ObstipaçãO Intestinal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

ObstipaçãO Intestinal

on

  • 24,179 views

Aula do Catalano 03-07-2010

Aula do Catalano 03-07-2010

Statistics

Views

Total Views
24,179
Views on SlideShare
24,178
Embed Views
1

Actions

Likes
4
Downloads
172
Comments
1

1 Embed 1

http://edfisicasemfronteiras.blogspot.com 1

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

ObstipaçãO Intestinal Document Transcript

  • 1. 3/7/2010 Obstipação Intestinal "O hábito intestinal é bastante variável entre as 老 pessoas, dependendo de vários fatores e dificultando 师 法 比 Obstipação a definição do que poderia ser considerado normal. O número e a freqüência das evacuações dependem de 奥 卡 塔 Intestinal vários fatores, como a dieta, a ingestão de líquidos e características específicas dos indivíduos. De qualquer forma, considera-se normal a ocorrência de 拉 诺 CID 10: K 59.0 duas evacuações por dia, embora essa não seja uma regra fixa". Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Definição Causas • A obstipação (também conhecida como constipação • Ingestão de pouco líquido ou não beber ou prisão de ventre) é a dificuldade para evacuar as líquido suficiente. fezes do trato intestinal (intestino preso). Os sintomas • Alimentação com pouca fibra e baseada em são aumento ou distensão abdominal; cólica ou lanches, massas e enlatados. sensação de torção do intestino ao ocorrer a sua • Refeições fora dos horários normais de café da movimentação e/ ou evacuação; fezes duras secas; manhã, almoço e jantar. movimentos intestinais que não ocorrem diariamente; • Sedentarismo ou falta de atividade física. formato anormal das fezes; e a sensação contínua de vontade de evacuar, mesmo após tê-lo feito. A • Uso prolongado de laxantes. constiparão pode ser muito desconfortável, mas • Uso de alguns medicamentos (alguns dificilmente é um sintoma de alguma doença grave. medicamentos para o coração, para a dor, • Considera – se ritmo intestinal normal desde três antidepressivos, alguns antiácidos, anti- evacuações por dia até oma evacuação a cada três dias, histamínicos, narcóticos). desde que sejam pastosas. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 1
  • 2. 3/7/2010 Causas Sinais e Sintomas • Tomar suplementação de ferro. • Diminuição da freqüência defecatória; • Não ir ao banheiro quando sentir vontade. • Algumas doenças como hemorróidas e • Ausência da necessidade de evacuar; hipotireoidismo. • É importante saber que não é necessário evacuar • Evacuação dolorosa e/ou difícil; diariamente. O importante é manter o seu hábito intestinal usual; e que você não tenha dor ou • Distensão abdominal e/ou cólicas; precise fazer força para evacuar. • Stress, ansiedade e depressão. • Tenesmo; • Algumas doenças específicas e alterações • Diarréia paradoxal; anatômicas no cólon ou reto. Existem algumas doenças proctológicas que levam ao • Fezes duras e/ou pequenas; desenvolvimento de constipação intestinal como fissuras anais e hemorróidas. • Irritabilidade. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano As doenças que podem causar constipação, alterando a movimentação intestinal. Características das fezes • Metabólicas: diabetes, hipotireoidismo (redução de hormônio da tireóide), intoxicação • Consistência; com metais pesados; • Volume; • Neurológicas: doença de Parkinson, lesão de • Cor; medula espinhal, esclerose múltipla, acidente vascular encefálico; • Cheiro. • Síndrome do intestino irritável; • Depressão; • Doença cardíaca. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 2
