Prtg

7,607 views
7,358 views

Published on

1 Comment
5 Likes
Statistics
Notes
  • Muito bom o material vai me ajudar no meu projeto sobre PRTG.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
7,607
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
28
Actions
Shares
0
Downloads
325
Comments
1
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Prtg

  1. 1. PRTG – Uma Solução de Apoio ao Gerenciamento de Redes Ana Claudine Siqueira Corrêa1 1 Universidade Federal do Pará – Campus de Santarém annkatlover@gmail.com Resumo. Este artigo aborda a instalação e configuração da ferramenta de apoio a gerência de redes PRTG - Paessler Router Traffic Grapher, com informações básicas sobre a utilização desse aplicativo baseadas em um estudo de caso. O aplicativo PRTG tem como objetivo principal auxiliar o administrador de redes de computadores na gerência dos dispositivos pertencentes à sua rede através da geração de gráficos específicos de monitoração. 1. Introdução A evolução na área da tecnologia da informação é constatada diariamente e de forma visível para qualquer pessoa que a ela tem acesso, e isso pode ser fundamentado através da verificação do contexto social mundial, em que a globalização leva cada vez mais a humanidade a necessitar dos benefícios do computador, não somente para facilitar as atividades diárias, mas também para favorecer a comunicação através das conexões de redes locais e da internet. E esses benefícios trazidos com a expansão das redes de computadores são positivamente significativos quando se trata de redes locais, onde o custo de manutenção e monitoramento tende a reduzir pela facilidade de compartilhamento de recursos, como impressoras, internet e serviços. Assim sendo, percebe-se a necessidade que essas redes locais possuem de uma gerência voltada para a eficiência na distribuição de recursos. Porém, para que seja alcançada essa eficiência, deve-se implementar um acompanhamento tanto dos computadores quanto dos recursos e até do compartilhamento em rede. Surge, então, aqui, um incentivo para a utilização de ferramentas que apóiem a monitoração de redes locais: facilitar o trabalho que gerentes de redes encontram ao administrar recursos e dispositivos. Este incentivo torna-se a principal justificativa para a produção do artigo em questão, cujo objetivo é apresentar uma comprovadamente eficaz ferramenta de gerenciamento de redes: o PRTG. Para tanto, foi elaborado um estudo da ferramenta PRTG abrangendo suas funcionalidades, alcance (áreas funcionais de gerenciamento que alcança segundo o modelo padrão FCAPS) e requisições mínimas para execução, seguido de um estudo de caso em que foi possível determinar os passos para instalação, configuração e uso de funcionalidades básicas de monitoramento. Através do entendimento do conteúdo exposto por esta metodologia pretende-se diminuir o tempo perdido pelo administrador em busca, instalação e configuração de uma ferramenta que possibilite suporte ao exercício de controle de redes locais. A seção seguinte irá apresentar uma visão geral sobre a ferramenta estudada.
  2. 2. 2. PRTG – Paessler Router Traffic Grapher O PRTG (Paessler Router Traffic Grapher) é uma ferramenta de gerenciamento de redes que propicia ao usuário monitorar uma rede constantemente a partir de uma estação de trabalho, através de uma interface gráfica, para tanto este conta com um banco de dados interno que armazena as informações dos dispositivos coletadas diariamente. O acompanhamento dessas informações é feita por meio de gráficos específicos gerados de acordo com o tipo de informação que se deseja monitorar. Este aplicativo é capaz de controlar e expor em gráficos personalizáveis informações sobre taxa de uso de hardware, tráfego de diversos protocolos, taxa de uso de banda de rede, assim como pode gerenciar componentes de rede, realizar conexões remotas a uma determinada máquina e também é útil para produzir mapas de conexões a partir de uma imagem da estrutura física da rede. Visto as funcionalidades oferecidas pelo aplicativo, pode-se encaixá-lo em áreas funcionais da gerência de redes que são determinadas pelo modelo FCAPS. O modelo FCAPS (sigla formada pelos nomes originais em inglês das áreas de gerência que ele prega: Fault, Configuration, Accounting, Performance, Security) divide