Your SlideShare is downloading. ×
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Clipping 84
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Clipping 84

632

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
632
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CLIPPING Nº 84 De 19 de novembro a 2 de dezembro Comunicação – CONFEF ÍNDICENOTA DA COORDENAÇÃO (Pág. 2) Atividade física já foi considerada um fator de risco para a vida das pessoas (Pág. 7)Conheça 10 atividades físicas que serãotendência em 2013 (Pág. 2) CREF faz arrecadação de brinquedos para Campanha Natal Esportivo (Pág. 8)Saiba qual o tipo mais adequado deexercício físico para cada pessoa (Pág. 3) Alunos do Monteiro Lobato apresentam danças (Pág. 8)Corrida turística: o elo entre exercício físico epasseio durante viagens (Pág. 3) Quanto mais atividade física, menos danos cerebrais (Pág. 9)Atividades físicas podem diminuir a fadigade pacientes com câncer (Pág. 3) VÍDEO: Programa Especial – Esportes adaptados (Pág. 9)Força muscular pode estar ligada àlongevidade, aponta estudo (Pág. 4) Academias brasileiras agora são especializadas em oferecer serviços paraConselho de Educação Física alerta sobre idosos, gestantes... (Pág. 9)uso de esteróides anabolizantes (Pág. 4) Estatina associada a exercícios físicos reduzAtividade física é fundamental para em até 70% o risco de mortalidade (Pág. 10)fortalecer ossos das crianças (Pág. 4) Diretor conta as vantagens de estudarSaudáveis desde cedo (Pág. 5) Educação Física (Pág. 11)Ambiente e formação são fundamentais Exagero nas atividades físicas pode causar(Pág. 5) tendinite crônica (Pág. 11)Exercícios físicos atenuam sintomas de Ciclofaixas devem ser combinadas comParkinson e Alzheimer (Pág. 6) outras atividades na semana (Pág. 12)CREF vai apurar afogamento em escola de Forma sob controle (Pág. 12)SP (Pág. 6) Natação e recreação (Pág. 13)Não há regulamentação para segurança empiscina, diz professor (Pág. 7)
  • 2. CONFEF 2 CLIPPING 84NOTA DA COORDENAÇÃO: o Clipping CONFEF exibe apenas os primeiros parágrafos dasmatérias. Para lê-las na íntegra, basta clicar, no nome do veículo (em “Fonte”), no final de cadamatéria / reportagem. Só não será possível acessar a matéria original quando esta for retirada deum impresso e não existir a versão dela na web. Neste caso, o nome do veículo estará apenasem negrito (em “Fonte”) e a matéria estará disponível aqui na íntegra.As únicas inserções do CONFEF nos textos das matérias abaixo são os números do registroprofissional após a citação de um Profissional de Educação Física e a correção no uso do termo“educador físico”.Conheça 10 atividades físicas que serão tendência em 2013Spinning, ginástica localizada e natação têm muitos benefícios, mas vão ficar longe dosholofotes das academias no próximo ano. Em 2013, são outros os exercícios que vão chamar aatenção, de acordo com os pesquisadores da Georgia State University, nos Estados Unidos. Elesfizeram um estudo com 3.346 profissionais de saúde e fitness de diversos países e definiram o Top10 das academias do próximo ano. A lista inclui exercícios com o peso do próprio corpo e ofortalecimento dos músculos do core. Entram ainda atividades em grupo e com objetivosespecíficos. O American College of Sports Medicines Health & Fitness Journal endossou olevantamento e, na sua edição de outubro, publicou a lista para quem quer colocar o corpo noritmo das novidades. Confira a seguir quais são os exercícios que vão fazer a cabeça e o corpode quem cuida do corpo e não deixa de lado a malhação: (...)Treino funcionalO treinamento funcional virou febre nas academias do mundo todo e também é sensação noBrasil para quem quer perder peso e definir músculos. "A ideia é que, diferentemente damusculação que trabalha grupos musculares distintos em cada exercício, o treino funcionaltrabalhe o corpo de forma global", explica o educador físico [Nota CONFEF: o termo correto éProfissional de Educação Física] Givanildo Matias [CREF 067375-G/SP], conselheiro da SociedadeBrasileira de Personal Trainers (SBPT). Em alguns exercícios, a carga de trabalho é exercida pelopróprio peso do corpo somado ao equilíbrio. No entanto, também pode ser realizado comacessórios e até alguns equipamentos específicos, como a bola suíça, o cinto de tração, amedicine bol, o bosu, o minitrampolim, a theraband e os cones. A atividade trabalha a