  • 3. 3/7/2010 Medicamentos que têm efeito constipante. Complicações da Obstipação • Analgésicos potentes (morfina e derivados); • Suplementos de ferro, usados para tratar anemia; • Alguns medicamentos para tratamento da hipertensão, como A longo prazo também podem: nifedipina, verapamil, diltiazen, e diuréticos; Provocar desequilíbrio dos minerais no • Alguns antiácidos; organismo; • Uso inadequado de hormônio da tireóide; • Medicamentos para tratamento da Doença de Parkinson; Diminuir a suscetibilidade do corpo à ação de • Antidepressivos, como a amitriptilina, nortriptilina, imipramina; alguns medicamentos; • Medicamentos para tratamento de epilepsia (convulsões); Diminuir a absorção dos nutrientes; • Laxantes: embora sejam usados para tratar a constipação, o uso Formação de Megacólon adquirido; contínuo "vicia" o intestino e prejudica sua movimentação, levando à necessidade de quantidade cada vez maior de Formação de fecaloma por impactação fecal; medicamento, até que o mesmo não mais faz efeito e contribui Formação de ulceração fecal. para o desenvolvimento de constipação. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Alguns exames que podem ser Alguns exames que podem ser utilizados são: utilizados são: • Hemograma, hormônios tireoideanos, glicose, • Enema opaco: exame radiológico com contraste no potássio, cálcio; intestino; • Sangue oculto nas fezes: especialmente importante • Colonoscopia: preferível ao enema opaco, nos últimos tempos. É como se fosse uma endoscopia, só que do nos indivíduos com idade acima de 50 anos e com intestino, feita sob anestesia. Permite a visualização direta história de câncer de cólon na família. Porém, nem da parede intestinal e a coleta de biopsia; sempre a presença de sangue nas fezes indica câncer. • Cinedefecograma: pouco usado; avalia o ato da • Radiografia de tórax e de abdômen: bastante úteis no defecação, após injeção de contraste no reto (parte paciente com quadro de constipação intestinal de início terminal do intestino grosso); recente, principalmente acompanhada de dor •Tempo de trânsito colônico: avalia a movimentação do abdominal, febre e outros sintomas. intestino. Prof. Fábio Catalano • Manometria anorretal: avalia as pressões esfincterianas. Prof. Fábio Catalano 3
  • 4. 3/7/2010 Como prevenir a constipação intestinal? 中 • Alimente-se em horários regulares; 医 • Mastigue bem os alimentos; 药 • Prefira refeições mais variadas, ricas em frutas, verduras e cereais; • Reduza a quantidade de gordura ingerida; 便秘 • Evite bebidas alcoólicas, chocolate, café, e alimentos que levem a Biànmì produção excessiva de gases, como: brócolis, cebola, couve-flor, feijão; • Beba bastante líquido; Obstipação • Tente determinar um horário específico para evacuação; • Obedeça, sempre que possível, à vontade de evacuar; • Evitar distrações durante a evacuação, como ler revistas, jornais, falar Movimento lento de conteúdo firmes ao telefone, etc; • Pratique exercícios regularmente; através do IG, gerando evacuações • Não utilize laxantes por conta própria. esporádicas, duras e pequenas Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Etiologia Etiologia • Alimentação • Estresse emocional – Consumo excessivo de alimentos quentes e secos – Órgãos afetados: – Consumo excessivo de alimentos frios • F : raiva, ressentimento ou a frustração causa a estagnação do Qi do fígado no triplo aquecedor inferior – Falta de fibras nos alimentos • BP : trabalho mental excessivo e excesso de pensamentos remoidos retarda o transporte dos alimentos no intestino Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 4
