Livro virtual 4_a professora Rosane trabalhando abrilmaio
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Livro virtual 4_a professora Rosane trabalhando abrilmaio

on

  • 2,052 views

Livro

Livro

Statistics

Views

Total Views
2,052
Views on SlideShare
1,887
Embed Views
165

Actions

Likes
0
Downloads
26
Comments
0

4 Embeds 165

http://educadorarosane.blogspot.com.br 160
http://www16.jimdo.com 3
http://educadorarosane.blogspot.com 1
http://port6keditfundamental.jimdo.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Livro virtual 4_a professora Rosane trabalhando abrilmaio Livro virtual 4_a professora Rosane trabalhando abrilmaio Presentation Transcript

    • E.E.Profª. Therezina F.Pares 4°Ano AProfª Rosane Aparecida Ribeiro
    • Desde o momento do nascimento e durante toda a vida, o ser humanopassa por experiências únicas que aos poucos constroem suapersonalidade e a forma de ver o mundo. Partindo desse princípio, eu,Profª Rosane Aparecida Ribeiro, decidi reunir neste livro virtual asopiniões e histórias dos alunos do 4º ano A – ano letivo 2012, da EscolaEstadual Profª. Therezina F. Pares, a respeito das fábulas e sua magiamoral - encanto natural de cada história.Esse livro é o resultado de um Projeto Confabulando com as FábulasReuni desenhos, rascunhos e reescritas, em que os alunos apontamseus gostos prediletos.O livro mostra um pouco do modo de pensar desses que serão algunsde nossos grandes talentos e que, desde já, têm muito a dizer.Embarque na leitura, afinal ela sempre leva a novas aprendizagens.
    • 4º ano A
    • O Violino e o Ouro Certa noite, a dona Formiga escutou um som de violino lá no horizonte. Ela foi seguindo aquele som. Um som suave, tranquilo, ... Quando chegou lá viu um saco que estava brilhando como ouro. Sendo assim dona Formiga pegou o saco e levou para sua casa. Quando abriu , viu um violino quebrado. Moral da história: Nem tudo que reluz é ouro.Ilustraçao:Leticia Oliveira dos ReisGrupo: l .
    • A CIGARRA E A FORMIGA Reescrita pós leitura da professora MaluCerta manhã, dona Formiga, quando juntava seus grãos escutou o somde um violino. Então resolveu seguir esse som. Quando chegou lá viu umacigarra e falou:Dona Cigarra, a senhora nao vai pegar seus grãos ?-– Nao !-Entao dona Formiga foi embora. Quando chegou o inverno alguém bateuna porta. Era a cigarra. Então dona Formiga fechou a porta. Dona cigarrafoi-se embora.Dona Ana era vizinha de dona Formiga, muito fofoqueira. Era humana masera uma joaninha pimentinha. Escutou a conversa de Dona Formiga eDona Cigarra e já foi contar para a vizinhança. Para contar os fatos cobrou40 dólares.Logo dona Formiga ficou sabendo pela própria Dona Ana:
    • Dona Formiga deu um barraco na porta de sua própria casa.- Você esta sabendo que esta dona formiga chata ―ERA EUU‖ eaquela cigarra metida a besta?Dona Ana foi embora envergonhada por ter falado mal sobre donaFormiga. Dona Cigarra e dona Formiga se reencontraram e donaFormiga disse:-Vamos ser amigas?-Ah ah ah, beleza, mas nunca mas brigue comigo, ta bom?-Ta bom.Dona formiga e Dona cigarra foram felizes.Texto- Grupo IIlustração- Letícia Oliveira dos ReisLucas, Luiz , Leticia ,Ananda e Geovana e Renato
