Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012

1,914 views
1,816 views

Published on

This conference was made at PORKEXPO 2012, Brazil. It is about the global pig meat production perspectives for the next 10 years.

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,914
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
546
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Conference at PORKEXPO, Brazil, Sept 2012

  1. 1. “Perspectivas da produção mundial de carne suína” Luciano RoppaPorkExpo, III Fórum Internacional de Suinocultura, 2012
  2. 2. AGENDA1. Fatos que caracterizaram a produção de suínos nos últimos 10 anos2. Principais tendências na produção de suínos nos próximos 10 anos
  3. 3. Aumentos no volume produzido Evolução na produção de carne suína, 2000 a 2011 (milhões de T)milhões T 22,3% 27,2% 6,8% 21,1% 28,5% MUNDO CHINA UE-27 EUA BRASIL
  4. 4. Aumento nas exportaçõesO comércio mundial de carne suína aumentou 77% nos últimos 10 anos ... Necessidades e Capital abundante Ucrânia 90% RÚSSIA UE-27 112% Japão 51% CHINA Taiwan Coréia Sul 92% 57% Vietnam México 100% Filipinas 66% 93% BRASIL Chile Austrália 130% Capacidade e Condições para crescer
  5. 5. Concentração do processo de produção Evolução da suinocultura nos EUA, 1985 a 2011 1985 2011 VariaçãoNo de Criadores, mil 388,6 69,1 5,6 x menorNo de cabeças/criador 134 960 7 x maisRebanho, milhões cabeças 52,3 66,4 + 27 %Produção, milhões T 6,73 10,35 + 54 %Fonte: Luciano Roppa, 2012 Evolução da suinocultura em Santa Catarina, 1985 a 2011 1985 2011 VariaçãoNo de Criadores, mil 54,2 12,0 4,5 x menorNo de cabeças/criador 59 516 8,7 x maisRebanho, milhões cabeças 3,2 6,2 + 93%Produção, mil T 229,3 825,0 + 260 %Fonte: Luciano Roppa, 2012
  6. 6. Melhora na eficiência produtivaEvolução do desempenho mundial, 2000 a 2012 2000 2012 %Plantel mundial de suínos 898,8 964,9 + 7,3Produção mundial de carne suína 89,9 109,1 + 21,3Fonte: Luciano Roppa, 2012Evolução nos resultados de granjas Brasileiras, 2000 a 2012 2000 2005 2012Vivos/fêmea/ano 25,95 26,37 28,16Desmamados/fêmea/ano 23,62 23,91 25,79Conversão alimentar do rebanho 2,89 2,67Estoque médio de matrizes 27.805 104.308 412.685Fonte: Agriness, 2012
  7. 7. Maior incidência de enfermidades viraisPRRSInfluenza(H1N1)Circovírus(PCV-2)Febre AftosaPeste suína africana
  8. 8. Aumento nas exigências dos consumidores Maior exigência dos consumidores em relaçãoà Segurança Alimentar, Saúde, Bem estar animal e Sustentabilidade
  9. 9. Aumentos no custo de produção Uso de grãos para produzir Biocombustíveis + Problemas climáticos (115 milhões T nos EUA, 25 milhões no Brasil, Argentina e Paraguai e 10 milhões na Rússia e Ucrânia)Evolução global dos preços da Carne e dos Cereais, 2000 a 2012 (FAO, 2002-04=index 100) CEREAIS: 160% Volatilidade = Seleção CARNES: 70%
  10. 10. Diminuição nas margens de comercialização Custo de produção x Preço pago ao Independente de São Paulo, 2007 a 2012(Granja de 300 matrizes, abate aos 115 kg de peso vivo, 24 leitões/porca/ano) Custo de Produção, R$/kg Fonte: EMBRAPA Média R$ 2,77 Média R$ 2,66 Preço pago ao Produtor, R$/kg Fonte: IEA RESUMO: 37 meses de prejuízo, 25 de lucro e 4 de empate ou R$ 500 mil de prejuízo acumulado Fonte: Luciano Roppa, 2012 com base na pesquisa de números oficiais publicados no site do IEA (Instituto de Economia Agrícola do Estado de São Paulo) e da EMBRAPA.