a gerência de redes em cinco áreas fundamentais, a saber: gerência de falhas , gerência de configuração, gerência de contabilidade, gerência de desempenho e gerência de segurança. O PRTG abrange fortemente as áreas de configuração, contabilidade e desempenho, sendo que nas áreas de falhas e segurança é interessante usar uma ferramenta mais específica, pois o aprofundamento do PRTG nesses níveis é um pouco superficial. O PRTG é uma ferramenta elaborada para executar em estações de trabalho com o sistema operacional Windows (98 ou mais recente), possuindo quatro versões para instalação: freeware (grátis), trial(versão de teste), starter edition(versão semelhante ao freeware) e commercial edition (versão comercial) . Na versão grátis algumas opções de monitoramento aparecem desabilitadas para uso. É necessário ainda que o sistema possua um navegador WEB e possibilite configurar o sistema de agentes SNMP. O SNMP (Simple Network Management Protocol) é o protocolo padrão reconhecido para gerência de redes TCP/IP que utiliza-se dos serviços do protocolo de transporte UDP (User Data Protocol) para disseminação de suas mensagens na rede, baseando-se na concepção de agentes e gerentes. A configuração do SNMP é obrigatória, pois o PRTG irá utilizar o agente SNMP como base para fazer o seu controle na rede. Considerando os custos de se manter um software proprietário, é interessante ressaltar aqui uma alternativa para o administrador que deseja um software livre: a possibilidade do uso do MRTG (Multi Router Traffic Grapher), uma ferramenta semelhante ao PRTG com versões para diversos sistemas operacionais. Na seção seguinte será apresentada a ferramenta PRTG mais detalhadamente, com os conceitos pertencentes ao aplicativo e informações adicionais para compreensão do mesmo. 3. Explorando o PRTG O PRTG trabalha a monitoração da rede através de uma interface gráfica, que executa em um navegador atualizando as informações de acordo com o tempo determinado pelo
  3. 3. administrador. Essa interface gráfica disponibiliza os componentes de rede candidatos a monitoração em uma hierarquia de objetos em forma de árvore, mapeados com conceitos do aplicativo. Esses objetos subdividem-se em Group (Grupo), Device (Dispositivo), Sensor, e ainda existem Test (Teste) e Channel (Canal). Figura 1. Hierarquia em árvore dos objetos PRTG A figura 1 apresenta a árvore de objetos do aplicativo, na qual se pode verificar a separação dos dispositivos como Mail Server e Firewall em grupos. Também fica visível que, associado a cada dispositivo, existem sensores configurados para coletar informações, sendo que esses podem operam em diversos canais, como IN e OUT. A hierarquia proposta pela ferramenta ajuda bastante na organização dos objetos monitorados, facilitando a visualização dos dispositivos e proporcionando um fácil controle do que está ocorrendo em cada objeto. Ainda associado a todos esses objetos está um Probe (sonda), que será mais detalhada adiante. Para cada sensor criado é gerado um gráfico semelhante ao da figura 2 que mede as variações de acordo com os dados coletados, podendo esse gráfico ser exportado como imagem para fins de armazenamento e análise. Figura 2. Exemplo de gráfico gerado pelo PRTG
  4. 4. O PRTG conta ainda com um sistema de notificação que armazena todas as mudanças e atualizações que ocorrem na rede, incluindo as do próprio computador onde está executando. Figura 3. Exemplo de sistema de notificação no PRTG O PRTG divide-se em cinco partes principais: PRTG Server core – como o próprio nome induz, funciona como se fosse o coração do PRTG, contém as informações dos dados de armazenamento, servidor WEB, motor de relatórios e sistema de notificação. PRTG Probe – a sonda, como citada anteriormente. Ela que faz o acompanhamento real, monitorada pelo Server core. Web Interface – a aplicação que executa no browser Windows GUI – um aplicativo Windows que se comunica com o servidor núcleo usando API Ferramentas do Administrador – para configuração de senha/login e IP’s do servidor WEB. No menu principal da aplicação do browser têm ainda a aba maps (mapas), que possibilita a criação de mapas de conexões de rede a partir de uma imagem da estrutura de rede ou local como base (background). Figura 4. Exemplo de mapa criado no PRTG