  • 5. 3/7/2010 Etiologia Patologia • Falta de exercícios: • Órgãos mais envolvidos: – Para MTC a falta de exercícios enfraquece o Qi do – Estômago • Afetado por calor ou deficiência de Yin BP e causa estagnação do Qi do F – Intestino Grosso • Excesso de trabalho e parto: • funcionalmente relacionado com o estômago, calor e deficiencia de Yin – BP enfraquecido (deficiência do Qi) • Frio no IG bloqueia excreção (fezes não são secas) – R enfraquecidos – Baço- Pâncreas • Doença febril ( afeta o P, E e intestinos) • Qi deficiente do BP (Fezes finas e longas) Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Patologia Diagnóstico • Fígado • Causas e tipos de obstipação – Estagnação do Qi no aquecedor inferior (fezes – Formato das fezes pequenas e redondas, como cristais). • Fezes arredondadas, pequenas e secas indica • Rins calor. – Controla os dois orifícios (Yang). • Fezes arredondadas, pequenas, não secas – Deficiência de Yin do R envolve deficiência de líquidos. indica estagnação do Qi do Fígado. – Deficiência do yang do R no triplo aquecedor • Fezes longas e finas indica Def. do Qi do BP inferior não consegue mover as fezes( fezes não (pode indicar carcinoma no intestino) . secas com defecação difícil). Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 5
  • 6. 3/7/2010 Diagnóstico Diagnóstico – Hidratação das fezes – Dor na obstipação • Fezes secas indicam calor ou deficiência de Yin. • Dor não severa indica estagnação do Qi do • Fezes soltas, hesitantes e difícil de serem Figado. evacuados indicam deficiência do Qi do BP com • Dor com distensão pronunciada, severa e estagnação do Qi do Figado. espástica provem do frio. • Fezes aquosas, explosivas borrifando em todas – Esforço na defecação as direções indica umidade e calor. • Defecação com grande esforço indica • Fezes amarelas e espumantes indicam umidade deficiência do Qi ou de Yang. e frio. • Cólicas após a defecação indica estagnação do Qi do Figado. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Diagnóstico Diferenciação e tratamento – Coloração • Calor • Fezes pálidas indica umidade, calor na VB. • Fezes escuras indica calor. • Qi • Fezes verdes (em crianças indica frio). • Deficiência • Frio Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 6
  • 7. 3/7/2010 Calor Calor Calor crônico e interior Calor crônico e interior • Calor no E e no IG • Calor no Fígado – Manifestações clínicas – Manisfestações clínicas • Fezes secas, movimentos intestinais esporádicos, sede, • Fezes secas movimentos intestinais esporádicos, sede, urina escassa e escura, face vermelha, sensação de sabor amargo, urina escura, cefaléia, irritabilidade, face calor, dor abdominal, boca seca, respiração fétida. vermelha, olhos com raias vermelhas. • Língua: com revestimento amarelo e pontos vermelhos • Língua: vermelha, mais vermelha nos lados ao redor do centro e na raiz. acompanhada de revestimento seco e amarelo. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Calor Calor Calor crônico e interior Calor agudo na doença febril • Princípio de tratamento • Manifestações clínicas – Clarear o calor, drenar o fogo (do IG e do F), umedecer os – Obstipação, fezes secas, dor e plenitude intestinos. abdominais, face vermelha, sede, boca seca, • Pontos: transpiração profusa, sensação de calor e febre – IG4 - IG11 – TA6 – BP14 – BP15 – E44 – E28 – E29 – F2. alta. (extras: Waishuidao – waiguilai). – Língua: vermelha com revestimento seco e • Recomendações alimentares amarelo. – Evitar o consumo de alimentos quentes e alterações emocionais durante as refeições. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 7
  • 8. 3/7/2010 Calor Qi Calor agudo na doença febril Estagnação do Qi do Fígado • Princípio de tratamento • Manifestações clínicas – Drenar o fogo e promover o movimento – Obstipação, com fezes na forma de cristais (grãos), descendente porém não secas, desejo de fazer o intestino • Pontos funcionar porém dificuldade em fazê- lo, – TA6 – BP15 – IG11 – E44 – IG4 – E28 – E29 eructação, distensão abdominal e irritabilidade. • Recomendação alimentar – Língua: normal ou ligeiramente vermelha nos – Evitar o consumo de alimentos quentes. lados. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Qi Deficiência Estagnação do Qi do Fígado Deficiência de Qi • Principio de tratamento • Manifestações clinicas – Pacificar o F, regular o Qi, fazer o Qi descer, – Desejos de fazer os intestinos funcionarem, porém eliminar a estagnação. dificuldade em fazê- lo, grande esforço para fazer • Pontos os intestinos funcionarem, sensação de exaustão – VC10 – VB34 – VC6 – F3 – BP15 após a defecação, fezes finas,longas e não secas, • Recomendações alimentares tez pálida e fadiga. – Evitar alterações emocionais durante as refeições. – Língua: pálida. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 8