  11. 11. Diminuição nas margens de comercialização (cont.)Custo de produção x Preço pago ao Produtor de Iowa (EUA), 2007 a 2011 RESUMO: 34 meses de prejuízo, 24 de lucro e 1 de empate
  12. 12. Tempo e Evolução dos fatos ...2013 2012
  13. 13. América do Sul tem missão de recompor estoque de soja ... Produção mundial de Soja (milhões T) 2011/12 2012/13 Variação (%)EUA 83,2 73,2 - 12,0 %Brasil 66,3 82,0 23,6 %Argentina 41,5 55,0 32,5 %China 13,5 12,6 - 6,6 %Índia 11,0 11,4 3,6 %Paraguai 4,5 8,0 77,7 %Mundo 236,4 260,5 10,1 %
  14. 14. Produção mundial de Milho 2012/2013 Produção mundial de Milho (milhões T) 2011/12 2012/13 Variação (%)EUA 313,9 273,8 - 16,9%China 192,8 200,0 2,6%EU-27 64,6 61,5 - 6,1%Brasil 69,0 72,9 5,6%Argentina 21,0 28,0 12,0%México 19,0 21,5 2,4%Mundo 872,9 849,0 - 6,2% L. Roppa Consulting
  15. 15. Fatos a considerar na sua estratégia: SOJA A área plantada será recorde e a colheita da soja poderá atingir 83,7 milhões de T MATO Custo de Produtividade Preço atual Receita Lucro GROSSO produção/ha (sc/ha) (R$/Sc) (R$/ha) (R$/Ha) Milho 1.710,00 100 21,00 2.100,00 390,00 Soja grão 2.140,00 50 70,00 3.500,00 1.360,00 Preço firme até a próxima colheita brasileiraBoas safras no Brasil e Argentina colaborarão para uma possível redução de preços.
  16. 16. Fatos a considerar na sua estratégia: Milho Na safra de verão, colheremos Na safrinha, colheremos 55%45% da produção (32,9 milhões de T) da produção (40,9 milhões de T) O mercado interno deverá continuar abastecido, embora seja razoável prever alguma pressão sobre o preço e disponibilidade regional até a safrinha 2013. FIQUE DE OLHO NAS EXPORTAÇÕES
  17. 17. Bolsa de Mercadorias & Futuros
  18. 18. AGENDA1. Fatos que caracterizaram a produção de suínos nos últimos 10 anos2. Principais tendências na produção de suínos nos próximos 10 anos
  19. 19. O consumo de carne suína vai aumentar ... O maior aumento no consumo de carne suína será na Ásia ... Milhões T 2009-2011 2021 Quantidade Mundo 108,1 125,4 17,3 Ásia 63,5 76,3 12,8 74% Europa 26,2 27,8 1,6América Norte 9,4 10,4 1,0América Latina 6,7 8,1 1,4 África 1,0 1,5 0,5 Oceania 0,7 0,8 0,1 Fonte: L. Roppa, 2012 - Com base: “OCDE-FAO Agricultural Outlook 2009-11 to 2021”
  20. 20. A produção terá que aumentar ... A produção mundial de carne suína irá aumentar 17 % ... Milhões T 2009-2011 2021 Quantidade Mundo 108,6 126,2 17,6 Ásia 61,2 73,1 11,9 67% Europa 26,9 29,1 2,2América Norte 12,2 13,6 1,4América Latina 6,7 8,0 1,3 África 0,9 1,2 0,3 Oceania 0,4 0,4 - Fonte: L. Roppa, 2012 - Com base: “OCDE-FAO Agricultural Outlook 2009-11 to 2021”
  21. 21. O grande aumento da produção será na Ásia Principais produtores mundiais de carne Suína, 2010 a 2021 (milhões T) 2009-11 2021 Aumento, Aumento, % milhões TMundo 108,6 126,2 16,2 17,61 - China 50,5 60,1 19,0 9,62 - EU 27 22, 5 23,5 4,4 1,03 - EUA 10,1 11,2 10,9 1,14 - Brasil 3,2 3,7 15,6 0,55 - Rússia 2,3 3,2 39,1 0,9 Fonte: L. Roppa, 2012 - Com base: “OCDE-FAO Agricultural Outlook 2009-11 to 2021” L. Roppa Consulting
  22. 22. ... E serão os Asiáticos que irão importar mais Principais importadores mundiais de carne Suína, 2010 a 2021 (milhões T)(mil T) 2010 2021 Crescimento %Japão 1.198 1,220 1,8China 415 807 94,4Hong Kong 347 558 60,8Coréia do Sul 382 560 46,6Total 2.342 3.145 34,3EUA 390 503 28,9México 687 920 33,9Rússia 880 380 - 56,8 Fonte: L. Roppa, 2012 - Com base: “USDA Agricultural projections to 2021”, 2012
  23. 23. Nos próximos 10 anos, os desafios serão cada vez mais maiores ... Menor disponibilidade de terras aráveis, água e energiaAumento da população, da classe média e da urbanizaçãoCrescimento econômico nos países “Em Desenvolvimento” e estabilização nos países “Desenvolvidos”
  24. 24. Os custos de produção serão maiores do que no passado ...- Produzir mais(crescimento da população e do poder aquisitivo)- Melhor(segurança alimentar, bem estar animal e sustentabilidade)- Com menos recursos(terra, água, mão de obra e energia)- Com maior utilização de novas tecnologias(Pesquisa, Inovação, investimentos ...)
