Your SlideShare is downloading. ×
Clipping 72
Clipping 72
Clipping 72
Clipping 72
Clipping 72
Clipping 72
Clipping 72
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Clipping 72

474

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
474
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CLIPPING Nº 72 De 4 a 17 de junho Comunicação – CONFEF ÍNDICENOTA DA COORDENAÇÃO (Pág. 2) Escolha do tênis adequado é essencial paraProfessor do IFRR/Campus Boa Vista publica prevenir lesões (Pág. 6)estudo sobre redução da pressão arterial emindivíduos diabéticos (Pág. 2) Globo News Saúde mostra um guia de corrida para amadores e iniciantes (Pág. 6)Rio Grande do Sul ganha Conselho Estadualde Esportes (Pág. 2) Charlatões travestidos de ‘personal’ (Pág. 6)Nova lei exige atestado médico semestral Ginástica para 3ª Idade agita senhoras (Pág.para frequentar academia (Pág. 3) 7)Excesso de exames desestimula o aluno, dizmédico do esporte (Pág. 3)Comissão aprova adequação deprofissionais de educação física emacademias (Pág. 4)Sem monitor, academia ao ar livre favorecelesões (Pág. 4)Conselho Regional de Educaçăo Física dásuporte ao projeto Bom de Bola (Pág. 4)Conheça treino de 11 minutos para ficar emforma sem sair de casa (Pág. 5)São Sebastião: cidade registra crescimentona procura por atividade física na terceiraidade (Pág. 5)
  • 2. CONFEF 2 CLIPPING 72NOTA DA COORDENAÇÃO: o Clipping CONFEF exibe apenas os primeiros parágrafos dasmatérias. Para lê-las na íntegra, basta clicar, no nome do veículo (em “Fonte”), no final de cadamatéria / reportagem. Só não será possível acessar a matéria original quando esta for retirada deum impresso e não existir a versão dela na web. Neste caso, o nome do veículo estará apenasem negrito (em “Fonte”) e a matéria estará disponível aqui na íntegra.A única inserção do CONFEF nos textos das matérias abaixo são os números do registroprofissional após a citação de um Profissional de Educação Física.Professor do IFRR/Campus Boa Vista publica estudo sobre reduçãoda pressão arterial em indivíduos diabéticosO professor do Curso de Licenciatura em Educação Física do IFRR, Paulo Russo Segundo (CREF000725-G/RR) teve seu artigo, intitulado Exercício Resistido Induz Redução da Pressão Arterial emIndivíduos Diabéticos Tipo 2 publicado no periódico JORNAL DE FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO DASOCIEDADE AMERICANA DE FISIOLOGISTAS DO EXERCÍCIO.De acordo com o trabalho, tal estudo é relevante, pois demonstra o efeito protetor do exercíciofísico sobre a pressão arterial em indivíduos com diabetes tipo 2, comprovando que, apósrealizarem avaliação cardiológica e exercícios resistidos (musculação), ficou comprovado que apressão arterial destes indivíduos foi reduzida em até 12 mmHg.Fonte: IFRRRio Grande do Sul ganha Conselho Estadual de EsportesAs reuniões serão mensais, toda a primeira segunda-feira de cada mêsO Estado passa a contar com um Conselho Estadual de Esportes do RS (CeeeRS). Os integrantesforam empossados nessa segunda-feira, 4, pelo secretário do Esporte e Lazer (SEL), Kalil Sehbe,presidente do grupo. O órgão substitui o antigo Conselho Regional do Desporto (CRD) e passa aser vinculado à SEL. As reuniões serão mensais, toda a primeira segunda-feira de cada mês.Segundo Kalil, este "novo Conselho tem a função de colaborar na ampliação e nodesenvolvimento do esporte gaúcho. O espírito aqui é de construção". Já a diretora-presidenteda Fundação de Esporte e Lazer do RS (Fundergs), Renita Dametto, fez questão de ressaltar que"a criação do Conselho Estadual atende a uma demanda antiga da área esportiva".Responsável por acompanhar e fiscalizar a aplicação dos recursos materiais e financeiros doEstado destinados às atividades esportivas, o CeeeRS é formado por representantes do Governodo Estado e de entidades ligadas ao meio esportivo, como o Conselho Regional de EducaçãoFísica do Estado do RS (Cref2/RS), da Associação dos Cronistas Esportivos Gaúchos (Aceg-RS) edo Desporto Paralímpico e Federação Desportiva de Surdos do RS.Fonte: Gaz