aptidãocardiorrespiratória, a força, a coordenação e o equilíbrio.MusculaçãoIsso mesmo, ela continua a queridinha das academias - e esse amor tende a aumentar. Oeducador físico [Nota CONFEF: o termo correto é Profissional de Educação Física] AdrianoCoronato [CREF 074258-G/SP], personal trainer de São Paulo, explica que isso aconteceráprincipalmente, pela difusão de academias e disponibilização de aparelhos em parques epraças. "Além disso, nenhum outro esporte permite o ganho de tônus e força muscular tãorapidamente, você consegue sair do sedentarismo e ver resultados logo", complementa Adriano,que cita a simplicidade da execução dos exercícios como um ponto forte da atividade.Fonte: Bonde
  • 3. CONFEF 3 CLIPPING 84Saiba qual o tipo mais adequado de exercício físico para cadapessoaTema foi vencedor da enquete da semana do Bom Dia MS. Especialistas falam sobreimportância de fazer avaliação prévia da saúde.A maioria das pessoas que praticam atividade física sente algum tipo de dificuldade paraescolher o exercício ideal. Este foi o assunto vencedor da enquete da semana do Bom Dia MS,que exibe nesta segunda-feira (19) uma reportagem com as principais dicas sobre o tema.Para praticar exercícios físicos, é fundamental fazer avaliação com um profissional de saúde. Deacordo com médicos, isso vai garantir que o exercício, mesmo de baixa intensidade, tragabenefícios à saúde, e não o contrário. Essa indicação vale para pessoas de qualquer idade.O segundo passo é a escolha da atividade correta. Existem várias opções: caminhada,musculação, hidroginástica. A escolha irá depender do resultado que se espera obter. Oprofessor Mário Márcio da Silva [CREF 000884-G/MS] explica que exercícios na água, comonatação e hidroginástica, não têm contraindicação. Por ser feita dentro da água, não temimpacto. É indicada especialmente para quem sofre com problemas de circulação sanguínea,problemas na coluna, nos joelhos.Fonte: G1Corrida turística: o elo entre exercício físico e passeio duranteviagensServiço é oferecido em várias partes do Mundo e permite ao viajante se exercitar e, ao mesmotempo, conhecer atraçõesFoi-se o tempo em que viajar era desculpa para deixar de se exercitar. Hoje, em vários países doMundo, é possível contratar o serviço de corrida turística: um professor-guia que leva o viajantepara conhecer a cidade.John Kamola, por exemplo, é treinador e guia em São Francisco, Califórnia (EUA). Aos 43 anos,ele conta que teve a ideia de criar uma operadora após viajar bastante por diferentes lugarescom dois interesses distintos: conhecer atrações do local e se exercitar. Hoje, sua empresa contacom sedes em dez cidades americanas: Boston, Nova York, Filadélfia, Washington, Chicago,Austin, Mineápolis, Charlston, Seattle, além de São Francisco.Fonte: SportvAtividades físicas podem diminuir a fadiga de pacientes comcâncerPesquisa com quatro mil participantes revela que exercícios aeróbicos podem auxliar durante otratamento de pacientes com tumores malignosOs exercícios podem diminuir a fadiga de pacientes com câncer. O tratamento do câncerfrequentemente traz uma sensação de fadiga muito forte, que vem junto com a quimioterapiaou radioterapia. Os paciente relatam que esses sintomas duram meses ou até mesmo anos apóso tratamento. Uma revisão de trabalho científico já feito sobre esse tema foi analisada pelos
  • 4. CONFEF 4 CLIPPING 84especialista da Cocker Labory e mostrou que o treinamento aeróbico pode aliviar essessintomas.A pesquisa envolveu 56 estudos que somados contam mais de quatro mil participantes, todos emtratamento por algum tipo de tumor maligno. Do grupo estudado, a metade era com pacientescom câncer de mama. Os tratamentos envolviam exercícios aeróbicos como caminhada,bicicleta e também exercícios para a resistência, como o uso de pesos.Fonte: Globo EsporteForça muscular pode estar ligada à longevidade, aponta estudoHomens com melhor porte físico duranta a adolescência têm menos chance de morrerprecocementeO porte muscular dos homens durante a adolescência pode ser um indicativo de quanto tempovão viver, afirmam pesquisadores suecos. A equipe acompanhou mais de um milhão deadolescentes por mais de 24 anos e descobriu que aqueles com menos força nos músculostinham um risco maior de morrer precocemente.Os pesquisadores acreditam que a força muscular seja um reflexo do estado geral do corpo, oque explicaria a relação