  • 9. 3/7/2010 Deficiência Deficiência Deficiência de Qi Deficiência de Sangue • Princípio de tratamento • Manifestações clínicas – Tonificar o Qi e umedecer os intestinos. – Fezes secas, dificuldade na defecação, tez pálida e • Pontos embotada, tontura, formigamento dos membros e visão borrada. – B21 – B25 – BP15 – E36 – VC6 – Língua: pálida ou normal. • Recomendação alimentar – Evitar alimentos de natureza fria e dietas restritivas rígidas. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Deficiência Deficiência Deficiência de Sangue Deficiência de Yang • Princípio de tratamento • Manifestações clínicas – Nutrir o sangue ou umidecer os intestinos. – Dificuldade na defecação, exaustão e transpiração • Pontos após a defecação, fezes não secas, dor nas costas – E36 – BP6 – VC4 – VB15 – B23 – B20 – B21 e nos joelhos, sensação de frio, micção freqüente • Recomendação alimentar e pálida. – Alimentação correta em quantidade, qualidade e – Língua: pálida e úmida. horário. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 9
  • 10. 3/7/2010 Deficiência Deficiência Deficiência de Yang Deficiência de Yin • Princípio de tratamento • Manifestações clinicas – Tonificar os rins, aquecer o triplo aquecedor inferior e – Fezes secas, sede com desejo de beber pequenos umedecer os intestinos. goles de água, boca e garganta secas, • Pontos especialmente ao anoitecer, dor nas costas e nos – E36 – BP6 – B23 – R3 – B25 – VC4 – R7 -MOXA joelhos, tontura, zumbido, transpiração noturna. • Recomendação alimentar – Língua: vermelha sem revestimento, com fissuras, – Evitar o consumo de alimentos frios. quadro freqüente em idosos. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano Deficiência Frio Deficiência de Yin • Principio de tratamento • Manifestações clinicas – Nutrir o Yin, tonificar os Rins e umedecer os intestinos, – Dificuldade na defecação, fezes não secas, • Pontos ausência de movimento intestinal por vários dias, – E36 – BP6 – VC4 – R3 – R6 – B23 – B25 – BP15 dor abdominal espástica, urina pálida, face pálida, • Recomendação alimentar membros frios e sensação de frio. – Evitar o consumo de alimentos quentes e secos. – Língua: pálida e úmida, revestimento espesso e branco sobre sua raiz. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 10
  • 11. 3/7/2010 Frio PÓLIPOS O pólipo é crescimento do revestimento interno no cólon. Pode ser: • Principio de tratamento • Pediculado • Séssil – Aquecer o Yang, dispersar o frio, promover o Os pólipos começam como benignos e ao longo do tempo podem movimento intestinal. tornar-se malignos. • Pontos – VC6 – VC8 – R18 – B23 – B25 – B26 • Não Neoplásicos Inflamatórios Juvenis • Recomendação alimentar Hamartomas – Evitar alimentos frios e dietas restritivas rígidas. Hiperplásicos • Neoplásicos (tumores) Adenomas Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano PÓLIPOS PÓLIPOS • • Quadro Clínico • Normalmente não há sintoma. • Pólipos maiores podem sangrar, levando à eliminação de sangue nas fezes. • Pólipos sangrantes podem causar cansaço e outros sintomas de anemia (baixos níveis de células vermelhas do sangue). • Pólipos grandes podem bloquear o intestino ou, raramente, causam diarréia. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 11
