Your SlideShare is downloading. ×
Software de supply chain management: Definições, aplicações e implementação por empresas Braileiras
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Software de supply chain management: Definições, aplicações e implementação por empresas Braileiras

2,172
views

Published on

Softwares de SCM, definições, aplicações e implantação por empresas Brasileiras

Softwares de SCM, definições, aplicações e implantação por empresas Brasileiras

Published in: Business

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,172
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ROBERTY PIRESEngenharia de ProduçãoFaculdade SantoAgostinho
  • 2. IntroduçãoNo final do século XX houve grandecrescimento dos sistemas ERPs (SAP/R3,Oracle, BAAN etc.) impulsionados tanto pelo“bug” do milênio , quanto pela adoção deuma visão do negócio através de processos.Passado o período dos ERPs, estamosvivendo uma nova onda com a implantaçãodos Sistemas de Supply Chain Management –SCM.O Artigo apresenta os resultados da pesquisarealizadas pelo Centro de Estudos emLogística / COPPEAD (Instituto de pós-graduação e pesquisa em Administração daUFRJ) sobre o estado atual(2002) deimplementações de software (SCM) no Brasil.
  • 3. ConceituaçãoAntes de se discutir os software de SCM, vamos a uma breve abordagem sobre ossistemas ERPs.Enterprise Resource Planning – ERP é um sistema de gestão empresarial que gerenciaas informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais dasempresas.Serve para integrar todos os departamentos e funções de uma empresa em um sóprograma de software integrado que trabalha com um único banco de dados.É uma evolução dos sistemas MRP e MRPII, que são importantes para oplanejamento de materiais e produção, o ERP incorporou aspectos de outras áreas(Finanças. Marketing, Recursos humanos) etc.
  • 4. Características dos ERPsEnterprise Resource Planning – ERPOs ERPs são sistemas transacionaisque tendem a focar o nível operacionalnão possui muita capacidade analíticapara tomada de decisões deplanejamento estratégico.São ótimos para informar o que estáacontecendo, mas não o que deve estaracontecendo.Os ERPs podem informar qual o nívelde estoque atual de um dado produto,mas são deficientes em determinar oquanto de estoque é necessário paraatingir um determinado nível de serviço.
  • 5. ConceituaçãoSoftware de Supply Chain Management– SCM é um termo comercial que serefere a toda uma gama de ferramentasde software ou módulos utilizados naexecução de operações de cadeia desuprimentos, gestão de relacionamentocom fornecedores e controle associadosa processos de negócios.Após o advento do ERP, a evoluçãosurgiu o conceito SCM, sigla paraGerenciamento da cadeia logística. Estasolução veio a complementar o ERP,gerenciando toda a cadeia logística docliente até o fornecedor, em resumo,planejando e controlando as entidadesinternas e externas da companhia.
  • 6. Principais característicasdos SSCMsApesar de muitas vezes serem vistoscomo concorrentes, o valor total de umsistema ERP não pode ser alcançadosem a capacidade de resolução deproblemas dos sistemas analíticos. Damesma forma, os sistemas analíticosnecessitam de dados acurados das váriasfunções da organização, sendo atravésdo sistema ERP, uma das melhoresmaneiras de obter estes dados.Possibilidade de planejamento integralde toda a cadeia de suprimentos dofornecedor até o cliente de uma ouvárias empresas;Real otimização através da definiçãode alternativas, objetivos e restriçõespara os problemas de planejamento combase em métodos otimizadores ou deheurísticas exatas;Uso de um sistema de planejamentohierárquico (ponderação entrepraticidade e a consideração entre ainterdependência existente entre astarefas de planejamento).
  • 7. EstruturadeClassificaçãodesistemadePlanejamentoA gestão logística de uma empresaenvolve grande variedade de decisõesassociadas a diversas atividades –transporte, produção, estoque, etc. Comintuito de abrangência total, ossoftwares de SCM possuem algunsmódulos, geralmente relacionados aotipo de decisão a ser tomada e àsatividades logísticas.De acordo com o horizonte deplanejamento e importância da decisão,as tarefas podem ser classificadas emtrês diferente níveis de planejamento:Estratégico,Tático e Operacional.
