• Like
Holocausto
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Holocausto

  • 15,022 views
Published

Apresentação do professor Rui Neto numa aula de História do 9º ano sobre o Holocausto. É acompanhado de música e de dois vídeos.

Apresentação do professor Rui Neto numa aula de História do 9º ano sobre o Holocausto. É acompanhado de música e de dois vídeos.

Published in Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
15,022
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9

Actions

Shares
Downloads
583
Comments
10
Likes
20

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. HOLOCAUSTO o horror do genocídio nazi.
  • 2. “ A brutalidade inspira respeito. As massas têm necessidade de quem lhes incuta temor, que as converta numa mole temerosa e submissa. Não quero que os campos de concentração se transformem em pensões familiares. O terror é o mais eficaz dos instrumentos políticos… Os descontentes e os insubmissos, quando souberem o que os espera nos campos de concentração, pensarão duas vezes antes de nos desafiarem. Agrediremos os nossos adversários com uma feroz brutalidade, não hesitando em vergá-los ao interesse da nação”. Adolf Hitler, discurso em Março de 1933 aquando da inauguração dos dois primeiros campos de concentração – Oranienburg e Dachau.
  • 3.  
  • 4. O nazismo, em nome da pureza da raça ariana , iniciou uma campanha de eliminação em massa dos seus “inimigos”: opositores políticos, seguidores de seitas religiosas, doentes mentais, sem-abrigo, pequenos criminosos, alcoólicos, ciganos e judeus. Em consequência deste programa de “limpeza étnica”, 10 milhões de pessoas foram exterminadas, especialmente nos campos de concentração nazis entre 1942 e 1945. Estima-se que o número de judeus mortos se tenha aproximado dos seis milhões , enquanto os outros quatro milhões se repartem por todos os países ocupados, por indivíduos de todos os credos, raças, níveis sociais e etnias . Em suma, no seu passeio pela Europa os nazis deixaram atrás de si uma marca indelével de terror. Embora tivessem sido utilizados os mais diversos métodos de execução, o sistema desenvolveu uma tecnologia própria para concretizar a “solução final para o problema judaico” : a morte em câmaras de gás com capacidade para eliminar centenas de vítimas de uma só vez, seguida de cremação em fornos especialmente concebidos para a destruição de cadáveres em massa (no campo de concentração de Auschwitz, por exemplo, o número diário de mortos parece ter sido superior a 20 mil).
  • 5. As inscrições significam « O TRABALHO LIBERTA », o que não deixa de ser verdade: as pessoas efectivamente morriam de excesso de trabalho e nessa perspectiva libertavam-se do sofrimento imposto, em forma de fumo, uma vez cremadas.
  • 6. O início do pesadelo: a perseguição e a deportação forçada.
  • 7.  
  • 8. Enquanto milhares de prisioneiros foram imediatamente executados por pelotões de fuzilamento…
  • 9.  
  • 10.  
  • 11.  
  • 12.  
  • 13.  
  • 14. … milhões de outros, foram enviados para os campos de extermínio, onde os esperou uma curta existência de sofrimento e trabalho forçado até à morte.
  • 15. Estação de Auschwitz: os que sobreviviam à viagem de comboio eram inspeccionados por médicos.
  • 16. Os que eram considerados aptos eram postos a trabalhar...
  • 17. … os outros, os que não podiam servir a “máquina nazi”...
  • 18. ...eram condenados às câmaras de gás, sem distinção de sexo ou idade.
  • 19. Depois de assassinados os seus corpos eram levados, por outros prisioneiros, para...
  • 20. … grandes fornos crematórios, na tentativa de “destruir as provas”.
  • 21. Para além da tortura, das agressões, do trabalho forçado e da fome, muitos prisioneiros foram obrigados a submeter-se a experiências médicas...
  • 22. … como, por exemplo, queimaduras, injecção de vírus, esterilização, cirurgias sem anestesia…
  • 23. Quando as tropas aliadas começaram a descobrir os campos de concentração ficaram chocados com a macabra realidade encontrada...
  • 24.  
  • 25.  
  • 26.  
  • 27.  
  • 28. … e com os relatos daqueles que conseguiram sobreviver à barbárie nazi.
  • 29.  
  • 30.  
  • 31.  
  • 32. Mapa do terror que mostra os principais campos de concentração nazis – os Lager -espalhados pela Europa.
  • 33. Apesar de alguns fanáticos racistas e anti-semitas, infelizmente talvez demasiados nos tempos que correm, continuarem a defender que todo o holocausto não passou de uma enorme mentira fabricada pelos Aliados, após a 2ª Guerra Mundial, esta é a triste história da real barbárie nazi , bem visível pelo rasto de dor e morte que deixou por quase toda a Europa na demente tentativa de extermínio em massa dos seus opositores e de genocídio do povo judeu . No entanto, a responsabilidade por esta monstruosidade não deve ser atribuída à totalidade do povo alemão que, na sua maioria, desconhecia o que se passava nos campos de morte, mas que nada podia fazer para contrariar o maior crime colectivo da História.
  • 34.  
  • 35. FIM Rui Manuel da Costa Neto