  25. 25. Organização da produção O futuro pertence ao criador eficiente, que tem condições de produzir um produto com rendimento e qualidade previsível, no menor custo. A consolidação da produção vai ser mais rápida nos próximos 10 anos; A tendência para a integração vertical vai continuar. Hoje em dia, 25% da suinocultura mundial já é integrada; A integração é o modelo atual mais bem sucedido para a sustentabilidade: - controla toda a entrada de matéria-prima, - controla os processos em cada fase da produção, - tira proveito das economias de escala.
  26. 26. Organização da produção Os produtores Independentes terão que formar aliançaspara obter economias de escala ou preencher nichos de mercado (como “livre de antibióticos”, “orgânicos”, “mercado local”, etc). Modelos de organização para os suinocultores independentes
  27. 27. Exemplos de Grupos Independentes 140 mil matrizesCOOSUIPONTE (Ponte Nova, MG) - 26 suinocultores Grupo SAUDALI (Ponte Nova, MG) - 52 criadores SUINCO (Patos de Minas, MG): - 68 criadores
  28. 28. Fórum Nacional Permanente da Pecuária de CorteAssociação de CriadoresConfederação Nacional da Agricultura (CNA)Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec)Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo)Associação Brasileira de Supermercados (Abras).Objetivo:- construir uma agenda positiva para trabalhar a relação produtor, indústria e varejo- discutir a organização da cadeia produtiva da carne bovina no paísAções que vem sendo discutidas:1.abertura de novos mercados para a carne brasileira,2.criação de uma legislação sobre a classificação e a tipificação de carcaça bovina,3.regulamentação do uso de novas tecnologias,4.fomentar a criação de um fundo de marketing da carne bovina
  29. 29. INSTALAÇÕES Instalações irão ser customizadas para atender o bem-estardos animais Iremos possuir uma melhor compreensão de como o ambientee os animais interagem Futuros sistemas não vão usar tanques de armazenamento dedejetos sob o piso, pois a ênfase será para diminuir as emissõesde gases dentro e fora dos edifícios.
  30. 30. INSTALAÇÕES Aumentará a pressão de cadeias de “fast food” contra o uso degaiolas para porcas em gestação O sistema de porcas soltas em baias durante a gestação, comdeclínio do uso de porcas confinadas em gaiolas, deverá prevalecerna UE-27 e Estados Unidos O sistema de porcas em gaiolas na maternidade, continuará a serquestionado
  31. 31. INSTALAÇÕESAs instalações futuras utilizarão cada vez mais, fontes alternativas de Energia como os biodigestores e os painéis solares.
  32. 32. MÃO DE OBRA Um dos maiores desafios será de encontrar pessoas qualificadas para fazer o elevado nível de trabalho que o setor vai exigir  O controle dos processo será centralizado e elaborado pelos funcionários mais inteligentes e experientes  Essa central vai abrigar o equivalente tecnológico de um “cockpit” de um avião moderno, monitorando todos os fatores críticos que afetam o desempenho de suíno.