apontada. Especialistas, porém, lembram que manter um corpomusculoso não é sinônimo de ter uma vida mais longa.Os efeitos da fraca estrutura muscular entre os indivíduos estudados foram similares ao fatores derisco, como pressão alta e obesidade. Quando os pesquisadores levaram em conta essesaspectos, descobiram que existe uma relação entre a morte precoce e a força muscular.Fonte: O Estado de S. PauloConselho de Educação Física alerta sobre uso de esteróidesanabolizantesA PRF (Polícia Rodoviária Federal) apreendeu na noite desta última quarta-feira, 21,anabolizantes que estavam escondidos na bagagem de um passageiro em um ônibus, na BR-463, em Ponta Porã. O homem de 24 anos, morador de São Paulo, transportava 169 ampolasinjetáveis e anabolizantes.O CREF11/MS-MT (Conselho Regional de Educação Física da 11ª Região MS-MT) alerta para osriscos do uso da “droga”. O consumo dos esteróides anabolizantes não é recomendável. Elesaceleram os efeitos estéticos desejados, deixam a musculatura torneada com o uso de pílulas ouinjeções de hormônios masculinos mais rápido do que se esforçar em horas de suor naacademia. Mas, o “remedinho” não tem nada de milagroso. Além dos efeitos colaterais, oesteróide anabolizante também pode provocar câncer, infertilidade e até levar à morte.Fonte: MídiaMaxAtividade física é fundamental para fortalecer ossos das criançasExercícios aumentam densidade, tamanho e resistência óssea, evitando fraturas comuns nessaidade
  • 5. CONFEF 5 CLIPPING 84Recente estudo divulgado pela Academia Americana de Pediatria concluiu que a prática deatividades físicas aumenta a densidade, o tamanho e a resistência óssea das crianças, evitandoas fraturas comuns nessa idade.A pesquisa, realizada por cientistas suecos, acompanhou crianças de 7 a 9 anos durante umperíodo de quatro anos e revelou ainda que aquueles que praticam exercícios físicos antes dapuberdade têm mais chances de chegar à terceira idade sem desenvolver osteoporose, já quea atividade potencializaria o crescimento celular que acontece de forma intensa no osso antesdo período da adolescência.Os exercícios podem e dever ser praticados pelo menos por 30 minutos diários. Dentre asatividades que podem ser praticas por crianças são ciclismo, natação, lutas marciais, jogos ebrincadeiras ao ar livre, entre outras. O ideal é permitir que as crianças experimentem diversasatividades até achar uma que seja do seu agrado.Fonte: R7Saudáveis desde cedoPara evitar sobrepeso e sedentarismo dos filhos, pais se socorrem nas academias; prática deveser moderadaNão é novidade para a maioria das pessoas que a prática de exercícios físicos e de atividadeesportiva é essencial para uma vida saudável. Preocupados com a obesidade na infância, paise mães estão matriculando cada vez mais seus filhos em academias. O objetivo não é criarpequenos musculosos, mas despertar nas crianças o gosto pela atividade física, ajudá-las adesenvolver habilidades sociais e, claro, manter o peso sob controle.“A atividade é benéfica por vários motivos, inclusive, para o controle do peso. Pesquisas mostramque o Brasil tem superado os Estados Unidos quando se trata de obesidade. Mas, cada caso éum caso e cada criança tem que ter atividade planejada de acordo com a necessidade ouidade”, alerta Júlio Cesar de Souza, agente de orientação e fiscalização do Conselho Regionalde Educação Física de Mato Grosso (CREF).Fonte: Diário de CuiabáAmbiente e formação são fundamentaisTão importante quanto saber qual é a necessidade ou a melhor atividade física para a criançaou adolescente, é fundamental verificar se o ambiente é seguro e apropriado. Além disso, épreciso checar se o profissional possui formação e está devidamente registrado no ConselhoRegional de Educação Física do Estado (CREF).“É primordial que exija a carteira oficial do Conselho. No caso de criança, essa exigência éainda maior porque o pai pode estar colocando em risco a vida do próprio filho”, adverte JúlioCesar de Souza, agente de orientação e fiscalização do Conselho Regional de Educação Físicade Mato Grosso.Segundo Júlio Cesar, na Grande Cuiabá há vários personal trainers atuando sem a devidahabilitação. A prática de atividade física orientada por um falso profissional pode trazer sériosriscos à saúde da pessoa, desde uma lesão até a óbito, uma vez que estes não possuem oconhecimento devido para orientar a prática de atividades físicas.