  • 3. CONFEF 3 CLIPPING 72Nova lei exige atestado médico semestral para frequentaracademia[São Paulo/SP]Desde maio, alunos de academias da cidade de São Paulo têm que se submeter a examesmédicos semestrais, de acordo com a lei 11.383/1993, sancionada pelo prefeito Gilberto Kassab."Acho a medida um exagero que pode incentivar a busca por atestados comprados ou porconsultas burocráticas só para cumprir tabela", diz o fisiologista Turíbio Leite de Barros [CREF041074-P/SP], da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), que defende os exames anuais. "Anão ser em casos específicos, a avaliação anual é suficiente."As academias terão que manter os atestados médicos anexados às fichas dos alunos. Odocumento deve autorizar a prática de exercícios específicos, além de expor qualquer restriçãofísica.E o não cumprimento da lei pode levar à multa e fechamento do estabelecimento, segundo aCovisa (Coordenação de Vigilância em Saúde), responsável pela fiscalização.(...)Preocupadas com a evasão de alunos por conta do aumento dos exames, academias como aBodytech e a K2 colocaram médicos de plantão em suas unidades."Facilita a vida do aluno e garante que os exames sejam úteis tanto para a parte médica quantopara avaliar o desempenho", afirma Daniel Gusmão [CREF 039551-G/SP], coordenador da redede academias K2.Fonte: Folha de S. PauloExcesso de exames desestimula o aluno, diz médico do esporteNova lei municipal define que alunos de academias da cidade de São Paulo têm que sesubmeter a exames médicos semestrais, mas muitos médicos não estão convencidos danecessidade de repetir exames em um período de tempo tão curto."Não vejo problemas em alguém saudável, com menos de 35 anos, ir ao médico só a cada doisanos", afirma Jomar Souza, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e doEsporte.Visitas semestrais são interessantes depois dos 50, segundo Souza: "Antes disso, só é precisoretornar quando o próprio médico indicar".(...)"A preocupação dos praticantes com a própria saúde é uma coisa louvável, mas muitossupervalorizam os exames sem perceber que o maior risco está na atividade mal orientada",afirma o fisiologista Turíbio de Barros.
  • 4. CONFEF 4 CLIPPING 72Para ele, a chave da redução de lesões está na capacitação de treinadores e professores, nãono consultório.Fonte: Folha de S. PauloComissão aprova adequação de profissionais de educação físicaem academiasA Comissão de Seguridade Social e Família aprovou, na quarta-feira (30), proposta que permiteao Conselho de Educação Física criar normas sobre a quantidade de profissionais necessáriosem relação ao número de alunos em academias. Segundo o projeto, a decisão deverá sertomada em conjunto com representantes dos empregadores ou de clientes desses serviços.O texto aprovado é o substitutivo da relatora, deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), ao Projeto deLei 7500/10, do deputado Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP), e acrescenta a atribuição à Lei9.696/98, que cria os conselhos regionais e federais de Educação Física.Fonte: Agência CâmaraSem monitor, academia ao ar livre favorece lesõesNesta quarta-feira (06/06) Santo André ganhou mais uma Academia ao Ar Livre, desta vez napraça Das Crianças, vila Linda. No dia 02/06, a praça Garibaldi, no bairro Tamarutaca, recebeua primeira unidade do gênero num núcleo habitacional do município. Ambas fazem parte doprojeto da Prefeitura de oferecer 49 espaços até dezembro, mas que é alvo de críticas doConselho Regional de Educação Física do Estado de São Paulo (CREF4-SP).Para o órgão, que emitiu ofício a 645 prefeitos do Estado, a onda de academias abertas emespaços públicos representa risco de lesões musculares e articulares e até de morte para ousuário. “Temos verificado que estes espaços não oferecem orientação profissional sobre o usoadequado dos equipamentos e está nos cheirando mais politicagem do que prestação deserviço”, afirma Flávio Delmanto, presidente do CREF4-SP.Fonte: Repórter DiárioConselho Regional de Educaçăo Física dá suporte ao projeto Bomde BolaO Conselho Regional de Educação Física da 8ª Região (CREF8) é o novo parceiro do Bom deBola, iniciativa do Governo do Amazonas para alavancar as categorias de base do futebolamazonense. A entrada do CREF8 ao projeto aconteceu nesta quarta-feira, 6 de junho, durantevisita dos representantes da entidade à sede da Secretaria de Estado da Juventude, Desporto eLazer (Sejel), na Vila Olímpica de Manaus.Para a gestora da pasta de Esportes do Amazonas, Alessandra Campêlo, toda ajuda no sentidode fortalecer o Bom de Bola é bem-vinda, afinal o projeto vai beneficiar 10 mil crianças eadolescentes na faixa dos 9 aos 17 anos – o lançamento acontecerá no dia 22 de junho, naArena Amadeu Teixeira.