  33. 33. GENÉTICA O aumento da Produtividade no futuro estará ligada à Eficiência. Os suínos terão que converter cada vez melhor os alimentos ecrescer mais rapidamente Metas: Peso - 130 kg Conversão alimentar média: inferior a 2,2: 1 GPD no Crescimento/Terminação: superior a 1,2 kg/dia
  34. 34. GENÉTICA A sequência do genoma completo do suíno (todos os genesconhecidos), será obtida provavelmente nos próximos 3 anos. Isso permitirá a seleção por características específicas(reprodução, crescimento, eficiencia da alimentação, resistência a doenças, qualidadede carne, comportamento e até mesmo a redução da produção de resíduos) A clonagem vai se tornar mais fácil, produzindo cópias deanimais de alto valor genético e produzindo animais que irãoelaborar produtos mais uniformes
  35. 35. CONSUMIDORESOs consumidores serão cada vez mais exigentes e irão pedir por: Certificados que incluam padrões ambientais, Legislações mais severas em relação à produção de alimentos, Forte foco em Segurança alimentar, Fortes preocupações com sustentabilidade e com o bem estaranimal.
  36. 36. Consumidores e o Bem Estar dos suínosEm relação ao bem estar, os desafios futuros incluem: A concessão de maior espaço para o suíno crescer Melhores condições de transporte Melhora nos índices de mortalidade e longevidade das Porcas Diminuição no estresse em todas as fases da produção Melhora nas práticas de criação que podem ser invasivas (ouseja, a castração, corte dos dentes, corte da cauda).
  37. 37. QUALIDADE DA CARNEEm relação à qualidade da carne, as carcaças de suínosdeverão ser:- mais pesadas para minimizar os custos de abate;-mais magras, para minimizar o custo de produção;-com melhor relação músculo:osso, através de animais maismusculosos;-ter melhor qualidade (capacidade de retenção de água e a corrosa-vermelho desejável) A uniformidade dos produtos será alcançada por meio da clonagem e da alteração dos genes.
  38. 38. QUALIDADE DA CARNEEm relação ao abate: Os animais serão abatidos no local onde foram produzidos. Câmaras móveis de CO2, caminhões de processamento etransporte refrigerado irão reduzir ou eliminar problemas debem-estar animal e qualidade da carne, associados ao transportede animais vivos.
  39. 39. DEJETOS O impacto ambiental dos dejetos dos suínos continuará a ser um grande problema nos próximos anos ...Os problemas que precisam ser abordadas são:- Odores excessivos e detestáveis;- Perda de nutrientes devido a sistemas inadequados dearmazenamento;- Emissões de gases, principalmente amônia e sulfeto dehidrogênio- Redução ou eliminação de agentes patogênicos.
  40. 40. DEJETOSMudaremos nossa ênfase de tratar os dejetos como um desperdício e passaremos a reconhecê-los como recursos Energéticos e Fertilizantes.1.Com o aumento dos preços de fertilizantes comerciais, osnutrientes excretados pelo suíno irão ser capturados e preservadospara uso na agricultura2.Com o aumento dos preços da energia, tornar-se-á mais viávelconverter dejetos de suínos em fontes de energia (Biogás).
  41. 41. DEJETOS As lagoas, que normalmente perdem cerca de 75% doNitrogênio, serão fechadas ou ao menos cobertas. Os sistemas vão evoluir do estado líquido ao seco, comocompostagem. Sistemas secos reduzem significativamente os odores epatógenos, aumentam a flexibilidade de usos alternativos, e tornao transporte a longas distâncias mais fácil e mais econômico. Para reduzir o odor e os nutrientes nos dejetos, os programasnutricionais serão mais precisos para satisfazer as necessidadesnutricionais dos suínos.