  • 6. CONFEF 6 CLIPPING 84O registro é uma garantia que o usuário tem de ter um profissional submetido ao Código de Éticada classe.Fonte: Diário de CuiabáExercícios físicos atenuam sintomas de Parkinson e AlzheimerNovos pesquisas mostram que atividades físicas são fundamentais para reduzir a gravidadedessas doenças neurodegenerativasDuas pesquisas apresentadas no encontro anual da Sociedade de Radiologia da América doNorte, que acontece até esta sexta-feira em Chicago, nos Estados Unidos, revelaram de queforma um estilo de vida saudável, especialmente com a prática frequente de atividade física,pode surtir efeitos positivos sobre doenças neurodegenerativas. Segundo os trabalhos, exercitar-se atenua os sintomas de doenças como a de Alzheimer e a de Parkinson e, assim, melhora aqualidade de vida das pessoas que sofrem de alguma dessas condições.Uma das pesquisas, desenvolvida na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos,acompanhou, por 20 anos, 876 idosos com mais de 78 anos de idade. Os autores descobriramque um estilo de vida ativo, com a prática regular de exercícios aeróbicos, está associado a ummaior volume da massa cinzenta do cérebro, inclusive entre pacientes com comprometimentocognitivo leve ou Alzheimer. Essa região cerebral está envolvida na cognição e o seuencolhimento é associado a piores quadros de doenças mentais. Portanto, concluíram osautores, o exercício, principalmente aqueles que promovem um maior gasto de energia, podereduzir a gravidade da demência.O segundo estudo foi feito na Clínica Cleveland, nos Estados Unidos. O trabalho revelou que osexercícios também podem ser fundamentais para uma pessoa que sofre da doença deParkinson. De acordo com os resultados dessa nova pesquisa, andar de bicicleta, um exercícioque promove grande oxigenação do cérebro, melhora a comunicação entre diferentes regiõescerebrais e atenua os sintomas dessa condição, que incluem tremores, lentidão de movimentose rigidez muscular. Além disso, mostraram os pesquisadores, quanto mais intensa for essaatividade — ou seja, quanto mais rápida a pedalada — maior o benefício. Eles chegaram a essaconclusão após observar o efeito desse exercício em 26 pacientes com idade entre 30 e 75 anosque sofriam da doença de Parkinson.Fonte: VejaCREF vai apurar afogamento em escola de SPO Conselho Regional de Educação Física de São Paulo (CREF-SP) vai acompanhar ainvestigação sobre a morte do menino Bernardo Gonçalves, de 3 anos, que se afogouanteontem, quando terminava a aula de natação, na piscina do Centro Educacional Brandão(CEB) - Comecinho da Vida, escola particular em Moema, zona sul da capital paulista. Opresidente da entidade, professor Flávio Delmanto [CREF 000002-G/SP], disse ontem que o CREFtambém fará uma sindicância do acidente. A professora pode ser punida."Há um código de ética para o profissional tomar os cuidados e evitar o problema. Foi umafatalidade. Precisa de sindicância para ver de quem foi a culpa", disse.O CREF pretende, no entanto, aguardar o inquérito da Polícia Civil para verificar aresponsabilidade da professora Raquel Campos e da auxiliar Franciene Almeida. Elas foram
  • 7. CONFEF 7 CLIPPING 84presas por homicídio culposo (sem intenção de matar). Ambas estão em liberdade provisóriadepois de pagarem fiança de R$ 10 mil cada. (...)Não existe uma regulamentação no País sobre quantos professores deve haver por aluno emaulas de natação. Mas para o especialista no esporte e membro do Conselho Federal deEducação Física Wagner Gomes [CREF 000035-G/RJ], o número era insuficiente para o tamanhoda turma e estava fora do padrão de segurança: "Se é aluno com boia de braço, não deveriater mais de quatro alunos por professor, porque eles não têm habilidade aquática, não estãoadaptados à piscina. De 0 a 3 anos a gente considera quase aula de bebê".Fonte: O Estado de S. PauloNão há regulamentação para segurança em piscina, diz professorNão há, no Brasil, regulamentação específica que garanta a segurança de crianças em piscinas.A falta de normas para aulas de natação, tanto estruturais quanto em relação aos profissionais,deixa a cargo de cada local a definição de medidas de segurança.Ontem, um menino de três anos morreu afogado na piscina de uma escola em Moema, na zonasul de São Paulo. De acordo com a polícia, a criança estava sem as boias que usava na aulaquando foi achado na piscina. As professoras disseram que as boias só são retiradas no vestiário,mas que as crianças aprendem a tirá-las.Segundo o Cref-SP (Conselho Regional de Educação Física), cada estabelecimento (comoacademias e clubes) deve ter um profissional responsável pela parte técnica. É ele quemdetermina o número de monitores nas atividades.Fonte: Folha de S. PauloAtividade física já foi considerada um fator de risco para a vidadas pessoasNa sua coluna de estreia, Turibio Barros analisa a mudança da visão científica dos exercícios emrelação aos benefícios para o corpo humano[Turibio Barros - CREF 041074-P/SP]O site EU ATLETA, que todos nós comemoramos como o mais novo e talvez o mais importantecanal de comunicação sobre atividade física e promoção de saúde, vem consolidar o quanto aprática de exercícios físicos é hoje considerada unanimemente a principal proposta parapromover qualidade de vida.O curioso é que há algumas décadas, o conceito de exercícios físicos, até na visão da classemédica, era totalmente diferente. Estamos falando de algo em torno de 50 ou 60 anos atrásquando, acreditem, a ideia era de que “atleta morre mais cedo”.Eu me recordo de ter assistido ainda na década de 1970, quando este conceito estavamudando, no início do “boom” dos exercícios aeróbicos da era Cooper, uma palestra do Dr.Mário Rigatto, um pneumologista gaúcho que fazia uma consideração extremamenteinteressante para mostrar porque se acreditava que o atleta morria mais cedo.