    • A MULA Uma mula, sempre folgada, como não trabalhava e mesmo assim recebia uma generosa quantidade de milho como ração, se exibia dentro do curral como se fosse mais importante que os demais. Era pura vaidade e arrogância. Senhora de si, vaidosa dizia a si mesma: — Meu pai, com certeza, foi um valoroso e belo Raça Pura. Me sinto orgulhosa por herdar toda sua graciosidade resistência, o mesmo espírito e beleza. Pouco tempo depois, ao ser levada a uma longa jornada, como simples burro de carga, ao sentir-se muito cansada, exclama desconsolada: — Talvez tenha cometido um erro deIlustração: Jardel e Miguel avaliação. Meu pai pode ter sido apenasTexto- Grupo II um simples asno. Moral da história: Ao desejar ser o que não somos, estamos plantando em nós a semente da frustração.
    • Felpo Filpa(Reescrita segundo a leitura apresentada pela professora Malu) Era uma vez um coelho poeta chamado Felpo Filpa. Felpo era um poeta ótimo e todo mundo adorava seus poemas, mas todas as historias tinham finais tristes. Um dia Felpo descobriu que tinha um problema - uma orelha maior do que a outra. Então Felpo pegou um aparelho chamado estica- orelha. Felpo ficou tão ansioso que resolveu experimentá-lo. Felpo ficou muito triste porque o estica- orelha não esticou sua orelha. Felpo também descobriu então que tinha
    • Charlô, era uma fã que discordava do conteúdopessimista e dramático de alguns dos poemas Felpo,ela tinha tido a audácia de reescrevê-los ao seu modo.Brabo com o atrevimento de Charlô, Felpo inicia umatroca de correspondência em que o seu jeito mal -humorado das primeiras cartas, aos poucos foi setornando menos amargo até ficar tão doce quanto osbolinhos de chocolate da avó de Felpo.É claro que essa troca de cartas entre Felpo e Charlôsó podia acabar em casamento.Felpo e Charlô foram felizes para sempre.Moral da historia: Orelhas diferentes são um tremendo charme.aluno Rafael
    • O CÃO E O OSSO Um dia, um cão carregando um osso na boca, ia atravessando uma ponte. olhando para baixo viu sua própria imagem refletida na água. Pensando que viu outro cão, cobiçou-lhe logo o osso que tinha na boca, e pôs-se a latir. Mas, porém, ao abrir a boca, seu próprio osso caiu na água e perdeu-se para sempre. Moral da história: Mais vale um pássaro na mão do que outro voando.Texto Grupo VElenildo, honatan, Rafael, Erwerton, Matheus , Nathallie e Deusdethy
    • O CAVALO E A VACA Grupo - IV Numa velha fazenda existia uma vaca muito interesseira que vivia a observar tudo e todos. Em um belo dia um cavalo muito bonito chegou e a vaca foi logo humilhando-o pois ele não parecia ser bonito não e tinha ouro nem prata. Alguns dias se passaram e a vaca continuava humilhando-o, afinal a vaca se sentia . Certa vez a vaca andava distraidamente e caiu em um buraco fundo. O cavalo que passava por ali viu a cena e resolveu ajudar. Pegou um graveto e ajudou-a. Assim a vaca ficou agradecida e amiga dele para sempre. • Moral : Quem vê cara não vê coração. • Ilustração Mikeas
    • O COELHO E O PASSARINHOTexto coletivo Era uma manhã muito tranqüilano bosque, até que o coelho chegou. Todos param de comer menos o passarinho, porque ele só queria pegar uma fruta. Mas o coelho não deixava, pois era só para ele. — Vocês não vão pegar nem uma fruta, saiam! Saíam! Então todos saíram. Menos o passarinho colorido. — Eu não vou sair daqui eu quero pegar uma fruta! Já disse para você sair daqui! — Tá bom, saiu! Mais você não vai conseguir comer isso tudo! — Vamos ver! Então o passarinho saiu. O coelho começou a comer ,e comeu todas as frutas e não conseguiu se levantar.Grupo III Então o coelho teve que ficar lá sentado atéCamila, Joyce,Raiane,Taissa que alguém o ajudasse.Rebeca e Ednaelson Moral da História:Tudo demais é veneno.