  42. 42. NUTRIÇÃO Devido a uma combinação de avanços genéticos e nutricionais, atingiremos conversões alimentares abaixo de 2,2:1 aos 130 kg de peso. Avanços biotecnológicos e científicos irão permitir o uso da “nutrição deprecisão”, com o propósito de reduzir os desperdícios e diminuir o custo dealimentação Os ingredientes serão pagos pelos exatos nutrientes entregues, e não maispelo preço por tonelada. Os tanques/silos de alimentação serão equipados com medidores, e ocrescimento e a eficiência alimentar serão monitorados constantemente porequipamentos que prevêem o peso. Sistemas de alimentação automática, irão substituir outros métodos dealimentação de porcas na maternidade
  43. 43. NUTRIÇÃO "O suíno do futuro será um excelente reciclador de resíduos ou de muitos ingredientes não-tradicionais" As dietas tradicionais de milho e farelo de soja serão desafiadas por umaumento na disponibilidade de aminoácidos sintéticos e de co-produtosderivados da indústria, como a do etanol. O uso da soja na alimentação de suínos deverá ser significativamentereduzido no futuro. Novas tecnologias irão melhorar a qualidade dos sub produtos ao longo daspróximas duas décadas. Como exemplo, o processamento de ingredientes e odesenvolvimento de novas enzimas Suínos geneticamente modificados serão capazes de secretar enzimas paradigerir alimentos que têm sido difíceis de usar pelo suíno atual
  44. 44. NUTRIÇÃO São necessárias mais informações sobre como a nutrição afeta oestado imunitário e o seu resultado na saúde nos suínos. Maior ênfase nutricional será dada às necessidades de nutrientes dasporcas, particularmente aos que afetam a longevidade e a suasobrevivência. Minerais: será dada uma maior ênfase às suas interrelações e haveráuma substituição gradual dos minerais Inorgânicos por Orgânicos Serão desenvolvidos aditivos alimentares para reduzir ou eliminar oodor dos suínos A formulação “por custo mínimo” será substituída pela formulaçãocom “modelos matemáticos de predição de desempenho”
  45. 45. Eficiência alimentar A grande melhoria na nutrição animal não virá da descoberta de novos nutrientes ... Virá do máximo aproveitamento dos nutrientes já existentes nos alimentosCrescerá a demanda por novos Aditivos e Tecnologias que melhorem a eficiência alimentar Minerais Adsorventes Estimulantes Amino Enzimas Orgânicos Micotoxina imunidade Ácidos sintéticos Anti Probióticos Prebióticos Acidificantes Óleos Oxidantes essenciais
  46. 46. SANIDADE Hoje existem cerca de 900 milhões de suínos no mundo. 50% deles são criados de forma semi intensiva e constituem um sério risco para novas doenças emergentes. A resistência aos antibióticos continuará sendo um problema. Precisamos aprender a usar os Antibióticos com mais responsabilidade ereduzir sua dependência. Melhores testes para diagnóstico, maior uso de antibiogramas e medidaspreventivas serão essenciais para a diminuição do uso dos antibióticos Teremos que elevar a biosegurança para um nível superior, controlando emonitorando todo o ar, água, alimentos, vetores mecânicos, insetos,roedores, suínos, pessoas e outros insumos.
  47. 47. SANIDADE Novas doenças serãocausadas principalmente por Vírus, mas osagentes bacterianos vão ressurgir e causar perdas econômicas. As novas vacinas irão reduzir a nossa necessidade deantimicrobianos. Elas estarão disponíveis em aerosol, pela água e porvia oral. Uma nova abordagem para a gestão da doença será alcançadaatravés da genética (resistência genética) Para isso, os geneticistas terão de identificar suínos que sãogeneticamente mais susceptíveis à doença. Não se trata de buscaranimais mais resistentes a um Vírus, por exemplo, pois ele temmutações frequentes.
  48. 48. REPRODUÇÃOGranjas tecnificadas irão abater 30 suínos por porca/ano, como média de rebanho Os principais avanços na Reprodução serão nas seguintes áreas: -sêmen sexado (trazendo a oportunidade para maior intensidade de seleção de fêmeas de reposição) -transferência de embriões, -maior dependência de análises informatizadas de sêmen -animais clonados, -animais transgênicos
  49. 49. REPRODUÇÃO Existe uma clara necessidade de tecnologias para indicar de forma maisprecisa:o estro, a ovulação, o estado do ovário, a fertilidade dos espermatozóides, aocorrência de fertilização, o estabelecimento de gravidez, o número de fetos, otempo de parto e condição fetal durante o parto. Técnicas avançadas de diagnósticos para medir comportamentos reprodutivosem estro, em combinação com a detecção de hormônios no estro, vai permitir ainseminação artificial de precisão (PAI); A utilização de inseminação intra-uterina irá aumentar, diminuindo aquantidade necessária de espermatozóides por dose e do número de machos; Usando menos esperma com a IIU, abre-se a porta para uma maior utilizaçãode sêmen congelado.
  50. 50. REPRODUÇÃO No futuro, haverá forte restrições ao transporte de animais vivose teremos que desenvolver tecnologias para facilitar a circulação de germoplasma entre as populações, com diferentes condições de saúde ... Essas novas tecnologias incluem: -A coleta não-cirúrgica de embriões, -A fertilização in vitro, -A lavagem de embriões, -A transferência não-cirúrgica de embriões.