  5. 5. 5. Estudo de Caso do PRTG O estudo de caso do PRTG foi ambientado no laboratório de informática dos acadêmicos da Faculdade de Sistemas de Informação da UFPA-Campus de Santarém. A ferramenta foi instalada em uma Virtual Box, aplicativo que emula máquinas virtuais, pois nos laboratórios somente são disponibilizadas máquinas com o sistema operacional Ubuntu/GNU Linux, e o aplicativo exigiu uma máquina com Windows. Por ser um aplicativo de instalação executável auto intuitivo e sem opções de configuração no momento da instalação, não se torna necessário se aprofundar no processo de instalação, apenas mostraremos os passos básicos. Figura 5. Instalação – Selecionar linguagem Figura 6. Instalação – Aceitar instalação Após a janela mostrada na figura 6, aparecerá uma janela padrão de instalação, em que deverá ser selecionado o botão “next” para avançar a instalação. Figura 7. Instalação – Aceitar termos da licença A partir da tela mostrada na figura 7, apenas apertar o botão “next”. Após a tela é exibida uma janela que pergunta se você deseja instalar a opção freeware ou trial, no
  6. 6. estudo de caso adotou-se a opção trial para se ter acesso à todos os sensores disponíveis na aplicação. Para escolha da versão trial é necessária uma chave expedida pelo link destacado na janela da versão trial. Em seguida é exibida uma tela para definição de login e senha de acesso ao aplicativo, em que se pode definir também um email para contato. Ao concluir a instalação, deve-se executar o aplicativo PRTG network monitor na área de trabalho e entrar com o login e senha definidos. Após o login uma página inicial é mostrada com as opções de criação de grupos e dispositivos, criamos um grupo na aba group->add e clicamos no link “add device”. Após adicionar um dispositivo, podemos adicionar sensores ligados à ele, clicando em cima do dispositivo e em seguida clicando no link “add sensor”. No estudo de caso optamos por um computador como dispositivo e adicionamos um sensor de ping ligado à ele. Ao clicar no sensor, as informações relacionadas a ele, incluindo o gráfico de monitoração são exibidos. Todas as atualizações na máquina eram notificadas pelo sistema de notificações disponíve na aba “alarms”. Alguns detalhes relevantes foram observados no teste da ferramenta, como a necessidade de configuração de alguns sensores por endereço MAC, configuração de canais de monitoração de tráfego(IN/OUT). Por esse motivo o teste de sensores foi restrito, dado a necessidade da presença de alguém que compreendesse melhor a rede e configuração das máquinas gerenciadas. 7. Conclusão Redes de computadores, por sua crescente expansão devido aos benefícios que trazem para os interesses sociais são quase que intrínsecas à realidade atual, e partindo dessa conclusão podemos refletir sobre o impacto que elas causam no nosso dia a dia e a importância delas estarem devidamente organizadas e bem administradas. Para uma administração satisfatória de uma rede vê-se a necessidade de aplicativos que auxiliem o trabalho de monitoramento de rede, logo desponta também a importância das ferramentas e apoio ao gerenciamento de redes na área da tecnologia da informação. Comprovadamente testado, o PRTG encaixa-se nesse grupo de ferramentas de gerenciamento que trazem a eficiência no monitoramento de estações e recursos, como um kit de funcionalidades quase completa em abrangência nas áreas de gerência, logo não se pode deixar de concluir que a utilização da ferramenta como suporte à administração de redes é válido e que esta deveria ser incluída entre uma das ferramentas mais poderosas de monitoramento de redes. Referências Network Monitoring Software. Disponível em <http://www.paessler.com/>. Acesso em: 5 nov. 2009. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DAS FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO DE REDE - SWITCHSNIFFER E PRTG. Disponível em <http://www.ulbra.br/santamaria/eventos/jornada/2006/Sistemas_de_informacao/11_11 61997976_PRINCIPAIS_CARACTERISTICAS_DAS_FERRAMENTAS_DE_GER ENCIAMENTO_DE_REDE.pdf>. Acesso em: 5 nov. 2009.
  7. 7. PRTG - Paessler Router Traffic Grapher 7.1.3.3317. Disponível em <http://www.baixaki.com.br/download/prtg-paessler-router-traffic-grapher.htm>. Acesso em: 5 nov. 2009.

×