Paulinia Steam Production Furlan Paulo 1 1 Structure Polyamide ISAL P l id Phenol and D i Ph l d Derivates 2008/2009 6 Steam Distribution Furlan Paulo 1 1 Polyamide ISAL Solsys 2008 15 Compressed Air Production Furlan Paulo 1 1 N2 Distribuition Furlan Paulo 1 1 SILCEA Silicas/Salal 2008 2 Electric Energy Distribution Furlan Paulo 1 1 Polyamide FIBRAS Utilities Santo Andre 2008 5 Electric Energy Generation Furlan Paulo 1 1 Polyamide FIBRAS IY&F+Polimerizations 2008 6 Total P li i Utiliti T t l Paulinia Utilities 11 Polyamide FIBRAS Textile 2008 2 ACETOW Acetow RAB 2008 2 Polyamide FIBRAS Jacarei 2008 4 Polyamide EP&P y PCN/Utilities 2009 2 60 Grupos de trabalho 04 Sites + 4.000 modos de falhas
  33. 33. ogresso do Programa Reliability Step Change - Macro-Fmeca Progress in Latin America Zone Macro Fmeca Initial % of Concluded Macro-Fmeca in Execution e Enterprise Site/Plant/Workshop Planning Macro-Fmeca (2009) gy Rhodia Energy Utilities 2008 100% - Polyamide ISAL Intermediates 2008/2009 80% ADOH and N2O Plant (only Review) Polyamide ISAL Phenol and Derivates 2008/2009 60% Phenol and Alpha Metil Styrene Plant Polyamide ISAL y Solsys y 2008 100% - SILCEA Silicas/Salal 2008 100% - ndre Polyamide FIBRAS Utilities Santo Andre 2008 100% - ndre Polyamide FIBRAS IY&F+Polimerizations y 2008 100% - ndre Polyamide FIBRAS Textile 2008 100% - Polyamide FIBRAS Jacarei 2008 100% - ndre ACETOW Acetow RAB 2008 100% - Polyamide EP&P PCN/Utilities 2009 100% - * Partial numbers - until October 2009
  34. 34. aliação dos Riscos RSC - Risk Evaluation - Latin America Zone Nbr Nbr Risk" Nbr Risk Nbr Risk Enterprise p Site/Plant/Workshop p Criticalities>=50 C iti liti > 50 1" "2" "3" dia Energy Utilities 207 13 64 130 amide ISAL Intermediates 61* 1* 6* 17* amide ISAL Phenol and Derivates 113 113* 2 2* 1 1* 13 13* amide ISAL Solsys 121 0 2 40 CEA Silicas/Salal 116* 1* 4* 29* Total Paulinia 618 17 77 229 amide FIBRAS Utilities Santo Andre 11 0 4 4 amide FIBRAS IY&F+Polimerizations 61 0 4 25 amide FIBRAS Textile 31 0 2 11 amide FIBRAS Jacarei 14 0 0 8 TOW Acetow RAB 6 0 0 2 amide EP&P PCN/Utilities 0 0* 0 0* 0 0* 0 0* Total Santo Andre/Jacarei/SBC 109 0 10 42 Total LA 727 17 87 271
  35. 35. emplos de Mitigação de Riscos Reliability Step Change - Risk 1 - Mitigation Plan (Latin America) End Date rkshop Nbr Risk "1" Status Comments Investment (Estimated) Concluded actions: No, only oling H2 analyser availability (H2 leakage not - Put in place the H2 Analyzer; Mitigated 30/6/2009 Maintenance nfralb) detected) - Implement a Maintenance St ategy pe e t a te a ce Strategy Costs C t Review (preventive and Spare parts) Concluded actions: No, only - Training p p g people DCS maintenability ( i t bilit (spares and competencies) Miti t d d t i ) Mitigated 30/6/2009 Maintenance M i t - Implement a Maintenance Strategy Costs Review (preventive and Spare parts) The Copacabana project was planned ter Weakness of concrete structure of tank Fenol On going to 2009, but there is a delay and the 31/3/2010 Capex - 2010 F1006 A/B estimated end date is 31/March/2010. The Reatar Project will replace one Capex - 2009 Silicate reactors unavailibility (end of life) On going Silicate Reactor in 2009 and the other 31/12/2009 and 2010 in 2010
  36. 36. nálise do Programa g
  37. 37. álise de “SWOT” Forças (Stregths) Fraquezas (Weaknesses) Macro Fmeca Macro-Fmeca é fácil de entender e • Por ser uma ferramenta qualitativa, aplicar depende do conhecimento das Pessoas entenderam a importância do pessoas que tenham experiência na programa planta Planejamento e negociação preliminar • Compete com outras prioridades t i C t t i id d tais Programa de treinamento em paralelo como Hazop, Projetos, etc. Ter um Expert dedicado ao programa Oportunidades (Opportunities) Ameaças (Threats) Revisar a estratégia de g • Devido a metodologia simplificada e manutenção para pontos de baixa rápida, faz-se necessária uma confiabilidade avaliação mais profunda para os Melhorar OEE implantando ações Riscos 1 (antes elaboração do plano para a redução de perdas de ação) Permite troca de experiência, • Dificuldades com investimentos para mitigar riscos face o cenário de crise
  38. 38. óximos Passos Finalizar para todos as unidades industriais da Rhodia no Brasil até o fim 2009 Fazer o acompahamento das ações para mitigar os Ri F h t d õ iti Riscos 1 já identificados Estimular as unidades de negócio à gerenciar os riscos 2 e 3 Marter programa VIVO
  39. 39. nclusões gerencaimento de riscos usando Fmeca é uma metodologia ealística e prática na Rh di lí ti áti Rhodia. ontribui com o aumento da confiabilidade melhoria da OEE e com a confiabilidade, evisão da estratégia de manutenção, também pode ser utilizado omo input para novos projetos desafio será implementar as ações para mitigação dos riscos onsiderando perdas potenciais
  40. 40. Obrigado

×