  • 8. CONFEF 8 CLIPPING 84A ideia era a seguinte: o coração dos seres vivos seria como uma lâmpada que teria a previsãode um certo tempo para permanecer acesa, findo o qual ela "apagaria”. O coração teria umcomportamento semelhante, ou seja, um número máximo de batimentos para gastar durante avida, e se o ser vivo não tivesse nenhuma doença, o coração pararia de bater quando estenúmero fosse atingido.Curiosamente, quando se calculava o número máximo de batimentos cardíacos que asdiferentes espécies teriam para “gastar” durante sua expectativa de vida, parecia ser atingidosempre um mesmo número. Segundo este raciocínio, por exemplo, os pássaros que possuem umelevado ritmo de batimentos por minuto, atingiriam este número antes e teriam uma expectativade vida mais curta . Já os animais de grande porte cujo coração bate em ritmo bem mais lento,“economizam” os batimentos cardíacos e vivem bem mais.Assim, a conclusão da época era de que o atleta por fazer exercícios físicos vigorosos, “gastava”precocemente seu número máximo de batimentos cardíacos e morria mais cedo!!Fonte: Eu AtletaCREF faz arrecadação de brinquedos para Campanha NatalEsportivoO CREF11/MS-MT (Conselho Regional de Educação Física da 11ª Região MS-MT) convida todos osprofissionais e acadêmicos a participarem da Campanha “Natal Esportivo”.A ideia é arrecadar todo tipo de brinquedo que estimula a prática esportiva e coordenaçãomotora, como por exemplo: bolas, peteca, jogos educativos em geral, entre outros. Alémtambém de equipamentos que auxiliam nas atividades esportivas, como colchonetes, tênis,coletes, tênis de mesa, e qualquer outro objeto ou produto que seja utilizado para praticaresporte, no entanto que ainda esteja em condição de uso.Toda a arrecadação será doada para a ARDEM-MS (Associação Regional de DesenvolvimentoIntelectual do Estado de Mato Grosso do Sul), que trabalha hoje com 46 crianças comdeficiência intelectual e dificuldade de aprendizado, e que utiliza o esporte como ferramentapara o desenvolvimento de áreas cognitivas.Fonte: MídiaMaxAlunos do Monteiro Lobato apresentam dançasNo último mês, grupos de adolescentes do Ensino Fundamental II e Médio do Colégio IntegradoMonteiro Lobato, em quase todos os ambientes do colégio, criaram coreografias e ensaiarampassos de alguma música da atualidade. Os mais diversos ritmos estimularam meninos e meninasa cumprir um desafio do Professor de Educação Física, Giuliano Moraes Leite [CREF 081799-G/SP]:dançar. (...)“Queria que eles saíssem das ‘rotinas estáticas’, convencionais. Colocar a molecada para semexer, se expor, proporcionar um momento em que eles fazem parte da matéria prima,trabalham juntos durante todo o processo e apresentam um belíssimo resultado: eles mesmos,despertos internamente para transcender a vida, que muitas vezes nos toca humilde e poderosaatravés de um arrepio, pelo som, pela dança e nos coloca em estado de graça”, declarouGiuliano sobre a intenção do projeto.