    • O GATO E A TARTARUGA Em um lindo dia, um gatinho brincalhão e muito esperto fugiu de sua mãe e foi brincar com sua bola de lã em uma montanha. Lá encontrou Grupo lV uma tartaruguinha e perguntou: Talita, Marcelle, Mikeas, Patrick — Quer brincar comigo? Vitoria e Elaine — Que pena amigo gato, não posso, pois minha mãe está me esperando lá em baixo desta montanha. — Ah! Então está certo,tchau! — Tchau! O gatinho pensou muito e disse: — É melhor eu ir para minha casa, não é bom ficar aqui sozinho é muito perigosa essa montanha! Ao descer da montanha acabou levando uma queda. Chegou em casa com a patinha quebrada, a mãe não brigou, mas sim colocou um curativo nele e disse: — Está vendo como você errou, me desobedeceu e isso lhe fez muito mal! — Certo mãe, nunca mais irei fazer isso! — Está bem! Moral da história : .A desobediência só traz o mal.
    • A Chapeuzinho Verde(reescrita pós leitura do livro Chapeuzinho Amarelo | Autor(es) Chico Buarque,apresentado pela professora Malu. Era uma linda menina que gostava muito de plantas. Todos os dias ela usava seu chapéu verde. Chapeuzinho Verde adorava frutas, flores, nunca ficava doente mas sorria muito. Ela tinha muita alegria em estudar e aprender . Uma mania era constante a Chapeuzinho Verde - cantava, dançava e brincava muito. A menina sabia fazer as pessoas sorrirem. Então vivia rodeada de amigos , sem medo de ser feliz e de fazer outras pessoas feliz. Moral da História:Quem é feliz adoece menos e faz mais gente feliz. Ilustração Letícia Oliveira Reis
    • ROSA - A MENINA QUE Rosa era uma boa menina, vivia sonhando com coisas impossíveis .SONHAVA Ela sempre foi muito estudiosa mas nem por isso deixava deTexto coletivo sonhar. Algumas pessoas acham que quem estuda, trabalha não tem tempo para sonhar, mas Rosa mostrava no dia a dia que podia fazer muitas coisas. Afinal ela conseguia fazer tarefa , ajudar sua mãe, cuidar dos irmãos menores e sonhava muito. Viajava na leitura que descobriu com a professora Rosane . Rosane era uma professora muito maluquinha - em tudo que fazia colocava musica e alegria. Seus alunos assim como a Rosa aprendera o segredo do conhecimento através da leitura . Por isso Rosa sonhava e voava nas asas da leitura e da imaginação sem ao menos sair do lugar. Moral da História: Quem lê alimenta o corpo, a mente e coraçãoIlustração: Talita
    • Mika e sua gata Mika era uma garota muito esperta em todas as provas tirava 10. Um dia Mika chegou da escola e disse para sua mãe: - Mãe quero ter uma gatinha - compra uma para mim ? - Filha, eu e seu Pai estamos até o pescoço de contas, não da para te dar uma gata agora - disse a mãe de Mika. Mika foi para seu quarto dormir cedo porque tinha aula logo cedo. No outro dia Mika foi para a aula e na volta viu uma gatinha branca e a pegou. Quando Mika chegou em casa foi direto pedir para sua mãe autorização para ficar com a gatinha e sua mãe disse - sim filha, pode ficar sim filha, que bom que achou uma gatinha porque eu não ia poder comprar – Mika deu o nome de sua gata de Mika.Ilustração: Lucas Aparecido Moral: Sem querer às vezes encontramos coisas que com autorização de nossos pais podemos ficar nos sentirdo felizes.
    • As três irmãs Era uma vez três irmãs. Uma das irmãs não gostava de comer nada, sempre que as irmãs oferecia algo, . ela não comia nem ao menos verduras, legumes e nem frutas. Sendo assim vivia doente, triste e com a saúde comprometida. Mas um dia a irmã estava com muita fome e sentindo-se fraca resolveu melhorar sua alimentação e assim ela começou a comer verduras, legumes e frutas . Em pouco tempo as três estavam felizes com a saúde recuperada e com bons hábitos alimentares. Todas as irmãs viveram muito felizes.Moral da história: A boa alimentação não só traz saúde - também nos faz felizes Quem se alimenta bemvive mais e melhor.Grupo : llIlustração:Marcele