  • 5. CONFEF 5 CLIPPING 72“A participação do CREF fortalece o projeto, pois dá suporte de profissionais e soma com aexperiência dos ex-jogadores profissionais que integram a coordenação do Bom de Bola”,destaca a titular da Sejel.Fonte: SejelConheça treino de 11 minutos para ficar em forma sem sair decasaQuanto tempo uma pessoa precisa para ficar em forma? Segundo o método de exercícioscriado pelo cientista e atleta Bill Orbin para os pilotos da Força Aérea Canadense, apenas 11minutos por dia.A técnica, criada no fim dos anos 50 e reproduzida no livro "Mantenha-se Fisicamente em Forma"(Global Editora, 108 págs., R$ 25), alterna alongamento com abdominais, flexões e corrida semsair do lugar. Tudo pode ser feito em casa, sem aparelhos.(...)"O método funciona, mas pode se tornar desinteressante depois de um tempo. É muito técnico,sem momentos de brincadeira", afirma Raul Santo de Oliveira [CREF 001984-G/SP], professor defisiologia do exercício da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).Outro ponto negativo, de acordo com o fisiologista, é que a rotina é solitária e, por isso, podenão ser interessante para idosos. "Nesta fase, a atividade física deve levar em conta asocialização."Para o diretor técnico da rede de academias Bio Ritmo, Saturno de Souza [CREF 002623-G/SP], osexercícios do método continuam sendo usados, mas de forma diferente. "Usamos aparelhos eintegramos os movimentos em rotinas mais variadas."Fonte: Folha de S. PauloSão Sebastião: cidade registra crescimento na procura poratividade física na terceira idadeLitoral Norte - A Administração Municipal, por meio da Seesp (Secretaria de Esportes), realizourecentemente um levantamento da prática esportiva em São Sebastião. Para a surpresa dosprofissionais da secretaria, o número de alunos da terceira idade cresceu e hoje ocupa asegunda posição no ranking por faixa etária. Entre as atividades mais procuradas pelos idososestão a hidroginástica, o alongamento e a ginástica localizada. O projeto Atividade é a principalfonte de inscritos por se tratar de um trabalho sócioesportivo. Xadrez, natação, jogos de salão,caminhada, tênis, yoga e power yoga, são algumas das outras atividades praticadas.Aproximadamente 800 alunos da melhor idade praticam algum tipo de atividade física nacidade.Para o diretor de Esportes, David Camargo [CREF 018704-G/SP], foi uma surpresa a grandeprocura por parte da terceira idade, porém a pasta trabalha para atrair mais adeptos. “Praticarexercício, ou fazer parte de uma atividade ajuda, física e psicologicamente as pessoas. Em 2009,
  • 6. CONFEF 6 CLIPPING 72os idosos representavam 15% do total de alunos, hoje chega a 27% e o intuito é aumentar para40%”, disse Camargo.Fonte: O NoticiadoEscolha do tênis adequado é essencial para prevenir lesõesO advogado e corredor Felipe Farias decidiu comprar um tênis importado. Ele conta que ficouencantado pelo modelo, mas logo se arrependeu por causa da escolha precipitada: “Eucomprei um tênis muito sofisticado que tem promessa de amortecimento, bolhas de ar, molas, eem vez de me ajudar, me prejudicaram porque eu tive uma questão no joelho”.Assim como Felipe, atletas que escolhem o calçado errado para praticar atividades físicas estãosujeitos a uma série de lesões. É o que explica o ortopedista e diretor geral do Hospital Federal deBonsucesso, Flávio Silveira: “Você pode ter lesões de