  51. 51. Você, como Líder,está preparadopara lidar com as mudançasque irão afetar a nossa atividade nos próximos 10 anos?
  52. 52. Mudança de Paradigmas DA SUINOCULTURA TRADICIONAL À SUINOCULTURA DE ALTO EMPENHO 1980 - 2010 2010 - 2020 Maior lucro / suíno Menor lucro / suínoMenos matrizes/granja Mais matrizes/granja Bom desfrute Alto desempenho Trabalho individual Trabalho com Alianças Gestor operacional Gestor de negócio Lucro físico Lucro inteligente FAZER FAZERFAZER MAIS MAIS MELHOR RÁPIDO
  53. 53. Obrigado pela Vossa atenção! Email: Lroppa@uol.com.br Telefone: (019) 8176 14 09 Endereço: Rua Araça, 567 CEP 13.098-379 Campinas (SP)
  54. 54. Participação do Brasil na produção mundial de carne suína Brasil: Perspectivas de crescimento da produção de carne suína Milhões T 2009/11 2021/22 Crescimento, %OECD/FAO 3,237 3,714 14,7MAPA 3,237 4,067 25,6 Brasil: Perspectivas de crescimento do consumo de carne suína Milhões T 2009/11 2021/22 Crescimento, %OECD/FAO 2,670 3,109 16,4MAPA 2,670 3,313 24,0 Brasil: Exportações de carne suína Milhões T 2009/11 2021/22OECD/FAO 0,576 0,618 7,3MAPA 0,576 0,655 13,7 Fonte: L. Roppa, 2012 - Com base em: “OCDE-FAO Agricultural Outlook 2009-11 a 2021”, Julho 201 e MAPA, Projeções da produção 2011/12 a 2021/22.
  55. 55. MARKETING
  56. 56. REPRODUÇÃO No futuro, haverá forte restrições ao transporte de animais vivose teremos que desenvolver tecnologias para facilitar a circulação de germoplasma entre as populações, com diferentes condições de saúde ... Essas novas tecnologias incluem: -A coleta não-cirúrgica de embriões, -A fertilização in vitro, -A lavagem de embriões, -A transferência não-cirúrgica de embriões.
  57. 57. O consumo mundial de carnes vai aumentar 21% nos próximos 10 anos ... Carne Carne Carnede Frango Suína Bovina 28,9 % 17,0 % 10,2 %28,5 MT 17,3 MT 11,0 MT Fonte: L. Roppa, 2012 - Com base em: “OCDE-FAO Agricultural Outlook 2009-11 a 2021”, Julho 2012
  58. 58. Relação de Poder na cadeia do agronegócio + PODER Especialidades: Preço de vendaSupermercados Prod. Industrializado + Custos + Margem Atacadistas Frigoríficos Carne in natura: Preço de venda Depende da Oferta e Demanda PRODUTOR INDEPENDENTE O Custo sempre existe ... A Margem depende do mercado. Prestadores de Serviços Distribuidores de Insumos Empresas Produto Industrializado: Preço de venda de Insumos + PODER Valor da compra + custos + margem
  59. 59. Equilíbrio de forças na cadeia do agronegócio + PODERSupermercados Atacadistas Frigoríficos PRODUTOR INDEPENDENTE GRUPO DE PRODUTORES Prestadores de Serviços Distribuidores de Insumos Empresas de Insumos + PODER
  60. 60. Ranking de saudabilidadeQual desses produtos você considera mais saudável em 1º lugar, e em 2º lugar? E em 3º lugar? E em 4º lugar?E em 5º lugar?
  61. 61. Evolução dos fatos ...
  62. 62. “Perspectivas da produção mundial de carne suína: desafios e oportunidades” Luciano Roppa Médico Veterinário III Fórum Internacional de Suinocultura PORKEXPO Setembro, 2012
  63. 63. “Perspectivas da produção mundial de carne suína: desafios e oportunidades” Luciano Roppa Médico Veterinário III Fórum Internacional de Suinocultura PORKEXPO Setembro, 2012
  64. 64. Do lucro físico ao lucro inteligentePASSADO (individual) PRESENTE (equipe) FUTURO (redes) INDIVÍDUO EQUIPE ALIANÇAS

×