  • 8. FuncionalidadesDisponíveisDe forma generalista os sistemas SCMpossuem uma estrutura que abrangetodas as atividades de planejamento,englobando desde módulosOperacionais,Táticos até o Estratégico.Os sistemas SCM possuem algunsmódulos que são focados em apenas umnível decisório (TMS) , enquanto outrosmais de um nível decisório (DemandPlanning) ou mais de um processo(Master Plannig). Outro ponto relevanteé que os módulos passam deabrangência restrita e alto grau dedetalhes para mais abrangente eestratégicos como o módulo NetworkPlanning.Módulos de um SCM
  • 9. Estrategic netowork planningPlanejamento Estratégico de RedeO planejamento estratégico de redepossui horizonte de dois anos oumais, e suas decisões envolvem adefinição de zonas de clientes, aabertura ou fechamento de fábricase centros de distribuição, bem comode suas capacidades necessárias.A utilização desses sistemas passapela modelagem da rede em si. Essamodelagem abrange custos fixos evariáveis da operação, instalaçõesexistentes (Fábricas, CDs) esegmentação geográfica dademanda, entre outros aspectos.
  • 10. Demand planningAs aplicações de planejamento dademanda ajudam na elaboração deprevisões de vendas, através dautilização de ferramentas analíticasapropriadas.Esses sistemas utilizam como inputdados históricos de vendas e qualquerinformação existente que pode serrelacionada com a demanda futura,como contratos já firmados ouprojeção da taxa de inflação.As previsões são realizadas emonitoradas através de trêsdimensões básicas, com diferentesgraus de agregação: De produto: produto, grupo, família,linha; Geográficas: cliente, região devendas, venda nacional, área deatuação de centros de distribuição; De tempo: dia, mês, ano ouqualquer horizonte específico emfunção de sazonlidades.
  • 11. Master planningA principal finalidade desse módulo ésincronizar o fluxo de materiais aolongo de toda a cadeia. Isso suportadecisões de médio prazo comocapacidade de produção,disponibilidade de transporte,planejamento de suprimentos epolíticas de estoque.A sincronização do fluxo de materiaisvem da definição das capacidades dasentidades (fábrica, CDs, frota deveículos) que compõem a cadeia desuprimentos. Dessa forma, é possívelobter redução nos níveis de estoque,eliminando estoques de segurançaredundantes oriundos deplanejamento não integrado.Distribution planningEsse módulo trata das decisões táticas deplanejamento da operação de distribuição.Define as regras e premissas para geração deroteiros de transportes, observando-se asregras de carregamento e oportunidades deconsolidação de carga entre outros.Inventory managementOs módulos de gestão de estoque sãoresponsáveis pela definição e planejamentodas políticas de estoque a serem utilizadas.Esses sistemas auxiliam no calculo dosparamentros e na decisão da política a seradotada. Utiliza como paramentro: custo deestoque e dos transporte, dos níveis deserviços, tempo de fornecimento, defabricação e projeções de demanda.
  • 12. Scheduling daproduçãoA função desse módulo é gerar aprogramação detalhada de produçãoem intervalos de tempo relativamentepequenos. Essa programação indica ostempos de inicio e término de cadaordem, bem como os recursos para seuprocessamento, sendo este pontoonde os software de SCM maisagregam.Estes sistemas buscam a melhoria daprodução através de algoritmosotimizadores, com objetivos deminimização ou maximização dealgum aspecto da produção. (set-ups,custo variável, etc.)TransportationManagement System-TMSEsse módulo trata do gerenciamento dostransportes, e está divido em:Monitoramento e controle dos custos eserviços, tais como: fretes, entregas, avarias,etc.Execução consistente em determinar as rotase modais a serem utilizados, sequencia etempo de paradas dos veículos.Auditoria de fretes, mantendo uma base dedados das tarifas de fretes praticados.WarehouseManagement System-WMSEsses sistema são responsáveis pela operaçãodo dia-a-dia de armazém e sua utilização edecisões são todas Operacionais. Possuifuncionalidades como definição de rotas decoletas, de endereçamento de produtos,buscando minimizar as distâncias médiaspercorridas.