  • 9. CONFEF 9 CLIPPING 84Fonte: Itu.com.brQuanto mais atividade física, menos danos cerebraisEstudo sugere que o exercício e a atividade física podem ajudar a manter o cérebro saudável,bem como o resto do corpoSão Paulo - Estar fisicamente ativo pode evitar a atrofia do cérebro e afastar a demência. É issoque aponta um estudo publicado na edição de dezembro da revista Medicine & Science inSports & Exercise.O estudo coletou dados, em relação aos níveis de atividade física, de mais de 750 adultos ecomparou com exames de ressonância magnética dos lobos central e temporal dosparticipantes durante um período de oito anos. Os resultados demonstraram que o nível deatividade física foi um fator significativo na progressão da atrofia do lobo frontal. Os dadossugerem que o exercício e a atividade física podem ajudar a manter o cérebro saudável, bemcomo o resto do corpo."Os resultados deste estudo mostraram que adultos com menor gasto de energia estavam emrisco de progressão da atrofia do lobo frontal. Incorporar a atividade física em sua rotina diáriapode ser um passo útil para prevenir doenças causadas pela atrofia do cérebro, tais como ademência", disse o pesquisador chefe, Atsumu Yuki, Ph.D., do Centro de Desenvolvimento eMedicina Avançada para a Demência, no Japão.Este estudo contribui para o crescente número de evidências de que o exercício temimportantes benefícios a longo prazo para o cérebro. O novo estudo complementa uma deoutra pesquisa que indica que pessoas ativas na faixa dos 70 anos têm menos encolhimento docérebro do que os seus contemporâneos sedentários.Fonte: ExameVÍDEO: Programa Especial – Esportes adaptadosNa edição do Programa Especial, exibido pela TV Brasil, a profissional Melaine MachadoNascimento [CREF 003124-G/RJ] fala sobre a prática de esportes e atividades físicas por pessoascom deficiências.Fonte: Programa EspecialAcademias brasileiras agora são especializadas em oferecerserviços para idosos, gestantes...Alunos de hoje buscam treinos específicos para suas necessidades e o mercado tem chancespara quem quer crescerO aumento da expectativa de vida e a busca por uma rotina mais saudável compõem umarealidade comprovada pelo número de academias no Brasil. Atrás apenas dos Estados Unidos, oPaís conta com mais de 28,8 mil unidades, segundo dados recentes do Conselho Federal deEducação Física (Confef). Um mercado que atende aproximadamente 6,7 milhões de pessoas eé formado essencialmente por negócios de pequeno e médio porte.
  • 10. CONFEF 10 CLIPPING 84“Elas representam cerca de 95% do total de academias no País”, explica Kleber Pereira,presidente da Associação Brasileira de Academias (Acad). Além do expressivo número dematriculados, o cenário mostra-se ainda mais positivo para quem já está no setor ou pretendeentrar nele.“As grandes redes ainda têm um número insuficiente de unidades. Levando-se em consideraçãoque uma pessoa não se desloca mais do que 700 metros para fazer uma atividade física, hámuitas oportunidades para as academias de bairro”, explica Gustavo Almeida, diretor-executivoda Fitness Brasil, instituição que atua no mercado aqui do Brasil e também na América Latina.Para crescer junto com o segmento, analisa Almeida, o empreendedor deve ficar atento àstendências e necessidades que o mercado cria. “A rede Smart Fit, por exemplo, implantou umconceito diferente, mais voltado para quem está familiarizado com as atividades físicas. Por isso,o cliente paga um valor mais baixo pela mensalidade. É quase como um aluguel deequipamentos”, explica.Segmentação. Para ganhar competitividade e não ser esmagado pela concorrência, é precisomesmo oferecer serviços diferenciados ao consumidor. Criada há dez anos por três médicos, a B-Active, academia especializada no acompanhamento de idosos, não enfrenta a maior partedos problemas do setor, como a baixa taxa de fidelização do cliente.“Por sermos médicos, acompanhamos de perto as necessidades dos nossos pacientes.Percebíamos que parte deles voltava pior ao consultório quando era recomendada a atividadefísica como tratamento”, conta Benjamin Apter, sócio do empreendimento.A carência de uma academia adequada às necessidades da terceira idade motivou os amigosno desenvolvimento do negócio. Sem pressa, e com investimento inicial de R$ 250 mil, foi erguidaa primeira unidade, hoje presente em três bairros nobres de São Paulo. A marca devetransformar-se em franquia a partir do ano que vem.