  • 12. 3/7/2010 PÓLIPOS PÓLIPOS • Prognóstico Diagnóstico Embora calcula-se que 30% das pessoas de meia- • Colonoscopia idade ou mais velhas tenham pólipos do cólon, menos de 1% de todos os pólipos irão se tornar • Exame de sangue oculto nas fezes cânceres. Para pessoas que diagnosticam e tratam o • Enema Opaco ( contraste de Bário) câncer de cólon precocemente, a taxa de sobrevida Causas de 5 anos é de 90%. Se o câncer alcançou os linfonodos (ínguas), a chance da sobrevida cai para • Em geral desconhecida 65%. Quando o câncer se espalhou para órgãos • Hereditariedade distantes do corpo, como o fígado ou os ossos, a probabilidade de viver por 5 anos cai para 8%. • Dieta pobre em fibras e rica em gorduras Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano ARTIGO ARTIGO OBSERVAÇÃO DA MOBILIDADE INTESTINAL ATRAVÉS DA ULTRASONOGRAFIA EM CACHORROS APÓS Objetivo: ELETROACUPUNTURA NO E36 E B27. •Observar o peristaltismo normal ou misto (movimentos segmentados) e avaliar a eficácia da eletroestimulação dos pontos de acupuntura E36 e •Estudo realizado na faculdade de medicina veterinária de B27 na mobilidade intestinal de cachorros utilizando Seoul, em 2001. um ultra-som Doppler. •Publicado pela Revista Veterinary Science. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 12
  • 13. 3/7/2010 ARTIGO ARTIGO Materiais e Métodos: •Foi usado um aparelho de eletroacupuntura (TEC •Foram avaliados 15 cachorros saudáveis da raça Beagle. AM-3000, Tokyo, Japan) nas seguintes modalidades: 3V, freqüência de 15Hz por 20 minutos no E36 e B27 •Todos os cachorros ficaram por 12 horas somente com separadamente. solução salina (37ºC, 10ml/Kg) administrados por um tubo gástrico e, foram alimentados com pellet (50g/Kg). •E os movimentos peristálticos foram visualizados e classificados de acordo com o tipo de peristaltismo. •A ultra-sonografia (Toshiba SSA-260, Tokyo, Japan) foi usada antes, durante e após acupuntura. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano ARTIGO ARTIGO Resultados: Resultados: Observação do ultra-som no peristaltismo normal Efeitos da acupuntura do E36 e B27 na mobilidade intestinal •Foi observado 3 tipos diferentes de peristaltismo e 1 tipo misto (movimentos segmentados). •A freqüência da mobilidade intestinal estimulado pelo E36 teve aumento durante a aplicação da eletroacupuntura (20% •Os 3 tipos de peristaltismo foram facilmente observados comparado ao valor basal) e decréscimo após aplicação (7% emitindo alto sinal no ultra-som, sendo o tipo 3 o mais comparado ao valor basal). raro. •A freqüência da mobilidade intestinal estimulado pelo B27 teve decréscimo durante aplicação da eletroacupuntura (31% •O tipo misto emitiu sinal fraco e mostrou-se pouco comparado ao valor basal) e aumento após aplicação (18% também. comparado ao valor basal). Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 13
  • 14. 3/7/2010 ARTIGO ARTIGO Discussão: Conclusão: •Em outros experimentos, os efeitos do E36 na •Concluiu-se que o ultra-som pode ser muito eficaz em mobilidade intestinal foram maiores durante a aplicação estudos semelhantes, pois permite uma visualização dos da eletroacupuntura com um decréscimo pequeno após movimentos intestinais, qualificando e quantificando aplicação. esses movimentos. •Embora o B27 tenha sido útil em estudos sobre • Também conclui-se que a aplicação da indigestão e desordens gastrintestinais, foram poucos os eletroacupuntura (neste estudo) aumenta a mobilidade artigos que o usaram para a mobilidade do intestino intestinal, mostrando-se eficaz também para auxiliar na delgado. Este estudo mostrou que o efeito da mobilidade avaliação das atividades gastrintestinais. intestinal tem sido maior no E36. Prof. Fábio Catalano Prof. Fábio Catalano 老 师 法 ARTIGO 比 奥 卡 塔 拉 •O presente estudo também conclui que a estimulação 诺 do E36 no intestino delgado foi maior durante a Xièxiè aplicação com um pequeno decréscimo após sua aplicação. E os efeitos contrários foram observados no Obrigado B27. 谢谢 中 医 Prof. Fábio Catalano 药 Prof. Fábio Catalano 14