    • O sol e o Vento O Vento e o Sol ( reescrita coletiva ) "O vento e o sol estavam disputando qual dos dois era o mais forte. De repente, viram um viajante que vinha caminhando. - Sei como decidir nosso caso. Aquele que coseguir fazer o viajante tirar o casaco, será o mais forte. Você começa, propôs o sol, retirando-se para trás de uma nuvem. O vento começou a soprar com toda a força. Quanto mais soprava, mais o homem ajustava o casaco ao corpo. Desesperado, então o vento retirou-se. O sol saiu de seu esconderijo e brilhou com todo o esplendor sobre o homem, que logo setiu calor e despiuIlustração coletiva o paletó."com uso dosrecursostecnológicos: Moral da história: O amor constrói, a violência arruina.
    • O RATO DA CIDADE E O RATO DO CAMPOautores: Geovana e Luiz . Um rato que morava na cidade, foi passear no campo. Recebeu-o e agasalhou-o um amigo que o levou para os seus palácios subterrâneos, e deu-lhe um banquete de ervas e raízes. Maldizendo em presença de tais iguarias a louca lembrança do seu rústico passeio, o rato da cidade, obrigado a jejuar, disse por fim: ―Amigo, tenho dó de você; como pode ficar resignado com semelhantes coisas? Venha comigo para a cidade e veja o que é fartura, o que é viver...‖. O outro aceitou. À noitinha estavam ambos em uma bela e rica residência, cheia de queijos, lombos, o perfumado toucinho, tudo os chamava desforrando- se de sua longa dieta, o rato do campo regalava-se. Subitamente range a porta, entra o dono e com ele, dois gatos. O rato da casa achou logo o seu buraco; o hóspede, sobressaltado, pulando de prateleira em prateleira, mal escapou com a vida, e despedindo- se do amigo, disse: ―Adeus, camarada, fique com as suas farturas; mais vale magro e faminto no mato, do que gordo na boca do gato‖. Moral da história: Mais vale ter uma vida simples e feliz do que viver no luxo com medo.
    • A girafa na floresta.Autores Marcelle e JoyceGrupo lv e lll Num dia de muito sol, uma girafa estava caminhando pela floresta e viu uma arvore• cheia de frutos. . Na verdade a girafa nem observou que frutos eram aqueles e já foi comendo tudo feito uma esfomeada. Logo em seguida caiu num sono profundo. Quando acordou já era noite e estava com muita dor de barriga. Quando o sol chegou ela foi para a casa, abatida toda aquela comilança não havia feito bem. Ilustração: Jardel Moral da História: Nunca coma o que você ver pela frente, seja educado e inteligente.
    • O LEÃO E O RATO Um leão foi acordado por um rato que passou correndo sobre ele. Com um salto ágilReescrita coletiva ( grupos l, ll, lll, IV e V), ele o capturou e estava pronto para matá-lo,pós leitura apresentada pela quando o rato suplicou:Professora Malu — Se o senhor poupasse minha vida, tenho certeza que poderia um dia retribuir sua bondade. O leão deu uma gargalhada de desprezo e o soltou. Aconteceu que pouco depois disso o leão foi capturado por caçadores que o amarraram com fortes cordas no chão. O rato, reconhecendo seu rugido, se aproximou, roeu as cordas e libertou-o dizendo: — O senhor achou ridículo a idéia de que eu jamais seria capaz de ajudá-lo .Nunca esperava receber de mim qualquer compensação pelo deu favor, mas agora sabe que é possível mesmo a um rato conceder um favor a um poderoso leão. Moral: Os pequenos amigos podem se revelar grandes aliados.Ilustração: Coletiva com uso de pesquisa na web