  • 13. Procurement(compras)A função desse módulo é focar orelacionamento entre a empresa e seusfornecedores. Seus objetivos básicossão os de permitir um processo decompras, eficiente e racionalizado, egerenciar especificações, preços,ordens de compras e os própriosfornecedores.O processo de fulfilmente, ouatendimento da demanda, determina adata prometida de entrega para pedidos,influenciando o leadtime e osindicadores de pontualidade de entregados mesmos, além de reduzir a perda devendas.Order fulfilment(Atendimento)
  • 14. Análise do processo de implantação de SSCM porempresas brasileirasApresentaremos alguns resultados dapesquisa realizada pelo CEL acerca doatual estágio das implantações desoftwares de Supply Chain Management(SCM) no Brasil.A pesquisa foi realizada através deentrevistas presenciais com osresponsáveis pela implantação dosmódulos de supply chain em suasempresas. Um total de 62 empresasforam contactadas, sendo que destasapenas 13 possuíam pelo menos algumdos sistemas considerados na pesquisa.As entrevistas e posterior análise foramrealizadas com base nestas 13 empresas.Escolha da FerramentaNesta etapa da pesquisa buscou-seidentificar e analisar o processo peloqual, uma vez definida a necessidade deuma ferramenta de SCM, se escolhe ofornecedor.Desta forma, foram abordados trêsaspectos:O grau de formalização do processo deescolha; Os critérios utilizados para a definição;Os fornecedores avaliados.
  • 15. Processo de seleçãoNeste aspecto, procurou-se avaliar ograu de formalização do processo ecomo esta pode ter afetado o resultadoda implantação. Foi considerado comoformalizado um processo no qual asnecessidades das empresas estavamclaramente definidas, em que foirealizada a avaliação de mais de umfornecedor, e finalmente, no qual aescolha foi baseada em critériostangíveis.Uma terceira possibilidade e a licençamundial, que é caracterizada quandoempresas multinacionais definem umaestratégia mundial de implantação dedeterminado sistema. As subsidiáriasbrasileiras não realizam seleção, ficandorestrita a implantar o software definidopela matriz.
  • 16. Critérios utilizados na definição dofornecedor•Os dois primeiros estão associados,principalmente o segundo, a problemas jáencontrados pelas empresas quando daimplantação de seus sistemas integradores.Portanto, a importância dada à integração podeser vista como um alinhamento com asimplantações já realizadas no passado.•O terceiro critério diz respeito à aderência àsnecessidades, ou seja, a compatibilidade com ossistemas já existentes. Mas a busca por umamelhor integração não deve sacrificar aadequação da ferramenta. Um bom exemplo sãoempresas que possuem o sistema integrador R/3da SAP escolhem um software de SCM que não oAPO, também da SAP.•Alem dos três primeiros critérios, uma outraobservação diz respeito a baixa importânciadada ao custo da ferramenta. Isto se deve aofato de que as empresas que implementaramlicenças mundiais, não necessitam pagar pelaslicenças, incorrendo apenas no custo deimplantação.
  • 17. Fornecedores avaliadosOs processo formais de seleção, ealgumas vezes também os informais, secaracterizam pela avaliação de mais deum possível fornecedor. O gráfico mostrao cruzamento do número de vezes quecada fornecedor foi avaliado com onúmero de implantação efetivas de cadaum.A i2 implantou apenas uma, já aManugistics desponta com o maiornúmero de implantações, sendo aescolhida em seis dos sete processosseletivos que participou.O APO da SAP se caracteriza por ser umsistema que só é implantado porempresas que já possuam o R/3. Tanto aCAPS-BAAN quanto a Synquest tambémestão muito associados.
  • 18. ProcessodeimplantaçãoCom relação à implantação buscou-selevantar quais os principais módulos queestão sendo utilizados, bem comoanalisar as características de cadaprocesso de implantação com o objetivode se identificar quais os fatores críticosde sucesso.Foram avaliados os seguintes aspectos:Módulos implantados;Composição do time de implantação;Tempo de implantação;Problemas encontrados ao longo desteprocesso.
  • 19. A-Módulos implantadosO módulo de planejamento da produçãoé aquele com maior número deocorrências, sendo observado duasvezes mais do que no segundo – gestãode estoques. Com base nisto pode-sesupor que o planejamento da produção éum problema bastante frequente eprincipal fonte de implantações dossoftwares de SCM.Ao longo das entrevistas foi identificadoque os módulos relacionados àsatividades de transporte, ou o deestrutura de rede são normalmenteimplantados em empresas que possuemproblemas específicos nestas áreas. Estaobservação explica seus baixos níveis deimplantação.