ligamentos, corrosão de ligamentos, demenisco, isso vai passar numa outra articulação importante que é o quadril, e depois isso vai sertransmitido para a coluna. Então assim: é uma prevenção necessária que se use tênis adequadopara a corrida.”Para evitar esses problemas, o ortopedista dá dicas para escolher o tênis ideal: “É necessário quea gente se detenha muito mais do que no preço. É preciso que a gente experimente, olhe,apalpe, vista e que tenha referência de boa qualidade e de boa origem.”Flávio Silveira falou também sobre a importância de procurar orientação de um professor deeducação física antes de começar a praticar qualquer atividade física. Segundo ele, esta é amelhor forma de prevenir lesões e problemas mais sérios nas articulações.Fonte: Blog da SaúdeGlobo News Saúde mostra um guia de corrida para amadores einiciantesEspecialistas alertam que qualquer atividade física deve ser encarada como medicamento.Como todo remédio, a diferença está na prescrição e na dose.Tênis, shorts e camiseta. Pode não ser necessário um monte de adereços para alcançar o bemestar físico e mental atribuído à corrida. “É prático, é barato, é fácil. É um fenômeno mundial”,comenta o professor de educação física Norton Martins de Freitas [CREF 002876-G/RJ]. Mas, alémde determinação para manter a prática, especialistas alertam que qualquer atividade físicadeve ser encarada como medicamento. Como todo remédio, a diferença está na prescrição ena dose. O Globo News Saúde falou com especialistas e mostra um guia para ajudar nosprimeiros passos.Fonte: G1Charlatões travestidos de ‘personal’A maior preocupação pela forma física aumenta a procura por personal treiners, mas conselhoprofissional alerta para o risco da escolha errada
  • 7. CONFEF 7 CLIPPING 72É cada vez mais comum encontrar pessoas que preferem contratar um personal trainer ouprofessor particular para fazer exercícios sozinhos. Porém, alguns cuidados devem ser tomadospara não cair nas mãos de charlatões. Em Mato Grosso, a atuação ilegal de pessoas na áreatem sido alvo de fiscalização por parte do Conselho Regional de Educação Física do Estado edo Mato Grosso Sul.(...)Coordenador da Academia Golfinho Azul, João Carlos Nunes [CREF 001096-G/MT], comenta queespecialistas da área médica recomendam a realização de atividades físicas. Porém, alerta, quepor serem complexos, é importante o acompanhamento de um profissional devidamentepreparado e habilitado, seja em casa ou em uma academia.“É como se fosse um medicamento. Se for acima ou abaixo da dose recomendada, não surtirá oefeito desejado ou então poderá resultar em complicações”, compara.Fonte: Diário de CuiabáGinástica para 3ª Idade agita senhoras[Imbé/RS]Aulas gratuitas reúnem mais de 150 pessoasO projeto Viva a Melhor Idade financiado pela prefeitura de Imbé, há dez anos faz a alegria de150 participantes. As aulas são gratuitas e ocorrem, segundas, quartas e sextas no Centro deImbé, e nos balneários: Presidente, Mariluz e Albatroz em horários diferenciados.Segundo o professor de Educação física e idealizador da iniciativa Michel Adolfo [CREF 009770-G/RS], foram às próprias senhoras que pediram as aulas, “todo mundo aqui sabia que na épocaeu estudava educação física, as alunas falaram comigo, eu organizei um projeto e levei até aprefeitura, eles aceitaram. Hoje sou formado e sigo com a ginástica” destaca o professor.Fonte: Jornal Dimensão

×