“O nosso cliente não admite erros. Ele busca resultados. Por isso, temos que ser extremamentecuidadosos não só com a adequação de equipamentos, mas também com oacompanhamento médico e com toda a estrutura disponível para que possamos garantir o bomatendimento”, analisa o médico.Já a empreendedora Juliana Calheiros [CREF 094013-G/SP] criou a Materna Fit, especializada ematividades físicas para gestantes e mulheres com filhos pequenos. A ideia surgiu quando elaconstatou, durante a própria gravidez, a escassez de serviços específicos para as futurasmamães.Formada em educação física, a profissional buscou capacitação para abrir o empreendimento.O atendimento das alunas é individual e divido com mais duas professoras. “Comecei sozinha,mas a procura pelas aulas cresceu e continua crescendo. A nossa meta é contratar maisprofessoras e abrir um espaço fixo, mantendo o atendimento individual que fazemos comoopção”, finaliza.Fonte: O Estado de S. PauloEstatina associada a exercícios físicos reduz em até 70% o risco demortalidadeSegundo novo estudo, medicamento sozinho também diminui essas chances, mas acombinação dos dois hábitos surte efeitos melhores em pessoas com colesterol alto
  • 11. CONFEF 11 CLIPPING 84Um novo estudo americano concluiu que aliar o uso de estatina, medicamento que controla osníveis de colesterol no sangue, à prática regular de atividade física pode reduzir em até 70% orisco de morte em um período de dez anos entre pessoas com colesterol alto. A pesquisamostrou que cada um desses dois hábitos, se seguidos individualmente, também surte essebenefício, mas que o efeito positivo é muito maior se eles forem combinados. Os resultados forampublicados nesta quarta-feira na revista médica The Lancet.Segundo a pesquisa, a taxa de mortalidade entre os participantes que usaram a estatina foi 35%menor do que a daqueles que não faziam uso do medicamento. Além disso, quanto melhor erao condicionamento físico de um indivíduo, menor sua chance de morrer em um período de dezanos. De acordo com os resultados, participantes que tomavam estatina e que tinham melhorcondicionamento físico tiveram um risco até 70% menor do que aqueles com piorcondicionamento, mas que também faziam uso do medicamento.De acordo com Peter Kokkinos, coordenador do estudo, a melhora do condicionamento físicopode ser obtida com atividades de carga moderada, como com 30 minutos de caminhadarápida ao dia, por exemplo. Além disso, ele afirma que os exercícios, por serem tão benéficosquanto as estatinas para a redução do risco de morte, são opções ideais a pacientes que nãopodem fazer uso do medicamento devido aos seus efeitos colaterais.Fonte: VejaDiretor conta as vantagens de estudar Educação FísicaRio - Para ajudar os estudantes na difícil tarefa de escolher a carreira profissional que mais seadequa ao seu perfil, a Estácio fez uma parceria com o Dia Online e, desde a semana passada,apresenta entrevistas com coordenadores de cursos, para tirar dúvidas e mostrar as atuações evantagens de cada profissão, bem como o cenário atual do mercado e as aptidões necessárias.Na semana passada, a carreira escolhida foi Administração.Nessa semana, o professor Marcelo Costa [CREF 000008-G/RJ] conta tudo sobre a EducaçãoFísica, sua área de coordenação pedagógica nacional. Ele destaca a proximidade de grandeseventos esportivos, como Copa e Olimpíadas, como um atrativo para seguir essa profissão.Vamos conferir!Fonte: O DiaExagero nas atividades físicas pode causar tendinite crônicaA prática de atividades é fundamental para a saúde do corpo, porém alguns cuidados devemser tomados para que os resultados sejam positivosCom a chegada do verão e as férias de fim de ano, os esforços para conquistar a boa formafísica se intensificam. De acordo com o ortopedista do Hospital Santa Luzia, Dr. Weldson Muniz, osriscos da prática esportiva de forma incorreta podem causar grandes danos à saúde. “O excessode exercícios físicos, movimentos realizados de forma incorreta, calçados inadequados para aatividade e o levantamento de peso superior ao porte físico, causam lesões aos tendões”.Essas lesões podem se agravar gerando a tendinite crônica, uma inflamação que acarreta aperda de elasticidade nos tendões. Dor e inchaço no local afetado são alguns dos sintomasiniciais da tendinite aguda, a primeira fase da doença. “Na fase inicial o risco maior é oautomedicamento, pois ameniza a dor, mas não cura a lesão”, afirma Muniz. Caso a dor se