    • Um dia a Lebre encontrou a Tartaruga eA Lebre e a Tartaruga ridicularizou o seu passo lento e miudinho. - Muito bem - respondeu a Tartaruga sorrindo. –Grupo V- Matheus, Jhonatam , Apesar de seres tão veloz como o vento, vouDeustethy, Rafael,Ewerton e ganhar-te numa corrida.Nathallie A Lebre, pensando que tal era impossível, aceitou o desafio.Ilustração e pesquisa na web Resolveram entre elas que a Raposa escolheria o percurso e seria o árbitro da corrida. No dia combinado, encontraram-se e partiram juntas. A Tartaruga começou a andar no seu passo lento e miudinho, nunca parando pelo caminho, direto até à meta. A Lebre largou veloz, mas algum tempo depois deitou-se à beira do caminho e adormeceu. Quando acordou, recomeçou a correr o mais rapidamente que podia. Mas já era tarde... Quando chegou à meta, verificou que a Tartaruga tinha ganho a aposta e que já estava a descansar confortavelmente. Moral da história: Devagar, mas com persistência, completará todas as . tarefas
    • Coisas que aprendemos com as aulas de Educação físicaTexto coletivo - atividade explorada a partir da avaliação trabalhada comProfessor Rodrigo Aprendemos nas aulas de educação física muita coisa. . Coisa que não imaginávamos que faziam parte da educação física. Confesso que pensava tudo errado - educação física pra nós era só brincar de bola, pega pega, correr e não escrever. Hoje nos já sabemos que essa aula vai muito alem de tudo isso, afinal com as aulas de educação física compreendemos melhor um monte de coisas das outras disciplinas. Aprendemos sobre o corpo humano, que é dividido em três partes, aprendemos a cuidar do corpo, dos dentes e até das nossas emoções. Quando ganhamos ou quando perdemos um jogo sabemos que temos que obedecer as regras, lembrando que o respeito e fundamental em tudo que fazemos. Sabemos e conhecemos muitos outros jogos alem do futebol, alem da queimada. Hoje percebemos que nas aulas de educação física temos oportunidade de aprender muitas coisas também na escrita e na produção de texto. Podemos dizer com muita alegria que aprendemos muitas coisas, só que de um jeito mais gostoso, diríamos - divertido.Ilustração: Imagens arquivo professora RosaneTexto coletivo dando continuidade ao texto dos alunos Lucas e Vitor
    • A menina e o gato Era uma vez uma menina que se chamava Alice. Ela tinha uma gata que se chamava Xuxa. As duas foram passear no campo. Era um lindo campo cheio de flores com rosas, margaridas e girassóis. Antes que as duas fossem embora,encontraram um lindo gato que estava sozinho. Alice logo pensou em convencer a mãe a deixar que ela ficasse com o gato também. A mãe de Alice deixou mas ela tinha que cuidar muito bem dos dois bichinhos, teria que dar um bom banho e deixá-lo cheirosinho como a gata Xuxa. Assim Alice seguiu muito feliz agora com dois bichinhos de estimação lembrando que tinha uma responsabilidade com eles.Ilustração: Raiane Moral da história: Bicho de estimação é muito bom, masDigitaçao- Joyce exige responsabilidade.Grupos-lll e IV
    • Projeto desenvolvido pelos alunos do 4º Ano A - 2012Idealizado pela Profª Rosane Aparecida Ribeiro e alunos Diretora: Profª Marilena Panini Vice diretor : Professor Jerônimo Jose Moreira Coordenadora Pedagógica: Profª Maria Heloisa da Silva Professores Especialistas: * Maria Luiza Matoso - leitura * Letícia Ferragut - artes * Rodrigo Olivieri – educação física