  • 20. B–ComposiçãodotimedeimplantaçãoFoi considerado que o time deimplantação pode ser composto por trêstipos de profissionais: funcionários daprópria empresa, funcionários daempresa fornecedora do software econsultores da empresa integradora. Foiconsiderado como empresa integradoraqualquer empresa envolvida naimplantação que não a empresa cliente(que irá usar a ferramenta) ou ofornecedor. Normalmente este papel édesempenhado pelas grandesconsultorias.
  • 21. C– TempodeimplantaçãoPara analisar o tempo de implantação de umsoftware de SCM considerou-se não somente otempo gasto na implantação em si, mas também outilizado nas etapas de seleção da ferramenta e deidentificação de necessidade.Necessidades: Algumas empresas consideram estaetapa como um marco, um mês específico, outras aconsideram mais duradoura. Na realidade, quandode etapas mais duradouras (empresas 1 e 3), estasestão associadas a projetos mais amplos.Seleção: Apesar de não garantir o sucesso daimplantação, os processos com tempos de seleçãoum pouco mais longos resultaram em escolhasconsideradas acertadas por parte das empresas,principalmente no que diz respeito à aderência daferramenta às necessidades do negócio.Implantação: Com relação ao tempo deimplantação, as variações são devidas aos diferentesgraus de complexidade dos projetos, incluindo-seneste aspecto empresas que implantaram osoftware em mais de um site – caso da empresa 5.
  • 22. Principais problemas encontradosProblemas Culturais: A razão para isto é o fato deque a implantação deste tipo de sistemainvariavelmente altera o modo pelas quais certasdecisões são tomadas. Isto faz com que possamdespertar dois tipos de barreiras culturais:Resistência à mudança ( o novo sistema não atendea todas as necessidades) e, Sensação de perda depoder, ou até mesmo de risco de demissão, emfunção de tarefas antes realizadas manualmentepassarem a ser feitas diretamente pelo sistema.Remodelagem de processos: A necessidade deremodelagem de processos muitas vezes não éprevista nas implantações. Um aspecto quegeralmente gera mudanças é a necessidade deinformações que não eram trabalhadas até então, oque de certa forma está relacionado ao terceiroproblema no ranking, o de obtenção de dados.Qualificação do pessoal contratado: Apesar de nãoser um aspecto entre os mais críticos, foramfrequentes as críticas à qualificação do pessoalcontratado para a implantação, seja de consultoriaou até mesmo dos fornecedores.
  • 23. Grau de satisfação com a ferramentaA satisfação das empresas está nasfuncionalidades dos softwares: capacidadeanalítica, quantidade e qualidade deinformações, aderência às necessidades. Poroutro lado, os aspectos que geraminsatisfação estão associados ao processo deimplantação ou ao pós-venda (caso deserviços agregados).A integração dos sistemas aos ERPsapresenta um alto grau de satisfação, o que ébastante relevante uma vez que estacaracterística foi um dos principais critériosde escolha das ferramentas.O aspecto de custo com licenças, nãoapresentou satisfação ou insatisfação, já oinvestimento total, que engloba todo o custoda implantação, aparece como o aspecto demaior insatisfação, indicando quefrequentemente, os valores superaram aprevisão inicial.
  • 24. ConclusãoOs resultados monstram que o processo de implantação de um software de SCM possui alto graude complexidade bem como inúmeros aspectos que devem ser trabalhados em vista a se obteruma implantação de sucesso (composição do time, processo de seleção do fornecedor,capacitação interna, etc).Esta alta complexidade vem resultando em projetos sistematicamente fora do prazo e comgastos superiores aos orçamentos iniciais. Entretanto, cerca de 44% dos entrevistados afirmamque o retorno sobre o investimento do projeto como um todo foi maior ou muito maior do que oesperado, e 34% consideram como sendo igual ao esperado. Esta satisfação quanto ao retornotambém é observado com relação ao desempenho do software após sua implantação, para oqual apenas 18% dos entrevistados o consideram pior ou muito pior do que o esperado, e que55% consideram igual ao esperado.Com base em tudo o que foi visto pode-se concluir que, apesar dos inúmeros problemaspossíveis de serem encontrados ao longo de um processo de implantação de um software deSCM, e dos custos serem frequentemente superiores aos previstos, ainda assim as empresasestão satisfeitas com as ferramentas e obtendo retorno.
  • 25. FIMOBRIGADO!PERGUNTAS?