  • 12. CONFEF 12 CLIPPING 84intensifique, tornando-se aguda e contínua, o atleta deve procurar imediatamente umespecialista, pois estes são sinais do processo de calcificação do tendão, que acorre nosegundo estágio da doença, identificada por tendinite crônica.O tratamento dessa lesão varia de acordo com a fase e o local da inflamação. “O tratamento éà base de medicação e correção da maneira que o paciente realiza suas atividades”recomenda Muniz. “Já a fase crônica pode levar à cirurgia, para retirada da fibrose dos tecidos”alerta.A prática de atividades é fundamental para a saúde do corpo, porém alguns cuidados devemser tomados para que os resultados sejam positivos. O calçado deve ser de acordo com oexercício e o alongamento, antes e depois do esporte, melhora a circulação muscular e evitalesões. “É imprescindível que as atividades físicas sejam monitoradas por um profissionalcapacitado, para que sejam realizadas corretamente evitando traumas” conclui.Fonte: Mais ComunidadeCiclofaixas devem ser combinadas com outras atividades nasemanaPedalar pelas ciclofaixas paulistanas é uma atividade física disfarçada de programa de lazer ouum passeio que parece prática esportiva?Celebradas pelos ciclistas desde 2009, quando começaram a surgir, as vias exclusivas são asresponsáveis pelas multidões que passaram a invadir a cidade aos domingos e feriadosnacionais. Atualmente já somam 108,5 km (ida e volta) espalhados por quatro circuitos.Para quem está em busca de um bom passeio, e até de um empurrão para sair da vidasedentária, as vias especiais são uma ótima opção. Mas, abertas só um dia por semana e emhorário restrito (das 7h às 16h), podem não ser o suficiente quando o objetivo for fortalecer amusculatura ou aumentar a resistência.(...)As paradas constantes -sejam intencionais ou causadas por faróis fechados, cruzamentos,pedestres e outras inconveniências do trânsito- são outro empecilho das vias compartilhadas queatrapalha um pouco a vida de quem busca maiores resultados."Se a intenção é a mesma que um treino de academia, o ideal é ir para a ciclovia da marginalPinheiros, sem paradas", diz Everton Crivoi [CREF 035782-G/SP], coordenador do curso deeducação física do Senac e especialista em ciclismo. "Mas, se a intenção é um exercício leve, aspausas não são um problema."Fonte: Folha de S. PauloForma sob controleEm casa, é possível exercitar-se dançando ou fazendo atividade física tendo como guia os DVDsRio - O verão está chegando e, com ele, o desejo de entrar em forma. E, mesmo que você sejado grupo que não suporta academia, saiba que em casa você pode fazer atividade física deforma divertida, usando como guia DVDs. Vários deles oferecem programas de malhação queunem dança e exercício físico. Uma das novidades é o Zumba Fitness, lançado há um mês no
  • 13. CONFEF 13 CLIPPING 84Brasil. A coleção Exhilarate traz sete DVDs que fazem a pessoa se mexer no ritmo de salsa,merengue, calipso, reggaeton, cumbia e kuduro.O professor de Educação Física Raphael Rosa [CREF 059206-G/SP] brinca que o Zumba Fitness éum exercício disfarçado. Em uma hora de aula, garante ele, a pessoa chega a perder entre 400e mil calorias. “E o melhor é que a pessoa malha se divertindo. O importante não é acoreografia, mas a forma alegre e prazerosa que ela utiliza para te colocar em movimento”,afirma.Seja com dança ou exercícios, os vídeos fazem sucesso e podem ser uma forma de deixar paratrás os tempos de sedentarismo. “Muitas pessoas acham que estão num grau tão grande deinatividade que têm vergonha de ir para uma academia porque consideram que é umambiente que não combina com elas. Outras tantas não têm tempo ou dinheiro para isso. Então,exercitar-se em casa é uma inteligente e ótima opção”, afirma José Rubens D’Elia [CREF 017276-G/SP], fisiologista do exercício e preparador físico dos velejadores brasileiros Robert Scheidt e LarsGrael.O médico Jomar Souza, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e doEsporte, concorda com D’Elia e diz que qualquer atividade física que se faça já traz ganhos paraa saúde: “A pessoa pode não ficar com o corpo dos sonhos, mas vai, progressivamente,começar a sentir melhoras no seu condicionamento físico e isso vai animá-la a malhar cada vezmais e a procurar novas alternativas de atividade física”.Fonte: O DiaNatação e recreaçãoUm estudo da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático afirma que quatro crianças de até10 anos de idade morrem por dia, vítimas de afogamento no Brasil.De acordo com a instituição, a regra básica de segurança é nunca deixar uma criança sozinhadentro ou próxima de uma piscina. As crianças sempre devem ser monitoradas quando brincamna água.Com a chegada do Verão, a atenção deve ser redobrada, em casa, no clube, no sítio, nocondomínio ou em qualquer outro lugar onde exista uma piscina por perto, até mesmo empiscinas pequenas infláveis ou de fibra.As brincadeiras mais perigosas e que devem ser impedidas são as que envolvem correr em voltada piscina e empurrar o amigo na água.Em Catanduva, a Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo (Smelt) informou que para monitorar asaulas de natação, no Conjunto Esportivo Anuar Pachá, a Prefeitura mantém um professorresponsável com (CREF) Conselho Regional de Educação Física e três estagiários do últimoperíodo do curso de Educação Física para monitorar as aulas de natação.Fonte: O Regional

×