Depressão na pessoa idosa rui grilo

3,309 views

Published on

Depressão na pessoa idosa rui grilo

  1. 1. Fundação Cardeal CerejeiraDepressão na Pessoa Idosa Rui Grilo
  2. 2. Tristeza VS Depressão A tristeza é a reacção que temos perante as perdas afectivas na nossa vida; A perda de alguém por morte é tristeza e não depressão, porque todos vamos morrer algum dia e é preciso aceitar isto; O Funcionamento comportamental do organismo mantém-se e não existem riscos de suicídio.
  3. 3. Tristeza VS Depressão A depressão é um sentimento semelhante, mas poderá não ter uma sem especifica inicialmente; A auto estima está comprometida, existindo um enorme risco de suicídio; Distúrbio da área afectiva ou do humor, com forte impacto funcional em qualquer faixa etária e com repercussões para a vida: redução da capacidade para pensar, sentir, interagir com o meio, trabalhar e etc… Natureza multifatorial com aspectos de ordem biopsicossocial.
  4. 4. Sintomas da Depressão A perda de interesse por actividades prazerosas, Alterações do apetite (aumento ou perda de peso), Alterações do sono (insónia ou excesso de sono), Agitação ou apatia, Cansaço, fadiga e perda de energia, Sentimento de culpa e baixo auto estima,
  5. 5. Sintomas da Depressão Interesse ou prazer diminuídos, Sensação de inutilidade ou culpa excessiva, Tristeza, angústia, ansiedade, Irritabilidade, Anedonia, diminuição da capacidade de sentir alegria, Diminuição da libido,
  6. 6. Sintomas da Depressão Dificuldade de concentração e de decisão, memória e raciocínio, Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio; Humor deprimido na maior parte do dia, Dores pelo corpo e outras somatizações, Pensamentos de culpa, morte, fracasso, medo e outros pensamentos negativos.
  7. 7. Alterações do Envelhecimento – Factores Físicos Existência de outras doenças; Incapacidade de cumprimento das tarefas diárias; Aumento da idade, especialmente no género feminino. necessidade de aprender a conviver com as limitações
  8. 8. Alterações do Envelhecimento – Factores Sociais Falta de suporte social, intensificado pela habitual perda de entes queridos; Falta de ocupação dos tempos livres, ou o espaço vazio do tempo livre; Restrições financeiras; Reforma; Viuvez; Mudanças de papéis – família, trabalho e sociedade; Falta de papel social - crise de identidade; Perdas diversas - $, decisão, independência, autonomia, parentes e amigos; Diminuição de contactos sociais – distancia, $, dependência, tempo, violência.
  9. 9. Alterações do Envelhecimento – Factores Psicológicos Baixa auto-estima, interligada com os factores anteriormente apresentados; Construção de esquemas cognitivos ao longo da vida – o papel dos estereótipos ligados à terceira idade; Dificuldade a se adaptar a novos papéis Dificuldade de se adaptar às mudanças rápidas, que tem efeito dramático nos idosos Necessidade de trabalhar perdas orgânicas, afectivas e sociais Baixa auto-imagem e baixa auto-estima Falta de motivação e dificuldade de planejar o futuro Confrontação com a sua própria finitude Reforma Alterações psíquicas que exigem tratamento
  10. 10. Viuvez Momento trágico Ruptura a nível pessoal familiar e social Na velhice há dificuldade em adaptar-se Esfera emocional negativa:  Desilusão com a vida  Insónias  Depressão Alteração do grupo de amigos Luto
  11. 11. Reforma Faz parte da trajectória de vida Pode ser vivida positivamente ou negativamente Corte com as relações sociais Relacionada com a qualidade de vida e bem-estar Fonte de risco para a solidão
  12. 12. Depressão: Tratamento “ Remédios para os sintomas. Diálogo para os problemas.” Psicoterapia Farmacoterapia Associação das duas (ideal) (religião, suporte familiar, actividade física)
  13. 13. BOM Prognóstico Doença potencialmente tratável Estudos mostram taxas de boa resposta ao tratamento de 60 a 70 % Idoso tem mais sintomas residuais
  14. 14. MAU Prognóstico Um pior prognóstico parece associar-se a presença de:  doenças clínicas  alterações cognitivas  sintomas depressivos severos  cronicidade do episódio  severidade de eventos intervenientes (ideação delirante, etc)
  15. 15. Reflexão“…o olhar triste e cansado procurando alguém,e a gente passa ao seu lado a olhá-lo comdesdém… sabes, eu acho que todos fogem deti para não ver a imagem da solidão que irãoviver quando forem como tu, um resto de tudoo que existiu quando forem como tu, um velhosentado num jardim…”

×